Um macho chamado Paulo - parte VI (outro menage)

..... estávamos ofegantes, pelo esforço, pela entrega, continuamos abraçados, ambos suados, ficamos assim algum tempo ... até a pica dele amolecer .... eu me sentia plenamente realizado, meu cu alargado e esporrado, me sentia realizado, plenamente, adormecemos nessa posição, ......... sonhei com o Paulo e com o Marcelo ...... agora sei ... que queria dar para os dois na mesma noite, não sei se vou aguentar, mas eu quero muito, muito, eles eram parecidos, carinhosos, ..... eu iria gostar muito.... ................... vai ser duro esperar até o fim do mês ....................

Na sexta de manhã o Marcelo me deixou no trabalho, depois do almoço me mandou um torpedo dizendo ..... "você estava maravilhosamente delicioso" ..... corei, estava numa reunião e os colegas notaram, fizeram piadinhas rápidas, mas ninguém percebeu e logo voltamos ao foco.... depois que saí do trabalho, resolvi cuidar do visual, pois já fazia um mês que não me depilava e alguns pelinhos já teimavam em aparecer, então me dei esse presente ......

No sábado, após o café da manhã, liguei para o Paulo, conversamos um pouquinho, eu reclamei das sumidas dele, ele disse que era porque viajava ao trabalho, então perguntei se ele não queria ficar em casa neste sábado, poderíamos pedir uma pizza e se divertir um pouquinho.... ele disse que viria, por volta das seis .....

Quando ele chegou eu estava de calcinha preta e uma camisola branca, abri a porta e ele me beijou ternamente, e me deu um caixinha de presente, eu abri e era uma pulseira de madrepérola, ele disse que imaginava que eu gostaria, porque vivia usando calcinha, então ficamos conversando um pouco, perguntei se ele gostaria de me ver montada algum dia, ele disse que não sabia, só vendo a primeira vez, e ele gostava de ver como homem, mas afeminado, viadinho, usando calcinha já era bom, mas se um dia acontecesse, ele experimentaria, mas não hoje, de surpresa talvez, então pedimos a pizza e preparei uns drinks até chegar, ele tomou um conhaque e eu fiz uma saquerinha de kiwi para mim, depois chegou a pizza, e durante o jantar tomamos vinho branco, e ele mais relaxado contava algumas piadinhas, algumas sem graça outras boas, então quando percebi que ele estava meio alto e eu também rsrsrsrsrss, perguntei se ele já tinha saído com mais de uma pessoa. ........ aahahhhnn, tipo menage??? .... sim, eu disse, ........... aí ele respondeu com uma naturalidade que me surpreendeu........... bom, quando eu era mais novo fazia muito, depois fui perdendo a vontade, ... sabe, às vezes é difícil, perdemos a noção de amizade, acabamos por gostar mais de um que do outro, nunca fiz com estranhos, sempre com conhecidos, às vezes amigos mesmo, mas de tanto repetir acaba surgindo algum problema, mas porque você pergunta???? está com vontade?????? quer experimentar?????

Agora foi a minha vez de surpreendê-lo, contei para ele minhas aventuras com as travestis e depois com a Jennifer e a Jandra, percebi que ele ficou enciumado, e ele disse se eu teria saído com mais alguém, além dele lógico, então falei sobre os encontros com o Marcelo, sem revelar seu nome, percebi que ele estava ficando bem vermelho, ou era raiva, por ciúme, ou já estava bebendo demais .... então, ele me puxou pelas mãos em direção ao quarto, largamos a mesa do jeito que estava e ele disse ..... que eu ia ter o suficiente para não sair com outro....

Ao chegar ao quarto ele me jogou na cama e pulou sobre mim, nos beijamos novamente, como da primeira vez, então, eu sussurrei para que ele se livrasse da roupa e tirasse a minha também ... ele me deixou de calcinha e ficou totalmente nu, ele ficou me acariciando o rosto e me beijou novamente, abraçou-me e deitou sobre mim, senti seu membro, muito duro entre minhas coxas, ele então me despiu a calcinha, e beijou minha barriga, me virou de bruços e beijou minhas costas e foi descendo, mordiscava minha bunda enquanto falava que ia me comer muito, como eu nunca tinha sentido, chupou meu reguinho e lambeu meu cuzinho, eu já estava apreensiva e pedia para ele não ser bruto, ele disse que não me machucaria nunca e então me entreguei de vez, e fiquei rebolando para ele, gemendo, suspirando, antes que ele começasse a me penetrar, pedi novamente para não me machucar, ele me beijou a nuca e disse que seria muito carinhoso, que eu relaxasse, ele não iria me machucar ... então ele lubrificou meu cuzinho por dentro, enfiou um dedo e brincou, lambuzou meu cu, enfiava e tirava, eu só via estrelas, estava me deliciando, então ele enfiou dois dedos e disse que era para eu fechar os olhos e aproveitar, pediu que eu relaxasse, ele ficou com os dedos massageando minha próstata, fui me largando, me entregando, estava muito gostoso, então de repente ele parou e senti a cabeça do seu pau procurando sua entrada, começou a penetração, bem devagar, mais devagar que as outras vezes, fazia tempo que eu não era penetrado por ele, ele procurou me acalmar, colocou os dois travesseiros por baixo de mim e minha bunda ficou mais empinadinha, passava a mão em minhas costas, eu respirava fundo, ofegava, ele recomeçou, senti que a cabeça de sua pica tinha entrado, não doía, ele perguntou se era melhor parar, eu disse que não, queria que ele enfiasse tudo, mas ele falou que era só um pouquinho de paciência, ele me beijou, aos poucos meu cuzinho foi se acostumando, bem devagar, senti sua pica me invadindo, bem devagar, sentia grossura dela, me preenchendo, as vezes comparava com o Marcelo, ele parava e depois recomeçava, eu queria muito dar meu cu para ele e para o Marcelo juntos, queria sentir dois homens me comendo, dois machos me dominando, me penetrando, queria ser fêmea de dois, e ele estava sendo tão paciente, tão carinhoso, aaiii ... senti sua coxas grudarem nas minhas, ele enfiou tudo em mim, sentia seu pau todinho em mim, chegava a sentir ele bater no ventre, doía mais agora, mas meu corpo pulsava e eu estava adorando dar meu cu, ele me disse que adorava eu ser apertadinho, então ele tirou um pouquinho e enfiou de novo, aaaaiaiaaiiiiii assim dói .... e ele começou a fazer assim, cada vez com mais força, a cada estocada eu me remexia, tremia, sentia seu pau me atravessando ao meio, não era grosso, mas era muito comprido, ele iniciou os movimentos, bem devagar, tirava bem devagar e enfiava de uma vez, eu me contorcia, doía mas eu pedia mais, ele aumentou a frequência, mais rápido agora, mais rápido, eu gemia, rebolava, as estocadas cada vez mais fortes, doíam um pouco, eu gemia, sentia seu pau tão duro, ele enfiava fundo, a cada estocada eu chegava a pular, ele me beijava, sussurrava em meus ouvidos, ...... dizia que queria me fuder muito, me fazer seu viado, eu já estava entregue, sentia sua pica sair e voltar, ele não parecia cansado, sentia ele cravar fundo sua pica em mim, o seu peso sobre mim, me sufocava e abafava meus gritinhos, eu gemia cada vez mais alto, cheguei a gritar e ele forçava mais, aaaaiiaiaiiiii eu gritava, queria dar meu cu todinho prá ele, mas a cada estocada ele alargava meu cu e chegava mais fundo, eu gritava ... me dá sua pica, enfia no meu cu, então ele gritava, .... toma seu viado, sente essa pica no cu, eu estava molhado de suor, não resistia mais, não pulava, apenas um tremor percorria meu corpo, e ele naquele ritmo, devagar, ele ia tirando devagar, bem devagar, quase parando e se soltava, deixava o peso do corpo empurrar aquela pica enorme no meu cu, entrava bem fundo dentro de mim, a cada estocada eu apenas gemia, estava sem forças até para gritar, acho que já tinha gozado duas vezes, então pedi para ele gozar de uma vez ...... ele então mandou eu implorar ....... obedeci, num fio de voz eu dizia .... iaaiaiiii Paulo, goza por favor, não aguento mais, você me arrombou todinho.... não escutei, repete.... aaaiiii Paulo, por favor, goza logo vai, goza..... então ele gritou .... Porra!! que merda de viadinho é você?? eu mandei você implorar... entendeu??? implorar..... então eu tentei mais uma vez, falei com uma voz afeminada, bem viadinho mesmo....... Paulo, por favor, goza no meu cu, vai meu macho goza, eu estou implorando, goza, por favor, eu imploro.... ele ria, ele tava bombando em cima de mim, fazia um tempão, .... então senti que ele tremia todo, senti sua pica inchar e ele gritar, um urro, parecia um urso, um bicho, então ele gozou, me inundou de porra, aquela porra quente, grossa, muito quente, que eu conhecia tão bem, continuou esporrando,se largou em cima de mim, jogou o peso todo por cima de mim, então sua respiração diminuiu, eu senti seu leitinho no meu cu e seu corpo no meu, ambos suados, ficamos assim algum tempo ... até a pica dele amolecer .... eu me sentia plenamente realizado, então ele falou ..... gostou seu viadinho, gostou???? ainda quer experimentar dois caralhos de uma vez??? ele estava em cima de mim, eu sentia meu cu alargado e esporrado, eu sentia meu corpo liso raspando junto ao dele todo peludo, me fazia arrepiar, me sentia a própria fêmea, subjugada, conduzida, penetrada ..... e felizzzzz ... sentia sua porra escorrer para minhas coxas, disse que sim, que queria dois machos, que aguento muito mais, vou aguentar muito mais ........... amanhã seria outro dia .....

Acordamos bem tarde no domingo, e tomamos café juntos, e ele falou que se eu quisesse ter uma experiência com outro homem, que ele aceitaria, que eu poderia convidar outro homem, desde que fosse uma pessoa do bem, fiquei contente .... senti que ele falava com uma pontinha de ciúme .... e fiquei comparando os dois ..... não sabia me decidir de quem eu gostava mais ..... Marcelo ou Paulo ... Paulo ou Marcelo ....... não sei porque queria decidir, estava bom essa vida sem compromisso, estava experimentando tantas novidades ... então lembrei que uma amiga me falou ................. "as novidades são boas enquanto são novas, depois disso podem se tornar entendiantes, ou até perigosas" .......

As semanas se passaram e minha amizade com a Jandra e a Jennifer aumentaram, a Jandra sempre me ligava e perguntava das novidades, saímos algumas vezes, ou para um lanche, ou para um programa de "meninas", pois íamos num studio onde eu me montava, depilava, fazia as unhas, normalmente esses programas eram às sextas-feiras, pois depois eu ia direto para casa e me desmontava em casa, ela me contava como estavam os preparativos para a festa, os machos deveriam levar as bebidas e a carne, e as fêmeas fariam as comidas, isso me obrigaria a dormir na casa delas um dia antes, para ajudar na cozinha, como eu não tinha habilidades culinárias, iria virar a faxineira da cozinha, foi muito engraçado, porque tive que usar uniforme de empregadinha sexy, imagine só, tive que lavar pratos, passar pano na cozinha, fiz tudo de salto alto, meia fina e muito mais, foi uma diversão, mas eu conto melhor depois ......

Marcamos para a última sexta-feira daquele mês, as fêmeas chegariam antes, os machos só no sábado, por volta das dez da manhã. Os trios eram, Ricardo, Talita e Rose; Sonia e a Jane e uma mulher que conheci naquele dia chamada Cris; a Jennifer, a Jandra e uma travesti muito feminina chamada Lara; Eu, Paulo e Marcelo; o André e o Ricky e um amigo deles Rubens; as fêmeas escolhidas foram a Rose, a Jane, a Jandra e a Lara, eu e o Ricky, os outros seriam machos, O Ricardo e a Talita (a travesti do caralho enooorme), a Sonia e a Cris, a Jennifer e a Lara, o Paulo e o Marcelo; e o André e o Rubens. Todo mundo já se conhecia, só o Paulo que não conhecia ninguém.

Chegou o tal dia, sexta a noite, estávamos todas lá, a Rose, a Jane, a Jandra, ordenaram que eu e o Ricky deveríamos ficar montadas o tempo todo, então, a Jandra foi cuidar de nós e a Rose e a Jane foram para cozinha, eu me montei de empregadinha sexy, salto alto, meia fina preta, calcinha preta, uma mini saia preta com renda branca, uma blusinha preta de mangas, peruca, maquiagem, um avental branco e uma tiara de renda branca na cabeça, e o Ricky estava de biquíni dourado, saída de praia branca quase transparente que ia até as coxas, de peruca loira, maquiagem, parecia uma menina, porque ele era todo franzino, delicado mesmo, e ele não escondia, e ficamos assim, ajudando e se divertindo. As meninas prepararam várias saladas, petiscos, molhos, pois não queríamos ter trabalho no dia seguinte, os rapazes chegariam cedo, com bebidas e a carne e nós não faríamos mais nada, antes da meia noite, estava tudo pronto, as meninas estavam exaustas e resolvemos tomar um banho e dormir, fomos para os quartos, cada uma de nós tinha um quarto, todos muito parecidos, com banheira, camas grandes, só o quarto da Jennifer é que era bem maior, então me desmontei e entrei na banheira, para relaxar um pouquinho, meia hora depois tomei um ducha bem quente e fui dormir. Combinamos de acordar cedo para tomar um café, antes que eles chegassem.

Acordamos por volta das oito e meia, eu praticamente desci ao mesmo tempo que a Rose, descemos juntas, pois a Jandra, o Ricky e a Jane, já estavam nos esperando, eles estavam na varanda, em volta da mesa, recheada de gostosuras, torradas, queijo branco, suco de laranja, café, geleia de amora negra, melão e melancia em fatias, estava uma delícia, tomamos café e ficamos conversando, esperando os meninos, ajudei a tirar a mesa pois não tinha ajudado no café, ficamos nos sofás da varanda conversando, quando os rapazes começaram a chegar.... o Ricardo, a Talita, a Jennifer e a Lara chegaram primeiro e depois os demais foram chegando, o último a chegar foi o Paulo. eu o apresentei a todos deixando o Marcelo por último, percebi que o Paulo estava meio sem jeito, mas de vez em quando saía para buscar alguma bebida e deixava os dois a sós para conversarem...

A festa foi muito legal, ninguém abusou da bebida e aos poucos o pessoal foi subindo para os quartos, quando começou a escurecer, eu peguei o Paulo e o Marcelo e os puxei para subir, a Jennifer, a Jandra e a Lara ficaram por último, dizendo que fechariam as portas e subiriam logo em seguida, no corredor ouvíamos alguns sussurros nos outros quartos, o pessoal já estava se esquentando, quando entramos no quarto, o Marcelo disse para tomarmos um banho de banheira para relaxar, então fomos trocar de roupa, o Paulo ainda estava um pouco acanhado, e o Marcelo aproveitava para provocar, passava a mão em minha bunda e elogiava minha pele lisinha, entramos na banheira e eu fiquei entre os dois, aos poucos a espuma foi subindo, eu procurei o pau dos dois e comecei a alisar, então o Marcelo puxou meu rosto e me beijou, demoradamente, eu apertava aqueles dois caralhos com as mãos, e então o Paulo também tomou a iniciativa de me beijar, eles alisavam meu peito e eu beijava ora um ora outro, então o Marcelo se levantou exibindo aquele caralho grosso, duro, em ponto de bala e me pediu para chupá-lo, eu fiquei de joelhos e comecei a chupá-lo demoradamente, então o Paulo passou a acariciar meu cuzinho, com os dedos, ora enfiava um, ora só brincava na portinha, então pedi para trocarem de lugar, resolvi que deixaria os dois loucos, antes que conseguissem gozar.... enquanto chupava o caralho enorme do Paulo, o Marcelo é que me enfiava os dedos.... e ficamos assim um tempinho, revesei com os dois, não deixando que gozassem ..... então fomos para a cama.

Pulamos sobre os lençóis, nem nos enxugamos, eu estava no meio dos dois agora, virei recheio de sanduíche, o Marcelo me beijava sofregamente e eu sentia seu caralho no meio de minhas coxas, e o Paulo me beijava a nuca e sentia seu caralho forçando minha bunda, mas sem encontrar a portinha, em dado momento, eles pareciam se abraçar e forçaram-se um contra o outro e eu no meio, sentia-me sufocar, e Marcelo pediu que eu virasse e o chupasse num 69, e enquanto ele chupava meu pau o Paulo mordiscava minha bunda e enfiava sua língua no meu cu, eu chupava o Marcelo demoradamente, para ele não gozar, então ele mandou eu virar e chupar o Paulo, e fomos invertendo, eu chupava os dois e parava, eles estavam percebendo e o Paulo disse, agora vamos comer esse viado, senão não vamos gozar ....... eles me viraram de quatro e colocaram os travesseiros por baixo de mim, deixando meu cuzinho apontado para cima, o Paulo foi o primeiro, passou gel e foi forçando a entrada, meu cuzinho já estava acostumado, pois tinha levado muita pica nas últimas semanas, o Marcelo sentou na cabeceira da cama e me fez engolir sua pica grossa enquanto o Paulo me comia, o Paulo sabia como me conduzir e repetiu a dose de enfiar depressa e tirar devagar, eu gemia e sufocava com o boca cheia de caralho, com as minhas mãos segurando as coxas do Marcelo, o Paulo fazia como queria, meu cuzinho a mercê dele engolia aquela pica enorme, ele me dava tapinhas quando tirava a pica bem devagar, com as pernas abertas e o cu arrebitado para o Paulo, eu não tinha mobilidade, e ele me segurava pelas ancas e fincava sua pica com força, a cada estocada eu sentia sua pica me invadindo por dentro, parecia que eles queriam que as picas se encontrassem dentro de mim, com as mãos presas, o Marcelo dirigia minha cabeça como queria, me fazendo engasgar várias vezes, levantava meu rosto para eu encará-lo e ele perguntava se estava gostando, nem dava para eu responder, porque ele logo enfiava aquela piroca grossa na minha boca, a cada encontro das coxas do Paulo na minha bunda fazia um barulho parecido com tapas, ficava cada vez mais alto, e eu sentia ele cravando sua pica bem lá no fundo, eles estavam rindo, porque os gemidos do quarto ao lado pareciam miados, então o Marcelo falou, bom se lá eles tem uma gata, aqui nós temos uma cadelinha, e ela já vai se revelar, então ele deu a volta e pediu para trocar de lugar com o Paulo, então o Paulo foi para a cabeceira pegou minha cara e aproximou daquela pica enorme e enfiou na minha boca e mandou chupar .... enquanto eu chupava o Marcelo se preparava para me comer, e fez de maneira bem sacana, aproximou a cabeçona do meu cu e foi forçando, bem devagar, mas sem parar, sua pica era mais grossa que a do Paulo, senti minhas pregas soltando, senti meu cu rasgando, para acolher aquele caralho enorme de duro, então ele me dava tapas e falava late cadelinha, late cadelinha ....... eu gemia, com o caralho do Paulo na boca, não podia nem respirar, então o Paulo tirou o pinto da minha boca e mandou eu latir ...... então eu disse que não ...... então o Marcelo enfiou de uma vez e eu sem esperar gritei de um jeito que não deixava dúvidas, doeu, aaaaaaaiaiiaiaiiii .......aaaaaiaiaaiaiiiiiii .... não me machuca, então ele falou, se você latir eu não repito, e foi tirando a pica de novo, bem devagar, o Paulo segurava meus braços, ....... e ele deu outra estocada aaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiii.......... por favor, de novo não tá doendo.. . ... então late!!!! .....e foi tirando de novo, eu pensei em me virar, mas ele agarrou na minha cintura e o Paulo segurava minhas mãos tão forte ..... é um ..... é dois . ....aaiai au au au..... comecei a latir e eles deram risada, e ele foi afundando sua pica no meu cu, bem devagar e depois ele foi me acariciando ... até a dor diminuir ..... eu estava com o cu ardendo, e o Paulo me puxava e enfiava seu pau em minha boca e quando tirava eu latia .... au au au ......então ele me punha a chupar de novo e o Marcelo enfiava e tirava bem devagar, mas socava bem fundo, devagar mas sem paradas ......quando o Paulo percebeu que eu já estava sem forças ele saiu da cabeceira e se juntou com o Marcelo e eles ficaram metendo no meu cu, um de cada vez, um tirava era vez do outro, eles metiam de uma vez, eu estava praticamente jogado em cima dos travesseiros, então o Marcelo avisou que ia gozar e o Paulo se apressou e os dois gozaram, dentro do meu cu, nunca tinha recebido tanta porra junto, me esporraram todinho, não só no cu, na bunda e nas costas, caí de lado, com o cu em brasa, e o Paulo me abraçou por trás, e perguntava, cadê o viadinho que virou cadelinha cadê.... eu nem aguentava responder, estava exausto, mas tinha sido bom, aguentei dois caralhos enormes, aquela porra quentinha escorria pelas minhas coxas e aliviava o meu cuzinho, enquanto o Marcelo foi se lavar, o Paulo recolhia aquela porra e esfregava no meu corpo, eu me virei de frente prá ele e pedi um beijo, eu estava tão mole, entregue, então ele me abraçou forte e me beijou, dizendo que eu tinha um cu de respeito, aguentou dois caralhos, dois rojões dos grandes, eu me aninhei no seu peito e olhei para o relógio da cabeceira, passava das três da manhã, adormeci, ambos adormecemos, o Marcelo, quando voltou do banho, nos cobriu e deitou do outro lado, ele disse que tinha esporrado tanto que o saco tinha grudado de tão murcho, sonhei que eles me chamavam de cadelinha e eu respondia au au ....

 

Pedrita
apedrito007@hotmail.com

 

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
4 + 11 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4