Pesquisas e Estudos

warning: Creating default object from empty value in /home/maite/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.module on line 1390.

Onde reside o amor?

Sem qualquer misericórdia pela poesia, a ciência nos mostrou que os sentimentos (como o amor, por exemplo) e as emoções não “acontecem” no coração, mas no cérebro. Até aí, tudo bem. A questão é: em que regiões do cérebro o amor “acontece”? E o desejo sexual, por acaso é na mesma área?

Para responder estas e outras perguntas, uma equipe de cientistas dos Estados Unidos e da Suécia analisou os resultados de 20 estudos sobre o tema, nos quais pacientes tinham sua atividade cerebral examinada enquanto viam imagens eróticas ou fotografias de entes queridos.

“Vimos que amor e desejo ativam áreas do cérebro diferentes, mas relacionadas”, relata o professor de psicologia Jim Pfaus, da Universidade de Concórdia (EUA). Segundo dados da pesquisa, os dois fenômenos estimulam regiões do chamado corpo estriado.

Confusão pode ajudar no aprendizado

Professor, se os seus alunos ficarem confusos durante a aula, aproveite: isso pode ajudá-los a aprender melhor o assunto.

A conclusão é do psicólogo e cientista da computação Sidney D’Mello, da Universidade de Notre Dame (EUA). Em estudo recente, ele e sua equipe observaram que, depois de serem intencionalmente confundidas enquanto aprendiam temas difíceis, as pessoas absorveram melhor o conteúdo e puderam aplicá-lo em novos problemas.

Em uma série de experimentos, os participantes acompanhavam a discussão de dois personagens de computador (um professor e um estudante) sobre pesquisas em que cometeram erros críticos.

Para confundir os “alunos”, em determinado ponto os personagens começavam a discordar e expressar ideias contraditórias e informações falsas. Depois, os participantes tinham de dizer qual das duas opiniões eles achavam que tinha mais mérito científico e, em seguida, resolver testes sobre o tema estudado.

Bebedores de cerveja são mais propensos a fazer sexo no primeiro encontro

Não bastasse a ansiedade de convidar a pessoa para sair, você ainda precisa bancar o detetive durante o primeiro encontro para saber se, digamos, dá para engatar um relacionamento ou não. Você quer saber muitas coisas, mas há poucas perguntas que alguém pode fazer – a menos que não se incomode em parecer um psicopata ou sem-vergonha.

Pensando nisso, o criador do site de encontros OkCupid, Christian Rudder, perguntou aos seus usuários “Quais perguntas são fáceis de fazer e, ao mesmo tempo, têm relação com aquilo que é importante para o outro?”. Depois de analisar as 776 milhões (sem brincadeira) de respostas, ele chegou a algumas perguntas-chave.

Comer sobremesa no café ajuda a emagrecer

De que adianta você entrar em uma dieta se vai ficar sempre faminto? Se apenas o peso for reduzido, mas a fome continuar, é certo que uma hora ou outra a pessoa vai recuperar tudo o que perdeu. Agora, um novo estudo mostra que a solução pode ser um café da manhã rico em carboidratos, proteínas e, sim, uma sobremesa!

“O objetivo de uma dieta para perder peso deve não ser apenas a redução de peso, mas também da fome e do desejo, ajudando a prevenir a recuperação do que foi perdido”, afirma a líder do estudo, Daniela Jakubowicz.

A pesquisa foi composta por 200 pessoas obesas e não diabéticas, divididas em dois grupos, com o mesmo número de calorias em uma dieta, mas com cafés da manhã diferentes. Os homens ingeriam 1.600 calorias diárias, enquanto as mulheres ingeriam 1.400.

Mudar a cor dos pratos ajuda a perder peso

“Coma menos e você vai perder peso”, dizem. Falar é fácil! Quem luta para emagrecer sabe como pode ser duro dizer não àquela porção a mais de espaguete ao pesto ou lasanha de quatro queijos. Bom, vocês acabam de ganhar um aliado na batalha: os pratos!

Estudo recente feito pelo Laboratório de Alimentos e Marcas da Universidade de Cornell (EUA) mostrou que, quanto maior o contraste entre a cor do prato e a cor da comida, menor a tendência a se servir demais – a diferença vai de 17% a 22% no tamanho das porções.

Os pesquisadores acreditam que nós temos a tendência de encher o prato sem pensar muito a respeito e acabamos comendo mais do que o necessário. O constraste entre a comida e o prato seria um sinal de aviso e ajudaria você a pensar “opa, já está bom!”.

Pesquisa: 2 em cada 10 homens 'fogem' do exame de toque

A pesquisa pode soar alarmante, mas é realidade. De acordo com os dados divulgados pelo Hospital do Homem, maior serviço público de urologia do Estado, Centro de Referência em Saúde do Homem, unidade da Secretaria de Estado da Saúde na capital paulista, 20% dos pacientes atendidos não permitiram que o médico urologista realizasse o exame físico retal, popularmente chamado de "toque".

Já quando a análise em questão é laboratorial, via exame de sangue, o pedido é bem aceito por todos os homens. O teste de PSA (antígeno prostático específico) mede os níveis desta substância e serve como um marcador biológico no diagnóstico das doenças da próstata, como a hiperplasia benigna (aumento benigno do órgão) ou o câncer de próstata.

Homens passam 26 horas por ano aguardando parceiras no provador

Os homens realmente passam muito tempo esperando por suas parceiras em frente aos provadores de lojas: 26 horas por ano, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Lakeside Shopping Centre, do Reino Unido. E, acredite, a imagem de "machões" irritados com o fato não corresponde mais à realidade. Os dados são do site Female First.

O levantamento contou com a opinião de 2 mil homens e mulheres entre 25 e 45 anos. Constatou que 46% das pessoas do sexo masculino desfrutam secretamente a experiência e 46% admitem que, às vezes, se oferecem para fazer compras com a cara metade. É que 68% acreditam que a companhia deixará a mulher feliz e 33% afirmam que é uma maneira de passar o tempo juntos.

Paternidade ajuda homem a abandonar álcool e cigarro

Enquanto estudos anteriores mostraram que o casamento pode influenciar nos hábitos negativos do homem, como bebidas alcoólicas e fumo, um estudo constatou que a paternidade pode fazer o público masculino abandonar o estilo de vida pouco saudável. Homens que se tornam pais pela primeira vez tendem a se afastar do álcool, tabaco e do crime, de acordo com pesquisadores da Oregon State University. As informações são do Daily mail.

As conclusões foram retiradas de um estudo de 19 anos com mais de 200 meninos e homens em situação de risco, com idade entre 12 e 31 anos. Os pesquisadores analisaram como o comportamento anti-social dos entrevistados mudou ao longo do tempo.

"Esta pesquisa sugere que a paternidade pode ser uma experiência transformadora, e inibir o interesse dos homens de se engajarem em situações arriscadas", disse o pesquisador David Kerr.

Mulheres chegam ao auge do sexo aos 28

Aparentemente as mulheres amadurecem mais rápido que os homens na cama. Segundo pesquisa realizada pela loja de produtos eróticos lovehoney.co.uk e divulgada pelo Daily Mail, as mulheres chegam no melhor sexo de suas vidas aos 28 anos, enquanto os homens ainda demoram cinco anos a mais para chegar lá.

Quando o tema é quantidade, no entanto, os números são diferentes. A idade em que as mulheres transam com mais frequência é 25 e os homens 29. A pesquisa, realizada com 1281 pessoas, revelou ainda que, em média, as mulheres perdem a virgindade aos 17, um ano antes que os homens.

Cintura das mulheres aumentou 15 cm em 60 anos

A cintura das mulheres aumentou 15 cm nas últimas seis décadas, segundo uma pesquisa realizada pela companhia britânica Saga, especializada em serviços para pessoas com mais de 50 anos. Não fazer tanto trabalho doméstico pode ser o principal motivo. Os dados são do jornal Daily Mail.

O levantamento contou com dados de 8 mil pessoas do sexo feminino e masculino, que foram comparados com estatísticas de 1952. Constatou-se que, em média, a mulher de meia-idade tinha 71 cm, enquanto hoje apresenta 86 cm.

Sem os benefícios dos eletrodomésticos modernos, as donas de casa costumavam queimar 1 mil calorias por dia simplesmente deixando o lar em ordem. Atualmente, as mulheres têm estilo de vida mais sedentário, já que passam boa parte do tempo sentadas no trabalho. Fora isso, as representantes da década de 1950 comiam um pouco menos, 1818 calorias diárias, contra as 2178 atuais.

Pesquisa mostra que idade tem cheiro

Cada idade tem um odor característico. Esta é a conclusão de pesquisadores do Centro Monell, nos Estados Unidos que publicaram um estudo nesta quarta-feira (30) sobre o tema no periódico científico PLOs One.

Estudo com corredores revela que as mulheres sofrem mais com dores nas costas

Entre as mulheres que praticam o esporte 49,5% sofrem com dores nas costas. Risco de desenvolver problemas crônicos na coluna dobra após o primeiro ano de treinos regulares.

Estudo realizado pelo Spine Center, do Hospital do Coração, com corredores de rua, revelou que as mulheres são as que mais sofrem com as dores nas costas.
Realizado com 240 participantes de corridas de rua, sendo 123 mulheres e 117 homens, o estudo revelou que as dores nas costas afetam 49,5% das mulheres contra 39,3% dos homens. “A corrida é um esporte de impacto e se não praticado adequadamente pode agravar os problemas na coluna. Entre os participantes do estudo, as dores lombares estão presentes em mais de 70% dos casos, seguidas das dores cervicais, que atingem 30% dos corredores, independente do sexo”, diz o fisiatra intervencionista Dr. João Amadera.

Estudo aponta que 3,6% dos paulistas são dependentes de álcool

O estudo São Paulo Megacity, realizado com 5.037 indivíduos adultos da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), aponta que mais de 10% dos entrevistados preencheram os critérios para abuso e 3,6% receberam diagnóstico de dependência do álcool. Diferente do esperado, a taxa de abuso foi maior do que a de dependência - o que reforça a necessidade de investimento no diagnóstico precoce e consequentemente resultaria na diminuição dos exorbitantes gastos de saúde com os dependentes.

Artes marciais são a causa de 12% das lesões nos quadris

Durante os treinos, as articulações são solicitadas de tal forma que ultrapassa a sua capacidade fisiológica

Os brasileiros descobriram o MMA, abreviação de Mixed Martial Arts, um esporte que engloba todas as artes marciais e mistura modalidades de lutas em pé, como karatê e boxe, e no solo, como judô e jiu-jitsu. As artes marciais, de maneira geral, são muito praticadas em todo mundo e integram o programa dos Jogos Olímpicos. Mas, é importante destacar que tanto os atletas profissionais como os recreativos devem ter cuidado na execução dos golpes para não lesionar os quadris.

Pesquisa revela que uma competição saudável é necessária para sucesso do profissional e das corporações

Pesquisa da Page Personnel, empresa global de recrutamento, revelou que a maioria dos profissionais acredita que a competitividade no ambiente de trabalho é saudável e ajuda a obter mais sucesso. Para 90,3% dos entrevistados, ser competitivo faz bem ao profissional e às empresas. De acordo com o levantamento, realizado em março deste ano com 200 analistas, coordenadores e jovens gestores de diversos setores, de Rio, São Paulo e Campinas, uma das consequências positivas de um ambiente competitivo é o aumento da produtividade de trabalho.

Sobre o resultado, o consultor em gestão de pessoas, Eduardo Ferraz, afirma que realmente em muitas empresas existe sim bastante competição e, dependendo do perfil do profissional isso pode ser extremamente produtivo para os dois lados.

Recomendação dos amigos é a propaganda mais confiável para 92%

De acordo com a pesquisa Global Trust in Advertising 2012, realizada pela Nielsen ao redor do mundo aponta que a recomendação de amigos ainda é a forma de propaganda mais confiável para 92% dos entrevistados. O segundo lugar fica com comentários de consumidores publicados na internet, com 70%. Na América Latina, a opinião de conhecidos mantém o mesmo percentual, enquanto a força da indicação de compradores online cai para 58%.

Mulheres sofrem mais do que os homens quando o assunto é má digestão, problemas de fígado e azia

Mulheres sofrem mais má digestão, problemas de fígado e azia do que os homens, de acordo com pesquisa encomendada por Eparema, medicamento fitoterápico indicado para distúrbios do fígado. “O índice de mulheres ficou em 56%, contra 44% dos homens. Além disso, pudemos observar que em um período de trinta dias, uma em cada três pessoas sofreu com esses problemas”, explica Bruno Gallerani, gerente de marca OTC (over-the-counter) da Takeda.

Visão humana: como as cores ganharam seus nomes?

Segundo um novo estudo, a ordem em que as cores são nomeadas por todo o mundo parece ser devido à forma como nossos olhos funcionam.

A pesquisa foi feita através de simulações de computador com pessoas virtuais. As descobertas sugerem que comprimentos de onda de cores que são mais fáceis de ver ganharam nomes antes, na evolução de uma cultura.

Então, um pouco depende da física, da anatomia. Mas todo mundo vê a mesma coisa?

Essa pergunta comum na filosofia, se todos nós vemos o mundo da mesma maneira, ainda não está de todo respondida.

Uma estratégia que os cientistas usaram para investigar essa questão é estudar se as cores têm nomes diferentes em culturas diferentes. Curiosamente, pesquisas anteriores descobriram que cores familiares para uma cultura podem nem ter nome em outras, sugerindo que diferentes culturas, de fato, têm formas diferentes de compreender o mundo.

Beleza é pessoal ou universal?

A beleza está nos olhos de quem vê, certo? Graças a Deus os gostos não são os mesmos, ou todo mundo acharia uma só criatura bonita. Isso não favoreceria muito a reprodução, não?

Sim, a beleza é relativa. Porém, a experiência de ser movido pela estética parece universal. Um novo estudo neurológico oferece alguns insights sobre esse paradoxo da beleza.

Os resultados indicam que se conectar profundamente com uma obra de arte ativa a mesma parte do cérebro em todas as pessoas. No entanto, a parte do cérebro ativada pelo forte apelo estético está associada à reflexão pessoal.

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Nova York mostrou aos participantes do estudo 109 imagens de obras de arte de uma variedade de culturas, períodos históricos e estilos.

Pessoas ansiosas têm olfato melhor

Quando um animal encontra um predador, seus sentidos “disparam”. Mas e as pessoas ansiosas? Será que essa sensação é um legado evolucionário de proteção contra ameaças? Se for o caso, as pessoas ansiosas podem ter um olfato melhor, presumidamente para detectar predadores ou portadores de doenças.

Os pesquisadores testaram repetidamente a percepção de odores, incluindo alguns ruins, de 14 homens. Em alguns testes, eles estavam fazendo ressonância magnética. Os participantes tinham que simplesmente dizer se conseguiam detectar um cheiro ou não.

Eles também passaram por testes de ansiedade: a condutividade elétrica e a respiração foram calculadas, como em um detector de mentiras. Cada um também classificou sua própria ansiedade em uma escala de 0 a 100.


Conteúdo sindicalizado