Esposa infiel - parte 1

Quando me casei tinha somente dezessete anos e foi com meu primeiro e único namorado,que fazia tudo para me agradar principalmente na cama onde passávamos horas nos amando com ele me lambendo todinha por horas e quando me penetrava eu já estava extasiada e mole de tanto gozar.
Gemia chorava me esperneava com ele todo dentro de mim,sou muito escandalosa quando transo.
Porem ao completar cinco anos de casamento sentia que faltava algo mais em nosso relacionamento.
Com um corpinho bem definido pernas bem torneadas,bundinha arrebitadinha seios médios e pontiagudos com os biquinhos sempre eretos devido ao constante cio,me vestia de forma sensual e provocante principalmente quando saiamos juntos para festas baladas ou passeios.
Certa noite estávamos em um barzinho com alguns amigos e como estava de mini saia justa e muito curta fiz questão de sentar bem próximo a pista de dança ao levantar constantemente abria as pernas displicentemente deixando que todos vissem minha minúscula calcinha branca e quase transparente muito molhada que estava,e já com os seios eretos de tanto desejo de ser possuída ali mesmo na frente de todos se possível fosse.
Estava na vitrine causando um freeson na galeja ,e o bobo do meu marido nem ai coma hora do Brasil.
Estava muito acessa devido aos drinks e por adorar me exibir e em certo momento tirei minha blusinha ficando somente com um top sumario que mal cobria meus seios.
Neste momento me senti a rainha da noite tendo a atenção de todos a nossa volta menos a de quem me interessava,meu marido é claro.
Quando ele soltou o copo vindo em minha direção tremi toda de desejo,porem antes que chegasse ate mim fui arrastada pelas meninas para a pista onde fomos cercadas pelos meninos para dançar descontraidamente sem nos importar com as encoxadas e passadas de mãos constantes na bunda.
Estando alheia a tudo rebolava gostoso no centro da pista quando rolou uma musica lenta e suave.neste momento as meninas voltaram para mesa e antes que pudesse fazer o mesmo fui abraçada por trás com alguém colando seu corpo ao meu fazendo me sentir o imenso volume encostado em minha bunda.
Fechando os olhos coloquei as mãos pra trás espalmando tudo aquilo enquanto suspirava fundo me entregando totalmente já com ele beijando loucamente meu pescoço em busca de minha boca.
Quando sua boca atingiu a minha resisti ao perceber que pela pegada não poderia ser meu marido e neste momento aquele rapaz negro me virou de frente sem sair de mim para beijar freneticamente minha boca enquanto suas mãos passeavam pela minhas costas descendo ate minha bunda levantando minha saia deixando me somente de calcinha no meio da galera que fizera uma roda em volta da gente para apreciar nosso shwouzinho.
Estava com o corpo em brasa tremendo da cabeça aos pés sabendo que tinha que resistir e fugir dali porem o tesão o desejo e a luxuria se apossou de mim revelando uma puta vadia e sem vergonha me entregando numa orgia total com aquele desconhecido pintudo.
Gemia descaradamente com a saia levantada o top arriado e a calcinha no joelho enquanto ele mamava freneticamente em meus seios dedilhando minha boceta com a mão praticamente toda dentro dela.
Ao me sentir totalmente entregue o rapaz tirou o pinto pra fora e antes que esboçasse qualquer reação ele afundou tudo aquilo em mim me pegando por trás com estocadas fundas e vigorantes com seu porrete tocando fundo em mim.
As lagrimas escorriam em minha face tal a intensidade do orgasmo que tivera e toda molinha fui inclinada para frente onde ele segurou em minha cintura para inundar meu útero de porra que escorria pelas pernas.
Estava entregue por isso não me importei quando alguém ocupou seu lugar assim que ele saiu de mim e uma garota loirinha assim como eu me abraçou alisando deliciosamente meus seios enquanto beijava freneticamente minha boca.
Sentia múltiplos orgasmos quando começou o empurra empurra e com isso fui jogada ao chão com o meu invasor sumindo dali rapidinho.
Quase fui pisoteada com a galera sendo empurrada pelos seguranças e antes que me machucasse um rapaz negro e muito sorridente me pegou em seus braços me encaminhando para uma sala reservada acima do palco onde se tem plena visão do ambiemnte,me colocando em cima de uma maca arrancando minhas roupas lambendo todo meu corpo dando maior atenção para meu cuzinho que piscava de tesão.
De onde estava podia ver minha turma bebendo conversando e o boi do meu marido sentado no canto da mesa se acabando na cachaça enquanto eu tinha uma língua ávida experiente e muito ágil na boceta e uma tora na boca num frenético meia nove.
Aquele porrete ia fundo em minha garganta quase me matando sufocada enquanto aquela língua acabava com toda minha resistência.
Em certo momento ele me colocou de quatro para invadir minha boceta numa única estocada comigo aos berros gozando avassaladoramente.
Ele socava socava e socava e eu gritava feito louca quando ele tirou tudo de mim tentando comer meu cu ainda virgem.
Juro que ate colaborei porem estava impossível ele me penetrar e com a chegada de mais dois de seus amigos resolvi ir embora dali prometendo voltar outro dia para completar o serviço.
Ao chegar em minha mesa meu boizinho correu em minha direção me abraçando muito beijando minha boca estranhando o gosto comigo disfarçando avisando que era porque tinha vomitado.
Demostrando muita preocupação para comigo meu marido me levou pra casa onde corri para o banheiro dando graças aos deuses por ele não ter passado a mão em mim senão ia descobrir que tava sem calcinha e depois de um bom e demorado banho gemi gostos em seu porrete com ele me comendo praticamente a noite toda.
Estranho mesmo ele ficou quando eu me posicionei de quatro na cama e pedi bem dengosa:
-benzinhoooo..come meu cuzinho.
Feito um animal ele se posicionou atrás de mim e mesmo comigo aos gritos pedindo que fosse de vagar pois estava doendo muito ele afundou sem dó e piedade todo aquele ferro em mim que me sentindo como que sendo partida ao meio gozei como nunca na vida agradecendo muito a ele por ter aberto a caminho.
Estava mortinha quase dormindo quando meu homem lambendo meus pés pernas e coxas como só ele sabe afundou sua boca em minha boceta fazendo me arfar em sua boca.
Delirei pensando em tudo o que tinha aprontado naquela noite e sentindo minha boceta arder principalmente quando ele afundo tudo aquilo deitando em seguida em cima de mim e enquanto nos beijava ternamente trocando juras de amor eterno explodimos simutâneamente em mais um gozo comigo como que mordendo seu porrete com meu canal varginal como ele adora.
Eu que já vivo num cio constante não via a hora de poder voltar naquele lugar dando quase todo dia pro maridão que fazia questão de me comer no elevador na garagem do prédio na sacada do terceiro andar onde moramos.
A pedido dele uso roupas curtas e provocantes e quase sempre sem calcinha,porem ele faz questão que seja sempre na presença dele,pois vive dizendo que não que concorrência.
A grande oportunidade surgiu quando ele em uma sexta feira ligou pedindo que encontrasse ele em frente ao seu trabalho por volta das vinte horas para uma esticadinha.
Estava no banho quando ele ligou novamente avisando que não era pra eu ir porque tinha ocorrido uma emergência em uma loja em Campinas e como a equipe dele é responsável pelo suporte técnico ele teria que viajar para lá imediatamente voltando provavelmente somente dia seguinte.
Juro que não ouvi este segundo recado,por isso vesti uma minúscula calcinha rosa e transparente e um vestidinho que mais parecia uma camisola de tão fino e transparente sem sutien salto alto e la fui eu para o “encontro com meu homem”.
A pista estava pegando fogo e assim que entrei corri para o meio da galera e quando dançava freneticamente com a galera em minha volta fui segura pelo braço e fingindo resistência sob os protestos da galera fui levada para o abate onde gemi gostoso com aquele negro todo enterrado em meu cu um alemão em minha boceta enquanto mamava gostoso no pinto de outro moreno.
Como é maravilhoso ter dois pinto dentro da gente.só de lembrar fico molhadinha.
Os três estavam insaciáveis não me dando descanço a noite toda pois semre que um saia de mim outro já me catava após a ronda pela casa.foda era quando os três me catavam de uma só vez e quando me liberaram não tinha força nem para dirigir com um deles tendo que me levar ate a esquina da rua de casa,mais para não descobrirem onde moro.
Ao entrar em casa toda molhada com porra ate nos cabelos com o vestido rasgado com os sapatos nas mãos e sem calcinha dei de cara com meu marido que assustado informou que tinha acabado de chegar querendo saber o que tinha acontecido comigo.
Chorando muito enquanto ele me abraçou me desvencilhei dele avisando que não era digna dele pois tinha acabado de ser estrupada por cinco homens e que a culpa era dele que marcou comigo e não foi.
Chorava copiosamente muito mais por culpa quando ele me abraçou pegando me em seu braços me levando para nosso quarto pedindo mil desculpas que tinha avisado para eu não ir e quando avisei que precisava tomar banho ele deitou em cima de mi beijando minha boca enquanto pedia que contasse com detalhes como tudo aconteceu.
Enquanto narrava os fatos senti minhas poucas roupas sendo rasgada de mim com ele delirando sorvendo toda porra de minha xoxota me deixando extasiada e já toda molinha de tesão
Quando ele afundou todo seu mastro em mim gemi chorei delirei com seu pinto feito pedra socando como nunca antes ate o talo em minha boceta.
E ao contar que tinha sido comida por três de uma só vez ele me forçou a ficar de quatro para com estocadas fundas rápidas e animalesca me fez derreter toda no melhor gozo anal de minha vida.
Transamos ate na hora dele ir trabalhar me deixando mortinha só conseguindo levantar por volta das treze horas.
Após um bom e demorado banho avistei em cima da cama um conjunto de mini saia ,mini blusa de lycra e uma minúscula calcinha fio dental ambos pretos um buquê de rosas vermelhas um conjunto de brincos anel e pulseira de ouro e um bilhete onde se lia:
“Amor vou chegar tarde hoje.vista estas roupinhas e saia para passear.
Beijos de quem te ama muito.”
Os:cuidado para não ser estrupada viu.
Ao me vestir era impossível esconder a bundinha e os seios e confesso que estava ate envergonhada me sentindo totalmente nua ao dirigir pelas ruas de sampa e julgando ser muito perigoso parar em algum lugar desconhecido corri para aquele salão e entre assovios e passadas de mãos na bunda fui direto para os fundos da pista entrando para a sala do pau como é chamado o local,onde tive que satisfazer cinco homens safados e sedentos de mim,porem isto contarei brevemente.
Foda mesmo foi quando cheguei em casa toda esfolada suja e fedida e tive que encarar o biozão que me comeu valendo pelos cinco.
Beijos.
Email:camilledicarli@bol.com.br

 

Opções de exibição de comentários

Escolha seu modo de exibição preferido e clique em "Salvar configurações" para ativar.

Delicia

Adorei seu conto, adoraria conversar com você, mesmo que for por msn. Sou casado e tenho varias taras.

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
5 + 13 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4