Dos amores vividos

 Ao acordar do dia,
sinto uma névoa cobrindo meus pensamentos,
sufocando meus desejos,
não querendo que eu brilhe,
e por final ilumine, as coisas boas que quero ser.

Esqueço-te um pouco a cada dia;
um pouco, nas lembranças que vivemos;
um pouco, nos cheiros que tenho dos teus gostos;
um pouco, nas esperanças que já partiram (não deram adeus, nem se despediram)

Não tive forças para segurar-te acima de tudo.
Fui fraca,
sou franca.
Não consegui.

Ao vestir de sonhos a noite,
entrego à lua meus sentimentos,
esperando o raiar de um novo dia,
sem a certeza do acordar.....

Eu....?
...ou o dia?

 

Opções de exibição de comentários

Escolha seu modo de exibição preferido e clique em "Salvar configurações" para ativar.

Amei este poema,

Amei este poema, Maite!
Você é uma excelente poetisa.

Parabens pelo seu talento. Vi você na novela e depois no Jo e adorei a sua história.

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
5 + 11 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4