Minha primeira vez... Foi assim...

Nossos contos podem estar repletos de chavões, mas revelam muitas verdades reais ou imaginárias que povoam nossas mentes. Reprimidas pela cultura, mas próprias da nossa natureza humana. Contudo, “o que pode” e “o que não pode” muda conforme cada tempo. Eu que o diga, pois apesar da minha formação tradicional, da família patriarcal, cristã, doze anos de casada..., viver uma experiência como a que vou contar parecia muito mais distante do que foi. Mesmo que desde meus 17 anos a leitura de contos eróticos me leva com facilidade ao clímax, não imaginava que um dia passaria com certa naturalidade da leitura à experiência.
Quem não tem suas fantasias? Nossa imaginação as alimenta tão facilmente; saber que muitas pessoas as vivem excita ainda mais. Pensar que meu maridão me estimulava a experimentar, então!!!
Como já se passaram dez anos, posso contá-la sem receios.
Com as facilidades das tecnologias virtuais “conheci” alguns homens com os quais passei a ter provocantes conversas, principalmente por telefone, que aqueceram muitas noites e madrugadas; conversas que me desestabilizavam e com alguns deles, somente pela voz e jeito conquistador me levavam não raras vezes a molhar a calçinha e provar o prazer. Aos poucos não fui resistindo e me via cada vez mais envolvida naquela que seria minha primeira vez com outro homem depois de doze anos de casada.
Um belo dia sai da cidade onde morava para uma próxima, pois tinha combinado um encontro com Antônio, com o qual imaginava passar a noite. A viagem até lá foi recheada de imaginação fértil, como não podia ser diferente. Na realidade, ao conhecê-lo pessoalmente, não senti aquela química que pudesse provocar o que eu fantasiava e tanto ansiava; preferi aguardar para outra oportunidade. Mesmo assim me senti livre, leve e solta por estar naquela situação e até poder me dar ao luxo de dizer não. Mas a que foi pra valer foi assim...
Meu gostoso personagem foi Márcio, vou chamá-lo assim. Era casado, trabalhava com comunicação, eu o assistia frequentemente pela TV e já o achava um gato, tentação, lindo, charmoso..., daqueles homens que só da para imaginar coisas maravilhosas. Tão logo que passei a ter contato com ele, meu desejo para ir pra cama ficava cada vez mais intenso. Em nossos contatos, quando falávamos ao telefone, aquela voz soava tão bem no meu ouvido e sabendo que era só pra mim, então! Ficava cada vez mais excitada e muito provocada, tentada... Depois de algum tempo em que conversávamos com mais freqüência não agüentei mais e tinha a certeza que minha hora havia chegado. Um dia fui para Chapecó, cidade próxima de onde eu morava e na qual ele trabalhava. Combinamos que nos encontraríamos no seu apartamento do hotel, aonde também fazia parte do seu trabalho. Cheguei ao final da tarde, tomei meu banho vesti uma saia jeans e uma blusa decotada, que deixavam em evidência minhas coxas roliças e realçava meus seios que, modéstia a parte a natureza me privilegiou. Enfim, pensei, tinha que estar bem quando aquele meu sonho chegasse, pois era o que eu mais esperava e desejava naquele momento. Apesar da ansiedade que me fazia parecer que o tempo demorasse a passar estava bastante tranqüila e segura; isso me fazia sentir uma sensação maravilhosa que se espalhava por todo o meu corpo..., sentia-me lubrificada, aquecida, pronta para amar..., estava vivendo uma situação como poucas vezes havia experimentado.
Quando ele chegou foi uma sensação indescritível, afinal estava a sós com alguém que eu idealizara e fantasiara por muito tempo para um momento tão especial como esses. Aquele homem forte e bem vestido me abraçou de forma carinhosa, apertava-me contra seu corpo enquanto suas mãos percorriam o meu e nos beijávamos calorosamente. Depois de curtirmos esse momento ele foi para um banho e, por mais que fosse rápido, tinha a sensação que demorava muito, pois estava vivendo meu sonho; mas aquela situação também me deixava com mais vontade ainda, até porque eu estava totalmente à vontade, tanto que até me surpreendi comigo mesma.
Enfim ele de volta, enrolado numa toalha... Eu sentada no sofá do lado “escritório” do apartamento. Ele se aproximou e nos beijamos com tanta volúpia que eu literalmente esqueci o mundo... Estava tão entregue àquela situação que nem passou pela cabeça que poderia estar sendo filmada e só lembro que ele estava de pé em minha frente e eu de cócoras sobre o sofá chupando meu homem com muita vontade. Nem imagino quanto tempo fiquei assim, mas lembro que estava super-excitada por ter aquele homem sob meu domínio. Ele sussurrava palavras que me provocavam a cada instante, via seu olho brilhar, sentia seu suspiro intenso, ele me chamando de gostosa e dizendo que logo se cobraria e que queria me possuir...
Fomos então para a cama. O quarto estava com luz baixa, em clima bem agradável e aquele ambiente propício para o amor se intensificou. Só lembro que estava totalmente em seus braços e entregue àquele clima, envolto com muitas carícias, toques e beijos calorosos e demorados. Logo suas mãos, língua e boca começaram a explorar meu corpo e eu me sentia totalmente entregue àquele homem. Habilmente livrou-me das minhas roupas começando pela saia, depois com jeitinho também tirou minha blusa, quando lembro tenho a sensação que suas mãos ainda percorrem meu corpo... então começou a me lamber todinha. Isso me fez sair do ar e quando percebi estava sem nenhuma peça mais em meu corpo. Sua boca e língua explorando meu corpo me excitavam muito, em especial quando passavam delicadamente por meus seios, pescoço e orelhas. Naquele clima, não havia como ser diferente, eu também o acariciava com vontade e o chupava, pois a cada instante estávamos mais entregues um ao outro. Gostosamente perdi a razão e a noção do tempo..., eu queria tanto sentir aquele homem me invadindo que o puxei com vontade sobre meu corpo; nem percebi como havia colocado a camisinha e logo passei a sentir as delícias daquela sensação de invasão da minha gruta que estava totalmente lubrificada e receptiva. Eu me deliciava com aquelas estocadas gostosas e com seus sussurros e gemidos em meu ouvido. Deleitei-me com tudo e me sentia totalmente entregue a ele e àquela situação. Retribuía o prazer daquele momento acariciando com gosto meu Davi. Afinal, naquele momento desfrutava uma das mais gostosas sensações de prazer que um homem pode proporcionar a uma mulher. Digo que foi uma das melhores que havia sentido nos últimos tempos, pois estava envolta com a sensação do proibido, do inconcebível para muitos, o que a deixava ainda mais excitante e prazerosa.
Foram tantos detalhes que não da para narrá-los todos, mas a noite de amor que passei e a experiência em si, de dormir com outro homem e ser despertada com suas mãos acariciando meu corpo, depois de tanta espera, foram indescritíveis.
A experiência foi tão provocante e motivadora que minha vontade passou a ser de reviver isso de tempos em tempos. Tinha certeza que isso me faria sentir mais livre, mais leve e mais Mulher.
Depois disso nos encontramos mais quatro vezes. Eu me envolvi gostosamente com ele, tanto que fantasiava demais em levá-lo para a cama na minha casa, mas infelizmente isso não deu certo. Apesar do desejo de repetir de tempos em tempos o caso com ele, sua transferência de cidade dificultou nosso reencontro.
Foi assim... que, além de outros detalhes, eu contei para meu marido. Devo dizer que sem o estímulo e consentimento dele dificilmente teria vivido essa fantástica e indescritível experiência.
O que isso rendeu para nossa cama? Precisaria de muitas páginas ou muitos contos para dizer tudo, mas um dia escreverei outros capítulos. Digo que o resultado foi ótimo, pois ainda hoje rende muito tesão quando relembramos nossas aventuras e principalmente quando ele diz que sonha em me assistir fazendo o que fiz com Márcio. Quem sabe se for conquistada por um novo Davi não narre um novo capítulo a vocês.

Nika - Chapecó – SC – poliamores@bol.com.br

 

Opções de exibição de comentários

Escolha seu modo de exibição preferido e clique em "Salvar configurações" para ativar.

Amr, assim, eu achei muito

Amr, assim, eu achei muito romântico; Eu sou escritora e adorei seu conto descreve bem e filtra o fluxo de informações achei bem interessante

comentario

oi meu anjo amei seu conto!!!!
e quem sabi no sou o novo davi da sua vida???
beijinhos.....

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
14 + 6 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4