Uns dias na fazenda da minha tia

Fui passar uns dias na fazenda de uma tia, isso ocorreu há uns anos. O local era um pouco longe da cidade e na fazenda tinha uma casa grande e não muito distante algumas casas de empregados. Minha tia foi comigo e mais ninguém, de modo que fora eu e ela só restava na fazenda os empregados. Fiquei 15 dias lá de férias e as atividades eram muitas, andar a cavalo, tomar banho numa cachoeira e muitas outras. Nesse tempo, melhor dizendo nos primeiros dias notei um rapaz, filho e também empregado da fazenda que me chamou a atenção. Era feio, magro e um pouco desengonçado e com jeito rude. Ele me olhava de forma meio estranha, diferente. Passei a puxar conversa com ele e descobri que seu nome era Pedro e tinha 19 anos. Era solteiro e sempre que eu podia conversava com ele para ganhar sua confiança e assim foi. Mas eu conversava com ele sempre que possível longe de outras pessoas. Sempre que podia ia falar com ele e logo o assunto foi sexo. Não demorei a descobrir que ele era, pasme, ainda virgem! Tomei cuidado para não ridicularizá-lo e desse momento em diante o papo era só sexo. Ele estava bem entrosado comigo e eu tomava muito cuidado para não contrariar o rapaz pois era a última coisa que eu queria era perder o que havia conseguido nesses dias. Minha tia teve que se ausentar por uns dias mas deixou claro que eu deveria continuar na fazenda aproveitando minhas férias. Assim fique sozinho na casa grande pois a empregada ficava só até o começo da tarde, depois eu ficava e dormia sozinho. Tão logo minha tia se foi, procurei Pedro e disse a ele que eu tinha uma revista de mulher pelada e se ele queria ver. O rapaz logo disse que sim já fazendo menção de me acompanhar mas eu lhe falei que seria melhor à noite pois assim ninguém incomodaria e lhe falei que minha tia não estaria em casa. Fui para casa, tomei um gostoso banho e vesti uma bela calcinha preta tipo string bem sexy e coloquei um short e uma camiseta e fiquei esperando ansiosamente Pedro aparecer. Logo após anoitecer Pedro chegou. Felizmente estava de banho tomado, vestia uma bermuda e camiseta. Percebi sua curiosidade para ver a revista pornô. Levei ele até meu quarto, antes tomei o cuidado de trancar todas as portas pois seguro morreu de velho. Chegamos no meu quarto, disse a Pedro que poderia se sentar na escrivaninha e liguei a luminária. Pequei a revista e lhe entreguei dizendo que poderia ver com todo o tempo do mundo. Pedro passou então a folhear a publicação. Era uma revista dessas que tem fotos de mulheres nuas mas também muitos anúncios eróticos de todo tipo, incluindo anúncios gay. Pedro folheava a revista e minha ansiedade era grande e ele não tinha pressa. Em certo momento ele fez comentários sobre anúncios de gays e eu lhe disse que existem homens que nascem para satisfazer outros homens, que isso era normal. Perguntei se ele já havia visto uma camisinha e ele alegou que só ouviu falar mas nunca viu uma. Abri minha bolsa então e peguei uma camisinha e uma bisnaga de gel lubrificante e mostrei a ele. Pedro pegou e olhou de forma curiosa a camisinha e perguntou para que era a bisnaga. Respondi que era para lubrificação íntima, quando se faz sexo anal tem que usar a camisinha e o gel, disse que muitos rapazes deixam de ser virgens comendo outros garotos, que isso é muito normal. Pedro perguntou se eu já havia comido algum garoto e eu respondi que não, que eu gostava só de ser a mulherzinha, de dar o cuzinho, nesse momento tirei meu short e minha camiseta ficando só de calcinha. Pedro me olhou com cara de espanto e eu lhe perguntei se ele queria deixar de ser virgem me comendo. Ele respondeu balbuciando que queria sim e então pedi para ele se levantar, tirei sua camiseta e abaixei sua bermuda, ele estava sem cueca e seu pau estava duro e graças aos deuses ele não tinha fimose. Acariciei seu pau que era do tamanho certo, puxei Pedro pelos braços e levei até a cama que era mais alta, cama de roça, tirei minha calcinha, meu pau também estava duríssimo. Disse a Pedro que confiasse em mim. Coloquei a camisinha no pau dele e lambuzei de gel sem economizar. Deitei de costas na beirada da cama e passei gel no meu cuzinho que a essa altura estava piscando, enfiei dois dedos para o gel entrar e para afastar minhas pregas e então puxei Pedro de encontro ao meu cu. Falei para ele ir enfiando com calma e que depois de enfiar tudo que esperasse um pouquinho e depois começasse os movimentos de vai-evem. O pau dele estava tão duro que a penetração não foi difícil e eu o encarava e piscava o olho para ele. Senti seu pau me invadir e me prencher e ele fez exatamente como eu ensinei, logo ele começou os movimentos rítmicos. Ah que delícia!!! Pedro me comia até bem demais para quem era virgem! Eu delirava de prazer e dizia que eu era sua putinha, sua vadia safada! Meu cuzinho estava sendo premiado com tudo aquilo! Disse então a Pedro que quando ele quisesse gozar era só fazer movimentos mais rápidos. Não sei quando durou mas seguramente entre 5 e 10 minutos quando senti Pedro gozar, eu havia dito a ele para parar quando gozasse e o rapaz foi obediente. Eu estava me masturbando e gozei junto com Pedro. Ele então se afastou e tirou seu pau de dentro de mim. Como eu estava de caso pensado, tinha tomado um bom laxante horas antes e a camisinha saiu limpinha por fora. Puxei Pedro pela mão e disse para ele se sentar e não tirar a camisinha. Corri então no banheiro e voltei com um rolo de papel e então puxei delicadamente a camisinha e então limpei cuidadosamente seu pau com o papel. Enquanto isso disse a ele que não contasse nada para ninguém, que era melhor assim e que se contasse seria muito ruim para nós dois. Perguntei se ele gostou e ele disse que sim. Falei para ele que poderíamos fazer outras vezes, só dependeria dele. Pedro então se vestiu e eu o levei até a porta e ele desapareceu na escuridão. Tomei outro banho e dormi só de calcinha pensando em tudo que aconteceu e no que ainda estava por vir... Minha tia ainda demorou uns dias para voltar e nesse tempo ainda dei o meu cuzinho mais duas vezes para Pedro, sendo uma delas na cachoeira da fazenda. Depois nunca mais voltei lá. Procuro homens ativos casados ou casais onde ele seja apenas ativo e a esposa queira assistir a ele me comer bem gostoso. Sigilo é fundamental. Tenho 40 anos, moreno claro, olhos castanhos, cabelos pretos, culto, nível superior, solteiro e sem filhos, apenas passivo. Discreto e não afeminado mas na intimidade me transformo numa gata, adoro usar calcinhas, sandálias e acessórios femininos. Região de Varginha/MG. Podem escrever: Alex.silva71@yahoo.com.br

 

 

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
2 + 11 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4