Dúvidas Jurídicas - Parte 11

Foi criada especialmente para VOCÊ, mais esta super seção dentro do site Casa da Maite - a seção DÚVIDAS JURÍDICAS.
Se você tem qualquer dúvida sobre direitos, leis e seus direitos, basta nos enviar um email, que terá um encaminhamento para a mesma, combinado? Não esqueça de enviar o maior números de detalhes possíveis para que nossos advogados possam estar atendendo bem sua demanda.
Esta seção é totalmente GRÁTIS e para participar basta enviar um email para casadamaite@gmail.com

 

DÚVIDA:

Boa noite

Estou perdida ,e não sei muito em quem acreditar.
Sou tutora da minha tia de 73 anos.,
A antiga tutora vendeu os imóveis dela por preco muito inferior ao que vale .
E por essa razão entrei na justiça e requeri o direito de tutela.
Antiga tutora pagou dividas particulares com o dinheiro, não deixando nada para minha tia
O apartamento de cem mil reais foi vendido por oito mil reais para um parente dela do outro lado, menos de 10% do valor
Estou com advogado há 3 ou 4 anos , mas não consegui reaver este imóvel e não entendo o porque da demora de tudo.
Quero pedir ao ministério publico que entre no processo, pois quando vendi um imóvel dela fui obrigada a prestar contas ao ministério
Como a antiga tutora conseguiu vender sem prestar contas e ainda usar o dinheiro para pagar as suas contas.
Como não precisou de nada, e como eu não consegui o imóvel e a indenização do advogado que comprou e usa o imóvel há 10 anos?
Sera que os 2 advogados se conversam e estão me enrolando?
Como faco para me defender?
A minha tia esta num asilo , pois tem uma doença difícil de ser tratada, pago o asilo com o imóvel que vendi e ajudo-a tambem, mas ela precisa de mais .
Não consigo saber o caminho certo .
Moro em Curitiba e tudo aconteca em porto alegre e capao da canoa
Estou lutando com o advogado que contratei, e não sei mais em quem acreditar,
A antiga tutora morreu no meio do processo e não consegui pegar nenhum imovel dela como garantia, o advogado me disse que a gente iria conseguir mas nem fez o que eu pedi, que era segurar tudo ate se resolver
Os sobrinhos venderam no dia seguinte com medo, de eu conseguir algo
O meu advogado so diz que a justiça e lenta, mas e uma causa ganha para minha tia...mas se continuar assim so os advogados ganham e a minha esta morrendo aos poucos.
Por onde eu começo?
O ministério publico, sera que me ajuda? Já que é ele que me faz prestar contas o tempo todo?
Leva tanto tempo assim? Preciso fazer isso em porto algre?
Por favor me deem uma luz???

 

ADVOGADO RESPONDE:

Olá

Sua situação é complexa, e seria necessário que procurasse um advogado DE CONFIANÇA. Se suspeita dos profissionais que contratou, procure um escritório idôneo na cidade onde tramitam os processos, e leve cópia da documentação, que lhe ajudarão.

Por outro lado, sim, os processos judiciais normalmente são demorados. Nem sempre o tempo que se espera é possível.

Sugiro, ainda, que procure o Ministério Público e leve cópia da situação, fazendo registro formal de sua queixa.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

Boa tarde..

Minha irmã trabalhou em um buffet e qdo ela entrou a dona do buffet falou q ela poderia oferecer o cerimonial dela para as noivas, formandas, debutantes..

Passado alguns meses a minha irmã pediu a conta do serviço e por não estar lá a carteira de trabalho dela, ela combinou de pegar outro dia.

depois de uma semana minha irmã trincou o pé e ficou mais de um mês em casa e uma das noivas dela falou q a dona do buffet falou q ela estava

proíbida de entrar lá para executar os serviços pq não teria clima para o casamento e causaria uma desarmonia, que era para ela contratar outra cerimonial.

Gostaria de saber se ela pode proibiar a entrada da minha irmã no buffet e que lei fala sobre isso?

Hoje ela foi buscar a carteira dela e a dona falou q nao estava lá, q estava na casa dela, o marido dela se meteu e falou q miha irmã não poderia entrar lá

pq qdo saiu levou de lá uma carteira com mais de 800 clientes, acusando de algo q nao acoteceu. Minha irmã simplismente apagou os e-mail's que ela recebia, pq

haviam e-mail's particulares tbm lá e q ela nao queria q a dona do buffet ficasse fuçando.

por favor, se vc puder esclarecer minha dúvida, agradeço?

 

ADVOGADO RESPONDE:

A retenção da CTPS é proibida por lei. Sugiro que faça denúncia no Ministério Público do Trabalho.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

Boa tarde!
Tenho uma filha de 13 anos, quero colocar o nome do pai no seu registro e pedir pensão, pois estou desempregada.
Ele está em outro país e seu endereço é desconhecido, mas os pais dele eu sei onde moram. Um advogado me disse que eu poderia reconhecer minha filha por meio deles e até pedir pensão a eles (avos). Tentei conversar com eles pedindo ajuda, não financeira, mas para reconhecer a criança, disse que faria o exame de DNA, mas eles se recusaram, falaram que não era problema deles.
Imagina se eu pedisse ajuda financeira!!!
Sei que se eu esperar encontrar o paradeiro do pai será muito demorado fazer o reconhecimento, já procurei informação no consulado e vai ser muito complicado, isso é o que me informaram.
Disseram que pedir pensão dos avos é complicado também, pois eu tenho que provar que não tenho condições de sustentar minha filha. Nunca precisei de ajuda de ninguém para sustentar minha filha, mas faz mais de um ano que não tenho emprego e faço bicos. Não passamos fome, mas temos muitas privações, além do mais os avos paternos são bem de vida e nunca se preocuparam com a menina, meus pais ajudam como podem, mas só ganham um salário mínimo e tem problemas de saúde.
Gostaria de saber qual o melhor caminho: procurar o pai com endereço desconhecido, em outro país, ou entrar na justiça contra os avos paternos, para pedir reconhecimento de paternidade e pensão, se isso for possível?
Não tenho dinheiro para pagar um advogado e a defensoria pública demonstrou falta de interesse e lentidão.
Por favor sei que meu caso é meio complicado, não sei se fui clara o suficiente, mas preciso que me esclareçam essas dúvidas. Primeiro me disseram que seria fácil achar o pai por meio do consulado, procurei o consulado e eles já me disseram o contrario, depois falaram que eu tinha direito de pedir pensão aos avos, para depois falarem que não é bem assim, que eu tenho que provar que estou passando necessidade e não consigo sustentar minha filha.
O que eu tenho que fazer? Sei que não existe caminho fácil, mas qual é o menos demorado e o mais certo ou tem mais probabilidade de dar certo?
Agradeço desde já a atenção e espero que vocês tenham uma resposta para minhas dúvidas.

 

ADVOGADO RESPONDE:

Olá
Sim, se o pai biológico não tem condições de pagar a pensão ao filho, os avós paternos podem ser chamados a responder pela pensão.

Sugiro que você busque um advogado ou a defensoria pública para ajuizar sua ação. Algumas cidades também oferecem o serviço a pessoas carentes nas faculdades de direito.

Mas não existe um ou outro meio mais fácil. O que existe é a necessidade de se ajuizar a ação de investigação de paternidade cumulada com alimentos, contra o pai biológico, e incluindo os avós na ação. Parece complicado, mas é bem simples.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

Bom dia doutor !!!
Venho através desta recorrendo a vossa pessoa a fim de que possa-me sanar uma dúvida.
Tenho 42 anos e atualmente me encontro desempregado perante a lei , trabalho como profissional autonomo dependendo dos trabalhos emito NF avulsa pela prefeitura. Há mais de 20 anos não contribui mais com o INSS, meu tempo de contribuição deu-se em 13 anos quando jovem. Ha mais de 5 anos eu sou o cuidador de minha avó materna que é cadeirante, diabética e outros males ha impossibilitando-a de ter uma vida norma. Ela mora comigo eu presto toda a assistencia financeira e física. E por este motivo de a dependencia dela referente a mim ser total e complexa fica inviavel de eu me empregar em uma empresa a qual sou designer grafico, pois com o ordenado que receberia não seria o suficiente para contratar uma pessoa 24h para cuidar de minha avó. E outromotivo tb seria um complicador de eu trabalhar em uma empresa e que sou soro positivo (HIV) e infelizmente ha ainda muito preconceito empresarial em relação ha isto. E é por isso que faço uma pergunta a minha avó e pensionista do INSS teria dentro dos tranmites legais da lei de ela repassar a sua pensão para a minha pessoa seria uma forma de eu ter uma garantia minima pois a cada dia que passa ela esta cada vez mais dependente de minha pessoa e ja me consome um valioso tempo para eu poder fazer meus trabalhos para me manter socialmente ha condições de fazer isso dentro da lei sim com total aval de minha avó.
Aguardo alguma resposta ou avaliação deste assunto.

 

ADVOGADO RESPONDE:

Infelizmente não há benefício previsto para o soropositivo, tampouco maneira de passar o benefício de sua avó para você. Em alguns casos (que, pelo que você relata, não é o seu), há entendimento de que poderia receber BPC (benefício de prestação continuada), mas depende de ação judicial, e é no valor de 1 s.m.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

BREVE RESSUMO DE UMA AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO

1- Em 10/12/2000 foi firmado um contrato particular de compromisso de compra e venda de um lote, cujo pagamento seria através de 72 parcelas mensais, com vencimento da primeira em 25/02/2001 e a última em 25/01/2007, e meses depois da assinatura do contrato foi averbada a existência de uma ação revocatória na qual a transferência e registro do imóvel estava sendo questionada, cuja averbação foi cancelada no ano de 2005;

2- Em 01/10/2001 o comprador ajuizou uma Ação de Consignação em pagamento cujo pedido foi o seguinte:

“a) autorizar o recebimento do depósito da quantia de R$ 349,95 (Trezentos e quarenta e nove reais noventa e cinco centavos), referente à parcela de aquisição do imóvel, assim como de todas as que se forem vencendo no correr do processo na forma contratualmente prevista, a serem corrigidas na forma e pelos índices previstos no contrato, até que se dê a efetiva solução do litígio ensejador da presente ação, em conta cuja abertura será ordenada por V. Exa.; (grifamos)”

3- O pedido de consignação foi deferido e o autor efetuou o primeiro depósito no valor de R$ 349,95 (Trezentos e quarenta e nove reais e noventa e cinco centavos) no dia 25/06/2002, e depois do depósito inicial efetuou os subseqüentes no mesmo valor do primeiro, sem respeitar a correção na forma e índice previsto no contrato, cuja correção é pelo IGPM de forma anual, ou seja, o autor fez os depósitos dos meses subseqüentes com valores inferiores aos devido (sem o reajuste).

4- A requerida foi citada e deixou transcorrer in albis o prazo para a contestação, e foi proferida sentença, cujo resumo é:

“(...) Diante da revelia do demandado, presumem-se aceitos como verdadeiros os fatos alegados na inicial (CPC art. 285 e 319) e esses fatos levam às conseqüências jurídicas apontadas pelo autor.

Pelo exposto, julgo procedente a ação de consignação em pagamento e declaro extinta a obrigação, condenando o réu ao pagamento de custas, despesas processuais e honorários advocatícios, na forma do § 4º art. 20 do Código de Processo Civil fixo em 10% (dez por cento) sobre o valor da causa.

Transitada em julgado, calcule-se a sucumbência e expeça-se oficio de levantamento pelo autor, descontando-se o montante do depósito existente nos autos.”

5- A sentença transitou em julgado no dia15/06/2007 sem a interposição de recursos;

DAS QUESTÕES RELEVANTES A SEREM VISTAS

- Os depósitos feitos pelo autor foram quase todos em valores menores do que a respectiva parcela, uma vez que, não observaram o reajuste anual da parcela, contrariando assim, o próprio pedido do autor na exordial, que pleiteou autorização para consignar mensalmente os valores das parcelas de acordo com o contrato;

- A decisão proferida em 12/07/2005, com o seguinte teor “Pelo exposto, julgo procedente a ação de consignação em pagamento e declaro extinta a obrigação...” não se atentou que de acordo com o contrato a última parcela venceria somente em 25/01/2007, ou seja, 01 ano e meio após a decisão;

- Devemos ressaltar que nos autos, parecem ter sido anexados nos autos os comprovantes de todos os depósitos, contudo em valor inferior a respectiva parcela;

- Não houve manifestação do autor ou do requerido no tocante ao levantamento dos valores e o Juiz determinou que os autos sejam arquivados, após as cautelas de estilo.

FEITAS TAIS OBSERVAÇÕES QUAL SERIA A MELHOR SOLUÇÃO?

- Qual o melhor remédio no caso em tela?

- Seria a liquidação de sentença para apurar as diferenças das parcelas e cobrá-las nos próprios autos?

- Caberia algum tipo de pedido de reconhecimento de oficio da nulidade da sentença?

 

ADVOGADO RESPONDE:

Olá

não creio que caberia cobrança das diferenças das parcelas, uma vez que o feito transitou em julgado. Talvez, a depender da análise documental do caso concreto, ação rescisória.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

Bom dia,

Tenho a seguinte duvida:

- Queremos comprar um casa pela Caixa Economica Federal, porem temos um termo de união estavel. O nome do meu esposo esta sem restrições porem o meu tem algumas, isso seria fato impeditivo?

 

ADVOGADO RESPONDE:

Basta que você veja com a CEF. Provavelmente sim, porque ela exige idoneidade cadastral.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

Bom dia, a Aeronáutica autoriza descontos de até 70% nos vencimentos de seus servidores (civis, militares e pensionista) nas transações de credito consignado. Gostaria de saber se isso é legal pois há um limite de 30% estabelecido em lei para esse tipo de transação.

Obrigado

 

ADVOGADO RESPONDE:

Teoricamente o limitador tem sido entendido como 30%, ou 1/3, da remuneração. Mas é entendimento jurisprudencial, não havendo nada expresso nesse sentido.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

Boa tarde
Em 2004 iniciei um curso básico na escola da Microlins, mas em abril do mesmo ano comuniquei a mesma que estaria saindo do referido curso por ter de fazer uma cirurgia cárdiaca tendo inclusive risco de morte se protelasse a intervenção cirúrgica.
Em 2008 descobri ter meu nome no SPC por estar devendo uma parcela,existente no contrato com a escola;mas no momento que fui avisar que não continuaria o curso não foi cobrado nada em questão de valores monetários.
Hoje no SPC continuo como devedora da escola e com o ano de 2008.
Como não desejo pagar para a escola o valor hoje estipulado de 120 reais, já que na época era inferior a 50 reais, já que não tentaram entrar em contato comigo.
Que posso fazer?
A Microlins pode colocar como data o ano de 2008, já que assinei o contrato no primeiro trimestre de 2004?

 

 

ADVOGADO RESPONDE:

Não pode! Você deve buscar revisão deste registro, e eventual reparação de danos.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

Boa tarde Dr.por favor me orinte poque eu estou perdia.Meus pais faleceram e deiiram um apartamento(ceab)somos em seis.so que eu e minha irmã adotiva(foi registrada ilegalmente em nome dos dois sem consetimento da mãe bilogica e sem autorização do juiz)moramos nesse apartamento ela separou do companheiro e voltou com uma das filhas.e se recusa ajudar a pagar a divida do condominio (4 anos) eu quero pagar e ela não,ja dei entrada no inventário(gratuito), o isdico ameaça colocar o apartamento na justiça e eu não quero isso, so que eu assumir essa divida sozinha não é justo, tenho muita vergonha dos meus vizinhos e ela não, exista uma lei que eu possa pedir par ela sair do aparamento e assumir a divida sozinha ate sair o inventario? Tenho 53 anos e ela 33 anos sou himpetensa ,por favor me ajude Dr.

 

ADVOGADO RESPONDE:

Olá
O patrimônio do falecido deve ser dividido entre os herdeiros. Se um deles fizer pagamentos em favor do espólio, poderá se ressarcir dos demais. Mas tudo através do inventário.

Busque ajuizar o quanto antes o inventário, onde poderá esclarecer tudo.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

Boa tarde Maite, meus parabéns pelo espaco aqui criado com o intuito de nos ajudar. Condomínio onde eu moro: 11 blocos com 48 unidades em cada bloco= 4 entradas (A, B, D e E) com 12 unidades cada entrada. 1 só Portaria para todo o condomínio. Gostaria de saber de voces se tenho a obrigacao de pagar a taxa da portaria principal do condomínio onde moro, uma vez que a atencao desta portaria é voltada para os veículos que entram e saem do condomínio e nenhum cuidado aos transeuntes, precisei de um favor há pouco tempo no sentido de eles monitorarem o entra e sai de pessoas em minha portaria e eles me disseram que nao poderiam fazer isso. Ora, eu nao tenho nem sequer carro, e eles nao podem ver quem entra e quem sai na minha portaria?? A minha dúvida é: Será que esta cuota de seguranca, que só monitoram veículos nao deveria ser cobrada só para os condóminos que possuem automóvel?? O condomínio é barato para estes, mas sai bem caro para nós que nao usufruimos de nada deste item. Agora na cota de janeiro de 2011 recebi a boleta de condomínio assim discriminada: condomínio: 55, Fundo de Reser.: 5, Manut. CCCS: 5, Cedae: 36, Luz/Forca: 11, Portaria: 38, Limpeza: 30, (limpeza nao deve já estar contida no condomínio?) rescis. Contr.: 2, desde já agradeco, Ana

 

ADVOGADO RESPONDE:

Infelizmente não, no seu caso a portaria principal, pelo que entendi, faz parte do CONDOMÍNIO, logo sua despesa deve ser rateada por todos os moradores. Mas sugiro que dê uma conferida na convenção de condomínio, que deve trazer a previsão da forma de disposição da portaria.

Já quanto à taxa de limpeza, seu questionamento pode (e deve) ser direcionado à administradora do condomínio ou ao síndico, que devem prestar contas das despesas. NORMALMENTE essa taxa de limpeza é cobrada em apartado porque é oriunda de empresa terceirizada, em um valor único.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

Bom dia Eu e minha familia chegamos ao Brasil em 2004. Em 2006 a minha filha foi trabalhar no escritório de uma fábrica textil pertença da esposa de "
notável advogado" da praça de São Paulo. Esta abriu uma segunda empresa e pediu á minha filha para entrar com sócia com 1%. Em fevereiro de 2007 a minha fliha saiu da sociedade e da empresa, com tudo registrado na junta comercial. Nunca teve nada a ver com a administração da mesma . Em 2008 a firma foi fechada pelos donos e aí avolumara-se os processos trabalhistas, estando a minha filha metida em alguns.Não temos dinheiro para pagar a advogado para a representar nos muitos processos.Minha filha não trabalha e vive em minha casa com sua filha menor.Pergunto , minha casa ou bens podem ser penhorados em algum destes processos, já que ela não tem nada em nome dela? Desde já obrigado pela ajuda.

 

ADVOGADO RESPONDE:

Olá

Teoricamente não, pois só pode ser penhorado o patrimônio registrado em nome do devedor, ou que se comprove pertencer a ele.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

boa tarde, tenho uma duvida. meu pai faleceu ha 6 anos, ele tinha um imovel no nome dele, e minha mãe vendeu e tudo foi dividido entre minha mãe, eu e meu irmão. meu pai tinha 2 filhas registardas por ele,e uma outro relacionamente q ele teve antes de conhecer minha mãe. minha mãe foi casada com ele no civil.Agora a4 anos depois da venda do imovel, as filhas do meu pai exigem a parte delas.Elas realmente tem direito?

 

ADVOGADO RESPONDE:

Olá

Sim, os filhos são todos igualmente herdeiros, independentemente se tenham sido havidos dentro ou fora do casamento.

Boa sorte!

 

DÚVIDA:

Sou amasiada a 11 anos com um homen só que eu descobri q ele me traiu, temos uma filha, e por isso eu deixei de trabalhar só para cuidar dela e dele,mas
agora depois de tanto tempo ele me traiu e eu nao quero mais ve-lo nem pintado de ouro... Gostaria de saber como eu faço para pedir uma indenização por
danos morais causados a minha pessoa pois fiquei com uma mão na frente e outra atraz, pois parei trabalhar para cuidar de tudo em casa e eu por tantos anos de dedicação nao mereço sair sem nada dessa relação e ainda pedir a penção alimenticia a qual minha filha tem direito?
Como eu devo fazer para pedir a penção por danos morais e se eu tenho direito a ela?
Agradeço desde já pela atenção.....

 

ADVOGADO RESPONDE:

Em tese, não há dano moral oriundo de ruptura de relação amorosa. De qualquer forma, você deverá procurar um advogado para encaminhar sua ação de alimentos. Ele terá condições de avaliar se cabe ou não o ajuizamento também de pedido de danos morais.

Boa sorte!

 

 

 

Opções de exibição de comentários

Escolha seu modo de exibição preferido e clique em "Salvar configurações" para ativar.

Ação contra empresa

Olá me chamo vanessa e gostaria de saber se posso processar a antiga empresa que eu tralhava, meu caso é o seguinte eu torci o pé dentro da empresa, tive uma fratura, fui afastada por auxilio doença e não acidente de trabalho, pois a empresa agiu de má fé e disse que eu não tinha provas que era minha palavra contra a deles, fiquei afastada de outobro de 2011 até fevereiro 2012, logo que voltei para trabalhar, começaram a me maltratar, e tive uma reação alergica dentro da empresa por causa que entrei dentro de uma sala onde estava os papeis que eu analizava, e nesta sala tinha um cheiro de rato morto, assim que sai da sala, comecei a passar mal me mandaram para o ambulatorio, relatei a enfermeira ela me deu um medicamento que me deu mais reação alergica, até que me deram saida para ir ao medico, ao subir no setor para pegar autorização com minha a minha chefe disse que eu era um problema para empresa, isso foi na quinta, quando voltei na segunda sentei para trabalhar e me demitiram, nem mesmo esperaram o prazo da tal carencia que dizem que tem devido eu ter ficado afastada pelo INSS, então gostaria de saber se posso processar eles devido eles não terem dado entrada no cat e por eles terem me demitido sem motivos e sem cumprir a carencia, e por danos morais pois a minha lider ia atraz de mim até no banheiro me sentia muito constrangida.
Trabalhei na empresa por 1 ano.
Grata!

Processo Microlins

Bom Dia !!!
Gostaria de um esclarecimento sobre um processo que minha filha está com a microlins. Irei relatar o ocorrido até os tempos atuais.

Em 2004 minha filha começou a fazer um curso na Microita, microlins aqui da minha cidade, aí ela pediu uma mudança de data de pagamento pois não coincidia a data com o pagamento do meu esposo, o responsavel pela franquia não aceitou a mudar mas com muito custo ele aceitou a mudar a data, porem todo mês ela teria que pagar uma taxa para essa mudança.
Só que mesmo pagando esta taxa, ele sempre dava como atraso na mensalidade, até que um certo dia ele protestou o nome da minha filha no cartório, mesmo as mensalidades estando pagas, todo mês o oficial trazia carta de protesto da minha filha, até que um dia ele mesmo o oficial aconselhou a colocar a microlins na justiça por danos morais, e contrangimento, pelos ocorridos.
Contatamos uma advogada indicada por uma professora do proprio curso, enfim teve a primeira audiencia, foi relatado ao juiz o ocorrido e mais o pedido do certificado pois ele se negou a dar o certificado de conclusão do curso a minha filha, mesmo ela ter pago todos os meses corretamente, e ter concluido o curso e passado nas provas, como manda o figurino.
Na primeira audiência não teve acordo, pois a advogada de defesa da microlins se recusou qualquer acordo , pois disse que eles não iriam ceder em momento algum, pois bem foi levado o processo para o forum de são paulo, se passou 8 anos com este processo lá parado, ai final de 2011 foi dada a sentença, no valor de 20 mil reais o juiz deu apenas 4 mil, só que a advogada da minha filha disse que sem previsão para ela receber este valor isso se receber, pois mesmo este processo ter voltado para a minha cidade, ele pode se negar a pagar dizer que não tem condições, e agora tem que esperar e pode levar mais uns 8 anos e se receber, então gostaria de saber se isso é normal, ou se tem algo errado?
pois estou achando muito estranho isso tanta demora, sei que a justiça brasileira é demorada mas convem que nem tanto e nem tão falha como a advogada da minha filha relata.
Fico no aguardo e desde já agradeço pela atenção

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
11 + 2 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4