Casado chupou e gostou

Olá, meu nome é Alex, tenho 42 anos, sou casado á 20 anos e vivo muito bem com a minha esposa, apesar de termos uma vida sexual muito ativa (praticamente todos os dias), sinto falta de algumas coisas. Adoro sexo oral, mas a minha esposa, que é do interior, é muito reservada, apesar de já ter feito isso algumas vezes, parece que fica meio sem jeito, de modo que eu preciso praticamente de implorar para isso acontecer, o que fica muito chato.
Entăo fui pela primeira vez a uma dessas galerias eróticas, onde vocę assiste a filmes porno em cabines individuais que tęm um buraquinho onde uns viadinhos ficam ali implorando para te chupar.

Estava eu lá me punhetando quando um cara botou a boca naquele buraco e ficou ali balançando a língua, botei meu pau duro como uma pedra em sua boca, ele chupou gostosamente até eu gozar e depois engoliu tudo. Isto foi o suficiente para eu me viciar, sempre que desejo uma boa chupada, vou lá e acontece geralmente a mesma coisa.

Um dia eu estava lá me punhetando quando aconteceu uma coisa diferente. Um cara botou o pau duro como uma rocha naquele buraco, um pau igual ao meu, que năo é muito grande, aproximadamente 15 cm mas bem grosso, com um cabeçăo enorme. Como eu sou e me considero heterossexual, năo dei muita importância, fiquei até meio assustado. O cara năo desistiu e continuou com aquilo ali, que devido a posiçăo da cadeira em que eu estava, acabava ficando bem próximo do meu rosto.

De repente, me vi observando aquele pau, tentando fazer comparaçăo com o meu. De tanto observar, comecei a me sentir atraído por aquilo, e já me punhetava olhando aquele pau latejando de tesăo. Meu tesăo também era enorme, já estava quase gozando, me deu uma vontade muito grande de pegar e sentir aquilo na minha măo. Fiquei nervoso, minha măo tremia, suava que era um absurdo. Năo aguentei a curiosidade, e como sabia que estava em um lugar reservado e que ninguém podia me ver, peguei naquele pau durissimo e comecei a punhetá-lo, ele tirou da minha măo, chegou o rosto perto do buraco e disse:
- Chupa um pouquinho????

Colocou novamente o pau no buraco e ficou ali balançando na minha frente, eu estava tremendo de nervoso, uma vontade muito grande mas uma mistura de medo e culpa me tomava. Năo resisti e abocaquei de uma vez só, confeso que mesmo nunca tendo feito aquilo antes, eu estava adorando aquela experięncia. De repente, ele tirou da minha boca e para minha surpresa, deu a volta e bateu na porta da minha cabine. Năo sei porquę mas abri.
Ele disse que também era casado, tinha 40 anos, ele tinha um físico bom para um homem dessa idade, năo era afeminado, mas disse que gostava de umas brincadeirinhas com homens e depois acrescentou:

- Aqui a gente pode fazer o que as nossas esposas năo gostam de fazer em casa.
O pau dele ainda estava latejando e ele pediu que eu voltasse a chupar, o que fiz com muito gosto. Ele também pediu para me chupar e fez muito gostoso, quando eu estava quase gosando, ele parou e disse que queria gozar primeiro.
Como eu năo tinha muita experięncia, passei a fazer como minha esposa faz, o que me leva ao delírio. Peguei o pau dele e comecei a punhetá-lo com a glande na minha boca, comecei a passar a língua por baixo, do mesmo jeito que minha esposa faz comigo. Ele quase enlouquece, gemia, dizia que estava uma delicia, que eu chupava muito gostoso etc. Aumentei o ritmo e ele preocupado disse que ía gozar na minha boca, que se eu năo quisesse, parasse. Mas ao contrário disso, me deu uma vontade louca de ver aquele cara gozando na minha boca. Aumentei ainda mais o ritmo e ele explodiu num gozo tăo intenso o qual eu nunca tinha visto, inundou toda a minha boca ao ponto de escorrer pelos lados, năo parei até que năo saía mais nada. Fiquei assim com o pau dele na boca até começar a amolecer devagarzinho, depois ele se abaixou e sem nada dizer, começou a me chupar bem gostoso, me abraçou nessa posiçăo e começou a acariciar a minha bunda. No inicio fiquei meio sem geito e até nervoso, mas depois fui-me acostumando e gostando. Ele acariciava até a entrada do meu ânus, colocou um dedo na entrada sem penetrar totalmente e foi fazendo movimentos leves, năo demorou muito, tive um orgasmo maravilhoso, gozei como nunca tinha gozado em toda a minha vida.
Depois ele se levantou, se ajeitou e foi embora sem dizer nada, nem os nossos nomes falamos um ao outro.

Continuo a frequentar galerias eróticas, e já levei várias chupadas, mas nunca mais aconteceu como naquele dia.
Ás vezes até espero e desejo que alguém ponha o pau naquele buraco para eu chupar, mas năo acontece, e eu ainda me sinto tímido em tomar a iniciativa.
Năo tenho desejo de sexo anal, nem ativo nem passivo, mas confesso que desejo um dia chupar e ser chupado bem gostoso como naquele dia.

rayketo@hotmail.com
CENTRO DO RJ

 

 

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
7 + 10 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4