Contos Eróticos

Trepada inesquecível

Prezados (as) leitores, sou leitor assíduo deste maravilhoso site de contos, que me despertam a imaginação e me proporcionam tesão e muito prazer. Resolvi dar minha contribuição contando minha experiência.

Estava navegando pela internet nas salas de bate papo, quando conheci Jorge, bom de papo, loiro, 38 anos, de início nos identificamos e começamos um bom e excitante papo pelo MSN. Em virtude de residir em outra cidade passamos a nos encontrar diariamente para um gostoso e safado papo. Num sábado estava em casa sem nada pra fazer, entrei no msg e meu querido Jorge estava on line, não resistindo mais aos desejos, decidi que naquele mesmo dia iria visitá-lo. Peguei meu carro e ansioso andei 100 Km até chegar ao seu apartamento, me recebeu com um sorriso largo e excitante. Me apresentou a casa e frisou que eu teria liberdade pra não ficar com ele caso não tivesse gostado, o que respondi com um delicioso e longo beijo na boca.

Nos abraçamos, nos tocamos, nos beijamos sentados num pequeno sofá, sentia o cheiro gostoso do seu corpo, a sua língua gulosa e macia tocando a minha, me entreguei ao momento com tesão e muito desejo. Me levou até o quarto e tirei a camiseta que ele usava, passando a língua pelo seu peito, subindo para o pescoço e descendo pela barriga, enquanto ele passava a língua pela minha orelha me causando arrepios, tirou também minha camiseta e chupou meus peitos, deslizou a língua quente pelo meu corpo e nos abraçamos sentindo o calor dos nossos corpos semi nus.

Nosso desejo era muito grande, nos livramos de nossas calças ficando apenas de cueca, sentia o cacete dele muito duro encostando no meu, nos esfregávamos, nossa respiração era ofegante, beijos, amasso, línguas, corpos, tudo se confundia e se misturava, não resistindo mais, tirei a cueca dele com a boca, vendo aquela ferramenta deliciosa e dura apontando pra mim, primeiro passei a língua pelo saco e ele gemeu de tesão, fui subindo até a base do cacete, ele gemia e me acariciava, abri a boca e aos poucos fui engolindo aquele delicioso cacete, sentindo ele todinho dentro da minha boca, estava muito duro e comecei naquele gostoso vai e vem, deixando Jorge extasiado, ele me mudou de posição e tirou também minha cueca, começamos um gostoso 69, sentia a boca quente dele chupando meu cacete que explodia de tão duro, ficamos algum tempo nesta gostosa troca de tesão, energia que faz o coração acelerar.

Ele me deitou de bruços e começou a lamber meus dedos, subiu pelas minhas pernas, passou a língua pela minha bunda, costas, pescoço, me levando ao delírio, sentia todo o calor do corpo dele em cima do meu, se concentrou em lamber minha bunda e chegou até meu cuzinho que vibrava de tesão, senti sua língua entrando e saindo deliciosamente, meu corpo estava quente e totalmente entregue ao meu dominador, ele foi subindo com a língua pelas minhas costas, pescoço, quando senti seu cacete entre minhas pernas, fui subindo e procurando algo quente para colocar seu cacete, senti a glande do seu duro cacete encostando na portinha do meu cuzinho, enquanto dizia ao meu ouvido : - Sonhei tanto com isso, me masturbei a semana toda imaginando este momento.

Senti a cabeça do seu cacete entrando dentro do meu cuzinho, ele era carinhoso e me dizia coisas obscenas no meu ouvido enquanto ia aos poucos enfiando seu cacete cada vez mais fundo, eu delirava e nem pensava mais, acredito que tenha saído do ar. Ficou brincando de tirar e colocar o cacete , me falando o quanto eu era gostoso e como ele se sentia entrando e saindo de dentro do meu cuzinho, me deixando doido, querendo mais, pois ainda não tinha enfiado ele todinho, enquanto ele sussurava enfiava bem gostoso, foi quanto disse que só entraria todinho em mim se eu pedisse, o que fiz de bom grado, sentindo ele entrando todinho me fazendo gemer de tesão.

Deslizado devagar pra fora e pra dentro, me beijando o pescoço e me fudendo gostosamente, aos poucos foi aumentando o ritmo enquanto eu sentia ele indo até o fundo, me virou de lado e pediu para empinar a bunda e continuou e me bombar gostoso, pegou minha mão e colocou entre meu cuzinho e seucacete para eu sentir ele me fudendo, dizendo que meu cuzinho era a medida exata para seu cacete. Por ser nossa primeira transa o tesão era demais, não resistíamos mais, precisávamos gozar. Ele tirou seu cacete e ficou entre minhas pernas se masturbando enquanto eu fazia o mesmo, ele gozou primeiro, urrando de prazer e molhando meu corpo, pois tinha muito esperma, em seguida eu também cheguei ao gozo, quase desfalecendo de tanto tesão. Nos abraçamos e nos beijamos.

Bem amigos espero que tenham gostado, pois eu adorei a experiência e as outras transas contarei em breve. Abração oleitor09@hotmail.com

 

Eu e meu irmão

ESSA EU NÃO PODERIA DEIXAR DE CONTAR PRA VOCES. TO CADA VEZ MAIS LOUCA PRA DAR PRO MEU IRMÃO! ELE TÁ 1 TEZÃO!! SÓ QUE ELE NÃO MORA NA MINHA CASA. ESTOU LOUCA PRA ELE FICAR PERTO DE MIM DE NOVO. EU VOU ESFREGAR OS MEUS PEITINHOS NELE, E ELE NEM VAI PERCEBER. SEMPRE QUE EU POSSO EU DEIXO MEUS PEITINHOS A MOSTRA PRA ELE VER. FINJO QUE VOU PEGAR ALGUMA COISA E ME ABAIXO SÓ PRA ELE VER OS MEUS PEITINHOS. ACHO QUE SE PUDESSE EU DEIXAVA ELE CHUPAR MEU PEITINHO UMA SEMANA INTEIRA E DEPOIS IA SER A MINHA VEZ DE CHUPAR AQUELE PAU LINDO QUE ELE TEM! IA CHUPAR MUITO ATÉ ELE GOZAR TUDO NA MINHA BOQUINHA. IA ENGOLIR TUDINHO E NÃO IA DEIXAR NEM UMA GOTINHA PRA TRAS. ACHO QUE ISSO NÃO TEM ROPLEMA POIS VÁRIAS AMIGAS MINHAS FAZEM ISSO COM OS IRMÃOS E TODOS FICAM FELIZES! NÃO CONSIGO DORMIR E NEM TOMAR BANHO SEM ANTES ME ACARICIAR PENSANDO NELE! DEPOIS DE GOZAR FICO CHUPANDO O MEU DEDINHO TODO MELADO COM O MEU MELZINHO E FICO IMAGINANDO ELE ME CHUPANDO TODA!
 
DEPOIS ELE ME VIRA DE COSTAS E METE TUDO NA MINHA BUCETINHA E ANTES DE GOZAR NOVAMENTE EU DE PRESENTE DOU A MINHA BUNDINHA PRA ELE!! ELE LAMBE MINHA BUCETINHA E DEPOIS LAMBI O MEU CUZINHO ROSA E DEIXA BEM MOLHADINHO, DEPOIS ELE VAI ENFIANDO BEM DEVAGARZINHO ATÉ ENTERRAR TUDO NA MINHA BUNDINHA. EU FICO LOUCA SÓ DE PENSAR!! SÓ QUE ANTES DELE GOZAR EL TIRO E FAÇO ELE GOZAR DE NOVO NA MINHA BOQUINHA! DEPOIS EU CONTO MAIS PRA VOCES POIS AGORA JÁ ESTOU QUASE GOZANDO SÓ DE CONTAR ISSO! SE EU FOSSE VOCÊS ESPERIMENTAVA SÓ APIMENTAR UM POUQUINHO MAIS A RELAÇÃO DE VOCES. VOCE VAI GOZAR SEMPRE FELIZ ANTES DE DORMIR. DEIXA ELE SEM QUERER ENCOSTAR NO SEU PEITINHO, OU TE VER TOMANDO BANHO OU TROCANDO DE ROUPA. FAÇO ISSO DIRETO COM O MEU IRMÃO, PENA QUE ELE NÃO MORA MAIS NA MINHA CASA! MAIS DA PRÓXIMA VEZ QUE ELE VIER ATÉ AQUI VOU DEIXAR ELE MALUCO COMIGO!!!!! SÓ PARO SE ELE ME DER O LEITINHO DELE PRA EU TOMAR!!!!! DEPOIS EU CONTO MAIS!!!!!!
SE TIVER VONTADE DE CONTAR UM FATO QUE JÁ OCORREU OU UMA FANTASIA ME ESCREVE SUA BOBINHA, FAZ O QUE ALGUMAS AMIGAS FIZERAM E CRIE UMA NOVA CONTA NO GMAIL. TENHO CERTEZA DE QUE VAMOS GOZAR MUITO JUNTINHAS AINDA!!!!! UM BEIJINHO BEM NA PONTA DO PEITINHO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! suapsempre@gmail.com
 

Ângela a gulosa

Ângela e eu somos casados.
Ela 28 anos. Eu 42. Sou do tipo grandão, 1,90 cabelo e barba pretos.
Ela è miúda e magra. Um maravilhoso sorriso perolado. E algo que busquei por muitos anos: uma bunda de tomate.
Nem grande nem pequena. Tamanho exato. Capricho da natureza. Demorou até que me aproxima-se dela. Sou tímido. Tímido mesmo.
Talvez por meu tipo físico, sempre gostei de mulheres miúdas e magras. Aquela historia de “mucha carne, mucha fiesta” na tem nada comigo.
Trabalhávamos os dois em uma mesma empresa em Vitoria.
Eu engenheiro mecânico e ela química.
Desde que a vi pela vez primeira, fiquei como hipnotizado pelo sorriso fácil e pela bunda, sempre apertadinha em calças justíssimas ou mini saias minúsculas. Ela era então, casada com outro funcionário. Na hora do almoço, íamos todos para o mesmo restaurante, como um bando de esfomeados. Sempre em grupos. Mulheres de um lado, os homens de outro. Claro entre uma garfada e outra corriam fofocas as mais distintas. Entre nós homens havia dois assuntos. Futebol e mulher. Suponho que entre as mulheres o papo era crianças e criadas. Porem, considerando as risadas e gargalhadas, me parecia mesmo o assunto ser homens.
Nesses almoços fiquei sabendo coisas sobre varias funcionarias. E muito se falava sobre Ângela. Que era infiel para com o marido. Que era uma devoradora de homens. Que não tinha limite algum para coisas de sexo. Isso tudo com o tempo me foi enchendo de curiosidade e desejo. Passei a circular sempre por seu local de trabalho. Puxava conversa, e sempre de olho naquela bunda maravilhosa. O sorriso era lindo, uma graça divina. Solto e fácil. Passado um tempo notei algo especial, quando eu fazia algum cumprimento sobre ela, seu corpo ou sorriso, ela enrubescia. Era algo lindo e que me dava um incrível tesão. Por minha timidez passou um tempão, sem eu fazer nada. Víamos no trabalho, no ônibus que nos levava e trazia do trabalho e na praia. Lá, ela usava biquínis tão minúsculos que todos a olhavam fascinados. Uma tarde estávamos os dois nadando na piscina do clube e por estar começando a escurecer. Acabamos os dois sozinhos. Ela nadou para junto de onde eu estava e sorrindo perguntou:
Você tem medo de mim?
Devo ter ficado roxo de vergonha.
De alguma forma me aprumei e disse que não. Que ao contrario eu a achava super interessante tudo o mais. Papo típico de quem esta sem ação. Foi ai que tudo começou.
Eu estava sentado com as pernas dentro da água. Ela colocou-se entre elas, e puxou meu maio de uma vez.
Sempre com gestos delicados e precisos, ela começou a acariciar meu penis com suas mãos. Esta claro que em minutos ele estava duríssimo. Nisso ela o envolveu com sua boca e começou a chupar lamber, acariciar, com sua boca macia e úmida. Ela mordiscava, apertava, chupava sofregamente, e radicalmente engolia meu pau. Os movimentos com sua cabeça ou eram rápidos ou então lentos, mas sempre retendo meu pau entre seus dentes. Eu já não tinha mais como me agüentar, pelo tesão e a necessidade de gozar. Como que percebendo isso, ela parou de me chupar. Sorrindo apoiou-se na borda e saiu da piscina. Com um gesto quase brutal, empurrou-me para trás de tal forma que fiquei deitado.
Meu pau já estava murchando, e ela sentou-se sobre mim dizendo:
Meu bem, não vamos desperdiçar teu leite quentinho não. Eu quero ele todinho em mim. Vou levar você dentro de mim, e assim dormiremos juntos. Ao ouvir tal coisa, fiquei louco de tesão e com o pau novamente em riste. Sob o céu já cheio de estelas. Ângela ajeitou-se, afastando para o lado o biquíni, sentou-se enfiando todo meu pau dentro dela. Assim começou a me cavalgar. Quando eu quis me mexer, ela segurou meu rosto e com aquele sorriso safado me disse:
A única que come aqui sou eu. Você fica quietinho e sente nada mais.
Assim, fiquei imóvel, apenas sentindo os movimentos que ela fazia. Ela subia e descia, rebolava, esfregava sua buceta de encontro a minha pélvis, apertava e soltava meu pau em sua gruta toda melada. Na subida ela quase deixava meu pau sair, daí enfiava ele até o fundo. Isso me enlouquecia de tesão. E a ela também.
Em dado momento ela disse: Goza, goza seu puto. Goza meu macho. Goza fundo na tua puta. Sou tua cadela, tua cachorra de rua. Goza até a ultima gota. Quero toda tua porra fundo, fundo em mim. Vou dormir com você dentro de mim. E vou te beber gota a gota, até em sonho.
Nisso percebi que ela apertava meu pau dentro dela como um torniquete. Gozei, gozei como louco. Uivei de tanto gozar.
Ela ainda me apertando dentro dela, me beijou enfiando sua língua quase dentro de minha garganta.
Nisso, levantou-se. Ajeitou a calcinha do biquíni com franginhas cor de rosa, mexeu nos longos e negros cabelos e despediu-se dizendo:
A partir de agora, sempre que eu te chamar, vem correndo e fica quietinho para eu te comer. Você agora é meu. Mas nem pensa, eu não sou tua.

Se você quiser contatá-la, conte o que gostaria de fazer com Ângela.
Ela adora fantasias eróticas. E faz tudo o que se pede.
Em breve conto algo mais sobre ela.

Biscate69@aol.com

 

Fui feito de fêmea

Sou casado e já faz algum tempo comecei a sair com bonecas. No começo foi meio difícil, pois sempre pintava uma culpa. Com o passar do tempo, aprendi a lidar melhor com isso. Não que a culpa tenha desaparecido, mas aprendi a me soltar mais, o que faz minhas transas serem muito boas. Sou muito seletivo em relação às bonecas, pois evito ao máximo correr riscos. Normalmente, só saio com bonecas que conheço ou que são classificadas como “lista branca” em fóruns de bonecas que existem na internet. Isso faz com que só transe com elas de tempos em tempos. Essa transa que vou contar é real, aconteceu em junho de 2009, foi a última até o momento e foi uma das melhores porque pela primeira vez, paradoxalmente, me senti tratado como uma fêmea e simplesmente adorei.

A boneca com quem saí é conhecida, tem perfil na internet e é uma boneca que visito sempre, a ponto de dizer a ela que atualmente meu cuzinho é só dela. Ela não acredita, é claro. Nesse dia – era um dia de semana, pois não saio com elas nos finais de semana, que são reservados para minha mulher – liguei para ela logo pela manhã, pois tinha passado parte da noite visitando sites de travestis e tinha ficado bastante excitado, o que me fez ficar com vontade de ser comido por boneca pauzuda novamente. Ao ligar, ela me disse que poderia me atender ao meio-dia.

Quando chegou a hora, peguei um táxi e fui para o privê dela que fica em Copacabana. Ao chegar, encontrei-a como sempre bem vestida, cheirosa e com um sorriso maravilhoso. Disse a ela que estava com vontade de ser bem comido e queria ela bem ativa, socando forte minha bundinha. E la disse que tudo bem, que ia me fazer de fêmea. Tirei minha roupa e ela, nesse meio tempo, ficou só de calcinha e com um salto alto. Ela, então, me botou de joelhos e mandou eu abaixar sua calcinha, o que fiz alegremente. O pau dela, então, saltou para fora. O pau dela, aliás, é tudo de bom. Grande e bem grosso, com uma cabeça linda toda para fora. O pau dela ainda estava mole e eu comecei a chupar. Ela me mandou parar e me mandou tirar os sapatos dela. Ela estava adorando ser obedecida. Fiz o que ela mandou e voltei logo para o pauzão. Mamei ele por vários minutos até que ele ficou bem duro. Nesse momento, ela começou a bater com o pau na minha cara, me mandando engolir ele, me dizendo para pegar nele, bota ele na sua boca e essas coisas. Em seguida, fomos para a cama. Ela ficou sentada e me mandou continuar chupando o pauzão. Eu ainda estava de joelhos.

Continuei mamando até que ela disse: vem, eu quero comer sua bundinha. Gelei, como sempre gelo na hora de r eceber o pau, pois meu cuzinho é muito apertado e quando o pau começa a entrar rasgando – eu só gosto de dar para bonecas pauzudas e bem ativas – a dor é bastante grande. Ela, então, me botou de 4 e eu pedi a ela para me comer de franguinho assado, pois nessa posição a penetração dói menos. Ela então disse: cala a boca, hoje eu quero te comer de 4 pois eu quero ver meu pau entrando na sua bundinha branca. Não tinha o que fazer. Obedeci. Ela besuntou meu cuzinho com KY e começou a meter. Como eu esperava, a dor foi grande, pois o pauzão grande e grosso dela entrou rasgando. Ela nem tomou conhecimento e continuou metendo até dizer: está tudo dentro. A dor era realmente grande, quase insuportável. No entanto, comecei a sentir prazer ao sentir o pauzão dela latejando dentro do meu cuzinho.

Ela, então, começou a estocar. Eu pedi para ela ir devagar e mais uma vez ela me mandou calar a boca. Ela lembrou que eu havia pedido para ela socar bem forte. Foi o qu e ela fez. Socou realmente muito forte, abrindo bastante minhas pernas e minha bundinha, às vezes me fazendo deitar na cama e vindo por cima só para meter com mais força e depois me pegar pela cintura e me puxar em direção a ela, enterrando o pau até o talo. Eu não sentia mais nenhuma dor, só prazer, e ela metia cada vez mais forte. Foi, então, que eu pedi para ela me botar de frango assado e comecei a sair do pau dela. Ela deu um gemido que só um garanhão sabe dar quando está comendo um cuzinho gostoso e disse nãããããõoo e me puxou com mais força em direção a ela. Nesse momento, me senti sua menina.

Ela continuou socando e, então, colocou uma camisinha no meu pau e começou a me punhetar. Eu pedi para ela parar, pois queria gozar pelo cuzinho. Ela me atendeu e acelerou as estocadas. Foi maravilhoso. Pouco tempo depois, eu gozei pela minha bundinha como só ela sabe me fazer gozar. Então, caímos na cama esgotados. Passados alguns minutos, ela levantou, eu levantei e fui ao banheiro me lavar. Ela, então, me deu um beijo na boca. Desse momento em diante, sabia que seria sua menina para sempre. Não vejo a hora de voltar.

fredrio@bol.com.br

 

Confissões de uma mulher independente

Pensem e digam o que quiserem, mas eu tenho absoluta certeza que, algumas coisas, só acontecem comigo. Se não é, então! Vejam só, vocês! Em todas estas minhas três décadas e meia, mal vividas, tive tantos namorados que posso contá-los em uma só mão. Quatro. Estaria sendo radical ao dizer que foi um pior que o outro, mas olha que não seria exagero de minha parte. Quatro, somente quatro esporádicos e legítimos malas-sem-alça. E olha que estou sendo até boazinha. Tudo bem, tudo bem. Também, não vou ficar enganando ninguém, subestimando suas inteligências. É que... é que... está bem, eu admito! Sou feia, pareço feia, sei lá. Eu me acho feia. Feia e pronto. Estou aqui viva, ainda, graças ao meu instinto inato de autopreservação. Em alguns dias, sinto-me tão horrível, a ponto de nem sequer ter coragem de me olhar no espelho. Parece ridículo, mas é a mais pura verdade. Odeio meu corpo de baixinha e gordinha, meu cabelo muito seco que tenho sempre de mantê-lo preso, meu rosto muito redondo, com várias pintinhas, as quais muitos chamam de “belezas”, mas não as minhas.
 
Não sei aonde que certas pessoas vêem beleza nas pintas. Acho que, mesmo que eu fosse milionária, e gastasse horrores em salões de beleza e cirurgias plásticas, ainda assim não enganaria muita gente. Então, sou franca e consciente, acho que a única solução para mim seria, infelizmente, nascer de novo. Podem rir. Não me importo mesmo. Acho que se mudasse de fôrma, trocasse os pais, quem sabe? Duvida? Tenho 1,62 de altura, quadril largo, coxas grossas, e toda a vez que compro uma calça jeans, tenho que levar para uma costureira ajeitar e tirar quase meio metro de tecido de cada perna. Desperdício de dinheiro e tecido. Sempre fui assim “fofinha”, desde criança. Lembro das piadinhas de mau gosto na escola e entre os “falsos” amigos, mas acho que não traumatizei. E também garanto a vocês que não foi excesso de mimos, guloseimas ou coisa parecida. Acho que é meio genético, DNA mesmo, disfunção da tireóide, ou qualquer outro defeito hereditário de fábrica. Em meu rosto, à exceção dos meus olhos castanho-claros, nada mais me agrada. Cheguei a tentar maquiagem para disfarçar, mas acho que fiquei até pior. Mas, voltando aos meus raríssimos e seletos quatro namorados, como disse, nenhum deles foi grande coisa. Nunca pude nem quis ser muito exigente, mas mesmo assim. Decepcionei-me.
 
Além de eles não terem sido do tipo “maurício-de-mattar” ou “gianechini” da vida ou coisa que o valha, eram espécimes raros de paradigmas de anti-herói. Grosseiros exemplares, quase ogros, meio elos-perdidos. Daqueles que faziam xixi em pé, como os cavalos, sem levantar o acento do sanitário, respingando por tudo, sem nem ao menos dar a descarga. Não tinham o hábito da higiene íntima, não aparavam os pêlos pubianos, deixando sempre um rastro de pelos no banheiro, que dariam até para fazer tranças. Parece engraçado, mas não é. Eram daqueles que arrotavam sem cerimônia, soltavam pum e perguntavam descaradamente, sem a mínima graça – quem foi?! Ou bebiam demais (não sei se era para ter coragem de me enfrentar ou para me esquecer um pouco), ou fumavam demais, como chaminés ambulantes, sem falar que não conseguiam parar em emprego algum, não gostavam de leitura, nem de filmes, só da maldita tevê, na crônica esportiva e de futebol. Avessos ao romance, nem um pouco carinhosos e, claro, verdadeiros desastres como amantes. Sem a mínima criatividade na cama. Aliás, eram modelos de velocidade, do tipo pá-pum, como bons fundistas dos 100 metros rasos. No máximo 15 segundos e estavam satisfeitíssimos (com eles mesmos, obviamente!). Eu sempre mantive o hábito de salão de beleza semanal, cabelos, unhas em dia, depilação total, íntima inclusive, a cada 15 dias, e confesso que sempre procurei compensar na cama a minha falta de bons atributos físicos. Apesar de ter sido criada por uma mãe muito católica, não puxei sua veia carola. Minha mãe nunca conversou sobre sexo comigo e acho que até foi bom isso, pois nem a imagino falando sobre o assunto. E assim, tive que aprender tudo na marra mesmo. Lendo muito e de tudo um pouco, sem muito rigor de escolha, muito eclética. Quando consegui minha independência, não tive outro pensamento.
 
 
Fui morar sozinha. E, a partir deste período, fiz meus cursos auto-instrucionais de educação sexual. A inexperiência me asfixiava. Não havia outra solução a não ser o autodidatismo. Tenho essa facilidade como característica em tudo o que faço. Não espero pelos outros. Vou-me em busca do saber, do meu conhecimento. Conquistei um bom emprego. Hoje tenho uma vida estável, tranquila, apartamento financiado (em dia) e dentro do meu orçamento. Um carrinho usado, do tipo econômico, mas quitado e com seguro. E então, como estava dizendo, sempre procurei compensar na cama a ausência de beleza. Nunca cultivei falsos pudores, nem queria, pois sempre me foi coisa cultural. Sou avessa ao preconceito. Odeio a ignorância. Para mim, na cama, num quarto, entre aquelas quatro paredes, para se satisfazer, janelas e porta trancadas, sigilo absoluto, vale tudo. Para que se resguardar tanto, se nem ao menos sabemos se estaremos vivos na semana que vem. Sempre pensei assim. Então, com estes meus poucos namorados, do tipo relâmpago, fugazes, com quem convivi tão pouco, pois os relacionamentos não duravam mais que dois meses, nunca me fiz de rogada. Sempre me predispus a tudo, sem qualquer preconceito, fiel aos meus manuais de aprenda-sozinha-sem-sair-de-casa. Sexo oral nas preliminares, sexo vaginal com variações pelo anal, cunnilingus, fellatio, sessenta e nove e tantas outras possibilidades. Idéias nunca me faltaram, pois me acho muito criativa. Mas os relacionamentos eram tão melancólicos e parecia que eu não era tão eficiente, até que percebi que não era eu o problema. Eram eles, sempre eles, os homens, “aqueles” homens. Brutos estereotipados que acham que perdem a masculinidade com uma simples depilação, ou apenas num aparar de pêlos, ou se agirem com gentileza e educação, ou se forem mais carinhosos com uma mulher. Quanta ignorância!
 
Quando meu último (graças a Deus!) namorado esgotou minha paciência, fazendo-me um favor indo embora, cheguei a perder a vontade. Perdi a “tesão”, como dizem, de procurar companhia. Além do que, a simples idéia de encontrar mais outro mala como aqueles me apavorava. Então tomei uma decisão, embora tardia. Chega! Disse para mim mesma. Bastava. Descobri que eu era mais feliz sozinha. Meu apartamento parecia até ter ficado maior e mais confortável. E, então, passei a me dedicar à cultura geral, ao meu conhecimento. Voltei a ler como antes. Li muitas revistas culturais, muitos livros, de todos os autores e gêneros literários, principalmente os pouco convencionais. Fiz passeios, viagens, visitei museus. Fui ao teatro, ao cinema. Assisti a muitos filmes em DVD, inclusive aqueles que me eram proibidos no passado, com aquele erotismo explícito ou subentendido. Fiquei fã de muitos diretores e atores. Adorei o erotismo muito bem humorado de Tinto Brass e suas belas atrizes italianas, como em “Transgredire”, “Monella” e “Fallo!”. Apaixonei-me pelos filmes de erotismo cult da francesa Catherine Breillat (“Uma jovem realmente jovem”, “Fat Girl” e “Anatomia do Inferno”). Ou então os eróticos quase insanos de Larry Clark (“Kids”, “Ken Park e “Bully”). E claro, não vou esconder, não sou ingênua e ninguém é tão tolo, assisti também àqueles bem vulgares mesmo, de “sacanagem”, sem qualquer pudor, sem história e sexo sem limites ou pausa. Daquelas produções que os americanos adoram encher nas capas os rótulos de “gang bang”, “cum shot”, “double penetration”, “ass to mouth” e muitas outras expressões desnecessárias, mas muito criativas.
 
Dentre estas produções pervertidas, destaco os filmes da atriz pornô Audrey Hollander. Uma mulher sem limites. De tudo, enfim, sempre se aprende um pouco. Basta perspicácia e um bom e atento olhar. E assim, numa bela madrugada, enquanto navegava pela internet, veio-me uma idéia que iria mudar meu modo de viver e pensar sobre sexo. Fiz compras em um site erótico, um “sex-shop”, com “delivery” via postal. Peguei meu cartão de crédito e num instantinho estava feito. Dois dias depois, estava recebendo as encomendas em casa. Sigilo absoluto, sem qualquer estresse. Pois bem, confesso que, enquanto escolhia meio perdida entre a grande gama de brinquedinhos oferecidos, me apaixonei por um vibrador importado, com design ultra-arrojado, anatômico, em forma de meia-lua, largo e achatado nas extremidades, na cor branca, três velocidades, completamente diferente daqueles tradicionais em formato fálico. E para aproveitar a remessa, comprei também um par de bolas para pompoarismo, para fortalecer a musculatura da vagina, e um lindo plug anal para dilatação na cor rosa pink, lindo. Eles me enviaram junto, gratuitamente, sachês de gel lubrificante.
 
Se bem que eu sempre fui prevenida e mantenho comigo, entre meus produtos de primeiros socorros, óleo de amêndoas, gel lubrificante íntimo, e até vaselina. Nunca se sabe quando nos serão úteis. Pois bem, de posse dos meus brinquedinhos, preparei o ambiente para inaugurá-los e testar suas eficiências. À noite, ambiente aquecido, brinquedos sobre a cama, um filme daqueles “preste bem a atenção e siga-me”. Não demorei muito a me excitar, observando a prática da atriz no filme que se divertia com um enorme vibrador azul em formato de rosca. Lubrifiquei bem meu querido e anatômico vibrador em forma de meia-lua. Descobri que o formato facilita e muito os movimentos, enquanto se permanece deitada de costas. Num instantinho, eu já parecia estar ao lado da atriz do filme, curtindo seus gemidos que me excitavam ainda mais. Com mais da metade do meu novo vibrador introduzido na vagina, mudei de posição, ficando de bruços. Coloquei um travesseiro sob a região do quadril e, com as mãos livres, lubrifiquei aquele lindo plug rosa pink e comecei a introduzi-lo no meu ânus. Era ótima a sensação de estar sendo possuída daquela forma, duplamente preenchida, completada. Não demorou muito e, de olhos fechados, só ouvindo os gemidos vindo da tevê, gozei deliciosamente. Fazia tempo que não me divertia daquele jeito.
 
E foi preciso fazer sozinha. Infelizmente, ou não, não sei, mas tenho repetido isso com mais frequência. Depois, um pouco mais relaxada, ainda assistindo ao filme, testei minhas bolinhas de pompoarismo. Não cheguei a gozar, mas foi um exercício bem relaxante, gostoso, ficar contraindo a musculatura vaginal na tentativa de segurar ambas as bolas lá dentro. Muito prazeroso. E, ontem, enquanto assistia pela enésima vez ao filme meio maluco “Cidade dos sonhos” (Mulholland Drive, 2001), do doido David Lynch, não resisti à cena mais excitante de amor entre mulheres de todos os tempos (na minha opinião e de muitos outros fãs). As personagens das atrizes Naomi Watts e Laura Elena Harring fazendo amor no filme, com tamanha naturalidade, que transformaram a cena num momento mágico, sublime, perfeito. Não resisti, e tive que me socorrer do meu novo amiguinho, o vibrador anatômico.
 
Foi ótimo, maravilhoso. Voltei à cena várias vezes até me sentir no meio delas, desfrutando daquele momento inesquecível. E, assim, desde este filme, fiquei fã de Naomi Watts e procuro, sempre que posso, acompanhar sua carreira. Descobri que o amor entre mulheres também me excita e muito. E, como sou uma mulher de cabeça aberta, sem preconceito ou pudores, vejo agora um mundo inteiro ainda pela frente. Quem sabe não é o que me falta para aumentar minha auto-estima? Bem, então, sou tudo isso e um pouco mais. Sou também uma bibliomaníaca, leio muito (tenho mais de 1.500 livros em casa), sou mais ainda uma cinéfila obsessiva (minha videoteca tem quase 1000 filmes em dvds e arquivos *.avi). E, para terminar, duas dicas de filme: para quem gosta de um bom filme nacional, “Mulheres, sexo, verdades, mentiras” de 2007, com Júlia Lemmertz e grande elenco; e “Diario de una ninfómana” de 2008, uma ótima produção espanhola, cujo título em português é “Diário Proibido”. Dois filmes sérios e muito bem recebidos pela crítica e público. Beijos a todos. E-mails para catherine.lanou@gmail.com.
 

Sedução sensual e erótica em tarde quente

Num dia de muito calor, estávamos numa praia do Algarve (Portugal), em Cabanas, eu, o meu primo e um amigo dele. Eu (24 anos) estava só com um biquini fio dental com havaiana e mini saia e meus primos só com sunguinhas, havaianas e camiseta. Quando chegamos na praia, tiramos as roupas e eu fiquei só de biquini fio dental e meu primo com sunguinha sexy e pequena e o amigo com uma sunga tipo tanguinha, como é muito ousado e muitas garotas já o viram assim. O meu primo, 25 anos, tem um corpo sarado, bronzeado, põe óleo hidratante, atraente, uma brasa, morenão, lindo e o amigo dele de 22 anos é super sexy, vai na mesma Academia (ginásio) onde ele vai, muito sexy, atlético e proporcionalmente musculado, faz desfiles como modelo!

Depois de eu botar creme nas costas deles e nas pernas também, me soube tão bem que fiquei com tesão, quase que minha calçinha do biquini ficou melada. Em relação ao amigo do meu primo, quando estava botando creme nas pernas e bumbum (depois de “massagear” as suas costas deliciosas), começei por espalhar com as minhas mãos, mas acabei a “tarefa” com a minha própria bunda. Quando eles me foram botar creme, o amigo do meu primo me desapertou o biquini de cima pra me botar creme nas costas e eu acabei por tirar a parte de cima e fiquei só em topless e fio dental. O Alex (amigo do meu primo que se chama Bruno) ficou no meio entre mim e o meu primo.

A determinada altura, avistámos um rapaz lindo, moreno-aloirado (um pouco mais loiro do que moreno) com olhos azuis esverdeados, corpo definido e atlético de quem pratica muito esporte (um deles natação), um corpo sexy e torneado e novinho, acompanhado de duas lindas, sexys e sensuais gatinhas uma ruiva com olhos verdes e outra morena de olhos cor de mel e cabelos cacheados. Ele estava apenas em sunga minuscula e cavada e elas em topless e monoquini minusculo, ele lindo e gato e elas lindas e gatas, ele teria uns 17 pra 18 anos e elas entre 19 e 21 anos e ele estava tocando nas duas e chegou a beijar as duas, e eu pensei: nossa! Que rapaz de “alimento” pra ter duas namoradas. Dai o Alex falou que o conheciam (ele e o Bruno conheciam-no) ele frequenta a mesma Academia (ginásio) deles e além disso também faz desfiles como modelo na mesma agência e produtora e faz esporte pra além de Academia (fazendo basicamente cardio-fitness e abdominais e só um pouco de musculação ora treinar para os outros esportes que pratica), faz bodyboard, 3 vezes por semana natação (nada desde os 13/14 anos) e como se via estava com um tom super bronzeado que mais parecia que vivia na praia e tinha 17 anos e meio (faltando 5 meses para fazer anos). Outra curiosidade é que o Bruno e o Alex me contaram que ele (o Paulo Ricardo) não fica com qualquer uma, mas tem algumas “amigas íntimas”!

Paulo estava bem acompanhado pelas duas moças e as carícias erótico-sensuais eram evidentes e as brincadeiras eróticas esquentavam. Bruno até reconheceu uma das garotas, que tinha 19 ano, a morena de cabelos cacheados que se chamava Sara e que ele a conheceu na Discoteca numa das noites anteriores do ano passado e que este ano chegou a ter um casinho com ela nos encontros na Discoteca, tanto que da ultima vez que estiveram juntos estiveram na piscina, ele sempre de sunguinha e ela em tanguinha e topless e com corpos banhados em oleo se amassavam fervorosamente.

Entretanto, eu, Alex e Bruno conectamos ali na praia com o Paulo mais as suas namoradinhas, e fomos passear os seis. Paulo até ficou de queixo caído de me ver, de corpinho torneado e empinado e ele tocou nos meus seios e no meu bumbum e eu passei a mão pelo corpo dele e acabei por “curtir” com ele, fiquei com ele, chegou a haver uma “curte” bem escaldante, erótica e sensual entre mim e o Paulo, sentindo os nossos corpos alinhados da cintura para cima e da cintura para baixo se esfregando e se entrelaçando e chegamos a ir para dentro de água e o envolvimento continuou, nos esfregando e amassando de frente, e nos virando de costas um para o outro nos esfregamos assim também (era e é basicamente assim que rola entre ele e as namoradinhas. O Alex e o Bruno se estavam divertindo com a Sara e a Vanessa, e o Alex levando vantagem pois as duas estavam cercando ele e fascinadas com seu corpo e ele também com elas, e enquento Sara estava se esfregando e se melando toda nas costas, bumbum e pernas dele, ele estava agarrado beijando e abraçando Vanessa, frontal e lateralmente, e dai os tr~es rolaram na areia vindo na nossa direção. Bruno conseguiu “pegar” Vanessa (já tinha tido “casinho” com a Sara) e Alex veio em minha direção me pegar pra ele (já me esfreguei nele algumas vezes) e sentir nossos corpos nus (eu de monoquinio fio dntal e ele de tanguinha) se banhando, se bamboleando, se amassando tudo em plena sedução sensual, woooww ficamos em êxtase! Ainda fora de água e ao sol e com corpos escaldantes estavam Paulo e Sara, assim como Bruno e Vanessa no marmelanço, no amasso e se “comendo” e com a líbido aflorada e quando rolaram no mar houve um certo toque de “swing”, Paulo ficou com as duas namoradinhas, Alex curtindo com elas e comigo e uns pegas entre mim e Bruno…

Erotismo e sensualidade a 100%, corpos escaldantes, atração física intensa, pura sedução sensual assim foi o dia!

barros.barros5@gmail.com

 

Corneado pelo Marcos

Este foi na época que eu namorava com minha ex-mulher...r.s..não é bem como bissexual e sim mais para de corno mesmo.

Eu e minha namorada na época tínhamos uns 21 anos. Saíamos quase todas as seixta-feiras e íamos ao teatro ao cinema e depois sempre terminávamos a noite em hoteis..passávamos na verdade a noite toda.

Bem deixe dizer como ela era...era uma morena de pele jambo muito bonita de rosto ela era um pouco baixa tinha 1,57 e seus seios eram daqueles redondos e super duros e não eram aquele exagerados tb..era sobre medida certa...e o que ela tinha de melhor eram as pernas..muito bem torneadas e o tom de pele chamava muito a atenção tb...só não tinha sintura fina para chamar mais atenção de sua bunda que era muito bonita tb.

Bem certa vez estávamos no centro da cidade de SP na galeria Metrópole onde havia um cinema...fomo 1o. a uma casa de chá na mesma galeria e depois fomos assistir a um filme e isso já era na última cessão..r.s..tard da noite.

Bem o cinema estava quase que vazio devido ao horário...nem lembro direito o filme que era, mas tava super vazio como disse e procuramos uma fileira bem no meio do cine...não havia ninguém nem na frente nem nos lados e nem atrás..r.s..dava para contar quem estava no cine aquele horário...

Bem eu estava vestido de social esporte com camisa social de manga curta e calça social tb...ela estava com um vestido na altura dos joelhos e com um decote em V super sexy no que na rua muitas pessoas ficavam olhando tanto para suas pernas como para seu colo...

Bem entramos no cine nos acomodamos e ficamos namoranda até começar o filme...nisso as luzes se apagaram e ia começar o filme...bem logo começou o file e começos a ter uns amassos bem gostosos e como estava vazio o cine nem nos preocupamos..r.s..tirei logo a rola para fora e ele punhetava gostosamente...e eu a acariciava nas pernas e chegava até sua xaninha já toda molhadinha e ao mesmo tempo ficávamos nos beijando calientemente...

E estávamos assim neste extase quando em certo momento ela me diz que tem um cara perto da gente umas duas poltronas ao meu lado...nem havíamos reparado tamanha era nossa sacanagem dentro do cine...

Bem a princípio nem tomamos conhecimento...e continuamos nossos amassos deliciosos...ela já estava super excitava havia gozado em minha mão e eu tava com o pua todo babado tb..minha rola não é nenhum exagero normal por sinal mede uns 15 cm mas é bem grossa..rs...

Depois de um tempo ela fala para mim no meu ouvido que o cara que estava a umas poltronas do meu lado parecia que estava de rola para fora e se masturbando...

Bem dei uma olhada do lado e parece que o cara se tocou e não deu para ver nada..e continuamos nossos amassos...mas fiquei de espreita para ver se o cara tava mesmo batendo uma nos olhando...no que percebi que realmente ele estava apesar do escuro dava para ver a silueta de sua rola..e era enorme e grossa por isso dava para notar que tava com ela para fora tb...

Notei que minha namorada ficou mais excitada vendo aquela cena e me beijava mais caliente que nunca e me punhetava mais gostasamente ainda...e notei tb que vira e mexe ela abria o oho para ver o cara se masturbando...percebendo isso perguntei a ela se tava gostando do que via..no que ela balançando a cabeça consentiu que sim..e me disse que aquilo tava deixando ela doidinha..vendo o tamanho da rola do cara....disse para mim que realmente era bem maior que a minha..r.s.

Bem ficamos assim um bom tempo então eu ousei mais e tirei seus peitos para fora e comecei a mamá-los e as vezes dava uma olhadinha de rabo de olho e notava que o cara agora até dava umas gemidinhas baixinhas vendo a cena e notava tb que minha amada tava de olho na rola do cara...e tb gemia gostosamente...

Então disse a ela..tá gsotando né safada..tá vendo a rola do cara e adorando né..to sentindo sua buceta mais molhadinha e quente que nunca...e disse a ela que ia até o banheiro para ver a reação do cara...então me levantei e fui até o banheiro...não é que o cara veio atrás de mim no banheiro...aí notei que ele estava bem vestido de roupa social mesmo paleto e gravata e era um mulato bem apessoado bonito msmo...fez de tudo para mim olhar para sua rola no que deu uma olhadinha de rabo de olho e realmente constatei que devia ter uns 25 cm de rola ali e muito grossa tb além de estar super dura e ele chacalhava propositalmente para mim ver...

Etnão ele disse é notei que sua mina não tirou os olhos de minha rola será que ela não quer dar uma pegadinha..falou isso maliciosamente e chacalhando aquela enormidade aquilo me deixou super excitado de pensar em ver ela masturbando aquele cara do meu lado...então eu cheio de tesão disse...vou ver com ela e conforme for fazemos assim eu estou sentado do lado que você está se ela consentir eu me sendo do outro lado dela aí será a deixa para você sentar onde estou do outro lado dela...assim ela ficará no meio nosso...

Bem voltei 1o. para o lado dela e ele depois de um tempo se sentou no mesmo local...ela então perguntou ele foi no banheiro tb..eu disse que sim e que era um cara super bem apessoado e que havia notado que ela não tirava os olhos da rola dele e que ele tinha perguntado se ela não queria sntir sua rola...ela na hora ficou sem geito e negou...mas logo percebi que tava mesmo era afim e então eu disse...não tem problema amor se tiver afim de sentir outra rola que seja assim na minha frente mesmo...

Então ela me deu um beijo cfaliente de lingua e disse que me amava muito...então eu disse vou me sentar do outro lado seu pois foi a deixa que disse a ela que se voc~e consentisse ele então viria se sentar onde estou agora...e levantei e me me sentei de seu lado esquerdo e ele logo se levantou e sentou do lado direito dela...

Ela quando viu o cara adorou notou que ele era bonito e tinha um porte físico legal...então ele se apresentou que até então não tinha feito...se chamava Marcos...ela adorou o cara era conversador brincalhão...bem ficamos em silêncio e logo voltei a beijá-la e tirei minha rola para fora e segurei sua mão e levei até minha rola no que ela logo pegou e começou a me punhetar e comecei tb a massagear seus seios...ela já estava toda molhado de novo..tinha maior tesão nos seios...como sabia logo cai de boca..nisso o cara tira tb a rola para fora e pega sua outra mão e leva em sua rola no que ela nem se faz de rogada e segura...

Quanto ela sente o volume a testura da um gemidinho de tesão que nunca havia sentido...pelo visto adorando aquilo..e punhetava o cara e ele aproveitou e dividiu seus seios comigo..ela delirava de tesão sentindo outra boca e mão lhe acariciar e tb por estar sentindo aquela rola diferente em sua mão...

Ficamos nessa malhação um bom tempo e ele então enfiou o dedo em sua buceta que nesta altura tava toda melada e não demorou muito ela gozou na mão dele...mas não parava de gemer estava uma cadela no cio mesmo..estava super excitada e adorando tudo aquilo..

Como o cine estava super vazio as poucas pessoas que ali estavam nem eprceberam nada...depois de um tmepo nessa putaria ela não se conteve e caiu de boca na rola do cara..nossa nunca havia me chupado com aquela volupía que chupava o cara..lambia a cabeça, depois enfiava até onde dava dentro da boca e chupava com uma velocidade impressionante uma gulosa mesmo ela estava...nisso não demorou muito e o cara encheu sua boca de porra no que ela até se engasgou de tanta porra que saiu...

Ficamos assim um tempo nos recompondo..e ela não tirava a mão da rola do cara..estva super excitada segurando a mesma então fiz uma loucura...ajoelhei no chão do cine na sua frente e comecei a chupar sua buceta..ela delirava de tesão eu a chupava e ela punhetava o cara com uma vontade louca de ver a rola dele dura de novo..no que não demorou muito a subir...eu ali ajoelhado no chão lhe chupando ele rebolando na minha cara e punhetando o cara que lhe percorria o corpo toco com as mãos...não demorou e ela deu uma gozada deliciosa na minha boca...mas nãoe stava saciada queria mais e mais...

Então caiu de boca novamente na rola do cara que a esta altura gemia muito de tanto tesão...eu tb estava que não aguentava mais de tanto tesão com as cena..então disse vamos lá para trás...e notamos que não havia ninguém e ficamos em pé naquele balcão do corredor da entrada do cine...e ali eu peguei uma camisinha que tinha e dei para o cara...então levantei seu vestido e coloquei minha pica na sua buceta ela deu uma enclinada para frente e enquanto eu comia sua buceta ela chupava a rola do cara então eu disse agora e a vez do Marcos amor...e ela então deu auqelo sorriso delicioso enquanto ele punha a camisinha e veio onde eu estava e meu aquela rola enorme dentro dela...eu fui para frente dela para ela me chupar para não azer escandalo gemendo alto...quando ele enfiou sua rola nela ela me chupou como nunca havia feito..

Com uma vontade louca e ele percebendo banbava muito e muito e não demorou muito ela gozou na rola dela quase que desvalecendo e eu percebendo a segurei e disse aguentar amor que ela vai gozar ainda...e ela então aguentou e ele começou os movimentos frenéticos e gozou dentro dela que disia ai amor que rola maravilhosa o Marcos tem..estou sentindo ela latejar e a camisinha encher de porra ai que tesão amor isso que é rola...mas te amo amor e obrigado pela foda deliciosa.

Depois nos recompomos fomos sentar e ele foi para o banheiro e não o vimos mais...mas ela confessou que foi tudo de bom e que me amava muito por ter dado este prazer a ela...Bem que gostou é só me escrever...guine43@itelefonica.com.br

Patolé

Este também foi verídico de minha época de infância. Naquela época brincávamos muito na rua e era um bairro simples e as pessoas também eram simples mas todas muito amigas. Raro isso hoje em dia.

Bem havia muitos garotos maiores que eu um deles era o Patolé tinha uns 18 anos e mancava de uma perna por ter tido paralisia na mesma na infãncia.
Bem ele era de freuqentar minha casa e eu a dele. Certa vez disse a minha mãe que iria até a casa dele para comer umas laranjas, pois em sua casa havia um pé´.

Como minha mãe era muito amiga da mãe dele claro que deixou e tb todos éramos muito conhecidos uns dos pais dos outros.

Bem cheguei em sua casa e toquei a campanhia ele veio atender e quando me viu já abriu um sorriso..r.s..eu estava vestido com um short daqueles de jogar bola e sem cueca e com uma camiseta regata...e ele estava apenas de short e sem camisa..o que mostrava sue belo tórax.

Bem ele me recebeu e entramos...disse que estava só que sua mãe havia ido ao centro da cidade..ia demorar mesmo, pois morávamos longe do centro e a condução era demorada naquele tempo.

Bem ele estava com um tabuleiro de xadrez na mesa da cozinha aprendendo alguns lances de uma revista..eu nem sabia jogar no que ele disse quer aprender como é este jogo..no que disse que sim...

Então ele começou a me mostrar como era o movimento das pedras e como se jogava..como estava numa posição meio ruim de ver os lances ele disse vem aqui do meu lado que fica melhor..então fui..ele então disse senta aqui no meu colo que verá melhor...no que sem maldade na cabeça sentei..r.s..

Ele então continuo mostranto mas percebi que as vezes passava as mãos em minhas coxas e bunda..mas fiz que nem percebia que era sem maldade...mas depois de um tempo senti algo duro roçar na minha bunca..era sua rola que tinha endurecido...mas fiquei na minha como se nada havia acontecido..

Continuamos assim por um tempo e ele já dava umas encoxadas mesmo em mim e as vezes fungava no meu pescoço o que me arrepiava todo...então em certo momento ele me segurou firme pela barriga e me deu um baita beijo na orelha e pescoço o que me deixou doido de tesão e todo arrepiado e ele então agora me enxocava para valer mesmo..nossa que sensação deliciosa..rs..eu todo arrepiado com seus bejios e sentindo seu pau encostando na minha bunda..

então ele disse vamos para sala assistir TV...eu levantei e ele tb e fomos para sala..chegando lá ele me pos sentado no sofá e foi ligar a TV nada de controle naqueles tempos..rs..e então veio para se sentar do meu lado..mas notei que seu pau tava durão, pois dava para ver o volume no seu short..r.s..

Ele então se sentou do meu lado e cdlaro que deu uma arrumada na rola e percebeu que eu não tirava o olho do volume ele então disse quer ver...eu acenei com a cabeça que sim, pois já tava doido com aquela situação de ver a rola dele..r.s.ele então tirou para fora do short nossa era maravilhosa mesmo morena com cabeça não grandomas mas aquelas que são compridas e com pouco pela nela tb..então mostrava bem a cabeça..era bem reta tb e cheia de veias ele então começou a se punhetar um pouco e olhava para mim com cara de safado...

Então disse quer pegar no que já fui logo com a mão par sentir pois tava anestesiado com a cena e doido para pegar mesmo..quando toquei senti a maciez e dureza ao mesmo tempo e tb a babinha que já saia da cabeça..e comecei a punhetá-lo como meu avô havia ensinado..r.s.

Ficamos assim por um tempo eu lhe punhetando e ele de olhos fechados gemendo de tesão...então ele tirou todo seu short para ficar mais a vontade e puder ver seu saco era lindo tb e com umas bolas bem grandes..ele não era muito peludo mas era muito tesudo...rs..um corpo legal apesar de sua deficiencia em uma das pernas..

Ele então disse tira sua roupa tb assim ficamos mais a vontade..no que tirei logo..nisso ele tava se punhetando ainda e eu tirando inha roupa quando sentei novmaneto no sofá ele disse vem chupa minha rola e cai de boca mesmo já tava dopidão para fazer isso mesmo...então ele sentado no sofá de olhos fechados e eu chupando seu pau...ele então foi com sua mão explorar meu corpo todo..começou passando pelas minhas costas e foi descendo até chegar na minha bunda..nossa eu acheio o máximo quando ele encostou o dedo no meu cu...

Nesse momento senti um tesão delicioso e chupei ele com mais vontade ele percebendo disse isso chupa e sente meu dedo agora no seu lcu..e meteu o dedo indicador no meu cuzinho...que gostoso fazia movimentos circulares e de vai-e-vem com seu dedo..e eu me esbaldando na sua rola..

Então ele disse..vem agora fica de frente para mim e senta no meu colo..no que consenti...então sentei de frente para ele e ele conseguiu me pocisionar de maneira que sua rola tocasse na entradinha do meu cu...que gostoso...e ele me beijava os peitos e meu pescoço e as vezes minha boca..ficava todo arrepiadoe sentia ele estocando sua rola na entradinha do meu cu...

Depois de um tempo assim ele disse agora vou te comer minha putinha..eu disse vem meu macho gostoso enfia essa maravihosa rola do meu cu aliás no seu cu agora..r.s..e então fiquei de 4 no sofá e ele enfiou de uma vez só, pois já estava todo melado da babinha do seu pau e seu pau tb tava todo melado facilitando a entrada...na hora aquela dor horrível..mas ele me agarrou firme pela sintura fazendo com que eu não conseguisse sair da posição...então ficou assim um tempo enterrando tudo..nossa que dor mas logo ela foi cessando e começou a vir um tesão deliciosa de sentir sua rola no meu rabo..então rebolei na sua rola e ele então vendo isso começou a estocar no vai-e-vem muito gostosa..me chamava de viadinhyo de putinha que seria dele sempre..e eu sempre deizendo que sim ou acenando com a cabeça que já era dele...e ele então foi acelerando cada vez mais as estocadas e me encheu de porra no cu...e então ficou mole em cima de mim...que delicia sentir o pau dele latejar e despejar aquele nectar dos deuses no meu cu...depois de um tempo seu pau amoleceu e ele tirou...senti escorrer porra do meu cu e senti ele abertinho tb..

Ele então me deu um beijo na boca dizendo..sempre dará para mim no que eu acnei com a cabeça consentindo..e dei mesmo muitas vezes para ele..mas depois conto como foi...

Quem quiser escreve pode me enviar mensagem....guine43@itelefonica.com.br

 

Ai Papai

...FAZIA TEMPO QUE NÃO VIA MEU PAI.MORANDO E NAMORANDO COM MAMAE SENTIA
SAUDADES DE VEZ OU OUTRA DELE POR ISSO SENTI UM CALAFRIO NO CORPO SENTINDO A
CALCINHA MOLHAR QUANDO NOS ENCONTRAMOS NOVAMENTE.
SENTI QUE MAMAE APESAR DE DEMOSTRAR GRANDE AMOR E DESEJO POR MIM,BALANÇOU
AO VE-LO NO AUGE DE SEUS CINQUENTA ANOS CABELOS GRISALHOS CORPO MASCULO E
BEM CUIDADO.
CONFESSO QUE SENTIA CIUMES DELES MESMO PORQUE MAMAE NÃO ME DEIXAVA SOZINHA
UM SEGUNDO COM ELE QUE SEMPRE QUE PODIA ME COMIA COM OS OLHOS.
EU PROVOCAVA SENTANDO COM AS PERNAS ABERTAS MOSTRANDO MINHAS CALCINHAS
ALISAVA OS SEIOS PERGUNTANDO A ELE SE ESTAVAM NO TAMANHO CERTO.
MAMAE RIA COM A MINHA EXIBIÇÃO E POR SABER SE PEGASSE ELE SOZINHO IRIA DAR
PRA ELE NÃO DESGRUDAVA UM MINUTO DE NOS.
NESTA EPOCA MORAVAMOS EM UMA CIDADEZINHA QUE A PEDIDO DE MAMAE NÃO VOU
DIZER O NOME,E LÁ ERAMOS CONHECIDAS COMO LÉSBICAS POIS NINGUEM DESCONFIAVA
QUE ERAMOS FILHA E MAE.
COM O REENCONTRO DE PAPAI VOLTAMOS PARA SAMPA INDO MORAR EM SEU LUXUOSO
APTO NO ALTO DA LAPA.
ERA NITIDO MINHA VONTADE DE TRANSAR COM PAPAI QUE NADA FAZIA PARA REPRIMIR
ISSO E COMO TUDO OQUE TEM DE ACONTECER....
NAQUELA MANHA ACORDEI MUITO MAU HUMORADA POIS COM PAPAI EM CASA NÃO
CONSEGUIA TRANSAR COM MAMAE TENDO QUE ME CONTENTAR COM AS INUMERAS SIRIRICAS
QUE SÓ ME DEIXAVAM MAIS TESUDA E COM DESEJOS,POR ISSO RESOLVI SAI PARA
PASSEAR INDO NA CASA DE MINHAS TIAS VOLTANDO A TARDEZINHA.
DEPOIS DE UM BOM BANHO VESTI UMA CAMISOLINHA DE SEDA BEM CURTINHA E VENDO
PAPI SENTADO NA SACADA DO TERCEIRO ANDAR DE SEU APTO CORRI SENTANDO EM SEU
COLO.
ME SENTIA INCOMODADA COM TUDO AQUILO CRESCENDO CADA VEZ MAIS ENTRE MINHAS
PERNAS SEPARADO SOMENTE PELO FINO TECIDO DE SUA BERMUDA.
DEPOIS DE COLOCARMOS OS ASSUNTOS EM DIA,ELE ME EXPLICAR PORQUE FOI
EMBORA,VOLTOU E FOI EMBORA DE NOVO,PEDIU QUE O PERDOASSE.
DISSE A ELE QUE PARA PERDOAR ERA PRECISO HAVER MAGOA E DE MINHA PARTE NÃO
HAVIA NENHUMA,IRIA FICAR MUITO MAGOADA SE ELE NÃO ME COMECE NAQUELE MOMENTO
COMIGO ESPALMANDO SEU ENORME PORRETE DE UNS 22CM QUE PARECIA QUE IA ESTOURAR
EM MINHAS PEQUENAS MÃOS.
COM MUITA MAESTRIA ABOCANHEI TUDO AQUILO QUE CRESCIA MUITO INVADINDO MINHA
GARGANTA E DEPOIS DE CHUPAR MUITO SENTI ELE INUNDAR MINHA BOCA ENCHENDO-A DE
PORRA.
INTENSIFIQUEI AS CHUPADAS DEIXANDO ELE EM PONTO DE BALA NOVAMENTE E QUANDO
ME COLOQUEI DE QUATRO IMPLORANDO QUE ME COMESSE O FILHO DA PUTA DISSE NÃO
INFORMANDO QUE A PEDIDO DE MAMAE NÃO IA FAZER NADA ALEM DO QUE ACABARA DE
DEIXAR EU FAZER.
CHOREI XINGUEI ESPERNEEI,FIQUEI PELADINHA POREM O FILHO DA PUTA ESTAVA
INRREDUTIVEL.
QUANDO FORCEI A BARRA ELE CONFESSOU QUE SABIA DO CASA ENTRE EU E MAMAE E
QUE A PEDIDO DELA NÃO IA INTERFERIR EM UM RELACIONAMENTO TAO BONITO E
VERDADEIRO COMO O NOSSO.
ME SENTI LISONGIADA AMADA COMPLETA POREM SABIA QUE NÃO IA CONSEGUI
RESISTIR AQUELE IMENSO PORRETE QUE JA ESTIVERA DENTRO DE MIM NA INFANCIA.
FUI PAR MEU QUARTO TOMEI UM BANHO FRIO E FUI DORMI.ACORDEI DE NOITE COM
MAMAE CHEGANDO DO SERVIÇO.
QUANDO DESCI ENCONTREI OS DOIS CONVERSANDO ANIMADAMENTE NA SALA E SEM QUE
ME VISEM FIQUEI DE ESPREITA COM PAPAI FAZENDO DE TUDO PARA COMER MAMAE.
ELA AGARRAVA PASSAVA AS MÃOS EM SUA BUNDA ALISAVA SEU ROSTO SEIOS,POREM O
MAXIMO QUE ELE CONSEGUIU FOI DEIXAR MAMAE NERVOSA DIZENDO QUE TUDO
AQUILO,REFERINDO AO SEU CORPO,TINHA DONA.
PAPAI LEVANTOU JA COM TUDO AQUILO NA MÃO AGARRANDO-A ENCOSTANDO NA PAREDE E
AO DOMINA-LA TENTOU BEIJA SUA BOCA ENQUANTO INTRODUZIA TUDO AQUILO COM FURIA
EM SUA BUCETA.
ELE ARFAVA GEMIA FALAVA PALAVRAS INCOMPLEENSIVAS ENQUANTO BOMBAVA E AO
PERGUNTAR AO PARA MAMAE ELA NUMA FRIEZA INCALCULAVEL INFORMOU QUE ELE ESTAVA
COMENDO ELA SEM CONSENTIMENTO O QUE CARACTERIZAVA ESTRUPO.
CALMAMENTE SE AJEITOU COM PAPI SAINDO DELA CABISBAIXO SENTANDO NO SOFA COM
AS CABEÇA ENTRE AS MÃOS ENQUANTO MAMAE IA PRO SEU QUARTO SEM NENHUM
COSTRANGIMENTO APARENTE.
CORRI PARA MEU QUARTO DEITEI FINGINDO DORMI QUANDO ELE DEITOU AO MEU LADO
DANDO-ME UM BEIJO TENRO E MACIO NA BOCA ME AVISANDO QUE IA TOMAR BANHO
DEPOIS VINHA ME AMAR QUE AQUELA NOITE SERIA SOMENTE NOSSA.
AO PERGUNTAR SOBRE O PAPAI ELA ME DISSE QUE EM SUA VIDA NÃO TINHA LUGAR
PARA MAIS NINGUEM.
ENQUANTO MAMAE ESTAVA NO BANHO,SABENDO QUE IA DEMORAR CORRI ATE PAPAI QUE
ESTAVA NA SACADA DO PREDIO SOMENTE DE ROUPÃO APROVEITE PARA SENTAR EM SEU
COLO E ENQUANTO CONVERSAVAMOS SENTIA TUDO AQUILO CRESCER MESMO COM ELE
TENTANDO ESCONDER DE MIM.
EM CERTO MOMENTO NÃO AGUENTANDO MAIS DE TESÃO ABRI AS PERNAS SENTANDO EM
TUDO AQUILO NUM GESTO REPENTINO E QUANDO ELE QUIS ME TIRAR DALI JA ESTAVA
TUDO DENTRO.
EU SUBIA COM ELE ME EMPURRANDO DEIXANDO TUDO QUASE SAIR DE MIM PARA SENTAR
NOVAMENTE
SENTINDO TUDO AQUILO BATER EM MEU UTERO.
NÃO RESISTINDO MAIS ELE SEGUROU EM MINHA CINTURA PARA ESTOCAR AQUELE FERRO
DURO DENTRO DE MIM QUE AOS BERROS GOSAMOS SIMUTANEAMENTE COM ELE TENTENDO ME
TIRAR DALI VENDO A CHEGADA DE MAMAE.
SENTINDO AQUILO TUDO AINDA MEIO FRACIDO PULSAR DENTRO DE MIM MORRI DE MEDO
TESÃO E ANGUSTIA QUANDO MAMAE SENTOU AO NOSSO LADO PARA CONVERSAMOS
ANIMADAMENTE.
ERA FODA PARA MIM CONCENTRAR NA CONVERSA COM TUDO AQUILO CRESCENDO CADA VEZ
MAIS DENTRO DE MIM.
AQUILO PARECIA QUE DAVA COICE NO MEU UTERO E ENQUANTO MAMAE CONVERSAVA
CONOSCO EU GEMIA BAIXINHO ABRACADA EM PAPAI COM O CORPO EM BRASA E TODO
TREMULO.
PARA DISFARÇAR COMECEI LEMBRAR FATOS TRISTE E COM ISSO COMECEI CHORAR
COPIOSAMENTE MUITO MAIS PARA EXTRAVASSAR TODO O TESÃO CONTIDO COM TUDO
AQUILO SOCADO EM MINHA BUCETA.
MAMAE CARINHOSAMENTE ABRACOU ME ARRANCANDO DOS BRACOS DE PAPAI E AO TENTAR
LEVANTAR SENTI AQUILO SAI DE MIM E QUNDO ESTAVA QUASE TUDO FORA PAPAI ME
AGARROU SOCANDO FUNDO EM MIM ME MATANDO DE TANTO GOZAR.
NESTE INSTANTE FOI IMPOSSIVEL CONTER OS GEMIDOS E ENQUANTO MAMAE ENCHIA ELE
DE PORRADA CHUTES E TODO TIPO DE PALAVROES ELE INTENSIFICANDO AS ESTOCADAS
ENCHEU MINHA BUCETA COM UMA QUANTIDADE SURPREENDENTE DE PORRA E AO SER
ARRANCADA DELE FUI CONDUZIDA PARA MEU QUARTO POR MAMAE QUE DEPOIS DE ME
XINGUAR DE PUTA SAFADA E OUTROS NOMES ENQUANTO ESBOFETEAVA MEU ROSTO ME
JOGOU NA CAMA PARANDO POR ALGUNS MINUTOS EM PE AO MEU LADO.
EU DEITADA COM O CORPO ARQUEADO CHORAVA AMARGAMENTE QUANDO ELA
CARINHOSAMENTE SE ATRACOU EM MIM BEIJANDO MINHA BOCA PEDIA MIL DESCULPAS
ENQUANTO SUAS MÃOS MASSAGEAVAM GOSTOSAMENTE MEU CORPO.
CARINHOSAMENTE ELE ME ABRACOU DEITANDO-ME SOBE SEU CORPO E ENTRE CARINHOS E
AFAGOS ADORMECI,ACORDANDO HORAS DEPOIS COM ELA MAMANDO GOSTOSAMENTE EM MINHA
BUCETA.
AO ME VER ACORDADA ELA VEIO ATE MINHA BOCA DEPOSITANDO NELA O MEU PROPRIO
GOSTO E FOI NESTA LOUCURA QUE AMANHECEMOS NOS AMANDO COM UMA GOZANDO MUITO
NA BOCA DA OUTRA.
JA COM O DIA CLARO LEVANTAMOS PARA O DESJEJUM E COM A MESA JA POSTA
ENCONTRAMOS UM BILHETE ONDE SE LIA : MEUS AMAORES A CASA É DE VOCES.FIQUEM
EM PAZ SEJAM FELIZES NUNCA VOU ME ESQUECER DE VOCES
BEIJOS PAPAI
AH POR FAVOR AVISEM O PORTEIRO QUANDO FOREM EMBORA.
NAQUELE MESMO DIA FOMOS EMBORA COM MAMAE ME CONSOLANDO ABRACADINHA EM MIM
ENQUANTO DIRIGIA DE VOLTA PARA NOSSA CASA.
BEIJOS
DEBORHA

ME ESCREVAM:carliantunessilva@ig.com.br

 

Saudades de Papai

MAMAE TEM MAOS MAGICAS QUANDO ME ABRAÇA PUXANDO MEU CORPO PARA SI,SINTO
SUAS MÃOS EM MINHAS COSTAS ENVOLVENDO TODO MEU DORSO E COMO QUE HIPNOTIZADA
FECHO OS OLHOS ABRO A BOCA PARA SER PREENCHIDA PELA DELA ENQUANTO SUAS MÃOS
ALISAM GOSTOSAMENTE MINHA BUNDINHA PUXANDO MINHA CALCINHA PRA CIMA FAZENDO
ELA ENTERRAR TODINHA EM MEU RABINHO.
SUA BOCA NUMA FURIA LOUCA PASSEA PELA MINHA DEIXANDO-ME MALUQUINHA E TODA
MOLHADA,ENTÃO ELA ME CONDUZ,SEM SAIR DE MIM A SUA CAMA ONDE DESCE BEIJANDO
MEU QUEIXO PESCOÇO PARANDO NOS SEIOS ONDE MAMA FEITO CRIANÇA ORA UM DEPOIS
OUTRO.SUA MÃO ENTRA EM MINHA CALCINHA SEPARANDO HABILMENTE MEUS LABIOS
INTRODUZINDO O DEDO MEDIO EM MINHA BUCETA FAZENDO-ME ARFAR DE TANTO PRAZER.
CHUPANDO FORTE MEUS PEITOS ELA MORDISCA OS BIQUINHOS ENQUANTO TEM UM DEDO
FUNDO EM MINHA BUCETA E OUTRO EM MEU CUZINHO.NESTA HORA JURO QUE MORRO DE
TANTO PRAZER,GEMENDO CHORANDO E ENTRE GRITINHOS ABAFADOS MOLHO TODA SUA MÃO
GOZANDO FEITO CADELA NO CIO,NISTO ELA LEVANTA SAINDO DE MIM E DE PE EM MINHA
FRENTE REBOLA GOSTOSO NUM STRIPTEASE E SORRATEIRAMENTE SENTA COM SUA BUCETA
MOLHADA LISINHA E SEDENTA EM MINHA CARA ONDE LAMBO GOSTOSO SUA BUCETA QUE DE
TÃO MOLHADA DEIXA MEU QUEIXO BOCA ROSTO E NARIZ MUITO MOLHADO COM SEUS
NECTAS ONDE SORVO O MAXIMO QUE POSSO DEIXANDO ELA MALUQUINHA COM MINHA
BOQUINHA QUE APESAR DE POUCA EXPERIENCIA CONSEGUE TIRAR DELA GEMIDOS E
DELIRIOS.
NESTE INSTANTE ELA DEBRUÇA EM MIM COM O CORPO ARQUEADO E COM UMA DAS PERNAS
DOBRADA CAI DE BOCA EM MINHA BUCETA ATE COM UMA CERTA VIOLENCIA ME LEVANDO A
LOUCURA.
SUA BOCETA ABERTA AO MAXIMO PERMITE MINHAS LAMBIDAS FUNDAS ONDE ME AGARRO
EM SUA ANCAS AFUNDANDO O ROSTO PARA SERPENTEAR A LINGUA DENTRO DELA QUE AOS
URROS SACODE EM GOZADAS MULTIPLAS ONDE VOU JUNTO CAINDO AO SEU LADO PARA UM
RAPIDO E MERECIDO DESCANÇO.
COM NOSSAS TRANSAS INTENSAS DESCOBRI QUE MAMAE ADORA ME VER DE CALCINHA
TODA ENTERRADINHA POR ISSO AS MINHAS SÃO NUMEROS MENORES PARA MEU TAMANHO.
DIAS DESSES ESTAVA EM CASA SOZINHA E VENDO-A CHEGAR COM SACOLAS NAS MÃOS
CORRI EM SEU ENCONTRO NA CALÇADA AJUDANDO-A A DESCER DO TAXI,NISTO ELA
ARREGALA OS OLHOS NEGROS EM MINHA DIREÇÃO COMO QUE ESTASIADA COM ISSO ME DOU
CONTA DE QUE ESTOU SOMENTE DE SUTIAN E CALCINHA TIPO ASA DELTA AMBOS
BRANCOS,COM O MOTORISTA E ALGUNS RAPAZES PROXIMOS ME COMENDO COM OS OLHOS.
AO TENTAR CORRER PRA DENTRO FUI SEGURA PELO BRAÇO POR MAMAE QUE PEDIU QUE
NÃO LIGASSE PRA NADA E AJUDASSE ELA COM AS SACOLAS.
COM A CALCINHA MOLHADA APESAR DO MEDO OS BIQUINHOS DOS SEIOS DURINHOS
PEGUEI ALGUMAS SACOLAS E QUANDO CAMINHAVA PRA DENTRO DE CASA CAPRICHEI NO
REBOLADO E QUANDO MAMAE ENTRO LOGO ATRS DE MIM DAVA PRA VER O TESÃO
ESTAMPADO EM SEUS OLHOS NUM BRILHO INEBRIANTE COM ELA FECHANDO A PORTA ATRAS
DE SI LARGANDO AS SACOLAS NO CHÃO E ANTES DE PENSAR SE QUER ALGUMA COISA SE
ATRACOU EM MIM LAMBENDO TODO MEU CORPO ME JOGANDO NO CARPETE DA SALA ONDE
JUDIOU DE MIM DEIXANDO MOLINHA SEM CHANCES NENHUMA DE REVIDE.
GOZAVA ABUNDANTEMENTE EM SUA BOCA ORA EM MEUS SEIOS E SEUS DEDOS DENTRO DE
MIM OU SUAS MÃOS EM MEUS SEIOS E SUA LINGUA DENTRO DE MIM EXPLORANDO BUCETA
E CUZINHO DE UMA FORMA QUE NUNCA TINHA FEITO ANTES.
QUANDO ELA SE POSICIONOU PARA UM DELIRANTE MEIA NOVE DAVA PRA VER SEUS
LIQUIDOS VARGINAIS ESCORREREM PELAS PERNAS MOLHANDO MUITO MEU ROSTO COM SUA
CALCINHA ENXARCADA.
CASTIGUEI ELA SORVENDO TUDO AQUILO POR CIMA DA CALCINHA COMO ELA GOSTA E
QUANDO AFASTEI SUA CALCINHA PRO LADO AFUNDEI O ROSTO EM SUA BUCETA EM BRASA
ENQUANTO ENTERRAVA QUASE QUE A MÃO TODA EM SEU CU FAZENDO ELA GOZAR
ESCANDALOSAMENTE ATRAINDO A ATENÇÃO DOS VIZINHOS E QUEM PASSASSE NA RUA
FRENTE A NOSSA CASA.
QUANDO ELA ANUNCIOU OUTRO GOZO MORDI SEUS LABIOS COM OS MEUS ESFREGANDO A
BOCA EM TUDA EXTENSÃO DE SUA BUCETA NUM FRENETICO SINAL DE NÃO SEM LARGAR
SEUS LABIOS ENQUANTO ELA TREMEU TODA SACUDINDO SEU CORPO PARA EXPLODI EM
MINHA BOCA CAINDO MORTINHA AO MEU LADO ENQUANTO BEIJANDO CARINHOSAMENTE
MINHA BOCA TROCANDO NOSSOS GOSTOS ME AGRADECIA PELA GOZADA AVASSALADORA QUE
TIVERA FIRMANDO ETERNAS JURAS DE AMOR.
DORMIMOS ALI ABRACADINHAS ATE ALTAS HORAS DA NOITE E QUANDO ELA ME ACORDOU
FUI PARA O BANHEIRO TOMEI UM BOM E DELLICIOSO BANHO E QUANDO SAI PELADINHA
ELA DEU UM TAPINHA EM MINHA BUNDA AVISANDO QUE TINHA LANCHE PRA MIM NA
COZINHA.
O LANCHE ESTAVA UMA DELICIA E AINDA COMIA QUANDO ELA ME CHAMOU:
_ AMORZINHO VEM AQUI.VEM...
FINGINDO NÃO OUVI CORRI PARA MEU QUARTO VESTI UMA MINUSCULA CALCINHA
VERMELHA SANDALIAS E AO PASSAR PELO SEU QUARTO PEDI QUE VIESSE ME
PEGAR.NISTO ELA PAROU DE DEDILHAR SUA BUCETA LEVANTOU VESTINDO SEU ROUPÃO E
QUANDO VEIO ATRAS DE MIM PAROU ESTARRECIDA NO PORTÃO COMIGO SOMENTE DE
CALCINHA NO MEIO DA AVENIDA EM FRENTE A NOSSA CASA.
O FRUXO DE CARROS ERA DE POUCA INTENSIDADE E SEMPRE QUE VINHA ALGUM EU ME
ESCONDIA ATE QUE NUM MOMENTO DE LOUCURA COM A CALCINHA TODA MOLHADA
ATRAVESSEI A AVENIDA FICANDO DO OUTRO LADO E QUANDO VEIO UM CARRO FIZ SINAL
COMO QUE PEDINDO CARONA FAZENDO COM ISSO ELE PARAR BRUSCAMENTE A MINHA
FRENTE ENQUANTO FUI POR TRAS PARANDO DO LADO DO MOTORISTA ME ARQUEANDO COM
OS PEITOS NA CARA DAQUELE SENHOR QUE BABAVA COMIGO ALISANDO SEU MASTRO POR
CIMA DA CALÇA.
AQUILO CRESCIA MUITO EM MINHAS MÃOS E COM A AJUDA DELE TIREI PARA FORA E
PELA PRIMEIRA VEZ NA VIDA PUDE SENTIR A MACIEZ DE UM PINTO EM MINHAS MÃOS.
TENCIONAVA ABOCANHAR TUDO AQUILO QUANDO SENTI ALGUEM ARRANCANDO MINHA
CALCINHA DEIXANDO-ME PELADINHA OLHEI PARA FORA E O MOTORISTA DO CARRO AO
LADO DESCIA DO CARRO VINDO EM MINHA DIREÇÃO COM MINHA CALCINHA TODA RASGADA
EM UMA DAS MÃOS.
ME SENTIA UMA PUTA CHEGANDO A MIJAR DE MEDO E TESÃO COM MAMAE ME CHAMANDO
PRA DENTRO O SENHOR ME PRENDENDO PELA MÃO E AQUELE TARADO VINDO EM MINHA
DIREÇÃO QUANDO NUM RESTO DE FORÇAS E NOÇÃO DO PERIGO ME DESVENCILHEI DAQUELE
SENHOR CORRENDO PARA DENTRO TRANQUANDO O PORTÃO ATRS DE MIM E QUANDO OS
DOIS TENCIONAVAM PULAR AS GRADES PARARAM AO VER MAMAE FICANDO AMBOS SEM
AÇÃO,NISTO ME ATRAQUEI EM MAMAE ARRANCANDO SEU ROUPÃO E ENQUANTO OS DOIS
BATIAM PUNHETA DESCARADAMENTE EM FRENTE AO PORTÃO EU ME DELICIAVA COM OS
LIQUIDOAS ABUNDANTES DA BUCETA DE MAMAE ENQUANTO DEDILHAVA MINHA BUCETA
GOZANDO JUNTOS ENTRE GEMIDOS PALAVRÕES E PEDIDOS PARA QUE EU E MMAE AUMENOS
ESCOSTASSE NA GRADE.
VENDO QUE NÃO IAMOS SEDER UM DELES SUBIU NA GRADE TENTANDO PULAR PRA DENTRO
ENQUANTO MAMAE ME PEGANDO PELO BRAÇO PUXOU ME PARA DENTRO TRANCANDO A CASA
AMEAÇANDO CHAMAR A POLICIA.
COM O CORÇÃO A MIL MAMAE DEPOIS DE CONSTATAR QUE TAVA TUDO BEM ME LEVOU
PARA SEU QUARTO E JURO QUE MORRI EM SUA BOCA MARAVILHOSA ONDE PASSAMOS UMA
ETERNA NOITE DE AMOR.
BEIJÃO.
DEBORHA.
(PRAS MENINAS UM BEIJO NA BUCETINHA).
ME ESCREVAM:carliantunessilva@ig.com.br
 

Aconteceu comigo

DEPOIS QUE MAMAE DESCOBRIU MINHA FARRA COM O NEGÃO,O CACHORRO DO VIZINHO,FICAMOS MAIS UNIDAS QUE NUNCA.PARTILHAVAMOS TUDO DESDE CONFISSÕES ATE ROUPAS E MAQUIAGEM.
CERTA TARDE COMBINAMOS DE IR AO SHOPPING APROVEITANDO A FOLGA DE MAMAE E UMA ESCOLHER O QUE A OUTRA DEVERIA VESTIR.
CORRI PARA O QUARTO DE MAMAE ENQUANTO ELA FOI PARA O MEU.ESCOLHI UM CONJUNTO DE SEDA PRETO TIPO MACAQUINHO COM CALÇA COMPRIDA BEM FOLGADA E TRANSPARENTE,CALCINHA E SUTIEN BRANCOS E SALTO ALTO.
MAMAE POR SUA VEZ ESCOLHERA PARA MIM UM CONJUNTINHO DE MINI SAIA E TOP AMARELINHOS E SANDALIAS TIPO DESCALÇO.VALE DIZER QUE ADOREI.
DEPOIS DE AGRADECE-LA COM UM BEIJO BEM GOSTOSO NA BOCA,FUI PARA MEU QUARTO E APOS UM BANHO VESTI AQUELE CONJUNTO E FUI PARA A SALA ESPERAR MAMAE.
MINUTOS DEPOIS ELA APARECEU DEIXANDO ME BOQUIABERTA COM SUA BELEZA REALÇADA PELA COR DO CONJUNTO EM CONSTRASTE COM SEUS LINDOS CABELOS LOIROS E SUA PELE BRANCA.
MINHA VONTADE ERA AGARRA-LA E FAZER AMOR COM ELA A TARDE TODA,POREM ELA RESISTIU PEDINDO QUE DEIXASSE PARA A NOITE.
ENQUANTO FOI PEGAR O CARRO CORRI PARA ABRIR O PORTÃO E AO ME ABAIXAR A SAINHA SUBIU DEIXANDO MINHA BUNDINHA TOTALMENTE A MOSTRA.
AO ME INDAGAR INFORMEI QUE ELA NÃO HAVIA SEPARADO NEM CALCINHA E SUTIEN PARA MIM POE ISSO ESTAVA SEM NADA POR BAIXO.
AO ENTRAR NO CARRO ELA BEIJOU CARINHOSAMENTE MINHA BOCA ENQUANTO ABRINDO MINHAS PERNAS AFUNDOU UM DEDO EM MINHA BUCETA MOLHADA COLOCANDO O DEDO EM NOSSAS BOCAS.
ANTES QUE GRUDASSE NELA ALI MESMO ELA ME SEGUROU PEDINDO CALMA E LÁ FOMOS NOS PARA MAIS UMA ESTONTEANTE AVENTURA.
PASSEAMOS QUASE QUE A TARDE TODA PELO CENTER NORTE COMIGO APROVETANDO PARA ABAIXAR FINGINDO VER AS VITRINES DEIXANDO MINHA BUCETINHA A MOSTRA ARRANCANDO SUSPIROS PRINCIPALMENTE DE OUTRAS MULHERS QUE JUNTO COM OS HOMENS ME COMIA COM OS OLHOS.
FODA MESMO FOI QUANTO ESTAVAMOS TOMANDO SORVETE E MAMAE PEDIU PARA ESPERIMENTAR O MEU.
COMO SOU MUITO DESCARADA INFORMEI QUE SÓ SE FOSSE DE MINHA BOCA.
COM UM OLHAR MALICIOSO MAMAE PEGOU A COLHERSINHA ENCHEU O MAXIMO POSSIVEL E POS EM MINHA BOCA PUXANDO-ME PARA SI COLANDO SUA BOCA A MINHA PARTILHANDO COMIGO O SORVETE O TESÃO E MEU DESEJO.
FOI UM ALVOROSSO COM A GALERA EM VOLTA APLAUDINDO ASSOVIANDO PEDINDO BIS E COMO SEMPRE ALGUNS CARETAS REPROVANDO NOSSO ATO DE AMOR.GANHAMOS BASTANTE FÃS POIS ONDE IAMOS TINHA UMA GALERINHA SEGUINDO A GENTE,DEIXANDO ME MOLHADINHA E TESUDA PELO CORPO DE MAMAE.
DELIREI QUANDO SUBINDO AS ESCADAS MAMAE ME ABRAÇOU COLANDO SEU CORPO AO MEU E ENQUANTO BEIJAVA MINHA BOCA ALISOU MINHA BUNDA LEVANTANDO A SAIA DEIXANDO A GALERA ESTASIADA.
COM O CORPO TREMULO PEDI A MAMAE QUE ME LEVASSE AO CINEMA NO PRETEXTO DE FICAR SOZINHA AO LADO DELA,POREM ELA MALICIOSAMENTE INFORMOU QUE AO INVES DE CINEMA IRIA ME LEVAR A UM LUGAR QUE IA ADORAR ENQUANTO SENTINDO MEUS ESPASMOS SEGUROU ME EM SEU BRAÇOS PEDINDO QUE GOSSASSE PARA ELE E QUANDO ELA BEIJANDO MINHA BOCA ALISOU DISCRETAMENTE MEUS SEIOS FAZENDO ME ARFAR NUMA GOZADA AVASSALADORA ONDE TEVE QUE ME SEGURAR PARA NÃO CAIR.
AINDA SENTIA OS LIQUIDOS QUENTE AFLORAREM BUCETA AFORA QUANDO ELA ME PUXOU PELAS MÃOS LEVANDO PARA O CARRO RUMANDO PARA UM MOTEL ONDE PASSAMOS A NOITE E METADE DO OUTRO DIA TRANSANDO LOUCAMENTE.
MAMAE ESTA PENSANDO EM IRMOS EMBORA PARA O RIO DE JANEIRO ONDE NINGUEM NOS CONHECE POIS PELO TANTO QUE NOS AMAMOS É IMPOSSIVEL CONTINUAR VIVENDO COMO MAE E FILHA E NUMA CIDADE QUE NINGUEM NOS CONHECE SEREMOS AMANTES ETERNAS.
BEIJÃO
DEBORHA
ME ESCREVAM:carliantunessilva@ig.com.br
 

Sonho meu!!!

Gostaria que fosse verdade, mas quem sabe um dia consigo.
Bom vamos lá para minha imaginação, uma tarde estava eu em casa, casado, era sábado, eu mexendo escondido no computador para minha esposa não ver, olhando sites de travestis meio escondido dela e fingindo não ver nada ela me flagrou, ficou quieta e saiu do escritório 5 minutos depois ela grita da sala:
-Amor vou dar uma saidinha e devo demorar um pouco
-Tá bom Ana (nome fictício)
Volto para o computador e fico me masturbando feito louco vendo esses sites de lindas travestis com suas picas maravilhosas enrabando os caras e sonhando estar com elas
o tempo passa, gozo 2 vezes na mão, só imaginando, tomo um banho, começa a anoitecer, desligo o computador e fico na sala esperando minha esposa ela chega com uma cara de suspeita e um sorriso estampado no rosto a chamo para sair, mas ela recusa e fala que hoje ficaremos em casa para trepar feito louco e que eu seria o homem mais feliz
penso comigo, até parece que vai nascer um pau como os daquelas meninas que vi na net, a noite continua lá para as 10 ela atende o celular, pede para esperar uma hora cravado, eu não entendi, perguntei o que ela estava escondendo e ela desconversou, foi para o banho, saiu cheirosa e me chamando para o quarto, vamos para o quarto e começamos a namorar, nos beijando, nos esfregando, aquela sensação boa, mas o pau ainda mole, pois eu havia gozado 2 vezes na mão, e não era fácil levantar assim o tempo todo.
Ela se levanta, apaga a luz, e diz que hoje seria a melhor transa da minha vida, ela pega 2 algemas, colocas em meus braços e prende em cada um dos lados da cama, vem com um lençol e amarra minhas vistas, dizendo que eu vou sentir prazer como nunca teria sentido, e que eu não poderia ver, pois ela iria me usar, e se eu olhasse estragaria tudo
fico encabulado, mas aceito, as caricias começam, ela arranca minha cueca, começa a me alisar
de repente ela para, diz que iria ao banheiro e já voltava
ela aumenta o som que estava ligado e sai, sinto um frio na barriga, tentando descobrir o que ela queria, o tempo passa, cada segundo parece uma eternidade, quando sinto ela voltando, ela entra no quarto escuro, seus passos,
ela sobe na cama, e começa a falar;
-Meu garanhão quer um presente hoje
-Eu respondo sim, claro que quero
-Meu putinho acho que vou te dar um presente!
-É o que?
-Me diz uma coisa? Você gosta de sexo anal?
-Ual, meu pau reagiu na hora, e eu respondi, claro que sim
acho que vamos ter sexo anal hoje então, pausudo
e cai de boca no meu cassete, com um boquete maravilhoso, (e isso realmente ela sabe fazer).
Aí sinto ela engolindo tudinho, lambendo chupando, me masturbando e lambendo o saco, depois de algum tempo ela levanta e diz;
-Bota essa língua para fora que quero senti-la no meu grelinho
Eu mais que de presa obedeço, ela senta encima da minha cabeça, e coloca as pernas embaixo do meu braço algemado
assim que começo ela geme e fala;
-Lambe seu puto, chupa o grelinho da sua paixão, vem mete essa língua que hoje é seu dia;
Eu não entendendo ainda, mas continuo, de repente sinto alguém chupando minha pica, me estranho e falo o que esta acontecendo ela diz;
-Fica calmo amor trouxe alguém para participar
Meu pau murcha na hora de susto ela diz;
-Não se preocupa amor vc vai gostar eu garanto continua chupando o meu grelinho, me faz gozar.
Aos poucos eu vou me acostumando da idéia e vou cedendo ao prazer, até porque foi ela quem trouxe essa moça que eu imagino deve ser amiga dela, mas como não podia enxergar, comecei a imaginar, quando sinto a língua da amiga dela descendo pelo o meu saco aos poucos comecei a abrir a perna involuntariamente, sinto que quando mais abro, mas a língua desce até que sinto a língua no meu rabinho parecia um choque percorrendo todo o meu corpo nisso ela se vira, fica de 4 com o rabo na minha cara e fala;
-Tá gostando amorzinho você gosta de uma língua no rabinho eu sem responder pelo tesão que estava, o pau em ponto de bala.
Ela pede para que eu levante as pernas para a amiga dela chupar melhor, ainda sem entender, mas gostando muito eu aceito e dobro as pernas, ela segura meu pau e cai de boca nele e a outra língua no meu rabo
não agüenta mais que 5 minutos e gozo, como nunca havia gozado ela se engasga com meu gozo e reclama, me chamando de rapidinho que deveria pagar por isso então ela pega minha perna que estava dobrada e força em direção a minha barriga, fazendo meu cuzinho molhado de tanto ser lambido, quase apontando para cima e segura com força sinto então um gelado pingando nele, e a amiga dela espalhando grito o que esta acontecendo, mas sem resposta sinto um dedo espalhando esse gel gelado e forçando meu rabo
e ela fala;
-Fica quieto amor, vc disse que gostava de sexo anal
Eu sem entender nada fico quieto e começo a imaginar aquelas lidas bonecas fazendo aquilo comigo, depois sinto 2 dedos no meu rabo, e já começo a sentir prazer nisso, meu pau meia bomba minha mulher fala;
-Ele ta gostando, ta até voltando a ficar com o pau duro, agora é a hora;
Não entendi, mas realmente até agora tudo me dava prazer, então deixei as coisas fluírem, a amiga da minha mulher der repente tira os dois dedos do meu rabo, eu sinto um vazio e fico incomodado por estar com o cu virado para o céu, ai então que sinto algo diferente encostando-se a ele
como se fosse um pedaço grande de pele assim que me encostou dei uma retraída no rabo e minha mulher falou;
-Tá vendo, ele ta com o rabinho piscando para vc
mete Le Le, mas mete com carinho até entrar tudo
Cara..............................
nessa hora passou tudo pela minha cabeça
era tão rápido as idéias que eu nem sabia o que estava pensando, só senti o cuzinho sendo forçado
ai me dei conta que estava sendo comido por alguém, senti algo me rasgando e uma onda de choque que era maior que a primeira, comecei a forçar a perna para baixo, mas ela segurou firme e senti também que mais alguém segurou minha perna sinto algo entrando no meu rabo, algo que não parava de entrar, mas era bem de vagar, até que senti algo se encostando à minha bunda, dei um gemido tão alto que minha mulher começou a gozar e eu senti escorrendo ela na hora
começou o movimento e ela sai de cima de mim, mas ainda tinha alguém me segurando, ela vem baixinho no pé do meu ouvido e diz;
-Como vc é um bom menino, vou te ajudar;
Nisso eu percebo que realmente estou sendo enrabado, vou tirar sua venda para vc ver o que esta acontecendo, quando eu entrei no escritório vi vc olhando o site de travesti, e agora sei que realmente vc esta se deliciando, quando ela tira a minha venda eu quase não acredito no que vejo
estava sendo enrabado por uma linda boneca branquinha com cabelos negros e encaracolados, um olho azulzinho, cara maravilhosamente linda, ela da um sorriso para mim, segurando minhas pernas e continua metendo, minha mulher então senta do lado da cama e começa a se masturbar, então pela primeira vez eu escuto a bonequinha;
-Tá gostando amor;
Eu só balanço a cabeça consentindo, ela então começa a aumentar o ritmo, começa a bombar bem forte e fala para minha mulher solta ele, quero ele de 4, sem perder tempo ela me solta, eu me viro de 4 e ela volta a me enrabar
ficamos assim por algum tempo, até que ela começa a se abaixar de lado deitando na cama eu correspondo automaticamente sem a deixarela tirar do meu rabo e ficamos de lado, um para o outro minha mulher se ajeita do meu lado e encaixa sua piriquita encharcada pela primeira vez eu sentia o tesão se ser enrabado e ter um bucetinha molhada encaixada na minha pica, não resisto e começo a gozar, mas é tanto gozo que minha mulher goza só de sentir gozar dentro dela ao gozar automaticamente contraio meu rabo, levando à boneca as nuvens, ela para, levanta e diz;
-Que vai gozar;
Minha mulher manda eu me virar e sentir aquele gozo na minha boca e a boneca vem, e coloca sua pica na minha boca, minha mulher empurra minha cabeça, fazendo eu engolir toda a pica da menina que goza diretamente na minha garganta, eu chego a me engasgar, extasiados deitamos na cama, uma de cada lado, sem falar nada, caímos exauridos.
Mesmo assim com o tesão que estava, não perdi tempo tb, coloquei o travesti de quatro e com minha pica meio mole ainda forcei a entrada e ela falou;
-Vai descontar é, que nada o rabo dela era maravilhoso, rapidamente gozamos novamente, estava morto de tanto gozar.
Abraço minha mulher e sou abraçado pela amiga dela
ficamos assim por mais de 1 hora, até que
isso fica para outro dia
se gostaram escrevam para mim que conto mais
Pena que é só minha imaginação, mais quem sabe um dia!!!
E-mail= marcioprost@hotmail.com
 

Itinerário do prazer

Com uma velha roupinha de enfermeira, tirei minhas primeiras fotos de agosto de 2009. Foi assim mesmo que esperei uma pessoa hoje mais ou menos pelas 20 horas que veio ficar aos meus cuidados. Eu, fantasiada de enfermeira Drikka, a mais safadinha da cidade, faria massagens e aplicaria uma injeção num fã, que estava doidinho para viver fantasias comigo, do jeito que eu estivesse, isso não importava muito, afinal, nem trilha sonora teve, ele quis somente os nossos ruídos, gemidos e consequentemente rangidos da cama.

Foi mais um paulista que hoje estando em Curitiba, achou um jeitinho de vir conferir o que escrevo. Fã do blog, adora meus relatos e principalmente meu jeito de contar as histórias. Elogiou meu modo de escrever e entreter os leitores que acabam sempre viajando ao ler minhas peripécias... É mais um que quer ler meu livro, quando eu escrever é claro... Mas, enquanto o livro não vem, vamos curtir ao vivo e a cores... Tivemos um transa muito especial, pois descobri que ele tem nos mamilos, tanto tesão quanto eu, gosta de carícias idênticas as que curto, portanto pode crer que nossa transa foi de uma sincronia perfeita. Um maestro na arte de amar. Beijei sua boca, seu corpo e me aninhei bem devagarinho dentro dele, que foi só prazer e elogios.

Depois, sentei em cima dele e descobri que apesar de repetir várias vezes uma posição, com algumas pessoas, de repente ele se torna única, como se fosse a descoberta de algo muuuuuito gostoso. Ele me fez ter um orgasmo sem igual, por isso me senti pressionada para faze-lo tê-lo um de uma forma especial e ele teve, vibrou, gemeu e derramou muita porra sobre a sua barriga, mais do que a minha que já se derretia, pois eu gozara em cima dele um pouco antes, rs... Gozados e satisfeitos ficamos conversando sobre a vida... Ele então me confessou que já saiu algumas vezes com bonecas, teve bons encontros, porém também já teve experiências desastrosas, como por exemplo ser assaltado, ou numa outra vez que viu num site uma boneca, mas ao chegar no local, encontrou uma pessoa totalmente diferente da que vira, por sorte teve tempo de sair sem problemas. Tão normal isso por aí, né?

Nesse papo descontraído destacou a forma com que eu me apresento no site, pois qualquer um pode escrever, mas que eu faço de um jeito peculiar, onde a pessoa que lê, sente-se como se estivesse conversando comigo um papo simples e esclarecedor e, o melhor de tudo é que eu passo confiança. Isso é uma massagem no ego, claro, principalmente porque depois de tudo, ele falou que eu era muito boa no que fazia, não foi muito merchandising e pouca ação, rs... Enfim, espero que seja mais um paulista que quando estiver em Curitiba, faça questão de incluir no seu roteiro um novo itinerário de prazer, onde coisas gostosas devem ser experimentadas, saboreadas, degustadas com muita voracidade, entrega e disposição... Eu vou adorar vê-lo de novo! Fazer isso tudo novamente, de preferência ainda melhor...

Ô gostosura, que me deixou tão satisfeita nessa noite de segunda-feira...

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

Dois loiros na minha cama

Dois loiros estiveram hoje na minha cama.
Tarde de frio e chuva com provavelmente muita lama.
Dois loiros vieram me entregar cada um do seu jeito, o seu tesão.
O primeiro um amante de carteirinha com paixão.
O segundo, uma gata surpresa, transa deliciosa em que molhei meu colchão.
O primeiro deitou-se na cama de bunda pra cima e foi só passivo.
O segundo também deitou-se na cama de bunda pra cima mas foi só ativo.
Dois loiros safadinhos, deliciosamente atrevidinhos.
Um chegou atrasado, por pouco não faz com o que programa com
o segundo fosse cancelado.
Por isso com ele fui má, com meu pau bem duro, só sei que o fiz gemer.
O segundo foi muito mau comigo, seu pau bem duro no meu rabo me fez a fronha morder.
O primeiro já que veio com atraso, queria mais, mas com o que teve se contentou.
O segundo teve tempo, foi um arraso e nesse tempo todo ele me esfolou.
O primeiro já disse que é amor antigo.
O segundo, conheci hoje, mas disse ele, que adorou ficar comigo. Dois loiros de gostos diferentes. Dois pares de olhos sexies e atraentes. O primeiro louco pela minha pica. O segundo disse, nem me interessa onde ela fica!
Dois loiros deitaram e rolaram sem fazer pirraça.
Deitei sobre os dois como um felino preso à caça. O primeiro se abriu e disse mete tudo com carinho e tesão.
O segundo, hesitou, me olhou e disse, olha aí não!
O primeiro gostou demais da situação, até mudamos de posição.
O segundo disse é isso que eu quero tesão, quando viu meu bundão subir e descer no seu picão.
Dois loiros puro êxtase e delírio. Um morango e um colírio!
Dois loiros de pau duro na minha cama. O primeiro foi minha safada mucama.
Para o segundo, fui uma boa puta dama.
Dois loiros que vieram pra gozar comigo.
O primeiro sentou no meu pau e quis gozar no meu umbigo. Só quis, não deixei. Ele gozou, mas do jeito que mandei.
O segundo foi mais carinhoso, pediu onde queria gozar, mas depois lhe mostrei e ele gozou gostoso...
Dois loiros na minha cama, gozaram com muito tesão. O primeiro foi rapidinho.
O segundo demorou um tempão.
Dois loiros para consumir meu tesão. O primeiro sentiu o meu durão.
O segundo, o meu rabão.
Huuum que loiros, pena que não vieram juntinhos, adoraria uma sessão enganchadinhos.
Um queria ver meu gozo e pediu, goze mesmo que você não possa. Outro nem fez questão de ver, mesmo assim fiquei lambuzada na minha poça.
Dois homens gostosos, dois loiros fogosos. Duas bundas maravilhosas.. . Duas picas branquinhas com cabeças rosas.
Um malandrinho, safadinho e pronto pra qualquer troca-troca.
Outro meio tímido e só louco pra enfiar em mim a sua broca.
Um gozou na minha mão, enquanto subia e descia no meu pau.
O outro também gozou na minha mão, enquanto eu punheta sua pica com mingau.
Dois loiros estiveram aqui hoje à tarde e foi bom demais brincar.
Muito melhor ainda, chupar, dar, comer e gozar!
Dois loiros deitaram na minha cama, na minha cabana.
Fui cavalheiro e dama, boazinha e sacana.
Bela e fera, que deu vazão à fantasia dos varões, numa tarde em que ficou a mais quente dos verões.
Dois loiros, um vem a qualquer hora, o outro, espero que volte sem demora!

Escrito por Boneca Drikka

( Uma homenagem ao meu gatinho loiro (F) de São Paulo, que disse que nunca escrevi sobre ele. Aí está! O outro simplesmente chamei de (Melzinho 2)... Quando ler, ele saberá!)

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

O que esperar de um primeiro encontro com uma boneca?

Acho que preciso elaborar melhor essa pergunta: o que esperar do primeiro encontro com uma boneca, quando a ansiedade é enorme?

Resolvi escrever a minha opinião já respondendo a pergunta, com isso atendendo também o pedido de um leitor, que pediu que eu escrevesse sobre isso. Ele enviou um e-mail dizendo que nunca saiu, mas se sente muito atraído por travestis e lendo o meu blog ficou ainda mais curioso, mas teme pelo resultado em si. Pelas minhas histórias, de repente ele se sentiu pressionado, visto que deve ter se colocado no lugar dos personagens dos meus relatos. A questão é a seguinte: em primeiro lugar, eu não publico relato com todas as pessoas que saem comigo, até porque não é possível e, também porque algumas pessoas com as quais me dou muito bem na cama pedem que eu não escreva.

Isso não quer dizer então, que todos os meus programas são maravilhosos, de químicas super quentes, ou daqueles que me deixam de pernas bambas. Simplesmente estou aqui para atender as fantasias das pessoas que me procuram. Algumas pessoas tem ejaculação precoce, que eu acho que é o grande medo da maioria das pessoas que estão ansiosas por um encontro. Aí, não adianta enfeitar isso ou aquilo, quando menos se espera, o gozo vem. Uma fantasia oculta, há muito acalentada quando é realizada pode naturalmente ter um desfecho antes do previsto.

O que eu acho que não é ruim, não podemos ver por esse lado, afinal, se foi uma situação gostosa, que culminou antes do que se esperava,o importante é curtir, mesmo que tenha sido tão efêmera. Veio rápido porque o prazer foi intenso. Numa próxima vez dá de tentar ser diferente, mas não tem como saber sem experimentar. E, se novamente não for, não tem problema. Será que só o fato de você estar novamente realizando essa fantasia já não valeu a pena? Algumas pessoas, gostam de coisas mais simples, mais de amassos do que propriamente penetração, talvez para assim já aproveitar um pouco mais, pois o ato da penetração já determina o gozo.

Outras gostam de fantasias, pedem para que eu fale besteiras ou então conte detalhes picantes das minhas muitas histórias sexuais, independente de estarem sendo ativas ou passivas, pois atendo ambos os casos. Enfim, inúmeros casos, que vocês já conhecem por terem lido meu blog... Então, meu caro leitor, relaxe e só goze depois, rs... Não coloque muita expectativa, ou coloque numa proporção adequada, pode ser que tudo seja bem melhor do que você imaginou, mas se não for, veja depois o que pode ser feito para melhorar. Isso digo quando você for sair com uma boneca que você tenha escolhido e que esteja em jogo apenas a questão da satisfação sexual!

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

Corno e puta ao mesmo tempo

* * * * * *

Tudo começou quando minha namorada M. resolveu em nossas transas, enfiar seu dedo em meu cuzinho.No começo relutei, mas no fundo gostaria que ela enfiasse um enorme vibrador na minha bunda.A pergunta ficava no ar. -Será que ela tinha descoberto que na intimidade eu gostaria de ser uma puta bem perua?Será que ela tinha descoberto o meu esconderijo de roupas femininas?
Sempre tive desejo por roupas femininas sensuais, em meu "baú" tenho desde espartilho, cinta liga, até sandálias de salto de cristal,que amarram na perna, todas de salto agulha.
Tenho verdadeira fascinação por esmalte vermelho ,portanto mantenho unhas postiças que me fazem sentir uma verdadeira tigresa.
Em nossas transas, estava cada vez mais nítida a minha vontade em deixar de ser ativo, para ser totalmente passivo.Um certo dia M. me pegou usando uma de suas calçinhas e, não demorou muito para ela descobrir o meu "baú CD", o que lhe causou um choque, semelhante a de uma traição.
Àpartir desse dia M. começou a me chamar de Amanda e,fazia- me vestir diariamente para ela, como se eu fosse uma puta de rua.Eu cada vez mais gostava daquela situação, mas aquele sentimento de traição que M. sentira, não havia passado.
Até que um dia, M. disse ter uma surpresa para mim.Levou-me para o quarto, onde começou uma sessão de maquiagem em mim.Não esqueceu nenhum detalhe, desde a unha postiça com um tom de esmalte vermelho bem vivo(o mesmo que ela usava), até o batom combinando com ele. posteriormente me fez colocar um espartilho, liga. meias 7/8 e uma sandália salto 15 de verniz vermelho.Por fim, vedou meus olhos, colocou-me de 4 e, mandou eu esperar.
Passados 15 minutos, escutei uma movimentação no quarto e, começei a sentir a minha minúscula calcinha sendo afastada e, uma língua quente invadindo o meu cúzinho.
Comecei a gemer e rebolar,quando derrepente a minha venda é retirada e, para minha surpresa observo M. com a mesma roupa que eu usava, na mesma posição e, com 2 negões, lambendo nossos respectivos rabinhos.
-Gostou da surpresa Amanda?Agora você vai se sentir uma verdadeira vagabunda.
-Rebola sua vadia, que você vai receber é pinto.
Tudo que aqueles homens faziam em M., faziam em mim também. Eu estava dominado de tesão, me sentia puta e corno ao mesmo tempo.
Raul, o negro que estava comigo, levou a minha cabeça até seu enorme cacete e me fazia lamber seu caralho até a garganta.M. fazia o mesmo em seu parceiro e gritava:
-Chupa o pau desse negão, sua bichinha safada!
Por fim, eles nos botaram novamente de 4, colocaram a camisinha e, começaram a nos penetrar sem dó.Raul, começou um movimento de vai e vem intenso, eu gemia de dor e prazer.
Aquele pau enorme no cú,vendo M. sendo fodida ao mesmo tempo, olhando para as minhas unhas vermelhas, fez com que eu tivese o maior orgasmo da minha vida.Praticamente M. gozou junto e, após alguns segundos os 2 negões, começaram a gozar na minha cara. a mando de M.
Depois desse dia M. sumiu sem dar explicações convincentes.Só me restaram as roupinhas e os vibradores que me consolam.
Sempre tive medo de procurar outro ou outra parceira, mas caso você tenha se identificado com a minha estória, me escreva, quem sabe não faremos uma nova estória.

Amanda
amandacd@ymail.com
 

 

Saudades do papai

* * * * * * LEMBRO VAGAMENTE DE MINHA INFANCIA A NAO SER UM ACONTECIMENTO QUE ATE HOJE NAO CONSEGUI ESQUECER.
MORAVAMOS EU MAMAE E PAPAI EM UMA CASA HUMILDE EM VILA MATILDE
DORMIAMOS OS TRES NA MESMA CAMA E ERA FREQUENTE ACORDAR COM MAMAE AOS PRANTOS COM PAPAI SOCANDO TUDO AQUILO EM SEU CUZINHO.
QUANDO ISSO ACONTECIA ELA FICAVA DOLORIDA POR DIAS SENTANDO DE LADINHO E MUITO MAL HUMORADA.
ADORAVA VER ELA SENTANDO NO MASTRO DE PAPAI QUE ALARGAVA SUA BUCETA FAZENDO ELA ARFAR DE TANTO GOZAR POREM QUANDO PAPAI OBRIGAVA ELA A FICAR DE QUATRO ERA AQUELE DESESPERO.
FINGINDO DORMIR CONTEMPLAVA TODA TRANSA SENTINDO UMA COCEIRINHA GOSTOSA NA BUCETINHA E COM ISSO ME MIJAVA TODA.
CERTA NOITE ACORDEI COM PAPAI ENTRE MINHAS PERNAS CHUPANDO MINHA BUCETINHA POR CIMA DA CALCINHA.SENTINDO O CORPO TREMULO MORRI QUANDO ELE AFASTOU MINHA CALCINHA PRO LADO PARA MAMAR GOSTOSO EM MIM.
SUA LINGUA ERA ESPALMADA POR TODA MINHA BUCETINHA E QUANDO ELE FORCAVA ELA EM MIM ELA ENTERRAVA TODINHA DESDE MEU CUZINHO ATE MEU GRELINHO ONDE ERA CASTIGADO COM CHUPOES QUE CHEGAVA A DOR DE TAO FORTE SO PARANDO QUANDO EU ME ESTREBUCHAVA TODA DERRETENDO ME EM MIJO DAI ELE DEITAVA EM CIMA DE MIM PARA ALISAR TUDO AQUILO EM MINHA BUCETINHA CHEGANDO A SEPARAR OS BEIÇINHOS DE MINHA DANADINHA COM SUA IMENSA CABEÇA AVERMELHADA E QUENTE.
DEREPENTE SAI DE MIM SE ATIRANDO EM CIMA DE MAMAE QUE FAZIA DE TUDO PARA QUE ELE SOLTASSE DELA POREM QUANDO ELE CONSEGUIA TIRAR SUA CALCINHA E AFUNDAR EM UMA SO ESTOCADA TUDO AQUILO NELA PARECIA QUE IA TER UM ATAQUE E ENTRE GEMIDOS E CHORAMINGOS PEDIA QUE SOCASSE DE VAGAR PARA NAO ME ACORDAR.
SENTIA A CAMA TREMER E ENTRE GRITOS E GEMIDOS ELE INUNDAVA SUA BUCETA DE PORRA COM ELA CORRENDO PARA O BANHEIRO FICANDO POR LA ATE QUE ELE DORMISSE NISTO ELE VOLTAVA PARA MIM E POR ESTAR MUITO MOLHADA DEVIDO AO XIXI ARRIAVA MINHA CALCINHA E ENTERRAVA TUDO AQUILO NO MEIO DE MINHAS PERNAS ME LEVANDO A LOUCURA,SÓ PARANDO QUANDO MAMAE DESLIGAVA O CHUVEIRO E VINHA EM MEU AUXILIO COM ELE FINGINDO DORMI.
MAMAE ME TROCAVA E AO DEITAR FICAVA ME NINANDO,MESMO COMIGO DORMINDO,ATE QUE PAPAI DORMISSE SENÃO TERIA QUE DAR O CUZINHO NOVAMENTE PARA ELE.
CERTA NOITE ACORDEI COM MAMAE SE ESTAPIANDO COM PAPAI QUE QUERIA DE TODO JEITO COMER SEU CUZINHO AINDA DOLORIDO DA NOITE ANTERIOR.
MAMAE AO ME VER ACORDADA E CHORANDO BAIXOU A GUARDA,COM ISSO PAPAI RASGOU SUA CAMISOLA E CALCINHA E MESMO ELA PEDINDO PRA TODOS OS DEUSES E RESPEITO A MIM,ELE AFUNDOU TUDO AQUILO EM SUA BUCETINHA PEGANDO-A POR TRAS.ELA DE FRENTE PRA MIM MESMO COM LAGRIMAS NOS OLHOS NÃO CONSEGUIA SEGURAR OS GEMIDOS E SUSSURROS ENQUANTO GOZAVA AVASSALADORAMENTE NO PORRETE DE PAPAI.
ELE SOCAVA TUDO AQUILO NELA E VENDO QUE ESTAVA DEMORANDO A GOZAR SAIU DE DEBAIXO DELE ABOCANHANDO TUDO AQUILO QUE QUASE SUMIA EM SUA BOCA FAZENDO ELA TOSSIR AO SE ENGASGAR PRINCIPALMENTE QUANDO ELE AFOGOU ELA DE TANTA PORRA SEM TIRAR OS OLHOS DE MIM CAINDO AMBOS PARA O LADO.MINHA VONTADE ERA DE ESTAR NO MEIO DELES COM A BUCETINHA EM BRASA,POREM SABENDO QUE ERA PROIBIDO DEITEI FINGINDO DORMI PARA VER OQUE ACONTECERIA DEPOIS.
PENSANDO QUE ESTAVA DORMINDO PAPAI TENTOU COMEÇAR NOVAMENTE MAS NESTE MOMENTO MAMAE SAIU CORRENDO PARA O BANHEIRO E QUANDO LIGOU O CHUVEIRO PAPAI VEIO ATE MIM QUE ESTAVA COM A BUCETINHA EM BRASA PARA MAMAR GOSTOSAMENTE EM MIM FAZENDO ME DESFALECER COM OS LIQUIDOS QUENTINHOS QUE SAIA DE MINHA BUCETINHA.
NISTO ELE INTENSIFICOU AS LINGUADAS SORVENDO TODA MINHA BUCETINHA QUE PARECIA INCHAR EM SUA BOCA E APESAR DO NOJO PENSANDO QUE PAPAI ESTAVA BEBENDO MEU XIXI,SENTI O CORPO ESTREMECER COM SUA LINGUA ENTRANDO FUNDO EM MIM.
GEMI GOSTOSO TENDO MEU PRIMEIRO ORGASMO NA VIDA E QUANDO PAPI DEITOU EM CIMA DE MIM PEGUEI EM SEU MEMBRO DIRECIONANDO TUDO PARA A ENTRADA DA BUCETA QUE BABAVA PRA SER PENETRADA.
QUANDO A CABEÇA ENTROU MORDI SEU PEITO PAR CONTER UM GRITO DESESPERADOR COM ELE ESTATICO DENTRO DE MIM,E QUANDO ME ACOSTUMEI COM O INVASOR SENTI ELE ESCORREGAR GOSTOSAMENTE PARA DENTRO DE MIM QUE AGUENTAVA TUDO CALADINHA APESAR DA DOR QUE SÓ NÃO ERA MAIOR QUE O PRAZER QUE ESTAVA SENTINDO NO MOMENTO.
SENTI ELE CUTUCAR MEU UTERO COM AQUELE FERRO EM BRASA GEMENDO MUITO COM ELE SE PREPARANDO PARA UM GOSTOSO VAIVEM QUANDO FOMOS SURPREENDIDOS POR MAMAE QUE DEIXARA O CHUVEIRO LIGADO ATRAIDA PELOS MEUS GEMIDOS.
MAMAE ARRANCOU ELE DE DENTRO DE MIM GINGANDO MUITO AMEACANDO CHAMAR A POLICIA ACORDANDO COM ISSO TODA VIZINHANÇA.
EU CHORAVA MUITO DE RAIVA JURO QUE MATARIA ELA SE PUDESSE COM ELA ME PEGANDO NO COLO LEVANDO PARA O BANHEIRO ONDE LAVOU MINHA BUCETINHA COM TODO O CUIDADO VENDO O ESTRAGO QUE ELE FIZERA EM MIM.
APOS O BANHO MAMAE ME DEU UM COMPRIMIDO PARA DOR SEGUNDO ELE E FUI DORMI;DESDE ENTÃO NUNCA MAIS VI OU SOUBE DE PAPAI APESAR DE SENTIR MUITA SAUDAES DELE.

carliantunessilva@ig.com.br

 

O meu professor de gramática e eu

Quando eu iniciei o curso colegial recebia cantadas de todo lado; das meninas que me achavam muito gato, dos rapazes que na sua maior parte tinham inveja dos meus negros cabelos encaracolados, lábios carnudos e vermelhos, bunda redonda, arrebitada, musculosa, firme. Nessa época eu tinha algumas dúvidas sexuais a serem resolvidas; nas aulas de educação física ficava admirando o meio das pernas dos colegas, aqueles pacotes apertados pelos shorts, o bumbum, os mamilos, as coxas; no chuveiro do Colégio ou depois das aulas de natação no Clube ficava discretamente olhando os paus, testículos, pêlos, bundas, coxas; ficava imaginando aqueles paus juvenis eretos, duros; como seriam ? Alguns colegas mais desinibidos me encoxavam, ou por pura malandragem, ou por puro tesão mesmo; eu sempre fazia um charminho, ficava bravo, mas sempre deixava por isso mesmo, pois no fundo, no fundo, adorava ser objeto de desejo; aprendi a curtir um pau quente no meio da bunda, molhado na cabeça, mas não passava disso. No meio do ano letivo comecei a ficar preocupado, pois as minhas notas em Gramática estavam um fiasco;e a continuar daquele jeito teria que fazer exame ao final do ano e isso não me animava.; conversei com meus pais, alguns amigos e todos foram unânimes: eu precisava de aulas particulares. Fui conversar com o professor, um dos melhores de todo o curso; ele estava ficando grisalho nas têmporas e as meninas diziam que ele era um gatão, uma perdição e por aí a fora; ele se prontificou em me dar algumas aulas particulares. Combinamos que as aulas seriam nas quartas feiras, à tarde, dia em que a sua esposa fazia curso de artesanato; no dia da primeira aula cheguei na sua casa e fomos para a biblioteca. Iniciamos a aula e ele muito próximo de mim explicando os exercícios, os macetes, as regras, analisando textos eróticos. Ele usava um perfume muito delicado e de cara me peguei pensando que aquele perfume realmente era de macho. Ele começou a me envolver quando começou a falar das meninas da escola o que achava desta ou daquela; perguntou-me se eu já havia saído ou ficado com alguma; elogiou o meu porte, a minha beleza, etc. e etc. O clima estava delicioso; ele falava muito de perto, dava pra sentir o seu hálito quente; eu via claramente a sua língua passeando pelos seus lábios, os seus olhos nos meus, as vezes claramente nos meus lábios; ele me ganhava a cada instante; depois de algum tempo ele disse que ia buscar um refrigerante para fazermos um intervalo; apontou-me sobre uma mesinha de canto umas revistas suecas raras; fiquei folheando enquanto aguardava e o meu pau começou a ficar duro; neste momento ele chegou da cozinha e percebeu a situação; sorriu e disse que ele também se excitava muito com aquelas revistas; sentou bem ao meu lado, coxas com coxas, e ficou vendo as mesmas fotos que eu; sobre a bermuda começou a massagear o seu pau e a falar sacanagem; depois de alguns minutos tirou o pau para fora dizendo que estava muito atrasado e tesudo; eu nunca havia visto um pau de homem da sua idade; duro; era realmente lindo; a cabeça grande, azulada e brilhante se destacava; o corpo do pau era reto, não muito grosso; os pentelhos negros, encaracolados como os meus cabelos; o saco não muito volumoso destacava os testículos; disse-me que estava a fim de se masturbar e disse-me para fazer o mesmo; ele continuava a me envolver dizendo que o meu pau era maior do que o dele, mas o dele tinha mais experiência; falando isto chegou perto do meu e encostou a cabeça do dele no meu e depois pegou na minha mão e levou até o pau dele. Fiquei sem respiração, mas peguei no dele e ele no meu. Era um pouco estranho, mas gostoso; um pau duro, quente, pulsava na minha mão; a pedido dele punhetei suavemente para ele e ele também pra mim; em seguida me deu um beijo suave, mal tocou nos meus lábios; repetiu mais uma vez e mais outra. Uma loucura. Fiquei totalmente entregue; pediu para eu ajoelhar e chupá-lo; relutei, fiz charme; continuei a punhetá-lo; a sua respiração estava ofegante; ele estava taradíssimo por mim; levou-me pela mão até o sofá, pediu-me para ficar entre suas pernas e continuar a acariciar o seu pau; pegou minha cabeça e levou até o seu pau; não resisti mais; comecei a chupá-lo desajeitadamente, mas com muito carinho e tesão; a princípio achei o sabor meio estranho, mas a sensação era muito boa; ele foi me orientando a usar a língua, muita saliva, a virilha; ensinou-me a punhetá-lo com o pau na boca; loucura total. Minha saliva era tanta que saia para os lados deixando o pau, os testículos, as coxas, os pentelhos, todos molhados. Ele gemia e dizia: “ -- Não tenha pressa; deixe-me saborear este momento mágico”. Isso me encantava; aquele macho sabia como conquistar um garoto virgem. Pediu-me para tirar toda a roupa, tirou a sua, abriu o sofá-cama, deitamo-nos, ensinou-me a fazer um 69; que maravilha chupar aquele pau e acariciar o seu cuzinho; passou gel no meu cuzinho e nos meus dedos; ensinou-me como comer o cuzinho do parceiro durante o 69; esse realmente era um grande professor; durante o 69 ele percebeu claramente que o meu cuzinho era virgem. Disse: “ – Vou te dar a maior felicidade que um homem pode ter: ser enrabado por outro”. Eu não agüentava mais; queria ser dele, de qualquer forma; preparou-me com gel, colocando-o com o seu dedo indicador, depois massageou-me com o médio, depois com o polegar, depois com o indicador e o médio juntos; eu estava pronto para ser possuído; ajeitou duas almofadas no meu pescoço, colocou-me de lado, pediu para trazer os joelhos até o peito; com uma das mãos abri a minha bunda e ele dirigiu o seu pau para a porta do meu cuzinho; forçou algumas vezes, colocou mais gel, até que aquele cabeça azulada passou delicadamente pelas preguinhas até então intocadas; o seu pau me invadiu suavemente, quente, grosso, duro, carinhoso, até que as suas bolas bateram na minha bunda; então virou-me de bruços, colocou duas almofadas sob a minha barriga e colocou todinho o seu pau dentro de mim; eu fiquei sentindo aquele macho gemer de tesão, pondo e tirando o seu pau; ele se acomodava dentro de mim como se tivesse sido feito sob medida; deu várias estocadas e avisou: “—Por favor, receba o meu gozo”; e ele veio farto, quente, em jatos. Ele usava o seu gozo como lubrificante e enfiava e tirava o pau, enfiava e tirava, enfiava e tirava, até que diminuiu os movimentos e deitou-se sobre mim; beijando a minha nuca, perguntou: “—Você será somente meu ?” Respondi: “—Somente seu, de corpo e alma”. Aí relaxamos; deitei-me sobre o seu ombro e fiquei quieto. Depois de algum tempo fomos ao chuveiro; ele ensinou-me como tirar o esperma do cuzinho com a ducha do chuveiro; secamo-nos; ele me colocou de quatro e passou pomada cicatrizante nas preguinhas; ele era um carinho só. Terminamos e aula e marcamos retorno para a próxima 4ª. feira.

OS DIAS SEGUINTES
Dormi como uma pedra, sem sonhos; acordei um tanto preocupado pensando na forma como ele me trataria; foi um exemplo de gentleman; perguntou-me delicadamente se estava doendo, se estava arrependido; às duas perguntas respondi com um sorridente não ! Os dias seguintes foram de quente expectativa para a próxima 4ª. Feira; eu não via a hora; recordava silenciosamente os aqueles maravilhosos momentos; eu ficava pensando no que ele iria me oferecer novamente; eu era todinho dele, corpo, alma, pensamentos, desejos; eu relembrava principalmente os seus beijos delicados na minha boca; eu os queria agora com bastante saliva, língua, desejo. Finalmente a 4ª. Feira chegou; na aula ele disse-me discretamente: “—Se puder chegar mais cedo ....” Obedeci, claro. Cheguei à sua casa impaciente; eu já me sentia dono da situação: tinha um corpo desejado por todos, tinha um macho tesudo e carinhoso; eu já tinha me resolvido: meu negócio agora era aquele homem. Abraçamo-nos, tiramos a roupa e deitamos no sofá-cama já aberto; carinhos, mão na mão, mão no pau do parceiro; na virilha, no rego; mamilos, axilas, pescoço, nuca, coxas; e principalmente, beijo e mais beijos. A sua língua invadia a minha boca como o seu pau invadiu o meu cuzinho; eu estava um pouco ardido ainda e falei pra ele; ele me disse que tinha uma pomada anestésica e que podia confiar; fizemos um 69 magnífico; o seu pau estava prá lá de duro e eu me imaginava se a sua mulher estaria cumprindo o seu papel; pensei “—Azar o dela, eu satisfaço esse macho do jeito que ele quiser ele é meu e eu sou somente dele”. Quando senti o seu pau aumentando ainda mais de tamanho na minha boca; pedi-lhe pra me comer; fui prontamente atendido; em minutos eu já estava com aquela magnífica vara atolada no meu rabo; pura tesão, puro desejo. As suas estocadas eram vagarosas evitando que as preguinhas “reclamassem” depois. Virou-me de frente, colocou uma almofada nas minhas costas e muita pomada no cuzinho; delicadamente colocou-me na posição frango assado; colocou o pau, foi até o saco; contrai o cuzinho procurando segurá-lo o mais fundo possível, senti a textura, a grossura, o calor; que pau, que pau, era só isso o que eu pensava, a sua boca percorria os meus lábios, orelhas, pescoço, mamilos, axilas; o meu pau também participava; estava duro e ele sabia manuseá-lo; quando ele percebeu que eu estava prestes a gozar, mudou-me de posição para ficar de quatro, postou-se de pé ao lado da cama e penetrou-me até que eu senti as suas bolas batendo na minha bunda, os seus pentelhos nos meus; acelerou a sua mão esquerda no meu pau e gozamos juntos, aos borbotões; ele gemia roucamente, eu suava com aquela vara todinha dentro de mim, ele usava o seu esperma como lubrificante estocando e tirando, estocando e tirando, estocando e tirando, até que o seu fôlego diminui, tirou o pau e deitou-se ao meu lado; ele somente repetia: “Você é meu, você é meu, você é só meu”; me acariciava o rosto com a sua mão que cheirava a esperma, dele e meu; perfume de machos satisfeitos, apaixonados, tesudos, resolvidos, prá sempre.

walterlobato@hotmail.com

 

Um conto simples

Meu conto é simples , tudo começou na meu primeiro emprega, lá tinha um carroceiro que fazia entrega , era um negro fabuloso , lindo de morrer ,vi muitas vezes seu cacete, era algo inusitado , vez por outra via ele comendo as meninas da empresa , aquilo era uma judiação , principalmente quando ele punha no cu delas , seu caceta tinha no mínimo 28 cm e 5 cm de grosssura , tinha uma loira que adorava dar o cu , mas coitada quando ele a pegava ela chorava gemia , mas agüentava , e eu ficava com muito medo e assim nunca mexi com aquêle monumento de homen , no entanto meu lado feminino e apaixonado por aquele negão , nunca me deixou procurar outro homen..Mudei de cidade e nunca mais consegui o amor de minha vida,
Casei tenho filhos e netos , no entanto certo dia passando por determinada avenida , vi um
Homen , aquilo não era um homem era um monumento , bastante escuro , quase preto , altura de 1,70 mt , corpo esguio , aquilo nunca me tinha acontecido , foi amor a primeira
Vista , passei diversos dias pelo local em que ele se encontrava , ela fazia planfetagem numa esquina. Passado alguns dias via que meu amor por aquele monumento , só aumentava. Certo dia criei coragem e me aparoximei do amor da minha vida , e ,
Declarei a ele o que sentida por ele , que estava perdidamente apaixonado por ele , e que
Gostaria de ser possuído pelo mesmo e que era virgem , no primeiro momento ele assustou e ficou arredio , o que eraq compreensível pelo grau social do mesmo , ou seja,
Extramamente humilde . Mas continuei minha ação em cima do mesmo , pois estava desesperadamente apaixonado. Ate que certo dia ele concordou em sairmos juntos para ver o que daria (sim eu daria tudo pela ele).
Dentro do carro humildemente pedi a êle um abraço , e , quando aconteceu fui a loucura , e , intepestivamente o beijei nunca que fui correspondido , naquele momento senti que a partir daí eu seria “uma mulher” ou melhor seria “sua mulher” , sendo que a paixão da minha vida , mantinha uma descrição tremenda. Chegamos ao motel , la fora mesmo , corrri para seus braços e nos abraçamos e beijamos avidamente.
Adentramos no que seria nosso ninho de amor , onde estaria consolidado meu sonho de
Ser mulher , amada , possuída ,desejada pelo meu homem monumento.
Iiramos nossas roupas e fique estarrecido com “meu homem” , era a coisa mais linda que havia avisto na vida. Nos abraçamos , tocávamos um no outro e ela me fazia caricias inigualáveis, ai eu pedi para chupar aquele cacete monumental , era igual ao meu primeiro amor , fiquei receoso , mas abaixei e pus aquela rola na minha boca , naquele momento para mim foi a coisa mais saborosa que há via experimentado , mas mala cabia da minha boca , mas mesmo assim eu chupava alucinadamente , e , lhe pedi
Me chama de “viado”, ele meu pos mais louco ainda , quando disse”mama no meu pau viadinho” , eu chorava e gemia com aquela rola na minha boca , era a gloria, chorava de alegria e gemia por saber que levaria aquela rola no meu cu. Certo momento ele meu pegou pelo cabelo e me levantou , nos beijamos avidamente , e ele me disse agora você vai virar “minha mulher” , eu lhe perguntei “não serei seu viado” , não , ele respondeu com a maior candura , depois , pois a partir deste momento você “será minha mulher” para sempre , e , me virou de costa e disse fique de quatro na cama , naquele momento me veio a lembrança do tamanho e grossura de seu pau , e eu disse ser que dou conta e muito grande e grosso , ele suavemente disse, no amor exigi-se certo sacrifício , pois eu sei que vai doer e muito , mas você tem mais amor do que dor , aquilo me anaestesiou , pedi que ele lubrificasse meu cu e seu pau , mas não sem antes lhe pedir para dar outro chupada , que fiz com galhardia , nesse momento a paixão da minha vida disse , chega
Vamos te fazer de mulher e apontou aquele intrumento no rumo de meu cu , ele resvalava e não,entrava , entrei em pânico e chorava copiosamente , e , resmungava como pode este cacete tm que entrar , foi ai que lembre de uma revista que orientava , força um “peido!” que o cu abre , e ai é so enfiar , não disse nada ao meu fabuloso macho, mas procedi como havia visto , quando fiz seu pau entrou e daí dei um grito de terror , e pedi tira de não poe mais que não agüento , ele fez menção de tirar e ai dei outro grito , por favor não tira , pois eu tenho que “virar sua mulher”, ele parou por um momento e depois foi enfiando devagar , eu chorava , gemia e enfiei a cabeça no travesseiro e gritava pois doía demais , acho que desmaei e meu macho enterrou tudo e começou a bombar , primeiro tirava só um pouco , e , a medida que auamentava a velocidade e a força , ele tirava mais , até que tirava tudo e enfiava tudo , aquilo era uma loucura que eu não sabia até onde ia agüentar , ai meu macho maravilhoso , disse , agora você já é “minha mulher” só falta jorrar porra no seu cu , e eu disse , faz de mim o que você quiser , mas por favor deixe um pouco de porra , pois alem se ser sua mulher a coisa que mais quero e sentir o calor de sua porrao no meu cu e o sabor dela na minha boca. Estamos juntos a muito tempo eu não o largarei por nada deste mundo e acho que ele também não . A única coisa é que até hoje e não me acostumei com aquela rola monstruosa , meu macho é incrível , dá no mínimo quatro por dia.
Espero que gostem e acreditem o amor supera qualquer dor e pau grosso.

 

Alice vem sempre às quartas.

Alice vem sempre às quartas. Chega por volta de 8 e meia. Dissera que são três ônibus da sua casa até aqui. Então levanto mais cedo que o habitual. Preparo tudo. Fico pronta. Limpinha. Deixo a mesa do café posta com algo para comer e beber. Ela chega, mas um pouco mais tarde. Recebo-a na porta com um bom dia. Ela retribui, desvia o olhar, baixa a cabeça e diz que por causa da chuva os ônibus atrasaram. Dou uma toalha para que se seque e digo que há um presentinho para ela no banheiro da lavação. Um roupão atoalhado. Branco como o meu. Aguardo-a na cozinha.

Sem demora ela aparece com a toalha enrolada na cabeça. O roupão lhe caiu bem, digo e ela agradece, procurando por as mãos nos bolsos, um pouco encabulada. Pergunto se não ela não quer comer algo antes, um suco talvez. Ela diz que não, que depois come. Parece sem jeito, e então diz: “Vamos fazer, então! Tudo pronto?”. Como se não estivesse ansiosa por aquilo, dou-me por surpresa e digo “Ah, sim, claro, vamos então!”. Como já havia deixado tudo pronto, nos dirigimos ao quarto, eu na frente, e comentamos sobre o tempo, da chuva que não pára há dois dias. Deixei o ar condicionado do quarto ligado para aquecer o ambiente já que a temperatura caíra um pouco. No quarto ela observa a cama disposta de maneira estranha. Percebo sua expressão de dúvida. Digo a ela que ela já vai entender o porquê dos travesseiros estarem de ponta cabeça. Invertidos sobre a cama. Ela comenta baixinho que não sabe se está bem limpa, mas que utilizou a mangueirinha do chuveiro durante o banho antes de vir, como eu sugerira. Tranqüilizo-a dizendo que as toalhas sobre os lençóis são para eventualidades. “Não se preocupe, pois tudo irá sair como planejado”. Digo para ela ficar tranqüila e bem relaxada. Antes de começarmos, convido-a para assistirmos a cena que iremos reproduzir. Apenas parte de um filme, coisa de 6 ou 7 minutos. Sentamos na beira da cama uma ao lado da outra. Ela assiste sem comentar nada. Vez ou outra olha para mim e volta para a telinha.

Sorri com um pouco de timidez. Passo meu braço por sobre seu ombro. Ela põe a sua mão sobre a minha. Comento sobre o calor da sua mão. É uma mão macia e está mais quente que a minha. Eu me excito um pouco, parte pela cena do filme, parte por vê-la assim, assistindo. Termina a cena. Ela me olha e balançando a cabeça afirmativamente, diz: a-ham, entendi. Eu tiro meu roupão e passo um pouco de hidratante no meu bumbum e sugiro que ela também passe. Ela atende, ainda sem muito jeito, e despe-se do seu roupão. Seu corpo parece-se com o meu. Nossas curvas indicam que estamos acima do peso, observo. Mas para quarenta e poucos estamos bem. Seus seios são grandes, maiores que os meus. Chamam-me a atenção, sobretudo me atraem suas aréolas. Enormes e escuras, mais que a sua pele. Uma genuína descendente de africanos. Nossos olhares se encontram e rimos inseguras ainda. Dou a ela uma luva de látex. Auxiliamos uma à outra para colocar na mão direita.

Eu continuo tomando a iniciativa. Mostro a ela o que fazer. Deito-me de lado, apoio um dos braços sobre o travesseiro, dobro o joelho da perna de cima e estendo a debaixo. Em seguida, estendo o braço direito e passo a mão levemente sobre minhas nádegas, medindo a distância. Ela me segue e faz o mesmo, mas no sentido invertido. De costas uma para a outra. Nossos bumbuns se tocam, deixando a exata distância para que nossas mãos alcancem as nádegas uma da outra. Alcanço o tubo de gel e, de forma bastante generosa, carrego nossos dedos cobertos com as luvas. E então começamos. Alerto-a sobre o gelado do gel. E começamos a massagem preliminar. Uma massageando com a ponta dos dedos a região anal uma da outra. Bem devagar e delicadamente. Até nos acostumarmos com o geladinho do lubrificante. Ela repete meus gestos como uma excelente aluna. Meu coração está em disparada. Estou excitada demais. Solto meus primeiros suspiros. E já começamos a dar sinais de que estamos vivas. São os primeiros e sinceros suspiros. E ela vai me seguindo. Eu introduzo o indicador vagarosamente. Um vai e vem até sentir a musculatura mais relaxada. Acostumando o esfíncter. Em seguida dois dedos, fazendo tudo igual. Ela me retribui fazendo o mesmo.

A sensação era esperada e realmente maravilhosa. Só ouvimos o barulho suave do gel e nossos suspiros. Então três dedos. Um vai e vem bem lento e agradável. Posso sentir o calor da sua mão entre minhas nádegas. É muito gostoso. A seguir é a vez do mindinho e paralelo com os demais. Bem devagar e num vai e vem de alguns bons minutos. A musculatura do ânus acostumando com a dilatação. Estamos quase lá. Interrompo para mais uma dose de lubrificante. Ela me segue e estende a mão. E retornamos. Aproveitamos para lubrificar o dorso da mão e voltamos de onde estávamos. Três dedos e em seguida quatro novamente. Atingimos o limite para que curvemos levemente a mão. Dobramos o polegar entre os demais dedos. Agora estamos prestes ao limite. Bem devagar e forçando. Não sei quem introduziu primeiro toda a mão, pois houve um gemido forte de ambas. A sensação de um prazer quase indescritível. Extremo. Intenso. Forte. Começo a girar minha mão dentro dela. Ela me segue. E ficamos assim por bons minutos. Proporcionando muito prazer uma à outra. Até que lentamente vamos reduzindo o ritmo. Devo ter tido vários orgasmos. Nunca imaginei sentir tanto prazer com aquilo, mas ela me proporcionara e eu retribuí. E então vamos tirando lentamente as mãos, para curtirmos até o último momento. E nesse momento Alice me surpreende. Pede que eu mude de posição. Que eu fique com o bumbum para cima. Joelhos dobrados. Atendo-a. Ela passa a toalha para tirar o excesso de gel. Com ambas as mãos afasta minhas nádegas e aproveita que meu ânus está bastante dilatado.

Começa a passar sua língua em movimentos circulares. Depois, esforçando-se ao máximo, introduz o quanto pode sua língua na região anal. Sinto o calor e a umidade. O movimento da penetração. Não me contenho e começo a gemer. A gemer alto. A sensação é fantástica também. Ela me faz gozar e com uma das mãos massageia minha vagina. E caio de bruços sobre a cama. Ela pára e estranhamente me diz: “eu só faço isso com a senhora... Eu gosto!” Agradeço-a pelo que me proporcionou e convido-a para um banho. Ela diz que não. Que irá adiantar o serviço. Não insisto e vou para o banheiro. Tomo uma ducha bem quente. Penso no que fazemos, no que temos feito e no seu comportamento sempre tão arredio. Quando saio, o quarto já está arrumado. Ela está na lavação arrumando algo. Visto-me, seco o cabelo, me maquio, ponho meu melhor perfume. Quando passo pela cozinha, ela cruza por mim com balde e rodo nas mãos. Diz que vai limpar o banheiro. Elogia o meu perfume. Deixo o dinheiro da diária sob o seu celular, numa das prateleiras da cozinha. Saio para o trabalho. Começo às dez no caixa de um banco. Durante o trabalho, seguidamente Alice me vem à mente. Seu comportamento. Nosso relacionamento. E aquele comentário: “eu só faço isso com a senhora... Eu gosto!”. Faço um esforço para me concentrar nos afazeres. Não quero ter diferença no caixa no final do dia. À tardinha, de volta ao apartamento, encontro tudo muito bem organizado, limpo, arejado, como ela sempre deixa. Sobre a minha cama, um bilhete de Alice, em letras trêmulas e irregulares, no qual pede se pode vir na quinta na próxima semana, pois tem que levar um dos filhos ao médico na quarta, o marido não tem tempo, e se eu poderia dar um pequeno aumento de 5 reais no valor da diária, pois aumentaram os passes dos ônibus.

Pede que eu confirme no seu celular. Fico rindo sozinha pelo pedido e por sua simplicidade. Se ela soubesse o quanto a prezo e que daria qualquer aumento para mantê-la comigo. Afinal é tão difícil conseguir alguém confiável hoje em dia. Ainda mais para mim que estou sozinha há mais de dez anos. Uma eternidade para mim.

E tenho agora um dia a mais para planejar o que iremos encenar na próxima semana. Emails para catherine.lanou@gmail.com


Conteúdo sindicalizado