Saiba por que as mulheres não querem mais fazer sexo

Elas se queixam , eles não entendem. O fato é que a falta de apetite sexual tem representado cerca de 70% dos casos no Ambulatório de Sexualidade do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). Estas mulheres estão entre os 30 e 50 anos de idade, mas não pense que as novinhas escampam desta estatística. As jovens também apresentam problemas ligados às disfunções sexuais. "Quando o sexo deixa de proporcionar prazer, é sinal de que algo está errado", disse a coordenadora do ambulatório, a médica ginecologista Elsa Gay. Para esclarecer o assunto, o Terra convidou o médico ginecologista e especialista em sexologia e integrante da equipe do HC, Théo Lerner, a responder questões do por que as mulheres estão perdendo a vontade de fazer sexo.

Terra: Por que a falta de libido domina as queixas no HC?
Théo Lerner: A associação da falta de conhecimento sobre a resposta sexual e suas variações ao longo das diferentes fases da vida, as noções culturais de gênero que dificultam a autonomia na busca da satisfação sexual e as contradições entre informações sobre o desempenho sexual recebidas de diferentes fontes contribuem para que um número cada vez maior de mulheres apresente dificuldades na esfera sexual.

Terra: Qual faixa etária destas mulheres?
As queixas atingem mulheres sexualmente ativas de todas as faixas etárias. Em nosso serviço predominam as pacientes entre 30 e 50 anos.

Terra: Os homens também sofrem com a falta de desejo sexual?
Sim. Em um primeiro momento, as necessidades masculinas referentes à sexualidade estavam mais voltadas para o desempenho, ou seja, para a capacidade de obter uma ereção que possibilite a penetração. O advento das drogas facilitadoras de ereção permitiu que muitos homens passassem a se questionar quanto ao desejo sexual. Assim como as mulheres, os homens também sofrem grandes pressões quanto ao desempenho em diversas áreas e muitas vezes os esforços para dar conta destas pressões acabam por comprometer a disponibilidade para o desejo sexual.

Terra: Então, esta é uma patologia da modernidade, decorrente de todo estresse do cotidiano?
Pode ser considerado um problema moderno, considerando de que a ideia de que a mulher tem direito ao prazer e a satisfação sexual é relativamente recente. O estresse cotidiano e as pressões sociais contribuem para o surgimento do problema.

Terra: A falta de apetite sexual tem mais relação com um fator físico ou psíquico?
Embora fatores orgânicos como doenças crônicas, endocrinopatias ou depressão possam contribuir para a diminuição do desejo sexual, os fatores psicológicos associados são fundamentais para o surgimento da disfunção. É fundamental uma avaliação médica completa de todos os casos de queixa de diminuição de desejo.

Terra: Qual é o tratamento aplicado?
Ele é baseado na terapia cognitivo comportamental. Após a avaliação inicial, as pacientes participam de encontros em grupo onde são propostos exercícios e técnicas que a paciente realiza em casa, com o objetivo de desenvolver habilidades para a compreensão e solução de seus problemas na esfera social.

 

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
5 + 5 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4