Confira dicas para não errar na hora de contratar um arquiteto

A necessidade de curtir a casa e receber os amigos cresce junto com a valorização da figura do arquiteto. De acordo com o Instituto Brasileiro de Arquitetura (IAB), existem hoje 82 mil arquitetos formados no Brasil, profissional cujo objetivo maior é buscar a relação do homem com o espaço - papel essencial na melhoria da qualidade de vida. Portanto, na hora de construir, reformar ou decorar a casa vale pensar na contratação do arquiteto, que pode ser requisitado para uma simples consultoria ou até para o gerenciamento total da obra.

Nívea Mara Gonçalvez não abre mão dos serviços de um arquiteto para reformas e construções em sua pousada em Monte Verde (MG). "Antes, meu pai fazia tudo por conta própria. Quando assumi a pousada, há dois anos, prefiri ter sempre ajuda de um profissional. O resultado é melhor, mais aconchegante", diz. Ela já construiu chalés, piscina, sauna e agora é a vez um bangalô para leitura. "O projeto arquitetônico aproveitou bem a paisagem, o carro-chefe do local." Além do projeto, Nívea contrata o acompanhamento da obra, com visitas periódicas do profissional. "Tem coisas que a gente só descobre fazendo. Por exemplo, uma porta de vidro para a varanda que ficou pequena foi mudada a tempo", conta.

Já o metalúrgico Valdir Ramalho, de São Bernardo do Campo (cidade da região metropolitana de Sâo Paulo), contratou um arquiteto para o projeto da casa de praia, mas sem o serviço de acompanhamento da obra. "Me arrependi, pois o projeto foi seguido pelos pedreiros e ocorreram erros no meio do caminho. E, como eu só ia à obra nos finais de semana, não deu tempo de consertar", conta.

Como escolher
A primeira medida é escolher o profissional. Para a presidente do IAB, a arquiteta Rosana Ferrari, de Jundiaí (SP), é como procurar um médico: vale seguir indicação de amigos, pesquisar em sites e revistas especializadas e visitar mostras de decoração. Tudo isso vai mostrar o trabalho do profissional para que o cliente sinta se tem afinidade de estilos - contemporâneo, clássico, despojado. Além disso, ajuda a treinar o olhar e a aumentar o repertório de informações na hora de verbalizar os desejos ao profissional contratado. E, se não se sentir seguro com as orientações, vale procurar uma "segunda opinião".

Também é bom pedir ao profissional o seu portfólio e uma lista de clientes e referências para que se possa checar pessoalmente as informações. É importante ainda avaliar a formação, o treinamento, a experiência e as entidades das quais o profissional faz parte.

Funções
É preciso, antes de tudo, ter claras as funções do profissional. O arquiteto faz projetos de arquitetura, que vai desde a avaliação do terreno para a implantação do projeto, passando por detalhamento de interiores (paginação de piso e azulejos, luminotécnica e instalações hidráulicas e elétricas), até o gerenciamento da obra. Além disso, esse profissional pode fazer projetos de interiores, paisagismo e até a parte urbanística. "O arquiteto pode planejar desde uma cadeira até uma cidade", brinca Rosana.

Necessidades
Antes de contratá-lo, no entanto, recomenda-se verificar sua real necessidade. Você precisa somente de um projeto? Ou do projeto mais acompanhamento e gerenciamento da obra? Saiba que é possível contratar apenas serviços avulsos, como uma consultoria. Veja as etapas:

Projeto: é possível contratar o profissional apenas para criar o projeto arquitetônico, que inclui mudanças e soluções para o espaço de acordo com o que o cliente necessita. Segundo Rosana, dentro dessa fase estão previstos estudo preliminar, projeto pré-executivo, projeto executivo e detalhamento. De forma simples, significa que o projeto contém plantas e perspectivas, cálculos e projetos de estrutura e instalações elétricas e hidráulicas, além de opções de materiais para estruturas e acabamentos. O arquiteto também realiza o planejamento da obra e o cronograma (com tempo para conclusão de cada fase). Isso tudo deve ser seguido por quem vai executar a obra, que pode ser o próprio arquiteto. Ele cobra uma porcentagem do custo estimado da obra, calculado pela metragem quadrada da área a ser reformada ou construída e pela complexidade dos serviços.

Acompanhamento da obra: nessa fase, o arquiteto acompanha cada etapa para checar se tudo está sendo seguido de acordo com as especificações do seu projeto. Geralmente, o profissional visita a obra uma vez por semana e, se o piso foi colocado errado, por exemplo, é possível mudar a tempo. Para a presidente da IAB, o ideal é que o cliente contrate também o arquiteto que fez o projeto para acompanhar a obra, mesmo que esse profissional não faça o gerenciamento. "Caso contrário, o projeto deve estar muito detalhado para que a construtora entenda o execute corretamente", explica.

Gerenciamento da obra: o arquiteto faz cotações de preços em três fornecedores, compra materiais, contrata de profissionais e acompanha toda a execução dos serviços. Esse serviço também pode ser feito por outros profissionais ou até pelo próprio dono da casa.

Consultoria: se a intenção é apenas uma reforma simples, como troca de revestimentos, o arquiteto pode ser contratado para uma consultoria. Nesse caso, ele sugere opções de acabamentos, produtos e mão-de-obra, sem necessidade de plantas e detalhamento técnico. Essa situação não é comum no mercado, muitas vezes por falta de informação de que isso é possível.

Contrato e prazos
Depois de tudo resolvido, é hora de colocar no papel. E isso inclui serviços a serem prestados, preços e prazos. "è necessário que tudo fique muito claro. Inclusive para o cliente, que precisa ter em mente que os prazos também dependem dele. Por exemplo, a aprovação de um layout para dar continuidade à obra", diz Rosana.

Quanto custa
Os preços podem ser baseados em metragem quadrada, porcentuais sobre o valor da obra ou hora técnica. E essa variação está ligada à experiência e status no mercado. "Sou contra usar o preço como critério único de escolha de um arquiteto. Há profissionais experientes, de renome no mercado, que realmente podem cobrar mais. O importante é haver empatia", diz Rosana. Para facilitar, as associações de classe, como a IAB, oferecem tabelas para nortear a cobrança, mas é apenas uma referência mínima.

Reserva técnica
Procedimento comum no mercado, a reserva técnica é um desconto que os fornecedores (lojas ou prestadores de serviço) costumam oferecer ao arquiteto como um "prêmio" por indicar seu produto ou serviço. Alguns profissionais gostam de repassar metade desse desconto para o cliente, mas o importante é sempre haver clareza nesse tipo de relação.
 

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
9 + 9 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4