Contos Eróticos

Saindo com meu vizinho casado

Me chamo Gustavo, tenho 21 anos. 1,77m, magro, olhos azuis e cabelo castanho. O que vou contar aconteceu em janeiro de 2010. Estava sentado na frente de casa, com mais dois amigos bebendo cerveja e dando risada. Minha mãe dormia e o restante da família viajava. Observei que meu vizinho ficava olhando e saindo para a calçada a todo o momento, parecia inquieto. Ele era fortinho, 35 anos, cabelo curto e barba, não muito alto, bem charmoso, advogado, casado e com 2 filhos. Sempre saia de terno e gravata e eu ficava imaginando aquele corpo sem roupa.
Depois de algumas cervejas meus amigos foram embora e fiquei sozinho na calçada, guardando as cadeiras e juntando as latinhas que tomamos. Quando olho para o lado, meu vizinho bem próximo, de regata, shorts e chinelo, sorrindo.
- Oi, tudo bem?
- Tudo bem sim...e você? - Fiquei nervoso quando o vi porque quem é que aparece do nada na rua, puxando assunto as 2 da manhã?
- Eu to bem...bebeu bastante?
- Ah, um pouco.
- Eu também tava bebendo, mas não tem muita graça beber sozinho.
Silencio por alguns segundo e ele arrisca:
- Você até que pode ser discreto, mas esses seus amigos que estavam aqui são bem bichinhas hein?
Gelei na hora. Ele sabia da minha orientação sexual. Ele conhece meu pai, afinal é meu vizinho. Fiquei com muito medo e não falei nada. Ele puxou assunto:
- O que você vai fazer agora? Vem aqui em casa, eu to sozinho. Minha mulher e meus filhos foram para Curitiba. Vamos beber uma juntos.
Meu nervosismo era tanto que nem consegui dar uma justificativa convencível para um não que acabei dizendo sim.
- Vou guardar essas coisas e já apareço na sua casa.
- Ok.
Guardei tudo rapidamente, e corri para a casa dele.
Ao chegar, ele me aguardava no portão. Abriu com cuidado e disse baixinho: vamos entrar.
A sala era simples, com uma mesa ao meio e os sofás. Me disse para ficar a vontade e foi pegar uma cerveja para a gente. Estava sentindo um clima de sacanagem na parte dele. Da minha também. Mas ele era casado, não podia fazer nada com ele.
Ele voltou com duas latinhas, sem camisa e de pé no chão. Olhei rapidamente seu corpo. Bem peludo e troncudo. Perfeito.
- Não falei pra você ficar a vontade? Tira esse tênis, ta calor...
Tirei sem graça e o papo começou. Conversamos sobre faculdade, futebol, coisas normais, de homem. Até que chegou num assunto interessante:
- Estou me separando, os papéis já estão em andamento. Ontem toda a família foi viajar e eu fiquei porque na segunda trabalho normalmente. Mas e você? Sua família sabe que você é gay?
- Não sabe..nunca contei.
- Você parece nervoso. Porque ta assim?
Eu realmente estava nervoso. Nunca falei com o cara e estava sentindo segundas intenções no ar. Tudo ao lado de casa.
-Estou tranqüilo...to relaxado
Ele se levantou, pegou por cima do pau e falou:
- Eu também to relaxado. To tão relaxado que olha o jeito que você me deixou.
Engoli seco.
- Esse seu jeito..alto, magro, tímido. Me deixa com um tesão do caralho.
Ele sentou do meu lado e ainda por cima do short falou:
- Pega aqui por cima pra você ver como que ta duro.
Senti aquela coisa enorme no meio das pernas dele. O pau do cara tava de lado. Era bem visível que o tamanho ia dar trabalho.
No mesmo momento ele sacou o pau pra fora do zíper. Um caralho cheio de veias, de uma cor só, branquinho, com uma cabeça grande e babada. Ele passou a mão por todo o meu corpo, tirou minha camisa e falou no meu ouvido: chupa.
Caí de boca naquele cacete perfeito. Tinha uns 19 centímetros, com um gosto de macho de verdade com suor, e eu mal conseguia socar tudo na boca. Tinha muitos pelos na bolas, o que dava mais cheio de macho ainda. Grosso e grande, do jeito que todo mundo gosta.
Eu mamava gostoso e ele gemia: - Isso biscatinha...isso mesmo, mama seu machão. Mama tudo bem forte e gostoso. - Eu tava com um tesão incontrolável. Queira ficar lá a noite toda com ele.
Tiramos toda a roupa rapidamente. Ele me deitou no sofá de bruços, abriu meu bumbum com as mãos grandes de macho e falou: Que coisa mais lindinha...bem lisinho. Meteu toda a língua até me fazer gemer. Passava a barba por toda a bunda e cuspia com tesão e depois lambia tudo.
Bruscamente ele me pega pelo cabelo e faz engolir novamente o caralho dele. Ele de pé, socando na minha boca e gemendo e eu sentado no sofá, sentindo aquele caralho coçando na garganta. Aquelas palavras me deixavam com muito tesão:
- Sabe quem que é minha putinha? Você...por isso vai me mamar muito...Eu demoro pra gozar e você ta preso aqui comigo. Quem manda sou eu. - E socava o caralho na minha boca. Eu já tava louco pra gozar, mas ele disse que tinha muita coisa por vir.
Por um momento ele me deixou sozinho: foi buscar a camisinha no quarto. Rapidamente colocou no pau que pulsava de tesão e veio na minha direção. Me pegou de jeito, me deitou no sofá com as pernas no chão, se ajoelhou e meteu a língua no meu cuzinho: - Pra você agüentar tem que lubrificar muito bem...
Depois se levantou e foi colocando bem devagarzinho dentro no cuzinho que piscava desesperado. Eu estava com medo de doer, mas o tesão e a paciência era bem maior pra tudo ser perfeito. Bem devagar ele foi bombando e me xingando de tudo quando é nome: - Seu viadão, que delicia de cuzinho apertado. - E puxava meu cabelo com uma mão e a outra colocava na minha boca, pra chupar seu dedo. Era delicioso sentir aquele cabeção entrando e saindo, arregaçando meu cuzinho pouco experiente. Depois de muito entra e sai ele informa: - Vou gozar, vem aqui comigo.
Ele deitou no sofá e puxou minha cabeça pra barriga dele: - Você quer leitinho né? É isso que você quer, leitinho quente na cara é? – Eu tava segurando minha porra a muito tempo, louco pra sentir aquela esporrada na cara.
Minha boca tava aberta, esperando pelo leite de saco de macho. Dava pra sentir aquele cheio de porra com suor de macho de verdade. Aquilo me dava mais tesão. Foi quando senti um jato quente na minha boca, e foi se espalhando por toda a cara...escorrendo pelo nariz e entrando da minha boca. Bem quente de denso. O macho gemia de mais, e puxou minha cabeça pra mamar o resto da porra que ainda estava saindo do caralho. Eu gozei no mesmo momento, litros de porra pelo chão. Foi a melhor foda da minha vida. Tomamos banho juntos, dando risada e eu voltei pra casa. Hoje fingimos que nada aconteceu, e ele ainda esta com a mulher dele.

 

Aquele investigador ficou para a história

O cara estava lá, na minha frente, lindo ! Tudo aquilo que se pode falar de um homem grande. Ele era todo “ÃO” .... bundão, pernão, pintão, ombrão...Uns 45 anos ...Daqueles que realmente enchem uma cama. Lindo, 1,90m, uns 95 Kg, moreno, um sorriso maravilhoso, daqueles sorrisos que esquentam tudo na gente, olho castanho bem clarinho, quase esverdeado, cabelo curtinho, grisalho somente nas têmporas ...rsrs
Conheci o Leonel dois dias antes, no sábado de madrugada, numa situação muito peculiar . Ao sair de uma festa, eu e uns amigos resolvemos ir andando para aproveitar a brisa da noite - pleno mês de fevereiro – fazia muito calor . No caminho, fomos abordados por um grupinho que pretendia nos assaltar ... Nosso grupo reagiu ao ataque e acabou saindo uma briga feia. Para encurtar esta parte da historia, fomos dar queixa na delegacia mais próxima, especialmente porque haviam nos roubado documentos.
O investigador de plantão, o Leonel, nos atendeu muito educadamente mas, deu a entender, que dificilmente conseguiria recuperar nossos documentos e dinheiro. Fez o boletim de ocorrência. De tempos em tempos, ele levantava o rosto do teclado e me dirigia aquele sorriso maravilhoso. Achei que estivesse ficando louco, especialmente porque vi aquela aliança imensa no anular da mão esquerda... Determinado momento, ele me pede telefone residencial, endereço, telefone comercial, endereço comercial e finalmente o telefone celular. Achei que fosse praxe, porém, ao pedir os dados dos meus amigos, só pediu endereço e telefone residenciais. Achei mais esquisito ainda, mas fiquei na minha... afinal de contas, ele era “autoridade” e eu estava em uma delegacia .
Determinado momento, ele me pediu para ir para o lado de dentro do “guichê” para ler e assinar o boletim de ocorrências. Abriu uma porta ao lado do “guichê” e me conduziu por um estreito corredor... estreito o suficiente para ele dar aquela “ralada” em mim...Uma “encostada” bem lenta, a ponto de sentir o cheiro do cara, a temperatura do corpo e o volume logo abaixo da barriga....
Decididamente o cara tava doidão. Atribui a situação àquela “síndrome do plantão” .... do mesmo jeito acontece com os “recos” que ficam de plantão nas guaritas dos quartéis... Ficam de pau duro o tempo todo, se acabando nas punhetas ...Achei que o investigador estivesse “sofrendo” do mesmo “mal” ....Afinal de contas, aquela aliança estava lá para mostrar que o cara era casado, né ?
Me ofereceu a mesa dele para ler e assinar o B.O. De pouco em pouco, o Leonel insistia em dar uma olhada no B.O. por cima do meu ombro, para “acompanhar a leitura comigo” e aproveitava para dar aquela ralada no meu braço, ou no meu ombro. Quando não, chegava bem perto da minha orelha e falava com aquele vozeirão... ou respirava bem perto da minha nuca ...
Por mais que eu fosse discreto (detesto dar bandeira – mesmo na frente dos meus amigos que sabem que sou gay)...chegou uma hora que não tinha mais como disfarçar... o pau duraço, fazendo um baita volume na calça.. e eu tive que levantar.
É claro que o investigador percebeu... Me conduziu pelo corredorzinho novamente.. mais uma “raladas” ...Tudo isso em absoluto silêncio .
Ao nos despedirmos, fez questão de apertar as mãos com aquele olhar e sorriso e me deu seu cartão.... “fique com meu cartão / para saber o andamento do caso .... se obtivermos sucesso, nós te ligaremos – olhe, liga mesmo, ta ?? Veja se não fica esperando somente nós aqui da delegacia te ligarmos .!! Se você. não ligar eu te ligo” ... Uma insistência descabida ... que quase me mata de vergonha .. Eu estava super constrangido.
Eu de pau duro , o cara de pau duro, sem fazer questão nenhuma de esconder. Ele olhando, sorrindo, alisando o pau por cima da calça. Fazendo questão de olhar para mim também... e o pior : quanto mais ele olhava, mais eu ficava excitado. O cara parecia um adolescente “doidão”... numa excitação que parecia um gato no cio.
Quando saímos da delegacia, meus amigos começaram a me zoar....que eu tinha arrebatado o coração do investigador... outro dizia que eu tinha conquistado o cara e que com certeza ele iria me ligar .
Descartei a hipótese na hora.... porque ele era casado e também porque achava que ele somente estava com tesão por ser a noite... por termos entrado na delegacia justamente na hora que ele deveria estar pensando em alguma transa interessante.
Pois é... para minha surpresa, ele ligou novamente na mesma madrugada. Disse que era verificação de dados, para dar real andamento na investigação (desculpa mal dada...rsrs). Disse que , agora que tinha certeza que os dados do B.O. estavam corretos, que iria se empenhar em achar os “trombadinhas”.. Agradeci e me despedi.
Difícil conciliar o sono .... Aquele moreno não saia da minha cabeça... aquele cheiro, o mãozarrão, aquele “corpão”, todo proporcional..bonito, ousado, gostoso,... faltava o que ?? ...só faltava ele na minha cama .... heheheh
Passou o domingo todo e nada .... Na segunda feira, eu já estava doidinho para dar uma ligadinha para a delegacia ou até ( se fosse corajoso para isso) para o celular dele. Se ele havia me dado o numero do celular é porque queria que eu ligasse, né ?? Mas e o medo de ligar e a mulher dele atender ??..Achei melhor esperar...
Na segunda-feira à tarde... ele liga...o vozeirão ao telefone me fez “tremer” . Me chamava para ir a delegacia para fazer “reconhecimento dos miliantes”...Haviam achado um barraco cheio de documentos, dinheiro, jóias, drogas... Nossos documentos estavam no meio, mas não sabiam se os caras eram os assaltantes ou receptadores das mercadorias. Perguntei se era para chamar meus amigos ... ele disse que não havia necessidade. Apenas o reconhecimento de um de nós já bastava. Pedia apenas que eu fosse ainda naquele dia, pois o plantão dele iria acabar e ele não gostaria de deixar o assunto sem uma finalização adequada .
- Muito bem, que horário você. quer que eu vá ?
- Entre 17:00 e 18:00 ... é o horário que vou entregar meu plantão. Assim que você. chegar a gente resolve isso eu consigo me desvencilhar do plantão e dos relatórios.
Cheguei na delegacia 17:30 – ele me levou em uma saleta, parecida com aquelas de filmes policiais – faltava era o espelho para fazer o reconhecimento..rsrs ... mas a tal saleta tinha outra porta além da porta por onde entramos. Nesta segunda porta tinha um “olho mágico” – tipo aqueles que existem nos apartamentos ...Para explicar como proceder, ele se inclinou para o tal “olho mágico”...ao mesmo tempo que se inclinava, me puxou pelo braço, para que olhasse no tal “buraco”...Tive que praticamente me enfiar embaixo dele para enxergar pelo tal “olho” e ele nem se moveu para facilitar minha passagem ..Resultado, tive que me encostar nele. O cara ficou com as mãos apoiadas na porta e eu por baixo dele para enxergar pelo “olho” .É obvio que ele aproveitou a chance de me “ralar” novamente .O caralho do cara dava “pulos” sob a calça. Aquele cheiro, mistura de perfume, bala de men ta e o cheiro próprio dele. Nada de “fedor de suor” ... mas um cheiro bom de homem, cheiro de quem esteve trabalhando há muitas horas... e eu ...adorei !!
Dois dos miliantes, realmente faziam parte do grupinho que nos assaltou. Outros dois que estavam lá eu não reconhecia.
Feitas as anotações, o Leonel me pediu que esperasse para que fosse assinar os documentos necessários do reconhecimento.
Eu como bom brasileiro, fiquei morrendo de medo. Disse para ele que temia fazer este tipo de reconhecimento, afinal de contas, o que aconteceria quando “soltassem os assaltantes por falta de provas – como é comum acontecer em nosso País”
Ele olhou bem sério para mim e soltou ....- e por que você acha que eu deixaria alguma coisa de ruim acontecer com você? Eu vou te proteger !!
Fiquei meio desconsertado... tinha alguma coisa que não combinava bem. O cara ficava de pau duro quando roçava em mim , não fazia questão nenhuma de esconder isso de ninguém (me colocando inclusive em situação embaraçosa), agora dizia que ia me proteger...Mas não dizia isso simplesmente. Dizia com intensidade de quem estivesse fazendo uma “proposta”...
Eu já sou um homem maduro, 42 anos. Não sou de ficar imaginando coisas onde não existem. Mas não estava sabendo direito o que estava acontecendo....
Como disse, tinha alguma coisa que não combinava ... uma aliança enorme !
Na hora de assinar a tal papelada, o “ritual do corredor” aconteceu novamente. Desta vez porém, com maior intensidade, ele chegou a me pegar pela cintura, me encoxou, sussurrou no meu ouvido que queira sair comigo, beijou minha orelha...
Assinei os papéis e já ia saindo, meio roxo de vergonha. Vários policiais haviam visto a cena e ele não se fazia de rogado ... aquele baita volume, as “pegadinhas” por cima da calça ...Mas ao dar a mão e me despedir, ele me segurou... “-insisto em lhe dar uma carona “ Disse que não precisava e tentava de tomo modo me livrar daquela situação. Não sou de fazer cu doce, mas aquela aliança, o lugar, tudo me constrangia muito...E pensar que tantas vezes fantasiei uma cena de sexo dentro de uma delegacia com direito a fardas, prisioneiros, algemas, grades, cacetetes.. rsrs .Mas diante da realidade, fiquei realmente “intimidado”.
Por fim, não teve jeito. Ele insistiu demais. Pediu que eu esperasse apenas alguns instantes para ele largar o plantão e daí me levaria para casa.
Já que não tinha como me livrar da carona, achei melhor aceitar o choppe...e agora ... o cara estava lá, na minha frente, lindo ! Tudo aquilo que se pode falar de um homem grande. Ele era todo “ÃO” .... bundão, pernão, pintão, ombrão...Uns 45 anos ...Daqueles que realmente enchem uma cama. Lindo, 1,90m, uns 95 Kg, moreno, um sorriso maravilhoso, daqueles sorrisos que esquentam tudo na gente, olho castanho bem clarinho, quase esverdeado, cabelo curtinho, grisalho somente nas têmporas ...rsrs
E eu morrendo de medo de “atacar”...Estava na cara que ele estava com tesão... e a tal aliança ? fazia o que com ela ?
Falamos “um pouco de nada” para descontrair. Depois do segundo choppe, a conversa já fluía melhor, o sorriso já saia com maior facilidade. De vez em quando, ele debruçava um pouco mais na mesa e ficava bem pertinho de mim. A perna roçando na minha. A certa altura, a mão dele desceu por debaixo da mesa e apalpou meu cacete. O cara estava realmente “doidão” ...
Disse para ele que precisava ir embora, pois tinhamos trabalho no dia seguinte. Ele prontamente se levantou, “daquele jeito”, pagou a conta e fomos embora.
No caminho ele somente perguntou... na sua casa, na minha ou num motel ??
Paramos na minha casa, pois era a mais próxima... Mal entramos, ele já me deu aquele agarrão pelas costas, esfregando aquilo tudo na minha bunda.
O cara me abraçava por traz, me apertava o peito com as mãos e sussurrava no meu ouvido. Falava palavras carinhosas e ao mesmo tempo muito sacanas. De vez em quando, a mão descia do peito e ia até minha barriga e meu caralho.
O fulano era “habilidoso”. Rapidinho tirou minha camisa e minha calça. Me deixou de cueca e me convidou a tirar a roupa dele;
Meus amigos, que visão era aquela ...O cara era lindo por inteiro. Que corpo ! Nada de barriga... tudo certinho. Muito músculo, muito pelo. Deixei ele de cueca também, uma samba canção branca, completamente armada..rsrs
O cara me colocou no chão ali da sala, me deu um baita beijo, seguido de um banho de língua, Arrancou minha cueca com os dentes. Alternava: língua e mordiscadas, bem de leve.Não deixava nada de lado... subia e descia no meu corpo . Beijava, mordia, lambia, sussurrava, alisava com as mãos, abraçava com as pernas. Uma coisa de outro mundo como aquele camarada sabia”dar carinho” .
Em dado momento, ele começou a se dedicar especialmente ao meu cacete que estava a ponto de explodir. Subia e descia com a língua. Apertava, punhetava, abocanhava.... Quem diria... um homão daquele tamanho. Acariciava como um “gatinho” .... tudo bem de levinho, com muita suavidade.
Quando eu menos esperava ele me “encapou” ....arrancou a sua cueca e sentou se encaixando .... O cara fez meus 19 cms sumirem... Subia e descia com maestria. Dava aquelas “mordidinhas de cu” , rebolava, e apertava meu peito. Gemia de prazer , mas nada “afetado” . Aquele homem até para “gemer” era MACHO.
Ele conduzia todo o ato . Mal me deixava encostar a mão nele ...quando percebeu que eu iria gozar, se deitou sobre mim e me lascou aquele beijo ....Gozei feito um doido, com direito a urros, gritos e “choques” .
Ele ainda ficou um tempo comigo enterrado nele... Depois saiu e começou a me acariciar novamente... Não precisou muito pra me deixar de pau duro novamente...
Agora ele já permitia que eu participasse das caricias também ... Nos encaixamos para um 69, que foi maravilhoso. O cara tinha uma pistola de uns 23 cm .... estupidamente grosso – um “estouro”...Grande, duraço, lindão – todo proporcional como o dono ...rsrsr
A entrega era total, tanto eu como ele íamos e vínhamos nos corpos um do outro, com muito tesão, total desinibição. Nada de pudores. Tudo muito louco. O Leonel me colocou de quatro. Foi foda agüentar tudo aquilo. Não teve “jeitinho e nem carinhos” certos ...rsrsrss .... Quando aquela “potência” entrou em mim, quase desmaio. A história da “dor que foi substituída pelo prazer” .... demorou muito a chegar. Mas chegou !! Quando deu aquela “laceada básica”... ele passou a bombar ... A princípio devagarinho, depois apressando um pouco. Ás vezes parava, tirava todo. Voltava à sessão de carícias, beijos, abraços, chupadas. Depois voltava a todo vapor. Cada hora em uma posição. Estava de frango assado quando ele começou a acelerar e arfar .... Meus amigos, quanto tesão .... O cara explodiu em gozo. Fez questão de arrancar a camisinha e gozar em cima da minha barriga .
Mas não tinha acabado não !!! O “doido” encapou novamente e recomeçou.... Me colocou sentado no colo dele e “socou o pilão” ... Putz – sem comentários .... Que coisa boa... juntinhos , grudadinhos pelo suor. Numa explosão de sensações, gozamos novamente – desta vez juntos. O caralho dele de “enorme” passou a “super enorme” ....inchou muito dentro de mim ..... o cara estremecia todo... uma delicia ...
Ficamos abraçados um tempão. Só quando “aquilo tudo” amoleceu, ele tirou e fomos tomar banho .
Como já era tarde, ele ficou lá em casa. Pela manhã, eu sai para ir trabalhar e deixei ele dormindo ... Afinal de contas era um policial/investigador ... o máximo que aconteceria era eu ter que dar “queixa” dele ..
No final da tarde, quando entro em casa, surpresa.!!! Encontro aquela maravilha, só de cueca, todo cheirozinho, me esperando para tomar o “lanchinho da tarde” ....
O cara não tinha ido embora – contrariando as expectativas - Me disse que a “aliança” era um “anel de formatura”... e que ele gostaria muito de me “conhecer melhor” .....
Nos abraçamos, beijamos e aproveitamos o tempo – enquanto ele não ia para a delegacia para o próximo plantão ....

comente: caca.cacador@bol.com.br

 

Dei para o corretor macho

om, o que eu vou contar aqui é um fato verídico, e aconteceu comigo
Eu sou um cara simples, sou claro 1,76m, e com uma bundinha muito empinada, que sempre chamou a antenção de homens e mulheres, pois além do dom natural, eu faço exercício para os glúteos, rsrsrs.
Mas enfim, naturalmente o melhor lugar pra achar uma rola gostosa é a internet, as salas de bate papo dos vários sites, o orkut e etc. Bom, um dia desses eu estava com um tesão muito grande, na verdade eu tenho poucas experiências, e com caras de pau normal. Mas nesse dia eu estava louco, queria ser arrombado, queria que me dominassem e me rasgassem, queria uma rola de respeito. Então entrei no chat com um nick já sugerindo o que eu queria: Gremistaquer
Logo começaram os papos, muitos heteros curiosos e inseguros, e muitos mentirosos.
Porque mentirosos? Oras, eu queria um rola de verdade, um mastro, uma pica gigante, e exigia provas, então conversávamos um pouco pelo chat, trocávamos MSN e íamos pra lá.
De cara eu já tinha um foto linda do meu rabinho que deixava qualquer um duro que nem pedra.
E então eu exigia a prova, queria ver na cam ou foto do pau do cara, nem que fosse de celular.
Mas por umas duas horas, não dei muita sorte, até que entrou um cara: CasadoDiscretoQuer.
Bom, sempre curti casados pela discrição e pelo jeito que tem, são mais jeitosos. Fui logo puxando
conversa: "E aí, quer o que? rsrsrs" E ele: "Sexo com outro macho. Quero um cú."
Nossa, curto e grosso, bem o que eu queria. Papo vai e papo vem, fomos pro MSN. Lá ele já endoidou, elogiou minha bunda, foi falando como ia me comer e tals, fui mostrando outras fotos e empolgamos tanto que eu quase estava esquecendo que eu queria dar pra um caralho arrombador naquele dia e não pra qualquer caralho. Ele tinha uma atitude muito de macho dominante que me seduziu, mas respirei fundo, e pedi a prova: "liga a cam pra eu ver o tamanho da sua pica".
Ele tinha me dito que tinha 20cm de jeba, agora eu ia conferir. Ele ligou a cam, e nossa!, que delícia, era realmente uma senhora rola. Não tinha 20cm não, mas chegava bem perto, em torno de 18cm, mas o melhor, era grossa e cabeçuda, meio torta pro lado. Uma delícia. E ele era o tipo de homem que eu gosto, macho, com uma barriguinha de chopp, pêlos, uma delícia.
Tava decidido, ia dar pra ele nem que eu tivesse que chorar e ele me sangrasse o cú. (era o que eu queria mesmo!)
Mas já era tarde da noite e não poderíamos sair aquele dia, ele porque teria que inventar uma desculpa pra esposa, e eu para os meus pais, com quem ainda moro.
Então trocamos celulares e descobrimos que tanto pra ele como pra mim, o melhor horário para trepada seria depois das 18h até umas 19h30mim. Na hora do rush mesmo. Combinamos que ele me ligaria depois das 18h do outro dia e nos encontraríamos em algum lugar.
Bati uma punheta gostosa com um delicioso plug anal pequeno me acariciando o reguinho, e fui dormir sonhando com o dia seguinte.
Trabalhei normamente, e perto das 18h a ansiedade fo crescendo, até que toca o celular.
"Oi cara, sou eu, o casadodiscretoquer!" Respondi: "Opa, beleza cara? E aí, vamos...?"
Ele falou "Claro, olha só, deixa eu te dizer uma coisa, eu sou corretor de imóveis, tenho a chave de vários casas vazias que a gente pode ir, melhor que motel, mais discreto, e sempre podemos dar a desculpa que eu tava te mostrando a casa"
Concordei e expliquei pra ele que, nesse caso, era melhor ser uma casa meio pequena, para alugar e não para vender, assim a desculpa colaria mais fácil, afinal tenho 21 anos apenas.
Ele concordou e me deu o endereço. Bom, era uma casa meio afastada, na periferia, em estrada de terra ainda (interior é fogo!) mas era um bairro muito movimentado, com muitos moradores.
Bom, lá fui eu, muito movimento, pessoas na frente das casas sentadas, vendo o movimento, até que avisto a casa com a placa de "aluga-se". O carro dele estava do lado de fora, estacionei o meu logo atrás e fui em direção ao portão, ele estava na pequena área da casa, me esperando, nos cumprimentamos, entrei pelo portão e pude reparar que a casa estava bem suja, empoierada, e toda escura, sem nenhuma luz acesa, a única luz que tínhamos era do poste, na rua.
Nesse momento vi que ele era um pouco mais baixo do que eu, mas isso não é problema.
Bom, ele abriu a porta e entramos. Nessa hora eu já estava louco de tesão, toda a apreensão do local estranho, escuro e sujo, na verdade virou excitação. Eu estava amando aquela situação.
Ele trancou a porta atrás de mim e ficamos na sala da casa mesmo, ali com o chão todo sujo, e com uma fraca luz que entrava pela janela com vidro temperado, até que ele fala: "E então, o que você quer fazer?" Eu fui em direção a ele e já levei a mão em sua pica, enquanto empurrava a cabeça dele na direção do meu pescoço e peito. Ele me lambia e mordia enquanto eu esfregava a mão naquela rola que ainda tava meia bomba. Então, subitamente, ele me puxa pelos cabelos e empurra minha cabeça pra baixo com muita força e fala "chupa meu pau!" Eu relutei um pouco em ajoelhar poque o chão estava muito sujo, fui olhando ao redor pra ver se via algo para colocar no chão, mas ele não deu tempo, me forçou para baixo com o peso do corpo. Ajoelhei no chão sujo mesmo e fui abrindo o ziper da calça pra libertar logo aquele cacete de homem e engolir aquela delícia.
Não aguentava mais, então sem enrolação, ele foi tirando a cinta e abaixou a calça a cueca até os joelhos, e deixou aquela delícia de rola gigante a mostra, pegou minha cabeça com a duas mãos e forçou contra o pau e a virilha dele, eu nem tinha colocado a vara na boca ainda, mas ele ficou ali, esfregando seu pau e saco de macho bem na minha cara. Esfregava sem dó, e falava" cheira meu saco seu viadinho, sente cheiro de macho aí..."deixou minha cara toda cheirando rola,nossa, uma delícia. Mas eu queria mesmo era engolir um cacete, então eu fiz um pouco de força contra as pernas dele, me afastei e abocanhei aquela delícia. Fui devagar, pois era muito grande, só chupando e lambendo calmamente, mas de novo, ele resolveu me dominar, usando as duas mão, segurou meus cabelos e forçou a rola na minha boca. Eu nunca tinha chupado um pau tão grande, e nunca tinha, literalmente, engolido um, mas nesse dia, foi assim. Eu tive que engolir, a rola entrou direto na minha garganta, fiz um pouco de ânsia e quando tentei me afastar, ele forçou mais ainda, até que fiz bastante força e tirei..nossa.. o que era aquilo, uma delícia..
Não desperdicei o cuspe que tinha se formado, cuspi no cacete, respirei fundo, e abocanhei de novo, mas dessa vez não deixei ele controlar, fui controlando e engolindo aos poucos, consciente, controlando a ânsia, até que quando percebi, estava engolindo toda a rola dele. Engolia e sentia os pelos do saco e do cacete dele se esfregando na minha cara, nos meu nariz, na minha testa, e aquele delicioso cheiro de macho.
Foi então que subitamente ele tirou o pau da minha boca, se afastou de mim e falou: "tira a roupa e deixa eu ver esse cuzinho!"

Não exitei e obedeci meu macho, enquanto eu tirava a roupa toda, ele fazia o mesmo, penduramos com cuidado nossas roupas na maçaneta das portas ali próxima e quando eu ia voltando pra posição inicial, ele, de frente para mim, levou uma mão na minha nuca e a outra na cintura e me virou de costas com violência, já empurrando minha cabeça pra baixo, e arrebitando minha bunda, eu acompanhei o movimento e fui pra frente, até encostar na parede, de frente para a janela que dava para a rua, coloquei as mãos na soleira da janela, me apoiei firme e aguardei o desejo do meu macho.
Era a vez dele chupar, rsrs, mas ele ia chupar meu rabo, fazendo meu tesão, que já era gigante, explodir. Só de sentir um macho ajoelhado de frente pro meu cú, eu já ficava louco, quando ele chegou perto e ficou cheirando e fungando antes de lamber então... quase gozei...

Mas aí veio a melhor parte, ele iniciou a chupada, nunca meu cuzinho foi tão bem tratado, chupou, lambeu, mordeu de leve, enfiou a língua, me deixou encharcado de cuspe. Mas isso era só para me iludir para o que vinha depois, ele enfiou um dedo, depois dois, e nessa altura, meu cuzinho já tava no máximo..não entrava mais nada ali! Então ele forçou o terceiro dedo, e eu gemi de dor, aí ele parou e disse:
"Tá doendo é?" "Calma que vou dar um jeito nisso..."
Ele era mais baixo que eu, mas era um homem muito forte, com as mãos grandes e os braços grossos. Ele se levantou, me pegou pela cintura, com muita força, foi encaixando o pau no meio da minhas nádegas até bater certinho na portinha do meu cú.. começou a forçar bem devagar, mas não entrava de jeito nenhum.. então ele falou: "relaxa esse cuzinho vai.. pisca ele pra mim"..

Foi então que aconteceu. Eu comecei a relaxar e a contrair meu reguinho, num verdadeiro pulsar sexual.. e cada vez que eu relaxava ele aproveitava e forçava, então a dor vinha, e eu contraia novamente.. mas numa dessas vezes.. aquele esfrega esfrega com um macho tava tão gostoso que relaxei demais, e ele com toda sua virilidade, fez o que eu queria: ME ARROMBOU! De uma vez, uma só estocada, a cabeça passou e quase metade do cacete também, a dor era muito forte, mas antes que eu pudesse reagir, ele forçou de novo, e dessa vez atolou tudo, até o talo. A dor era insuportável, eu dei um gritinho, mas sabendo que não podia gritar muito, eu gemia como uma cadela no cio, meu cú pegava fogo, e ele me apertava com muita força, então sem aviso, ele retirou o pau com tudo do meu rabo.. a sensação foi uma delícia.. o alívio.. mas nessa hora, eu já não tinha mais prega nenhuma e estava decidido e ser violentado por um macho alfa. Ele então apenas cuspiu de novo no meu cu agora todo aberto e meteu de novo.

Começou um vai e vem frenético, e eu ainda sentia um pouco de dor, mas agora o prazer já aparecia.. enquanto metia em mim, ele levemente levou a mão no meu cacete, e em umas oito bombadas eu gozei um litro de porra... nossa, a melhor gozada da minha vida, ele também sentindo que ia gozar retirou o pau... se acalmou, me fez um carinho na nuca.. nas costas.. fez eu relaxar da tensão do arrombo inicial.. se ajoelhou e começou novamente a me chupar, pegando um pouco da minha porra e passando no meu reguinho junto com a saliva dele.
Dessa vez, com o cú todo aberto, eu sentia sua língua indo lá dentro.. então ele falou: " agora fica de quatro que vou gozar!"

Fiquei de quatro mesmo, com os joelhos e as palmas das mãos naquele chão sujo, cheio de poeira e pedregulhos, mas ele queria que eu ficasse arreganhado, e não de quatro, ordenou que eu colocasse os cotovelos e o rosto no chão, deixando meu cú todo arreganhado virado direto pra rola dura que nem pedra dele. Meus joelhos, rosto e cotovelos doiam com as pedrinhas e grãos de areia, mas eu estava adorando, estava sendo comido por um macho de verdade. Ele se aproximou, deu uma tremenda cusparada que ele estava acumulando enquanto eu me ajeitava e começou a me comer de novo. Metia aquele pau maravilhoso no meu cú e tirava inteiro, metia e tirava...nessa hora meu rabo já estava aceitando tudo, era um verdadeiro engolidor de cacetes. A dor tinha sumido, e eu só sentia uma tora quente de prazer me invadindo e me comendo alucinadamente.

Obviamente, eu não vi, mas meu cú devia estar do tamanho de um pêssego.. rsrsrs...
Foi então que ele me pegou com muita força, e me apertou enterrando o pau até as bolas no meu rabinho arrombado,e tirava apenas poucos centímetros para fora, mas a velocidade era incrível, um mete mete enlouquecido. Eu sabia: ele ia me encher de porra quente e gostosa!
Ele urrou alto e gozou litros de porra dentro do meu cú, senti o leite quente dele me invadindo.. era tanta porra que mesmo sem ele tirar todo o pau eu já sentia aquele cheiro doce delicioso de porra fresquinha...

Devagar ele tirou o pau todo de dentro de mim, deixando meu cú na saudade, a calma em tirar era pra não desperdiçar a porra dele... depois que tiroi ele falou:
"Pisca esse cu agora vai.. quero ver vc piscar ele todo com minha porra dentro!'.. eu tentei.. mas pouco consegui mexer, meu músculo anal estava destruído de prazer de machos.
Por trás, calmamente ele me ajudou a levantar e ficar em pé, então me abraçou, enconstando sua pica semi dura na minha bunda.. eu sentia a porra dele escorrer pelas minhas pernas.
Mas o tempo tinha voado, uma hora já tinha se passado e se demorássemos mais, teríamos que dar muitas explicações, então antes de me vestir tentei me limpar como dava.

Foi a minha melhor transa, eu tinha sido estuprado por um macho dominante, violento, um verdadeiro macho alfa, e durante a noite e no outro dia, bati muitas punhetas porque toda vez que eu tentava contrair um pouco mais forte o meu reguinho, eu sentia uma dorzinha gostosa de um cú ainda não cicatrizado de um arrombo recente, e isso me enchia de tesão.
Na outra semana, saí com ele e um amigo dele..rsrs. Mas isso é uma outra história.
Pra quem curtiu e quiser entrar em contato o email é:
ronaldoalvesdenassau@hotmail.com

 

Fazendo-a gozar no trem

Certo dia, como de costume, voltava do trabalho para casa de metrô e dentro da estação percebi que uma morena muito bonita e gostosa, com cerca de vinte e dois anos, lançava-me olhares gulosos. Ela usava calça branca de algodão, bem enfiadinha no rabo e dava para ver o fundo vermelho da calcinha, trajava também um jaleco branco, com emblema do curso de Enfermagem da USP. Entramos no mesmo vagão lotado e claro que não por coincidência ela posicionou-se atrás de mim, jogando levemente a bunda para trás, quando a mesma encostou e apertou meu pau, este endureceu como titânio e comecei um esfrega muito gostoso naquele bundão, inclinando fortemente meu corpo.

Ela gemia baixinho e notei o grande rubor em sua face e pescoço, eu beijava sua nuca e orelhas e dizia sacanagens baixinho em seu ouvido. Quando ouvi um suave: minha xoxota tá encharcada, não resisti e enfiando a mão sob o jaleco, abri o zíper de sua calça e pus a mão em sua deliciosa bocetinha que molhou meus dedos. Iniciei uma frenética e ritmada siririca na minha putinha do metrô e a senti gozar muito em minha mão, os pelinhos ralos do púbis se arrepiaram todos. Depois de um tempo, tirei minha mão e conduzi meus dedos à sua boca, falando baixinho: sente o mel dessa xoxota faminta de pica, agora vamos fazer o seguinte, descemos na próxima estação, entramos num motel e vou te dar uma surra de piroca que vai deixá-la grata pelo resto da vida. Não deu outra, fomos.

Quando nos despimos no quarto, ela até rezou para o meu pinto, nunca fui chupado nem senti tesão por chupar uma mulher como naquele dia. Passei uma hora fazendo-a ter espasmos com meus lábios e língua naquela deliciosa xoxota semi-depilada. A trepada, então, foi um espetáculo divino, eu a comi até suspensa no ar, quando comi seu cu não foi preciso sequer lubrificá-lo de tanto gozo que já escorrido pela boceta, fazia um ruído impressionante, esfolei o pau naquela bundona branca que ficou vermelha como pimentão. Nunca vi uma mulher gozar daquela forma, foi minha melhor trepada.

fepace@uol.com.br

 

Fudendo com meu amigo mecanico

O conto que eu vou contar ocorreu no dia 31 de julho de 2010, sou gay mas naum assumo.

Estava tendo uma festa aki perto de minha casa e como o meu amigo hiago naum mora muito perto de casa ele perguntou se poderia durmir aki em casa e como minha mae meu pai e minha irmã estavam viajando eu disse q ele poderia sim durmir aki em casa e saimiamos para a praça, ja faz uns 4 mese que eu tava afim de sentir o pau dele no meu cúzinho e todo dia sento ao lado dele no ultimo banco do busão e fico tentando ver alguma coisa mas nunca consegui ja tentei até colocar filmes porno no nootbook mas nem assim foi e como ele é baixo axei, deve ser pequeno por isso naum aparece mas essa era minha oportunidade pois só estavamos nos dois sozinho em casa.
chegamos por volta das 18;30 em casa tomei um banho e depois ele foi tomar banho pedimos lanche e depois subimos para a festa começamos a beber e como era sabado ficamos ate umas 4 da manhã na praça e depois disso como ja estavamos chapados e eu ainda ciente sugeri que fossemos para minha casa e o hiago concordo chegando lá:

disse a ele que eu iria tomar um banho e falei descaradamente se ele queria tomar um banho tambem de imediato ele disse q naum axei q ele sairia correndo e naum olharia mais na minha cara mas eu ja tinha dito e então eu disse tudo bem é melhor tomar um banho depois que acordar e então ele concordou eu disse que iria pegar o colchão para ele foi quando ele disse: naum precisa durmo aki mesmo na sua cama pois assim naum faz bagunça e eu logo concordei foi quando fomos nos deitar eu deitei 1º e depois ele ficamos uns dois minutos parados imoveis foi quando ele começou a se mexer e aos poucos foi encostando em mim bem lentamente e comeceia a perceber q estava endurecendo o pau dele arrepiei e fingir naum perceber ai ele logo disse ta sentindo ta, eu sei q vc ta louco para dar para mim foi quando me virei frente a frente para ele e ele logo começou a me beijar e de repente ele se levantou e começou a tirar a roupa percebi um big volume em sua cueca e fui logo de boca mas na hora q tirei para fora da cueca fiquei pasmo pois tinha 23cm ( eu medi) e era grosso naum consegui colocar tudo na boca mas chupei muito a cabeça depois de uns 10 minutos assim ele pede para mim tirar a roupa quando tirei ele logo pulou em cima de mim e começou a tenta penetrar mas naum ia foi quando ele me colocou de 4 e passou bastante saliva no pau e foi encostando aos poucos quando menos esperava ele deu um tranco e eu gritei e ele forçou mais ainda eu gritava e ele falava relaxa ja foi quase a metade e aos poucos colocou o resto ficou em cima de mim uns dois minutos para q eu me acustumasse e depois começou a bombar e eu a gemer ficou uns 45minutos metendo e gemendo foi quando de repente ele tirou de pressa e enfiou na minha boca dizendo q iria gozar, chupei mais um minuto e logo a recompensa veio soltou um gozo amarelo e grosso na minha boca devia dar mais de meio copo americano e socou na minha garganta para mim engolir depois disso durmimos agarrados e logo q acordamos demos outras mas desta vez estavamos "são" depois de gozar ele deu um tempo e logo fincou de novo em min e me fudeu gostoso demorou mas de 45 minutos para gozar depois tomamos um banhão junto e ele foi para sua casa na segunda - feira fomos rindo no busão até nosso trampo q fica perto e perto do meu horario do almoço ele me ligou dizendo q precisava falar comigo e quando cheguei la a oficina tava fechada e ele abriu o portão para mim nossa foi muito bom fizemos mas de 20 posição sai de la com o rabo soltando faica de tanto ele meter e nesse fim de semana 7 e8 /08/2010 ele vem de novo!!!

espero q gostem

Caminhoneiro machão, pauzudo e fodedor

Eu estava em uma parte meio afastado do centro de porto alegre, onde tem várias empresas de fertilizantes e adubos. Neste local vários caminhoneiros ficam parados com suas carretas esperando sua vez pra abastecer, dezenas delas. Minha imaginação ia ao extremo, imaginando aqueles machos fodendo alguém. Neste local tem um posto de gasolina que também tinha caminhões parado, eu até pensei em entrar no banheiro pra ver se via algum tomando banho, mas não tive coragem.

Alguns ficavam meio afastados um do outro e percebi que tinha alguém dentro de um deles. Um macho moreno claro, forte ( não sarado, daqueles que tem o corpo gostoso sem precisar ser saradões ). Usava cavanhaque e estava sem camisa, apesar de estar frio e com o tempo bem nublado. Fiquei louco e não consegui para de encarar ele. Ele viu que eu o encarava e ficou na dele. Dei um tempinho e voltei em direção ao caminhão que ele estava no sentido contrário. Ele viu que eu estava vindo de longe, saiu do lado do motorista e sentou no lado do caroneiro. Abriu a porta e esperou eu me aproximar.

Quando eu estava chegando perto do caminhão percebi que ele me ancarava com cara da safado, daqueles que tem cara de mau, mas tão louco pra te foder. Diminui o passo e olhei pra dentro da cabine tive um susto, aquele machão peito e barriga peluda, coxas grossas e de pernas abertas usando um Calção meio largo no qual ele tirou seu cacete pra fora da cueca e deixou a amostra. Quase tive um treco vendo aquele pau que devia ter 22 ou 23 cm grosso e cabeçudo meio duro na minha frente. Ele não falava nada, mas fez um gesto com a cabeça apontando para o kctão dele, enquanto segurava seu mastro.

Não me fiz de rogado, me aproximei da cabine e fiquei entre aquelas coxas gostosas e cai de boca. Imagina eu em pé mamando um macho sentado na boleia do caminhão. Nem me importando se outro caminhoneiro visse. Ele gemia sinal que estava gostando da mamada. Começou a dizer alguns palavrões, coisa que adoro quando um macho me fode. Vai chupa viado, mama meu kct putinho. Vocês viados sabem fazer isso bem. Ele segurava minha cabeça pra enterrar tudo.

Logo disse pra eu entrar na boleia pra não sermos vistos. Fechou a porta e as cortinas da boleia. Tirou o calção e a cueca e ficou peladão. Sentou com as pernas bem abertas e mandou eu continuar mamando. Depois de alguns minutos de mamada, ele disse que iria comer meu rabo, porque não comei ninguém fazia muito tempo devido as viagens. Que iria foder meu cu até deixar bem largo. Eu confesso que senti um pouco de medo com o que ele faria no meu rabo devida a fúria com que ele socava o pau na minha boca. Mas é desse que eu gosto, machos fodedores. Que fodem um cara sem saber se vai doer. Disse pra eu ficar pelado e deitar de bruços na cama que fica atrás dos bancos, o que fiz de imediato. Mas antes tive que mamar ele depois que colocou a camisinha pra lubrificar mais. A camisinha quase que não entra devido a grossura o kct dele. Fiquei de bruços, lubrifiquei bastante meu cu com saliva. Ele veio pra cima e antes de tentar meter deu mais uma cuspida no meu cu e no pau dele. Se posicionou se apoiando somente com um braço e com a outra mão segurando o pau em direção do meu cu. Encostou a cabeça do tico no buraco apoiou o corpo com os dois braço e começou a meter. Nossa como doía, pedi pra ele tirar um pouco pra eu relaxar e ele disse; “não vou tirar nada seu puto, viado desgraçado. Pedi pra levar e fica se fazendo da coitado quando leva no cu” “vou meter ate as bolas”. Vi que ele não estava brincando tive que agüentar. Mordi o travesseiro que tina na cama e torci pra passar a dor. Ele não queria nem saber, socava pra valer em um movimento muito frenético. Me chamava de putão, “tu adora levar nesse cu né! Toma então o que tu queria, cacete né viado. Vou deixar teu cu largo de tanto foder.

A dor passou e comecei a sentir tesão com aquilo tudo. Arrebitei a bunda e comecei a rebolar embaixo daquele macho me comendo. Ah, tu ta gostando cadela ( adoro que um macho me chame assim quando me come, me deixa ma louco ) e começou a socar com mais forca e vontade. Tirou o tico do meu cu e disse pra eu ficar de quatro. Senti um vazio quando saiu o pauzão que parecia ter aumentado de tamanho. Ele meteu de novo e cada vez mais forte. Por baixo peguei nas bolas dele que o deixou mais tarado. Adoro segurar nas bolas quando estão me comendo. Ficou metendo por meia hora, aumentou os movimentos e os gemidos, sinal que o gozo estava vindo. Baixei a parte da frente deixando minha bunda mais arrebitada e rebolei da vara dele. Ele gemia e disse que iria se acabar no meu rabo. Aaaaahhhhhhhhhhhh, uhhhhhhhh vou gozar, vou gozar no teu cu putão. Deu um baita gemido e encheu a camisinha de porra, pude sentir o pau latejar no meu cu e com a mão que estava no saco dele. Bom eu já tinha gozado bem antes dele ter gozado, enquanto era estocado com força. Aquele machão com o pau duro dentro de mim parecia não estar satisfeito. Dito e feito começou a meter de novo e para meu desespero ele iria demorar pra gozar. Deixei ele socar até onde eu agüentava. Disse que não estava mais agüentando e pedi pra chupar o pau dele e fazer ele gozar. Ele disse que deixaria se ele gozasse na minha boca. E foi o que fiz, ele tirou o tico do meu cu que estava em brasa e deitou na cama de barriga pra cima e mandei ver. Ele segurava minha cabeça pra atolar todinho ate a garganta. Mamei e bati pra ele. Ele gemia e disse que ia gozar de novo. Pegou minha cabeça com as duas mãos e começou a foder minha boca. Deu um gemido mais alto e soltou jatos de porra na minha boca e garganta. “engole; e toda minha porra viado, não deixa nenhuma gota de fora” ele continuou deitado enquanto eu me vestia. Quando se recompôs levantou e disse “cai fora puto, fiz o que eu queria fazer agora vai embora”.

Me vesti e fui embora com meu cu ardendo e pensando no que aconteceu. Apesar de tudo eu adorei. Assim que gosto, foder com machos hetéros que não querem nada mais que foder um rabo e mandar embora. Estou pensando em voltar neste local outro dia pra ver se levo outra surra dessa. Quem sabe?

Vocês machos casados e fodedores de porto alegre e região me escrevam abstratus_rs@hotmail.com e vamos foder pra valer. Não sou afeminado. Tenho jeito e atitude de homem e não curto afetados. Somente machos dotados e sacanas que nem esse do conto. Eu ainda não fode com um fardado ( policial, bombeiro, etc...), sou louco por fardados. Me escrevam.

 

Comendo a menininha de 19 aninhos

Vou contar algo que aconteceu comigo no meu serviço. Sou casado a 7 anos e conheci uma meninha de 19 aninhos, + ou - 1,75 uma delicia de mina com um lindo corpo, uma boca fora do normal e um rostinho meigo, muito meigo. Desde quando eu vi essa mina que vou chamar ela de bebe, ja senti um desejo, um tesão incontrolavel por ela imaginava meu pau na boca dela que tem uns labios muitos carnudos e uma rabo redondinho perfeito que toda hora eu ficava me imaginando comendo ela. Certo dia ela me chamou e me perguntou o que significava o meu olhar para ela, naquela hora perdi a fala, respirei fundo e disse que tinha muita atração por ela e principalmnte pela boca dela, dai rolou o clima e marcamos de nos encontrar, fomos direito para o motel a minha ansiedade era tanta que tive um pequeno problema com o carro durante o trajeto para o motel, mais prefiro não contar, vamos ao que interessa.

Entramos no motel e meu tesão era tanto que meu pau parecia que ia estourar minha calça, quando nos beijamos no quarto eu pude sentir sua respiração o tesão dela o cheiro da pele dela o perfume nossa fiquei loko, fiquei ofegante meu tesão era tanto que minha vontade era rasgar toda a roupa dela, mais eu tinha que ir com jeitinho e carinho para não assustar meu bebe afinal fazia muito tempo que eu não comia uma menininha de 19 aninhos a nossa diferença de idade é de 14 anos então tinha que ter muita calma nessa hora. Rolamos na cama e meu pau muito duro a ponto de estourar roçou na bucetinha dela, naquela hora notei que ela tambem estava com muito tesão mesmo ela de calça jeans meu pau roçava e cutucava a bucetinha dela,tirei sua blusinha e comecei a beijar sua costa e seu pescoço as coxas dela seu pezinho chupei ela todinha e dava mordidinhas notei que ela se contorcia de tesão e tirei sua calça e pude notar que corpo esse bebe tinha ela ali apenas de calçinha e sutiã na cama de um motel pronta para ser comida nossa eu estava louco de desejo e tesão meu pau ja babava so de ver aquele bundão empinadinho na minha frente para ser comido. Comecei a tocar nela com os dedos e ela ja estava em ponto de bala pronta para ser comida sua bucetinha estava toda molhada.

Chupei seus peitos e dava beijinhos e ela toda arrepiada. Comecei a beijar e chupar sua virilha entre as coxas passava perto da bucetinha dela eu apenas dava uma lambidinha de leve que levava ela ao delirio, comecei a chupar com mais força ela se virava na cama e sussurava de prazer tanto que ela puchava meu cabelo apertava meu corpo de tanto tesão e eu ali chupava aquela bucetinha lisinha depiladinha com aquele cheiro de sexo cheiro de prazer de puro tesão, mas quando eu percebia que ela ia gozar ela tirava o corpo de perto de mim e pedia calma, mas eu não deixava ela escapar e chupava cada vez mais e ela gemia gostoso com minha lingua chupando, mordendo e beijando aquela bucetinha. Dai ela começou a chupar meu pau bem delicadamente com aquela boca de labios carnudos eu tive que me segurar para não gozar na boca dela, Meu tesão era tanto que eu parti pra cima coloquei ela de 4 comecei a comer aquela bucetinha na hora que meu pau entrou me senti nas nuvens, por ter conseguido comer aquela menininha, a cada socada que eu dava ela gemia de prazer, comi de varias posições, eu sentia meu pau todo molhado de dentro da bucetinha dela. ela estava toda molhadinha de tesão.

Eu comia devagarzinho e aumentava a socada e ela ali na cama toda entregue com meu pau enterrado nela,e eu ali metendo com muita vontade e força e tesão até que eu não mais aguentado o tesão sussuro no ouvido dela que vou gozar peço pra bater uma punheta pra mim, ela mal pegou no meu pau deu uma punhetadas e eu gozei forte e com prazer na mão dela, ela estava com a mão cheia da minha porra quente, nossa que metida gostosa da proxima vez conto como foi na casa dela e sobre o segredinho dela ...

Sempre que leio este conto bato uma punhetinha pra ela.

kakau.july@gmail.com

Viagem inesquecivel, comi a esposa de meu melhor amigo!

Bom, meu nome é Mateus tenho 22 dois anos o relato que vou contar aconteceu em Abril de 2010.
Moro em Caxias do Sul RS e a uns 5 anos meu melhor amigo saiu daqui para morar em Roraima RS.
Sempre prometi que iria visitar a cidade dele até que chegou a oportunidade peguei um avião e
sai na minha aventura.
Quando cheguei no aeroporto de Boa Vista estava mais ou menos uns 25°c quem me recebeu foi a esposa de meu amigo
Loira olhos cor de mel 1,60m aproximadamente muito bem vestida para o meu gosto e uma delicia
dos pés a cabeça mas como era mulher do meu amigo não dei muita bola. Sai dali e fomos a um barsinho. Como fazia muito tempo que nos não nos víamos
conversamos bastante comemos um lanche mostramos fotos cantamos no karaoke até que ele disse que ia ao banheiro.
Nessa hora ela se levantou passou atrás de mim e encostou os peitos da minha cabeça sentou a meu lado pegou na minha mão
e disse que nos iríamos se divertir muito por ali.
Quando ele voltou pagamos a conta e saímos conhecer a cidade. Paramos em uma avenida lotada
com muito forró tocando mulheres lindas insaciáveis pela dança quase um verdadeiro escárnio.
Tiramos fotos bebemos caipirinhas de todos os sabores até que pelas quatro da manhã me convidaram para ir até um banho para curar a ressaca antes mesmo que ela chegasse.
Saímos dali ela no banco da frente bem comportada rindo das situações inusitadas como a travesti, Michele que conhecemos
bem afeiçoada que convidou nós para conhecermos um puteiro bem badalado da capital .
Papo vem papo vai e um trajecto de estrada de chão chegamos ao tao banho paramos a uns 10m do local com o farol do carro iluminando o ambiente trazendo um ar de experiência única .
Descemos do carro ele retiro a roupa um moreno bem forte de 1,75 cabelos negros e traços de uma mistura de cabloco
com gringo. Pedi licença para ele se poderia tirar a roupa toda também pois a mulher estava junto, ele falou que sim na mesa hora arranquei toda minha roupa e sai correndo para o banho passando mil coisas pela minha cabeça menos a experiência que estava por vir.
Entrei primeiro a água estava bem morna depois ele em seguida ela como estávamos contra luz pude ver suas curvas sinuantes
o cabelo liso pela cintura e o volume dos seus seios lindos e dourados sendo molhados pelas correntes do rio.
Fiquei meio ao longe pensando naquela experiência até que começaram a se beijar de pronto começei a a me masturbar
pensando que teria uma experiência única de voyager, olhando eles naqueles amassos percebi que estavam cochichando dizendo que não tinham combinado nada, até que ele meu amigo de alta data pediu para mim chegar mais perto. Me encorajei meu coração quase saltava pela boca meu corpo flutuando dentro da agua sentindo a areia em cada passada que dava até que me aproximei bem perto e dei um beijo no pescoço dela, se virou me me agarrou como eu fosse o que ela mais queria naquele momento acariciei suas lindas pernas sua chana molhada seus seios enquanto vislumbrava a silhueta da penumbra que aquela madrugada estava me presenteando.
Naquele momento me levantei de pronto ela se agarrou no meu Pau e começou a chupar
deliciosamente como uma safada que sabe o que está fazendo, enquanto ele bombava por trás
e sorria pra mim dizendo, aproveita bem, nunca imaginou que iria tranzar com a mulher do teu amigo, né safado!
Ela trocou de pau e eu comecei a comer aquela buceta gostosa no balanço que só a água pode proporcionar
enquanto ela entre gemidos implorava para que nós continuássemos dizendo que queria ser enrabada pelos dois e ao mesmo tempo.
Meu amigo agarrou ela pelas perdas socou tudo que dava enquanto ela separava com as duas mãos sua bunda tesuda quase gritando dizendo põe no meu cuzinho, quero ver se você é realmente o que falam quero sentir duas pirocas dentro de mim anda logo estou louca para gozar com dois machos dentro de mim, ai que delicia continua assim que ta gostoso continuamos e trocamos novamente ele por trás comendo aquele cuzinho
apertado enquanto eu comia a buceta da esposa depravada. Se agarrávamos aonde podia ela agarrada da meu pescoço gemendo que nem uma alucinada até que gosamos os três juntos.
Dei mais um beijo gostoso nela e deixei os dois sozinhos para dar um mergulho e tentar acreditar que realmente aconteceu está passagem na minha vida. Saímos dali fomos para o carro
rindo e comentando sobre proezas que fazíamos eu e ele na minha cidade natal.

Mateus Matê!!!

 

Transa safada

Olá me chamo Lívia, tenho 20 anos, vou me descrever para você me conhecer melhor e poder me imaginar e porque não ter fantasias comigo... tenho 1,65, olhos castanhos, pele branquinha levemente bronzeada, uma boca bem carnuda, cabelos castanho escuro, comprido e liso, um bunda grande bem durinha e redondinha e seios grandes, um corpinho bom... modéstia parte sou uma morena bem gostosa, que qualquer homem se interessaria....

Antes de começar a contar minha história devo confessar que sou tarada por sexo, e por isso resolvi escrever, pra compartilhar minhas transas, safadezas, desejos e fantasias.... isso me excita.. contar as loucuras que faço a cama... e em outros lugares também...como estava dizendo adoro sexo... adoro prazer... então transo praticamente todos dias com meu namorado Ricardo (que nem sonha que estou escrevendo e contando tudo isso), namoramos há 3 anos e nossa vida sexual é muito boa.. o Ricardo também é bem safado na hora do sexo.. transamos em vários lugares, várias posições... e essa história que vou contar é uma dessas transas bem gostosas que tive com meu namorado.... Em uma terça-feira a noite Ricardo me propôs pra irmos pegar um filme pornô na locadora eu claro aceitei na hora porque ver filmes pornô sempre me excitou muito, então chegamos na casa dele e ele foi logo colocando o DVD, fomos começando a nos aquecer... começamos a nos beijar e o clima foi ficando quente... ele foi passando a mão na minha bunda e tirando o meu micro- vestido rosa, eu já tava com minha bucetinha toda molhada e quentinha louca por um pauzão nela, ele já tava de pau duro e que pau ele tem uns 16 cm... e bem grosso... do jeitinho que eu gosto..então tirei a camisa dele e baixei suas calças, comecei a passar a minha boca na sua pica por cima da cueca pra excitá-lo mais então tirei sua cueca e meti a boca no seu pauzao , nossa que delícia xupei muito com muita vontade meti todinha na minha enorme boca.... ele dizia: Vai gostosa, xupa essa rola bem gostoso, xupa... vou gozar em voçÊ vadia... ah..aaaahhhh.. ta demais.. muito bom ahhh.. não demorou muito ele gozou em mim, pedi pra que gozasse nos meus seios e lambi tudinho.. toda porra gostosa que ele gozou em mim... enquanto xupava ele ouvia os gemidos do filme pornô, onde uma loira gostosa era penetrada por dois homens...entao ele tirou meu sutiã vermelho (sua cor referida) me jogou no sofá e foi lambendo meus seios loucamente, então começou a tirar minha calcinha fio dental vermelha que tava bem enfiadinha na minha bunda, e começou a xupar minha xoxota... eu delirei.. gemia gostoso... ahhh.. aaaaahhh, vai ai mesmo.. vai me fazer ter um orgasmo seu safado...ahh aaaahahhh.... depois de um delcioso sexo oral ele pediu pra esfregar o seu pau entre meus seios..ele sentou em cima de mim e passei um óleo pra deslizar bem, começou a esfregar o pau dele entre meus enormes seios, e eu xupava a cabecinha da rola dele apertei bem meus seios e ele gozou bem na minha cara.

Que delícia.... engoli muita porra gostosa.. e fiquei com os seios todo lambuzado de porra.. depois montei em cima dele, sentei minha bucetinha bem rosada, quentinha e molhadinha no pau lambuzado dele.. e comecei a mexer e rebolar gostoso.. ahhh...aaaahhhh.. ta gostoso....tive um orgasmo atrás do outro... ele me virou de quatro e disse agora vou te meter por trás que é o que tu gosta né vagabuda?! Gosta de uma pica na xoxota... ele me penetrou com força.. e mais me deixava louca... enquanto me enfiava na buceta passava a Mao nos meus seios e na minha bucetinha me deixando louca... Ahhhh aaaahhh, mete esse caralho seu safado... mete gostoso.. goza na minha xoxota... goza pra mim caralhão... aaaahhhh.... depois dei mais uma xupadinha no caralho dele pra deixar bem durão e me deitei na mesa da sala e ele levantou minhas pernas e meteu o pau bem fundo enlouquecidamente gozamos juntos... depois pra terminar fomos tomar um banho no chuveiro dele.. ele me encostou na parede de costas e me meteu denovo.. dizia: gostosa essa xotinha é muito boa bem apertadinha... vou gozar nela.. vou encher ela de porra.. você quer?? Quer né safada,gostosa, adoro te fuder gostoso... aaahhh .... gozou na minha bunda deixou ela branquinha e molhada de tanta porra... aahhh aaaahhhhh mete , mete gostoso me fode... me fode.. seu caralhão... gozei muito... depois terminamos o banho e dormimos porque estávamos exaustos...

Bom essa foi uma das minhas diversas transas.. outra hora volto pra contar outras.. tenho muitas outras histórias, do meu namorado.. minhas fantasias que já realizei outras que não, que adoro me masturbar... minhas transas com outros homens... e muitas outras safadezas.. Contar essa historia pra você me excitou tanto... que agora estou tirando minha calcinha fio dental rosa... e estou alisando minha bucetinha... estou me masturbando.. aahhh aaahaahhh que gostoso axo que vou ter um orgasmo.... aahhh delicia gozei gostoso.... bom então é isso vou deixar meu email, para quem quiser contar alguma história.. ou safadeza.. pra mim.. ou pra eu contar outras coisas pra você... me escreva responderei com maior carinho e prazer... me conte se você ficou tão excitado como eu fiquei contando essa história pra você.. Beijos... Lívia....

livia_delicia@yahoo.com.br

 

Minha exibida fodendo no carro

A minha mulher sempre fica com tesão na praia. Diz que não pode tomar sol na periquita que já fica com vontade de dar. Naquela noite tinha uma banda tocando num bar a beira mar e eu levei a danada pra dançar. Tomamos alguns “capetas”, olha o nome do drink, por aí você imagina o efeito que causa. A putinha, que estava excitada de tanto ficar com a bunda exposta ao sol, ficou alegre que só vendo. Ficamos por lá, bebendo e dançando, até de madrugada. O tesão estava demais. Muito birita, e o calor foi baixando na piriquita dela. Tava que tava, rebolando toda, com uma sainha curta que deivaxa suas coxinhas muito tesudas. Resolvi levar a vadia embora pra passar-lhe a vara, que é o que um macho deve fazer numa hora dessas.
Quando chegamos no estacionamento, cheio de carros e meio escuro, lembramos que tínhamos deixado nosso filho com meus na casa que tínhamos alugado. Pequena, todo mundo dormindo meio empilhado, não ia dar pra trepar ali. Ainda mais que a cadelinha grita que nem uma louca na hora de gozar.
Louca de tesão, ela queria dar de qualquer jeito. Com as biritas na cuca, foi tirando logo a calcinha, nem se importou com uns dois ou três carinhas que estavam por ali, batendo papo encostados num carro próximo. Pelo contrário, ficou foi mais tesuda ainda, louca pra que vissem pelada e levando vara. Dedilhei a bucetinha que tava inchada, como eu gosto. Ela me beijava, enfiando a língua na minha boca e gemendo, abrindo bem a pernas. Os caras perceberam que tava rolando sacanagem, mas tentavam disfarçar, continuando a conversa animada, rindo muito, mas um deles que estava de bermuda de surfista, encostado no carro, não parava de alisar o pau. Não chegou a tirar pra fora, mas minha safadinha gostou de ver que ele ficava se pegando e foi ficando cada vez mais excitada. Gemia alto e perguntava:
-Será que eles tão vendo minha xaninha? Olha aquele se alisando todo... é fortão... será que dá pra ver bem de lá?
- Acho que não. Se quiser que vejam bem, vai ter que empinar esse rabo, sua vadia.
Passei para o banco do carona e ela veio por cima, empinando bem sua bundinha pequena mas muito bem formada. Sua pele branca com certeza contrastava com a semi-escuridão no interior do carro. Aqueles moleques estavam vendo tudo, com certeza. Fiquei meio apreensivo de que tentassem alguma, mas eles continuaram disfarçando, falando alto, como se não estivem nem aí. Mas pelo modo como o sujeito apertava o pau por cima da bermuda era óbvio que tava curtindo.
- Empina bem essa bundinha, o fortão tá excitadão... senta no pau, mostra pra ele que você sabe foder uma pica.
Subi a saia da putinha, deixando seu rabo todo à mostra. Ela gemia e virava a cabeça pra trás, pra conferir se estavam observando. Voltava a cabeça e me beijava, doida de tesão.
- Mostra os peitinhos pra eles também. Deixa eles verem tudo de uma vez.
Não precisei falar duas vezes. Com a maior facilidade ela puxou seu topizinho por cima da cabeça e ficou nua, sobrando só a sainha toda levantada na cintura. Virava meio de lado, pra que pudessem ver suas tetas de perfil, bem empinadinhas e bicudas que são. Eu mamava e soltava pra ela mostrar. Estava irreconhecível, nem parecia uma senhora casada, mãe de um filho. Tava mais pra uma atriz pornô. Só que não tava fingindo.
- Tá gostando de dar na frente deles, sua cadela?
- Ái, eu to... que tesão... não vou aguentar muito tempo... se me chamar de cadela de novo eu gozo já.
Fiquei quieto por um tempo, só apreciando a performance da minha esposinha exibida. Que bela sem vergonha estava me saindo. E pior é que eu estava gostando. E os caras lá fora também. Começaram a ficar mais ousados e alisavam suas picas menos disfarçadamente.
- Será que ninguém vai tirar o pau pra fora... queria ver o pau daquele fortão... deve ser grande e grosso.
Mas nenhum deles ousou mostrar a vara. Acho que porque estavam em três. Um cara sozinho com certeza teria posto pra fora e tocado uma punheta. Mas para azar da minha exibidinha, ninguém teve coragem.
Não agüentando mais, ela urrou, avisando que ia gozar. Sentou forte no pau, várias vezes, gemendo que nem louca. Depois foi sossegando, até parar, com o rabinho ainda empinado para os sortudos. Quase desmaiou a putinha. Eu também gozei forte, me segurando pra não gemer alto demais.
Assim que nos recuperamos, bateu aquele medo, meio arrependimento, meio culpa. Pulei rapidinho pra banco do motorista, liguei o carro e saí acelerando, torcendo pra que não tivessem anotado a placa do carro. No caminho ela foi se vestindo e acabou dormindo, exausta e ainda meio bêbada.
Foi a única vez que fizemos algo assim, mas não esqueço de como ela estava excitada. Se os caras tivessem chegado mais perto, não sei o que poderia acontecer. Ainda bem que ficou só por isso. Mas descobri nessa noite que minha mulher pode ser uma tremenda vadia quando bebe.

 

Fui comido gostoso

Meu nome é Carlos(fictício) tenho 50 anos, 1,80 de altura e 91 kilos, procuro me manter sadio, não bebo, não fumo e pratico caminhada e hidroginastica, tenho as pernas grossas, sou casado, mas sempre tive um tesão muito grande de estar com outro homem, de ser passivo. Há algum tempo conheci um site na net, site de encontros me cadastrei coloquei uma fotos bem ousadas e aguardei o resultado logo comecei a receber recados, mas nunca chegava a sair com ninguem, até eu conhecer o Alberto(fictício) ele tem 28 anos anos 1,80 e 80 kilos, nos falamos algumas vezes e falamos de que gostávamos e o que esperavamos encontrar, ele ativo procura um cara maduro e passivo para relacionamento casual, me mandou algumas fotos e eu adorei, um dia nos encontramos, mas não saimos pois ele não queria ir para o motel, queria que fossemos na casa dele, mas eu não achei muito seguro, afinal nos conheciamos a pouco tempo, 5 dias depois ou seja sexta-feira passada eu e stava com muito tesão e resolvi ligar para ele e aceitei ir para a sua casa, foi a melhor caisa que fiz.

Chegando lá conversamos um pouco e ele me chamou para tomarmos banho, e que banho, pois até então ainda não haviamos fica nú frente a frente, eu sempre que estou com muito tesão me raspo todo, como eu tenho a bundinha grande e com marca de calção de banho fica um tesão, no banheiro na hora de tirar o calção fiquei de costa para ele de propósito e não deu outra quando ele viu minha bundinha não reistiu e deu uma apalpada, ele me abraçou por traz e eu pude sentir um seu pau tem uns 18 cm, nem grosso nem fino, na medida certa, tomamos banho e fomos para a cama chegando lá eu não conversei muito e fui logo chupando aquele pau gostoso, e ele fazendo carinho em meu cuzinho, quando o tesão já era bem grande eu implorei para que ele me penetrasse, coloquei a camisinha nele deite de bruço e coloquei um travesseiro na minha barriga, ele deitou por cima de mim q ue começou a esfregar seu pau no meu cuzinho, eu havia passo KY, e o seu pau escorregava doi pra penetrar em mim, depois de alguns minutos assim ele finalmente me emrrabou, do jeito que gosto, bem devagar e eu rebalando feito uma puta no cio, eu estava no cio, quando sentir o pau dele dentro de mim, passei a rebolar mais rápido e ele a me penetrar com estocadas firmes, carinhosas e fortes, eu gemia de prazer, meu corpo se arrepiava todo, meu coração desparava e eu não conseguia para de robolar e pedindo baixinho para que ele me fodesse mais, derrepende comecei a sentir uma sesação de gozo, meu corpo estremeceu e eu gozei sem me tocar, isso nunca havia acontecido comigo, gozei muito gostoso, ficamos na mesma posição por alguns minutos e depois fomos tomar banho, foi a melhor trepada que já dei, passei o final de semana só pensando nisso, hoje quando cheguei no trabalho tinha um e-mail dele na minha caixa, ele me disse que o rapaz que mora com ele viu quando nós e ntramos no prédio, ele contou o que aconteceu e mostrou uma foto minha, agora os dois querem me comer hoje à noite, nunca fiz sexo a tres, mas vou arriscar o tesão é muito grande, já comprei uma calcinha para colocar logo mais, estou todo raspadinho e doi para ser emrrabado por dois homens, não vejo a hora.

Se tudo der certo, e vai dar, relatarei aqui como foi.

Se vc gostou da minha aventurá e quer provar um pouco de mim, me escreva (umcertohomem@bol.com.br)

 

Minha primeira chupada em uma xaninha

Me chamo cristiane tenho atualmente 25 anos mais me lembro de uma data muito especial em minha vida...
foi ai que tudo começou, meu namorado a o ale mal sabia ele o que estaria por vir ..
sempre muito ocupado jogando baralho com seus amigos, guando eu queria que ele fosse fazer algo comigo ir ao mercado, no shopping e outras coisas mandava sua prima duda ir comigo..
lembro como se fosse hj, eu precizava ir na minha casa tomar banho estava tudo escuro não tinha niguem la entao chamei para ele ir comigo e ele mandou que duda fosse.

ela prontamente levantou se e disse vamos cris eu vou.
assim que chegamos eu tirei a roupa e falei pra que ela ficasse ali na porta por que estava com medo ela aceitou numa boa, olhou pro meus peitos grandes e bem branquinhos e falou nossa que peito grandão e riu..
senti logo um cala frio pois duda era uma menina de 19 anos morena clara cabelos bem lisinhos e um corpo atletico .
mais esse cala frio logo passou e perguntei a ela se era feio ela respondeu nao e legal queria que os meus fosses pouco maior.
eu falei me deixa ver os seus?
ela se assustou ficou em silencio e colocou eles pra fora nossa que coisa mais linda pensei tão durinhos em pézinho tinha certeza que cabia em minha mão. olhei olhei ate que ela falou que foi cris? nada respondi . deixa eu pegar ?
ela riu e falou ta doida? eu ri e falei não duda e so curiosidade .
hum muito curiosa vc ... e riu

pedi desculpas e ela falou vou la pra sala te espera nao demora..
naquele momento fiquei com muita vergonha pois tinha passado dos limites , mais não tive culpa minha xota estava dura toda melada minha boca estava cheio d´agua ..tinha que me acalmar coloquei minha cabeça de baixo dágua e respirei fundo..
escutei uns passos guando olhei pra tras que supresa
fiquei sem fala sem reação era duda toda nua nuaa
a me olhar entao antes que eu falasse algo ela se adiantou e disse fiquei excitada com seu pedido tendei me acalmar ja que vc e namorada do meu primo mais escutava a agua cair e tesão aumentava ao saber que estava sozinha ai ..
pareçia mentira o que eu escutava.. fiquei boca aberta ..

ela entrou me pegou pela cintura deu um cheiro no meu cangote e disse no meu ouvido sempre quis te comer sua cachorra ... me beijou na boca pareçi que ia e engolir nao fiquei por baixo chupava a llingua dela com todo fogo nos esfregamos peguei naqueles peitos maravilhos passei a mão nela toda e ela em mim fomos pro quarto e ela falou sempre xoube que vc tinha uma quedinha por mulheres e me perguntou ja transou com alguma mulhere antes ? eu estava muito nervosa apezar de muito exitada balançei a cabeça e falei não . entao ela me afirmou o que eu ja pareçia saber . será a melhor gozada de sua vida .
começou me morder levemente chupava meus seios meus bico estava duros lambeu minha barriga meu cala frio aumentava levemente pasou a lingua na minha xaninha nossa que xota molhada passou os dedos e estava mesmo as ligas subia minha buceta tava toda babada entao ela chupou lambei tudo enguanto chupava emfiava seus dois dedos um no meu rabo e outro na minha buceta enfiava com tanto gosto ai como era bommm hummm enfiou falei vou gozar entao ela paou seu dedo na minha buceta segurou meu grelinho com seus labios e sungava cada gota do meu gozo que era branquinho e muitoo eu gritava gemia e ela nao parava se atracou na minha buceta e nao largava ai ai ai e ela nao parava ufaaa que gozada maravilhosa

fique pasma parei olhei pra ela que me tascou um grande beijo na boca , sua boca so tinha cheiro de buceta entao fiquei mais exitada como podia ser tão bom sentir o cheiro de sua propria buceta na boca de uma linda mulher? nossa foi magico pensei que tinha terminado por ai que nada o melhor estava por vir
ela me abraçou forte e perguntou quer sentir o gosto da minha xana? repondi rapido querooo

ela abriu as pernas e disse vem vagabunda experimenta mata sua curiosidade faz com essa buceta o que vc quizer , me debruçei sobre ela olhei olhei e passei a lingua guando senti aquele cheiro tentador inesquecivel o gosto mais pareçia algo que nunca havia sentido antes mais que era muito bom logo estava mais que exitada pareçia que eu iria engolir toda sua buceta quente que era muito molhada nossa como ela cuspia duda gemia alto vai sua vaca assim isso chupa,aquelas palavras me deixava louca eu grudava mais e mais nela ela apertava minha cabeça contra e xoxota dela e eu nao parava, logo criei uma intimidade com o grelinho dela minha lingua deslizava pra la e pra cá enfiava minha lingua dentro da buceta dela e ela gritava colquei meu dedo na xana dela como ela pediu socava meus tres dedos e ela pedia mais mordi lentamente seus labios carnudos e ela avisou que gozaria nem precizava avisar nesse momento eu ja estava louca aquele cheiro era maravilhoso e ela gemeu ai ai amor aaaaaahãaaa nesse momento que ela gozava eu tambem gozeii foi um gemido tão longo que eu dei que nem podia acreditar eu que nao gozava com homens facilmente havia gozado so em chupar uma buceta !!! deitei minha cabeça na xoxota dela e fiquei a mexer no seu grelo ela mandava que eu parasse mas nao pareçia que era isso que ela queria fiquei olhando por um boom tempo pra bucetinha dela ja toda gozada sentindo o cheiro, ai foi a melhor sensação que senti ate hj na minha vida .. minha primeira chupada em uma buceta dura ate hj me separei do primo de duda e hj faz 3 anos que estamos juntas ... muito feliz e sentindo aquele cheirinho ate hj todos os dias

essa e uma historia verdadeira !!!

 

Que linda trepada

Ola meu nome é Carlos (fictício), tenho 48 anos, sou casado, me cuido e tenho um bom corpo. Bom desde pequeno sempre tive vontade de fazer sexo anal, durante muitos anos me consolava com objetos, tipo cenoura, pepino e por ai avai,de pois de muitos anos percebo que só com brinquedos não estava me proporcionando o prazer completo então resolvi viver esse tesão ao vivo, comecei a procuar parceiros na net, encontrei até alguns, não muitos, mas a sexo nunca era legal, e saia transava e depois vinha uma censação de arrependimento. A cerca de dois anos conheci um cara de nome Miguel, ele tem 39 anos, marcamos tudo e saimos a primeira vez, e foi como as minhas outras experiencia, depois desta vez saimos mais umas duas vezes, na ultima depois que eu gozei o Miguel fico se masturbando na cama, foi ai que percebi que o problema poderia estar comigo, talvez eu não estivesse me entragando por completo, bom acho que ele tambem percebeu isso.

Passados alguns dias, m ais precisamente sexta-feita passada, ele me mandou um e-mail, dizendo que estava aqui na cidade ( Natal) e que gostaria de sair comigo, mas alertou que queria estar comigo por um tempo maior e que não iriamos para o motel ficariamos na casa de um amigo dele que não satva na cidade, tudo combinado eu sai do trabalho e fui até a casa em que ele estava, chegando lá conversamos um pouco e depois fomos tomar banho, no chuveiro nos abraçamos eu chupei ele e ele me passava sabonete, eu já estava loco de tesão, então fomos para a cama, foi quando ele me disse que primeiro me daria uma massagem, ele forro a cama com um plastico preto, deixou a luz do quarto bem baixa, colocou um CD de música bem relaxante e pediu para eu deitar de bruços, foi ai que tudo começou, ele jogou um pouco de ólao para massagens nas minhas costas e começou o serviço, ele tem uma mão grande forte mas delicadam começou a me massagear, nas costa, nas pernas no calcanhar e depois na minha bunda, eu tenho a pele morena clara e bem resaltada a marca do calção de praia, pois bem le começou a massagear minha bunda e devagarinho ia chegando no meu cuzinho, eu rebolava fio uma puta, o tesão era enorme, então ele colocou um dedo dentro de min, de pois mais um, eu já totalmente relaxado e entre senti ele colocar 03 dedos e massagear meu anos eu delirava de prazer, finalmente alguem estava me dando um real prazer, ele enfiava os dedos e eu rebandando bem de vagar, ele beija minhas costas meu pescoço minha boca, ficamos assim durante uns 30 minutos, derrepente eu senti que ia gozar avisei a ele, e ele me deixou a vontade dizendo que eu poderia gozar a vontade pois ele enquanto me tocava de masturbou, então eu gozei muito se me tocar, foi a primeira melhor gozada da minha vida, depois que acabamos ao ivez de eu levantar e me trocar com das outras vezes, fiquei deitado sendo alizado por ele, depois levantamos e fomos tomar banho, voltamos para cama ele me pergutou se eu havia gostado, respondi que sim, e que não estava com a sensação de arrependimento que sentia antes, então ele me perguntos se eu quera ser novamente fodido eu prntamente respondi que sim, foi quando ele me disse que o amigo dele estava o tempo todo dentro da casa e que viu o nosso sexo pela brecha da porta e que queria participar, no começo fiquei assustado, mas aceite, ele saiu e chamou o amigo, o cara já veio nú ele tinha um pau grande e já estava bem duro, quando eu vi ñão creditei no meu tesão, eu havia gozado pasia uns 15 minutos e ai estava eu cheio de tesão outra vez, então tirei o plastico da cama e chamei o amigo dele, o cara era muito carinhoso me beijos muito e falava no meu ouvido que viu o que tinha acontesido e que estava loco para comer meu cuzinho, ele beijava mei ouvido, sua respiração quente me fazia perder as forças então deitei de bruços coloquei um travesseiro na minha barriga ele colocoua a camisinha deitou em cima de min e bem de vagar foi enfiando todo o seu pau no meu rabo eu rebolando bem devagar, enquanto isso o outro ficava olhando e se punhetando bem devagar, eu não acretiva que depois de achar que não sentira tanto tesão assim estava ali sendo fodido da maneira mais gostosa que já mais poderia imaginar, pois bem o cara mexia muito gosto, depois fiquei de ladinho levantei a minha perna e ele me comei me masturbando e mais uma vez gozei muto gostoso, depois tamamos banho os 03 fui para a minha casa e quase não dormi a noite só pensanod na trepada que eu havia dado.

Quando abri a minha caixa de menssagem recebi um e-mail dele dizendo que na proxima segunda feira o amigo dele queria mais, só que desta vez eles iriam levar um outro cara, NOOSA VOU SE FODIDO POR TRES!!!, onde isso vai parar. Estou nass núvens. Se voces gostaram da minha história, moram em NATAL/RN e querem manter contacto me escrevan (umcertohomem@bol.com.br)

 

Fodendo no estúdio

Meu nome é Hebert, tenho 18 anos, moreno claro, olhos castanhos e músico, tenho uma banda de rock, e como todo mundo sabe, mulher molha por músico. Conheço várias mulheres. Mas tem uma em especial que sempre vai aos ensaios da banda. Ela se chama Lauane, é morena, tem mais ou menos 1,50M, olhos castanho-claros, 19 anos, estuda na mesma escola que eu.
Eu sempre ficava na sala de aula na hora do recreio pra fazer a lição de casa pois meu tempo era bem corrido já que eu estudo, trabalho e faço shows à noite, um dia ela ficou na sala também, só eu e ela, eu estava concentrado fazendo o dever até que escutei um barulho de plástico sendo amassado, era ela abrindo um pirulito, ela colocou o pirulito na boca e começou a chupa-lo com uma habilidade profissional, eu ali olhando ela se insinuando com o pirulito, meu pau ficou duro na hora. Eu já estava todo melado quando bateu o sinal e todos entraram na sala.
Nesse mesmo dia chegou um convite pra minha banda tocar em uma festa da escola no final de semana, meus companheiros de banda e eu, combinamos de ensaiar no outro dia. A Lauane ficou sabendo que ia ter ensaio, então ela apareceu no estúdio, todos cumprimentaram ela normalmente, mas quando ela veio me cumprimentar, ela esfregou a xoxota no meu pau despistadamente e me deu um beijo no canto da boca, fiquei louco na hora, mas me contive.
Ela sentou em um dos sofás e focou seu olhar em mim, cada olhar que parecia que ela me imaginava fodendo ela todinha. A gente ensaiou por meia hora, meus colega já sabiam do meu interesse nela, por isso eles disseram que iam tomar um ar e me deixaram sozinho com ela, eu coloquei o baixo no pedestal e fui pra cima dela no sofá, pedi pra que ela levantasse, eu me sentei e falei pra ela sentar no meu colo, ela sentou e nós nos beijamos loucamente, eu coloquei a mão por dentro da calcinha dela e fiquei acariciando a xoxota dela, ela ficou toda molhada. Calculei mais ou menos o tempo que eles levariam pra voltar, foi a conta, quase que eles me pegam com a mão dentro da calcinha dela.
Eu levantei e continuamos com o ensaio, no próximo intervalo eu falei pros caras pra eles demorarem porque eu ia foder ela ali mesmo no estúdio. Eles sairam, eu fui em direção à ela e disse que agora ninguém iria nos interromper, tranquei a porta do estúdio e tirei a blusa, ela tirou a blusa e o sutiã e nós nos abraçamos, eu deitei ela no sofá e fui por cima dela, mamando os peitinhos dela que estavam com um cheirinho de suor que estava me excitando mais ainda. Depois de mamar bastante, tirei a calça e a calcinha dela, cai de boca na xoxota, raspadinha e apertadinha.
Ela já estava toda molhada e meu pau estava quase estourando a cueca até que eu tirei ele pra fora e mandei ela chupar igual aquela pirulito que ela estava chupando na sala de aula. Ela sentou no sofá e pegou o meu pau, primeiro ela bateu uma punhetinha depois colocou a boca nele, ela chupou meu pau gulosamente, me olhando nos olhos e sorrindo satisfeita, mandei ela parar e sentei, ela veio por cima e sentou no meu pau, cavalgou gostoso, quando eu estava quase gozando, falei pra ela que queria comer ela de quatro, ela ficou de quatro no sofá e eu comi a xoxotinha dela por trás, dei uns tapinhas na bunda dela de vez em quando, eu já não agüentava mais, estava pra gozar, ela gemendo alto e eu metendo com força naquela pererequina molhadinha, gozei, nela todinha, depois tirei o pau de dentro dela e dei pra ela chupar, ela chupou gostoso até não ter mais porra.
Nós no vestimos e eu abri a porta, meus colegas entraram, ela disse que tinha que ir embora porque tinha outros compromissos, ela se despediu dos meus colegas e na hora de me despedir ela susurrou no meu ouvido que aquela tinha sido a transa mais louca dela e que estava doidinha por outra. Quando isso acontecer eu escrevo.

hebertmnks@hotmail.com

 

Casado chupou e gostou

Olá, meu nome é Alex, tenho 42 anos, sou casado ŕ 20 anos e vivo muito bem com a minha esposa, apesar de termos uma vida sexual muito activa (praticamente todos os dias), sinto falta de algumas coisas. Adoro sexo oral, mas a minha esposa, que é do interior, é muito reservada, apesar de já ter feito isso algumas vezes, parece que fica meio sem jeito, de modo que eu preciso praticamente de implorar para isso acontecer, o que fica muito chato.

Entăo fui pela primeira vez a uma dessas galerias eróticas, onde vocę assiste a filmes porno em cabines individuais que tęm um buraquinho onde uns viadinhos ficam ali implorando para te chupar.
Estava eu lá me punhetando quando um cara botou a boca naquele buraco e ficou ali balançando a língua, botei meu pau duro como uma pedra em sua boca, ele chupou gostosamente até eu gozar e depois engoliu tudo. Isto foi o suficiente para eu me viciar, sempre que desejo uma boa chupada, vou lá e acontece geralmente a mesma coisa.
Um dia eu estava lá me punhetando quando aconteceu uma coisa diferente. Um cara botou o pau duro como uma rocha naquele buraco, um pau igual ao meu, que năo é muito grande, aproximadamente 15 cm mas bem grosso, com um cabeçăo enorme. Como eu sou e me considero heterossexual, năo dei muita importância, fiquei até meio assustado. O cara năo desistiu e continuou com aquilo ali, que devido ŕ posiçăo da cadeira em que eu estava, acabava ficando bem próximo do meu rosto…

De repente, me vi observando aquele pau, tentando fazer comparaçăo com o meu. De tanto observar, comecei a me sentir atraído por aquilo, e já me punhetava olhando aquele pau latejando de tesăo. Meu tesăo também era enorme, já estava quase gozando, me deu uma vontade muito grande de pegar e sentir aquilo na minha măo. Fiquei nervoso, minha măo tremia, suava que era um absurdo. Năo aguentei a curiosidade, e como sabia que estava em um lugar reservado e que ninguém podia me ver, peguei naquele pau durissimo e comecei a punhetá-lo, ele tirou da minha măo, chegou o rosto perto do buraco e disse:
- Chupa um pouquinho????

Colocou novamente o pau no buraco e ficou ali balançando na minha frente, eu estava tremendo de nervoso, uma vontade muito grande mas uma mistura de medo e culpa me tomava. Năo resisti e abocaquei de uma vez só, confeso que mesmo nunca tendo feito aquilo antes, eu estava adorando aquela experięncia. De repente, ele tirou da minha boca e para minha surpresa, deu a volta e bateu na porta da minha cabine. Năo sei porquę mas abri…
Ele disse que também era casado, tinha 40 anos, ele tinha um físico bom para um homem dessa idade, năo era afeminado, mas disse que gostava de umas brincadeirinhas com homens e depois acrescentou:
- Aqui a gente pode fazer o que as nossas esposas năo gostam de fazer em casa.

O pau dele ainda estava latejando e ele pediu que eu voltasse a chupar, o que fiz com muito gosto. Ele também pediu para me chupar e fez muito gostoso, quando eu estava quase gosando, ele parou e disse que queria gozar primeiro.
Como eu năo tinha muita experięncia, passei a fazer como minha esposa faz, o que me leva ao delírio. Peguei o pau dele e comecei a punhetá-lo com a glande na minha boca, comecei a passar a língua por baixo, do mesmo jeito que minha esposa faz comigo. Ele quase enlouquece, gemia, dizia que estava uma delicia, que eu chupava muito gostoso etc… Aumentei o ritmo e ele preocupado disse que ía gozar na minha boca, que se eu năo quisesse parasse. Mas ao contrário disso, me deu uma vontade louca de ver aquele cara gozando na minha boca. Aumentei ainda mais o ritmo e ele explodiu num gozo tăo intenso o qual eu nunca tinha visto,inundou toda a minha boca ao ponto de escorrer pelos lados, năo parei até que năo saía mais nada. Fiquei assim com o pau dele na boca até começar a amolecer devagarinho, depois ele se abaixou e sem nada dizer, começou a me chupar bem gostoso, me abraçou nessa posiçăo e começou a acariciar a minha bunda. No inicio fiquei meio sem geito e até nervoso, mas depois fui-me acostumando e gostando. Ele acariciava até a entrada do meu ânus, colocou um dedo e foi fazendo movimentos leves, năo demorou muito, tive um orgasmo maravilhoso, gozei como nunca tinha gozado em toda a minha vida.

Depois ele se levantou, se ajeitou e foi embora sem dizer nada, nem os nossos nomes falamos um ao outro.
Continuo a frequentar galerias eróticas, e já levei várias chupadas, mas nunca mais aconteceu como naquele dia.
Ŕs vezes até espero e desejo que alguém ponha o pau naquele buraco para eu chupar, mas năo acontece, e eu ainda me sinto tímido em tomar a iniciativa.
Năo tenho desejo de sexo anal, nem activo nem passivo, mas confesso que desejo um dia chupar e ser chupado bem gostoso como naquele dia.

rayketo@hotmail.com CENTRO DO RJ

 

Minha mulher chupou meu cú

Olá, meu nome é Alex, tenho 42 anos e sou casado ŕ 20. Tenho uma vida conjugal muito sólida, minha esposa é maravilhosa, porém muito recatada.

Eu adoro sexo oral e acho que entre 4 paredes vale tudo para o prazer, ela até já fez sexo oral algumas vezes, mas parece năo gostar muito.
Em todo esse tempo de casado eu ainda năo a tinha levado a um motel. Um dia resolvi fazer uma surpresa uma surpresa, convidei ela para dar uma volta, e sem dizer nada entrei num motel. Ela ficou calada, quando já estávamos lá dentro eu disse que queria realizar esse sonho.
Ela estava meio tensa mas foi relaxando aos poucos, talvez pelo ambiente, os espelhos, etc… senti que a minha esposa estava diferente, com mais tesăo, mais solta, mais liberal… de cara ela me fez um boquete maravilhoso sem que eu pedisse, isso em casa era impossível.
Fomos para a piscina, estava uma delicia pois era Verăo e a água estava numa temperatura super agradável. Fizemos amor ali mesmo…
Minha esposa năo é de beber, mas ali nós já estávamos na segunda garrafa de vinho. Ela já estava meio alterada, começámos entăo a fazer um 69 delicioso, eu estava por baixo e a visăo daquele cuzinho na minha frente me deu um tesăo enorme… Entăo eu resolvi inovar, fazer o que ela jamais permitiria de sóbria.

Comecei a passar a língua na sue bucetinha até ao cuzinho, senti que ela deu um gemidinho, entăo continuei, passei a demorar mais um pouco no cuzinho enfiando toda a língua e colocando o dedo na sua bucetinha. Ela passou a gemer mais alto, quase gritava. De repente ela parou de me chupar e enfiou a língua no meu cu também, fiquei assustado mas era gostoso demais… ela me chupava e me punhetava, eu nunca tinha experimentado uma coisa assim, só quem já fez é que sabe o quanto é gostoso senti que ela estava me imitando, entăo continuei chupando a sua bucetinha e enfiei um dedo no seu cuzinho que já estava lubrificado, passei a fazer um vai vem bem gostoso, ela rebolava, dizia que estava gostoso, gemia, gritava. De repente meteu meu pau todo na boca até ŕ garganta, depois enfiou o dedo no meu cu que também já estava lubrificado com a sua saliva… Aí foi demais, eu é que passei a rebolar, a gemer e a gritar, pedia para ela enfiar mais…. Ela metia e tirava, fazia um vai vem e eu fazia o mesmo com ela. Năo sei quem rebolava, gemia e gritava mais!!! Nessa loucura gozamos juntos um na boca do outro.
Foi um orgasmo tăo intenso que dormimos naquela posiçăo, depois de 2 horas de sono acordamos meio tontos, ainda tentei mais alguma coisa mas ela disse que queria ir embora, estava preocupada com as crianças…
No carro quase năo nos falamos, nunca mais tocámos no assunto. Em casa já tentei fazer a mesma coisa mas ela năo me deixa, nem a bucetinha ela me deixa chupar.

Uma vez estavamos fazendo amor de 4 e tentei colocar meu dedo no seu cuzinho, mas ela rapidamente mudou de posiçăo.
Já a convidei para ir-mos ao motel novamente mas ela năo aceita. Năo tenho coragem de tocar no assunto, pois tenho medo que ela pense que eu sou Gay, o que năo sou, mas confesso que aquela experięncia mexeu comigo. Como eu gostaria que ela fizesse de novo!!!!
Como ela quase nunca faz oral comigo, ŕs vezes vou a essas galerias eróticas onde acabo levando uma chupada de algum viadinho ali presente.

rayketo@hotmail.com

 

A descoberta de Dayane

Num sábado à tarde, estava em casa tomando cerveja sozinha, um baita calor, e tocando violão, ouvi Dayane me chamando no portão, pedi pra ela subir, e segurei meu cachorro, ele não morde, mas pula em todo mundo que entra em casa...
Ofereci um copo pra ela enquanto ela se acomodava no sofá da sala, com regata e mini saia, aquelas coxas a mostra sempre me chamavam a atenção, mulata, do jeito que gosto, nariz fininho, olhos claros, cabelos longos e cheirosos, super gata. Como sempre não deixo mostrar meu interesse, afinal, minhas amizades com hétero sempre foram preservadas com cautela...
Ela estava meio chateada, pois acabava de descobrir que o namorado tinha traído ela, e me pediu para gravar um mp3 pra ela, pois o que eu tinha gravado estava na casa dele, ela resolveu não buscar, era folga dela, e ela queria ficar em casa na fossa.
Disse: fique aqui, a gente toma umas cervejas, e fica conversando e ouvindo música, você se distrai na sua casa você vai ficar chorando...
Resolveu ficar, e conversando sobre as aulas de estágio que ela estava dando, do nada, me pergunta: o que eu tenho de errado?
Respondi: ter escolhido um canalha pra namorar, por que de resto, você é perfeita...
Ela me encarou por um instante, deu um gole na cerveja e veio em minha direção, me encarando com um olhar triste e meio tímido, me abraçou alisando minhas costas, e eu fiquei imóvel naquele momento, sentindo o toque suave de mão macia deslizando sobre mim.
Sentindo aquele cheio bom que saia dos cabelos dela bem de pertinho, fiquei excitadíssima, meu grelinho pulsava de tesão, mas fiquei com receio e deixei ela continuar a acariciar, e foi descendo a mão apalpando minhas nádegas, percebi que era a deixa para avançar o sinal, e coloquei meu nariz no pescoço dela e cheirei aquela pele macia e adocicada de creme de chocolate, dei um beijo de leve, e apertei o abraço que recebia, o copo dela caiu no chão, levei um susto, esperando um tapa ela pediu desculpa por ter deixado cair, balancei a cabeça como quem diz , não foi nada, e ela veio em minha direção de novo me olhou outra vez e me beijou, quase me engolindo viva me empurrou no sofá, subindo em cima de mim continuou me beijando, ficamos nos amassos, e senti a mão dela procurando o feche de meu sutiã com um sorriso meio tímido no rosto mas decidida em seguir em frente, parei um instante e perguntei a ela: Tem certeza? É isso mesmo?
Ela responde: é o que eu mais quero nesse momento!
Levantei a blusa dela a procura de seus seios e comecei a devo ralos com um tesão louco, enfiei a mão entre as pernas dela e senti sua calcinha pequena toda umedecia, fiquei louca, e por cima da calcinha alisava suavemente à deixando mais excitada, me debrucei sobre ela, chupando os seios, puxei a calcinha de lado, coloquei meu dedo no grelinho dela e senti seu sexo extremamente encharcado, e acariciei bem de leve em movimentos circulares, ela gemia e apertava suas unhas em minhas costas com força, eu nem percebia mais nada, só a empolgação dela, e desci até o grelinho, puxei ela um pouco pra frente, ela ficou meio sentada no sofá e me ajoelhei bem de frente daquela delícia, abri as pernas dela, puxei a calcinha de lado, e de um lambida bem de vagarzinho na sua bucetinha, ela gemeu, e eu me deliciando meti minha boca no grelinho dela chupando como um beijo e respirando pela boca pra ela sentir o hábito quente da minha boca, ela se contorcia no sofá, e eu não parava de chupar,ela segurava meus cabelos com força e empurrava minha cabeça para seu sexo com muita fome, eu não parava, e aumentei a velocidade, no instante em que penetrei meu dedo em sua bucetinha ela solta um grito estrondoso, até levei outro susto, mas não parei, e ela puxa meu cabelo com tanta força que rançou um tufo. Olhei pra ela, sem entender ela me pergunta...
O que aconteceu?
Eu disse: você acabou de gozar meu amor... continua...

fulgasbi@hotmail.com

 

Minha amiga me libertou

Desde pequeno eu já sentia uma vontade incontrolável de me vestir de menina e não raro nas brincadeiras infantis com minhas colegas eu era sempre uma irmã ou prima, o que acompanhava uma caracterização com roupas femininas (o que eu adorava).

Com o tempo fomos crescendo e poucas amigas de infância mantiveram contato, sendo que uma delas foi sempre muito chegada a mim. Um dia fomos uma festa juntos e bebemos um pouco mais e fomos para a casa dela onde começamos a recordar nossas brincadeiras e afins.

Até que certa hora resolvemos brincar como antigamente e lá fui eu de novo me vestir de prima, porém agora com maiores requintes pois minha amiga fez questão de me montar e maquiar completamente. Pronto lá estava eu montada e linda, uma mulher, minha amiga adorou a transformação, disse que eu estava perfeita e que se não soubesse quem era passaria por uma verdadeira mulher. Eu iá estava com a vaidade lá em cima, cheia de tesão e vontade de expor minha real vontade interna de ser CD.

Começamos a ouvir musica, dançar e beber um pouco mais, foi aí que para minha surpresa minha amiga se declarou bissexual e que tinha ficado com o maior tesão de me ver montada, eu surpreso,porém aliviado, também lhe contei sobre o meu intimo. Ela então com o maior sorriso pegou minha mão e me levou para o quarto onde começamos a nos acariciar e nos beijar de todas as formas possíveis.

Ela tinha vários acessórios sexuais guardados em sua mesinha de cabeceira, tais como vibradores, gel, camisinhas e consolos diversos. Rapidamente nos despimos para aproveitarmos imediatamente nosso delicioso momento de sexo pleno, foi absolutamente maravilhoso. Iniciamos uma sessão infindável de chupadas, dedadas e caricias, sua língua era divina percorria meu anus, saco, pênis, eu ia a loucura e retribuía com lambidas nos seios, vagina, anus, enfim pelo corpo todo. Em certa altura ela perguntou se eu já havia sido penetrado, eu disse que não e que aguardava uma situação especial para isto, ela então pegou um enorme pênis de cintura e disse que era hoje esse dia. Fiquei meio paralisado: um misto de medo,ansiedade,felicidade e prazer, ela lubrificou bem meu anus bem como o poderoso membro e foi delicada e carinhosamente me penetrando de uma forma alucinantemente vagarosa, prazerosa e inesquecível.

Ficamos nos divertindo a madrugada inteira e dormimos exaustos de prazer. No dia seguinte acordamos conversamos e rimos muito relembrando o tempo perdido por não nos abrirmos anteriormente. Já realizamos várias fantasias em outros sessões sexuais maravilhosas e sem preconceitos, adoro ver ela transando com outras mulheres ou homens e ela adora me observar com outros homens.

Ela me apresentou amigos e amigas que também são altamente liberados, bi, lésbicas ou transexuais, tem sido ótimo, pois já chego montada e mando ver, tomara que vocês todas encontrem amigos e amigas assim.

 

O concurso público

Um ano atrás, fui aplicar uma prova na une nove na região central de Sampa.
Tinha que chegar 6 da matina, sem falar que fui um dia antes pra fazer aquele maldito curso preparatório de sempre, o curso terminou super tarde, cheguei sonolenta, mas encarei.
Peguei uma sala com a turma do S... Silvia, Simone que era a maioria das mulheres, apliquei a prova com um rapaz, na hora da prova todos os candidatos podiam ir ao banheiro, no meu caso eu levava as mulheres kkkkkk, que era ótimo é claro!
Mesmo pescando de sono eu tentava me manter acordada, que era hilário, eu dava altas pescadas durante a prova, mas por conta disso não tive problemas foi tudo muito tranqüilo, até que uma candidata resolve me pedir pra ir ao banheiro, fui de boa e reparei que ela era bastante comunicativa, um amor de pessoa, e com um bom humor incrível, japonesa e com bundão! Simone o nome dela, ela com um leve sarcasmo deu um sorriso no rosto e perguntou: Você não dormiu ontem?
Respondi: dormi sim, é que cheguei muito tarde em casa devido a chuva que deu, eu moro longe na região de Embu...
Ta pescando bastante ela disse, e foi ao banheiro, voltou com um sorriso lindo e voltamos pra sala, me agradeceu e se sentou.
Durante a prova levei quase a sala toda, e lá vou eu outra vez com a mesma Simone e com um sorriso no rosto ela foi bem mais simpática comigo, e perguntou se eu sempre aplico provas, respondi que já apliquei antes que não era novidade pra mim, e entrei no banheiro lavei o rosto pra despertar enquanto ela lavava as mãos e me olhava com um olhar maroto, uma cara de safada!
Fiquei sem graça, mas saí do banheiro com ela, e dei de frente com a coordenadora do curso que era entendida também, e se ligou no clima que tava rolando, só eu que era besta e fiquei na dúvida, ela olhou pra mim e deu um sorriso do tipo, se deu bem! Eu entrei na sala pensando, coordenadora safada!
Roxa de vergonha, entrei na sala com Simone e quase no final do concurso me pediu pra ir ao banheiro outra vez!
Puts!!! Como assim? Eu pensei, mas fui de boa de novo e resolvi entrar com ela até a porta do Box, fiquei do lado de fora e ela não fechou a porta e me olhava nos olhos, sorriu e me disse: quer entrar?
Meia sem jeito eu respondi, não fique a vontade, eu não vou invadir sua privacidade, só vou ficar te esperando!
Ela vai e me responde: que pena! Eu queria que você me invadisse!
Sério? Quer mesmo que eu entre aí com você?
O banheiro já estava mais vazio, os candidatos já estavam indo embora e quem terminava as provas não podiam usar aquele banheiro, tinha que se dirigir a outro, e foi show, ela disse em voz alta, meu brinco caiu você pode me ajudar encontrar?
Nem pensei duas vezes, entrei naquele Box com ela e piquei um beijo trancamos a porta e parti pra cima dela, beijando o pescoço e tirando a blusa dela de forma faminta, que tesão!! Eu sussurrei no ouvido dela, e comecei a descer a língua no pescoço pro seio durinho dela, lambendo, chupando e fazendo movimentos circulares no biquinho com a ponta da língua deixando ela louca ao ponto de dar um gemido alterado, bem baixinho ela Deise desculpe escapou e deu uma gargalhada gostosa. Enquanto eu chupava os seios ela foi tirando a calça e eu prestando atenção na fome dela por mim, doidinha pra se possuída, reparei na calcinha minúscula dela, preta de rendinha, ui fiquei doida!
Ela olhou pra mim e falou, pode chupar eu passei lencinho!
Quando eu desci lambendo a barriga dela até o umbigo pude sentir o cheirinho de bebe que exalava da xaninha dela e falei nossa que bebezinho lindo e cheiroso! E caí de boca naquela delícia depilada com cera, bem lizinha e cheirosa, ai que tesão só de lembrar fico doida!Nunca pensei que a uma japonesa poderia ter uma bucetinha tão gostosa! Ajoelhei-me e passei a língua de leve e ela soltou um gemidinho bem baixinho... Então dei uma boa lambida com força ela tremia de prazer e empurrava minha cabeça pra dentro das pernas dela com força e eu comecei a chupar o grelinho como um beijo apaixonado em seguida penetrei dois dedos no buraquinho dela apertadinho que tive que tirar um dedo e deixar só um, quando ela tava bem relaxada me sentei no vaso e puxei ela pro meu colo então penetrei os dois dedos nela e ao mesmo tempo acariciava o grelinho dela com meu polegar até que ela explodiu de um gozo bem gostoso no meu colo soltando um grito bem alto, mas pensando rápido ela gritou, AAAAHHHH ODRIGADA POR ACHAR!!!!!!
Você me salvou eu adoro esse brinco!
Eu dei uma risada e disse foi um prazer te ajudar...
Voltamos pra sala, e quase que de imediato ela foi a te a mesa dela e pegou a prova que já estava pronta e me entregou dando um sorri são gostoso e falou obrigada professora, não vou esquecer o que você fez por mim, isso é porque você estava com sono heim! Imagine o que você faz se dormir bem!
Corei na hora, o rapaz que estava me ajudando olhou sem entender nada, e a minha coordenadora estava me olhando do final do corredor desconfiada, mas não disse nada.
Quando fui levar as provas com um sorriso no rosto sem disfarçar o que eu tinha feito a minha coordenadora me perguntou: gostou? eu respondi amei, ela riu e as outras coordenadoras ficaram sem entender nada, só eu e ela sabia o que tinha acontecido naquele final de semana...
Antes de ir pra casa passei na Liberdade e é claro que fui comer sushi rindo a toa...

 

Tempo de amor

Havia um ano já que Rafael e eu estavamos apaixonados, nos amavamos muito e tinhamos uma relação amorosa e sexual como mais ninguem haveria de ver. Sempre gostei muito de ler e como Rafael era professor de História sempre chegava em casa com alguma indicação de livro novo. Em uma terça feira, Rafael chegou em casa diferente, estava excitado e quando perguntei o que havia acontecido disse que uma aluna estava dando a muito em cima dele e naquele dia não conseguiu resistir, levou a menina até a casa dela e acabou dando um beijo na mesma. Na hora fiquei furiosa e me senti traida de uma forma que ninguem consegue imaginar, disse a Rafael que sairia dali e que nunca mais queria olhar para ele.

Ele suplicou, me implorou e mesmo assim eu fui, cheia de raiva. Quando cheguei ao hotel que ficaria hospedada até Rafael voltar a casa da mãe, ele me mandou uma mensagem me perguntando aonde eu estava, eu respondi, pois comecei a pensar na história de outro modo e senti muito tesão com aquilo pois sempre sugeri a Rafael para fazermos sexo a três e ele nunca aceitara. Quando Rafael chegou eu estava nua sobre a cama me masturbando, Rafael entrou no quarto e não entendeu nada. Quando me perguntou se não estava brava eu apenas disse:
- Meu amor, se deite e faça amor comigo.

Ele se deitou e me deu um beijo como no começo de namoro, intenso e muito apaixonado, eu despi Rafael rapidamente, segurei seu membro em minha mão e estava duro como se já estivesse me penetrando. Abocanhei seu membro devagar passando a lingua e sentindo seu membro quente, quando Rafael sentiu que estava prestes a gozar, me deu um beijo e me penetrou rapido, eu estava molhada pois sempre gostei de chupar um pau enorme como o de Rafael, ele se deitou pondo seu corpo masculo em cima do meu e fomos a loucura juntos, gozando os dois ao mesmo tempo. Rafael se ajoelhou, me pos deitada e se pos a me chupar ele passava a lingua lascivamente sobre minha buceta me fazendo gemer muito alto. E outra vez a explosão, gozei de novo nos braços do meu amado.

Ele se recuperou e me colocou de 4 passando agora a comer meu cuzinho, Rafael me fez gritar indo devagar e fundo dentro de mim. Até a minha terceira explosão de prazer e a segunda do meu amor, eu estava exausta já, mais Rafael era incansavel. Me pus a chupar seu membro novamente e Rafael gozou em minha boca, quente e doce como um bolo que acabara de sair do forno. Rafael se cansou e se pos ao meu lado me fazendo carinhos e me beijando delicadamente. Dormimos um ao lado do outro como se nada mais na Terra existisse.

 


Conteúdo sindicalizado