Contos Eróticos

warning: Creating default object from empty value in /home/maite/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.module on line 1390.

Ligia – a mais nova conquista

Sou DOM GRISALHO e, eventualmente faço contos de S & M, que, aliás, gosto muito de produzi-los. O mês próximo passado recebi um e-mail de uma leitora dos meus escritos, que se identificou como sendo lígia, dizendo que gostou de meus contos e gostaria de saber se as mulheres que cito nas narrativas se foram realmente conquistas de minha parte ou apenas ficção. Em resposta, de forma amistosa, mas formal dei-lhe alguns sites que publicam meus trabalhos e agradeci pela cordialidade de sua mensagem. Não esperava mais nenhuma notícia dela, porque procuro manter distância das solicitações e elogios que recebo por internet, em razão de que muitos se apresentam como mulheres e, na realidade não o são e, outros ainda têm simples curiosidade não querendo nada efetivamente.

Descobrindo o que é amor

Todo mundo quando jovem tem um melhor amigo, aquele que faz tudo junto com você, que brinca junto, apronta, estuda, faz bagunça e que até na hora de levar aquele esporro dos pais esta ali junto com você, pois bem eu também tive um amigo assim o William, eu morava em uma rua onde havia muitas crianças porem o nenhum dos meus amigos se comparava ao William quando brincávamos sempre dávamos um jeito de ficar juntos, fossem em duplas ou no mesmo time, estudávamos na mesma escola era parceria mesmo, porem com o passar do tempo quando íamos entrar no ensino médio os pais do William optaram por transferi-lo para um colégio militar tirando-o do colégio particular católico onde estudávamos tudo isso pelo fato dos pais dele terem se convertido ao evangelismo, ou seja, seus princípios filosóficos já não mais eram os mesmo da igreja católica, conforme os meses se passavam eu e meu amigo nos tornávamos estranhos um aos olhos do outro, apesar de morarmos na mesma rua, ele passou a me visitar apenas aos sábados

Dois casados no hotel....

Me chamo Marcelo, sou alto, tenho 1,88, 88 kgs, 34 anos, bonito e claro...realmente chamo a atenção!!!

Viajo constantemente para o interior do Paraná principalmente, e sempre me hospedo em hotéis. Como vocês sabem quando ficamos sozinhos sempre procuramos diversão e como passar o tempo de maneira prazersosa.

Estava em um hotel em Maringá e resolvi subir ao terraço, aonde ficava a piscina e a sauna, já que era um dia bem agradável naquela cidade.

Vesti a sunga e peguei um roupão que o hotel oferece e subi ao terraço. Cheguei lá entrei na piscina e comecei a me refrescar...

Neste meio tempo chegou um cara alto também aparentando uns 30 anos com um corpo similiar ao meu...Ele chegou e me encarou...e entrou no reservado da sauna!!!

Na hora achei normal e nem passou pela minha cabeça que poderia rolar alguma coisa...o cara ficou lá uns 5 minutos e saiu....apenas olhou novamente e disse que já voltava!!!

A diarista do sul de Minas

Conheci Najara através de uma anúncio que fiz na internet. Trocamos alguns emails e depois conversamos por telefone mais algumas vezes, ela não tinha pressa. Najara tinha 32 anos, divorciada e não tinha filhos. Depois descobri que trabalhava numa repartição pública onde era chefe.
Numa das ligações que ela sempre me fazia, onde sua voz calma e ao mesmo tempo misteriosa me deixava excitado, então ela combinou de nos conhecermos pessoalmente.
Foi num sábado, em um local público e bem movimentado, uma praça. Cheguei no horário determinado e pouco depois ela apareceu. Era alta, com seus 1,70, uns 60 kg, seios médios, cabelos longos, um sorriso misterioso. Curiosamente estava vestida de maneira informal, calçando um par de sandálias de borracha quando pude ver seus lindos pés, que depois descobri eram do tamanho 38.
 
Conversamos por quase uma hora, sem falar explicitamente nos nossos interesses em comum, é claro.

Uma viagem inesquecível

Estava estressada com o dia a dia da cidade grande que se tornou Fortaleza e resolvi viajar para a região Norte a fim de descansar. Cheguei em Belém e tomei um ônibus, à noite, com destino a Soure e que nos levaria ao hotel, um pouco afastado da cidade. Subi e me acomodei numa poltrona e, sozinha, virei-me para a janela e fiquei pensando em nada, quando ouvi a voz de um homem pedindo licença para sentar. Era jovem, atraente e cheirava a sexo. Estava muito frio dentro do ônibus. Ele, não sei porque, me perguntou se não gostaria de um cobertor. Não sei se ele percebeu que estava usando uma calcinha e que ela estava um pouco a mostra ou se o que o ataraiu foi meu jeito ou minha anatomia protuberante da bunda. Pois bem, ele trouxe um cobertor e me agasalhou. Dai em diante, comecei a pensar coisas, coisas que me davam tesão.

Versatilidade Virtual

Olá leitores! vou relatar nesse conto uma ótima experiência que tive com um garoto aqui em São Paulo. Primeiro, vou me descrever; tenho 21 anos atualmente, cerca de 1,80m, uns 75kg, em ótima forma, tenho olhos castanho claro, cabelo preto bem escuro e uso-o arrepiado, pele morena bem clara. Me considero bissexual (não assumido e discreto), mas tenho mais interesse em garotos.

No banheiro da estação de trem

Bom esse é meu primeiro conto, de tanto ler decidi escrever uma experiência que eu tive...
Tenho 20 anos, sou branco bem lisinho, uma bunda grande, lisinha e bem gostosa.. Tenho cara de ser mais novo, 1.80 e 80kg, me acho bem bonito com cara de muleke..
Discreto e ninguém sabe desse meu tesão por homens, e que tesão! Tem dias que me da aquela loucura pra achar o cara que vai tirar meu cabaço porque ainda sou virgem, nunca dei meu cuzinho...
E em um desses dias de tesão no máximo fui até o shopping Eldorado almoçar e na volta decidi voltar de trem, passei a catraca e claro decidi dar uma passada no banheiro... Ainda na escada vi que um cara entrou no banheiro, ele era moreno da minha altura, magro, bonito, barba pra fazer e cara de homem safado.. Ele ficou no mictório e eu entrei na cabine...
Mijei, e depois abri a porta e ele estava la ainda.. Saquei que ele tava afim de alguma coisa porque ninguém demora tanto pra miijar rsrs

Não Se Pode Confiar em Ninguém Mesmo

Oi... Meu nome é Michael e moro em Santos-SP... Em 2010 concluir o curso de Fisioterapia e no semestre passado aconteceu algo que transformou minha vida e confirmou que não existe melhor amigo e muito menos confiança entre as pessoas...

Durante o curso costumava sair com o Leandro, que considerava meu melhor amigo... Às vezes ficava puto com umas brincadeiras idiotas de passar a mão na bunda... Sempre gritava: “PORRA LEANDRO DEIXA DE SER GAY... CARALHO! VAI ALISAR A BUNDA DE OUTRO, SEU PORRA”... O pior é que o sacana fazia sempre isso... Passei a não esquentar mais... Numa sexta-feira por volta das 00h00min estávamos saindo de uma pizzaria, indo em direção ao carro de Leandro e percebemos um negro alto e forte se aproximando... O negro apontou uma arma e disse: “CALEM A BOCA E ENTREM NO CARRO... VAMOS LOGO SE NÃO ATIRO PORRA”...

Do Trampo para Cama a 3

Ola
Vou aqui me identificar como D... Tenho 1,70 de altura, 75 kg 21anos
17 cm de pika olhos e cabelos castanhos escuros, e marcado de suga!
Meu conto é Real e começa no meu trabalho.
Trampo no caixa em um super mercado perto de casa, no período da noite
Era por volta das 20h quando percebi que tinha dois caros bonitos e bem apresentáveis no caixa da minha frente, passando cerveja e tal, um era moreno claro e outro era loiro...
De repente, curti aparentemente, e fiquei encarando, quando dei por mim eles estavam correspondendo a minha olhada, um até ficou sem jeito, mas ainda sim olhava. E logo se foram.

Puta por profissão

Estou escrevendo este conto para contar a todos como é minha vida, especialmente hoje que já tive que dar conta de três faturas divida de meu querido esposo. Ele é dessas pessoas que primeiro faz a divida depois todo mundo tem que se virar para fazer o pagamento. Para começar deixa eu me apresentar a vocês meu nome é Livy, tenho trinta e seis anos, tenho cabelos castanhos longos abaixo do fecho de meu sutian, tenho peitos bem pequenos e bicos e mamilos rosadinhos bem clarinhos, tenho uma cintura bem fino a brasileira tenho uma bunda enorme mais ou menos um 1.09cm, tenho cocha grossas, não sou bonita, mas sou bastante cativante, adoro uma roupa justa, principalmente calça jeans e leg, tenho várias, de muitos modelos, blusas já gosto das mais decotadas, soltinhas e curtas, pois tenho uma barriga lisinha.

Controlado pela esposa após flagrante de calcinha

Esta é uma história de como minha esposa me pegou fazendo minha diversão favorita, para então assumir o controle da situação e me humilhar em uma inversão de papéis para satisfazer a ela e a meus desejos ocultos! Foi no ano passado.

Minha amiga me comeu com consolo

Tudo começou quando eu e uma amiga estava em um barzinho tomando umas cervejas, começamos a falar sobre fantasias. Ela entao começou a falar sobre a fantasia dela que era comer um cara com consolo, na hora fiquei excitado porque era a minha vontade também, não perdi tempo e falei que era meu sonho.
Ficamos um pouco com vergonha, mas depois relaxamos, falei se ela estivesse afim compraria um consolo com cinto. Na hora ela aceitou e disse: Vamos para um sex shopp agora comprar um porque estou morrendo de tesao.

Tomamos mais umas cervejas e fomos para o sex shopp comprar, chegando La vimos cada um melhor do que o outro e ela decidiu comprar um enorme de 23cm x07 e começou a falar se eu agüentaria e eu disse que tentaria.
Compramos e fomos para o hotel, chegando La já começamos a nos beijar e fomos tomar banho juntos e depois começamos a chupar um a outro, ela então pediu para eu ficar de 4, ela começou a passar a língua no meu cuzinho me deixando com muito tesao.

Preparei a futura sogra da minha filha para o meu marido

Oi, pela primeira vez, depois de muito resistir, estou resolvendo enviar um relato que aconteceu comigo.
Sou muito bem casada há mais de 20 anos, Eu e meu marido temos um relacionamento bem aberto, conversamos muito sobre sexo sem nenhum preconceito. Temos uma filha já beirando os 20 anos, está namorando sério com um rapaz muito legal, pelo qual temos muito carinho.
Sobre mim, sou uma coroa enxuta, trabalho na área de saúde meu nome é Bia (fictício), meu marido Roque (fictício) é um homem atlético que gosta de praticar esportes. Moramos nos arredores de Brasília.

R$300,00 por um cuzinho virgem

Olá pessoal tudo bem? Meu nome é Alex e tenho escrito alguns contos de histórias que realmente aconteceram comigo, um deles e de uma menina que começou a trabalhar na minha casa, virgem noiva e muito reservada, Ritinha é o tipo de moça que chama a atenção, mas esses detalhes eu já contei no outro conto, titulado de (R$ 50,00 para chupar uma buceta virgem) nesse conto eu descrevo como conseguí convencer a Ritinha a me deixar chupa-la, prometendo eu que não lhe faria mais nada a mais que isso.
Confesso que era difícil, chupava a Ritinha toda quarta feira, dia que sempre chego mais cedo em casa, minha esposa trabalhando e as crianças na escola, tudo fica mais fácil, cada vez que eu chupava aquela bucetinha linda, aproveitava para fazer algumas carícias em seu cuzinho.
No pricípio ela não correspondia em nada, depois passou a pegar em meu pau e até me punhetar.
Depois de quase dois meses fazendo a mesma coisa sempre as quartas feira,
Agora ela já me faz um gostoso oral e até um 69... bom demais!!!!

Gozando na boléia

Eu era amigo de Juarez, o caminhoneiro, há uns cinco anos. O conheci num bar de estrada e depois de algumas cervejas, o convenci a irmos para uma pousada barata brincar um pouco. Moreno alto, casado e conservador, 35 anos, foi difícil pra ele me deixar comer aquela bundinha gostosa, mas o safado acabou cedendo. Foi uma vez só, há muito tempo e acho que ele acabou ficando travado, pois nunca mais tinha ficado com outro homem. Pelo menos era o que ele me falava... Depois daquela vez, nunca mais tocamos no assunto, apesar de eu sempre sentir um clima de tesão entre nós dois. Hoje não resisti e investi de novo.
Trabalhamos na mesma multinacional e como tínhamos ficado até tarde em uma feira agrícola, acabei pegando carona no caminhão dele. Pra quê? Ficar quieto ali na boléia do caminhão ao lado daquele homem exalando masculinidade não foi fácil. Ainda mais que, depois de algumas cervejas na feira, estávamos mais relaxados que de costume e ele foi falando de suas experiências recentes com outros homens.


Conteúdo sindicalizado