A esposa do patrão

Olá, meu nome é Ricardo, moro em São Paulo, 33 anos, branco, 1,93mt, 110 kgs, aquela barriga de quem gosta de uma cerveja, mas nada absurdo, trabalho com dedetização, sou técnico em controle de pragas há 8 anos, e há um mês aconteceu algo muito interessante.

Meu patrão é quimico, muito gente boa, sua esposa, pele bem clara, magrinha, cabelos loiros tingidos, sempre sorridente, bióloga, mas dificilmente vem a empresa, a fama dela é de uma mulher extremamente ligada ao computador, seus filhos comentam que ela chega a ficar 18 horas por dia na frente do computador, até então ok, mas como de costume, uma vez ao mês vou a casa deles fazer uma aplicação por toda a residência, já faço isso a 5 anos e como sempre fui despretencioso, sem nenhuma intenção a não ser de executar o serviço, pois bem, ao fazer a aplicãção pelo lado externo da casa, resolvi espionar a janela do escritório dele, pois ela estava no computador, muito interti da digitando, dei uma olhada na tela e ela estava numa sala de bate papo, com o nome ''coroa quer garotos'', nossa, aquilo me enlouqueceu em segundos, na mesma hora entrei na casa, bati à porta do quarto e disse que precisava tirar a cortina e limpar a janela, pois eu iria fazer uma infiltração na base da janela, prevenção a cupins, ela achou normal, nem se abalou e também não parou sua conversa no bate papo, com certeza ela não imaginou que estava lendo tudo que ela escrevia, e a conversa estava quente, ela conversava com um homem de nick Rolãomooca/28 e o via pela cam, um rapaz moreno, se punhetava pra ela na cam, e eu percebi que ela estava inquieta, roçando uma perna na outra, foi aí que joguei todo o balde de agua pra limpar a janela em mim, me mostrei muito assustado, e disse q era solvente, ela ficou muito preocupada e correu pegar uma toalha, e eu tirando a roupa, dizendo que estava queimando, ela me deu a toalha e um roupão, e foi ajudando a me trocar, sem camisa, mas ainda com a calça, coloquei o roupão, e tirei a calça de uma vez, como se a intenção fosse de me cobrir rapidamente, mas meu pau estava muito duro, e eu deixei que ela visse e logo fechei o roupão, mas percebi novamente que ela ficou desnorteada, perguntei se ela tinha pasta d´agua, pois minhas coxas estavam ardendo, ela correu e pegou, pedi desculpas pelo incomodo causado e tal, e pedi que ela ficasse a vontade pois eu iria ficar bem ali, e logo terminaria o serviço, ela entendeu e voltou ao computador, nisso entrou no MSN e passou a contar a uma amiga o que estava acontecendo, e esta amiga por sua vez ficou pondo lenha pra que ela tomasse uma atitude, e vi ela escrevendo que não faria nada se eu não tomasse a iniciativa, baixou a tela e voltou ao bate papo, aí fui pro tudo ou nada, era ganhar ou perder literalmente, levantei, e disse a ela que já estava tudo bem, ajuntei minhas roupas na mão tirei o roupão na frente dela e disse que ela já poderia guardar, fiz isso o mais natural possível, eu peladão na frente dela, o pau muito duro, mas não mudei o semblante, e nessa hora eu a vi estremecer inteira, a pele avermelhou ela deu um passo pra trás sem tirar os olhos do meu pau, eu carinhosamente peguei a mão dela e coloquei no meu pau, ela sem olhar pra mim começou a punhetá-lo, lentamente e eu comecei a despi-la, fui tirando o roupão, uma blusa de moleton, uma camisetinha por baixo e pra aumentar meu tesão ela estava sem sutião, baixei o moleton, e estava sem calcinha, olhei pra ela bem sacana, e ela sorriu ainda olhando pra baixo e disse q só usava lingerie pra sair, em casa não, aí forcei pra que ela baixasse pra me chupar e ela se negou, vindo a me abraçar e se esfregar em mim, virei ela de costas e comecei beijando a nuca, as costas, enquanto esfregava meu pal na bundinha dela, lentamente, e pelas costas fui alternando entre beijos e lambidas fui abaixando atrás dela,apoie as mãos dela no rack do computador, coloquei uma perna dela em cima de uma cadeira, e comecei a chupá-la, bem gostoso, chupando, mordiscando, conforme ela foi molhando, eu deslizava um dedo pela bundinha brincando na entradinha de trás e ela gemia, quando ví que ela estava bem molhada, sentei ela na cadeira, e sem questioná-la enfiei minha rola na boca dela, que nem negou e passou a chupála bem gostoso, acariciando meu saco de leve, e me chupando bem carinhosa, boquinha macia, segurei a cabeça dela por trás e aumentei a velocidade, tipo bombando na boca dela e ela continou chupando, quando ela engasgou, virei ela de costas novamente e fui colando meu pal na bucetinha dela, invadindo mesmo, segurando-a pela anca, logo entrou tudo, percebi que ela amoleceu, aí comecei a bombar, que delícia, ela gemia tão gostoso, fiquei assim por uns 5 minutos, aí me sentei na cadeira e ela logo montou por cima, percebemos que a cadeira não aguenta ria, ela me puxou pela mão e me levou ao quarto dela, deitou na cama e me puxou por cima, entrou tudo, ela gemeu alto e comecei a estocar com força, enquanto apertava os seios dela, após um tempo assim, coloquei ela de quatro na cama e voltei a estocar forte, e com o dedão ia brincando na entradinha da bundinha, fiquei bombando por um bom tempo até que ela foi se deitando e começou a se retorcer deliciosamente, gozando pra valer mesmo, e eu sem parar de bombar fui vendo aquela mulher toda suada, mas com uma cara satisfeita, feliz, e ela começo a jogar a bunda pra trás deixando as estocadas ainda mais gostosas, e pediu que eu gozasse pra ela, e eu no auge do tesão disse que queria gozar na cara dela, ela disse que era só avisar a hora, nessa mesma hora não aguentei, empurrei ela pra frente, ela já se virou segurando os cabelos pra trás e ficou esperando a jatada, soltei umas 5 jatadas fortes, pelo rosto todo, ela enfiou meu pau na boca e foi chupando bem gostoso, enquanto a porra ia descendo pelo pescoço dela, ela deixou meu pau limpinho, sorriu, e disse, vamos tomar um café?...voltamos ao escritório, ela se vestiu novamente, toda esporrada, e me deu roupão novamente, levou minha roupa pra secadora e voltou a conversar comigo se nada tivesse acontecido, levei na mesma forma, umas 2 horas depois, eu tinha terminado o serviço, ela já tinha tomado banho, fui avisá-la que ia embora, ela me deu um beijo na boca, e disse que o sigilo iria gerar outras transas tão gostosas como essa, eu garati que isso era certeza, e fui embora, foi completamente inusitado, porém muito delicioso...

 

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
15 + 5 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4