Uma surpresa enorme

Anteriormente comentei sobre meu arranjo com Maria minha mulher.
Que ela poderia sempre sair para trepar com quem escolhe-se.
Talvez assim ela viesse a sentir o orgasmo que nunca sentiu.
Ela apenas tem orgasmo quando se masturba ou é masturbada.
Por suas saídas, ela tinha formado certa quantidade de “amigos” o pessoal La da praia. Que vez ou outra trepavam com ela. Eu nunca quis saber o nome de nenhum deles. O que me interessava era ela contar os detalhes. De como fora comida. Se tinha chupado antes ou depois de cara comer seu cu. Se tinham gozado na cara dela. Como era o pau do amigo que a tinha comido. Se era bom de foda. Se ela também o tinha comido. O que sempre fazia comigo. Onde eles tinham ido foder? Na praia ou no carro, ou na casa de algum deles? Como ela tinha feito para atrair sua “vitima”. Assim ela os chamava.
Ela adorava foder na praia, para sentir-se vigiada e vista pelas pessoas. Isso aumentava loucamente seu tesão.
Lembro que uma vez chupou um jovem em uma viagem de ônibus. O ônibus lotado, ela colocou um lenço sobre a sua cabeça e pronto.
Outra vez fodeu com um senhor em uma viagem de avião entre Vitoria e Rio.
Ela sempre adorou esse tipo de “perigo”. E o melhor, eu sempre estava por perto ou junto a ela.
O que eu sempre queria meu presente dado por ela. Era poder sentir suas coxas meladas de porra, o mesmo com suas calcinhas. Que ela jamais tirava para trepar. Apenas afastava de lado. Assim, não perdia nenhuma gotinha.
Afinal era o meu presente.
O meu tesao maior minha loucura mesmo era o ciúmes que sempre sentia por ela em suas saídas, e depois quando podia enfiar meu pau fundo na sua buceta todinha melada de outro macho.
Mas, ia me esquecendo do que queria contar: Em uma sexta-feira tive que trabalhar até de noite. Quando voltava para casas, sabia que iria poder ter algum presente muito especial como sempre, e ouvir seus reatos em todos os detalhes.
Chegando em casa, abro a porta e percebi que havia alguém mais em casas. Fui a nosso quarto e lá estava ela com mais cinco jovens. Todos pelados, ela apenas de calcinha. Uma calcinha minúscula de seda negra. Que eu havia comprado há poucos dias para ela.
Eles não se importaram com minha chegada. Ela estava sendo comida em dupla penetração, e tinha um caralho fundo em sua boca.
Afastando por um minuto sua boca, disse: Meu amorzinho senta um pouco ai que estamos quase no fim. Passamos a tarde toda fodendo e eles têm que se mandar. Eu tenho um presentão para você. E quero te contar como foi maravilhoso ser comida por eles todos.
Hoje bati meu recorde.
Dito isso volto ao que estava fazendo, e logo depois o rapaz com grande gemido gozou na cara dela.
Passando as mãos sobre o rosto, recolheu a porra ali depositada e passou pelos seus seios maravilhosos.
E assim de forma gentil e brincalhona disse. Meninos, vistam-se e vão dando o fora. A gente se encontra outra hora. La no Triangulo. Não e não esquecer: trazer mais alguns amigos junto. Quero aumentar meu recorde.
E assim eles fizeram.
Foram saindo, todos felizes e dando beijinhos.
Ela, novamente deitou-se na cama e com aquele sorriso maroto e delicioso me disse:
Vem meu amorzinho, poe tua mao aqui, sente como estou toda melada.
Sente minhas calcinhas elas estão encharcadas de tanta porra.
Agora você vai fazer o que sabe fazer bem direitinho: me limpar todinha com tua língua gostosa.
Vou sentar em tua boca e te comer bem fundo e gostoso.

Biscate69@aol.com

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
2 + 15 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4