Minha cunhada e eu

Realmente essa é uma história verídica. Aconteceu comigo no ano passado, ocasião que tinha 24 anos.
Voltando um pouco no tempo, quando conheci a minha esposa, essa minha
cunhada era bem novinha, mas já demostrava que seria muito bonitinha ao
crescer.


Um ano depois, ela já chamava a atenção pelos seus dotes,
principalmente sua bunda, que era grande e redonda, e por usar shorts
bem curto e apertados. Mesmo assim eu a via com a minha cunhada mais
nova, nem dava para pensar mais que isso, pq seus peitinhos ainda nem
apontavam. Dois anos depois, quando já estava casado, ela estava
ficando mais bonitinha, já apareciam os peitinhos ainda muito pequenos,
mas o corpo era muito gostoso(ela era a aina é baixinha, com um quadril
largo, cintura fina, pernas grossas por ser um pouco gordinha, mas com
a cintura bem fininha). Eu já a achava muito gostosa, usando shorts
curtos, mini blusas, mas uma coisa eu não gostava. Ela só usava
calcinhas grandes(dava para ver pela marca que fazia nas roupas que
colocava). Ela mesmo dizia que não gostava de calçinhas pequenas. O
tempo passou e um ano depois ela já estava na fase de querer namorar e
ficar apaixonada.

O pior que nesse tempo todo, a ela e eu ficamos muito
ligados um ao outro. Acho que ela por ver em mim um irmão ou até um
pai, pois o meu sogro é meio grosso com as filhas. Eu gostava de ficar
convesando com ela, de ensinar várias coisas que me perguntava, mas não
passava disto. Ela sempre vinha em mim pra contar o que sentia, me
pedia conselhos e dizia que adorava ouvir o que eu tinha pra dizer. No
final daquele mesmo ano, ela começou a namorar com um rapaz, que tinha
quase a minha idade. Foi um custo deixar os pais dela deixar, mas como
dizia apaixonada, e nessa idade é foda. Antes de namorar com o rapaz,
ela veio até mim e me perguntou se deveria mesmo ou não. Eu disse que
sim, mas naquela época eu já a olhava com olhos diferentes, pois até
calcinhas pequenas, fio denta ela já usava(dava para ver na marca e ela
tinha uma saia branca transparente que mostrava tudo). Esse namoro
durou 1 mes e largaram. Eu fiquei feliz com isso, mas não demostrava
nada. Meus pensamentos em relação a ela ficavam cada vez mais intenso.

Ela vestindo roupas curtas que me deixavam louco de tesão. Peraí, eu
casado, estava me deixando levar por uma atração física que era sem
fundamento. Mesmo muito grudados, eu não via uma forma de acontecer
alguma coisa entre ela e eu, pois eu não tentaria nada em respeito a
minha mulher. Mesmo ela usando roupas chamativas, ainda era virgem e eu
achava que seria quase impossível eu conseguir alguma coisa com ela,
pois não queria largar da minha mulher. Porém um dia, quando ela veio
até a minha casa na hora do almoço(eu trabalhava de manhã, ficava boa
parte da tarde em casa e voltava a trabalhar a noite), quando estava
sozinho, pois a minha esposa tbm trabalhava. Ela veio triste e me
contando que tinha largado de novo se seu namorado(ficam juntos 3
semanas desta vez). Ela vestia um short azul que deixava aparecer um
pedacinho da poupa de sua bunda. Pela marca da calcinha dava para ver
que era um fio dental e uma mini blusa que mostrava seu peitinhos
gostosos. Eu estava a quase uma semana sem transar com a minha esposa e
fico meio maluco quando fico muito tempo sem trepar. Como estava meio
brigado com a minha mulher, e nem sei como tive coragem. Ela sentada no
sofá de casa e eu do lado dela a peguei na sintura e a beijei, ela
ficou meio parada no início, mas correspondeu por uns segundos, depois
me empurrou, se levantou e foi embora chorando. Na hora eu fiquei
louco, e achava que tinha feito a maio besteira da minha vida. Nem
consegui trabalhar a noite pensando que naquele dia, a casa caia e era
o fim do meu casamento. Fiquei me sentindo muito mal, com a consiência
muito pesada, pois tinha a certeza que ela contaria tudo para minha
mulher, por ser a irmã mais nova e por ter sido criada tbm por ela.


Eu estava totalmente enganado, pois ao chegar em casa, encontro tudo em
paz, mas ainda tinha a dúvida de que ela poderia falar a qualquer
momento. Os dias foram passando, mesmo a minha cunhada bem distante de
mim, percebia que ela não falaria nada. Depois de duas semanas, parecia
que tínhamos superado tudo, mesmo assim ainda não tinha tocado no
assunto do beijo com ela. Depois fiz algumas tentativas de falar algo
mais foi em vão, pois ela sempre desconversava. Isso me deixava com
esperanças de que ela tinha realmente correspondido, mas ficava com
essa dúvida.


Dois meses depois, parecia que nada tinha acontecido, ela já tinha ido
duas vezes na minha casa na hora do almoço, mas naquela dia ela estava
muito mais gostosa, mini saia azul, e um top. Eu não entendi porque ela
veio em casa, disse que estava a toa e foi me visitar. Engraçado que
novamente estava com fome de sexo, já que a minha esposa estava
menstruada(ela odéia transar quando esta assim). Eu fui chegando perto
dela, e fui aproximando minha mão de suas pernas e a coloquei em cima
de seu joelho. Ela não disse nada, sentei mais perto dela e subi a mão
até suas coxas. Tbm não disse nada. Isso foi o bastante para eu dar um
beijo naquela boca gostosa, desta vez ela me abraçou tbm e ficamos nos
beijando por alguns minutos. Minhas mãos passaram por suas pernas e
costas, mas não me ousei a fazer mais nada. Paramos de nos beijar
começamos a rir do que tinha acontecido. Ela não entedia pq estava
fazendo aquilo mas tinha gostado. Eu a agarrei de novo e ela estava
gostando. Já de pau duro, passei a mão por debaixo de sua bunda e ela
não reclamou.

Fui me empolgando já passava a beijar seu pescoço, o que
fez arrancar dela suspiros e gemidinhos. Não estava a fim de perder
tempo. Levantei seu top e mamei naqueles peitinhos duros. Nunca tinha
mamados e peitinhos tão pequenos(até alí não gostava de peitos
pequenos). Eles cabiam na minha boca. Ela até que tentou parar na hora
em que levantei seu top, mas fui mais rápido e a deixei mole ao
chupa-los com vontade. Não queria parar, pois poderia fazer ela cair na
real e lembrar que era marido de sua irmã mais velha. Ao passar a mão
na entrada da sua xoxota, percebi que estava com muito tesão tbm, por
estar bem molhadinha. Queria que ela se entregasse totalmente para mim
e por isso, fui beijando sua barriga e a deixei no sofá. Levantei sua
saia, e coloquei sua calçinha preta por lado e não pensei duas vezes,
cai de boca naquela bocetinha tbm pequeninha. Mordi, lambi, e
principalmente, chupei seu clitoris como se fosse o bico de um peito.
Ela gemia alto, e dizia que nunca sentiu nada parecido. Não queria
fazer ela gozar, pois poderia não deixar eu penetrar naqula vagina
virgem. Lambi seu himem com língua e tirei meu cacete pra fora.
Coloquei a mão dela nele. Ela pegava e apertava a cada mamada que dava
no seu grello. Depois de um bom tempo assim, me levantei e fui por cima
dela.

Ela perguntou o que eu iria fazer e disse que agora não tinha
mais com parar. Ela estava muito exitada e relaxada. e Não foi difícil
a penetração. Foi um pouco rápido, pois mesmo eu estava muito ancioso e
achava que ela poderia desistir naquele momento. Coloquei a ponta de
meu pinto na entrada da sua boceta e estoquei metade de uma vez. Ela
deu um pulo e começou a reclamar de muita dor. Eu fui fazendo
movimentos de vai de vem bem devagar. Ela chorava, mas eu estava muito
exitado, e fiquei mais ao ve-la sendo deflorada por mim. Não tive dó
dela e começei a acelarar os movimentos. Não demorou muito ela começou
a gostar dos movimentos. Cinco minutos depois eu não acreditei, ela se
recontorcia toda, me perguntava que sensação boa era aquela. Falei que
ela dava o primeiro gozo de sua vida.

Mais uns dois minutos e eu gozava
dentro de sua vagina, e gemia alto. Desmontei em cima dela que fazia
uma cara de quem estava começando a entender o que tinha acontecido.
Ela mandou eu sair de cima dela e e percebemos a sujeira em cima do
sofá. Uma marca de sangue e gozo bem no meio, mas o sofá era de coro e
foi fácil limpá-lo. Por não ter manchado a roupa dela, só sujou sua
calçinha. Ela se levantou correndo e falou que não poderíamos ter feito
aquilo. Saiu com uma cara de arrependimento. Depois eu começei a pensar
no que tinha feito, mas desta vez não estava preoculpado que ela
poderia contar para minha esposa, já que nem o beijo ela contou. Mas
minha consiência pesou, pq eu gozei dentro dela e estava sem camisinha,
e poderia engravida-la, mas os meses passaram e nada disto aconteceu.
Depois disto, ela se afastou de mim de vez. Parece que ela se sente
constrangida perto de mim, e até da minha esposa ela se afastou. Hoje
em dia, após um ano de tudo isso ter acontecido, ela está começando a
se reaproximar de mim.

A alguns dias atras ela disse que está sentindo
minha falta, pois estámos muito afastados. Eu tbm não me sinto muito
bem com essa situação, pois antes de transar com ela, achava que
pensava muito nela por sentir uma atração física por ela, mas esse
sentimento só aumentou durante esse tempo. Hoje em dia ela namora com o
mesmo rapaz, mas me parece que ela tbm deve sentir algo por mim. Estou
muito dividido, pois a minha esposa não tem culpa de nada, mas não
podemos escolher nossos sentimentos.
Setembro de 2004
Quem quiser saber mais detalhes, comentar, criticar, trocar
experiências parecidas, mande um e-mail: jnsb25@yahoo.com.br

 

Opções de exibição de comentários

Escolha seu modo de exibição preferido e clique em "Salvar configurações" para ativar.

adorei seu contooo

achei seu conto bem bacana... adoro ficar lendo esses contos...

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
1 + 10 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4