Contos Eróticos

Praia

Um dia fui convidada pra ir a praia com algumas amigas, todas lésbicas!

Minha amiga aproveitou a ocasião pra levar a Telma, namorada nova, namorada essa que eu ja tinha certeza que eu nao ia gostar (esses ciumes de amiga).

Quando ela chegou tive que admitir que ela é linda, não que minha amiga nao fosse...mas ela era demais, quando fomos a praia não tinha quem não olhasse!

Só pra vocês saberem como ela é: tem +ou- 1,70, magra, seios médios, bunda média também...mas perfeita, cabelo loiro e cacheado e olho entre o verde e o castanho e o que mais gosto é o jeito que ela anda...aquele jeito "não to nem ai pra vocês, pode olhar que eu nem ligo"...

Continuando...assim que ela chegou na casa de praia e fomos apresentadas eu vi que tava errada e que eu ia gostar dela sim e esse seria o maior problema...foram 7 dias na praia e cada hora que passava eu gostava mais dela, no 2°dia ja eramos amigas de infancia...

Essa minha amiga confia muito em mim então nem notou o meu interesse na namorada dela e eu nao teria nem coragem de ficar com ela (ou teria?)...

No 4° dia todos beberam muito...minha amiga tava na piscina e eu e a Telma no sofá, foi quando ela me disse "Eu não devia estar pensando tanto em você", ai meu coração disparou e eu não sabia o que fazer, mas sabia que ela tava "me dando condição"...como eu não podia fazer o que eu queria, só disse "isso aqui esquentou, vou tomar um banho gelado" ela caiu na risada...

5° dia, me acordaram pra eu ir pra praia, todo mundo ia, mas eu tava com preguiça então disse que tava de ressaca que ia dormir mais um pouco...todas sairam e fiquei la na beliche...quando sinto alguem deitando comigo...e sem abrir os olhos, mas tendo a certeza que era ela aceitei os beijos na nuca e me virei pra beijar...quando vi que me enganei denovo...era uma garota que tava no meu pé a algum tempo...fiquei decepcionada...mas a carne é fraca e comecei a beijar...pensando na "garota proibida"...mas no fundo no fundo eu tava tentando tirar outra da cabeça, quando ouvimos um barulho na porta...e a voz linda dela gritando Sil (de Silvia)...você viu meu oculos de sol?

E eu nao queria que ela me visse com a outra entao tratei de acabar com o clima romantico...disse que ia tomar um banho pra acordar e ir pra praia que o dia tava lindo...ela nao entendeu nada, ficou brava e foi pra praia e eu realmente fui pro banho...quando vejo a Telma abrindo a porta...eu no box e ela encostou na pia e começamos a conversar como se nada estivesse acontecendo...

Eu: - Pq você nao ta na praia com as meninas?
Telma: - Fiquei com ciumes e resolvi voltar...
Eu: - O que a Carol (minha amiga) fez pra você ficar com tanto ciume?
Telma : - Quem disse que estou com ciumes dela, fiquei com ciumes de voce quando vi aquela chata voltando pra dar em cima de você!

...nisso ela foi chegando mais perto e falou que nao estava bricando quando disse que soh pensava em mim...

Eu: -Isso nao ta certo...
Telma: - Mas errado é mais gostoso...

Ai já não tive forças pra resistir...ela entrou no chuveiro comigo me prensou na parede e me beijou...um beijo que eu estava com muita vontade...foi delicioso...mas era soh o começo...as maos dela foram escorregando no meu corpo e passando em cada cantinho que desejava seu toque...sua boca foi escorragando da minha boca, beijando meu pescoço...meus seios...cada beijo, chupada e mordida me deixavam louca...quando ela se ajoelhou na minha frente acariciou minha bunda...minhas pernas e com olhar sapeca me olhou e começou a me chupar com tanta vontade, tanto desejo que nao tenho como descrever o que senti...

Ela levantou me deu um beijo e eu nao me controlei...nao pensei em nada...fui beijando e andando pra cama mais proxima...deitamos mohadas, eu por cima e ela ainda de biquini...tirei o lacinhos do biquini com a boca e dei só um "beijo" na xaninha dela que estava molhadinha (e não era de água do chuveiro), deitei meu corpo por cima dela e ficamos nos esfregando gostoso ate eu sentir que ela estava quase gozando e"cai de boca"...foi uma delicia...

Nunca conversamos sobre o assunto, a Carol não sabe e nunca mais se repetiu...mas eu e a Telma tambem evitamos ficar muito perto, eu nao confio nela e confio menos ainda em mim...

 

Caminhos descruzados

          PREPARATIVOS

   Tudo aconteceu muito rápido. Mas devo dizer que a culpa não foi só  minha.  Antes,
 uma “arte” de meu velho e bom amigo Gustavo. Depois disso passei a ter mais cuida-
do. Ou pelo menos se tenta.
   De qualquer modo  o feitiço virou contra o feiticeiro. E todos lucramos com isso.
   Não é sempre que aquela simples virtude chamada ___atitude___ pode mudar  pa-
ra melhor toda uma história de família !...
   Era que ia haver em nosso clube uma dança junina. Um baile caipira daqueles tradi-
cionais. O que havia de diferente é que, na parte propriamente da dança as garotas iri-
am vestidas de homens e os meninos deveriam aceitar um desafio : irem vestidos  de ...garotas. Seria uma bela “caipira ao contrário “...
   A localidade em que eu morava ___pequeno pedaço luminoso dos apagados subúr-
bios ___era tão calma e pacífica que lembrava uma cidade do interior.
   Eu ia fazer de quatorze para quinze anos, era bem querido ali ... e enturmado.
   Vivia bem com a mãe e a irmã___mais velha que eu ___ e o único  problema  era o
pai.O pai ___que já tivera sucesso na vida, quando mais novo___acabara  se  apagan-
do na localidade. Pra dizer a verdade, não me tratava bem. Havia um  certo desrespei-
to.  Isso acontecia, embora eu tentasse acender várias lâmpadas que   iluminassem a-
quela alma.
   Problemas eu não dava. E era até um defeito  minha  qualidade  de  caráter. Talvez aprendida com a mãe ___levava tudo a o pé da letra. Tanto às vezes exagerava  que
faria mesmo a honestidade parecer desonesta, o jejum, gula ____e a castidade... uma liberdade ...irrestrita.
   Reconhecia isto e tentava mudar ( embora fosse difícil !,,,)
   Neste setor da vida só o belo e bondoso empurrão do Vento da Providência  dá  jeito
(coisa aprendida, sabida e repassada !...)
   Era uma tarde de domingo, clara, o ar diáfano de não mais ver. Era um junho com sa-
bor de setembro ___quando se abrem as espigas... e as rosas ! E foi aí  que o Gustavo apareceu...
   Deveria ter suspeitado, que o riso dele destoava da tarde ___não era claro !
   ___Ôi !... logo me disse depois de entrar. Nossa casa era confortável e nos dirigimos
ao quarto. “Vim informar da festa caipira ___você está convidado ___  continuou.  Mas
essa ano tem uma coisa nova ... Explicou então que seria ao contrário. E aí, rindo, e de-
pois vi o por-
quê ___completou.”Eles pretendem que não se vá propriamente de “caipira “, mas  co-
mo se fosse uma festa glamourosa e solene. Olhou para o  chão e arrematou :  as  me-
ninas trajando impecáveis smokings e os meninos... bem...como se vai a estas  festas...
   ___Mas quando é ?...falei, admirado.
   ___Daqui a duas semanas___dá um bom tempo para se arrumar!...
   Bem, foi aí que começou o “erro”.
   Despedimo-nos e eu... acreditei.
   Até pensei em não ir. Mas minha irmã __sempre séria e responsável pra tudo__  ha-
via ouvido e instou comigo. Ela mesma me ajudaria nos preparos.
   E duas semanas foi pouco para os preparativos.
   Numa bela manhã um pouco chuvosa saímos para as compras.
   Andamos bastante e quase voltamos, depois de percorrer os shoppings da região.Na-
da agradava minha irmã.
   ___Quem vai se vestir ? Eu ou você ?...
   ___Está bem... mais uma chance.
   No último shoping center encontarmos um andar deslumbrante. As  vitrinas  coloridas
 com exuberantes trajes de gala. Havia desde lindas camisolas para solenes  casamen-
tos  aos mais perfumados cor de rosa e enlaçados vestidos para damas de  honra. Em  todos  os  tons : azuis, verdes, amarelos. E havia vestidos   de noite,  as  cinturas  enla-
çantes,  as fímbrias docemente bordadas.
   Enfim achamos uma vitrina que nos atraiu pela originalidade.  Desejávamos, mesmo, conhecer o vitrinista ( ou a vitrinista ).
   “Bem... entremos !...” ___disse ela __entre tantos laços lindos ___  retomou :  “Você escolhe, eu experimento . Em casa vamos testar em você ...”
   Dispenso o longo caminho até acharmos o traje ideal. Mas só pra dar uma idéia , eram roupas muito elegantes que conjugavam todo o alfabeto das boas roupas ___laços, exó-
ticas rendas, bordados que tornam a beleza que Deus deu visível e mais concreta ___tu-
do da brancura do lírio à grandeza amarelada do  ouro do  Sol... Tudo   um   só perfume  
que ganhava o ambiente e mais além. Só há uma palavra pra dizer isto : lindo!...
   Sorri ao vê-la saindo do provador, uma linda postura delicada e amorosa.
   Havíamos escolhido.
   ___Bem...um terço da missão foi cumprida, disse minha irmã ___saindo os dois da loja com um belo pacote. Agora, um das coisas mais importantes ___disse ___  indicando  a sessão de lingerie .
   Lá estacou : que tal uma linda cinta-liga combinando também com um belo soutien ? Ah ! ___ e calcinhas! ....
   Dentro da loja, escolhemos.
   A cinta-liga com tons de negro combinando com o vestido que era amarelo ___  lindos brocados de pérola à região dos seios, uma faixa com um belo laço. “Olha, vamos quebrar essas cores”, ela disse. E pegou um soutien cor-de-rosa, bojo amplo, elástico como o quê. As calcinhas vieram por último ___cheias  de  rendas, fofas  e  também  rosa em seus tremeliques.Só que nisso ela foi farta ___comprou-me mais ___”sempre se precisa”___ela disse...
   Fomos ao setor de meias e ela me sugeriu umas rosa-claro. “Fica mais festiva!”, ela me ponderou, olhando minhas pernas como se antevisse como ficaria a saia do vestido abrin-
do em contraste.
   Isso feito, saltos altos.
   Rica era de caixas e prateleiras a sapataria.
   “ O problema é equilibrar-se nesses saltos ...”
   “Mas fica bem... Experimenta !... Não tem ninguém olhando !...”
   Um tanto receoso deslizei os meus pés de pé fiquei perfeitamente equilibrado depois de duas tentativas...
   Ela olhou, olhou e olhou. “Vai ficar bem “___por fim disse... Vamos levar ...”
   A sessão de maquiagem foi a mais demorada. Havia mil e uma  riquezas  em  estojos compactos, lápis e tubo.
   “Batom Pink...delineador...sombra...modelador ciliar... ah !...rouge ___não pode faltar !___ pan- cake...pó-de-arroz...loção...”
   “Tudo pronto. Vamos...”
    “ O meu brinco eu te empresto !...”

 

            EM  CASA

   Chegamos em casa  justo para o almoço. Descansamos. (Afinal, merecíamos ...)
   “De tarde” ____ disse  minha  irmã ___”...vamos  treinar... Agora,  o  melhor   mesmo  é tirarmos um bom sono e ficarmos descansados.
   Não sabia___disse de minha parte ____ que se vestir dava tanto trabalho !... Vocês são uma heroínas !...
   “ Apenas , isso faz parte do jogo ___tornou ela com um ar sábio.
   Bem   de tardinha,  acordamos. Havia  prenúncios de  sol  como  se  as  nuvens  fossem afugentadas. A tarde se prolongava clara como se quizesse recuperar os cinzento  anterio-res do dia.
   Automaticamente minha irmã me levou para o quarto. Passou a chave ___não fôssemos perturbados em coisa tão importante. E logo estávamos em volta de todos aqueles pacotes abertos. Estendemos tudo sobre a cama para atuarmos por partes.
   ___Deixa ver...___coloque primeiro a cinta...
   Eu o fiz ( com uma certa dificuldade )
   ___Não, não vai dar certo ___falou, olhando o efeito. Vê?!...Você  está  muito  cabeludo. ..Vamos!...
   Levou-me ao banheiro. Lá, tirando todo o material que  já   tinha  fez-me sentar  e  proce-
deu a uma sessão de depilação. Total.
   ___Agora, sim . Olhe como ficou no espelho !
   Realmente, o resultado era o mais limpo. Aliás ___ o mais limpo possível.
   Passamos, então, ao soutien e às calcinhas. Ela me ajudou a colocar, tudo  fazendo um belo contrate ___ o rosa sobre o branco ___ cores calmas, bem pacíficas.
   “Ótimo ...” ___ disse ___” dá uma andadinha ...”
   Andei, meio sem jeito, ela me corrigindo.
   ___ Olha, não é questão de beleza, mas de tempo. O Tempo é um supremo desenhista. Nós, muheres, temos um outro tempo interno. Ele deve fluir com calma, mas com atitude !
   Depois de um certo tempo as pétalas já se mostravam.
   Tirou ela do embrulho o vestido. Ajeitou-o e falou : “chega aqui!... E suspendendo-o com as duas mãos : “vai cair como luvas !...”
   Entrei.
   Os laços ajeitados, fazia um contorno longo, a cintura mais estreita ___  a  saia rodada...
   ___ Falta uma coisa.
   Ela foi até seu próprio quarto e trouxe...
   “Isso vai ficar muito bom !”. Era uma meia saia, própria pra ficar por baixo, lisa e rugosa
 a um só tempo, cheia de efeitos como a alma da brancura dos pompons.
   Coloque agora os sapatos.
   Coloquei... Dei então duas meias voltas e voltei enfim à posição original...
   Ela se abriu num sorriso.E só exclamou :
   ___Nossa Senhora de Todos os Sonhos !...
   (Era uma entidade mística que ajudáramos a criar... Ela realizava todos os sonhos, mas preservando o Amor !)
    “Ficou ótimo !...”
   Demos uma pausa pra tomarmos refrigerantes. Sentei, com    certo  cuidado ___  e   nos olhamos enquanto matávamos a sede.
   ___Faltou só uma bolsa. Pra mulher, ela atua como uma memória. Vou    conseguir  uma
pra você...
   Treinamos bastante nesse dia. Realmente minha irmã estava encantada. Lá pelas   cinco da tarde paramos. E só faltam os cabelos. No dia mesmo nos  aprontamos.  Tenho   idéias
 que vão deixar sua cabeça rica de sugestões...
   E assim se passou todo esse dia.

   Dois dias antes da Festa ___minha irmã mais alvoroçada do que eu.
   Um dia ante da Festa ____ repassamos  todas  as   lições. A  elegância  requerida  para andar, a postura, a atitude.
   Dia de Festa.

   No dia da Festa, acordamos cedo, tomamos café. Ela iria me fazer o cabelo pela parte da tarde e às seis horas me levar de carro até  o  clube.  Minha  situação  com meu  pai   havia piorado. Ele estava ríspido, talvez nos culpasse pela perda de seus sonhos...
   ___Atitude,disse minha irmã. Vou lhe repassar alguns segredo...
    ___Acho que você está levando isso muito a sério,è só uma festa à fantasia...
   Ela apenas olhou e disse : “Pronto para o banho ?...”
   Foi um banho caprichado, com muito “shampoo” e condicionador.Ela me havia  repartido um segredo : deixar a água atuar como mensageira. É uma de suas funções. Ao banhar ela modela e tudo passa a ser mais fluido.É o tempo  fazendo   mais tempos.   Pronunciava   as palavras liquidamente. O tempo passa e as coisas mis importantes, elas ficam. E é só deixar água agir. Ela  tem  poder  curativo. O  que  dizer disso ? ... Afinal   era  muita  Sabedoria.  A modéstia da Filosofia que é a sabedoria, mas incorporada à vida. Acabei  o banho e  ela me preparou. Antes me passou as puras cremosidades e loções. Me perfumou.
   Os cabelos.
   Ela havia me recomendado que não os cortasse. Ela mesma faria o corte. E  o  fez. Tenho cabelos castanhos claros ( quando terminar a festa, eu corto de novo e deixo como estavam ___ ela me tranqüilizou ) cheios, com mechas. Ela  aproveitou  tudo  isso.  O   resultado  foi satisfatório: franjas e uma parte dele espigado.  Está  na  moda.  Colocou  um   aplique  não destoante, fazendo rabo de cavalo. E aprontou minha cabeça cheia de enfeites  estrelados. O cabelo faz primeiro, recomendou. Depois as roupas. Por último a maquiagem...
   Comecei, então e pela prática foi rápido. Cinco e meia e estava tudo  pronto.  A  cinta,   o soutien, as calcinhas ___ficaram estofadas e tive que ajeitar... “assim...mais naturais ...” Então as meias, linda meias rosa-claro, as prendi na extensão das ligas e, por fim, o vestido.
   Exuberante ___minha irmã disse.
   Olhei no espelho : estava.
   Sentei ao toucador.
   Ela então me colocou o pan-cake. Um pouco de rouge e passou às sobrancelhas e  aos olhos. Ajeitou meus cílios que ficaram engrossados e  consistentes de rímel,  passou  aos olhos. Fez olhos bem sólidos ___atitude,  dizia  ela ___    pálida  sombra  verde.  A   tudo arrematou com o frasco e perfume. Só algumas gotas. Acionou o borrifador, e... tudo  era
um outro ambiente.
   Ao olhar ao espelho mal pude crer.
   Era uma total transformação.
   Me fez pôr então os belos sapatos de saltos.
   Por último isso ___ fez ela ___tirando como que por mágica uma linda bolsa ___   tama-
nho médio, com uma cor contrastante.
   A bolsa ___me falou ela ___ está cheia de apetrechos que você  pode precisar.  E     era : pó-compacto, lenços de papel, uma mini-agenda com lugar para telefones, tubos de batom...
   Ultimou tudo com um par belo de brincos, como luzes brilhando, pendurado.
   O batom ela deixou para eu colocar.
   Um batom brilhante, de cor suave e rosada. Fui até o espelho e o fiz.   Toquei  os   lábios
 um no outro... e estava pronto.
   O trajeto até o clube foi rápido. Não muito mais   que    quinze    minutos. Mas  em  quinze minutos se pode decidir todo o futuro de uma vida!...
   Chegamos.
   E foi aí que tudo aconteceu.
   Bem antes de entrarmos passando pelo jardim    do  clube  cheio de    florzinhas  brancas, minha irmã me deu um sorriso cheio de admiração e me disse, comovida :
   ___Não sei por que, mas você está com cara de Myriam... E assim te chamarei !...

 

          A FESTA

   A chegada foi cheia de surpresas.
   Logo divisei o Gustavo ___que ria. Só então eu entendi.
   Toda a turma, em trajes caipiras... e eu ___todo enfeitado.
   O treinamento foi tão eficiente que eu causei espécie. Deslizava, tão bem   trajado,  que, surpreendidos, todos se afastavam pra me ver passar.
   ___Gregório ___é você ?...uma das meninas perguntou, surpresa.
   Todos quedaram, admirados. Na verdade não gostava do meu nome, apenas o aceitava. Me fora dado pelo meu pai. Minha irmã então interveio :
   ___Por hoje, só por hoje, o nome ... é Myriam!
   Sorri timidamente. Na hora da dança me chamaram. Dançamos e, solícita, as    meninas pediram que tudo finalizasse numa valsa. Dancei com uma delas. E o desfecho  foi  muito elegante !...
   As meninas foram outra fonte de surpresas.Fiquei receoso de alguma rejeição.Mas em
Todo o meu desempenho só lembrava de uma palavra : atitude. Cercaram-me,  curiosas, querendo saber muitas coisas, elogiando o   bom  gosto  do  vestido   e   da   maquiagem
impecável. Estavam, realmente, perplexas e admiradas !
   Na verdade havia razão para isso.
   A figura que u fazia era extremamente elegante. Emergia naquele vestido como um laço de flores. E era eu que colhia a admiração. As linhas da vestimenta encontravam a  sobrou-
pa folhuda como nuvem. Os cabelos brilhantes  desciam  em  cachos. Segurava  a    bolsa imitando delicadeza. E meu perfume abria um novo mundo !...
   Foi  então que vi ___ meu pai havia ido à festa. Ele  me  viu ___na atitude   que   sabia  todos   os   desastres   ( e  a  vida   é   cheia   deles ) e  seus  olhos  então  brilharam.  Foi comunicação instantânea. Atitude! E ao olhá-lo, senti algo novo : vi que tinha  ( assim  me parecia ) toda a aparência de todos os meus avôs e avós.
   A noite correu depressa   como toda a noite feliz. Amigáveis,  antes de ir,  os  amigos  e amigas me pediram que posasse para fotos. O fiz,caprichando na postura.
   Atitude ___minha resposta à  brincadeira do Gustavo . Que  não  ria mais. Parecia até mesmo mis admirado do que todos.
   Minha irmã me trouxe de volta e a Noite acabou...
   Os dias voltaram a ser iguais, voltei à minha aparência  de  todos os dias,  meu   cabelo voltou ao seu velho feitio...
   Mas havia ainda uma surpresa.
   Não sei como, meu pai passou a tratar-me com mais respeito. Voltou ao seu antigo brilho e logo arrumou uma ótima colocação. Iniciou-se  outro tempo  mais  brilhante  e feliz   para nossa família. A água, essencial, domada ___como deve ser em  nosso espectro  humano , desenhava outro tempo. Mais rico. Mais pleno. Mais feliz!...
   E mais... eu, tão subestimado, passei a ter um  tratamento   muito melhor. Tratamento só reservado___que a gente vê ___ aos príncipes... e às princesas.

SUNNY

 

Aluno eficiente

O que vou contar aqui é um fato TOTALMENTE verídico. Vou me apresentar como professor( pois é essa minha profissão e o pontapé inicial para esta história). Tenho 20 anos, moreno, 1.75m, olhos verdes e moro no interior do estado do Acre. Sou profº de língua estrangeira de duas escolas públicas.

No meu trabalho não misturo as coisas pessoais com profissionais( apesar de ter alunos que mais parecem deuses gregos) Tinha um aluno que mora próximo a minha casa, e ele é um gato, diga-se de passagem. Mais ou menos uns 1.70 alt, moreno dourado, olhos cor de mel e corpo definido. Certo dia eu estava descansando( pois iria entrar mais tarde este dia no serviço) e estava bm a vontade, pois moro sozinho, e ouço alguém chamando no portão e quando vou atender para minha surpresa era ele, o Alan(aqui vou chama-lo assim).

Ele veio com uma história de que queria umas aulas particulares não estava compreendendo o conteúdo. Perguntou primeiro se eu estava sozinho e se poderia entrar. Falei que sim( óbvio). Mas até então, apesar de ter o maior tesão por ele, eu não tinha segundas intenções. Fui no quarto pegar uns livros para ele dar uma olhada e sem perceber ele me seguiu até lá. Neste momento fiquei meio sem graça, pois nunca tinha abrido minha intimidade para um aluno. Aí ele me perguntou de supetão: - Professor, você curte relação com outro homem? Eu meio sem graça, mas já que ele tinha tocado no assunto respondi: - Curto sim, não vou ser hipócrita e mentir para você. - Então o senhor faz de tudo? -sim. -Até boquete? Respondi: - Só não sou ativo, mas curto muito que me penetrem. Nesta hora vi o garoto endoidar. Falou para mim: - Então faz um agora aqui! Tirou o pau para fora( não era grande, mas muito gostoso). Chegou a dar um pulinho na hora que saiu da cueca.

Cai de boca como se fosse a única coisa melhor do mundo que eu pudesse fazer neste momento. Ele gemia muito, falando palavrões e forçando minha cabeça contra seu pau. Aí ele me pediu para virar de costas, dei uma camisinha para ele, encapou o menino, e chupou meu cu como ninguém e como se fosse um adulto dos mais experientes. Depois disto, começou a penetrar vagarosamente, e eu sentindo aquele pau maravilhoso dentro de mim, gemia como uma putinha no cio. Até que sinto ele todinho dentro de mim, ia sussurrando no meu ouvido palavras obscenas q me levavam a loucura. Me comeu de quatro, frango assado, cavalguei muito nele até q ele anunciou q iria gozar.

Quando ele falou assim, já senti q o pau dele inchou e ele urrou feito louco... Depois disso, ao ir embora, ele disse q quando tivesse mais dúvidas me procuraria para estudar mais. A audácia dele me encantou!

Se alguém quiser aprender comigo tbm, sou passivo e posso ensinar muito bem. Meu msn é claudio.lina@hotmail.com e e-mail claudioliveira10@gmail.com

 

Minha Primeira Vez

Meu nome é Murilo tenho 1.75m peso 70 kg tenho cabelo liso preto sou branco saradinho até porque eu malho duas hrs por dia..e sempre fui hetero..(ate o inicio deste ano)
Então vamos aos fatos, sempre fui acediado por outros caras, no bate papo, msn e ate mesmo na rua. certo dia estava no bate papo de Maceio a tc com algumas garotas até que um tal felipe veio conversar comigo,

papo vai, papo vem, passamos a conversar no msn, ja que o cara era bem legal, no msn resolvemos tc com as web cams ligadas, quando vi o cara, poxa vida ele era bem bonito, ficamos teclando uns dias, ate que no dia 02 de Janeiro resolvemos nos encontrar, marcamos de nos conhecer na praia, pois segundo ele morava proximo a ela, em uma das regiões mais nobres da cidade. o que eu sabia era que ele tinha 31 anos de idade e era médico.

Meu celular tocou era ele, me dizendo que estava parado do outro lado da rua em um Honda Civic preto, enquanto atravessava a rua ja retirei minha camiseta, queria provocar o cara, pois ele disse que tinha curtido meu corpo, começamos a andar, enquanto ele dirigia notou meu nervosismo e deu uma alisada na minha perna, bastou isso pra eu ficar de pau bem duro, meu pau mede 17 cm e é bem grosso, me disse para ficar calmo, pois ele faria tudo com muito carinho, e não iria fazer nada que eu não quizesse, ja disse isso passando a mão na minha verga, e ja me olhou quando notou que meu pau estava super duro, o Felipe então colocou a mão dentro da minah cueca, e foi tirando meu pau para fora pois queria ve-lô, quando ele finalmente libertou meu memrbo disse. AH PAU GOSTOSO,DELICIA DO KRALHO! meu pau estava bem vermelhinho, por causa das punhetas que ele batia enquanto dirigia, meu corpo todo extremecia (ele ficava apertando meu pau) dai paramos em uma rua que apesar de residencial estava deserta, ele desligou o carro, ele então veio em direção a minha boca, e me beijou apesar do receio não fugi do beijo dele, o halito dele era gostoso, ficamos ali viajando um tempo naquele beijo, ele enquanto beijava, me perguntou sussurando em meus ouvidos, algum homem ja te chupou antes, eu respondi que não.

então senti seu rosto vindo em direção em pau, minha respiração estava ofegante, quando ele estava me chupando nossa, eu amei, pois nehuma garota nunca tinha feito nada nem parecido com aquilo, o que me fez gostar de sexo com outro homem, é que um cara sabe exatamente onde tocar pra dar prazer para o outro, e sexo com homem não é tão delicado como é com as mulheres, com homem é algo mais selvagem.

ainda dentro do carro deitamos o banco do passageiro, coloquei a camisinha, e ele veio pra cima de mim, e se sentou em meu pau, dai eu fui encaixando a cabeça do meu pau no cuzinho dele quando finalmente entrou, ele cavalgou feito um louco no meu pau, eu pedi para que ele cavalgasse bem gostoso e rapido, nossa eu estava com muito tesão, ele ficou cavalgando no meu colo cerca de uns 10 minutos, como estavamos parados em uma rua, ele queria que eu gozasse pois poderia chegar alguem a qualquer momento. foram com toda certeza os 10 minutos mais gostosos da minha vida. até porque a primeira vez é inexquecivel, gozei muito, foi uma gozada bem intensa, pois fazia um mes que não transava e ja tinha uns dias que não batia uma, depois disso ele me beijou novamente, o beijo teve um sabor diferente dessa vez era um sabor de vitoria de conquista, ficamos um tempo trocando caricias, ele ligou o carro e fomos embora, infelizmente eu nunca mais o vi, foi cada um para o seu lado, apesar de ele ter me dito que era solteiro, Porém na epoca eu não queria me envolver em um relacionamento sério.

Bom essa foi minha historia.

 

jsfj1990@hotmail.com

 

A grande surpresa

Após meses de espera finalmente minha banda favorita iria cantar no pais, mais porem seria um show único em uma cidade vizinha, por sorte minha irmã que havia acabado de se casar estava morando nessa cidade, telefonei para ela pedindo para dormir em sua casa, pois queria muito assistir ao show, minha irmã como sabia que eu era fã e devido a proximidade do meu aniversario quis me dar isso como presente. Deixa eu me apresentar, meu nome é Carlos na época do ocorrido tinha 18 anos de idade, sou branco, cabelo meio comprido 1,80 altura peso 70 kilos, sou o típico falso magro enfim voltemos a historia.

Então no dia combinado sai de casa, rumo a cidade dele, fui de ônibus, pois apesar de já ter 18 anos ainda não tinha tirado habilitação... cheguei em sua cidade, o marido dele foi me buscar na rodoviária, devo confessar que sempre senti o maior tesão por ele, mais enfim era marido da minha irmã eu não iria tentar nada com ele, pois eu não era louco, então chegamos a casa dela, eu estava bem cansado pois as estradas estavam bem ruins (grande novidade né) eu tomei um banho, conversamos um pouco, comemos e fui dormir, pois queria levantar cedo para ir comprar os ingressos. Já se passavam das 23:00 quando ouço alguns barulhos do quarto deles, quando acordei mesmo, deduzi que estivessem transando, pois como eu estava muito cansado eles acharam que eu dormia... fiquei ali imaginando aquele macho parrudo com corpo suado, urrando aos ouvidos dela, como eu queria ser ela, ele era um ótimo exemplar de macho, comecei a imaginar ele fudendo ela, comecei a me contorcer na cama, quando dei por mim, estava com dois dedos cravados na bunda, e meu pau estava todo babado, quando vi que o barulho acabou deduzi que ele estivesse gozado, bastou isso pra eu gozar muito... fui ao banheiro caladinho, me lavei, quando entrava no quarto meu cunhado saiu do quarto deles, quando me viu eu assustei, ele me deu um sorriso safado e entrou ao banheiro, voltei para o meu quarto mais estava exausto acabei dormindo

No outro dia, quando levantei a casa estava um silencio só deduzi então que minha irmã já tinha ido trabalhar, então fui tomar banho, enquanto tomava banho vários pensamentos me vieram a cabeça, comecei a pensar no meu cunhado, e tocar um punheta bem gostosa, quando me dei conta, já tocava uma bronha violenta e chamava o nome do um cunhado, enquanto socava minha rola gozei muito, quando desliguei o chuveiro, notei que a porta estava entre aberta, mais nem dei bola já que não tinha ninguém em casa né.

Voltei pro quarto vesti roupa e quando saio do quarto dou de cara com meu cunhado, levei um mega susto, perguntei se ele estava o tempo todo em casa ele me disse que não que havia acabado de chegar, me deu um alivio, então caminhei ate a cozinha tomar café, enquanto estava de costas na mesa, meu cunhado me pegou por trás, que só tive tempo de dar uma gemida, pois bati meu corpo na mesa, me agarrando, ele disse em meu ouvido, você estava me chamando no banheiro, né seu puto, me diz ai, era isso que você queria, você ouviu a gente ontem a noite seu safado, agora você vai ser minha putinha.
Me virei de frente pra ele e disse que não rolaria nada pois ele era marido da minha irmã, e eu respeito de mais ela, ele me fez calar a boca com um tapa no rosto, que fizeram brotar lagrimas dos meu olhos, me agarrou pelo braço e me puxou até a sala, me jogou em um sofá e se afastando de mim me mandou esperar, fiquei morrendo de medo daquele homem, mais estava muito exitado, não demorou muito ele veio em minha direção com o corpo nu, um pauzão duro de 19 cm e com uma corda nas mãos me olhando com uma cara de safado, parecia que minha cara de medo deixava ele cada vez mais exitado, sentou-se em um sofá frente ao que eu estava e me mandou ir rastejando ate ele. Dizendo-me vem minha puta, rasteja até seu macho, vou te foder até ficar sem forças, eu não mexi então ele disse que se não fosse apanharia dele e ficaria todo marcado, pois levaria uma surra, então fui rastejando humilhado ali na frente daquele homem, quando parei frente a ele, que levantei meus olhos vi aquela rola linda, aquele cheirão de macho ele me segurou pelo queixo e disse chupa minha puta mais se gemer vai ganhar castigo, comecei a chupar aquele pau com muita vontade, ate que me entusiasmei demais e soltei um gemido, meu cunhado apoiou o pé na minha barriga e me empurrou me fazendo cair sentado, então ele se levantou e veio em minha direção fiquei com muito medo não queria apanhar, ele então passou aquela corda no meu pescoço e começou a me puxar como se eu fosse um cão, fui gatinhando ate o corredor de acesso aos quartos, quando ele para eu ainda de quatro ele me disse que iria me comer ali mesmo, no corredor.

Eu ainda nem tinha me preparado psicologicamente, quando ele cuspiu na mão passou no pau e enfiou de uma vez no meu cu, minha vontade era de gritar mais sabia que se gritasse apanharia, então engoli a seco, ele se quer esperou meu corpo se acostumar com aquele membro estranho dentro de mim, e começou a me fuder, quando já estava a me fuder uns cinco minutos, não agüentei e soltei um gemido baixo de dor, pois aquele pau estava me rasgando.

Ele tirou seu pau de dentro de mim de uma só vez me agarrou pelos cabelos e me arrastou até a entrada do quarto dele e da minha irmã, me amarrou ao candeeiro do quarto, e fiquei ali em pé e com os braços pra cima, eu so conseguia chorar, já não pensava mais em nada só conseguia chorar, ele se colocou atrás de mim, abriu minha bunda e me invadiu de novo, ficou ali fudendo-me de pé mais uns 10 minutos, quando já não agüentava mais, ele tirou aquele pau de mim, e ficou a minha frente e gozou em todo meu corpo, me dando um banho de porra, gozou muito, quando terminou pedi para que me soltasse ele me disse que eu ficaria ali preso que ele queria que minha irmã visse o viadinho que o irmão dela era me deu um tapa super dolorido no rosto, saiu e me deixou ali, chorando e com lagrimas e porra e me escorrerem pelo corpo, tomou banho e foi pra sala ver TV fiquei mais ou menos duas horas preso ao candeeiro, ate que ele me soltou. Assim que fiquei livre corri para o meu quarto, quando bati a porta minha irmã abriu o portão por pouco ela não me pegou ali amarrado e humilhado.

Não posso mentir dizendo que não gostei disso, depois desse dia, ainda fiquei mais uma semana na casa deles, muitas coisas aconteceram mais isso é historia para outro conto.

jsfj1990@hotmail.com

 

No trabalho em dia de sábado

Me chamo André, tenho 25 anos, trabalho na secretaria de uma universidade da minha região. O que vou contar agora aconteceu no dia 5 de fevereiro de 2011, sábado de carnaval. Mas não tem muita relação com a folia do carnaval, e sim com o meu trabalho, que estava atrazado na época. Dia 9, quarta-feira de cinzas, teríamos algumas entrevistas para uma seleção. Eu ainda não tinha arrumado a documentações para a entrevista, e não iria para ao trabalho na segunda ou na terça-feira por nada desse mundo. Então tomei a sábia decisão de fazer isso no sábado, pois não haveria pessoas me perturbando na universidade, eu terminaria meu trabalho tranquilo e depois disso poderia curtir o carnaval à vontade. Não imaginava o quão sábia essa decisão seria.

Quando estava na universidade, um amigo meu, para o qual eu estava devendo um dinheiro por serviços prestados por ele (ele trabalha com manutenção de computadores) me ligou perguntando se eu já tinha o dinheiro para pagá-lo. Disse ao Nelson (seu nome) que já estava com o dinheiro em mãos e que se ele quisesse, estava no meu trabalho arrumando umas coisas, mas que bastava ele bater na porta que eu abriria. Ele disse que não sabia se iria, pois estava ocupado, mas que assim que desocupasse me ligaria pra saber onde me encontrar.

O Nelson sabe da minha orientação sexual. Como fizemos faculdade juntos, sempre conversávamos e às vezes eu tirava brincadeiras meio "sexuais" com ele. Ele sempre levava numa boa. Até então eu pensava que ele fosse hétero, ele namorava uma moça, a Carla, desde antes de começarmos a estudar juntos, acho que faz uns 6 ou 7 anos que eles namoram.
Nesse dia, depois da ligação dele, eu mandei uma SMS para o celular dele dizendo que "se ele viesse logo, aproveiraríamos que não tinha ninguém e eu faria um ball cat nele". Enviei a mensagem, sem a mínima intenção de que rolasse algo, pensei que ele fosse levar na brincadeira como sempre. Logo meu celular toca, era um SMS dele dizendo "se tu estiver a fim e tiver com coragem..." Meu coração acelerou, mas ainda assim eu pensei que fosse sacanagem dele. Mas respondi "coragem eu tenho, só que tem que ser logo, antes que eu vá pra casa". E a resposta dele me deixou mais intrigado ainda: "em 10 minutos estou aí".

Eu estava muito concentrado no meu trabalho e até esqueci dele. Meia hora depois, alguém bate a porta. Fui atender e era ele. Meu coração ficou disparado, quase saindo pela boca. Mas eu pensei que, de repente, ele só poderia ter ido pegar o pagamento dele. Ele entrou, nos cumprimentamos e eu perguntei se o que ele havia falado na msg era sério. Ele me disse que sim!!! Pasmei.

Disse a ele que se era sério, poderíamos começar logo. Fiquei morrendo de medo, pois minha sala tem janelas de vidro transparente, mas nesse dia só havia dois serventes e dois guardas, que ficavam na parte da frente. Minha sala fica bem no final, então, mesmo com medo, deixei rolar. Ele abriu a calça e dela saltou uma pica, ainda meia bomba. Ele disse que, como não era muito usual pra ele transar com homens, ele não estava muito excitado. Eu disse que não tinha problemas, que daria um jeito nisso rapidinho. Caí de boca naquela pica gostosa, que começou a crescer na minha boca, se tranformando num cacete de 19 cm, com a cabeça fina que ia engrossando até a base ficar super grossa. Chupei bastante e percebi que ele estava alisando a minha costa, tentando alcançar meu cuzinho com o dedo. Perguntei se ele queria me comer e obtive uma resposta afirmativa. Ele então colocou a camisinha, tirou o resto da roupa, enquanto eu tirava a minha e posicionou aquela pica na entradinha do meu cu, começando a forçar. A cabeça entrou fácil, mas a medida que a pica dele engrossava ela ficava mais difícil de entrar, mas entrou todinha. Ele começou a bombar meu cuzinho, a dor foi substituída pelo prazer de ter aquela pica toda no meu cu. Ele me comeu de quatro, até gozar.

Depois disso nos limpamos. Peguei minha carteira e paguei o que lhe devia. E ficamos certos de que, no dia que tivesse outra oportunidade, repetiríamos a dose.

 

Rapidinha

Depois que T. e eu começamos a nos conhecer, somos fogo e tesão, e tudo anda causando fantasias...

Não nego fogo, e ultimamente anda um friozinho gostoso, bom para ver um filme debaixo das cobertas agarradinhas. Somos um casal perfeito quando eu quero, ela quer, quando não quero ela me faz querer, e as transas sempre quentes e ariscadas.
Certa vez vendo um filme na sala, nos abraçamos pois adoro ela pertinho. O calor do corpo dela foi suficiente para me deixar louca para dar uma rapidinha ali mesmo. T. percebe que minha voz mudou, e aproveita para ficar de ladinho, com uma saia e empinando seu bumbum para senti-los.Não me faço de rogada ja mostro que vou come-la, devora-la.Me ajeito por tras dela, começo a passar minhas mãos em suas coxas, alisar teus cabelos, procurar seu sexo fazendo pressão com meus dedos sobre sua calcinha. Sinto ela dar reboladas, dando gemidos baixo em meu ouvido, pedindo para fazer carinho na bucetinha por dentro da calcinha, ela pede e pega minha mão indica o seu buraquinho, e logo soco meus dedos com vontade, rancando dela um gritinho de dor misturado com prazer.

T. pega minha outra mão e começa a chupar meus dedos, tenho uma cachorra que adora dar e chupar ao mesmo tempo, e eu adoro fude-la gostoso, girar meus dedos na sua bucetinha, faze-la dar o cuzinho para mim.
Sou viciada em sexo, porém viciada no sexo da minha namorada que a essa altura ja me implora para faze-la gozar. Sou uma menina legal, e sei que comendo seu cuzinho rapido, socando, mandando ela gozar na minha boca, ela logo, logo me dará seu mel para me deliciar.

T. goza e me faz gozar na sua boca, boca que adoro gozar, dar o que tenho de melhor, e mais puro para ela chupar e querer
sempre mais !

Brincando de revistar . . .

Descobri uma mulher que me enlouquece sexualmente falando, sinto-me plenamente quando estamos realizando fantasias ...
Como sou bem masculina vou me vestir de policial para ' revista-la', sou lei e ela inflatora e vai ter que pagar por seus delitos.
Vejo T. saindo do trabalho, e que vestidinho é esse que ela esta usando?
Vou até ela, mando encostar no carro, ja é noite nao tem ninguém por perto, e a safadinha pensa em se sarfar de modo prazeroso.
T. está de costas para mim, percebo o que ela quer, e entro no jogo. Empurro ela no carro, passo minhas mãos no meio das suas pernas para abri-las, e começo apalpa-la nos seios, barriga, bumbum, e assim esquentando , coxas, calcinha, cuzinho.
Sinto que quando a acariciei ela ficou molhadinha, e resolvi passar a mão novamente, com o cuidado de colocar a calcinha de lado para ter certeza.

Quando ela percebe que vou meter meus dedos ali mesmo ela tenta reagir,entao sou obrigada a puxar seu cabelo e pressiona-la contra uma parede, pois agora irei faze-la pagar pela inflação cometida.
Ela tenta reagir e gritar, porém enfio na sua bucetinha meus dedos, começo fude-la com prazer e força, e seu rostinho
contra a parede me excita ainda mais.
Soco, giro , enfio, melo, chupo e empurro, quero ela gozando em meus dedos, quero ela pedindo mais, pedindo no cuzinho para gozar, pedindo para eu fude-la toda, e no final chupar sua bucetinha toda gozadinha. T. esta em transe, gemendo, me beijando, rebolando em meus dedos, dedos que pega chupa e enfia em seu cuzinho, sei que ela vai gozar, entao acelero meu
ritmo, fodo tudo chamando ela de minha vadia, minha putinha, mandando ela gozar.

Quando ela enfim goza já não aguenta ficar de pé, aproveito e me lambuzo com sua bucetinha. T. mais uma vez esta satisfeita e esperando tudo se repetir, e assim novamente me melar . . .

 

Conto de presente

Amanhã 28 de Abril, é niver da minha namorada, e como moramos em estados diferentes, venho dar minha prova de amor, e tesão.

T. Mudou totalmente minha, sou muito grata pelo destino te-la colocado em minha vida.
Nos conhecemos através de contos eroticos, e cada dia que passa à desejo mais T. mulher linda, que conduz as minhas mais
loucas fantasias. Com ela tudo é prazer, e apesar da distância gozo todos os dias para ela, e ela para mim.
Tenho a imaginação super fertil, e a imagino se tocando enquanto esta lendo. Imagino sua fome pela minhas mãos em teus
cabelos, pescoço, minha língua invadindo tua boca deliciosa, seu corpo extremecendo embaixo do meu, eu gemendo em seu
ouvido, lhe rancando a blusa ansiosa por lamber seus lindos seios, e entrar dentre tuas pernas.
Nossa relação nos permite orgamos perfeitos, sem certos pudores ou medos, tudo muito conversado e claro sempre de comum acordo.


Adoro um belo 69, línguas e dedos em sintonia, gemidos a qualquer momento do dia ou da noite, prazer sempre, a todo tempo.
Há um tempinho atrás, estava na casa da minha mãe no msn e com webcam ligada, ela me pediu para me ver de corpo inteiro e claro, me levantei e mostrei meu corpo para ela. Sou bem masculina mesmo, e tenho tatuagens em lugares estrategicos, e ao exibir a tatoo, acabo apertando meu sexo com vontade. Percebo que me excitei, e aperto sempre com mais vontade, e isso vira um ato de prazer a dois, ela com tesão de me ver,e eu de me amostrar.


T. pede para me tocar para ela, coisa que eu tava louca de tesão fazendo. Minha menina é super gulosa, adora que eu goze
para ela tomar tudinho, e gozo para ela, gozo e mando minha cachorra lamber tudo com cara de putinha!
Temos uma relação de cumplicidade muito grande, o que é a base para uma relação a distância. Nos conhecemos aqui, e apartir de hoje, começo a relatar nossas fantasias, não só no intuito de excitar, mas para mostrar que da pra se amar mesmo
a distância, e em breve de perto !

 

Meu advogado

OLÁ PESSOAL, OQUE PASSO A CONTAR ACONTECEU COMIGO, NO FINAL DO ANO DE 2001, SOU DE CAMPINAS INTERIOR DE SÃO PAULO NESSE ANO EU TRABALHAVA EM UM RESTAURANTE NO BAIRRO DO CAMBUÍ, ARÉA NOBRE DE MINHA CIDADE, MAS SEMPRE TINHA QUE IR  AO CENTRO DA CIDADE UMA VEZ POR SEMANA POR VOLTA DAS 17 HRS. E FOI EM UMA DESSAS PASSADAS PELO CENTRO QUE TUDO ACONTECEU, CAMINHANDO PELA RUA CONCEIÇÃO APROVEITEI PARA DAR UMA VOLTA NA PRAÇA CARLOS GOMES, FIEL REDUTO DE PESSOAS DO MEIO HOMOSSEXUAL, LA ENCONTREI ALGUMAS PESSOAS INTERESSANTES MAS NADA QUE CHAMASSE A MINHA ATENÇÃO PARA SER DENOMINADA UMA CAÇA, SAI UM POUCO FRUSTADO MAS ENFIM TINHA MEUS AFAZERES. E FOI AI SIM QUE O MELHOR ESTAVA POR VIR, CAMINHA NA RUA CONCEIÇÃO AO MEIO DE MUITA GENTE SAINDA DO TRABALHO, EIS QUE ME DEPARRO COM UM DEUS GREGO, DO JEITO QUE SEMPRE GOSTEI... ELE DEVERIA TER MAIS OU MENOS 1,70MT, 84KG, CLARO PELUDO DO JEITO QUE SEMPRE AMEI, TROCAMS OLHARES MAS CONTINUAMOS A ANDAR EM DIREÇÕES CONTRARIAS, MAS SABE COMO É NÉ SE O OLHAR CRUZOU ALGUMA COISA TEM, PAREI EM UMA ESQUINA COM O CORAÇÃO NA BOCA E ELE NA OUTRA, RESOLVI OLHAR PARA TRAZ, PARA MINHA SURPRESA E ALEGRIA ELE ESTAVA LÁ PARADO, MESMO DE LONGE CONTINUAMOS TROCANDO OLHARES, FOI QUANDO ELE DEU UM SINAL PARA SE APROXIMAR-MOS PARA CONVERSAR,E LÁ FUI EU  COM UMA MISTURA DE MEDO E TEZÃO.

FOI AI QUE ME APRESENTEI A ELE E ELE SE APRESENTOU, LEMBRO ME COMO SE FOSSE HOJÉ  ELE ME DISSE SEU NOME RICARDO, E QUE TINHA 43 ANOS, SOLTEIRO E QUE ERA ADVOGADO" NAQUELE MOMENTO ELE PODERIA SER UM GARÁ QUE ERA ELEQUE EU QUERIA" DISSEME ESTAVA INDO PARA CASA, FOI QUANDO EU DISSE QUE PENA, PARA QUEM SABE LER UM PINGO É LETRA. ELE ME CHAMOU PARA IRMOS AO SEU ESCRITÓRIO, NOQUAL EU ACEITEI DE IMEDIATO, MESMO SEM SABER DE SUAS PREFERENCIAS SEXUAIS.

SEU ESCRITÓRIO ERA A UM QUADRA DALI, NO CAMINHO FALAMOS SOBRE COISAS BANAIS DA VIDA, CHEGANDO NO EDIFICIO SUBIMOS AO 5 ANDAR, ELE ABRIU A PORTA E ME CONVIDOU PARA ENTRAR, MAIS DOQUE DE PRESSA ENTREI, MAS NÃO FUI ALÉM DA PORTA, ESPERANDO POR ELE. QUANDO ELE ENTROU E FECHOU A PORTA CONVERSAMOS SOBRE OPÇÕES SEXUAIS, DEIXEI ELE MUITO A VONTADE PARA FALAR, PARA PODER SABER OQUE ELE TINHA EM MENTE, FOI QUANDO ELE ME DISSE QUE ERA ATIVO, E ME PERGUNTOU DOQUE EU GOSTAVA, NESSE EXATO MOMENTO DISSE A  ELE QUE ERA VERSATIL, MAS QUE O PRINCIPAL PARA MIM ERA ESTAR AO LADO DE QUEM ME DEIXA-SE COM TEZÃO E MUITO A VONTADE, ENTÃO ELE ME PERGUNTOU SE ROLARIA ALGO, EU QUASE DE IMEDIATO DISSE QUE COM MUITA CERTESA.

DEPOIS DE MAIS UM POUCO DE PAPO, FOI QUANDO TUDO COMEÇOU.NOSSA ESTAVA COM O HOMEM PERFEITO QUE EU QUERIA, ENTÃO ELEME PERGUNTOU OQUE EU QUERIA FAZER EU DISSE TUDO QUE VOCÊ QUISER. TUDO ACONTECEU NO MEIO DE MUITO IMPROVISSO EM UM BANCO DE SEU ESCRITÓRIO, MAS POSSO DIZER QUE FOI ALGO PARA LEMBRAR A VIDA INTEIRA, ELE COMEÇOU TIRANDO SUA CAMISA, NOSSA QUE COISA  LINDA UM PEITORAL TODO PELUDO NO QUAL CHUPEI SEUS MAMILOS, LOGO APÓS ELE DESABOTOU A CALÇA, MELMBRO COMO SE FOSSE HOJÉ UMA BELA CUECA BOXE BRANCA E ALGO DENTRO DA CUECA QUE FIQUEI LOUCO PARA PEGAR E FAZER MUITAS COISAS, MAS COMECEI ACARICIANDO E ELE FOI ,FOI CRESCENDO FOI QUANDO NÃO AGUENTADO MAIS COMECEI Á MAMAR AQUELA ROLA MARAVILHOSA, A ESSA ALTURA EU JÁ ESTAVA LOUCO PARA MUITO MAIS, FOI QUANDO EU DISSE PARA ELE OQUE QUERIA, E PERGUNTEI SE ELE QUERIA TAMBÉM, ELE ME DISSE VOCÊ ESTA LOUCO É OQUE MAIS QUERO NESSE MOMENTO. NÓS ESTAVAMOS COM TANTO TEZÃO QUE ELE SE LEVANTOU E VEIO POR TRAS DE MIM NO BANCO ME ACARICIANDO E LUBRIFICANDO O MEU CUZINHO, E COMEÇOU A ME PENETRAR, BEM DEVAGAR, NOSSA COMO ESSE HOMEM SABIA OQUE FAZER. NESSE DIA ACHO QUE ELE ME COMEU DE TODAS AS POSIÇÕES POSSIVEIS DE 4 , FRANGO ASSADO, PAPAI E MAMÃE, DEVEMOS TER GOZADO UMAS 5 VEZES.IMAGINE SÓ QUE DIA MARAVILHOSO, TIVE A MELHOR TRANSA QUE ALGUÉM PUDESSE TER. NOSSO RELACIONAMENTO DUROU 5 ANOS, A CADA TRANSA UMA SENSAÇÃO MARAVILHOSA. MAS INFELISMENTE COMO TODOS SABEMOS NINGUÉM É DE NINGUÉM ACABOU.

AINDA SINTO MUITA SAUDADES DELE, APESAR DE SABER DE TUDO SOBRE ELE AONDE MORA, TELEFONE, SEMPRE ACHEI MEHOR DEIXA-LO COM SUA VIDA, NÃO GOSTO DE IMPOR A MINHA PRESENÇA PARA NINGUÉM. FOI BOM ENQUANTO DUROU.

HOJE GOSTARIA DE CONHECER PESSOAS NOVAS PARA QUEM SABE ALGO MAIS, SE ALGUÉM TIVER INTERESSE, ENTRE EM CONTATO PELO MSN
JBLJUNIOR-05@HOTMAIL.COM

 

Carnaval Gostoso

Bom dia para todos. Meu nome é Shirley, sou realmente casada com o Jony há 12 anos, ambos na faixa dos 30 anos, nosso relacionamento é aberto e liberal, ele me deixa fazer o que quero principalmente arranjar um macho bonito e gostoso para tranzar comigo na sua frente pois ele adora ver ou saber que é corno de verdade, em todos esses anos de convivência fizemos várias amizades e através destas realizamos muitas fantasias, meu marido me incentiva a usar roupas provocantes e paquerar, me ajuda na escolha dos meus pretendentes, escreve esses contos comigo e me realiza por completo pois nós nos amamos. Essa que vou contar agora aconteceu recentemente no carnaval deste ano.

Em pleno carnaval, eu e o Jony estávamos em nossa casa nos arrumando para ir ao carnaval de rua de uma cidade que fica há 40 km da nossa pois lá ninguém nos conheciam e nós ficaríamos mais a vontade para brincar, o Jony me pediu para vestir roupas provocantes pois naquele dia ele queria me ver paquerando, queria que eu arrumasse um namorado, desse a buceta pro escolhido e depois contasse tudo pra ele, eu gostei da idéia mais questionei a minha segurança pois para rolar sexo eu precisaria ir para um local reservado com uma pessoa que eu não conhecia, ele me falou que quando eu arrumasse um pretendente, eu fosse para umas ruas escuras que fica por traz do palco pois lá muitos casais gostam de namorar escorados nos carros que ficam estacionados, por traz das árvores que são baixas e escorados no muro de uma escola que tem umas divisões nas paredes, ele também me disse que ia nos seguir o máximo possível, fiquei mais tranqüila, vesti um short e uma blusa curtinha, branca, pegamos nosso carro e fomos para a festa, chegando lá colocamos o carro em um estacionamento e fomos para a fulia, ficamos em uma barraca próximo ao trio,bebendo, dançando e mantendo uma certa distância um do outro, depois de um certo tempo, chegou quatro rapazes na barraca para comprar cerveja e um deles me chamou atenção, era um moreno, devia ter uns vinte e poucos anos, estatura média, corpo definido, malhado, cabelos curtos, um gatinho muito bonito, eles começaram a dançar próximo de onde nós estávamos, eu não tirava o olho dele, depois de alguns minutos ele percebeu, eu dançava, me abaixava, empinava minha bundinha para traz e ele não parava de me olhar, começamos a paquerar, ele me mostrou para seus amigos e em seguida veio na minha direção, se apresentou por nome de Alex, me ofereceu cerveja e me chamou para dançar, Jony observava tudo há alguns metros de distância, começamos a dançar agarradinhos, se esfregando um no outro, o cheiro dele era muito gostoso, meus seios tocavam seu peito, minha buceta tocava seu pau, eu fazia questão de suspirar forte em seu ouvido enquanto estávamos dançando e isso foi deixando agente excitados, podia sentir o pau dele duro rosando minha buceta, de vez enquanto olhávamos um no olho do outro, ele tentou me beijar na boca mais eu não deixei, ele se contentou de beijar apenas meu rosto e pescoço, a situação foi ficando incontrolável e ele me convidou para dar uma volta, eu aceitei, lembrei da rua por traz do palco que meu marido me falou e fomos caminhando pra lá, olhei para traz e vi que o Jony, meu marido, nos seguia, ele ficou parado na esquina da rua, eu fui andando de mãos dada com o Alex por uns 50 metros, paramos próximo de uns carros que estava estacionado enfrente ao muro de uma escola, estava escuro, nós ficamos em pé, ele se encostou em um carro, eu abracei ele e começamos a nos beijar, ele apertava minha bunda e pressionava meu corpo contra o seu, depois ele colocou sua mão por dentro da minha blusa e começou a acariciar meus seios, depois minha buceta colocando a mão por dentro do meu short enquanto nos beijávamos, o tezão foi aumentando, a minha buceta já estava toda molhada, a vontade de tranzar era grande mais ali próximo haviam outros casais, então andamos mais um pouco e notamos que o portão da escola estava só encostado, Alex empurrou o portão e ele abriu, olhamos e não tinha ninguém, entramos e fomos caminhando até chegarmos em um bequinho escuro entre duas salas de aulas, lá havia dois banquinho de cimento igual aqueles que tem nas praças, sentamos os dois um de frente pro outro como se estivesse montados em uma moto e começamos a nos beijar novamente, em seguida, ele levantou minha blusa, começou a chupar meus seios, depois, colocou a mão por dentro do meu short e enfiou dois dedos dentro da minha buceta, isso foi me deixando louca, puxei seu short, coloquei seu pau para fora e comecei a punhetar, em seguida, ele parou de chupar meus seios, pegou no meu rosto e foi abaixando,direcionando até seu pau, segurei a rola dele com as duas mãos e comecei a chupar, tentava engolir tudo que podia, sentia o pau dele pulsando dentro da minha boca, depois de alguns minutos o pau dele já estava duro feito pedra, então perguntei se ele tinha uma camisinha e ele respondeu que sim, então ele abriu sua carteira, retirou uma camisinha e vestiu em seu pau, em seguida, nós ficamos em pé, eu baixei meu short e minha calcinha até a altura dos joelhos, ele fez o mesmo, depois eu me escorei na parede, de costas pra ele e empinei a minha bunda, ele veio por traz de mim, enfiou seu pau em minha buceta e começou a meter, o pau dele era uma delícia, ele metia muito gostoso, enfiava tudo na minha buceta lentamente, se rebolando, me segurando pelos seios e beijando meu pescoço, eu pedia pra ele me comer inteirinha, meter tudo, estava muito gostoso até que de repente chegou o guarda da escola com uma lanterna na mão e nos pegou no flagra, ele disse que ali não era lugar pra fazer aquilo e que se agente não saísse imediatamente ele chamaria a polícia, levantamos nossas roupas rapidamente, Alex pediu desculpas ao guarda e nós saímos rápido de dentro da escola, fomos andando os dois pela rua se lamentando que estava gostoso demais para acabar tão rápido até que o Alex me convidou para ir até seu carro que também estava no mesmo estacionamento que o meu, quando passamos pela esquina, o Jony, meu marido estava lá, ele continuou a nos seguir disfarçadamente, chegamos no estacionamento, entramos dentro do carro do Alex e ficamos no maior amasso até ele me chamar para ir até o motel, eu aceitei mais disse a ele que eu teria que ligar para minha família e avisar que iria sair com ele, Alex concordou, eu sai de dentro do carro e liguei pro Jony para ver se ele aprovava, o Jony disse que eu poderia ir que ele iría atrás no nosso carro nos seguindo, então entrei dentro do carro do Alex e fomos para o motel, durante o percurso, olhei para traz e vi que o jony nos seguia de carro até próximo do motel, chegando lá, mal agente entrou dentro do quarto e já começamos a nos agarrar e tirar nossas roupas até ficarmos completamente nus, ele me jogou em cima da cama e veio por cima de mim, me beijando, depois começou a chupar meus seios e minha barriga até chegar em minha buceta, chupava com vontade, abria os lábios vaginais e metia a sua língua dentro, eu pedi pra ele não parar de chupar, comecei a esfregar minha buceta e gozei na cara dele, adoro fazer isso antes de ser penetrada, em seguida, ele se deitou na cama e eu fiquei de quatro entre suas pernas, peguei seu pau e comecei a chupar, a rola dele era uma delícia, ele era muito gostoso, até a rola dele era cheirosa, eu lambia a cabeça, chupava as bolas e embaixo delas, ele delirava de tezão, em seguida pedi a ele que colocasse uma camisinha e fui pra cima dele, encaixei minha buceta no pau dele, apoiei minhas mãos em seu peito e comecei a cavalgar, eu subia e descia forte fazendo com que seu pau entrasse todo dentro da minha buceta, depois disso, eu sai de cima dele e fiquei de quatro em cima da cama, ele veio por traz de mim, enfiou seu pau na minha buceta e começou a meter me segurando pela bunda, eu delirava com estocas dele, Alex me puxava pelos cabelos e metia fundo na minha buceta deixando somente as bolas do lado de fora e me chamava de puta e vadia, depois disso, ele se sentou na lateral da cama com os pés no chão e pediu para eu me sentar em seu colo de costas pra ele, eu peguei seu pau, coloquei na minha buceta e fui sentando lentamente em seu colo até entrar tudo, depois comecei a pular em cima daquela rola dura, depois de alguns minutos, ele jogou seu corpo para traz e deitou na cama, eu continuei pulando em cima do seu pau com as mãos apoiadas na parede, em seguida, nós dois fomos levando lentamente sem tirar o pau de dentro até ficarmos em pé e ele continuou metendo em minha buceta por traz, me emprensando contra a parede, depois de alguns minutos, ele me pediu um tempo e foi até o frigobar, colocou duas doses de wisk com red bul, nós viramos os copos e bebemos tudo de uma vez, depois de algum tempo, ele me pediu para deitar na cama, de bunda pra cima, ele foi por cima de mim e enfiou na minha buceta novamente, depois de alguns minutos eu comecei a ficar tonta, acho que foi por causa da bebida, via tudo rodando em minha volta e o Alex parecia estar eletrizado, já fazia algum tempo que ele metia em minha buceta sem parar, metendo forte, enfiando tudo, eu coloquei a cabeça no travesseiro, levantei um pouco a bunda e ele continuou metendo forte, depois de vários minutos nesse ritímo, cheguei a gozar três vezes no pau dele e ele não conseguia gozar, foi então que eu pedi pra ele parar pois eu não agüentava mais gozar, ele parou e retirou o pau de dentro da minha buceta que estava quente e vermelha de tanta rola, em seguida, eu me virei de frente pra ele e fiquei deitada de pernas abertas, suspirando, ele veio por cima de mim e passou um bom tempo beijando meu rosto e meu pescoço, depois meus seios, isso foi me ascendendo novamente, enquanto ele chupava meus seios, eu peguei seu pau e enfiei na minha buceta outra vez, comecei a sentir um pouco de dor e pedi pra ele parar mais o tezão dele estava maior do que o meu, ele simplesmente retirou o pau da minha buceta e foi enfiando no meu cuzinho lentamente, como minha buceta estava ensopada de tanto gozar e eu estava nestesiada com wisk, o pau dele entrou todo, sem dificuldade, ele ficou metendo no meu cuzinho e chupando meus seios por um bom tempo, eu comecei a sentir prazer novamente, ele se enclinou um pouco para traz sem tirar o pau de dentro, eu coloquei duas almofadas embaixo da minha cabeça e fiquei assistindo ele comendo o meu cuzinho por um bom tempo, em seguida, ele começou a meter mais rápido e forte, eu passei a acariciar minha buceta batendo uma siririca enquanto ele fodia meu cuzinho, o tezão foi aumentando, nós começamos a gemer alto e acabamos gozando juntos, ele gozou dentro do meu cú enchendo sua camisinha de esperma, eu gozei na minha mão batendo uma gostosa siririca.

Depois disso, nós fomos os dois pro banheiro tomar banho e em seguida nos vestimos, ele pagou a conta e na hora de ir embora, na porta do quarto, me abraçou e trocamos um demorado beijo de língua, ele era muito gostoso, depois entramos no carro e fomos de volta para o corredor da fulia, pouco depois que saímos do motel olhei para traz e vi que o Jony nos seguia em nosso carro, chegando lá eu me despedi dele e disse que ia ficar com minha família, liguei pro jony e ele me aguardava do lado de fora do estacionamento, decidimos ir para casa, no caminho contei tudo pra ele que na hora ficou todo exitado, mesmo dirigindo, meu marido colocou o pau pra fora do seu short e me mostrou o tamanho do tezão que sentia em saber que acabava de levar um chifre, o pau dele estava tão duro que a cabeça estava roxa, eu punhetei ele um pouco, comecei a chupar aquele pau duro e a falar as putarias que deixa ele doido, dizendo;......

Vai amor, goza na boca da sua puta, imagina que até agora ela estava te corneando, dando a buceta e o cuzinho pra outro macho, vai seu corno, goza, depois disso, jony começou a gemer e gozou um rio de esperma dentro da minha boca, eu fiquei feliz com o tezão que ele sentiu e engoli todo seu esperma, foi muito gostoso. Esta foi mais uma de muitas que ainda vamos fazer, não se preocupem que vamos contar tudo pra vocês pois depois do carnaval vem o são joão com muito forró e nós já combinamos de repetir a dose. Até a próxima.

 

Eu e a dançarina

Olá, meu nome é Lívia e acredito que vocês já tenham visto algum conto meu por aqui.

Agora, irei contar-lhes sobre uma experiencia deliciosa com uma dançarina muito gostosa que encontrei numa festa.
Era noite, numa sext-feira, e fui numa boate GLS da cidade, uma das mais bem frequentadas. Essa noite era dia de bebida liberada, então nao ia perder esse dia nao eh verdade? Rs. Então, ao entrar na boate, vi uma mulher, que dançava em cima do balcao. Linda, com curvas maravilhosas, cabelos grandes negros e um olho azul piscina. Tinha uns seios grandes, durinhos e bem valorizados com aquele top preto e vestia uma saia de pregas bem curtas, que mostrava toda sua bunda deliciosa.

Assim que cheguei perto dela, ela logo me viu e deu aquele sorriso malicioso. Aii, como fiquei molhadinha naquela hora. Ela desceu e logo me chamou para dançar.Então fomos para o meio da pista de dança.

De primeira começamos a dançar normal, uma meio separada da outra, mas assim nao tem graça neh? Então logo fui me aproximando dela, até que estavamos bem proximas. Eu dançava na frente dela, de costas p/ ela, enfregando minha bunda na bucetinha dela. Eu estava de saia jeans, mas sem calcinha. Me esfregava gostoso e ela respirava no meu ouvido. Até q foi avez dela, ela foi para minha frente, ficando de costas e começou a roçar a undinha gostosa dela na minha xotinha molhada. E como a saia dela eramais leve, enquanto ela se esfregava, a saia sobia. começei a passar a mao na barriga, subi para os peitos e dei uma apertada. Ela gemeu e continuamos dançando ao ritmo da musica, e ela roçado aquela bunda deliciosa na minha buceta.

Até q fui abaixando a mao até chegar a xota dela. Como tava encharcada. Primeiro acariciei por cima da calcinha, mas logo vendo que ela tava adorando, afastei a calcinha e começei a acariciar a buceta molhada dla. Eu falava no ouvido dela: "Vai, rebola gostoso sua gostosa" e ela rebolava, eeu acariciava a buceta dela conforme a musica.

Já tinha muita gente olhando, mas eu nao ligava, alias, aquela era a graça. Ela virou p/ mim e começou a esfregar seu peito enorme no meu, e descia a mao dela apertando minha bunda, e com o sorriso gostoso dela. "Vai sua puta, dançap/ mim vai, me deixa cheia de tesao" dizia ela. Agente se acariciava no meio da pista, mas eu qriamais, qria xupar aquele meu q saia dela, entao a puxei p/ o canto.

Levantei a saia dela e já fui metendo a boca, xupei gostoso toda aquela buceta. Ela rebolava na minha boca enquanto eu chupava tudo. "Isso, xhupa sua puta, me come puta gostosa" E fui xupando, enquanto eu estava com minha mao na minha bucetinha me fudendo. Continuei chupando tudo, ela rebolava, via que nao tava conseguindo mais ficarem pé de tanto tesão. Enfiei entao um dedo na buceta dela e comecei a socar, tocava gostoso e elagemia, rebolava, gozava. Q gozo gostoso. Depois subi, deium beijo todo gozado nela. Ela sorriu e foi embora. Nunca soubeo nome dela, mas eu gostaria muito de voltar a xupar aquela buceta deliciosa. Rs, fico toda molhada só de lemrar.

Se vc qr bater um papinho comigo, e me conhecer melhor, mande um e-mail: livmacau@yahoo.com.br

 

À 3 é bom melhor

Meu nome é Carlos e o que vou relatar agora é fruto de uma experiência maravilhosa que me aconteceu por esses dias.
Eu sempre fui um cara aberto a tudo o que é de bom na vida, principalmente no sexo, podendo até dizer-se que sou ativo-liberal. Tenho um grande amigo que é gay e a nossa amizade está acima de tudo e foi numa sexta-feira dessas da vida que pude comprovar que realmente nossa amizade está realmente acima de tudo.

Estava voltando do trabalho já de noite e já perto de casa resolvi beber uma cerveja, pois afinal a sexta-feira foi inventada pra isso. Para minha grande surpresa, quando cheguei no bar encontrei esse meu amigo já sentado tomando uma cerveja com uma suposta amiga que sinceramente era uma gata pra ninguém botar defeitos. Nem precisaram me convidar pra sentar, já fui logo pegando uma cadeira e pedindo outra.

O assunto estava muito interessante, conversávamos sobre banalidades do dia-a-dia e ela se mostrava muito simpática, acho que nem percebeu que eu estava interessado nela e foi quando meu amigo se ligou no meu interesse nela e a chamou para ir ao banheiro com ele. Eu, como não sou bobo e nem nada já sabia que ele estava falando sobre mim com ela e deixei as coisas acontecerem. Então, ele retornou do banheiro só e eu logo fui perguntando sobre o conversado, e ele me disse que realmente poderia até acontecer algo, mas que dependeria de uma pequena condição: que saíssemos à 3. Isso pra mim foi um back, pois jamais imaginaria que meu amigo tivesse interesse em mim, pois sempre rolou muito respeito entre nós. Caros leitores entendam que não aceitei a proposta pelo efeito da bebida, mas sim por estar a fim de novas experiências e principalmente por estar louco pra meter com ela.

Então quando ela estrategicamente retornou para a mesa meu amigo foi logo dizendo que tinha uma garrafa de wisky em casa e que poderíamos ir pra lá pra ficarmos mais à vontade. Pagamos a conta e fomos direto pra casa do meu amigo.
Quando chegamos lá, nos sentamos e começamos a beber novamente. Já com a garrafa quase no fim, ela resolveu ir tomar um banho, pois já estávamos meio altos sob o efeito da bebida e até então não tinha rolado absolutamente nada. Nesse ínterim meu amigo colocou uma musica lenta e suave para relaxarmos. –estava chegando a hora, pensei.

Pasmei quando ela voltou só com uma toalha enrolada no corpo e meu pau que estava adormecido já deu logo um pulo e focou duro feito pedra. Então meu amigo que era gay ou sei lá se é, deu beijo nela na minha frente o que me deixou com mais tezão ainda e foi quando eu resolvi participar do beijo á 3 que foi outra experiência muito legal pra mim, apesar de nunca nem ter passado pela minha cabeça beijar outro homem. Terminado o beijo, meu pau já não estava mais cabendo dentro das calças. Meu amigo foi tomar banho e eu fiquei só, com aquela maravilha de mulher só pra mim, mas tamanha foi a minha surpresa que ela naquele momento só queria me beijar e ficava me dizendo que o melhor ainda estava por vir. Na verdade eu já até imaginava o que iria acontecer, mas deixei as coisas acontecerem. Quando eu já não estava mais agüentando meu amigo saiu do banheiro enrolado na toalha também. Tão logo ele saiu, eu entrei. Pensei até em tocar uma punheta no banheiro temendo não agüentar o que estava por vir e gozar logo, mas decidi que tentaria agüentar.
Tamanha foi a minha surpresa quando saí do banheiro e vi a cena:

Ela deitada na cama de pernas abertas e o meu amigo chupando a boceta dela e o mais intrigante: meu amigo estava com uma minúscula calcinha vermelha completamente enterrada na cuzinho. Um dos maiores fetiches que tenho é ver uma calcinha enterradinha num cuzinho. Nunca tinha notado que meu amigo tem uma bundinha linda e aquela cena me deixou tarado principalmente porque aquela calcinha caiu como uma luva naquela bundinha. Confesso que fiquei meio que sem saber o que fazer. Meu pau já estava babando e doendo de tão duro. Então ela me pediu pra me deitar na cama e relaxar. Deitei e ela imediatamente botou a xota na minha cara e o meu amigo começou a me chupar, mas que delicia!

Confesso que não demorei muito e gozei gostoso na boca do meu amigo. Ele se retirou pra ir ao banheiro e ela se levantou da minha cara e começou a chupar o meu pau gozado e em questão de minutos ele já estava duro como pedra novamente. Na hora em que o meu amigo voltou do banheiro, ele resolveu participar novamente da brincadeira me chupando novamente junto com ela. Que sensação maravilhosa ter duas bocas chupando o meu pau ao mesmo tempo...

Quando eu já estava no ponto novamente, meu amigo pegou uma camisinha e carinhosamente colocou no meu pau com a boca e achei que era pra ela sentar. Só sei que quando me dei conta, ele estava de costas pra mim sentado no meu pau que entrava e saia num ritmo alucinante. Ele tem um cuzinho muito gostoso, quentinho e apertadinho... Enquanto isso ela estava se deliciando chupando meu peito. Jamais senti uma sensação tão gostosa e maravilhosa quanto aquela. Depois que ele se fartou de tanto sentar no meu colo e de tanto tomar no cuzinho, foi a vez dela. Troquei a camisinha pedi pra ela ficar de 4 e meti muito gostoso naquela bocetinha meladinha. Enquanto eu metia, meu amigo ficou de frente pra ela e ofereceu a rola pra ela chupar. Que cena maravilhosa... depois pedi pra comer o cuzinho dela, ela disse que sim, mas que eu teria que ser muito carinhoso. Pedi pra ela deitar na cama de bruços que eu iria meter bem devagarzinho. Eu adoro essa posição. Gosto de sentir alguém embaixo de mim indefeso. Empurrei bem devagar e quando entrou a cabecinha ela deu um gemidinho tão gostoso que quase gozei novamente. Depois que entrou tudo, eu comecei a bombar de leve a fim de curtir muito aquele cuzinho maravilhoso. Lembro-me que quando eu estava metendo no cuzinho dela senti que meu amigo passou a mão na minha bunda. Pra ser sincero não me agradou muito, mas como eu estava totalmente embriagado de tezão e estava de certa forma com a bunda pro alto quase de que 4 não esquentei muito a minha cabeça. Queria mesmo era curtir cada momento daquela maravilhosa brincadeira. Na verdade estava mais interessado em meter gostoso naquele cuzinho apertadinho, e o que viesse a acontecer seria fato. Como o safado do meu amigo viu que eu não esquentei a minha cabeça, resolveu ser um pouco mais ousado e sem que eu notasse passou pra trás de mim e começou a lamber o meu cuzinho.

Não entendi muito bem, mas devo admitir que foi uma sensação muito boa estar comendo alguém na posição que mais gosto e ao mesmo tempo estar levando linguadas no cuzinho. Então meu amigo me disse: -bem, já que você gosta tanto de comer cu, talvez seria a hora de você experimentar pra ver como é bom dar. Eu na mesma hora disse que não tinha nada a ver, mas foi da boca pra fora naquele momento me deu vontade de experimentar. Devido à posição em que estávamos, ele tinha o meu cu a disposição e continuou lambendo. Foi quando ele começou a passar o pau na portinha do meu cú. Confesso que foi uma sensação legal não sei se por estar com muito tezão ou se por estar curioso. Afinal, pra mim sexo é prazer em todos os sentidos e eu sinceramente não acho que vou deixar de ser homem por esse motivo. Então meu amigo na verdade estava lubrificando o meu cu com saliva quando estava passando a língua. Ele foi brincando e forçando a entrada bem devagar. Dizem que é a pior sensação do mundo quando se dá pela primeira vez, mas sinceramente eu estava tão tomado de tezão que nem doeu. Setí uma pressão, mas não doeu tanto como dizem.Ele foi bombando devagar no movimento de entra e sai até que entrou tudo. Foi outra cena maravilhosa eu engatado nela e ele engatado em mim num tezão louco. Quando não agüentei mais, explodi de gozo dentro do cuzinho dela e devido às contrações, meu amigo também gozou dentro do meu cu. O mais engraçado é que eu e meu amigo gozamos mas nossos paus não amoleceram. Ficamos cansados, mas por algum motivo queríamos mais. Saímos um de cima do outro e deitamos pra descansar um pouco. Depois de uns 10 minutos, ela foi tomar uma ducha e logo depois meu amigo foi também. Como estavam demorando e eu também queria tomar um banho levantei e fui até o banheiro. Vi outra cena no mínimo interessante: estavam os dois no chuveiro com ela de costas e ele metendo gostoso nela em pé. Achei aquela cena interessante. Voltei pro quarto, coloquei uma camisinha e fui participar da festa. Pedi pro meu amigo continuar metendo nela enquanto eu metia nele em pé. Tive muita dificuldade pra conseguir encaixar no cuzinho dele e quando conseguia saia a toda hora. Desisti, arranquei a camisinha e pedi pra ela me chupar, pois queria gozar na boca dela. Foi o que ela fez e eu gozei gostoso mais uma vez.

Saímos do banheiro e fomos dormir os 3 na mesma cama. Acordamos no sábado com uma tremenda ressaca, mas satisfeitos com o que tínhamos feito. Fizemos isso outras vezes, mas a primeira vez sempre marca.

Procuro por MULHERES, CASAIS BÍ ou TRAVESTÍS que gostem de curtir o melhor da vida. Tenho muito tezão e não tenho frescuras entre 4 paredes. Se você se enquadra no que procuro, me escreva e iremos brincar muito. Moro no RIO DE JANEIRO.

Carlos_32_rj@hotmail.com

 

O garoto de moleton azul claro

Tem dia que estamos de saco cheio estamos insatisfeito e até meio tenso. Estava assim como eu tenho o horário flexível no trabalho, avisei minha supervisão direta e fui passear no SHOPPING que tem próximo a minha casa. Estava em uma loja grande nesse Shopping, quando notei que estava sendo filmado por um rapazinho acompanhado de uma mulher bonita (depois vim saber que era sua mãe). Vamos ao rapaz era de uma estatura mediana um pouco mais baixo que eu aparentado ter pouca idade, olhos claros cabelos espetado e vestia um de moletom (azul claro) seu uniforme escolar enfim um rapazinho gostoso. Então comecei a retribuir o seu olhar, no momento em que nossos olhares se cruzavam ele segurava sua rola, e eu retribuía com sorriso e também segura em minha rola. Esse tipo de “paquera” ou “caçada” me excita muito, acho um verdadeiro tesão, pois esta praticamente na frente de todos e sabemos que seu caçado está pensando. Mas estranhava a atitude dele pela sua aparência de pouca idade e também de atitude.

Então ele e sua acompanhante (mãe), foram até uma gôndola de camiseta, eu também fui cheguei a tocá-lo e me desculpando, foi ai que descobri que era sua mãe, foi quando ele falou para ela que precisava ir até o banheiro para ela dar um tempo e foi caminhando e olhou para minha cara deu um sorriso maroto. Pessoal normalmente eu não faço esse tipo de coisa ir a banheiro de Shopping, não dá, acho sempre que estamos sendo filmado, mas o tesão era tanto e o garoto ousado e gostoso que não agüentei e fui ao banheiro. Ao entrar no banheiro estava vazio ele tinha entrado em um reservado e ficou com a porta entre aberta assim que a porta bateu ele fez sinal para entrar junto com ele e já tirou a camisa. (rapazinho de atitude).

Meu Deus, ele tinha um corpo de adolescente perfeito, uns peitinhos saliente ( peito de punheteiro) pelo qual eu passei toda a minha língua, uma barrinha magrinha formando o caminho da felicidade loucura mas, abaixei minhas calças até os pés ele ficou completamente nu !! Que loucura aquele garoto só pra mim e caiu de boca na minha pica mamando como ninguém, quase me fazendo gozar de tanto tesão...

Virou-se de costas e pediu pra que eu fudesse o cuzinho dele... Coloquei uma camisinha e meti gotoso não esquecendo que estávamos num banheiro. Os gemidos foram inevitáveis meios espremidos e ele também gemia gostoso como uma cadelinha no cio. Estoquei como nunca aquele rabinho gostoso a cada socada ele ficava nas pontas dos pés, gozei bem fundo no cuzinho fazendo ele ficar colado na divisória e eu colado nele, quando tirei a rola meia mole de seu cuzinho ele ainda teve energia pra dar mais uma mamada limpando toda a minha pica.

Eu me recompus para sair primeiro do banheiro ai ele pediu meu celular o que forneci. Ele ficou dando um tempo limpado o rabinho e eu sai, e do lado de fora não é que encontro com sua mãe e ela veio falar comigo se eu tinha visto um rapazinho de moleton azul claro lá dentro. Falei para ela que não, talvez estivesse em algum reservado se quisesse eu voltaria para ver, e ela falou se eu fizesse o favor ela agradeceria, pois achava que ele estava demorando um pouco. Fui e ao entrar ele estava em frente ao espelho. Dei-lhe um gostoso beijo e falei que tinha alguém lhe esperando lá fora e assim saímos praticamente juntos, e ao chegar próximo a sua mãe tanto ele como ela me agradeceram. Eu que sou grato a eles, agora estou aguardando seu telefonema

danalmeida@hotmail.com

A primeira vez em trio

Olá. Meu nome é Daniel, já publiquei alguns contos aqui nesse site lembrei de uma passagem que tive algum tempo atrás.
Pois bem. Morava em um prédio onde existia 2 Bloco (A e B) Eu morava no A e no andar de cima morava Felipe um garoto um pouco mais velho que eu . Nós 2 sempre que surgia oportunidade que nós transávamos. Até que um dia o Felipe me falou que no Bloco B ele tinha visto um novo morador de nossa faixa de idade deveria ter uns 21 ou 22 anos e era bastante interessante, alem de magrinho era loirinho com os olhos claros.

Um belo dia estávamos eu e Felipe no hall do nosso Bloco jogando conversa fora com mais 2 meninas que pretendíamos subir com elas para o meu apto. Do nada, apareceu o rapaz o novo morador que o Felipe tinha me falado.
Aparentava ser mais novo que eu e o Felipe por seu porte físico (era bastante magrinho ) mais tarde descobrimos que ele era uns meses mais velho que Felipe tinha 22 anos completos. Ele apareceu e eu e Felipe trocamos olhares eu lia no pensamento de meu amigo sua safadeza.

Apresentamos-nos e descobri que o nome dele era Rodrigo e o convidamos a participar de nosso pato o que ele agradeceu e sentou-se bem a minha frente ele estava com um short e meio largo (esses calções de jogador de futebol) e cruzou as pernas igual a índio . Notei e vi que dava para ser o volume de sua cueca.mesmo de pau mole.
Levantei-me e com uma voz bem safada, cheguei perto do ouvido dele e avisei o que eu tinha visto com o pretexto de que havia meninas presentes. Ele ficou todo vermelho sem graça.

Depois de uns 2 meses, nós três (eu, Felipe e Rodrigo) já éramos grandes amigos e eu e Felipe tínhamos conversado em abrir o jogo pra Rodrigo e perguntar se ele não queria participar de nossas “brincadeiras”. Então bolamos um plano: Felipe nos convidaria pra irmos à sua casa quando estivesse sozinho e inventaríamos um jogo em que tivéssemos que apostar. O dia chegou e nós três estávamos lá. Iríamos jogar com um baralho (21). E a aposta era quem perdesse teria que tirar uma peça de roupa. Eu aceitei de prontidão, mas Rodrigo não. Com todo o custo do mundo, convencemo-o. E claro que iríamos trapacear.

Nas duas primeiras rodadas eu perdi. Tirei meu boné e minha camiseta. Depois Rodrigo perdeu e tirou a blusa. Depois Felipe perdeu e tirou a blusa também. Já estávamos todos sem blusa. Foi aí que Rodrigo perdeu mais uma. Ele teve que tirar a bermuda, ficando só de cueca. Nem precisa falar que meu pau já estava duro desde que começamos o jogo. Fizemos ele perder outra, ele protestou muito e nos alertou se realmente os pais de Felipe não retornariam, mas acabou tirando a cueca, todo contrariado e se cobrindo com uma almofada. Perdi de propósito as duas próximas rodadas pra ficar nu também e fiz a mesma coisa que ele. Cobri-me com uma almofada. E foi assim que ficamos todos nus. Eu, com a cara de pau que tenho, sugeri que quem tivesse o menor numero de ponto da próxima rodada, teria que chupar o pau de quem bateu primeiro.

Rodrigo levou um susto, porque ficou mudo e arregalou os olhos. Como ele foi voto vencido, continuamos. Com sorte e algumas cartas escondidas eu bati primeiro e Felipe foi o que teve o menor numero de pontos. Falei pra Felipe um "pode vir", que meu pau já estava em ponto de bala. Tirei a almofada, mostrei meu pau pra Rodrigo e Felipe ajoelhou na minha frente, ficando de quatro, pois estávamos sentados no chão. Senti a boca quente de Felipe se apoderar do meu pau. Subiu e desceu com os lábios e soltei uns gemidos de prazer. Chupou bem rápido. Anunciei que ia gozar e encharquei-o de porra.
Rodrigo disse que queria ir embora, mas não deixamos. Tínhamos no mínimo mais duas rodadas. E a próxima foi eu quem perdi pra ele, de propósito, claro. Foi quando, muito sem graça e tímido, vimos o pau duro dele pela primeira vez. Era de um tamanho bem respeitado ainda mais a grossura, bem ereto, cabecinha vermelhinha e com os testículos médios... Bons para serem chupados.

Sentei no sofá e fiquei esperando ele vir. Ele ficou parado na minha frente e comecei bem devagar a enfiar aquela pica na minha boca. Mal encostei a língua ele já gemeu. Conforme chupava, mais fundo eu enfiava e chegava a ter o pau dele todo na minha boca. Aí, Felipe sentou do meu lado e pediu pra chupar. Cheguei pro lado e ele começou a boquetear Rodrigo, que estava em estase. Já na primeira transa, tinha dois chupando seu pau. Felipe largou o mastro de Rodrigo e foi em direção às bolas. Foi minha oportunidade enfiar aquela rola toda na boca.
Fiquei com o pau duro novamente e enquanto eu o chupava e passava a mão em seu peito e bunda. Felipe foi com a língua em direção ao cuzinho de Rodrigo. Ele levou um susto. Queria sair. Mas eu o segurei e o joguei no sofá. Falei pra ele relaxar e disse que sabíamos o que estávamos fazendo; que já fazíamos isso há um tempão. Ele concordou e deixou a gente usar ele como quiséssemos.

Fomos pro chão pra termos mais espaço. Rodrigo deitou de barriga pra cima com as pernas encolhidas eu deitei por cima dele. Fizemos um 69 muito louco, com Felipe chupando, lambendo e alargando o cuzinho dele. Ele gemia muito conforme Felipe ia introduzindo os dedos no rabinho dele.

Fiz Rodrigo gozar na minha boca. Deixei todo seu gozo escorrer até o cú dele pra servir como lubrificante. Felipe avisou que ia comer ele e meio nervoso, abriu bem as pernas. Felipe mirou seu pau no cú de Rodrigo e foi enfiando bem devagar. Tive que beijá-lo pra abafar seus gritos e gemidos altos. Felipe começou a bombar no cú de Rodrigo. Eu senti muito tesão em vê-los naquela cena e aquele entra e sai daquele cuzinho. Felipe gozou lá dentro e a porra escorreu quando ele tirou o pau.
Falei que agora seria minha vez. Coloquei Rodrigo de 4 e pedi pra ele arrebitar bem a bundinha dele. Era meio magrinha, mas bem redondinha. Apesar de minha posição preferida ser a tradicional deitar por completo em cima sentido meu tórax colar nas costas. Mas de 4 a penetração e mais fácil nem pensei que seu rabo estava todo alargado e cheio de porra. Fui bombando e aumentando a velocidade. Fizemos Rodrigo de putinha. Felipe já ficou com o pau duro de novo e veio pra trás de mim. Já estava acostumado com aquele cacete no meu cú. Então fizemos um delicioso trenzinho.

Demorei mais pra gozar, pois já tinha gozado antes no boquete de Felipe. Meti muito naquele cuzinho e senti a vara de Felipe me comer. Foi muito bom. Até que gozei no cú de Rodrigo também. Ele desabou no chão, ofegante. Eu continuei sendo enrabado por Felipe. Até que ele gozou. Caí em cima de Rodrigo e tasquei-lhe um longo beijo na boca. Disse que foi o melhor beijos que deu na vida.

O beijei de novo e Felipe veio junto. Demos um beijo triplo bem molhado.
Recompomos-nos e fomos tomar banho juntos. Limpamos-nos. Um passou sabonete no outro e tocamos uma punheta juntos. Num sei como saiu mais gozo de mim. Mas foi muito bom. Fomos embora.

danalmeida@hotmail.com

Comi minha cunhada no Puteiro

Sou casado a sete anos e sempre tenho muito tesão por minha esposa. Ela tem duas irmãs lindas, sendo uma delas lésbica. Sempre tive uma curiosidade em cima das minhas cunhadas, mas nunca as desrespeitei.
Um dia briguei com minha esposa e fui até a casa de um parente dela, pois já tinha combinado que apareceria por lá pra beber cerveja e bater um papo. Me viram chegando sozinho e perguntaram sobre minha mulher, e respondi que havíamos discutido e ela preferiu ficar em casa. Depois fui até a cozinha, e vi que minha cunhadinha lésbica estava lá também.
Ela estava bebendo mas ainda tranquila. Eu estava com tão chateado com minha esposa e decidi que logo mais iria até a Vila Mimosa (puteiro no RJ) para "descarregar" a raiva. Sabendo que minha cunhada curte mulheres, tinha vontade de conhecer a Vila Mimosa e nunca tinha ido num puteiro, decidi chamá-la. Já eram 2:30hs da manhã.
Eu disse: "Vou numa parada. Quer ir?".
Ela respondeu já sentindo qual era a parada: "Estou contigo pra qualquer lugar!".
Então arrumei uma desculpa e saí, e logo depois ela disse que iria pra casa. Já estávamos quase embriagados, mas conscientes. Pegamos um táxi e fomos ao puteiro.
Ao chegar lá deixei bem claro que o que ocorresse ficaria lá mesmo; esse seria nosso segredo, ela respondeu que era isso mesmo.
Perguntei se ela tinha coragem de ir pro quarto nós dois juntos, e ela respnodeu que não tinha problema. Deixei ela escolher a mulher. Foi uma negra linda e gostosona que cobrou apenas R$50,00 meia hora para ficarmos à três, afinal já eram quase três da manhã, dei um papo legal e praticamente era fim de festa.
Ao chegar no quarto, todos ficamos pelados, e pude ver que minha cunhadinha é uma delícia, magrinha e assim como eu, não tinha um corpo perfeito. Apaguei a luz, mas a puta falou que era pra deixar acesa. Eu estava meio constrangido, pois sou gordinho e não sou alto, mas a rola não me faz vergonha! A puta colocou a camisinha no meu pau e começou a me mamar, enquanto minha cunhada ficava apalpando a puta todinha.
Até que botei a puta pra fazer umas graças com minha cunhada. Aquela cena das duas fazendo safadeza, me deixou com mais tesão ainda! Deixei a puta com ela e resolvi tentar comê-la, mesmo sabendo que ela curte mulheres.
Fui por trás dela e comecei a dar beijinhos e mordidinhas e ao mesmo tempo acariciando seus seios, buceta e o corpo todo. Ela ficou surpresa com minha atitude, mas se estava rolando uma sacanagem das boas, ela acabou deixando eu fazer o que queria.
Depois, fui mais abaixo e dei uma linguadinha no cú dela e depois fiquei lambendo sua buceta rosadinha quase virgem e com cheirinho natural de buceta com tesão!!! Senti que ela gemia pelo duplo prazer comigo e com a puta.
Ficamos em pé, e enfiei meu pau por trás enquanto a puta ficava mamando seus seios e ela acariciando a vadia. Logo mais, coloquei a puta deitada, ela em cima da puta e eu bombando mais ainda por trás.
Quando a coisa está boa, o tempo passa rápido e a vadia já queria sair, pois já havia cumprido os 30 minutos. Mas eu ainda não havia gozado e minha cunhada estava cheia de tesão também! Perguntei pra puta se podíamos ficar no quarto mais um pouquinho, e ela disse que podíamos.
Logo minha cunhada deitou de barriga pra cima com as pernas arreganhadas, aí rolou o papai e mãe enfiando até o talo. Dei muitos beijos em sua boca deliciosa ao mesmo tempo que enfiava. Me dava mais tesão vendo a cara de prazer que ela estava. Mesmo sendo lésbica, o prazer era tão intenso que a vontade dela era que eu bombasse cada vez mais. Um tempinho depois, dei uma acelerada e gozei com meu pau dentro, claro que ainda estava com camisinha.
Nos vestimos e sem conseguir um encarar o outro descemos do quartinho. Comprei um refrigerante e passei em minha boca por fora para ver se tapeava o cheiro de buceta e cuzinho que minha cara estava. Não adiantou...
Entramos num táxi para ir embora e a deixei na porta do prédio. Como eu estava muito doido e com aquele cheiro de buceta na cara, mais o pau todo melado de gozo e óleo da camisinha, decidi que não podia ir pra casa. Já eram um pouco mais de 4:00hs da manhã.
Voltei pra casa do parente e ainda estavam bebendo, minha sorte! Pedi para dormir lá, pois estava muito louco e minha mulher ia "acabar" comigo. Deixaram na boa.
Acordei quase meio-dia, tomei um banho e cheguei em casa com a cara de que nada havia acontecido. Minha esposa mesmo ainda chateada, falava só o necessário comigo. E disse que minha cunhada havia viajado para a casa de praia do pai dela (meu sogro), pois minha esposa queria ir na casa dos pais (onde minha cunhada mora) pra pegar alguma coisa. Senti um alívio...
Depois de uma semana, quando a vi novamente, ela fingia que nada havia acontecido. E a chance dos parentes desconfiarem é praticamente nula, pois todos sabem que ela só gosta de mulheres. Me sinto "o cara", por ter dado um prazer tão louco para uma lésbica!
Nunca mais consegui comer ela novamente, mas estou esperando uma outra boa oportunidade. Afinal, se forçar acaba dando merda! Além do mais, do nada e na cara de pau, eu não consigo chamá-la para fuder novamente. Sinto no olhar que ela quer, mas assim como eu, espera uma boa oportunidade.
Não vejo a hora dessa oportunidade aparecer. Por enquanto só fico batendo uma punheta lembrando dessa loucura toda e sonho realizado!!!

Com o namorado do amigo Português - Parte 3

Então, acordamos no outro dia pela manhã, Luiz meu amigo tomou uma ducha e saiu rumo a seu encontro de amigos que iria com o Jorge, e com muita preguiça levantei, tomei banho de, pois um cafezinho, quando toca o interfone, fui até a porta pois pensei que fosse o pessoal do serviços de quarto trazendo as roupas que tinha enviado para lavanderia, ao abrir a porta, com quem me deparo em minha porta JC, o cumprimentei ainda de boca cheia, o convidei para entrar, a cada dia que passava aquele cara ficava ainda mais lindo aos meus olhos, entrou conversamos, pela primeira vez teríamos “tempo” pois ainda faltavam mais ou menos duas horas para eu ir para o centro onde faria o Casting, enquanto eu me arrumava nos conversávamos ele me contanto como eram as coisas em Portugal, sem brincadeira ele me contou umas três vezes, como funcionava o ensino dela e eu não entendi, mais fiquei com vergonha de perguntar por uma quarta vez, então me fiz de entendido.


Depois de já ter vestido toda a minha roupa, ele vem pra cima de mim, eu perguntei – JC não acredito que você me esperou vestir toda a roupa pra vir me agarrar, ele me disse que queria ter o prazer de tirar toda ela, o cara já veio me abraçando de pau duro, e me disse que já não consegui mais ficar perto de mim sem ficar excitado, disse para ele ficar tranqüilo que já estou acostumado a causar esse tipo de reação nas pessoas, então cai na risada enquanto ele desabotoava a minha calça e deixava o meu membro a mostra. Começou a me punhetar bem devagar, ele sabia que o tempo estava a nosso favor, perguntei se ele não se sentia mal por fazer isso com o namorado dele, então ele em resposta me perguntou – E você não se sente mal por fazer isso com seu amigo, pois notei que vocês ficaram amigos bem rápido, ele te adora sabia, disse que você é um amigão, nossa quando ele fechou a boca, eu me senti péssimo mais meu pau estava babando já, o tesão estava falando mais alto que a razão, então resolvi me render as caricias e trocamos um beijo, até então o melhor que já tivemos, um beijo carinhoso, quente e molhado na medida certa, o toque dos seus dedos faziam meu corpo arrepiar enquanto ele passava a mão por mim, por dentro da camisa, começou então a tirar minha camisa, e eu ia tirando o sapato para ajudar, quando estava completamente nu, ele se afastou um pouco e ficou olhando meu corpo, fiquei com uma certa vergonha, mais deixei rolar então depois de deixar ele se deliciar com as formas do meu corpo era a minha vez de atacar aquele cara Português, então ele me disse que era pra eu ficar tranqüilo, que o macho da situação seria ele, ou seja, teria que dar para ele de novo.
Fui me entregando as caricias dele, de quatro em cima da cama, com ele arranhando minhas costas, passando a língua pela minha bunda, os pelos do meu corpo se arrepiavam e meu pau chegava a doer do quão duro estava, o cara estava se tornando um mestre em dar prazer para outro homem, e só de pensar que dois dias atrás ele ainda era virgem, eu me sentia orgulhoso, por ter ensinado aquele cara, enfim... Ele parou com aquelas caricias, e se posicionou de frente a mim ajoelhado na cama enquanto eu estava de quatro na frente dele, eu já tinha entendido o recado, sabia que teria que me deliciar naquela “mamadeira” deliciosa, que já ansiava em tela de volta em meus lábios, chupava como se fosse o ultimo penis ereto da terra hehee, nossa que pau gostoso, nem sei por quanto tempo fiquei com aquele brinquedo na boca, mais nos momentos em que não estavam em minha boca, eu sentia falta, ele novamente se posicionou atrás de mim, e já veio encaixando meu corpo já não oferecia tanta resistência aquele membro que já conhecia e gostava, nossos corpos se encaixavam de forma perfeita, ele me segurou pelas costas, e começou a bombar, como verdadeiros machos fazem, o ar condicionado do quarto não conseguia esfriar nossos corpos, estávamos transpirando, ele então deita por cima de mim, e continua a me possuir só que dessa vez de forma carinhosa, o cheiro de seu perfume misturado ao cheiro de sexo, me embriagavam me deixavam extasiado como era bom aquele homem, ficamos nesses movimentos gostosos mais um vintes minutos, então ele tirou seu membro de dentro de mim e lavou minhas costas com seu liquido, me virou de frente e começou a me chupar, nossa que boquete gostoso, me chupava a glande enquanto punhetava meu pau, não foram cinco minutos e gozei em seu rosto, gozei fartamente, nos levantamos tomamos banhos juntos, e fomos ao casting.


No Casting, fui para o meu lugar, enquanto JC se posicionava juntos aos outros New Faces, que escolheríamos para o desfile do dia seguinte, começados os testes, primeiro começamos com as garotas, as meninas belíssimas rostos lindos, corpos perfeitos para o padrão, mais não tinham aquela ginga que as brasileiras tem na passarela, mais não podia fazer nada estava na Europa né, algumas garotas com um Q especial, foram as primeiras que chamei, depois deixei para equipe escolher o restante, ao final foram 32 garotas, então começamos a escolher os garotos, grande parte dos garotos tinham corpos normais, sem serem muito definidos o que particularmente prefiro pois acho que o modelo deve ser uma tela em branco, a roupa deve se destacar na passarela e não ficar em segundo plano, afinal vamos a desfiles ver as roupas, quando chegou a vez do JC fazer o percurso, ele entrou confiante, pois já sabia que o voto mais importante ele tinha, ele entrou com olhar e passos firmes, foi um unanime, todos concordamos em colocá-lo na lista do desfile, terminamos os testes e escolhemos 16 garotos, dentre eles meu objeto de desejo claro, ficamos mais ou menos umas quatro horas ate finalizarmos todo o processo,entre casting, provas de maquiagem e roupa, JC parecia bem profissional, focado ouvia todas as instruções de conceito da marca, eu o observava de longe não queria que ninguém desconfiasse de nada, ate para proteger ele.


Ao sairmos de la, o JC me disse que o Jorge havia telefonado, nos pedindo para encontrá-los no Mc Donald’s da Via Catarina, fomos pra la, ao chegarmos Jorge, me cumprimentou com um sorriso enorme no rosto me perguntando se tinha cuidado bem do “marido” dele, disse que tinha feito o possível, então JC, nos interrompeu dizendo que tinha passado no casting e que eu nem tinha ajudado que todo mundo tinha gostado dele, pois bem... Passamos toda aquela tarde juntos, tiramos fotos conversamos asneiras, comemos, fomos a uma espécie de casa de jogos, foi super divertido a tempos não fazia um programa meio adolescente assim, me senti ótimo, porque pela corria das cidades brasileiras, não temos tempo de aproveitar coisas assim. Quando já se aproximava das 20:00 h, decidi que era hora de ir embora pois no outro dia precisaria estar no local do evento as 06:00 da manhã nossa marca desfilaria as 11:00 e tudo deveria estar perfeito, o Jorge disse para ficar mais, para conversarmos pois nem saberia quando nos veria de novo, e que gostava muito da gente, então disse que em todo caso ele teria fotos, e fomos embora... Pra resumir, no dia do desfile acordei, me produzi todo, peguei minhas malas com algumas roupas de ultima hora, para o caso de algo das que escolhi para a passarela darem errado, e fui o motorista que contratei já estava a me esperar então fomos, cheguei ao complexo onde desfilaríamos a decoração da passarela já estava pronta e estava perfeita, então parei de me deslumbrar, e fui para o backstage, adoro a correria de antes do desfile, é gente chorando, modelos com crises de estrelismo, dali a mais ou menos uma hora o JC chegou, mais como estava aquela correria, então nem nos falamos, quando já eram 10:15, todas as primeiras entradas estavam prontas era só esperar o desfile agora.


Enquanto estava nos bastidores senti uma mão me abrançando por trás me virei meio no susto, pois às vezes alguns modelos mais assanhadinhos acham que podem ficar alisando a gente, ao olhar para baixo conheci as mãos que me alisavam era o JC, então ele me perguntou se teríamos algum lugar para podermos brincar um pouco, então entramos em uma sala onde eu tinha guardado os tecidos que não foram usados, mal entramos e ele já foi me beijando, estava com gostinho de bala de cereja, era muito bom beijar ele, ele já abaixou a calça e já estava de pau duro, então brinquei dizendo que ele não tinha mentido, porque toda vez que se encostava a mim já estava armado... Ele riu, e foi tirando minha calça, se agachou a minha frente, e começou a se deliciar com meu membro, alternava entre meu pau e minhas bolas, pedi pra ele andar logo pois logo o desfile iria começar, ele em resposta me disse – Tem calma, temos tempo. Pronto eu já estava a ponto de bala queria meter naquela bundinha de novo, mais não sem antes dar um belo trato nela usando a língua né, virei ele de costas me abaixei, e comecei novamente a dar um trato naquela bunda, que seria minha de novo, mais nosso tempo era curto, então peguei na mochila que estava lá, um preservativo, encapei o menino, e coloquei na portinha, mais uma vez sua bundinha oferecia resistência ao meu membro, pedi para ele relaxar, ele já soltava uns gemidinhos abafados, e foi se entregando, quando penso que não seu corpo já me engolia, que por sinal pra mim essas é uma das melhores sensações que existem, começamos um movimento intenso, ele chevaga seu corpo pra trás querendo mais centímetros meus, dentro de seu Corpo branquinho, eu puxei seu cabelo, e o ouvi dizer que adorava aqui.


Era o que eu precisava ouvir, comecei em um vai e vem que só os brasileiros sabem fazer, o cara não escondia a excitação quando estava prestes a gozar, ouvi a musica que abriria o desfile, isso cortou meu gozo, ele não me deixou parar, me disse pra continuar, pois antes as mulheres desfilariam pra então só depois serem os homens, nossa o jeito de puto dele me deixava louco, comecei novamente a bombar, me desliguei do que ocorria la fora, comecei então a fuder de novo aquela bundinha que era só minha, ele então esmagou meu pau lá dentro, sabia que ele estava gozando, só disse pra ele não gozar na roupa, então depois de cinco minutos tirei meu membro de dentro dele e gozei no chão, acho que perdemos a noção de tempo, pois assim que ele subiu as calças, a Eloize que era minha assistente estava chamando ele, então saiu do quarto e já entrou na passarela, nem vi a entrada dele ainda estava me recompondo, depois do desfile no “After party” todos elogiaram o desfile, e disseram que sentiram minha falta, então disse que gosto de acompanhar dos bastidores, aproveitando de cada segundo, o Jorge veio me cumprimentou junto ao Luiz, que fotografafa tudo (trabalho dele) os modelos todos estavam lá inclusive JC, pra resumir toda a historia a festa foi excelente o desfile foi memorável, e essa minha passagem por Portugal inesquecível.

jsfj1990@hotmail.com

 

Com o namorado do amigo Português - Parte 2

Bom... Depois de termos saído, no dia anterior com o Jorge e seu namorado JC. Luiz e eu voltamos para o hotel e ainda fomos assistir a um filme que passa na TV, o filme era uma saída de mestre ficamos vendo o filme e conversando, filme que por sinal era ótimo, conversa vai, conversa vem, ele me pergunta quem eu tinha conhecido e tal, eu desconversei dizendo que era um carinha que estava com a família, enfim, depois ele me perguntou o que tinha achado do namorado do Jorge. Eu disse que não tinha formado opinião que não conversamos muito, Luiz então dispara a dizer que desconfiava que o cara estivesse me dando bola, eu disse que era impressão dele, só estava me olhando porque eu era diferente, das pessoas que ele conhecia... Mudamos um pouco de assunto e Luiz veio me contar uma fofoca (coisa que eu particularmente adoro) me disse que seu amigo Jorge estava um pouco chateado pois o namorado dele, não queria fazer sexo, nossa na hora comecei a rir, não consegui controlar, Luiz meio que sem entender continuou a me relatar que eles nunca passavam das preliminares, daí tentei argumentar dizendo que o rapaz poderia ser virgem, ou inseguro com o próprio corpo por isso ele não queria sexo com o Jorge.

Luiz, já cansado de conversar e meio bêbado disse que iria dormir, e simplesmente apagou, eu fui para o banheiro tomei uma bela ducha, relembrando os momentos que havia passado um pouco mais cedo, terminei meu banho vesti meu pijama e tentei dormir, mais estava difícil já que o Luiz ronca muitoooo. Dentre alguns cochilos o dia amanheceu, levantamos tomamos banho, um café reforçado e fomos passear por Portugal, a cidade era linda, mais com uma arquitetura muito tradicional, para os que se ligam em construções históricas era a cidade perfeita, já eu sou mais vanguardista, gosto de coisas contemporâneas mais mesmo assim estava curtindo a cidade, andamos conversamos com as pessoas tiramos muitas fotos, fomos a museus lugares históricos, andamos quase que a manhã toda quando se aproximava do horário combinado fomos ao shopping para nos encontrar com os meninos, eu já ate conhecia o shopping, tenho uma memória ótima para decorar esses tipos de lugares não sei porque. Eu já estava ate branco de fome de fome depois de quase cinco minutos me perdendo de encantos com algumas vitrines avistamos os garotos, o Jorge estava com uma camiseta básica branca, que realçava muito seu corpo, e ele na parte do dia parecia bem mais bonito, já o JC, estava com uma T-shirt amarela, muito bela também, e estava lindo, com os cabelos ainda molhados, ai vê-lo minha vontade foi a de beijá-lo, mais deveria me controlar, nos encaminhamos para um restaurante almoçamos durante o almoço tudo normal, conversamos bastante o JC, estava mais comportado que no dia anterior. A comida estava ótima, ficamos cerca de uma hora no restaurante... Ao sairmos passeamos pelo shopping e nos sentamos em uma espécie de praça de alimentação pois já eram quase duas da tarde e pegaríamos a sessão das três no cinema, me sentei de frente para o JC, que já começava a me olhar diferente, enquanto Jorge contava piadas e riamos o namorado dele fazia sinais com a cabeça indicando o banheiro, nossa aquele cara me queria denovo, mais daí me lembrei do que ele havia me dito, que queria me comer, mais me lembrei que o pau dele era um pouco maior que o meu deveria ter uns 18 cm, enquanto eu tinha 17 cm, mais se tratando de penis um centímetro faz muito diferença.

Entendendo o recado, falei para os caras que iria a alguma loja comprar alguma coisa para passar tempo e iria aproveitar para andar e conhecer pessoas, e sai para o lado oposto do shopping, como já tinha ido lá no dia anterior eu sabia que ele tinha uma outra entrada lateral, dei a volta entrei do outro lado já passando para o banheiro, mal entrei no lugar e já ouvi um assovio e alguém abrindo a porta do banheiro, era o JC, que já estava la dentro de calça arriada e com o pau duro apontando para mim, já me sentia intimo do cara entrei dentro daquele banheiro segurando ele pelo pescoço e beijando aquela boca com gostinho de sorvete, quanto mais beijava mais eu queria beijar, estava com os nervos a flor da pele, queria aquele corpo de novo de qualquer forma, enquanto beijava ele, ele foi mordendo a minha nunca e me deu alguns chupões no pescoço que ficaram marcas na minha pele, e me disse ao ouvido num tom de voz que me fez arrepiar – Junior. Me chupa, nossa cara que delicia, fui descendo por aquele corpo ate chegar de frente ao objeto de desejo, que já estava todo melado explicitando o prazer que JC estava sentindo, seu penis era lindo, com prepúcio branquinho que encobria a glande rosada. Umidifiquei os lábios, e abocanhei aquela rola, nossa tinha tanto tempo que não fazia um oral, estava com um desejo tão grande, me deliciei naquele órgão, passava a língua por toda a sua extensão, abocanhava as bolas dele que tinha um pouco de pelos mais que para mim não era problema, quando senti seu corpo se contorcer, parei de chupar e fiquei de pé dizendo que queria ser chupado também, o cara, estava chupando melhor que no dia anterior, ele aprende muito rápido.

Ficou ali de joelhos me chupando uns 10 minutos, quando em um repente me virou de costas e passou a língua na minha bunda, me arrepiei todo, nossa como é bom, o cara mordia-me a bunda me dava tapas, eu pedia para ele parar com os tapas, pois poderia entrar alguém. Ele começou a enfiar dois dedos na minha bunda a seco, doeu um pouco, mais foi ficando gostoso, fez isso enquanto me punhetava, nossa estava muito gostoso, ele subiu colocou camisinha e encaixou, respirei fundo e fiz sinal positivo com a cabeça, senti aquela rola me rasgando, firmei as pernas, enquanto ela ia entrando parecia uma faca me rasgando por dentro, quando finalmente entrou tudo ele soltou um urro abafado nas minhas costas, enquanto uma lagrima me escorria o rosto, ele começou um movimento de vai e vem ritmado e lento, acho que pra eu me acostumar com aquele membro estranho dentro de mim, ficou assim uns dez minutos, quando já tinha relaxado ele colocou as mãos em minha cintura, e começou a bombar com movimentos fortes e intensos, o cara estava me fudendo sem dó nenhuma da minha bunda mais nem poderia reclamar afinal de contas tinha feito o mesmo com ele no tia anterior, eu Pedia para ele ir mais devagar que estava me machucando, mais ele me respondia – Não gostastes de fazer isso com outras pessoas, então me calei, e senti minha bunda esquentando, mais o prazer que sentia com aquele cara dentro de mim, era muito maior que a dor que seu membro me proporcionava, ele começou a me punhetar de novo enquanto me fudia, nem demorou cinco minutos e gozei, nossa mais gozei muito, tive um orgasmo, o cara ainda continuava bombando e agora me beijava a boca e dava uns gemidinhos, tirou seu membro de dentro do meu corpo deu uma só fez, me deu um certo incomodo, e uma sensação de vazio por dentro queria que ele coloca-se aquele membro de novo dentro de mim.

Enfim mais uma vez me virou de frente me olhando nos olhos e gozou, mais gozou muito, espirrou na minha camiseta, e me beijou de novo, ficamos trocando carias alguns minutos, enquanto sentíamos aquele cheiro de sexo no ar, nos vestimos mais eu não poderia continuar com aquela camiseta, pois estava manchada, e tinha cheiro do esperma do JC, então me recompus mais que depressa e fui a uma loja comprei uma camiseta nova e já vesti, colocando a minha suja dentro da sacola, voltei para mesa, o JC ainda não havia retornado, conversamos mais dali a dez minutos ele voltou, dizendo ao Jorge que havia encontrado uma amiga dele, e que perderam a noção de tempo enquanto conversavam. O cara falava isso me dando umas olhadas de rabo de olho, ele era ótimo em enrolar o namorado dele, enfim... fomos ao cinema na sala sentaram Luiz, Jorge, JC e eu na ponta, enquanto víamos o filme, eu senti uma mão passeando pela minha perna, no começo pedi para ele parar, mais quando mais eu tirava a mão dele, mais ele intensificava as caricias, ate que resolvi deixar, o Jorge estava bem concentrado no filme nem viu o namorado massageando minha rola, ele queria me punhetar ali mais não deixei, assistimos ao filme depois fomos jogar boliche.

Quando já íamos embora, os garotos marcaram de sair no outro dia, eu os disse que adoraria mais que não poderia ir, pois teria que fazer Casting, para escolher os modelos que iriam desfilar para a marca que eu trabalho, então convidei o JC para o Casting, ele topou na hora me agradecendo o convite com um sorriso, mais disse para ele que era um teste, que ainda não estava escalado para desfilar, então ele disse – Sou ótimo em testes, tenho certeza que estou nesse desfile, falou isso mordendo o canto da boca, então mais que depressa pra desfarçar disse o mesmo ao Jorge que respondeu que não curte essas paradas de moda, mais que se pudesse iria assistir ao desfile, disse que claro queria todos eles lá. Os garotos nos acompanharam ate a entrada do hotel em que estávamos hospedados, o Luiz combinou de sair com o Rui para ver outros amigos da época de escola, enquanto eu já sabia que no outro dia, teria um terceiro tempo com o namorado do meu amigo Português.

jsfj1990@hotmail.com

 

Com o namorado do amigo Português

Chamo-me Junior, sou Brasileiro e estilista de uma importante marca de prêt-à-porter tenho um super amigo meu português, sempre nos falamos, ele trabalha com fotografia e sempre ficava falando da terrinha, que tinha saudades e etc. Mais até então nada em mente de ir para lá, até que recebemos o convite para participar do evento de moda, Portugal Fashion, que seria na cidade do Porto... Mais que depressa, liguei para o Luis contando que iria a Portugal, ele então ficou feliz por mim mais disse que adoraria ir, mais nem eram férias do trabalho, disse para ele que havia dado jeito nisso, e que ele seria o fotografo da marca, que faríamos campanha publicitária lá e que queria ele para fotografar.

Ele quase morreu de felicidade passados os dois meses, estamos de malas prontas para Portugal Luiz era um homem lindo... Alto com 1,90 alt, uns 80 kilos, cabelos curtos 22 anos, branco, olhos verdes e com um mega sotaque.
Já eu sou moreno, 1,84 alt, 85 kilos, rosto com traços delicados, porém másculos, olhos castanhos escuros, cabelos no estilo militar, e voz grave, e 20anos no ramo que trabalho passo despercebido, muitos acham que nem sou gay ehehhe. Fomos ao aeroporto, e embarcamos, chagamos em Portugal, fomos para cidade do porto. Lá quem nos recebeu foi um rapaz muito simpático vou chamá-lo aqui de Jorge, Ele estava de carro e nos levaria ao hotel, conversamos um pouco, o suficiente para saber que o Jorge era gay, percebi isso por pequenos gestos que ele fazia, e a forma como olhava as pessoas, enfim, Jorge era um cara extremamente legal em minutos de conversa já tinha adorado ele mais no entanto ele era militar, e tinha retornado de uma missão pacificadora, entrei no hotel, estava exausto, enquanto Luiz e Jorge matavam saudades, eles tinham estudado juntos... Enquanto eles tricotavam eu fui para minha sessão diária de beleza, assim que sai do quarto, eles haviam combinado de ir jantar, então tive de concordar, já que não havia muito o que fazer... Sai na parte da tarde, fui ao ateliê de uma designer conhecida, elaborar minha coleção, acaba que enrolei durante toda a tarde e nem fui jantar com eles, ficamos trabalhando ate tarde, era muito a se fazer em pouquíssimo tempo.

No outro dia, de manhã mesma coisa, deixei o Luiz na piscina do hotel e fui trabalhar, na hora do almoço já tinha terminado tudo, o resto eram só detalhes que as costureiras mesmo poderiam fazer, já que não interferiria muito no conceito que havia criado, na parte da tarde fui passear sozinho pela cidade fui ao Shopping cidade do porto, andei por varias lojas, comprei algumas coisinhas, quando dei por mim já eram 5 da tarde, voltei para o hotel, tomei um banho dali a meia hora entra o Luiz, me dizendo pra arrumar pois iríamos sair, tinha comprados roupas novas mesmo, e estava ansioso para sair, pois ainda ouvia o barulho das maquinas de costura e já estava bastante ansioso com os desfiles que viriam ainda tinha que fazer Casting, provas de roupas queria mais era sair e distrair, e como achei o Jorge uma companhia bem agradável beleza me produzi e fui... Chegamos a um restaurante, com nome um tanto quanto engraçado chamado Pedro dos Frangos.

Era tipo um PUB, daqueles ingleses eu adorei,notei que tinha uma pessoa nova no grupo, era um “amigo” do Jorge, ele nos apresentou o rapaz, vou chamá-lo de JC, sentamos pedimos e ficamos a comer uma entrada enquanto esperávamos, dentre risadas, zuações de ambas as partes por causa do sotaque, hora e meia eu via que o namorado do Jorge ficava me encarando, ele era uma delicia, tinha 1,80 alt, pesava 70 kilos... Corpo super legal, cabelo meio cumprido, e uma cara de safado que nossa... Ele tinha o tipico rosto dos modelos europeus um tanto quanto feminino, era uma carinha de menino sapeca, mais já tinha 18 anos de idade no momento em que vi o cara, pensei em chamá-lo para o desfile mais fiquei na minha, naquela noite não queria pensar naquilo, e o Jorge poderia achar ruim eu fazer uma proposta daquelas para o namorado dele, já estava ficando meio exitado com o carinha me olhando toda hora. E já tinha gostado do Jorge como pessoa não queria fazer uma sacanagem dessas com ele.

Enfim... Mais nem morto que eu mexeria com o namorado do cara, até porque ele era militar, não podia apanhar em hipótese alguma, meu rosto é meu ganha pão heheh enfim, estávamos a comer quando sinto algo roçar em minha perna, com muita descrição olhei por debaixo do forro da mesa, era a perna do JC, nossa cheguei a engasgar, fiquei de pau duro na hora, como o forro era cumprido o namorado dele nem percebia o que ocorria ali debaixo

Ele percebendo que eu estava gostando, tirou o calçado e agora passava os pés na minha perna e como eu estava de bermuda, era toque de pele, ele ficava me olhando me desejando com os olhos enquanto seu namorado falava comigo, ele alisava o cabelo do Jorge, enquanto percorria meu corpo com a perna, estávamos em uma mesa de canto então ninguém via nem ele alisar o namorado muito menos a minha perna, terminei de comer, e nessa altura seu pé já acariciava meu membro que pulsava de tão duro dentro do shorts, levantei e fui ao banheiro, quando já saia entra o JC no banheiro e me empurra para de um Box. Meu coração disparou perguntei o que é que ele estava fazendo, ele me respondeu que só estava terminando o que havia começado embaixo da mesa, minha respiração ficou ofegante, e fui quase sufocado por um beijo, estava tão gostoso que fiquei com as pernas bambas, e ele começou a me alisar, percorrer meu Corpo com as mãos até que chegou a região abaixo do meu umbigo, foi desabotoando meu shorts, minha respiração ofegava, e ele dominava a situação, mordia minha orelha, passava a mão na minha bunda, comecei a virar o jogo encostei ele na porta, puxei seus cabelos fui mordendo sua nuca, aranhando suas costas, abaixei sua calça quando olhei aquela bunda... Nossa que delicia, queria comer ela de qualquer jeito, era uma delicia, nem grande demais, nem pequena fui abaixando até chegar naquela bundinha, metia a língua sem medo, fiz um cunette perfeito, beijava, mordia e chupava aquela bunda, queria ela de qualquer forma, notei que ele era virgem o que me deu mais tesão ainda, salivei bastante os dedos e fui forçando fiz ele curvar as costas, e fui passando a língua nas bolas dele e vindo ate o reguinho, nisso ele gemia, quando coloquei dois dedos, ele começou a se contorcer nos meus dedos e a gemer, então quando senti que estava tudo livre pra mim, e fui mordiscando suas costas ate chegar na nuca.
Então o virei de frente e vi que seu pau estava muito duro, o beijei com volúpia mais uma vez, e perguntei se ele queria dar pra mim, o cara era tão safado que já estava ate com camisinha no bolso, ele disse que iria usar com o namorado mais que se eu quisesse poderia estrear ele, nossa era isso que eu precisava ouvir, virei ele de costas de novo... Encaixei e fui empurrando, falei para ele relaxar que a sensação de desconforto passaria logo, fiquei forçando um pouco ate que parei, esperei ele relaxar, e quando ele ficou com a guarda abaixada empurrei e entrou tudo de uma vez, minha sorte é que alguém tinha entrado no WC isso o fez abafar o grito, ou um possível xingamento fiquei lá parado com meu pau duro dentro dele, enquanto ele ficava fazendo uns movimentos meio que esmagando meu pau lá dentro, queria que aquela pessoa saísse logo, eu queria bombar aquela bundinha, quando senti que a porta fechou, dei uma forçada nas costas dele, fazendo-o curvar e iniciei um movimento de vai-e-vem puxando seu cabelo, não poderíamos demorar muito, então comecei a literalmente fuder a bunda dele ele colocava a mão na boca tentando abafar os gemidos, fiquei fudendo uns 10 minutos ate que acelerei os movimentos, senti as pernas dele tremerem e sua bunda apertar meu pau la dentro, ele tinha gozado, seu gemidos e movimentos, me fizeram gozar dentro dele, enchi o preservativo de porra, tirei meu pau de uma vez, fazendo levar a mão na bunda, tirei a camisinha limpei meu pau com papel higiênico. E sai do banheiro, voltei pra mesa, cinco minutos depois, la vem ele, ele se sentou fazendo uma cara meio de desconforto mais disfarçou bem, me deu uma vontade enorme de rir, mais me segurei, quando o Luiz me perguntou aonde tinha ido, disse que estava conversando com um rapaz que tinha encontrado, o Jorge nada falou, nisso o JC, beija o Jorge na boca, novamente me deu vontade de rir, pois lembrei daquela boquinha no pau, minutos atrás ele beijava o cara, e me alisava embaixo da mesa, o cara era um puto de primeira eu deixei, já que tinha tirado a virgindade dele o mínimo que poderia fazer era deixar ele brincar com meu corpo né, saímos de la, andamos um pouco conversamos rimos mais um bocado ate que finalmente decidimos que era hora de partir, mas que no outro dia sairíamos para almoçar, tomar sorvete e assistir algum filme no cinema do shopping. Na minha cabeça eu já sabia que no outro dia haveria putaria denovo, nos despedimos, e quando ele foi me abraçar me disse ao ouvido enquanto alisava minha bunda – Amanhã é você quem vai dar Ok.

Como quem não entendeu nada, disse tchau, ate porque o cara tava ali, o namorado dele. Então nos viramos e fomos embora.

Em um próximo conto, eu relato pra vocês como foi o dia do shopping...

jsfj1990@hotmail.com

 

Homem que ama outro

Eu não aceitava a possibilidade de dois homens se gostarem a ponto de terem um relacionamento sexual, mas tinha curiosidade no assunto. Entrava no bate-papo uol e via pessoas com nicks bem apelativos. Troquei mensagens com alguns caras, mas os diálogos eram sempre os mesmos e levavam para a mesma direção: sexo sem fronteiras. Irritava-me às vezes pela banalização do assunto ali tratado, mas fui acostumando e aguçando a curiosidade enquanto o tempo passava.

Certo dia eu estava sozinho em casa muito para baixo e resolvir ir ao bate-papo, mesmo desiludido com as conversas de lá. Demorou pouco e comecei tc com um rapaz(M), cuja fala era bem interessante: direta e clara, porém, sem ser vulgar. Na verdade tinha um diálogo muito sincero, tipo rapaz do interior, digamos assim. Como a conversa foi tão boa e eu já estava seguro em relação a ele, resolvir recebê-lo em minha casa, apesar de ser um procedimento errado.

Eu que já tinha em mente, um perfil de homem que gostaria de ter para mim, decepcionei-me quando o vi entrar aquele porte de homem: estatura mediana, forte e com cara amarrada. Totalmente diferente do padrão de homem que eu criara em minha cabeça. No meu quarto, sentamos em frente ao computador e falamos de coisas banais enquanto o gelo ia se quebrando.
Acariciei as coxas dele, que são fortes e com pelos bem suaves, fui apalpando por sobre o short o pau dele até descobri que tinha um volume grande e macio. Fiquei admirado e prossegui com minha busca. Tirei a roupa do (M), deixando-o totalmente pelado, ali na minha frente: um pau super desenhado de 19cm, grosso, ligeiramente encurvado, saco grande e bem macio. Tudo isso para mim? Pensei.

Coloquei-o no sofá com todo aquele material à minha disposição. Fui acariciando e mamando cuidadosamente. Esfolei a cabeça do pau com muito carinho, passei a lingua por toda a extensão ainda meio bambo, enquanto aquele caralho ia inchando como massa de padeiro. Em instantes aquilo tornou uma tora duríssima como aço.  Sobre o kct do (M) tem uma veia grossa saliente que de tanto eu mamar, ela pulsava dentro da minha boca. Ele gemia baixinho jogadão no sofá.
Enquanto ia mordiscando cada pentelho dele, ia sentindo o odor super agradável do saco do (M). É impressionante como cheira bem, parece que vive o tempo todo banhado. Dei um trato legal chupando o pau, saco e cheirando as virilhas, ao passo que ele se contorcia de tesão.

Joguei-me sobre seu corpo macio, tocamos nossos paus, nos esfregamos e punhetei ele bastante. Coloquei camisinha no pau dele e deixei que ele mi penetrasse. Foi uma dor sem igual, merejou água dos olhos, mesmo assim não reclamei pra não fazer feio. Homemm que é homem aguenta sem fazer escândalos. O cara bombou, bombou e nada de gozar. Parece-me que ele não gozou, mas disfarçou que sim. Fiquei triste! Queria que ele tivesse gozado rios de porra. Acho que não foi bom para nenhum de nós, porém, fiquei com boa impressão dele.

Feito isso ele foi embora e sumiu do mapa. Eu pensava nele sempre e desejava vê-lo para termos outra oportunidade e fazermos sexo de boa qualidade. Após três anos eu o encontrei na sala de bate-papo de novo. Meu coração disparou e alegrei-me por demais. Outra vez ele veio em casa. Estava diferente, mais encorpado e com uns lábios lindos, destacado mais ainda pela barba por fazer. Disse que esteve morando durante este tempo na cidade dos pais dele. Nossa, foi tão bom aquele reencontro, tudo diferente, fodemos sem pressa e com maturidade.

Dai para frente passamos a fazer sexo uma vez por semana e da melhor qualidade possível. Eu sempre como passivo. Meu sonho era sentir meu pau entrar no cuzinho dele. Eu tentava colocar pelo menos o dedo, mas ele educadamente não aceitava. Um dia com muita insistência pus creme no meu dedo e coloquei no reguinho dele. Sempre mais eu investia nas dedadas e ele passou a  suspirar de tesão. Como era apertado, fiquei maluco e desejava muito aquele cu.

Eu implorava pra penetrar ele, e numa destas sacanagens ele pediu pra gozar na minha cara e claro eu deixei, foi sentando na minha barriga, se punhetando e se contorcendo, até que sentou no meu pau. Colocamos creme e fomos atolando. Putz, foi delicioso, era muito apertado e quando se punhetava mais arrochado ficava o cuzinho dele. Que sensação maravilhosa, foi a melhor da minha vida.

O (M) é um cara fechado, poucas palavras e quando diz algo, tá dito e pronto. Já penetrei ele algumas vezes e em várias posições nem que seja por pouco tempo. Gozei uma única vez no cu dele. O cara é fraco pra dar o reguinho, reclama da dor e é cheio de manha. Mesmo assim eu me realizado com ele. Nunca deixa a gente na mão, tá sempre presente e faz sexo como ninguém.

Eu sou bem mais velho que ele, por isso eu tento compreender os gostos dele e deixar que ele faça algumas escolhas sem pressioná-lo. Até porque ele é do tipo sincero,  honesto e não vive reclando o tempo todo. Eu gosto deste tipo de atitude.
A um ano atrás fui trabalhar noutra cidade, a 400km, da cidade em que ele estuda enfermagem. Vou encontrá-lo uma vez por mês e cada dia descubro que o sexo com ele fica melhor: pegação, oral e penetração. Ele goza e depois faz eu gozar. Nossa, como ele chupa bem, bate uma punheta federal na gente, sem contar nas artimanhas que tem para penetrar a bunda da gente. To feliz, com esses 5 anos de relacionamento.

Quem diria! Eu que não via possibilidades entre dois homens se relacionarem, tenho vontade de dizer pra o (M) que o amo muito. Acho chato esse tipo de conversa com outro cara e principalmente em se tratando dele, tão contido. Deixarei que minhas ações falem e ele sinta este sentimento. Não sei o que ele pensa sobre isso e nem vou procurar saber. Mas são muitas interrogações que fica na mente de um cara que gosta de outro. É muito complicado … acho! Essa é uma homenagem, a ele que certamente não lerá este conto, mas se duas pessoas lerem pelo menos, saberá que há no mundo um homem que amo outro de verdade… e já está de bom tamanho.


Conteúdo sindicalizado