HIV é altamente contagioso antes de manifestar sintomas

NOVA YORK - O HIV pode ser altamente transmissível antes de uma pessoa infectada apresentar os primeiros sintomas semelhantes aos de uma gripe ou antes dos testes de HIV identificarem o vírus, o que destaca a importância da prática consistente de sexo seguro na prevenção da disseminação da Aids, disseram pesquisadores.

Eles analisaram cinco casais cuja transmissão de HIV ocorreu logo após um parceiro contrair o vírus -- cerca de uma semana antes do parceiro desenvolver os sintomas semelhantes aos de uma gripe caraterísticos da infecção recente com HIV.

"A principal coisa que é nova é que demonstramos pela primeira vez que a transmissão sexual pode acontecer imediatamente e logo após a exposição", disse Christopher D. Pilcher, da Universidade da Carolina do Norte, em Chapel Hill, em um comunicado.

Os pesquisadores suspeitavam disso, mas nunca ninguém havia documentado a questão, de acordo com Pilcher. Suas descobertas estão publicadas na edição de 10 de outubro do Journal of the American Medical Association.

O período logo após a transmissão é conhecido como infecção primária com HIV, uma época em que os níveis virais no sangue aumentam e sintomas passageiros como febre, cansaço e inchaço das glândulas podem se manifestar. Neste ponto, o sistema imunológico ainda não produziu anticorpos contra a infecção, de modo que testes-padrão que detectam os anticorpos contra o HIV não identificam a infecção.

Além disso, os pesquisadores acreditavam que durante essa janela de tempo, grandes quantidades do vírus estavam "espalhados"por todo o trato genital, tornando esse período altamente infeccioso. O novo estudo sugere que é isso o que acontece destacando, segundo Pilcher, quão vital é evitar a prática de sexo sem proteção.

"Se você pratica sexo sem proteção você não pode assumir que não está infectado ou infeccioso só porque teve um teste de anticorpos negativo para HIV. Os testes mais usados não mostram o HIV por muitas semanas."A equipe chegou à conclusão ao analisar o histórico sexual dos casais e examinar o HIV geneticamente nas amostras de sangue. Os pesquisadores suspeitavam que todas as transmissões haviam ocorrido quando um parceiro tinha uma infecção primária com HIV documentada.

Eles concluíram que cada caso de uma infecção primária documentada representa uma "oportunidade única de saúde pública"para rastrear os contatos sexuais recentes de uma pessoa e prevenir a disseminação futura do HIV.

Fonte: The Journal of the American Medical Association 2001;286:1713-

http://www.bol.com.br/noticias/saude/2001/10/19/0003.html

 

Opções de exibição de comentários

Escolha seu modo de exibição preferido e clique em "Salvar configurações" para ativar.

QUE ENGRAÇADO

MUITO ENGRAÇADO...

É TÃO INFECCIOSO, QUE, EM UM ANO DE RELAÇÕES DESPROTEGIDAS, COM DUAS MULHERES DIFERENTES, NENHUMA PEGOU NADA, O QUE PEGARIAM, AFINAL?

SE NEM OS TESTES ACHAM NADA, PORRA NENHUMA, NADA PROVADO...

MUITO INFECCIOSO E LETAL ESTE VÍRUS QUE NÃO EXISTE...

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
4 + 1 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4