Ai titio

Meu nome é Jonas e sou segurança, durante alguns anos morei em São
Paulo e agora a três mêses estou morando no Rio Grande do Sul, como eu
e minha esposa ainda não temos onde ficar, estamos morando com a minha
cunhada separada do marido e com um filho de vinte anos, chamado
Douglas.

Durante o dia praticamente eu ficava sozinho, em outros ficavam com
este meu sobrinho, sou um homem negro e sarado e quando estou sozinho
eu costumo ficar de cueca e camiseta quando vou tomar banho. Certo dia
eu não tinha cueca limpa e na cara dura fui pedir ao Douglas se ele
podia me emprestar uma das suas, quando ele me olhou de cueca e
camiseta regata percebi na hora o fogo em seus olhos, ao me dar a cueca
examinei e percebi que não caberia mas ele insistiu que me deixou
irritado...

- Voce acha que esta cuequinha vai caber em mim? Olha o tamanho da minha bunda, olha o tamanho do meu pau...

Coloquei a mão por dentro da cueca e tirei para fora meu pau que já
endurecia... Uma fina baba correu do canto da boca de meu sobrinho que
gaguejou.

- Nossa tio... é enorme...

Dei um sorriso sacana e falei:

- Vem cá, chupa que fica maior ainda.

Douglas caiu de boca na rôla que ficou tão dura que excitado o agarrei e levei ele para meu quarto.

- Vem cá , chupa o pau do teu tio negão... isso... você leva jeito...
passa a lingua... isso... gosta de rôla não é seu sacana? Continua
chupando que vou brincar na tua bundinha...
- Aiii...tio...
- Que bundinha gostosa... deita de bruços - falei em tom enérgico.

Quando vi aquela bunda pra cima, branquinha e carnuda quase gozei com
aquela visão mas me contive a muito custo, comecei a lamber de sua
coxas até seu rego parando alguns minutos em seu anelzinho que não
parava de piscar.

- Este cu tá pedindo rôla e é isso que vou dar a ele.
- Nãooo... pára tio... me deixa... quero ir embora - implorava.
- Seu putinho... Me oferece o doce e agora quer cair fora? Vou te arrombar.

Douglas não tinha forças para sair debaixo de mim, pois sou bem mais
forte que ele, cuspi na mão e besuntei seu cu, ele tentava se
desvincilhar mas eu agarrei seu ombro e abraçando seu peito, meu canhão
foi se enterrando naquela bunda tenra, que delicia quando eu me senti
inteirinho dentro dele.

- Teu cabaço já era, agora você é meu... tôma rôla seu putinho.
- Ai tio... tá doendo...
- Você vai gostar...huuumm...

Aumentei o ritmo das metidas até gozar naquela bunda gulosa e encher
com meu leite. Durante todo o mês que morei lá eu fudia direto aquele
viadinho e quando eu me mudei ele chegou a me procurar várias vezes mas
meu instinto de macho me fez procurar outros machos com muito fogo no
rabo.

Por jonasdick69@yahoo.com.br

 

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
12 + 5 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4