Trenzinho de Minas

  • warning: Missing argument 3 for translation_form_alter(), called in /home/maite/public_html/includes/form.inc on line 365 and defined in /home/maite/public_html/modules/translation/translation.module on line 99.
  • warning: Missing argument 3 for translation_form_alter(), called in /home/maite/public_html/includes/form.inc on line 365 and defined in /home/maite/public_html/modules/translation/translation.module on line 99.
  • warning: Missing argument 2 for syslog_help() in /home/maite/public_html/modules/syslog/syslog.module on line 19.
  • warning: Missing argument 2 for translation_help() in /home/maite/public_html/modules/translation/translation.module on line 31.

Tenho um colega de trabalho, de origem árabe, com quem sempre troquei idéias sobre sexo. E em nossas conversas pude observar que ele pensava muito parecido comigo. "O que importa é gozar, não importa se com homem ou com mulher". E em nossas idas ao banheiro, admirava o tamanho de sua pica. Recebi seu telefonema onde relatava que tinha conhecido uma garota, de 21 aninhos, que tinha vontade de transar com dois homens onde tudo, mas tudo rolaria, e me propôs participar. Topei na hora.

A  era uma gata morena, 1,65m e 51kgs, linda. Fomos para o motel aonde já chegamos tirando nossas roupas. E pude apreciar o corpo lindo de A sendo bolinado pelo árabe, que neste momento mostrava a imponência de seu cacete. Duro, grande e grosso. Fiquei de pau duro na hora, e meu caralho faz bonito em qualquer ambiente. Fui para cima deles e comecei a beijar A, que era alisada e beijada em sua nuca.
Desci e pude observar sua xaninha com poucos pelos, que a esta altura já recebia o cacetão do S. Claro que não resisti e caí de boca naquela bucetinha e no caralho que lhe fudia.

Que delícia, buceta e caralho juntos, na minha boca, lambendo e sentindo. Nisso o S saiu de dentro dela e eu não resisti a enfiar meu pinto naquela bucetinha. Enfiei devagar, mas quando já estava todo dentro dela, senti meu colega em minhas costas, lambendo minha bundinha, abrindo meu rego e cuspindo em meu cu. Cuspia e enfiava o dedo, lentamente, me preparando. Logo senti seu cacete encostar em meu buraquinho. Falei para a Ana: "O S quer enfiar seu cacete no meu cu". E ela respondeu: "deixa, bobo. É uma delícia. Você vai adorar. E ele é muito carinhoso, sabe de seu calibre e enfia bem devagarzinho." Escutar aquilo atiçou mais ainda minha vontade. Relaxei e deixei entrar.

Que dor no começo. Mas logo, logo o prazer invadia minhas entranhas. Puta que Pariu. Que delícia. Uma buceta e um caralho, juntos, um para eu penetrar e o outro me penetrando. Verdadeiro trenzinho de Minas. A gozava alucinadamente e em dado momento me pediu que a enrabasse. Não titubiei e colocando-a de bruço, lubrifiquei seu rabinho com cuspe e enfiei. E mandei meu colega enfiar no meu. Ele me comeu e quando estava quase gozando, tirou sua rola de meu rabo e nos deu para chupar.
Comer o cuzinho da A e senti sua boca junto de minha. Bebi leitinho grosso e quente pela primeira vez, devidamente dividido com A. Rolou muito mais sacanagem. A  recebeu um pau na buceta e um no rabo ao mesmo tempo, dois paus na buceta.

Eu aproveitei o clima e vesti sua calcinha, pedi ao nosso macho que se deitasse de costas e, arrastando um pouco aquele paninho, sentei e rebolei gostoso naquela vara dura, enquanto A se masturbava dizendo que estava adorando ver o macho que acabara de lhe fuder o cu e a buceta rebolando igual a uma fêmea na vara de outro macho, e aproveitava para me chamar de machinho gostoso, de viadinho, de mulherzinha. Naquele exato momento era assim mesmo que eu me sentia, um viadinho safado, uma fêmea tarada, uma putona!


Por prazer5@zipmail.com.br