Rebolei gostoso com meu cuzinho no pau do coroa

Olá, galera, podem me chamar de LaurinhoRJ e sou um cara que gosta muito de viver aventuras bem gostosas. Esse fato que vou contar aconteceu um dia após eu ter participado de uma suruba anal na casa de um amigo, onde ofereci meu cu a noite toda para 3 garanhões bem dotados. No outro dia meu cuzinho estava num estado lastimável. Fiquei com tanta dor que cheguei a tomar ANALgésicos para ver se parava. Para me distrair um pouco e esquecer da dor resolvi navegar pela Internet e dar uma olhada nos meus e-mails.

Havia um de um senhor que a muito estava me perturbando para sair comigo. Se chamava Luciano e dizia ser um homem de 50 anos, cabelos grisalhos, educado e aposentado. Como ele já estava insistindo muito resolvi aceitar seu convite para nos encontrarmos e marcamos num barzinho no Centro. Cheguei e não foi difícil definir quem ele era no meio de tantas pessoas. Fui até ele e nos cumprimentamos e sentamos na mesa onde ele estava. Ficamos bebendo um pouco e conversando sobre os mais diversos assuntos. Depois de uns 30 minutos de papo ele me perguntou se eu não estava a fim de ir com ele até um lugarzinho para ficarmos mais a vontade, que estava louco de tesão pelo meu cuzinho. Pensando na situação do meu anelzinho resolvi, educadamente, dizer que não. Ele ficou um pouco triste com a minha resposta, mas não desistiu de seu intento. Sorriu e passou a me dizer que há muito tempo não transava com ninguém, que tinha ficado viúvo a pouco tempo, que seus filhos não queriam que ele se casasse de novo, que ficavam no pé dele todas as vezes que ele arrumava uma mulher, que um homem não ia levantar suspeitas, etc, etc, etc. Ele era muito bom de papo e, de tanto insistir, acabei aceitando, afinal ele era meio velho, magro e não parecia que meu buraquinho corria algum risco.

Durante toda o caminho para sua casa ele não cansou de dizer que não iria me machucar, que era carinhoso, etc. Em sua casa ele me levou direto para seu quarto, me pondo de quatro na beira de sua cama. Arrependido de ter vindo e não querendo dar muita corda para ele, me levantei apressado dizendo que tinha medo do pênis dele ser muito grande e me machucar. Ele então me disse que estava com o pau duro e que não dava mais prá eu voltar atrás. Antes que eu dissesse algo ele tirou o pênis para fora da calça. Gelei na hora. Era um pênis lindo, duro, tamanho médio. Num impulso peguei no seu pau com uma das mãos e lentamente fui caminhando para a cama para chupar o pau dele, hipnotisado de tesão. Quando toquei com os meus lábios aquele pau duro Luciano tirou o pênis para trás e com um sorriso sacana me perguntou: - E aí, Lauro, vai dar a bunda para mim ou não vai? Pensei comigo mesmo: - Desgraçado, me deixa aqui como uma puta morrendo de tesão e ainda faz este tipo de provocação. vou dar para este homem e ensinar a ele uma lição! Disse que topava. Ele me pediu para ficar de quatro novamente na cama. Como eu estava meio ancioso obedeci, ficando de quatro e baixando meu jeans até o joelho, com ele me olhando como um lobo prestes a comer sua presa. Eu lá de quatro, oferecendo a bunda para aquele homem que estava me deixando cada vez mais exitado.

Luciano se aproximou de mim e colocou a mão na minha bunda. Meu cuzinho gelou na hora. Deu uma cuspidinha no dedinho e introduziu bem vagarosamente na minha bunda. Dei uma gemidinha. Ainda doia da foda de ontem. Ai ele enfiou mais um pouquinho do dedo na minha bunda comigo ali de quatro. Eu estava me sentindo o protótipo de uma vagabunda naquela situação, mas estava muito exitado. Ele então supreendetemente me disse: - Lauro, desculpa. Mudei de idéia. Não quero mais te comer não! Não acreditei no que acabava de ouvir. O cara simplesmente me convenceu a dar pra ele, me colocou de quatro na sua cama, enfiou o dedo no meu cu e me dispensa. Ele simplesmente estava me sacaneando. Ele não podia fazer isso comigo. Eu estava cheio de vontade de dar. Então eu disse para mim mesmo:- Agora eu vou ter que dar prá este cara! Luciano havia saído do quarto e sentado no sofá da sala. Levantei-me da cama, acabei de tirar minha calça e fui atrás dele. Sem ele esperar, sentei-me no seu colo, de ladinho, abracei seu pescoço e lasquei um beijo na sua boca.. - Ah, come meu cuzinho, vai, eu tô cheio de vontade de dar prá você! Disse, bem sacana prá ele. Ele me agarrou, me levou de volta para o quarto, me colocou deitado de brussos na cama e enfiou na minha bunda com vontade. Gritei de dor e dei uma mordida no travesseiro. Lá estava eu com aquele homem em cima de mim, com sua pica enfiada no meu rabo. Confesso que a dor era enorme e enquanto eu gemia quase chorava de dor.

Luciano então parou de fazer movimentos com o pau, mas permaneceu deitado em cima de mim com o pau dentro da minha bunda. Ficamos os dois imóveis e ele me perguntou prá quantos caras eu já tinha dado minha bunda. Chutei, dizendo que para uns dez (depois com calma, em casa, cheguei a conclusão que foi 16, pelo menos). Ele então me pediu para contar para ele como tinha sido. Resumi para ele minha história enquanto gemia de dor. Luciano era um cara bem filho da puta. Ele estava trepado em cima de mim, com o pau todo enterrado no meu cu e eu ainda tinha que ficar contando prá ele como e quais caras já tinha me comigo. Aquilo era o CÚmulo. Depois de um tempo dentro de mim ele me disse prá ficar de quatro prá ele gozar bem gostoso. Obedeci, saindo debaixo dele, me livrando do seu pau e ficando de quatro como ele mandou. Comigo de quatro ele então começou a colocar novamente a pica dentro do meu rabinho até entrar tudinho. Começou a bombar bem devagar o pau dentro de minha bunda e ficou um bom tempo ali naquele delicioso vai e vem. A uma certa altura, quando minha bunda já estava ardida bastante, ele gozou com bastante vigor. Deu para sentir aquela porra entrando dentro de mim. Eu já estava todo detonado, afinal fazia umas meia hora que ele já estava com o pau dentro de mim. Depois que ele gozou, eu, que estava de quatro, deitei de brussos na cama e procurei relaxar um pouco, afinal estava com a bunda bem doida. Ele deitou do meu lado e começou a me acariciar o traseiro. Ficamos mais uns 20 minutos assim e decidi que estava na hora de ir embora e me levantei para para pegar minha calça.

Mas Luciano quis comer meu cu novamente e me agarrou por trás, sarrando seu pau na minha bunda. Tentei convencê-lo a desistir da idéia mas ele não arredou. Como eu estava na chuva. Fiquei de pé (bem na pontinha dos pés), debrucei-me sobre a cama, arrebitei bem minha bundinha e pisquei prá ele meu cuzinho. Ele posicionou novamente sua pica na entradinha do meu buraco e forçou. A cabeça entrou de uma vez e eu gemi de prazer. Luciano metia rápido e fundo dentro de mim me levando a loucura. Sentia meu cuzinho sendo rasgado, machucado, fodido profundamente pelo seu pau. Quando ele me preencheu todo coloquei a perna esquerda dobrada sobre a cama e comecei a rebolar bem gostoso no seu pau. Com todo seu pau dentro de mim e seu corpo grudado no meu, Luciano ficou se deliciando com minha bundinha peludinha empalada pela sua espada. De vez em quando eu ainda deslizava com meu cu até a cabecinha do seu pau e depois engolia tudo de novo. Ficamos assim por um bom tempo até que ele tirou o pau de dentro de mim, me fez ajoelhar a seus pés e explodiu num gozo alucinante na minha cara. Fiquei ali, ajoelhado, recebendo seu gozo no meu rosto até ele terminar de esporrar. Então sentamos no chão do quarto e ficamos conversando e rindo animadamente até eu ir embora.

Depois desse dia virei fá do pau do coroa e passei a dar prá ele todas as sextas feiras. Se você também quer comer um cuzinho fácil escreva prá mim:

laurinhorj@loja.net

 

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
4 + 4 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4