A lição do professor de matemática

Vou contar minhas aventuras com meu adorável professor de matemática e aproveitar este conto para dar umas dicas de como seduzir seu professor. Foram coisas que fui descobrindo ao longo de minha vida escolar. O primeiro ponto é que todos são homens e os homens observam nossos corpos, ainda mais o professor que fica numa posição de destaque. Tudo começou quando o calor era insuportável e resolvi ir à aula com uma saia que ia até o meio das minhas coxas. Notei que cada vez que eu mexia as minhas pernas os olhos dos professores eram atraídos para ela, uns mais discretos outros mais ostensivos. Gostei da brincadeira de tentar os professores e fiz eles babarem no meu corpo. Cruzava as pernas deixava minhas coxas à mostra, abria a pernas levemente e, algumas vezes, deixava aparecer minha calcinha, senti que alguns professores ficaram loucos, devem ter se masturbado pensando em minhas pernas. Coloquei blusa e camisetas sem soutians, via-os devorarem meus seios com os olhos, isso me excitava. Colocava camisetas baby look e calça de cós baixo, aproximava da mesa quando eles estavam sentados e deixava minha barriga o mais próximo possível de seus rostos, alguns ficavam vermelhos, mas esse jogo de sedução era apenas uma brincadeira sensual que me excitava muito, às vezes eu mesmo me masturbava de tanto tesão que sentia no cortejar dos professores.

Quando estava no terceiro ano do colegial, conheci um professor que chamou minha atenção, não pelos dotes físicos, mas pela sua maneira de ver a mulher, em algumas situações ele demonstrava saber como tratar uma mulher, ser carinhoso e ser gentil. Aquilo que atraiu, comecei a sentir tesão pelo professor, queria que ele me desse uma aula, não de sua disciplina Matemática, mas de sexo, ele deveria ser um excelente amante. Resolvi torturar esse professor, coloquei uma mini saia e sentei no centro da sala na última fileira, onde eusabia que ele podia ver minhas pernas, comecei cruzando as pernas, notei que, embora tentasse disfarçar, ele comia minhas pernas com os olhos. Cada vez que eu movia minhas pernas, seus olhos me devoravam, resolvi ser mais ousada, abri levemente as pernas e percebi que ele engoliu seco. Ele não conseguia me olhar nos olhos,mas não tirava atenção das minhas pernas, por algumas vezes até errou as contas na lousa. Fingi que procurava alguma coisa no meu material e virei para apanhar alguma coisa que nem mesmo eu sabia o que era na minha bolsa pendurada atrás da carteira, nesse movimento, abri minhas pernas e deixei minha calcinha bem a vista. Quando olhei para o professor, percebi que ele deveria estar muito tarado, doido para devorar minha xaninha.

Percebi que ele ficou mais meu amigo, vinha conversar comigo, coisa que nunca tinha feito, mas enquanto falava, percebi que ele observava cada centímetro do meu corpo. Resolvi aumentar a pressão, fui sem soutian na aula, sentei na primeira carteira, desabotoei o botão superior da minha blusa e, por várias vezes, debrucei sobre sua mesa para perguntar alguma coisa sobre o exercício, cada vez que eu debruçava meus seios ficavam à mostra e ele os devorava. Chegou a dizer: Meu Deus! Eu estava conseguindo aquilo que queria, seduzir e aprender segredos do sexo com aquele experiente professor. Eu sabia que ele ficaria apenas como vouyer se eu não lhe desse ocasião para me cantar. Então resolvi dar-lhe esta oportunidade. Pedi para ele se não poderia falar com ele em particular, pois precisava de um conselho sobre um problema pessoal que estava passando. Ele prontamente se ofereceu para me ajudar, pediu para que o procurasse num determinado dia que ele estava sem aulas. Procurei e ele me levou até a biblioteca da escola e disse para que eu contasse o meu problema. Falei que estava muito interessada em uma pessoa, mas que esta pessoa não sabia e eu não sabia como fazer. Ele disse que homem é assim mesmo, desligado, não percebe quando uma mulher esta interessada nele , principalmente jovens da minha idade. Disse que não era da minha idade, era mais velho que eu. Ele disse que eu deveria demonstrar com sorrisos, insinuações sutis, criar situações para ficar a sós com ele, encheu-me de conselhos. Perguntei para ele se ele teria coragem de sair com uma garota da minha idade, ele disse que o problema não era sair como uma garota da minha idade, mas a discrição. Tomei coragem e disse: “eu não contaria nada para ninguém.” Imediatamente ele se e=levantou e disse assustado, você teria coragem de transar com um velho como eu?:Respondi que se ele fosse muito carinho e me ensinasse, eu toparia. Ele fechou a porta da biblioteca, me levou para o meio das estantes de livros e começou a me acariciar os seios com delicadeza e maestria, beijou suavemente os meus lábios, passou sua língua sobre meus lábios, enquanto sua mão descia em direção à minha barriga com suavidade e acariciando cada parte que tocava, procurou a fenda da minha calça e atravessou minha calcinha, suavemente me beijava e acariciava meu corpo, sem pressa e sem brutalidade, delicadamente como eu previa. Beijou minha boca várias vezes e me ensinou alguns segredos de como tornar o beijo mais gostoso, eu começava a aprender mais do sexo. Mandou que eu me curvasse e senti seu dedo se aproximar de minha bucetinha, suavemente ele tocou, sem penetrar, procurou meu clitóris, senti minhas pernas amolecerem e uma sensação que eu nunca tinha sentido percorreu meu corpo,parecia um arrepio misturado com uma sensação fria, ouvi ele murmurar: “isto é tesão”. Tenho muito mais para você, mas não pode ser aqui. Amanhã você vem para a aula normalmente, só que não venha para a escola, me espere no ponto de ônibus da praça da matriz, passo lá, finjo que te reconheço e ofereço carona, vou fazer de você uma mulher de verdade.

Fizemos como combinado e ele me levou para um motel. Fez algumas perguntas básicas sobre masturbação e orgasmo, pois queria saber como e com quem lidar. Diferente dos garotos da minha idade, ele foi mais calmo, começou me beijando e tocando o meu corpo som suavidade, como se quisesse conhecer cada centímetro, aos poucos foi tirando a minha roupa e fascinava-se ao ver e sentir meu corpo, aquilo me deixava louca de tesão, eu estava sendo curtida, amada, explorada e acariciada. Quando eu estava peladinha e excitada, perguntou se eu já tinha tido um orgasmo, disse que achava que sim. Mandou que eu deitasse pelada, ajoelhou-se na lateral da cama e acariciou todo o meu corpo, sua língua quente deixou minha boca e escorregou suave em direção da minha buceta, não havia pressa nem vagareza, era a velocidade ideal, eu contorcia meu corpo de um tesão que nunca tinha sentido, nenhum garoto havia me feito sentir tal tesão. Sua língua parecia conhecer o caminho do prazer, suas carícias eram deliciosas. De repente um tremor misturado com uma sensação de frio começou a invadir meu corpo, parecia que ia me amortecer toda, como se fosse um vulcão, senti pela primeira vez, meu corpo tremer e uma sensação gostosa de prazer me invadir, eu queira ser penetrada naquela hora, agarrei seus cabelos e puxei-o para mim, ele compreendeu e abriu minha pernas mais ainda e penetrou seu belo pau duro na minha buceta, começou um vai e vem rápido, minha ansiedade aumentava mais e mais, meu se contorcia e eu perdi o controle dos meus movimentos, uma paz suave e deliciosa me fez saber que eu estava gozando pela primeira vez naquele pau gostoso. Descobri que as sensações que eu tinha na masturbação não era gozo. Ele continuou a bombar minha buceta, era uma sensação muito boa, relaxava e dava prazer. Parecia que ele queria absorver cada gota do meu gozo. Deixei o corpo solto com uma sensação de estar nas nuvens. Ele se levantou abriu o frigobar retirou dois refrigerantes, me deu um. Quando acabei de tomar o refrigerante, ele apanhou a latinha e me disse: “agora é sua vez de me dar prazer”, ofereceu seu cacete para eu chupar, meti a boca como já havia feito com outros garotos, de repente ele segurou minha cabeça e disse: calma,não é assim que se faz oral. Pegou meu dedo e levou até a boca e mostrou como eu tinha que fazer. Voltei a abocanhar aquele cacete e sentir sua glande roçar o céu da minha boca, fiz como ele me ensinou e pude observar o prazer ir crescendo, senti como se aquele cacete inchava em minha boca, de repente, minha boca foi invadida por uma porção de esperma que me afogou, tossi, guspi esperma, me lambuzei toda. Então ele me disse como deveria fazer quando sentisse que o pau fosse soltar o esperma. Eu estava aprendendo a fazer sexo sem me sentir envergonhada, pois ele era gentil ao me ensinar. Ele ficou acariciando meu corpo enquanto me ensinava alguns segredinhos. Reiniciamos a troca de carícias, fiquei muito excitada, ele me colocou por cima e me fez encontrar a posição que seu pinto me causava mais tesão, pela segunda vez explodi num gozo gostoso. Ele não gozou, disse que iria reservar o esperma para um “gran finale”. Mandou que eu deitasse de bruços e começou a acariciar minha bunda, fiquei com medo, pensei: “vai doer para caralho!”

Ele sentiu minha tensão e me acalmou disse que era apenas carícias e se eu sentisse qualquer incomodo, ele pararia. Relaxei, senti sua mão acariciar minha bunda, seu dedo rodear meu cu, entrar suave na minha buceta, fechei os olhos como ele recomendou e passei a curtir o carinho, ele me colocou de quatro e entrou entre as minhas pernas, chupou gostoso minha buceta, enquanto sua mão acariciava meu cu, senti que seria enrabada, quando aquele dedo começou a tentar penetrar no meu cu, com movimento circulares suaves, ele ia pedindo passagem e entrando devagar no meu cu, ele pediu para eu prestar atenção no carinho de sua boca na minha buceta, mas aquele dedo insistia em invadir meu cu, quando percebi, o dedo estava atolado no meu cu e eu estava trêmula de tesão.Foi então que percebi que um segundo dedo tentava invadir meu cu virgem, sempre como movimento circulares, meu cu ia cedendo e eu estava com dois dedos no cu, percebi que ele estava laceando meu cu enquanto chupava minha buceta. Depois de enterrar os dois dedo no meu cu, ele me manteve de quatro e posicionou atrás de mim. Guspiu na cabeça do seu pau, pequeno,mas grosso, passou sua mão na minha buceta e usou o liquido vaginal para ajudar a lubrificar meu cu. Colocou a cabeça daquele pau na porta do meu cu e disse para que eu controlasse a penetração, mandou que eu fosse me afastando aos poucos com muita calma, sem forçar muito, empurrei meu cu naquele pau e senti doer para caralho, gemi e fiz careta, ele mandou que eu parasse, meteu a boca no meu cu, lambeu bem, salivou, deixou meu cu bem molhadinho e retornou a posição anterior, enfiou novamente o dedo no meu cu com movimentos circulares e depois colocou aquela cabeça na porta do meu cu e me mandou empurrar. Fui empurrando aos poucos, agora, a dor era muito pequena e suportável, fui sentindo aquele cacete invadir meu cu, enquanto uma de suas mãos acariciava meu seios e a outra minha buceta, era um misto de dor com muito tesão, empurrei minha bunda naquele pau, até engolir ele todo. Sua mão saiu da minha buceta e empurrava minha anca, depois senti as duas mãos levando e tirando meu cu daquele pau.

Sua mão escorregou suave procurando meu clitóris, aumentando de mais meu tesão, pensei em gozar com aquele pau no meu cu. Senti que o tesão dele aumentava a cada instante e seu pau pareceu tomar conta de todo meu cu, foi quando senti aquele liquido quente encher meu cu. Não consegui gozar e ele percebeu minha frustração, mas disse que dificilmente eu iria conseguir na primeira vez, mas que ele iria me ensinar a gozar com um pau no cu. Foram quatro horas ininterruptas de sexo, coisa que eu jamais havia feito. Até o final do ano fomos mais três vezes ao motel. Quando os alunos faziam paredão, dávamos uma metida rapidinha numa das salas de aula ou na biblioteca. Sempre eu estava lá dizendo que tinha que fazer prova. O ano acabou e o meu melhor diploma foi no sexo, aprendi segredos que muito me ajudam na vida sexual, hoje eu sei levar um homem à loucura e excitar qualquer um deles usando apenas palavras ou gestos sutis, tudo isso devo ao meu adorável professor, que comecei excitar com uma brincadeira e acabei arrumando um excelente amante. Saudades dele. Não se esqueça, durante sua vida você precisa transar com uma pessoa mais velha para aprender segredos que te darão prazer na cama, foi bom aprender, pois acho que desfruto melhor os prazeres do sexo.

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
3 + 0 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4