8 truques usados em cardápios que fazem você gastar mais nos restaurantes

Um cardápio de restaurante é muito mais do que apenas uma lista aleatória de pratos e preços. Ele foi estrategicamente adaptado para garantir a renda do restaurante. Aqui estão alguns truques psicológicos usados nos cardápios de restaurante para enganar seu cérebro - pode ser útil se você está empreendendo um novo negócio gastronômico:

1. Oferecem opções limitadas
A teoria psicológica conhecida como "paradoxo da escolha" diz que quanto maior o número de opções, maior a ansiedade. O certo são sete opções por categoria. Quando existem mais de sete itens, o convidado se sente oprimido e confuso, e quando eles se confundem, optam por algo que já comeram. Um cardápio bem projetado pode seduzir a fim de deixar um prato mais caro mais interessante.

O McDonald’s, por exemplo, servia apenas alguns itens e agora oferece mais de 140 opções. Coincidência ou não, a receita da rede caiu 11% no primeiro trimestre de 2015.

2. Fotos, fotos e fotos
O especialista em cardápios Gregg Rapp diz que uma imagem de boa aparência ao lado de uma opção de comida aumenta as vendas em 30%. O efeito das imagens é ainda mais poderoso quando se tratam de vídeos ou GIFs (que os fast food começaram a implementar).

Segundo especialistas, quanto mais vívida a imagem, em termos de movimento, cor e precisão da representação, mais ela vai estimular a compra. Mas, no fim, a estética precisa ser ‘clean’ - muitas imagens dão aos clientes a impressão de que a comida é barata. Por isso restaurantes mais sofisticados evitam usar fotos.

3. Manipulam (a apresentação dos) preços

Encontrar os preços em um cardápio é uma tarefa árdua, afinal eles estão cada vez mais escondidos. Uma técnica comum é a de esconder o cifrão. Ao invés de R$ 15,00, apenas o numeral 15. Outra mais antiga é a do 0,99. Um prato listado a R$ 9,95 é mais chamativo do que um a R$ 10 (alô, Habib’s).

4. Destacam os itens caros
Perspectiva é tudo quando o assunto é cardápio. Um truque simples é incluir um item extremamente caro perto do topo do menu, mesmo que ele não seja o carro-chefe da casa: isso faz com que os outros itens pareçam ter preços mais razoáveis. Por outro lado, itens mais caros sugerem que a comida é de qualidade superior. Isso faz com que os clientes se sintam satisfeitos com o que acabaram de pagar para comer.

5. Brincam com seus olhos

Assim como os supermercados colocam os itens rentáveis ​​ao nível dos olhos, os restaurantes projetam seus cardápios a fim de aproveitar o máximo sua visão. O canto superior direito é o mais disputado. "O direito superior é o local onde uma pessoa vai em uma folha de papel em branco ou em uma revista", explica Rapp. Então é lá que estarão os itens que os restaurantes estão mais interessados em vender.

6. Abusam das cores
De acordo com Aaron Allen, consultor de restaurantes, cores diferentes ajudam a criar sentimentos e comportamentos motivacionais. "O azul é uma cor muito suave, por isso é usado para criar um efeito calmante, por exemplo", diz ele.  Você já reparou o número de restaurantes que utilizam vermelho e amarelo em sua marca? Sim, a cor afeta nosso humor. O vermelho estimula o apetite, enquanto o amarelo atrai a nossa atenção. Imagine o estrago que as duas cores não fazem misturadas?

7. Usam uma linguagem fantasiosa

Você prefere comer um “pudim de chocolate” ou um “pudim de chocolate com toques aveludados de avelã”? O item pode ser o mesmo, mas a linguagem faz toda diferença e ainda faz o cliente achar que está pagando um preço justo pela quantidade de ingredientes que está consumindo em um único prato.

Adjetivos como “direto da fazenda”, “com sabor de comida do interior” e até mesmo o “gourmet” também são muito utilizados, afinal mexem com o lado emocional do consumidor - mesmo que o prato seja “normal”.

8. Fazem você se sentir nostálgico
Todos temos uma comida que nos remete à infância, e os restaurantes sabem disso. Comidas relacionadas com família ou local de origem fazem a cabeça do consumidor. É o mesmo truque da linguagem fantasiosa. Afinal, você prefere comer um “arroz e feijão” ou o “arroz e feijão da vovó”?

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
4 + 2 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4