Putinha na chácara

Como todos sabe, sou bi, além de gostar de uma bucetinha ou um cuzinho, principalmente novinho, eu também adoro ser uma putinha safada, de um macho que saiba me comer com tesão e carinho. Tenho um amigo que há muito me convidava para conhecer sua chacara, uma sexta feira ele me falou que eu não ia deixar de ir com ele na sexta, pois eu ia gostar muito da região e aproveitaria de tudo que a chcara iria me proporcionar. Deixei ele na sala, e fui me arruimar, sentia que ia ser um final de semana daqueles, onde ia me deliciar, apesar de nunca ter dado para ele, mas desconfiava que eu gostava da fruta. Seu sobrinho ia conosco, um jovem interessante, não era bonto, mas bem lisinhos e com um jeito alegre e divertido de conversar.

Durante a viagem, que não era muito longe, ia convesando com meu amigo, enquanto seu sobrinho ia atrás, de vez enquando falava algo, me virava para ele e notava que ele alisava seu ckte, me dando um risinho daqueles. Como já era noite, ele me mostrou o meu quarto, no dia seguinte, um sábado, que amacheu lindo, o seu capaz iria nos mostra a chacara, enquanto ele cuidava de outras coisas.

Quando acordamos fizemos aquele lanche, seu sobrinho foi para a piscina, enquanto o capataz e meu amigo iriam me mostrar a chacara. O capataz é um homem forte e alto com um corpo musculoso e bronzeado do sol do interior. Foi mostrando plantação disso, viveiro daquilo, meu amigo fazia os comentarios. Ele mostrava as coisas e a gente andando debaixo do sol forte do meio-dia, fomos tirando a roupa, ficando todos só de bermuda. Enquanto o capataz ia mostrando as coisas da chacara, mu amigo falando, percebi que o capataz quando via que meu amigo estava distraido, me dava umas secadas assim, com os olhos cheios de malicia. Eu tava usando um shortinho de malha, com estampa de ursinhos na frente e branco atras, bem apertadinho, e dava para notar que estava usando um fio dental. Ele olhava pra minha bundinha apertada no tecido fino e depois me encarando, acariciava a rola por cima da calça. Fingi que não percebi nada e fui acompanhando meu amigo e o capataz. Meu amigo foi verificar uma máquina estranha para mim, enquanto ele conversava com o funcionpario, procurando exclarecimentos sobre a mesma.

O capataz sentou num tronco de árvore, abriu as pernas e ficou alisando seu caralho, me olhando com cara de tarado e com fome de um cuzinho. Olhando para o meio de suas pernas, senti meu corpo todo arrepiado. Vendo aquele volume enorme balançando na sua calça jeans. Ele vendo minha cara, sorriu e piscou para mim. Subi numa árvopre e me empinava todo, fcava de costas pare ele pendurado num galho da árvore empinando minha bundinha durinha para ele, que ficava cada vez mais tentado a me comer ali na frente de todo mundo tal era o seu tesão pelo meu cuzinho. Baixei um pouco meu short ele viu aquilo e ficou mais dois, seu caralho ficava grosso e grande na sua calça, meu amigo ainda continuava a conversa com o funcionário. Baixei um pouco meu short, deixando ver uma parte do fio e minha bundinha que anciava por aquele caralho gostoso. Eu parecia uma puta no cio cantando o macho para ser comido. Olhava seu caralho e passava a lingua nos lábios, deixando ele mais doido e louco. Chegamos a um galpão, e meu amigo falou: "Agora voces vão conhecer a melhor parte da minha chacara, o alambique" e riu todo animado. Entramos la. Era um lugar escuro, cheio de tanques, canos, barris, uma coisa toda bagunçada. Tinha um cheiro forte de açucar e alcool no ar.

Meu amigo foi explicando pro nós como fazia a pinga, ate chegar nos barris. Deu um copo pra ele e outro para o Capataz "Essa é da branca. Essa amarela. Essa aqui é mais nova, aquela outra mais velha" e ia enchendo os copos e os dois bebendo. É claro que não demorou muito e estavam todos chapados, falando e rindo muito. O Capataz só na dele, me olhando e se exibindo. E eu sempre dando um jeito de provocar, me debruçando num tanque ou olhando dentro de um barril vazio, empinando a bundinha pra ele. Ficou mais atirado, depois de umas pingas. Acariciava a rola por cima da calça e me olhava com os olhos vermelhos, soltando faiscas de tesão. Eu tambem começei a ficar bem excitado, doidinho pra ser possuido com força, por aquele macho.

Resolvi provocar de verdade. Deixei o copo cair no chão, e ele quebrou todinho. Meu amigo olhou e falou: cuidado ai. Deram risadas, ele e o capataz. Olhe para ele, puxei meu short bem para cima, deixando metado da minha bunda a vista, ele via que eu estava com um fio dental, tweno me ajoelhado de 4 no chão, virado para ele catando os cacos do copo bem devagar. Quando terminei, ao me levantar nem me deu tempo de falar nada, vem vou mostrar onde jogamos os cacos. Pegando os cacos de vido da minha mão jogou longe. Me agarrando pelo braço com as duas mãos fortes e grandes e começou a me beijar e morder, cheirar meu pescoço esfregando seu caralho em mim. Enfiou a mão entre meu short me acariciava Me fazendo ficar de caralho duro e meu cuzinho piscando.

Falou nomeu ouvido, vou te comer todinho, falei que não queria, mas ele dizia, quer sim putinha safada, vou te comer todinho e me beijou a boca com bafo de cachaça, se esfregando em mim que nem um animal no cio. Continuava me beijando e mordendo meu pescoço e minhas orelhas, estava a merce daquele macho delicioso, meu corpo todo arrepiado. Seu calor, e seu corpo forte e musculoso coloado no meu, seu caraolho duro e quente, ele se esfregava em mim, o cheiro forte de macho que saia do seu corpo, me amoleciam e me fazia com mais vontade de sentir aquele caralho entrando no meu cuzinho que piscava feito um farol, me deixando tremulo de tesão. enfiou um dedo na boca, molhando com saliva. Novamente sua mão dentro do meu shortinho e ficou enfiando e tirando a ponta daquele dedão no meu cuzinho. Dei um gemido baixinho e começei a rebolar naquele dedão grosso "Agora ta gostando, putinha? Perai que eu vou te dar o que voce ta querendo" então ele me fez ajoelhar na frente dele e abrindo o ziper da calça, enfiou a mão e puxou sua rola enorme e as duas bolonas pra fora. Fiquei olhando aquela maravilha, de boca aberta. Seu pinto era grande, grosso, cabeçudo, com a pele escura e cheia de veias. O saco enorme, com as duas bolonas penduradas, parecia o saco de um touro.

Ele sentou em cima de um barril, agarrou minha cabeça com as duas mãos e esfregou meu rosto naquelas coisas enormes, quentes e pulsantes, com um cheiro forte de sexo. Não aguentei mais, peguei sua rola e começei a beijar e chupar o cabeção escuro e brilhante "Isso ai, putinha… chupa bem gostoso" Enfiei a chapeleta enorme na boca e fui chupando e engolindo cada vez mais fundo. Seu cacete tava tão duro que tremia a cada chupada que eu dava. Com a outra mão, eu acariciava suas bolonas duras e cheias de leite quente. Tirei sua pica latejante da minha boca. Beijei e chupei cada uma de suas bolas demoradamente, enquanto punhetava seu mastro duro. Suas bolas eram tão grandes, que quase não cabiam na minha boquinha. Ele tremia de tesão, alisando meus cabelos. Voltei a chupar sua rola punhetando bem forte, com as duas mãos. Ele agarrou minha cabeça com força e ajudava no vai e vem "Hmmm… assim mesmo. Chupa, chupa o cacete do seu macho" Fui aumentado o ritmo, punhetando e engolindo sua rola cada vez mais fundo. Até que ele estremeceu todo e começou a esporrar jatos fartos, quentes e densos dentro da minha boca.

Eu engolia tudo, sem deixar cair nenhuma gota. Cada esporrada que ele dava, eu engolia todo seu leite delicioso. Sem perder tempo ele me colocou de quatro no chão, foi por tras de mim, abaixou meu shortinho afastou o fio dental e começou a lamber e chupar meu cuzinho. Aquilo me deixou doidinho. Eu gemia e tremia de tesão, rebolando naquela lingua nervosa "Aaaai macho gostoso… Me come, fode minha bundinha vaaai!" eu implorava empinando a bundinha, me oferecendo todo. Eu tava louquinho de vontade de sentir aquela tora enorme arrombando meu cuzinho. Ele não esperou eu pedir duas vezes, passou um gel e encostou a cabeçona quente da sua rola no meu cuzinho. Começou a forçar aquela coisa enorme no meu anelzinho. Eu me arrebitava todo e forçava minha bunda pra tras, até que meu cuzinho foi alargando, abrindo e o cabeção do seu pau entrou de repente, num pulo.

Dei um gritinho de dor e prazer e abri mais as pernas. Ele me agarrou pela cintura com suas mãozonas asperas, e num vai e vem decidido foi enterrando tudo, até o talo. Sentir aquela coisona enorme, quente e grossa toda enfiada dentro de mim, pulsando forte de desejo, eu estava adorando, uma maravilha ele sabia comer um cuzinho, me chamando de putinha, viadinho gostoso, que cuzinho, o melhor que ja comi. Depois disse: Era essa rola que voce tava querendo, putinha? Então toma!" me deu um tapinha em cada lado da bunda "Siiim, me fode, arromba meu cuzinhooo" me agarrou forte pela cintura e começou a me foder gostoso. Puxava seu mastro até quase sair e enfiava de novo, até as bolonas baterem nas minhas nadegas, Aquilo tava muito gostoso "Aaaai macho , assim. Me fode, me fodeee!" ele me deu um tapão na bunda, me deixando com mais tesão ainda "Toma, putinha safada! Toma rola" e socava aquela tora cada vez mais rapido e mais forte. Eu gemia e gosava muito. Ele dava tapas na minha bundinha e bombava sem parar "Assiiiim. Não para, não paraaaa!" eu via estrelinhas de tanto tesão, ele metia muito gostoso "Toma putinha! Toma safada!" Eu tava gosando muito naquela foda deliciosa "Voce é minha putinha safada ou não é?" e socava forte, sem parar, bufando, suando no meu cangote "Sim machoo, sou a sua putinhaaa" e ele batia forte na minha bunda e enterrava fundo aquele caralhão delicioso, me fazendo delirar de tanto prazer "Aaaaiin, que deliciaaa, que macho gostoso" Ai ele apertou forte suas mãos na minha cintura, deu um grito abafado e sem parar de bombar nem por um segundo, começou a esporrar dentro de mim. Arrebitei minha bundinha o mais que eu pude e fui sentindo aquela sequencia de jatos fortes, enchendo meu cuzinho de porra. Nos vestimos e voltamos rapidamente pra onde meu amigo e o funcionário estavam conversando.

Os dois rindo, tomando pinga, entretidos na conversa nem repararam em nada. Meu amigo olhou pra mim e falou "Vamos comer um churrasco?" eu fiz que sim com a cabeça, sorrindo pra ele. Meu corpo todo ainda tremia de tesão, daquela foda maravilhosa. Na piscina estava seu filho e outros meninos de uma chacara la perto. Fui no vestiario, coloquei uma sunga e depois fiquei jogando bola com os moleques na piscina. Meu pai e o capataz ficaram na churrasqueira preparando a carne e tomando cerveja. Passamos a tarde la comendo, bebendo e brincando. A noite já cansado ele me levou para o meu quarto, dizendo "Esse é o quarto da minha filha, ontem quando chegamos esqueci de te dizer, que ias dormir aqui, e parece que você dormiu bem. agradeci, fechei a porta e passei a olhar melhor em volta adorando aquele quarto. Era um quartio feminino mesmo. Todo pintado de rosa, cheio de bichinhos de pelucia e bonecas em todo canto.Deitei na cama, mas não tava com sono. Fiquei pensando naquela foda com Captaz e a lembrança daquele homem rude me comendo num canto escuro do galpão, me deixou de pau durinho, cheio de tesão. Resolvi tomar um banho pra ver se relaxava um pouco. Fui pro banheiro, só de sunga. Meu amigo e o capataz estavam na sala, bebendo e conversando, os dois só de cueca. Ele vendo aqui e vendo, perguntou "Ta sem?" e eu "To. Vou tomar um banho" o meu amigo me olhou da cabeça aos pés sorrindo e falou "Fique a vontade, Dri. O chuveiro é muito bom" ele tava usando uma cueca branca, de um tecido bem fino, que dava pra ver sua rola grossa, e duas bolonas. Sorri e ele piscou um olho, ajeitando sua mala enorme na cueca.

Tomei um banho gostoso e bati uma punheta, mas não adiantou nada. Ainda estava cheio de tesão. Voltei pro quarto, enrolado na toalha. Meu amigo e seu capataz, entretidos na conversa, nem me viram passar. Entrando no quarto, larguei a toalha no chão, abri o armario da filha meu amigo e começei a olhar as roupas dela. A menina devia ser muito safadinha, porque só tinha coisinhas provocantes. Calcinhas minusculas e transparentes, shortinhos e mini-saias curtissimas, vestidinhos curtos e quase transparentes que deviam deixar todo seu corpo exposto, pra quem quisesse ver.

Aquelas roupinhas me deixaram com mais tesão ainda. Pois apesar de gostar de um caralho também, adoro uma bucetinha novinha e bem depiladinha. Começei a vestir algumas e ficava me olhando e fazendo poses na frente de um espelho grande que tinha no quarto. Experimentei varias fios dentais, calcinhas e outras roupas tambem. A Sua roupa não caibia direito em mim, pois eu sou adulto, ela apesar dos 20 anos era menor. tava tão excitado que meu pau até doia de tão durinho. Por fim achei uma gaveta cheia de roupinhas de dormir. Todas muito sexys. Baby-dolls, short-dolls e camisolinhas, transparentes e provocantes. Experimentei algumas e escolhi um baby-doll azul bebe, com um fio dental combinando, pra eu usar naquela noite. Fiquei me olhando, vestido com aquela roupinha linda no espelho, me arrebitando todo, rebolando, fazendo beiçinho, passando as mãos pelo corpo. Minha imagem no espelho, vestido daquele jeito, o toque suave do tecido, o elastico do fio dental apertando gostoso meu bumbum, tavam me deixando louco de tesão.

Quando finalmente resolvi me deitar, dei um gritinho e quase tive um troço. A porta estava aberta e meu amigo me olhando, com os olhos soltando faiscas de desejo. Olhei mais pra baixo e vi ele acariciando um volume enorme e duro na cueca. Não sei a quanto tempo ele tava la. Fiquei vermelho, tentei me cobrir com as mãos, não sabia o que fazer. Ele entrou e fechou a porta, e veio caminhando "Hmm, que lindinha. De baby-doll e fio dental, falou sorrindo com cara de safado, devorando meu corpo todo com os olhos. E eunão amigo, sabe que sou casado, é que…" ele veio se aproximando mais, colocou o dedo na boca e falou "Chiu. Quieitinha, nenem", deu a volta por tras de mim e me abraçou "Aaaiii, paraaaa amigo, ele me apertou mais forte e começou a esfregar sua mala quente e dura na minha bunda. Eu tava com medo e com vergonha, mas no fundo, com muito tesão tambem. O calor daquele corpo masculo me envolvendo e aquela coisona grande e quente que ele esfregava com força no meu bumbum, tavam me deixando louquinho de desejo. Ele começou a lamber, morder e beijar meu pescoço e minhas orelhas "Vou te comer todinha, minha nenem gostosinha" sussurrou com a voz rouca no meu ouvido. Aquilo me arrepio todo.

Minhas pernas ficaram bambas, meu corpo amoleceu todo e me entreguei no abraço daquele macho gostoso. Empinei a bundinha e começei a rebolar no seu caralho quente "Assim, nenem. Assim, bem boazinha" murmurou sem parar de se esfregar em mim.
Me virou de frente pra ele, me olhou com os olhos cheios de fogo e me deu um longo beijo na boca, me fazendo cocegas com seu bigodão, enquanto acariciava minha bundinha com as duas mãos. Então me fez ajoelhar na sua frente, agarrou minha cabeça e esfregou meu rosto na seu caralho. Ele estava quente, duro como ferro, quase pulando fora da cueca, com um cheiro forte de sexo. Abaixou a cueca e ela pulou enorme, balançando toda dura. Era linda. Reta, grossa, cheia de veias saltadas, com a cabeça enorme, rosada e brilhante. Logo abaixo, um sacão cheio, com duas bolonas duras e cheionas de leite.

Passei as mãos pela sua rola, sentindo seu calor e a pulsação. Acariciei suas bolas enormes, suavemente. Então segurei firme sua tora, dei um beijinho na glande, olhando pra ele com cara de putinha e começei a chupar com gula. Punhetava com uma mão e acariciava suas bolas com a outra. Ele se retorcia de prazer.
Chupei, beijei e lambi as duas bolonas com carinho e voltei a chupar sua rola com força, punhetando com as duas mãos "Uh, assim nenem. Chupa bem gostoso" segurava minha cabeça, e com a cintura fazia movimentos de vai e vem, enfiando sua tora o mais fundo que podia, me fodendo pela boquinha.
O homem devia estar no atraso, era viuvo, e por que não demorou muito, estremeceu todo, deu um grito abafado e começou a jorrar uma quantidade enorme de porra. Eu chupando e punhetando sem parar, engolia um pouco e tirava sua rola da minha boca, deixando ele esporrar no meu rosto e no meu peito. Depois enfiava de novo na boca e chupando e punhetando forte, engolia mais jatos do seu esperma.

Ele respirou um pouco, me pegou pelo braço e me colocou de quatro, ajoelhado do lado da cama. Encostei meu peito e meus braços na colcha macia da cama da sua filha, abri bem as pernas e empinei a bundinha me oferecendo pra ele.
Ele enfiou a cara na minha bunda e começou a lamber, cheirar e beijar meu cuzinho por cima do fio dental, molhando a tira toda . Puxou o fio pro lado e começou a me lamber com gula, enfiando a lingua quente cada vez mais fundo, me deixando doidinho de tesão. Eu gemia e rebolava naquela lingua nervosa "Aaaiii amor, que deliciaaa! Não para, não paraaa!" e me arrebitava mais, abrindo minha bundinha o maximo possivel. Ele chupava e enfiava a lingua bem fundo no meu cuzinho, abrindo meu bumbum com as duas mãos. Eu gemia, me contorcia e rebolava, só quem já foi chupado no cuzinho sabe o quanto é gostoso, quase chorando de tanto tesão, louquinho pra sentir sua rola grossa, me arrombando com toda força. Então ele parou, tirou o fio dental passou um creminho. Eu gemia baixinho e tremia todo de desejo. Encostou o cabeção quente da sua rola e começou a forçar a entrada. O anelzinho foi alargando, abrindo, até que a chapeleta enorme da sua vara entrou inteira, me arrepiando todo. Ai ele foi fazendo movimentos curtos com a cintura, empurrando e puxando a rola, enterrando cada vez mais fundo. Ia e voltava enfiando cada centimetro da sua tora grossa e quente, ate que eu senti as duas bolonas encostarem na minha bundinha, me deixando nas nuvens, de tanto prazer.

Ele me deu um tapão na bunda "Agora vou comer essa bundinha bem gostoso, nenem" eu dei um gemidinho e empinei mais o bumbum. Então ele segurou minha cintura com as duas mãos e começou a bombar forte. Socava aquela piroca enorme sem dó, batendo as duas bolonas no meu bumbum a cada estocada. Eu me arrebitava todo e gemia baixinho, gosando muito a cada enterrada que ele dava. Ai que delicia. Ele bombava sem parar, me apertando cada vez mais forte. Suava, deixando um cheiro forte de macho no quarto todo. Pela janela aberta dava pra ver a lua cheia. Eu delirava de tesão "Issooo, me come, me fodeeee! Ai que tesaaão!" e ele socava fundo e forte, me dando tapas no bumbum, me fazendo gosar litros.

Até que ele deu uma estremecida, um grito abafado e sem parar de bombar, foi me inundando o cuzinho de porra quente. Eu gosava junto com ele, gemendo alto que nem uma putinha. A cada jato de esperma que ele soltava dentro de mim, socando a pica bem fundo, eu gosava tambem.
Então puxou a rola toda pra fora de uma vez só, deixando meu cuzinho vazio, com um oco enorme, que dava até pra sentir a brisa da noite. Me deu um beijo na bundinha e saiu do quarto.

Fiquei ali de quatro, todo empinadinho. O peito e os braços apoiados no colchão macio. As pernas bem abertas, sentindo a porra saindo pelo meu cuzinho e escorrendo pelas coxas. Chorando baixinho de tanto prazer.

Tomei outro banho bem demorado, limpando bem meu cuzinho que tinha sido bem comido por dois machos, nunca pensei em transar com meu amigo, mas aconteceu e foi muito gostoso. Vesti o fio dental azul do baby-doll e fui pro quarto, correndo, com aquela excitação do medinho de alguem me ver só de fio dental pela casa. Me deitei e dormi um sono reconfortador e bem tranquilo, depois de ter sido a femea de dois machos deliciosos, que souberam me comer. Tinha o fim de semana pela frente e vi que ia me deliciar com eles, e ainda tinha seu filho. Rsrs
Espero que tenha gostado.

 

 

Opções de exibição de comentários

Escolha seu modo de exibição preferido e clique em "Salvar configurações" para ativar.

estou precisando de amigos

estou precisando de amigos deste naipe!

gostei e muito!

Esse seu conto foi muito bom! Adoraria te comer também!

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
17 + 3 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4