Esposa infiel - parte III

Oi queridos olha eu de novo aqui para partilhar com vocês mais este conto que me deixa molhadinha só em lembrar,porem deixa eu me apresentar fato que não o fiz nos contos passados.
Sou uma menina de vinte aninhos olhos claros tenho um porte físico bem definido mesmo porque minha carreira artística exige.Seios e bumbum médios pra grande xaninha carnuda sedenta e toda depilada sempre molhada pois vivo no cio o tempo todo sendo ninfomaníaca,tendo que trocar de calcinha de três a quatro vezes por dia de tão molhada que fico vendo sexo e possibilidade de transar em tudo,isto quando estou sozinha pois quando meu boizinho esta comigo dou jeito dele me comer onde quer que estejamos.
Minha transa mais recente foi em um estádio de futebol e foi assim.
Como toda boa palmeirense adoro ver o timão se ferrar e meu marido sendo corintiano insistiu que fossemos assistir ao jogo do timão no interior de sampa uma vez que segundo ele tinha perdido o mando de campo e não podei jogar em casa. Casa?(risos).
No momento dei varias desculpas alegando que estava muito a fim de transar e que ficássemos em casa,porem como todo corintiano me dispensou preferindo o timão.
Fiquei puta da vida e vendo ele se trocar resolvi acompanha-lo lembrando que estaria no meio de um bando de homens que se abraçam e se agarram no pretexto de comemorar o gol,calma sãopaulinos,estou falando do curintians,pedindo que esperasse corri para meu quarto e após um banho rápido vesti uma mini blusa branca sem sutien bem decotada na intenção de que quando levantasse os braços meus peitos ficassem expostos,um shortinho de lã bem cavadinho também branco,tênis boné e lá fui eu.
Meu boizinho ao me ver com a bundinha praticamente de fora me agarrou e quase me comeu ali mesmo no saguão do prédio não fosse os amigos dele que chegaram justo nesta hora.
Estávamos em oito pessoas,cinco homens e três mulheres sendo a esposa e filha de nosso vizinho e vendo que elas estavam um pouco incomodadas com minha pouca roupa disfarçadamente corri ate meu apto vestindo uma saia verde clara por cima do shorts,só não o tirei porque estava sem calcinha.
Na viagem foi aquela agitação parecia um bando de crianças indo ao parque com todos me zuando mesmo porque era a única que não torcia pro timão.
Estava muito excitada molhando visivelmente meu shorts e como estava dirigindo fingi prestar atenção na estrada não vendo a hora de chegar lá onde gozaria muito somente pelo fato de ter contato com outra pessoa mesmo que não fosse meu marido.
Por imposição minha ficamos no meio da massa como dizem com minhas amigas morrendo de medo pelas constantes encoxadas e passadas de mãos que estávamos levando.
Com muita dificuldade conseguimos nos instalar bem no meio da massa e por implicação de alguns torcedores tive que tirar a saia pelo fato dela ser verde,acho, e ao fazer isso joguei ela na cara de um neguinho que estava atrás de nos sendo o mais agitado de todos.
Fazendo isto ele agarrou a sainha levando ao nariz cheirando-a enquanto me encarava com uma cara de safado e tarado.Pensei comigo:é hoje.
O jogo corria tranqüilamente com nosso amigo tendo que explicar cada acontecimento à sua filha e esposa e eu fingindo entender tudo prestava atenção no lance e nas explicações dele.
Como sou uma eximia dançarina rebolava gostoso ao som do batuque e quando finalmente saiu o tão esperado gol,do timão infelizmente,minha amiga me abraçou comigo aproveitando para colar meu corpo tremulo e febril ao dela respirando fundo sentindo todo seu perfume que me deixava cada vez mais tesuda quando fomos surpreendidas pelo neguinho que colou atrás de mim abraçando nos duas ao mesmo tempo.
Neste momento dei um gritinho para surpresa e espanto de minha amiga ao sentir tudo aquilo cutucar minha bundinha separado apenas pelo fino tecido do shorts e sua calça de moletom.
Percebendo minha ousadia minha amiga comentou que era louca e quando minuto depois saiu outro gol,vendo o moleque indo seco em nossa direção abracei minha amiga virando rapidamente fazendo ele colar na bunda dela para sentir todo o calibre do menino e com isso aproveitei para dar um beijinho meio sem querer no canto de sua boca enquanto o moleque colado atrás dela espalmava minha bunda enfiando a mão dentro do meu shorts deixando minha bunda toda exposta.
Estava delirando quando tudo passou ele sai de nos e minha amiga exclamou:que loucura colega.Esse menino é um jegue.
Neste momento segurei em suas mãos e disse:vamos ao banheiro?
Como ela excitou um pouco puxei-a pela mãos e vendo que o moleque não tirava os olhos de nos,dei uma piscadinha pra ele e saímos dali em direção ao banheiro.
Se não tivesse com muito tesão e vontade imensa de fazer xixi teria desistido de entrar naquele xiqueiro onde aprovetei para secar a danadinha e ao sair demos de cara com o garoto e outro amigo.
Tentando esconder o molhado na frente de meu shortinho tentei passar por ele meio de lado e neste instante ele colou em mim beijando minha boca,alisando meus seios me empurrando para um bequinho onde alguns meninos queimavam um fuminho.sem largar de mim ele por ser mais baixo que eu mamava gostoso em meus peitos enquanto com grande facilidade afastou meu shorts pro lado e afundou seu imenso pinto em mim numa única estocada fazendo me arfar gemendo muito atraindo a atenção da rapaziada que não tiravam os olhos de nos.
Gemendo e gozando avassaladoramente sem tirar os olhos da galera torcendo que viessem me comer também já com o shorts no joelho e a blusinha no chão me divertia com o desespero do menino que estava com minha amiga que não permitia nada além de beijo na boca e passadas de mãos em seu corpo.
Urrei,gemi e ate chorei de tanto prazer quando aquele moleque me estocava fundo rápido e veloz gozando juntinho comigo deixando me molinha.
Estava em espasmos quando ele me deixou toda exposta sumindo dali rapidinho e quando a rapaziada correu também,me recompus rapidamente com a policia chegando em seguida enquadrando todo mundo.
Vendo minha amiga que se urinou toda segundo ela de tanto tesão e medo abracei-a passando no meio da galera avisando que estava socorrendo minha amigo que tinha passado mal.
Ninguém entendeu quando encontramos a galera com minha amiga me chamando de louca por ter transado sem camisinha e foi assim que assistimos o final do jogo com ela grudada em minhas costas comigo enfiando a mão em sua boceta disfarçadamente com ela gemendo baixinho em meus ouvidos.
Ao termino do jogo nos perdemos dos homens e no empurra, empurra colei em sua bunda alisando toda as costas pescoço e num movimento mais ousado meti a mão dentro de sua calça e calcinha afundando os dedos em sua boceta muito molhada e ao tira-los lambi deliciosamente sentindo todo seu sabor com ela segurando na cintura de sua filha a nossa frente virou o rosto beijando ardentemente minha boca para dividir comigo seu gostinho e com o alvoroço da galera nos recompomos correndo para o carro onde aguardamos uma eternidade a chegada dos bois que aproveitaram para tomar uma cervejinha.
Enquanto esperávamos no carro riamos muito uma com a outra e mesmo receosas com a presença da filha foi inevitável um amasso bem gostoso entre nos com passadas de mãos lambidas ardentes.
Estávamos no banco traseiro e vendo o interse de sua filha em nos deitei o banco que ela estava caindo em cima dela beijando sua boquinha quente havida e inexperiente enquanto mamãe massageava seus lindos seios com ela suspirando forte com minhas mãos em sua bocetinha.
Não fosse a chegada dos homens teríamos transado ali mesmo.
No caminho de volta combinamos juntar panela na casa do vizinho do décimo andar que estava sozinho com sua esposa viajando.
Tudo combinado, fui tomar um banho com meu marido me pegando no banheiro para uma rapidinha me deixando mais acessa.
Como já era tarde e todos já estava lá reunidos e sem saber o que fazer vesti um minúsculo vestido preto básico e transparente sem nada por baixo salto alto e corri para lá pedindo ajuda para a minha amiga que se prontificou em me ajudar enquanto os demais ficavam bebendo.
Ao entrarmos no elevador já estávamos atracadas com beijos ardente gemidos e passadas de mão e chegando em casa nos jogamos no tapete da sala onde nos amamos eternamente num delicioso e frenético meia nove.
Foda mesmo foi quando ela se posicionou entre minha boceta colando na dela e num requebrado sincronizado desfalecemos de tanto gozar ficando mortinha uma ao lado da outra e quando pensávamos em sair dali demos de cara com sua filhinha sentada no sofá dizendo:adorei ver vocês transando...quem vai me comer também...
Simultaneamente caímos em cima dela e enquanto eu cuidava de sua boca e seios sua mamãe dedicava todo carinho em sua boceta virgem segundo ela.
E após umas três horas de amor as duas foram tomar banho deixando me mortinha no chão da sala e quando saíram do banheiro encontraram meu marido socando fundo em meu cu com seu pinto crescendo muito mais ao vê-las saindo abraçadinhas trocando caricias.
Convidamos elas a se juntar a nos porem por resistência da filha foram embora enquanto meu boizinho enchia meu cu de porra comigo aos berros prometendo que ia dar um jeito dele comer também a filhinha de nossos amigos.
Após gozar meu boi caiu ao meu lado comigo beijando seu lindo e adorado corpo e quando abocanhei seu pinto ele cresceu muito e antes que gozasse em minha boca sentei em tudo aquilo onde gritei gemi chorei me esperneei cavalgando em tudo aquilo onde passamos quase a madrugada toda transando com ele,por ter bebido muito,desfaleceu ao encher minha xaninha de porra.
Juro que tentei dormi após um banho,porem o fogo no rabo estava demais por isso sai peladinha indo ate a cabine da portaria onde fui seguida pela filha da vizinha que sentada no balcão teve a saia levantada a calcinha arrancada indo parar no calcanhar e enquanto eu lambia sua xaninha molhada sedenta e carnuda gemi gostoso com o vigia socando fundo em minha boceta posicionado atrás de mim.
Estava maravilhoso lamber aquela bocetinha enquanto alisava seus peitinhos com o vigia socando fundo em mim que contemplava aquele rostinho de anjo fazendo biquinho por isso segurei meu orgasmo ate ela gozar comigo gozando junto enquanto mordia o porrete do vigia com os músculos da boceta fazendo ele despejar rios de porra dentro de mim sem tira os olhos da princesa que despediu com um beijo em minha boca se recusando dar pra ele e vendo seu pinto ainda duro cai de boca mamando gostoso deixando ele durinho me posicionando de quatro na mesa onde gemi muito com ele comendo meu cu deixando-me toda ardida.
Por mim ficava ali pra sempre,porem a pedido dele fui embora já com o dia amanhecendo passando por alguns condôminos que me olhavam assustados e atônitos ao me ver entrando no elevador toda despenteada com o corpo avermelhado e sua de porra totalmente pelada.
Chegando em casa vendo meu boizinho deitado no chão cai de boca em seu pinto fazendo ele encher minha boca de porra acordando em seguida e antes de sair para o trabalho me comeu gostoso deixando-me mortinha no tapete da sala comigo acordando por volta das dez da manha e após um lanchinho básico corri para o apto da vizinha vendo a filhinha sai indo para o colégio onde passamos a tarde toda transando e como sou uma menina muito má fiz ele desfilar pelo jardim do condomínio somente de calcinha e sutien sedendo ao seu pedido que por mim iria peladinha,e quando retornou cai de boca em sua boceta que quase me afogou de tanto que avia gozado no passeio apesar de afirmar estava morrendo de vergonha.
Desde deste dia meu marido e os porteiros tem sofrido em nossa mão pois agora são duas devassas e em breve seremos três.
Beijos
camilledicarli@bol.com.br

 

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
1 + 19 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4