Cocktail de Gala





Untitled Document

Olá, essa história aconteceu comigo quando eu tinha 18 anos. Vou me chamar aqui Teodoro, um nome fictício por razões óbvias. Eu já tinha tido minhas primeiras experiências homossexuais com 16 anos, sempre sendo passivo. Nunca quis comer ninguém, mas fazer sexo oral e anal, na posição passiva, foi a minha paixão. Eu já estava bastante resolvido nessa época e sabia que gostava de homem. Acabara de entrar na faculdade e um vizinho, que havia entrado em outro curso de outra universidade, terminou me convidando para ir à casa de praia dele com alguns amigos. Eu aceitei. Chegando lá eram 11 rapazes, comigo 12. Havia um mais fortezinho e mais exaltado. Disseram que ele treinava judô, se não me engano. Na primeira noite (iríamos passar lá duas semanas), ele ficou contando vantagem, dizendo que iria pegar umas minas, se não comia até cu de macho.

Tudo bem. Eu fiquei cansado e fui dormir. Era uma casa grande, com quatro quartos. Meu vizinho, que me convidou, terminou me acomodando numa cama de casal e dormi, sozinho no quarto. Acordei um pouco depois com o rapaz exaltado abaixando meu short e mexendo na minha bunda. Olhei para ele, e disse: - Ah, é você. Ainda estava meio sonolento. Voltei a deitar a cabeça no travesseiro e fiquei calado. Por um instante ele parou. Talvez tenha pensado que eu fosse ter uma reação negativa. Pensei que ele não ia começar de novo e disse que ele podia continuar. Ele perguntou: - Sério? Eu disse sim, que já tinha dado e que podia dar para ele. Ele perguntou mais uma vez se eu daria para ele mesmo. Eu disse: - Sim, e tirei todo meu short. Fiquei só de camisa. Ele começou a esfregar a mão no meio da minha bunda, tocando no meu cu e começou a enfiar os dedos. Eu já estava começando a sentir prazer, quando ele começou a esfregar o pênis no meu cuzinho. Eu disse: - Peraí, e me sentei na cama, me abaixei e comecei a chupar o pênis dele. Chupei, enfiando tudo até a garganta e ele ficou doido. Certamente ninguém tinha feito isso com ele. Me coloquei de lado, a posição em que estávamos antes, e empinei minha bunda em direção ao pênis dele. Ele foi tentando entrar, mas não conseguia. Então segurei o pênis dele e coloquei bem na entrada do meu cu, abrindo um pouco com os dedos. Ele conseguiu enfiar a cabeça, tentou ir mais fundo, mas não conseguia. Então, quando ele fez um movimento para trás, eu descontraí o cu e quando ele empurrou pra frente, contraí novamente e o pênis foi deslizando mais facilmente até entrar todinho. Ele me comeu todinho e gozou no meu rabo. A primeira gozada que levei no cu, aquele jato quente. Depois que ele tirou o pau, peguei minha cueca e short, vesti, fui ao banheiro urinar e voltei a dormir. Ele dormiu na mesma cama e, de vez em quando, passava a mão na minha bunda. Logo de manhã cedo acordei e fui para debaixo do lençol chupá-lo, pois havia outros dois caras no quarto, um dormindo no chão e outro numa cama de solteiro que havia lá. Chupei novamente desta vez até ele gozar, já acordado e gemendo. O pau já tava duro com a ereção matinal e ele gozou logo. Me agradeceu e foi dormir.

No outro dia já estavam todos sabendo do que tinha acontecido. Alguns caras tinham visto, pois a porta estava semiaberta e ele contou para alguns. Meu vizinho, que me convidou, veio falar comigo. Ele disse que desconfiava de mim porque tinha havido um boato no bairro que eu tinha dado para um cara lá. Mas ele não tinha certeza. Chegou a falar isso para o amigo dele, que quis tirar a prova. Ele disse que tinha me convidado porque estava interessado em me comer e perguntou se eu daria para ele. Eu disse que sim. Ele disse que havia outros também querendo. Perguntou se eu daria. Eu perguntei quantos e ele me disse "uns sete", além dele. Eu disse que daria para todos, mas tinha que ser cada um dia, no máximo dois por dia. Então eu combinei com ele de tardezinha. Ele estava na sala já no final da tarde e eu saí do banheiro, tinha tomado banho e me preparado. Lavei meu cuzinho com uma ducha e disse para ele na frente dos outros "quer vir agora?". Eu já não estava ligando, pois todos já sabiam e só via os ares de riso, alguns esperando por sua vez. Ele estava meio nervoso, mas dei uma chupada nele que o acalmou. Deitei na cama de pernas abertas e trouxe ele contra mim. Coloquei a rola dele bem na entrada do meu cu e fui ajudando-o a entrar em mim. Eu dizia "devagar" porque parecia que ele já ia gozar. Consegui que ele enfiasse tudo e ele começou a meter até gozar. Outra jorrada dentro do meu rabo. Ele já ia tirando, mas pedi para ele esperar amolecer para poder tirar. Ele tirou e ficamos conversando, depois comecei a masturbá-lo e a chupá-lo novamente. Eu disse que queria sentir o gosto da rola dele na minha bunda novamente. Quando o pau dele estava bem duro, fiquei de quatro e agora ele mesmo enfiou. Mete, meteu, meteu... até gozar. Depois conversamos de novo e eu disse para ele que poderia dizer a quem quisesse que eu podia dar para mais de madrugada.

Outros sete me comeram, só dois não quiseram. Era sempre à tardezinha e pela madrugada. Dois me comeram só uma vez, outros três duas vezes, outros três me comeram três vezes e um, o meu vizinho, me comeu cinco vezes. Às vezes abria exceção e dava a um, para logo depois vir outro. Na noite anterior, antes de ir embora, o que havia me comido primeiro propôs uma despedida e queria uma última chupada. Eu estava bebendo água e os outros começaram a dizer, "se for assim, eu também quero". Então eu me abaixei e, na frente de todo mundo, comecei a chupar o autor da proposta. Tomo mundo ficou vendo. Chupei, chupei, chupei com gosto até ele gozar na minha boca. Quando ele gozou tive a ideia de cuspir no copo. Ele, indignado, perguntou: - Não vai beber como no primeiro dia? Eu disse "vou", mas antes quero fazer uma coleta e fui chupando um por um. A cada gozada na minha boca eu depositava o conteúdo precioso no copo, misturado com minha saliva. Chupei todos, inclusive os que não haviam me comido (depois marquei com eles individualmente e dei para os dois, que ficaram interessados depois de tê-los chupado). Depois de fazer minha coleta, pedi para quem quisesse gozar mais se masturbar e gozar de novo. Não sei quantos fizeram isso, mas o copo era fino e longo, comportando 300ml. Sei que ficou mais da metade. Ao final, bebi tudinho bem devagar, na frente de todos, limpando meus lábios e saboreando. Não desperdicei nenhuma gota. Meu vizinho disse: "se não fosse eu, essa festa não tinha acontecido, mereço dar mais uma metida no teu rabo". Pedi para ser na frente de todo mundo, pois já estava gostando da ideia de ser visto fazendo sacanagem. Depois dessa história cheguei a dar para dois caras de uma só vez, mas essa é outra história que talvez eu conte para vocês. Meu e-mail é teodorw123@outlook.com Quem quiser me escrever fique à vontade, pois ando por todo Brasil e, um dia, quem sabe...


Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
3 + 0 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4