De sainha, livre, leve e solta

Estava de folga na casa de mamãe por isso resolvi dar um passeio pelas redondezas lembrando minhas aventuras quando ainda criança.
Vestida com uma camiseta básica saia pouca acima dos joelhos calcinha tipo asa delta sandálias rasteirinha.Sai pela rua sentindo toda a liberdade de poder caminhar livremente embora quando fazia isto escondido era bem mais excitante.
Era constantemente paquerada pelas pessoas que passavam por mim comigo rindo imaginando o que fariam se soubesse dos meus vinte e dois cm de pênis embora quem não me conhece não pode sequer imaginar tal fato.
Como já relatei aqui sou um menino preso em um corpo feminino o que só aumenta meu prazer.
Sou exibicionista porque posso.Tenho um metro e setenta de altura oitenta e oito de busto,setenta de cintura,noventa e quatro de quadril,cento e três de bumbum,sessenta e quatro de pernas com coxas grosas bundinha com marquinha de biquíni olhos azuis claros cabelos loiros encaracolados pouco abaixo dos ombros.
Caminhava tranqüilamente quando passei próximo a um campo onde alguns meninos jogavam bola não dando a mínima para as palavras obscenas que dirigiam a mim.
Para não ter que andar muito de volta resolvi cortar caminho por um terreno baldio que fica atrás da casa de mamãe por onde muitas vezes fugia pulando o muro para me deliciar me exibindo pelas ruas dali.
Estava no meio do terreno e ao invés de seguir caminho pela trilha que sai na rua ao lado de casa,resolvi me embrenhar pelo matagal na intenção de pular o muro saindo nos fundos de casa.
Estava tão distraída que não percebi que estava sendo seguida por cinco rapazes e dois meninos que aparentavam ser menores de idade.
Vendo eles um pouco longe de mim resolvi me abaixar deixando que vissem minha bunda coberta somente pelo fino tecido da calcinha mesmo porque sou perita em artes marciais o que me da muita segurança.
Já ia pulando o muro quando um rapaz muito simpático pegou gentilmente em meu braço pedindo que ficasse um pouco mais com eles.
Não sei o que me deu naquele momento pois quando dei por mim estava conversando animadamente com o grupo já sentindo a calcinha estufada com meu pinto ficando duro.
Em certo momento um rapaz negro me abraçou beijando minha boca enquanto mãos levantavam minha saia puxando minha calcinha pra baixo.
Fingindo esta com muito medo pedi que fizessem com carinho informando que só deixaria se fosse somente no cuzinho.
Em pouco tempo estava de quatro com alguém socando fundo em meu cu enquanto mãos alisavam meus seios me dando muito prazer já comigo gemendo muito.
Estava extasiada sentindo pênis de diferentes tamanhos quando um dos meninos meteu a mão entre minhas pernas denunciando meu segredo.
Após rirem muito com a descoberta gemi gostoso em um estrondoso gozo anal com aquele rapaz negro enchendo meu cu de porra numa fúria louca e quando saiu de mim se posicionou embaixo de meu corpo abocanhando meu penis deixando minha glande bater em sua garganta já com alguém arrebentando meu cu com estocadas furiosas e viris.
Não tive outra alternativa senão abocanhar tudo aquilo sentindo meu próprio gosto nele.
Delirei quando com algumas poucas mamadas fui presenteada com um rio de porra depositado em minha garganta que não consegui engoli tudo porque urrava enchendo a boca dele com minha porra ficando molinha de tanto gozar.
Já estava escurecendo quando eles me liberaram e um deles vendo meu pinto meio duro encostou me em um tronco de arvore se ajoelhando em minha frente mamando com muito gosto meu porrete enquanto enfiava um dedo em meu cu e em poucos minutos urrei anunciando mais uma esporada sujando seu rosto com ele levantando em seguida beijando minha boca dividindo comigo minha porra com ele forçando a me virar onde tive a calcinha afastada pro lado com ele socando fundo em meu cu deixando me louquinha com sua pica socando fundo em mim.
Quando gozou dei graças porque já estava sem forças ate mesmo para me manter em pé perdendo as contas de quanto já tinha gozado co ele me dando um delicioso beijo na boca deixando me sozinha ali sentindo a porra escorrer pernas abaixo.
Tive que ir pela rua mesmo porque estava sem forças para pular o muro e enquanto caminhava sentia as pernas molhadas de tanta porra que saia de meu cu.
Após um banho cai mortinha na cama acordando muito tempo com mamãe mamando gostoso em meu pênis deixando o muito duro e ao me ver acordando sentou em cima fazendo tudo aquilo cutucar seu útero com ela cavalgando gostoso onde passamos uma estonteante noite de amor.
Beijos.
 

Opções de exibição de comentários

Escolha seu modo de exibição preferido e clique em "Salvar configurações" para ativar.

vocÊ

Sou de curitiba e gostaria, se possível, te conhecer.

Paulo

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
1 + 8 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4