Queria um e levei dois

Vou contar uma transa deliciosa que tive há algum tempo, coisa de menos de um ano. Conheci pela net um cara que vou chamar de Paulo(fictício), que disse que queria me conhecer. Trocamos algumas mensagens apimentadas, eu mandei umas fotos e ele ficou tarado para me comer(modéstia à parte, sou uma morena coxuda, bundinha redonda e montada fico bem gostosa, segundo dizem), só que ele morava no interior. Aproveitei uma carona da minha patroa e lá fui para onde ele estava. Mantive contato por telefone com ele e combinamos. Eu cheguei umas 9h da manhã e segui logo para um motel, onde me montei todinha pois queria que ele me encontrasse já prontinha e também porque queria transitar naquela cidade montada, pois não conhecia ninguém e adoro desfilar montada quando posso. Vesti uma calcinha pequenininha preta, um corselet que marcava minha cintura e realçava o bumbum e fazia parecer que tinha seios, um vestidinho preto colante e curtíssimo, uma sandália de salto altíssimo tipo gladiadora da arezzo(um arraso e carésima!!!), cabelos artificiais longos e avermelhados, bem maquiada e cheirosa. Liguei para ele e marcamos num outro motel, bem melhor com muitos espelhos bem legal mesmo. Saí de onde estava pelas 11h da manhã, montada e rebolando muito até um ponto de mototáxi que tinha ali perto. O vestido colado e curto, deixava minhas coxas toda a mostra e a bundinha ainda mais arrebitada que o normal pelo salto, ficando desenhada a calcinha. Como era perto de uma BR, alguns caminhoneiros que passaram por mim ficaram buzinando e me chamando de gostosa(quase que eu ia com um deles que quase parou me olhando pelo retrovisor kkkkkk!!!).

Cheguei no ponto de mototáxi e fiquei um pouco receiosa de não quererem me levar, mas o primeiro da fila perguntou logo para onde eu ia e eu afinando a voz pedi para me levar no motel combinado. Ali eu já realizei um sonho, pois estava com o vestidinho curtíssimo na garupa de uma moto(o que fazia o vestido subir mais ainda), com minhas coxas deliciosamente depiladas e hiperfemininas, com a bundinha arrebitada ao máximo, minha calcinha desenhada e de capacete com os cabelos para fora esvoaçando, me fazendo parecer realmente uma mulher. Tanto que no percurso pude reparar alguns caras olhando tanto que viraravam a cabeça para acompanhar minha passagem. Na entrada do motel paguei o mototáxi e peguei o telefone dele para a saída. Ali só estava um funcionário na portaria, uns 30 anos, magro, barba, branco, estatura média e aquele corpo de homem que trabalha no pesado, com músculos bem torneados mas não forte. Ele me olhou da cabeça aos pés e ficou com aquela cara de dúvida, de quem não tem certeza de com quem está lidando, mulher, homem ou nenhum dos dois? Naquela hora eu não estava prestando muita atenção nele, mas caprichei na voz afeminada mais para completar sua dúvida.

Mas acho que não foi suficiente, ele percebera que eu era “outra coisa”(kkkkk!!!). Entrei e esqueci do porteiro. Fui para o quarto e terminei de me aprontar. Retoquei a maquiagem, pus as ligas no corpete e uma meia arrastão 7/8, que não quis por antes para não chamar muita atenção, pois ainda era dia(também queria mostrar minhas coxas ao natural kkkkk!!!). Pouco depois chega Paulo. Um gostoso como eu esperava. Mais ou menos da minha altura(sem o salto claro) corpo forte de homem, sem ser musculoso que gosto menos. Me agarrou ja´foi me beijando a boca e dizendo que eu era gostosa, me abraçando de frente escorregando as mãos pela minha cintura em direção à minha bundinha, puxando meu vestido me deixando com o bumbum exposto e já correndo os dedos pela minha calcinha, puxando-a de lado e tocando meu cuzinho enquanto continuava a me beijar a boca, o pescoço e os ouvidos, dizendo coisas gostosas me deixando muuuuiiito tesuda! Mostrando quem dominava, logo me virou de costas e me encoxou contra a parede me fazendo gemer feito uma putinha. Começou a roçar minha bundinha quando ainda estava de calça(sua camisa eu nem vi que horas saiu do seu corpo) e eu já senti seu membro duro ali embaixo. Então eu rebolei e escorreguei meu corpo roçando a bundinha pela sua perna até embaixo e aproveitei que estava agaxada aos seus pés e peguei naquele volume maravilhoso e já fui desabotoando, enquanto aproximava minha boca vi que seu cacete já estava saltando da cueca e eu encostei ali o meu rosto e cheirei o meu macho e rapidamente ajudei aquele caralho liiiiiindoooo a sair dali. Eu me ajoelhei arrebitando bem a bundinha(eu me olhava no espelho o que adoro), olhei para meu dono e comecei a chupá-lo. Seu pau tinha uns 19cm como ele havia dito, mas era muuuuiiito mais grosso do que eu imaginava, o que me fez delirar pois adooooooroooo a grossura de um pau mais do que o tamanho. Mal cabia em minha boca e eu tentava engolir tudo, quase engasgando enquanto ele fodia minha boquinha que deixava o cacetão bem babado. Chupei muuuuiiito aquele pau e o saco e os bagos dele(enormes como de um touro reprodutor kkkk!!!).

Quando ele já tava superexcitado ele tirou o pau da minha boca e me botou na cama de quatro. Nisso meu pauzinho(uns 15cm), já tava duríssimo querendo sair da calcinha que ainda o segurava no tucking. Ele puxou a calcinha de lado e começou a cumprir o que prometeu: chupar muuuuiiito meu cuzinho. Eu gemia muito e rebolava e me arrebitava toda para ele, que chupava meu cuzinho como nunca ninguém chupou! Ele libertou minha nequinha e enquanto chupava minha cucetinha, puxava minha varinha para trás como eu pedia, o que já tava quase me fazendo gozar. Eu pedi para ele parar um pouco pois queria gozar com ele dentro de mim, mas ele puxou minha calcinha tirando-a e chupando ainda mais forte meu cuzinho, o períneo e meu saquinho, enquanto puxava a nequinha para trás punhetando-a. Eu não aguentei e anunciei meu gozo, no que ele passou para baixo de mim rapidamente, chupando meu pauzinho enquanto puxava meu saquinho para cima e metia o dedo em meu cuzinho! Foi um dos gozos mais alucinantes da minha vida! Eu juro! Então ele recebeu meu leitinho todo na boca(e foi muuuuiiito!!!) e já veio me beijando e despejando meu gozo em minha boca! Era tanto que só consegui engolir uma parte! Então ele disse que queria me comer. Me colocou de costas na parede, com a bunda bem arrebitada e começou a penetração. Eu tava tão excitada e molhada pela saliva dele, que quase não doeu, mesmo ele sendo muito grosso e grande! Então ele deu umas bombadas, mas não tava tão legal para mim por causa do salto alto, que dificultava meus movimentos. Pedi a ele que sentasse e de costas para ele fui sentando bem devagar, sentindo cada centímetro daquele pau maravilhoso. Quando senti seus pentelhos e seu ovos encostarem em minha bundinha, comecei a rebolar arqueando meu corpo para cima dele, virando e beijando sua boca e passei a fazer movimentos alternados de sobe e desce com rebolados, enquanto contraía meu cuzinho no sobe e desce num pompoar que o fez gozar em pouco mais de um ou dois minutos, enchendo meu cuzinho de porra quente e grossa! Tudo tava maravilhoso e eu queria muuuuiiito mais, mas Paulo disse que tinha que ir pois sua mulher poderia desconfiar se ele demorasse e ela ligasse no trabalho e acabou saindo dali rápido demais para meu tesão. Ele deixou a grana do motel e saiu e eu fiquei ainda molinha, sentindo o leitinho dele escorrer de dentro de mim e molhar a calcinha que eu tinha posto novamente. Nisso o interfone toca. Era o porteiro perguntando se tava tudo ok.

Eu disse que sim e perguntei quanto tempo ainda tinha antes do fim do período. Ele disse que meia hora. Eu disse a ele que viesse pegar a grana. Então veio a ideia louca. Ao invés de deixar o dinheiro pela janelinha, eu preferi sair e esperar o porteiro do lado de fora. Levantei meu vestidinho ainda mais, aparecendo um pedacinho da calcinha onde se alojava minha nequinha agora bem molinha e recatada, ficando parecendo uma bucetinha por baixo da calcinha(meu tucking fica fantástico). Ele quando me viu ficou atônito e não conseguiu disfarçar uma olhada para minhas pernas e para onde seria minha 'bucetinha'(caso eu tivesse uma kkkk!!!). Então eu perguntei quanto era mesmo e me virei no salto de forma bem provocante e saí rebolando da garagem até o quarto, para pegar o dinheiro... caprichei no rebolado e voltei com a grana e quando fui lhe dar ainda passei a mão bem provocante na mão dele, enquanto o encarava sorrindo. Nem sei de onde tirei tanta cara de pau(kkk). Ele pegou o dinheiro e saiu sem falar nada. Fiquei puta e ainda mais tesuda e queria aquele macho de qualquer jeito. Então sai do quarto e olhei ao redor pelo motel que não era grande e vi que estávamos somente eu e ele ali. Tomei corajem e fui rebolando até a guarita onde ele estava e pedi(bem safada) que ele levasse para mim uma coca-cola e o telefone de um mototáxi para eu ligar e disse que o interfone tava com algum defeito. Saí rebolando de novo e dando umas olhadas para trás e rindo levemente. Cerca de cinco minutos ele tava lá batendo a porta. Eu disse que entrasse e quando ele entrou me viu deitada de bruços com uma revista(o vestido mostrava quase tudo) e quando fui me levantar levantei a bunda ficando de quatro e repuxando o vestido, aparecendo toda a bunda com a calcinha atoladinha. Ele tava no pé da cama e quando terminei de levantar tava a menos de meio metro dele. Não sei de onde veio tanta coragem, mas eu disse: “Deixa eu te chupar? Desde que cheguei fiquei com essa vontade e meu namorado não baixou meu fogo...”. Ele disse: “Não como homem não”. E eu rebati de pronto(nem sei como??? mas percebi que dava para falar): “Se eu fosse homem não tava aqui de calcinha, de vestido, de salto alto, maquiada, depilada, com um pinto escondido que você não encontra nem se procurar e te pedindo para te chupar... isso depois de ter sido comida por outro homem... você acha mesmo que eu sou homem?”.

Ele fez como quem fosse rir e segurou, o que me deu força. “Nós tamos sozinhos e nnguém vai saber... deixa só eu te chupar, se você não gostar eu paro na hora...”. Eu vi que o pau dele já tava imenso por baixo da bermuda. Ele se virou, fechou a porta e trancou. Pensei, tô fudida, ele vai me dar umas porradas ou até me matar e comecei a me arrepender. Mas ele arriou a bermuda tipo surfista e puxou o pau para fora da cueca e disse: “Vem viadinha, dá uma mamada, mas se eu num gostar eu vou te encher de porrada!”. Aquilo me deixou com medo e tesão e eu me ajoelhei novamente e comecei a chupá-lo com todas as técnicas que eu sabia que as mulheres que já tinha comido nem imaginavam. O cacete dele não era grande e nem grosso, uns 16cm, mas tinha uma glande enorme como um cogumelo bem vermelho e logo eu passei a sentir seu pré-gozo em minha boquinha, enquanto ele me chamava de 'viadinha', 'travestis', 'puta', 'cabrona', 'bicha safada' e eu adorando, enquanto me tocava com meu pauzinho escondido pela calcinha, pois não queria que ele visse com medo dele não gostar. Ele gozou muito rápido e em uma quantidade imensa em minha boca e eu querendo mostrar a ele o esperma dele em minha boquinha, deixei escorrer um pouco pelos cantos da boca, no que ele me deu um fortíssimo tapa na cara que eu quase chorei, dizendo: “Engole tudo viado! Tu num disse que era mulhé porra! Então engole tudo! E eu já chorando com medo, passei a mão na gala que escorria e engoli tudo, no que ele ainda de pau duríssimo me empurrou me pondo de quatro no chão do quarto. Meteu dois dedos no meu cuzinho e puxou a calcinha violentamente, onde ela quase rasgou e então ele deu mais dois puxões e ela rasgou toda e ele disse: “Tu num queria um macho? Pois vou te fuder todinha e vai pedir pra nunca mais dá esse cú”. Cuspiu, ou melhor, quase escarrou no meu cuzinho, puxou minha boca e meteu violentamente o pau nela para molhá-lo e cravou de uma vez em meu rabinho! Eu tava morta de medo... não do que o cacete dele pudesse me fazer, mas de depois ele querer fazer algo ruim comigo, mas ao mesmo tempo eu estava somente ex-ta-si-a-da!!! com a situação!!! ele meteu com muita força e sequer botou camisinha.

Bombava segurando forte entre minha cintura e minhas ancas, as vezes me tirando do chão enquanto meus joelhos ralavam e batiam no chão. Eu me sentia estuprada e ficava num misto de choro e gozo, até que ele esporrou acho que uma tonelada dentro e fora do meu cuzinho, me inundando com aquele esperma que parecia que ele não gozava a anos! Quando terminou, deu um tapa, não forte mas que estalou gostoso na minha bunda e disse: “Vai te limpar minha putinha” e foi se vestir. Eu rapidamente apenas pus outra calcinha que tinha trazido e limpei só a bundinha com papel, deixando meu cuzinho inundado de esperma. Antes de sair, eu já vestida, ele chegou perto e eu dei um risinho safado. Ele deu um tapinha na minha bunda e disse: “Bem que tu disse que era mulher né... home eu tenho certeza que tu num é” e demos uma gostosa risada juntos. Ele ainda me deixou ficar ali mais um tempo me recompondo e acabei me masturbando pensando nele e em como me comeu! Quando saí ainda quis olhar para ele safada, mas ele nem me olhou bastante sério. Essa história é real e se alguém do Ceará, Pernambuco, RN, PB, AL, SE e BA quiser manter contato, poderemos trocar ideias, fotos e até um encontro quem sabe! Bjinhos a todos! Wanessa Valença.      wanessacdzinha24@gmail.com

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
1 + 2 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4