Ônibus lotado, filho tarado

" A greve dos motoristas e cobradores de ônibus já
entrava no seu terceiro dia de duração, a cidade estava um caos; o
trânsito vivia congestionado e os poucos ônibus que circulavam, iam e
vinham completamente lotados. Era impossível transitar na cidade sem
ficar irritado com a lentidão do trânsito e eu passava a realizar
longas caminhadas para ir à escola, evitando assim o nervosismo de
enfrentar todo aquele tumulto, porém, naquele dia tive de acompanhar
minha mãe até o centro da cidade onde ela finalizaria o acerto de um
contrato para firma que trabalhava .

Meio
a contragosto aceitei, era um pedido dela que assim teria com quem
conversar durante o trajeto e a companhia de mamãe era algo que
estimulava qualquer homem . Mamãe vestiu-se com elegância para reunião,
a roupa modelava seu corpo com perfeição ; seus peitos siliconizados (
duros e arredondados ) quase saltavam da blusa, sua bunda grande e
redondinha e suas pernas grossas formavam um conjunto corporal muito
sexy para uma mulher madura de 39 anos de idade .


Confesso que fiquei excitado e minha imaginação crescia mais rápido que
minha rola . Pegamos um ônibus cheio e o único meio de viajar era em pé
aguentando o empurra - empurra . Minha mãe acomodou-se perto do ferro
da porta traseira e logo percebi os olhares gulosos dos outros
passageiros para a potranca que eu acompanhava , e então coloquei-me
atrás dela para evitar que algum engraçadinho tentasse encocha-la . O
balanço do ônibus provocava alguns contatos mais violentos da bunda de
minha mãe contra meu cassete que endurecia devido aquela intimidade .
Resolvi encostar de vez e pressionar mais forte meu pau contra aquela
bundona deliciosa e para minha surpresa a safada retribuíu e começou a
rebolar lentamente aproveitando o impacto do desejo , e assim seguimos
até o nosso destino.

Na volta porém
, a mais louca fantasia acabou se realizando . Novamente pegamos um
ônibus lotado e o lugar escolhido para nos acomodarmos foi o mesmo , só
que desta vez fui encochando mamãe com mais liberdade; coloquei as mãos
na sua cintura e ía deslizando pelas coxas , subindo por dentro de sua
saia e tocando de leve sua buceta com meus dedos , enquanto ela , em
silêncio , forçava a bunda ao encontro do meu membro . Tive uma
agradável surpresa quando notei que ela não usava calçinha por baixo da
saia , apenas a cinta-liga . Um calafrio percorreu meu corpo e passei a
iniciar uma masturbação frenética na vaca da minha mãe que estava
molhadinha . As caras e bocas que ela fazia eram excitantes , meu pau
forçava contra a polpa de sua bunda e o descontrole era evidente de
ambas as partes , foi então que levantei um pouco sua saia , pus o pau
para fora da calça e coloquei no meio das coxas dela e iniciamos um vai
e vem maluco , a esfregação era intensa , porém a penetração ali dentro
do ônibus , além de impossível era perigosa .

Mamãe
mordia os lábios , gemia baixinho e rebolava como uma vagabunda . A
tara e o desejo eram tão grandes que quase não nos davamos conta dos
outros passageiros que fatalmente presenciavam a cena , pois em alguns
momentos aceleravamos o ritmo e nos beijavamos alucinados . O ponto
final para nos estava próximo e os movimentos aumentavam e tanto eu
quanto ela estavamos a ponto de gozar . Aquilo era a mais louca
fantasia que um homem poderia realizar , o pecado não mais incomodava e
naquele instante mamãe era simplesmente minha cadelinha no cio , e
assim gozamos ao mesmo tempo numa sincronia sexual perfeita . Esporrei
sobre sua buceta e o gozo escorreu pelas suas pernas enquanto ela
soltava um gritinho abafado , como uma boa puta , satisfeita .

Descemos
do ônibus , perto de casa , nos beijamos como dois namorados e
começamos a gargalhar do que haviamos aprontado e a imaginar a cara dos
outros passageiros com tamanha depravação . Em casa ainda tentei comer
a cadela da minha mãe de verdade , mas ela recusou dizendo que o que
havíamos feito tinha sido uma loucura , um segredo que deveríamos
guardar para sempre e me deu um beijinho na face , deixando claro que
aquilo não voltaria a se repetir .

Costumo
acordar todas as noites e ir ao quarto dos meus pais , para olhar mamãe
dormindo , só de calçinha , e imaginar que estou fodendo com aquela
PUTA safada , a PUTA QUE ME PARIU