Pensamento positivo pode deixas as pessoas efetivamente melhores?

Você já deve ter ouvido falar que pensamento positivo ajuda no tratamento ou até mesmo na cura de doenças.

Recentemente, a medicina tradicional tem se posicionado mais contra o pensamento positivo. Levantamentos de pesquisa líder na área concluíram que as taxas de recuperação de câncer, por exemplo, não são mais elevadas entre os pacientes que têm uma atitude positiva sobre a luta contra sua doença. Estudos que mostram o contrário são pequenos e, segundo seus críticos, falhos.

Porém, este parece ser outro exemplo de dados e pesquisas “duelando”, onde um estudo é contrariado pelo estudo seguinte, deixando o público em um estado de confusão.

Os médicos também estão confusos. Tem sido sempre parte do kit pedir aos pacientes para manter o ânimo. Até algumas décadas atrás, era norma não falar a um paciente com “prazo de vida” a gravidade de sua condição, o que implica um acordo tácito que ouvir más notícias não era bom para os pacientes.

Ao mesmo tempo, os médicos querem proteger a sua profissão, por isso poucos estão dispostos a cruzar a linha e apoiar a noção de que o pensamento pode trabalhar de forma tão poderosa quanto a medicina “real”.

E quanto dessa confusão pode ser esclarecida?

Primeiro de tudo, o pensamento é medicina “real”, como provado pelo efeito placebo. Quando administrada uma pílula de açúcar no lugar de um medicamento real, uma média de 30% dos indivíduos mostra uma resposta positiva.

O que ativa esta resposta não é uma substância física, mas a atividade da conexão mente-corpo. Expectativas são poderosas.
Se você acha que recebeu uma droga que vai torná-lo melhor, isso muitas vezes é suficiente para torná-lo melhor.

Isto implica que uma pessoa deve ser capaz de desencadear o efeito placebo em si mesmo. No entanto, há uma ilusão psicológica envolvida. Sem a figura de autoridade em um jaleco branco para lhe dizer que você está tomando um medicamento eficaz, a pílula de açúcar é apenas uma pílula de açúcar. Você não pode enganar a si mesmo quando você sabe o que é o placebo.

Não podemos negar que a conexão mente-corpo é poderosa. Então, há um efeito placebo que não envolve enganar o paciente? Você pode acionar sua própria defesa interna se quiser?

Aqueles que acreditam em pensamento positivo dizem que sim. Os estudos que querem desmascarar o pensamento positivo lidam com pacientes muito doentes lutando para se recuperar de doenças graves. Eles não comentam sobre como o pensamento positivo pode prevenir uma doença ou como pode afetar alguém em fases muito precoces de doenças.

A verdadeira questão não é salvar um paciente da morte, mas sim manter seu bem-estar.

Será que o pensamento positivo mantém as pessoas bem? Neste momento, as opiniões estão divididas, pois, com o surgimento da genética, muitas doenças podem se originar em nossos genes.

Na mente do público, ouvir que câncer ou diabetes é genético age como autoridade final. Felizmente para o campo do pensamento positivo, esta atitude fatalista é equivocada.

Genes são dinâmicos, e não fixos; eles respondem ao ambiente de uma pessoa, comportamentos e atitudes. De fato, um estudo agora famoso na Suécia mostrou que uma tendência a diabetes pode ser fortemente afetada pela dieta de seu bisavô.

Mas qual o problema com o pensamento positivo? É preciso esforço para ser positivo o tempo todo. A mente tem de se defender da negatividade, e isso é desgastante, assim como irrealista. Você pode ter sucesso em acalmar a aparência que você apresenta ao mundo, mas há quase sempre uma luta escondida logo abaixo da superfície; no mínimo, há uma boa dose de negação.

A alternativa para o pensamento é uma mente calma que está em paz consigo mesma. Essa mente oferece os benefícios que o pensamento positivo não pode. Essa opinião é baseada em estudos que mostram um declínio na pressão arterial elevada, níveis de estresse e outras doenças entre os meditadores.

A meditação é uma prática espiritual, mas também é uma prática mente-corpo. Mais estudos precisam provar os benefícios da meditação, mas muitas pesquisas já mostraram alguns.

A medicina não pode ser definitiva sobre como o humor afeta o bem-estar. Mas a verdade é que ser positivo, se não te fizer nenhum bem, também não faz fazer nenhum mal. Então porque não tentar?[CNN]

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
4 + 13 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4