Contos Eróticos

warning: Creating default object from empty value in /home/maite/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.module on line 1390.

O amigo do meu pai

Olá me chamo Eduardo (nome ficticio), tenho 18 anos, sou moreno 1,79 de altura 63 kilos e passivo.

Bom numa noite de fim de semana estou em casa com meu pai, até que:

- Filho, vou no bar da esquina, se algum amigo meu perguntar pro mim, diz que estou lá.
- Tudo bem.

Então meu pai se foi, aproveitei e entrei no bate papo pra fazer a minha caça por alguns ativos, com um nick muito singelo ''Passivo de calcinha'', gosto deste nick, pois atrai muitos homens. Logo alguns minutos, ouso a buzina de uma moto, vi que era um amigo do meu pai, se chamava Marcos, era um homem maduro, por volta de uns 40 anos, magro alto do tipo do homem que eu adoro.

- Seu pai onde está?
- Ele está no bar da esquina.
- Ok, vou até la.

Quando ele liga a moto ele me chama novamente:

- Vou esperar ele aqui mesmo, você está só?
- Sim, pode entrar.

Fiquei um pouco nervoso e ansioso no momento, um homem gostoso estava diante de mim, e estavamos sozinhos. Então voltei a mecher no computador enquanto ele esperava meu pai, até que ele vem até a porta do meu quarto e começa a puxar assunto:

- Você tem Orkut?
- Sim tenho porque?
- Eu tambem tenho, mas não sei usar direito, você pode me ensinar?
- Posso sim, é facil!

Quando ele chega perto de mim, meu coração dispara, mas não mostrei o meu desconforto, continuei ensinando ele, até que vejo um volume na sua calça, vendo aquilo tentei me controlar para não me excitar, mas foi em vão, não conseguia parar de olhar para aquele volume maravilhoso, e logo ele percebe, fico totalmente contrangido, mas continuo agindo naturalmente, logo então ele pergunta:

- Gostou?
- Oque?
- Gostou do meu volume na calça?
Com um pouco de vergonha digo:
- Sim, parece ser bem grande.
- Você quer ver?
- Sim.
Então logo ele tira aquela pica maravilhosa e começa a bater uma na minha frente, eu não acreditava muito no que estava vendo, era uma pica deliciosa, tinha por volta de 17 cm, muito grossa, com as veias bem saltadas, o tipo do pau que eu adoro. Não aguentei ficar olhando por muito tempo e cai de boca naquele homem, chupei muito aquela pica, enquanto ele brincava com o meu cuzinho com os dedinhos, ele gemia demais, era uma delicia aquela voz grave gemendo só pra mim, logo já tiramos nossas roupas e fazemos um 69, ele chupou meu cuzinho de mais, eu não estava aguentando aquela lingua quente passando entre minhas pregas, logo ja tirei uma camisinha e um gel lubrificante e virei de frango pra ele e disse:

- Me come meu macho delicioso, me faz sentir essa pica deliciosa entrando dentro de mim!

Logo ele obedece e começa a penetrar meu cú, nem parecia que era a segunda vez que eu estava dando, foi maravilhoso, ele é o tipo de homem que sabe foder. Então depois de me foder de frango, ele me vira de 4 e me fode com muita força, aquela pegada era uma coisa inesplicavél, logo então não aguento e gozo muito, logo depois ele goza junto dentro da minha bunda. Vendo seu pau ja amolecendo, caio de boca novamente e chupo ele até gozar na minha boca. Então nos vestimos levo ele até a porta e dizemos o seguinte:

- Adorei nossa foda, você sabe como dar bem o cuzinho hein.
- Eu? é a segunda vez que eu estou dando.
- Nossa, sério? você da muito bem, deveria ser ator porno HAHAHAHA.
- HAHAHAHA obrigado...
- Gostei muito, quero uma segunda vez.
- Quero tambem, nós vemos por aí.
- Falou, se cuida garoto!
- Se cuida tambem, boa noite!

Então la se vai Marcos, que homem, estou louco para nossa proxima transa, ele tem muita experiencia.

Então este foi o conto, espero que gostem, por favor comentem, e quem for de SC me add aí no msn: jeffree-eddie@hotmail.com beijos!

 

Um código errado e uma boa trepada

Oi meu nome é fabio tenho 32 anos sou moreno claro cabelos e olhos castanhos 1,60mt e 56kg,não sou bonito mas tenho lá meus atrativos tenho a bunda bem redondinha e durinha as pernas grossas e um corpo legal...,ah seis meses mudei para piracicaba pois havia terminado um relacionamento e tive uma otima proposta de trabalho,mas tambem estava todo esse tempo na seca por não sair muito de kasa....Ontem dia 27 de outubro de 2011 me ocorreu um fato maravilhoso,como toda a tarde ligo para um grande amigo em são paulo ontem foi a mesma coisa mas deu caixa postal então falei um monte de barbaridade afim de irritar meu amigo por volta das tres horas da tarde meu celular tocou eu atendi era uma voz maravilhosa se identificou seu nome era marcos.

marcos:boa tarde com quem eu falo
eu:com o Fabio
marcos:é que vc deve ter ligado para o num,ero errado vc deixou um recado na minha cx de mensagem que não era pra mim
eu:desculpa estava deixando uma mensagem para um amigo
marco:não tem nada não desculpas ta
numca ouvi uma risada tão gostosa em minha vida
eu:prometo que não vou mais ligar errado obrigado
marcos:disponha
segui o restante da minha tarde normal quando deu por volta das cinco da tarde fui para ksa fiz um café tomei e deitei no sofá para ver tvpor volta das seis e quinze o celular toca novamente atendi sem olhar o numero pois o programa que estava assistindo estava interessante.
eu:oi
marcos:oi fabio é o marcos que te ligou mais cedo td bem,possso te fazer uma pergunta
eu:td pode sim
marcos:vc é homossexual
eu:sim por
marcos:eu queria muito te fazer umas perguntas posso
nesse momento achei que fosse algum evangelico querendo me dar lição de moral
marcos:vc tem alguma coisa pra fazer hj queria falar com vc
eu:até o momento não
marcos:onde vc mora
eu:em piracicaba
marcos:qual bairro
eu:cecap
marcos:estamos perto pode me encontrar no terminal as sete
tentei disfarçar pois não estava com a menor vontade de sair de ksa..
marcos:é uma conversa rápida eu prometo
eu:ta bom vou tomar um banho e logo estarei lá
as sete e dez cheguei no terminal meu celular tocou em seguida era o marcos
marcos:vc já esta chegando
eu:ja estou no terminal,estou de regata preta e bermuda jeans,quando olhei para o lado vi aquela bela especie negra vindo em minha direção,deu um lindo sorriso e me disse fabio eu sou o marcos ,na hora minhas pernas banbearam de tão bonito que ele era
marcos:vc conhece algum bar por aqui
eu disse não então ele me disse que queria conversar mais reservado e como moro perto do terminal disse que poderiamos ter essa conversa em ksa já com varias intençõeschegamos em ksa marcos prmaneceu lá por mais de duas horas me fazendo tantas perguntas que me sentia num analista por volta das dez ele me disse que ele se achava bi que era casado e que nunca havia tido contato conm outro homem mas que adorava filmes e revistas gay sem demorar disse que tinha que ir na ksa de uma de suas irmãs pois seus pais estavam na cidade e iriam enbora aquela noite nos despedimos abri a porta e ele foi tomei mas um banho e fui dar uma volta no bairro como sempre faço voltei por volta das onze e meia fiz um lanche coloquei meu pijama coloquei um filme mas logo dormi,por volta das duas da manhã meu interfone tocou não qius atender pois achei que pudesse ser algum visinho querendo controle do portão mas acabou me vencendo pela insistencia.quando atendi era o marcos que havia voltado e me disse se podia entrar para não ser desagradavel abri mas não estava com saco para aguentar mais duas horas de conversa mas para minha surpresa marcos trazia uma garrafa de vinho na mão e estava mais lindo ainda com o seu sorriso apaixonante sem dizer nada me deu um beijo enlouquecedor e ficamos nos amassando uns vinte minutos foi ai que ele me falou que desde o momento que ele me viu eu achou que eu fosse a pessoa certa para matar sua curiosidade e me disse que tinha dado um jeito de sua mulher e sua filha irem viajar com seus pais isso me deixou com receio pois nunca sai com um homem casado mas a vontade de ter aquele belo negro era maior,ele abriu o vinho e alternavamos entre goles de vinho e beijos o chamei para ir ao quarto,e fui ao banheiro quando voltei marcos estava apenas de cueca ja mostrando aquela enorme pica negra não pensei duas vezes tirei a roupa e cai na cama nos beijamos mais um pouco e foi ai que marcos disse que queria aprender td comigo,foi muito gratificante quando lhe dei a primeira chupada que seu pau mal cabia na minha boca deve ter 20/6cm muito grosso mas com muito esforço consegui marcos gemia se contorcia como se estivesse num apice de prazer,depois de alguns minutos ele disse que queria me penetrar,fiquei com muito medo pois não dava pra ninguem a muito tempo e com aquele pau ele ia me rachar no meio msa ele me colocou de quatro,eu disse que havia ky na gaveta atras dele,ele pegou me lubrificou e tentou me penetrar por varias vezes e quando ele tentou pela quarta ou quinta vez com muito ky conseguimos mas foi uma dor infernal,p-edi para que ele parasse para eu me acostumar com aquele volume mas marcos estava sendo tão amavel e me falama coisas tão gastosa de se ouvir que logo a dor foi dando lugar ao tesão transamos entodas as posições possiveis ate o momento em que marcos anunciou que iria gosar pedi que ele tirasse a camisinha e gosasse na minha barriga nunca vi tanta porra na minha vida foram quatro jatos que melaram todo meu rosto até os lençois,me levantei e fui me lavar quando olho para porta marcos etava em pé ja com o pau duro perguntando se poderia dividir o chuveiro comigo,começamos a nos beija e marcos me disse que agora queria provar o outro lado no começo quando tentou me chupar foi uma coisa bem incomoda devido a sua inexperiencia mas com o tempo já estava me chupando com a maestria de um bom profissionalquase me fez gosar então disse que queria ser penetrado se colocou de quatro eu peguei a camisinha que ele havia trazido do quarto coloquei mas antes dei uma bela chupada em seu cuzinho marcos gemia urrava se curvava todo de tanto prazer que estava sentindo,peguei um creme lubrifiquei bem seu cuzinho e comecei a por segurei em sua cintura e coloquei de uma vez marcos chorava gritava gemia ,mas o segurei forte pela cintura e não o dei xei escapar depois de alguns minutos naquela posição beijando aquela maravilhosa costa afim que ele relaxasse comecei leves movimentos de vai e vei durou cerca de cinco minutos logo gosei pois não havia gosado no quarto,terminamos o nosso banho fomos para o quarto troquei os lençois e deitamos mas começou tudo de novo ficamos assim ate as seis no quarto ,na sala, no banheiro e por volta das seis e quinze peguei no sono as nove hrs quando acordei para ir trabalhar marcos ja havia ido embora mas me deixou uma bela mesa de café da manha e um bilhete que dizia "não quis te acordar,vc estava dormindo tão gostoso,mas o importante e que adorei,só não muito de dar.quando estiver afim de relaxar e fazer um sexo legal te ligo viu!!!!!obs:adorei transar com um homem foi um bom professor bjs até mais". confesso que essa noite vai ser lembrada por muito tempo pois foi uma das melhores da minha vida....quem morar na região de piracicaba e quiser entrar em contato ou algo mais me mande um e-mail fabiolucio_2006@hotmail.com

 

A viagem mas excitante que eu tive

  

Oiii meu nome e Max Emanoel tenho 18 anos, moro em macapa...vou relatar ah voces uma situação que me ocorreu em uma viajem que eu fiz.       em minhas ferias resouvi ir ah uma cidade que fica proximo de makpa...chamada “laranjal do jari”, viajei eeu e um rapaz que eu namorava na epoca...ao chegar moa na cidade em uma quinta feira, uns amigos meus me ligam me convidado para ir ah uma boate que fazia puco tempo que tinha inalgurado...convidei meu namorado para ir com migo que aqui vou chamalo de “IGOR”...MAS ELE FALOU QUE NAUM IA POIS IA NA KSA DE UNS SUPOSTOS AVOS DELE... entaum eu disse que tudo bem....     

me arrumnei eh sai me encontrei com um amigo meu viado que c chava Ruilkson...nos entramos bebenmos eh ficamos muito louco...apos ah festa nos fomos para ah praça da cidade....ao chegarmos lah....eu reparo de longe oh meu namorado se chupando com outro...ah eu fiquei arrasado...ai oh ruilkson mne deu uma ideia...que naum era p eu fazer nada pois nos iamos dar oh troco...entaum comesamos ah procurar um rapaz que se chama jonatan,.....ate que oh encontramos....começamos a conversa eh conversa....ate que ele nos convidou para irmos ah sua ksa...eh nos prontamente aceitamos........ao chegarmois lah le pediu para que nos tiracemos ah roupa....eh assim fizemos....(jonata eh uma rapaz de 21 anos moreno clarinho, bem alto eh meio forte dos olhos claros)....

Ele entaum tirou sua roupa quando oh vimos nu...começamos ah rir pois ele tinha uma peça aparentimente pequena...entaum oh jonatan disse-voces taum rido agora mas depois voces vaum ver,,,,entaum ele me pegou me colocou de 4 eh se pois ah chupa meu cuzinho que estava apertadinho,,,eh assim ficou por uns 5 minutos....eh nesse 5 minutos eu me retorcia de prazer.....pois estava muito bom...eh equanto ele me chupava todo, meu amigo chupava seu pau...que do nada começou ah cescer eh engrossa....ah eh quando eu vi aquela massaranduba de quase 20 cm me assustei...depois ele me colocou de ladinho eh falou no meu ouvido “naum te preucupa que eu vou com carinho...”mas na hora que ele colocou eh começou ah me bombear eu cair em extase de prazer que aiaiai...ele me trasava em todAS AS POSIÇOES POSIVEIS ....ate de cabeça pra baixo ele me comeu...me senti um ator porno...ate que ele me poiis de 4 de novo eh começou ah me bater taum forte que logo gozei....eh ele continou por mas de 2 horas...fudendo um sexo taum bommmmmm..eh enquanto ele me fudia oh ruilkson filmava.....foi numa coisa taum louca que eu nunk tinha feitoentaum ates dele gozar nos nos colocamos em um 69.....

Ele chupava me cu eh eeu oh chupava .....ate que eu gozei de novo no seu peito eh ele disse p mim eu vou gozar eh eu disse goza na minha boca seu safadinho....ate que vualar....ele gozou na minha boquinhaeh eu me deitei no seu colo.....ele olhou p mi eh falou----eh assim que se fode..eh me deu um beijo na minha boca....eh disse gostou....eh neu disse ....naum eu naum gostei eu amei........       entaum no outro dia eu peguei oh video eh oh regravei em um CD....EH COLOQUEI NO MEU DVD..... eh chaei oh me namorado.....eh mostrei.....nos brigamos eh eu disse p ele eh assim que se poe uma galhada em alguem que se gosta......

Quem quizer me conhecer basta me add no msn: (maxemanoel17@hotmail.com)

beijossss...

 

Dando o troco no maridão

Meu nome é Ângela, sou morena clara, olhos verdes, 1,65m, 26anos, 58 kg muito bem distribuídos. Só quem é mulher sabe o quanto é difícil manter um corpo quase perfeito, porque, perfeito é impossível não é mesmo? São horas e horas de muito sofrimento em academias e de longas caminhadas, sem contar os regimes e outros truques para disfarçar novos defeitos que o tempo impiedosamente nos “presenteia”.
Vamos ao conto:
Sempre que tem uma ocasião especial para se comemorar, como aniversário de um ente querido, festa de final de ano, um feriado prolongado, eu e meu marido o Carlos, temos o costume de reunir a família numa chácara que possuímos na Região Metropolitana de Curitiba, lugar ideal para um final de semana junto à natureza e longe do agito da Cidade grande.
A casa principal da chácara fica no lugar mais alto do terreno. A casa do caseiro fica um pouco ao lado. A uns 50m da casa principal, mais abaixo, ficam três tanques de peixes e uma piscina de água natural, uma delícia no verão. Logo acima dos tanques uns 80 a 100m da casa, temos um pomar com bastantes variedades de frutas, que por ser uma exigência nossa, o caseiro mantém sempre limpo. Logo depois do pomar, o terreno é composto por matas nativas.
Dentre as árvores frutíferas a que mais se destaca é uma mangueira alta e frondosa com galhos chegando quase ao chão, um ótimo lugar para uma metidinha bem gostosa longe do agito do pessoal. Já dei minha bucetinha várias vezes pro meu maridinho de baixo daquela mangueira.
O lugar é ideal para uma rapidinha, pois quando escurece, da casa não da para ver muita coisa no pomar, mas de lá, da para ver todo o movimento da casa.
Neste final de semana resolvemos reunir o pessoal na chácara para comemorarmos o aniversario da matriarca da família a dona Sônia avó do Carlos.
Dona Sônia é um amor de pessoa e querida por todos.
À noite o pessoal estava à vontade, pois rolava muita carne e bebidas.
Notei que meu marido não se separava da Adriana, mulher do meu primo, o Paulo.
Adriana além de ser uma mulher muito linda tanto de corpo quanto de rosto, ela é extremamente simpática, alegre, e extrovertida.
Adriana é morena clara, 1,75m, cabelos encaracolados um pouco abaixo dos ombros, olhos cor de mel, lábios carnudos, peitos bundas e peso na medida certa, nem a mais nem a menos, o tipo de mulher gostosona como os homens costumam dizer.
Adriana é o tipo de mulher que se quiser, tem qualquer homem aos seus pés, é só estalar os dedos que eles vêm como cachorrinhos ao seu encontro abanando o rabinho. Eu não a culpo, pois ela é realmente encantadora.
Meu sexto sentido me alertou para ficar antenada, pois poderia rolar alguma coisa entre Adriana e Carlos naquela noite, e como costumo confiar nos meus instintos, resolvi observá-los à distância.
Lá pelas oito da noite notei que Carlos disfarçadamente caminhava rumo ao pomar, e, minutos depois Adriana desceu também. Eu tinha quase certeza do que iria rolar entre eles, e sabia com exatidão até o local onde Carlos a levaria.
Dei um tempo pra eles e resolvi verificar de perto se minhas suspeitas tinham fundamentos. Não poderia ir pelo mesmo caminho que fizeram, pois se Carlos tivesse levado a Adri para debaixo da mangueira, de lá dava pra ver todo o movimento e com certeza eles fugiriam do flagrante.
Por trás da casa principal tem uma trilha na mata nativa que leva até o pomar, então decidi que tinha que ser por ali que conseguiria chegar até eles sem ser notada, só que estava muito escuro e uma lanterna me denunciaria.
Mesmo morrendo de medo, andei uns cem metros quase na escuridão para chegar onde pensei que estivessem, pois mesmo com iluminação nos tanques de peixes e no pomar, tinha trechos na mata que a luz quase não chegava.
Chegando ao local, tive que fazer o mínimo de barulho possível, pois um ruído mais alto poderia atrapalhar meus planos.
O pomar era iluminado por dois postes bem altos com lâmpadas potentes, e a mangueira ficava quase no final da plantação. Fui me esgueirando por entres as plantas frutíferas, e percebi que minhas suspeitas tinham fundamentos, pois logo ouvi gemidos que vinham da direção do pé de manga, e por ser uma árvore bem fechada com galhos quase até ao chão, não foi difícil chegar bem próximo deles sem notarem minha presença.
Já estava até angustiada para assistir de camarote uma sessão de sexo explícito promovido por Adriana e meu marido no nosso motelzinho particular.
Procurei um ângulo melhor de visão e a poucos metros, vi Adriana apoiada na mangueira de costa pro meu marido com a saia levantada e a bundinha empinada gemendo baixinho enquanto Carlos metia desesperadamente o pau na buceta dela. O tesão dos dois era tanto que Carlos nem se deu ao luxo de tirar a bermuda, apenas abriu o zíper tirou seu pau pra fora e mandou ver na bucetinha da Adri. A minúscula calcinha preta que a putinha usava estava agora quase caindo do bolso da bermuda do meu marido.
Carlos castigava sem dó a bucetinha da Adriana alternando estocadas fortes e devagar, eu vou à loucura quando Carlos faz assim comigo e a vadia da Adri também estava adorando, pois a cadela gemia, jogava seus cabelos pros lados, jogava sua bundinha pra trás, dava pra ver a cara de satisfação do meu marido vendo aquele mulherão com uma bunda maravilhosa rebolando no seu pau como uma cobra mal matada.
Adriana dizia:
- Aiiiii Carlos, que delícia, me fode gostoso, uiiiiiiiiii, eu vou gozar!!!! Der repente o corpo da minha prima começou a tremer e com certeza a vadia gozou bem gostoso no pau do meu marido.
Carlos parou de fuder a Adriana, ajoelhou-se a sua frente, abriu bem suas pernas e caiu de boca sugando todo o gozo daquela bucetinha. Adriana segurava a cabeça do Carlos e esfregava como louca a buceta na cara do meu marido dizendo:
- Carlos, goza em mim pra gente voltar pra casa, pois podem notar nossa ausência.
Carlos novamente se posicionou atrás da Adriana, cuspiu no cuzinho dela, enfiou dois dedos para lacear aquele buraquinho, então retirou seus dedos do cuzinho da Adriana, enterrou o pau na sua bucetinha deixando bem melado, retirou novamente e direcionou pro cuzinho da Adriana, pensei que a vadia fosse reclamar mais a puta arrebitou mais a bundinha para receber o pau do meu marido que não encontrou dificuldade nenhuma para a penetração, a vadia já estava acostumada a dar o cuzinho pros machos dela.
Carlos foi metendo devagar naquele cuzinho, e aos poucos foi aumentando o ritmo das estocadas enquanto Adriana jogava sua bundinha pra trás para receber até o talo o pau delicioso do meu marido.
Cheguei a ficar com inveja da danada pela tranqüilidade e naturalidade que ela recebia o pau do meu marido em seu cuzinho. Lembro que no início quando percebi que Carlos era tarado pela minha bundinha e pedia apaixonadamente para liberar meu anelzinho, confesso muitas vezes cheguei a disfarçar meu choro entre gemidos para que não notasse meu sofrimento quando ele cheio de tesão me botava de quatro e fodia meu cuzinho de forma mais violenta, até hoje, mesmo acostumada com o tamanho do seu pau, ainda sinto certo desconforto mais mesmo assim libero meu rabinho sempre que ele procura, pois acho que o prazer é bem maior que o desconforto e amo sentir um cacete entrando no meu cuzinho, mesmo que seja ocasionalmente.
Mesmo eu e meu marido sendo liberais, confesso que fiquei com uma dor no peito vendo Adriana e Carlos naquela safadeza toda. Uma ponta de ciúme bateu forte no momento, mas mesmo assim meu tesão estava a mil, minha calcinha estava toda molhadinha na parte que cobre minha bucetinha, e eu que não sou de ferro, lentamente me masturbava com dois dedos enfiados na buceta enquanto o polegar massageava meu grelinho que estava inchado de tanto tesão.
Carlos metia forte no cuzinho da Adriana, podia escutar de longe a batida dos dois corpos se encontrando tamanha a força que Carlos a possuía.
Adriana dizia com voz melosa:
- Goza na minha bundinha, goza meu gostoso, fode meu cuzinho fode!!!
Carlos cravou as unhas na cintura da Adriana e socou fundo arregaçando-a e despejando uma quantidade imensa de porra no intestino dela que disse:
- Como você é gostoso Carlos, pena que a Ângela não participa das nossas transas, já imaginou nós quatro juntos? Eu e você, e Paulo com a Ângela?
Carlos respondeu:
- Conhecendo bem a Ângela acho que ela não toparia por serem da família.
- Se não fosse, até poderia rolar algo entre a gente.
Não sei por que Carlos fez esse comentário a Adriana, pois já dei minha bucetinha varias vezes pro meu cunhadinho, e ele sabe disso.
Carlos devagar retirou seu pau do cuzinho da Adriana, e muita porra escorreu por entres as coxas torneadas e lindas daquela putinha insaciável.
Carlos se abaixou e sugou todo o gozo que teimava em escorrer pelas pernas da Adriana. Após ter dado um trato na bucetinha e no cuzinho da Adriana deixando sem nenhum vestígio que os denunciassem, Adriana para retribuir, a joelhou-se e sem nenhum pudor abocanhou o pau do meu marido sugando e limpando por completamente.
Os dois depois de se limparem, saíram sorrateiramente para voltar a casa.
Quando chegaram à piscina, Carlos deu um tempo e Adriana seguiu sozinha.
Logo depois meu marido subiu também.
Ainda estava com a mão acariciando minha bucetinha quando uma voz masculina por trás de mim perguntou:
- E daí, gostou do que viu?
Meu coração quase veio parar na boca tamanho o susto que levei. Dei um grito e se não fosse amparada pelos braços forte do meu primo o marido da Adriana, teria ido ao chão, pois minhas pernas tremiam sem parar.
- Calma Ângela, me desculpa, não pensei que se assustaria assim, calma! Desculpe-me novamente, pensei que tinha me visto!
A voz calma e melodiosa do Paulo de certa forma foi me acalmando e aos pouco fui voltando ao normal.
Ainda envolvida pelo abraço carinhoso do meu primo, fui relaxando e rimos muito logo depois.
- Desde quando você estava aqui? Perguntei.
- Adriana me disse que vinha aqui com o Carlos, então cheguei antes deles.
- Vi quando você chegou, e como não saberia como reagiria fiquei quieto, pois se desse alguma coisa errada sairia sem você perceber minha presença.
- Então você sabia que a Adriana ia transar com o Carlos aqui?
- Sim, não temos segredos entre nós! Sabia sim.
Não sei o porquê da surpresa, pois sei que você e o Carlos também têm um relacionamento aberto, e além do mais, adoro ver a Adriana transando com outro homem, só que tem que ser com meu consentimento é claro.
- Foi o Carlos que te contou sobre nosso relacionamento?
Fiquei em dúvida, pois poderia ter sido meu cunhadinho.
- Foi sim! Há tempos venho falando com Carlos para incluir você também nas nossas transas, pois eu e a Adriana iríamos adorar!
- Gozado, o Carlos nunca comentou nada comigo a respeito.
Eu e o Carlos não tínhamos segredos um com o outro, vai ver que não me contou por ciúme do Paulo ter sido meu primeiro namoradinho na infância.
No tempo que namorei o Paulo ainda éramos crianças, ele ainda era um pirralho.
Nosso namoro na época o que tinha de mais picante era mão nos peitinhos, na bucetinha por cima da calcinha, e eu apertava seu pauzinho também por cima das calças enquanto rolava beijinho na boca.
Lembro do dia que estávamos a sós na casa dele, pois minha tia tinha saído com minha mãe, estava num maior amasso com ele então liberei meus peitinhos pra ele chupar. Inexperiente ainda Paulo me deixou com várias manchas nos peitos tamanhas a vontade que me chupava, fiquei mais ou menos uma semana sem entrar no banheiro com minha mãe até sumir por completamente suas marcas deixadas em mim.
Lembro que quando minha mãe e minha tia chegaram, Paulo correu pro seu quarto para trocar sua bermuda, pois tinha ficado uma mancha enorme nela. Paulo tinha acabado de gozar na minha mão. Também foi a primeira vez que senti o gosto de porra. Sempre tive a curiosidade de saber qual era o gosto, e não perdi a oportunidade de levar a mão na boca pra saber qual era o sabor.
Essa foi à aventura mais picante entre eu e o Paulo. Tempo depois, meus tios se mudaram pra outro estado e perdemos contato, viemos a nos encontrarmos novamente quando éramos todos casados, mais ou menos, uns 15 anos depois.
Agora nós ali naquele local escuro, abraçados, com o tesão a flor da pele após termos presenciado nossos companheiros transando, não precisaria muita imaginação para saber as cenas dos próximos capítulos daquela novela que tinha iniciado há muito tempo, ainda na nossa infância.
Logo Paulo procurou meus lábios e nossas línguas duelavam em nossas bocas enquanto suas mãos passeavam por meu corpo tentando achar os caminhos perdidos que tinham percorrido tempo atrás. Minhas mãos sorrateiramente foram de encontro aquele membro que tinha me presenteado com a primeira ejaculação, na primeira punheta que toquei para um homem na minha vida.
Paulo levantou minha camiseta, abocanhou meus seios e chupava como um bebê faminto querendo saciar sua fome.
Paulo alternava leves mordidinhas nos bicos dos meus seios me levando ao delírio.
A cada toque e a cada carícia, meu corpo correspondia com total plenitude reagindo em forma de espasmos, principalmente quando seus dedos penetraram minha bucetinha já toda meladinha pelo tesão e pelo desejo de senti-lo todinho dentro de mim.
Bastaram alguns toques na minha bucetinha para que gozasse abundantemente molhando sua mão grande e forte.
Paulo sentindo meu orgasmo, se abaixou e rapidamente tirou minha calcinha levando ao nariz para sentir o cheiro de uma fêmea no cio que acabara de gozar ao toque de seus dedos.
Eu ainda de pé apoiada na mangueira, abri minhas pernas para que sua boca e sua língua pudessem explorar o máximo minhas entranhas. Sua Língua brincava com meu grelinho e às vezes sentia ela bem fundo na minha bucetinha.
Paulo sugava alucinadamente minha buceta. Eu gemia gostoso, e com sofreguidão segurava sua cabeça esfregando com força minha bucetinha naquela boca deliciosa que estava me matando de tanto prazer.
Não demorou e meu corpo estremeceu descontroladamente lançando uma enorme quantidade do meu gozo na boca do Paulo que foi engolindo gota por gota como se fosse o líquido mais precioso do mundo.
Minhas pernas bambearam e Paulo ajoelhado segurou firme minhas pernas ainda com o rosto colado na minha bucetinha dando beijinhos nela e fazendo carinho na minha bundinha como forma de agradecimento.
Paulo se levantou me abraçou forte e disse:
- Quanto tempo perdido, meu Deus, como você continua gostosa Ângela!
- Você nem imagina a quantidade de punhetas que bati pensando em você na minha adolescência, principalmente depois que você me fez gozar na sua mão enquanto eu chupava seus peitinhos, lembra?
- Claro que me lembro, pois foi muito difícil pra mim nossa separação, na verdade nunca consegui te esquecer, disse.
- Sabe que naquele dia eu descobri o sabor da sua porra?
Paulo riu e disse:
- Sua safadinha mentirosa, naquele dia você nem chupou meu pau!
- Nem precisou, quando vi minha mão cheia com aquele líquido gosmento, minha curiosidade foi tanta que mesmo com um pouco de nojo, lambi um pouco, portanto, a primeira porra que saboreei na vida foi a sua! Rimos e tornamos a nos abraçarmos.
Após ter me recuperado, me ajoelhei na frente do Paulo e disse:
- Agora é minha vez de te retribuir.
Abaixei a bermuda do Paulo e vi um volume enorme sob sua cueca. Acariciei aquele pedaço de carne por cima do tecido, e quando o libertei confesso que fiquei impressionado com o tamanho daquela ferramenta.
Em tamanho não era muito maior que a do Carlos, mas a grossura daquilo era algo fora do normal, bem maior e mais grossa de quando eu a peguei pela primeira vez.
Na verdade era bem proporcional ao seu tamanho, pois Paulo se tornou um belo exemplar de macho. 1,95m, 105 kg, moreno, pernas torneadas, uma bundinha linda de morrer, braços fortes, abdômen definido, uma caixa torácica de fazer inveja a qualquer homem, enfim, um homem lindo por dentro e por fora.
Segurei com gosto aquela piroca e levei a boca pela primeira vez. Fui sugando a cabeça e punhetando com a mão o restante. Aquilo foi crescendo de forma assustadora que quase não cabia na minha boca, tive que abrir o máximo que pude para agasalhar aquela cabeçona em forma de cogumelo, onde saía um líquido salgadinho delicioso.
Paulo tentava meter na minha boquinha, mais era difícil pra mim, por isso, segurava com as duas mãos o que sobrara pra fora controlando suas investidas.
Eu tirava seu pau da boca e mordia em volta e sempre me deliciando com aquele líquido salgadinho que saía de forma abundante do cabeção daquela rola.
Segurei com as duas mãos e me abaixei lambendo toda extensão daquela tora até chegar aos seus testículos enormes onde engolia um por vez e chupava gostoso.
Paulo gemia e dizia o quanto estava bom minha boca ali.
Sentindo que tinha descoberto seu ponto fraco, não me fiz de rogada e dei um trato caprichado naquela região.
Enquanto minha língua brincava com seu saco escrotal, segurava com as mãos seu pau acima da minha cabeça.
Olhei pra cima e vi a cara de prazer do Paulo que curtia cada chupada que dava em seus testículos.
Com os olhos fechados ele pedia para eu continuar, pois nunca uma mulher tinha dedicado tanto tempo naquela região, dizia que eu tinha uma boquinha mágica e que estava adorando ser chupado por mim.
Depois de um tempo, voltei a dar atenção à cabeça daquela rola sugando e brincando com a língua tentando penetrá-la naquele pequeno orifício de onde saía aquele néctar tão delicioso. Paulo ia ao delírio. Não agüentando mais, Paulo me puxou pelos cabelos, deu um beijo super molhado na minha boca e encostou-me na mangueira.
Com uma das mãos levantou uma de minhas pernas, salivou sua outra mão e meteu três dedos na minha bucetinha que devido ao meu estado de excitação e lubrificação, entrou com folga acendendo ainda mais meu fogo que agora esperava ansiosa para ser penetrada por aquele pau gigantesco.
Paulo tirou seus dedos de dentro de mim, salivou novamente sua mão molhou bem sua rola e pude sentir aquela tora encostando-se na entrada da minha bucetinha que ardentemente aguardava para ser dilacerada por aquele invasor.
Quando senti a cabeçona tentando entrar na minha bucetinha, fui de encontro ao seu corpo para facilitar o máximo à penetração.
Não teve como evitar um gemido de prazer misturado com um pouco de desconforto quando aquela cabeçorra adentrou minha bucetinha. Paulo foi enfiando devagar aquela tora em mim, dava um tempo e forçava um pouco mais. Aquele pau ia entrando preenchendo cada espaço da minha vagina, até que senti a cabeça daquele monstro forçando meu útero, senti também seus testículos colados na minha bundinha e confesso que me deu certo orgulho por ter suportado tudo aquilo dentro de mim.
Naquele momento percebi que mesmo sendo um ser muito mais frágil, tinha o controle total e absoluto sobre aquele homenzarrão que não mediria esforços para tentar realizar qualquer pedido que fizese só para me satisfazer.
Este é um dos super poderes que só nós as mulheres temos, e muitas não sabe usá-los adequadamente.
Aos poucos, Paulo foi iniciando um vai e vem cadenciado, e minha vagina foi se acostumando com aquele intruso. Logo aquele desconforto que me causou no início da penetração, deu lugar a uma sensação maravilhosa, totalmente indescritível.
Minha bucetinha agora bem mais lubrificada recebia com certa facilidade aquela pica maravilhosa que me fazia gemer quando Paulo socava fundo e forte em mim.
Não tenho, não tive, e nunca terei preconceitos quanto a tamanho de pênis, pois nós mulheres sabemos que o tamanho não importa, e sim a cumplicidade do casal e a eficiência que o parceiro nos possui.
Confesso que já tive orgasmos maravilhosos com namorados que não tinha um pau tão grande e nem tão grosso, mas a senssação de sentir um monstro invadindo minha bucetinha, é diferente de tudo que já vivi. Claro que nem todas as mulheres sentirão prazer com um pau enorme invadindo suas entranhas, mas aconselho a pelo menos uma vez na vida experimentar.
Paulo virou-me de costa pra ele. Enquanto me apoiava na mangueira com as mãos, empinava meu rabinho o máximo para receber cada centímetro daquela anaconda dentro de mim.
Paulo metia sem dó aquela tora em minha bucetinha que já não era tão pequena assim.
Eu com uma mão tentava me apoiar na mangueira, com a outra mão tapava minha boca para evitar que meus gritos nos denunciassem tamanho o tesão que estava sentindo naquele momento.
Eu dizia:
- Gooooza Paulo!!! Você está me matando... Não agüento mais... Vou gozar... Uuuuiiii!!!!
O chão fugiu dos meus pés, minhas pernas bambearam e meu corpo foi invadido por uma onda de calor e frio ao mesmo tempo.
Paulo percebendo que estava gozando, com suas mãos fortes e másculas, empalmou meus seios me segurou firme e me estocou forte e profundamente me apertando contra seu corpo. Quando senti seu primeiro jato de porra inundando minha bucetinha, foi como se tivesse ligado um interruptor dentro de mim, a eletricidade passava por meu corpo em forma de espasmos. Paulo me apertava contra seu corpo beijando meu pescoço e minha nuca, enquanto me recuperava daqueles orgasmos múltiplos, alucinantes.
Paulo continuou de pé agora encostado na mangueira, eu de costa pra ele curtia sua boca que mordia meu pescocinho e suas mãos apertando de forma carinhosamente meus seios enquanto seu pênis ainda duro descansava dentro da minha bucetinha.
Após um longo silêncio curtindo aquele momento, Paulo disse:
- Foi bom demais gata, como você é deliciosa.
- Estou adorando você dentro de mim, você também é delicioso!!! Disse.
Paulo se mexeu e seu pau agora mole saiu da minha bucetinha deixando um vazio enorme dentro de mim, também senti uma quantidade enorme de porra escorrer por minhas pernas.
Peguei no pau do Paulo e disse a ele:
- Como ele cresceu né? Não me lembro dele deste tamanho e desta grossura.
Nós éramos crianças na época Lembra? O tempo transformou nossos corpos. Você também passou por uma transformação incrível, está muito mais bonita muito mais tudo.
A mão do Paulo agora passeava por minha bundinha, senti quando ele enfiou um dedo na minha bucetinha molhando bem e direcionou pro meu cuzinho e foi penetrando devagar.
Olhei pra trás e disse:
- Vai tirando seu cavalinho da chuva que meu cuzinho não agüenta esta tora de jeito nenhum.
Paulo sorriu e disse: - Nada é impossível! Adriana também falou que nunca iria agüentar e hoje ela tira de letra.
- Por falar na Adriana, ela fala muito bem de você, que tal se juntar a nós para uma transa a três eu adoraria ver você e Adriana se esfregando, garanto que o Carlos também irá adorar.
- Já pensou nós quatros no mesmo quarto? Trocas de casais, ménage feminino, masculino, dupla penetração, não iria ser muito prazeroso?
- Vou pensar seriamente sobre isso, quando me acostumar com a idéia quem sabe talvez não possa rolar, mas agora vamos nos limparmos para retornarmos pra casa, já é tarde e podem sentir nossa falta.
Após termos nos limpado, caminhamos para os tanques que ficam a poucos metros da casa.
Pedi que Paulo fosse primeiro e fiquei meditando em tudo o que aconteceu ainda há pouco.
Nunca tive interesse sexual em mulher, pois sou apaixonada pelo sexo oposto. Resumindo, eu gosto mesmo é de homem. Gosto de sentir um pau gostoso na minha bucetinha, gosto do gosto da porra na minha boca, de vez em quando um pau entrando bem gostoso na minha bundinha.
Aquela idéia ficou martelando na minha cabeça, se fosse para me iniciar num bi feminino, Adriana seria a pessoa mais indicada para isso.
Adriana além de ser linda, é uma pessoa super higiênica e de total confiança. Acho que não teria dificuldade nenhuma em me relacionar com ela na cama, talvez no início seja difícil pra mim me acostumar ao fato de chupar sua bucetinha, sentir sua língua entrando na minha bucetinha na minha boca e outras coisas que não estou ainda preparada, mas só o fato de ter o consentimento do meu marido e do gostoso do meu primo, tenho certeza absoluta que serei totalmente recompensada no ménage masculino quando teria dois garanhões me possuindo de tudo quanto é jeito.
Gostaria das opiniões das mulheres experientes no bi feminino e também dos homens que sente prazer em ver suas parceiras transando com outras mulheres sem culpa e preconceitos.
Vou esperar amadurecer esta idéia, e assim que estiver preparada e rolar alguma coisa, contarei pra vocês. Ficarei muito feliz em receber comentários e dicas dos leitores, aguardarei ansiosamente por cada um deles. Seja a favor, ou seja, contra.
Beijos a todos e até mais.
Meu e-mail: aventura.ctba@ig.com.br

 

Com o dançarino do BUMDAO

Como prometido (no conto, Um Namorado Maduro) vou dizer como foi o fim da minha noite.
Pra quem leu meu outro conto, sabe que tava de olho num dancarino no CarnaBoi, que a festa que comemora o carnaval aqui em Manaus. Mais detalhes leiam o outro conto.

Eu dancei muito nessa noite depois que encontrei minha amiga Ana. Ela sabia todas as coerografias praticamente e eu ia seguindo os passos dela. (Quando tem essas festas é comum que tenha vairos dançarinos para ensinar aqueles que nao sabem). Pois bem, para ficar junto dela eu tive que mudar de ligar, ou seja, atravessar o sambodramo. Assim acabei ficando longe do meu dançarino. Mas nem liguei. Ainda dei uns pegas nuns carinhas por la. Quando ouve um troca de trios e olho para o palco onde ficam os dancarinos, o 'meu' dançarino do bundao tava la. Cara, eu fui a loucura. Ele ficou bem no meu campo de visao e eu nao tirava os olhos da bunda dele. Peguei minha maquina fotografica e pedi para bater uma foto dele. Ele se virou para mim, fez poze e eu bati. Quando ele se destraiu bati uma dele de costa. Uma amiga dele falou, ele se virou me olhou e riu. Eu contiunuei a dançar... Quando acabou o desfile de um dos trios ele desceu do palco, eu de olho o tempo todo nele. Mas ai eu sai de onde estava e fui para perto do bar e me sentei na escada. Fiquei ali por um tempo. Quando ele aparece. Nos olhamos e dei espaço para ele se sentar do meu lado. Sentou e começamos a conversa. Seu nome era Fernando (ficticio), alem de dançarino era estudante de engenharia e tava estagiando... Trocamos numeros de telefone e perguntei se poderiamos ficar mais a vontade. Ele sem nenhum pudor passou a mao no meu pau e ficou massagendo-o, meu pau começou a dar sinal de vida e a ficar duro. Ele disse que no final da festa se eu ainda estivesse com energia. (...)

A festa terminou realmente era umas 5:30h da manha. Eu tava firme e forte e ia trepar com ele. Minhas duas amigas me oferecerram carona mas eu disse que nao tava com pressa de ir embora e que ainda tinha que 'administra' um corpo. Elas riram e foram embora. Como tinha começado o show do ultimo cantor eu resolvi dar uma volta. Nem olhei para Fernando... Nessa minha caminhada ainda fiquei com uns dois garotos. Quando o trio saiu e ele desceu do palco e ficou a minha procura, apareci por tras dele e disse:
- ce ta me procurando?
- pensei que ja tinha ido... Ele riu
- jamais... to querendo voce desde o começo da festa

(...)

Pegamos um taxi e fomos para o primeiro motel que encontramos.
Chegando la, nem dei tempo pra ele. Joguei na cama e pulei em cima do seu corpo. Beijei-o loucamente. Ele tentou sair dizendo que queria jogar pelo menos uma agua no corpo (questao de saude) tirei toda a roupa dele e ele foi tomar banho. Eu tambem tirei a minha e fui logo atras dele. A porta havia ficado aberta. Ele estava de costa pra mim e começei a me masturba. Quanto mais eu olhava pra bunda dele, mas aumentava a velocidade da punheta. O cara tinha um rabao muito lindo e grande, era um branco alto, forte, maior que eu de certa forma. Tive que parar de bater senao eu ia acabar gozando e a minha porra ia ser toda dele. Ele se virou e perguntei se podia tomar banho com ele. Ele permetiu minha entrada no box, me molhei e ele foi direto ao meu pau (18cm e grosso) cara, foi mto louco. Ele chupava direitinho. Engolia tudo, lambuzava todo o meu pau com a sua lingua, lambia e chupava como se fosse um pirulito. Depois de uns minutos quase pronto pra gozar, segurei sua cabeça e começei a foder a sua boca, e ele dava uma apertada com a boca para que ficasse menos o burraco da boca. Gozei e ele bebeu tudo. Levou tudo a sua boca.
Fomos para a cama e eu começei a chupa-lo, era quase do tamanho do meu, so que mais fino. Depois de uns minutos ele anunciou seu gozo e eu bebi tudinho, e olha que nao foi pouco. Meu pau ja estava duro novamente. Encapei o menino, passei lubrificante em seu rego e com calma fui metendo na posição de frango-assado. Assim fiquei por uns bons minutos. Metia e beijava sua boca, seu peito e o masturbava, seu pau ja tava duro de tando que esfregava meu corpo no seu pau. Meti de ladinho, com mais força e viriliade,m depois pedi pra ele ficar de quatro... Quando eu vi aquela bundona toda pra mim, nao resisti e pela primeira vez eu cai de lingua em um cu. Beijava e mordia sua bunda e ainda dava tapas. Meu pau tava mais duro do que nunca esteve. Com todo carinhos e querendo aquele momento eu meti com todo o cuidado e fiquei admirando toda a sua bunda. Nessa eu fiquei por uns 20 minutos. Quando tava no ponto de gozar aumentei a velocidade e de uma vez puxei meu pau, tirei o preservativo e deixei que minha porra melasse toda a sua costa. Ele tambem gozou. Tomamos banhos, trocamos de roupa e fui deixa-lo em casa. Depois voltei para a minha...

Viva o CarnaBoi!!

By: passivodmanaus@hotmaill.com

 

Mulato avantajado

Tinha tido uma semana fodida e resolvi espairecer. Decidi passar o fim-de-semana num parque de campismo, pensando que sempre podia pintar uma gata gostosa. Lá chegado, aluguei um bangalô, instalei-me e vi que no relvado em frente estava montada uma tenda pequena. Achei de devia ser uma garota sozinha, porque não podiam caber 2 naquele pano apertado. Como era meio da manhã e havia muita gente na piscina, pensei que a gata lá pudesse estar. Resolvi sentar-me a ler uma banda desenhada no terraço do bangalô e esperar. Passada uma meia hora, percebi que alguém estava dentro da tenda abrindo o fecho para sair.

O que saiu da tenda me deixou frustrado. Era um mulato alto e vinha se espreguiçando. O cara tinha acabado de acordar e reparei que devia estar com aquela tesão matinal, porque o pau por baixo do calção estava todo para cima e parecia que queria saltar fora. Nunca tinha atracção por homens e desviei o olhar para ele não perceber e continuei lendo. Passado um bocado, voltei a desviar o olhar da leitura e percebi que o mulatão tinha tirado uma cadeira de lona e tinha se sentado virado para mim. Estava com as pernas entreabertas e fiquei espantado porque a erecção ainda não tinha baixado. Aquilo mexeu comigo e de vez em quando dava uma espiada disfarçada p'ro pau do cara que devia ser um monstro. Onde é que ele ía buscar sangue p'ra uma anaconda daquelas? Continuei dando as minhas espiadinhas e o cara parecia não estar notando. Quando menos esperava, o cara se voltou para mim e perguntou: - Será que você podia me deixar tomar banho aí no Bangalô? O pessoal tá saindo da piscina para o almoço e o balneário deve estar cheio. Fiquei meio encabulado mas não tinha porque negar. Disse: - É claro. Pode tomar seu banho aqui sim. O rapaz, que devia ter uns 25 anos, foi à tenda, pegou uma toalha e dirigiu-se para mim. Abri a porta do bangalô, indiquei-lhe o banheiro e disse para ele estar à vontade. Ele foi tomar banho e, por precaução, eu fiquei dentro do bangalô, sentado na saleta e comecei a fumar. Passados uns 10 minutos ele saiu, só coberto com uma toalha na cintura e aí apanhei o maior susto, porque o pau do cara estava todo apontado p'ra frente. Foi quando ele me disse: - Eu reparei que lá fora você estava olhando muitas vezes para mim. Está faltando algo a você? Será que posso retribuir esse favor que você me fez?

Tentando me desculpar disse: - Impossível não olhar p'ra você. Será que essa coisa não baixa nunca? _ Porque você não experimenta fazê-la baixar? Será que consegue? O convite não podia ser mais directo. Estava com dúvidas sobre que rumo tomar, quando ele deixou cair a toalha. Minha nossa, nem em filmes eu tinha visto uma coisa assim. Era um pau rosado, com as veias salientes, muito grande e grosso, muito grosso. Aí não tinha mais como negar. Eu queria aquele mulato. Ajoelhei-me e fui andando de gatas, lentamente para ele, sem tirar os olhos daquele monumento. Nunca tinha tido nada com um homem, mas naquele momento já tinha decidido que aquele caralho ia ser todo meu. Quando cheguei a ele tirei primeiro a língua de fora e comecei a lamber-lhe a cabeçorra. Passava a língua em círculos e fui tirando aquela gosma inicial que ia saindo do mangalho. Estava adorando. Depois comecei a percorrer a língua por todo aquele comprimento. Ia até às bolas e voltava p'ra cabeça. Umas vezes por cima, outras por baixo e até pelos lados. Eram viagens longas.

O cacete parece que tinha vida. Pulsava. Resolvi então começar a chupar. Abri bem a boca e comecei a enfiar a jeba pela boca dentro. Ao princípio pouco mais que a tola. Mamava um bocado e tirava-a da boca para respirar. Voltava a mamar e de cada vez ia engolindo mais um bocado. Já metia mais de metade do caralho na boca. Estava alucinado. O mulato estava quieto desde o início. De vez em quando só dizia: - Mama gostoso. Mama tudo, não deixa nada de fora. Eu bem que tentava, mas era muita carne. Fui engolindo o mais que podia mas não entrava todo. De repente o cara começou a movimentar os quadris, devagar para eu poder ir controlando. Quando queria que ele parasse, apertava-lhe o que faltava de pau com as mãos. Depois comecei a sugá-lo. Dava 3 ou 4 mamadas e sugava. Foi quando o cara disse: - Assim não vou aguentar. Você quer leitinho na boca? - Se você garantir que depois ainda tem tesão para me comer, quero. Quero dose completa. - Tenho tesão p'ra te comer o dia todo. Então mama que a primeira leitada vai ser na boquinha. Mama cachorro. E eu mamei. Como mamei. Quando ele começou a se torcer, deixei o pau sair e fiquei de boca aberta. Queria ver aquela esporrada. Queria leite na boca, nos lábios, na cara .... E a esporrada chegou. O 1º jacto entrou-me todo na boca. Quando fechei a boca para engolir, o 2º jacto lambuzou-me a cara toda. Que delícia. Mas a cobra não parava. Voltei a meter o pau na boca e arranquei-lhe do caralho o resto do leite. Mamava enquanto ele se vinha. Quando vi que tinha parado deixei o monstro sair. Tinha a boca cheia, mas desta vez não engoli. Olhei para ele e, com cara de safado, deixei escorrer o leite pelo queixo abaixo. Passei-lhe o queixo pelo pau e voltei a lamber a esporra que ficou agarrada. Fiz isso umas poucas de vezes até que a jeba deixou de estar assanhada. Então perguntei? - E aí. Baixei a cobra ou não? Ele riu e disse: _ Baixou, mas não por muito tempo. Levanta que você merece um trato especial. Deite-se de costas aí na mesa. Deitei-me como ele mandou, com o rabo na beira da mesa, pensando que ele me ia comer logo de seguida. O mulato tirou-me os calções e as cuecas e agarrou no meu pau que estava em pedra.

Não estava entendendo nada. Será que um garanhão daqueles gostava de variar? Gostava. Foi o melhor broche que me fizeram na vida. Ele lambia, chupava, mamava, de vez em quando deixava a língua correr até ao buraquinho do cu, dava uma rodinha no buraco e depois enfiava a língua até onde podia. Quando eu disse que assim ia acabar por gozar ele me mandou segurar. Disse: - Agora vem o melhor. Levantou-se e foi ao banheiro. Foi aí que vi que ele já estava outra vez em ponto de bala. Voltou com o pau untado de sabonete. - Assim vai custar menos. Tem a certeza que quer enfrentar este inferno? - Quero. Me fode logo e deixa de paleio. Ele me agarrou no cacete e começou a punhetá-lo. Foi encostando em mim e começou a pincelar-me o cu com o cacete cheio de sabonete. - Anda logo. Mete-me essa anaconda até aos colhões. Acaba com o meu cu. Comigo na posição de frango assado, ele começou a forçar a entrada. Estava difícil. - Força essa merda, porra. Enraba logo esse cu, ou você agora virou boiola, disse eu para o desafiar. O mulatão deu uma estocada e meu cuzinho virgem engoliu, duma vez só, metade do cacete. Dei um berro que se deve ter ouvido no campismo todo. A dor era terrível. Parece que tinha sido rasgado. Ele ficou parado uns momentos. Eu tinha lágrimas nos olhos. - Aguenta, veado. Não disse que queria? Agora vai ver o que é sofrer. E começou a bombar. A princípio devagar. Muito devagar. Eu sentia o cu todo preenchido. Ele voltou a punhetar-me e foi aumentando o ritmo. Cada vez mais depressa e cada vez mais fundo. A dor foi passando e o prazer começou a vir. Com a punheta que ele me fazia eu estava tendo a melhor foda da minha vida. O ritmo agora era alucinante. Quando senti os colhões do mulato a encostarem no meu cu, não aguentei mais e vim-me todo por cima da barriga. Nunca me tinha vindo com um pau atolado no rabo. Duplica o prazer.

- Agora quero-te comer de quatro, disse ele. Tirou o caralho, baixou-se e abocanhou o meu pau sujo de langonha. Deixou-o limpinho e, quando nos levantámos os dois, tascou-me um beijo de língua. Cada um de nós provou o sabor da esporra que o outro tinha na boca. A própria esporra. - Queres que me venha dentro ou fora, perguntou ele. - Quero dentro e fora. Não disseste que me fodias o dia todo? - Então, logo à noite chega um amigo meu, será que podíamos estender isto a todo o fim-de-semana? - O teu amigo também é avantajado? Ter um cacete na boca e outro no cu, passou a ser o meu sonho. - Vira-te. Já é conversa a mais. Quero rebentar esse cu. Não vai sobrar nada p'ró meu amigo. Em vez de me virar logo, baixei-me e voltei a mamar alucinadamente. Quando me pus de gatas ele enfiou-me logo o caralho até ao talo. Mas agora já estava acostumado. Foi só prazer. Sentir a Jeba a entrar, centímetro a centímetro, até os colhões encostarem aos meus, punha-me louco: - Fode, caralho. Rebenta-me. Enche-me o cu de leite. Esporra-te todo dentro de mim. Ele aumentava o ritmo. Meu cu estava invadido. Cheio. Feliz. Comecei a sentir a jeba ficar mais rija. E senti os jactos. Parecia que estava a levar um clister.

Esteve tempos intermináveis a vir-se dentro de mim. Quando tirou o caralho, voltei-me rapidamente a abocanhei-o. Queria sentir outra vez o gostinho do leite dele.

cowboyinsolente@aeiou.pt

 

Um macho chamado Paulo - parte VII (pedido de namoro e menage)

Eu nem aguentava responder, estava exausto, mas tinha sido bom, aguentei dois caralhos enormes, aquela porra quentinha escorria pelas minhas coxas e aliviava o meu cuzinho, enquanto o Marcelo foi se lavar, o Paulo recolhia aquela porra e esfregava no meu corpo, eu me virei de frente prá ele e pedi um beijo, eu estava tão mole, entregue, então ele me abraçou forte e me beijou, dizendo que eu tinha um cu de respeito, aguentou dois caralhos, dois rojões dos grandes, eu me aninhei no seu peito e olhei para o relógio da cabeceira, passava das três da manhã, adormeci, ambos adormecemos, o Marcelo, quando voltou do banho, nos cobriu e deitou do outro lado, ele disse que tinha esporrado tanto que o saco tinha grudado de tão murcho, sonhei que eles me chamavam de cadelinha e eu respondia au au ....

Acordamos no domingo, olhei em volta e não vi o Marcelo, o Paulo ainda dormia e ainda me abraçava e me encoxava, dormimos abraçados a noite toda, tentei sair de baixo dele, mas seu braço era pesado, e quando me mexi mais ele se aconchegou mais, aos poucos percebi que ele se mexia, e sem se levantar perguntou se eu estava bem, eu disse que sim, mas estava todo melado, ele percebeu e disse que estava tão satisfeito que não teve vontade de tomar banho, conversamos um pouco mais e ele queria saber se eu estava satisfeito com a experiência.... eu disse que sim, e perguntei qual a opinião dele ........ ele queria saber se aquilo tinha sido uma prova para saber qual macho eu escolheria ...... passei a provocá-lo para saber se ele estava com ciúme ...... aaaaahhhhh mais ou menos, eu não tenho nenhum namorado, é chato ficar por aí solto, sem compromisso ........ percebi que ele estava incomodado ..... então ele disse assim: ...... olha o Marcelo parece muito legal, todo charmoso, mas ele é playboy, você precisa de um homem mais velho e responsável para ficar com você ....... aí, eu perguntei: .... aahhhn quem se interessa por mim? os caras só querem trepar comigo ...... mas ninguém quer namorar ...... ter compromisso ...... então ele falou que gostaria de namorar comigo, mas não sabia se eu estava interessado ...... então eu perguntei, porque ele nunca me ligava, passava dias ou semanas para aparecer, e só ligava para marcar transa ..... ele disse que viajava muito ... eu sei, eu disse, mas não existe telefone nos lugares onde você vai? ..... ele reconheceu e disse que ia procurar ser mais atencioso e nisso me abraçou bem forte e senti sua pica crescendo no meio das minhas nádegas ......protestei porque meu cuzinho estava dolorido, mas ele não aceitou e tentou e tentou até que conseguiu me penetrar, naquela posição de conchinha, de ladinho, ele me comeu bem devagar, e logo depois gozamos juntos, levantamos para nos lavar, e enquanto isso ouvíamos risos vindos lá de baixo, olhei as horas e já passavam das 11 da manhã.

Depois do banho descemos de mãos dadas, e as meninas estavam nos esperando, a Jandra disse que ainda não tinham tirado a mesa do café, tinha pães, sucos, frutas e ela foi preparar um café fresquinho para nós. Perguntamos dos outros e a Jennifer respondeu que a maioria tinha ido embora, só estavam ela, a Jennifer e a Lara, nós dois, a Talita e a Rose. Todos deixaram um abraço e o Marcelo disse o Paulo e o Pedrito faziam um casal bonito e deixou um beijo. Deixei o Paulo conversando com as meninas e fui até a cozinha, a Jandra estava esperando para eu contar como foi, eu disse que agora não dava tempo, mas contava os detalhes depois, marcamos de jantar na segunda, falei que tinha sido uma delícia, fiquei todo ardido, mas adorei e o Paulo me pediu em namoro. Disse que os menages tinham que acabar. Aí a Jandra contou sobre a noite dela, disse que a Lara foi maravilhosa, e ela deixou que fizessem dupla penetração, voltamos juntas para a varanda, com risinhos de cumplicidade e tomamos o café, as meninas perguntaram se queríamos ficar até a tarde e aproveitar o sol que estava muito gostoso....... aí eu olhei para o Paulo e disse ..... bom, ele que decide ........ ficamos até o fim da tarde, passamos uma tarde maravilhosa, o Paulo estava todo amável, tomamos sol abraçados e brincamos um pouco na piscina, aos poucos ele foi se inteirando da amizade das meninas, fomos embora antes do anoitecer, ele me deixou em casa e foi para a casa dele.

No dia seguinte, ele me ligou, dizendo que passou um fim de semana adorável, me desejou bom dia, dizendo que me avisaria se fosse viajar. Á tarde liguei para a Jandra, combinamos de sair e conversar, nos encontramos à noite no Shopping, ela me contou sobre a noite com a Jennifer e a Lara, foi interessante, disse que marcaria festinhas como essa de vez em quando.

Os dias foram passando, o Paulo passou a ligar mais vezes, passou a me buscar no serviço muitas vezes, por isso passei a usar táxi de vez em quando e deixava o carro em casa, comecei a dormir mais vezes no apto dele, que além de mais perto do trabalho, era menos complicado para mim, pois ele não dava satisfações a ninguém, aos poucos fui me acostumando ao papel de "namorada", apesar de não saber cozinhar, eu preparava o café da manhã todos os dias que dormia lá, ele tinha uma empregada, a Neide, de muitos anos que fazia tudo para ele, no começo ela teve dificuldades em me aceitar, depois aos poucos pegamos um pouco de amizade, fiquei sabendo que há muito tempo o Paulo não levava um homem para casa, ela aceitava que ele fosse gay, mas não se acostumava com visitas, e antigamente ele só levava garotões, eu era o primeiro cinquentão que aparecia, ela me contou que um desses dias "ele" havia dito que eu era discreto, não bebia e não aprontava, por isso, ele passou a gostar mais de mim, ele não gostava de garotões com trejeitos de bicha louca que fizessem escândalo nas boates ou nos restaurantes, "querendo aparecer" ...... pensei muito nisso .........

Já se haviam passados 6 meses desde aquele dia em que começamos a namorar, as festas na casa da Jennifer eram frequentes, mas fazia tempo que não fazíamos menage, eu tinha vontade de repetir, mas não queria sugerir, queria que o convite partisse dele.....

Realmente o Paulo mudou bastante, me ligava quase todos os dias, me avisava das viagens, ligava ou escrevia de onde estava, e passei a dormir no apto dele muitas vezes, algumas vezes uma semana inteira, praticamente eu já tinha levado algumas roupas para poder trabalhar, e em casa eu usava só calcinha e camisola, eu tinha vontade me montar para transar, mas ele dizia que só calcinha estava bom, nos dias em que eu dormi no apto dele com ele viajando, a Neide me ajudava a me montar e eu dormia montada, no dia seguinte, depois do banho, ela guardava minhas roupas, fomos ficando um pouco íntimas, mas ela tinha realmente dificuldades de compreender, mas sempre me tratava bem, mas de vez em quando sentia falta do meu espaço, do meu cantinho...... então voltava para o meu apto, e outra coisa dura de suportar era visitas os amigos ou parentes ......

Teve um feriado, numa terça-feira, que minha empresa estaria fechada, emendando a segunda, e como ele era arquiteto, iria para o RJ, me convidou a ir para lá, ficar numa pousada em Paraty, poderíamos ir no sábado, ele faria uma apresentação da segunda e voltaríamos na mesma segunda e teríamos a terça para descansar ......adorei a novidade e contei para as meninas, fiquei ansiosa para esse dia chegar.... era a primeira vez que ele me levava para viajar com ele... os dias foram passando, e eu me preparei para passar esse feriadão com ele, nem sempre ficávamos o fim de semana todo, que diria um feriado prolongado......

Na semana desse feriado eu já tinha repassado a depilação e aproveitei para fazer as unhas, sobrancelhas, ia passar 4 dias com meu namorado, não precisaria ficar fingindo e nem se preocupando, pois não encontraria nenhum conhecido, além de algumas roupas normais de "sapo" para sair, levei algumas roupinhas para usar intimamente, na sexta ele foi me buscar no serviço e saímos para jantar e depois dormimos no apto dele, saímos as 10 da manhã, fomos de carro mesmo, pois não era muito longe, 3 ou 4 horas só, lá chegando, ele foi direto para uma pousada, um pouco longe do centro da cidade, num local bem tranquilo, rua estreita, arborizada, a pousada era grande e parecia ser bem luxuosa, fizemos o chek-in e levamos as malas para o quarto, tomamos um banho e fomos almoçar, depois passeamos pelo centro histórico, ao cair da tarde voltamos, ele perguntou se eu queria sair para jantar mais tarde ou pedir no quarto, preferi pedir no quarto, então ficamos abraçados assistindo um pouco de televisão, agora eu estava de calcinha e camisola, porque ele já tinha se acostumado e, então, ele perguntou sobre o Marcelo .... notei um pouco de apreensão na voz dele ...... respondi que eu tinha avisado o Marcelo que resolvemos começar um namoro mais sério e nunca mais o vi .... ele pareceu satisfeito, pois seu semblante mudou na hora ...... e você não tem vontade de repetir as menages, ou suingue, .... eu disse que não queria fazer suingue, porque implicava em trocar de parceiro, mas gostaria de fazer menage outra vez, mas não com dois homens, só se fosse ele e uma travesti ...... não quero mais repetir com dois homens ......então ele falou porque eu não pedi antes ..... eu disse que tinha vontade, mas que não ia morrer por isso, e se fosse de surpresa eu ia adorar .... mas tinha que ser travesti ..... nem homem e nem mulher ......

Mais tarde ele fez uma ligação para pedir jantar, perguntou se eu gostaria de beliscar algumas porções, porque pratos a la carte só no restaurante ..... eu preferi porções ....... uma hora depois, alguém bate na porta e eu fui abrir, quando abri fiquei paralisada, era uma travesti, alta, morena, com um micro-vestido preto e botas altas, muito bonita, ela sorriu e disse assim ..... oii surpresa!!! sou o presente de vocês, posso entrar??? ...... olhei para trás e ele estava de braços cruzados, com um sorriso safado na boca ......voltei prá ela, sorri e disse .... claro!! pode entrar .......... então ela se apresentou ...... era Tiffany, com um tremendo sotaque carioca......... ele desligou a TV e apagou a luz, deixando apenas o abajur, ela sentou-se numa poltrona e tirou a roupa, eu deixei a camisola na outra poltrona e me deitei junto do Paulo e ela do outro lado, eu já fiquei morrendo de tesão pela noite que ia começar, ......
.............. e a Tiffany começou a me beijar, eu virei de frente para ela e o Paulo passou a me dedar no cuzinho, depois ele me chamou para eu mudar de lado e chupar o pau dele, ele ficou no meio e a Tiffany veio ajudar, em poucos minutos, eu e a Tiffany chupávamos o pau dele, chupávamos, lambíamos, as vezes nos beijávamos, em poucos minutos o pau dela estava duríssimo, e ela me chamou para chupá-la e ela ficava no Paulo, eu por baixo chupando a pau dela, que era um pouco menor mas grosso também, e vi ela engolindo o Pau do Paulo de uma vez, depois o Paulo mandou eu sentar no pau dele, eu sentei e agasalhei o pau dele de uma vez, sem doer, e enquanto eu rebolava no pau dele, ela veio chupar minha pica, não demorou muito e eu gosei na boca dela, ela sugou tudo e me beijou, forçando-me a engolir minha própria porra, ..... o Paulo estava deliciado, mandou ela se deitar e eu chupá-la de quatro, pois queria me enrabar, e deito e feito, ele foi enterrando aquele caralho enorme no meu cuzinho, e ela foi enfiando o pau na minha boca, e o Paulo dava estocadas fortes .... começou a me fuder, devagar, me abrindo, me rasgando, ............. aaaiiii que pau grosso, que eu aainda sentia ele raspando, me alargando, então senti que ele enfiou até o fundo, eu balançava o quadril e enfiava o pau da Tiffany todo na minha boca e quando eu levantava a bunda ia de encontro ao caralho do Paulo, o Paulo chamou a Tiffany para dividir meu cu com ela, e eu comecei a gemer, ele enfiava seu pau com mais força, sentia chegar na garganta, depois era a vez dela, eu gemia avidamente, me agarrava aos lençóis, sentia suas coxas em minha bunda e sentia o tremor de suas pernas a cada estocada dela, ...... eu gemia, rebolava, estava delicioso, o Paulo com o caralho atolado na minha bunda me dava tapinhas e ela bolinava meu pintinho, o Paulo mandou eu virar de frente, de frango assado, e mandou ela me comer primeiro, ela enterrou seu pau no meu cu, e foi avançando, e me olhando, era muito gostoso, eu me contorcia, gemia, então quando ela enfiou até o talo, o Paulo meteu no cu dela sem dó, senti ela abafar um gemido, gostei de ver ela trincando os dentes, ao receber o caralho do Paulo, aquele caralhão enorme, então ele começou a bombar e acada estocada eu sentia ela me estocar também, ela foi se largando e se aproximou do meu rosto me beijando, a cada estocada do Paulo ela sufocava um gemido e me beijava, seus olhos denunciavam que ela estava curtindo muito, então o Paulo anunciou que ia gozar, tirou do cu dela e esporrou em minha barriga e ela mais que depressa se punhetou para esporrar também, me lambuzou todo, no rosto, no peito, na cama, era porra prá todo lado, eu estava extasiado, mas queria mais, não estávamos cansados, então resolvemos tomar um banho para relaxar .... aiii eu estava adorando tudo aquilo ...... no banho nos beijamos muito, ficamos nos roçando, fui uma excitação geral, voltamos para a cama para recomeçar tudo de novo, só que o Paulo já tinha planos ...................
................... na cama a Tiffani me beijou, profundamente, ansiosa, enquanto estávamos abraçados nos beijando, o Paulo começou a lambuzar meu cuzinho com creme, enfiando os dedinhos, tentei me virar, mas a Tiffany não deixou, ficamos nos beijando até o Paulo mandar, ela parecia recuperada agora, então a Tiffany deitou e o Paulo mandou eu sentar na pica dela, mas sentar de frente para ele, dando as costas para ela e então o Paulo veio me beijar, eu estava um pouco tenso, queria saber qual a novidade, eles sabiam disso, senti o pau dela na minha portinha, a cabeça era grande e o pau grosso, ela foi forçando devagar, agora já não doía, ela forçava o corpo para cima e eu rebolava e pedia para ir devagar, o Paulo me beijava, eu gemia, sentia meu cuzinho engolir aquele pau super gostoso, quando entrou a cabeça, fiquei mais aliviado, e fui escorregando devagar, suavemente até sentar totalmente, com meu cuzinho agasalhando aquele caralho, grosso e gostoso, e eu rebolava, estava adorando, o Paulo não parava de me beijar e agora me punhetava também, eu só soltava uns gemidos enquanto ia rebolando em cima daquele pau lindo, eu sentia meu cuzinho abrindo, alargando, aquele membro duríssimo, grosso, me rasgando,então ela puxou meus braços para trás, bem devagar, e foi me abraçando, me segurando, eu me deitei em cima dela, senti seus peitos duros nas minhas costas, ela me abraçava e me acarciava os mamilos, então o Paulo levantou minhas pernas e apoiou em seus ombros, fiquei totalmente imobilizado, deitado em cima dela, a mercê deles, eu arfava, gemia, estava adorando, só então percebi a intenção dele, esperando pelo pior comecei a pedir para não fazer aquilo, não estava preparado e tinha medo de não aguentar, ............ mas tinha vontade de experimentar, de receber mais, de levar no cu mais, de ser fodido mais, ........ então a Tiffany dava soquinhos com a pélvis para cima e a cada avançada, eu sentia uma pontada dentro do cu, ...... nessa hora o Paulo parou, foi descendo seu corpo sobre mim, eu não lutava mais, eu só queria me preparar para o meu cuzinho acostumar, para que não doesse, ele então me beijou, os dois me beijavam agora, eu gemia baixinho, a Tiffany acariciava meus cabelos, eles foram me acalmando, o Paulo então enfiou um dedo, as lágrimas escorriam do meu rosto, não de dor, de medo, .........sem tirar o pau da Tiffany do meu cu, e ficou me alisando, depois enfiou dois dedos, a Tiffany me segurava num abraço apertado, o Paulo me olhava se deliciando, eu ainda estava assustado com o que ia acontecer, mas estava aguentando firme, então ela relaxou e ele passou mais creme e começou a enfiar o pau dele junto com o dela, mesmo devagar a dor era grande, então tentei me soltar, mais lágrimas .............. aaaaiiiiiaaaiiii, para Paulo, ............... aaaiiiiii, meu cu estava levando dois caralhos grandes de uma vez, era uma dupla penetração, eu estava com medo, pensei que ia me machucar, mas ele me fitava com um sorriso safado, sussurrava para eu me acalmar e ela também, me beijava o pescoço e a orelha, os dois me acalmavam, não doía tanto agora, eu estava tensa, comecei a gritar ................. aaiaiaiiiiiii, para, tô com medo, vai doerrr, ................ aaaaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiii ......... eu tô com medo ...............aaaaaaaaaaaiiiiiii ele foi enfiando devagar, o medo era maior que a dor real, mas eu não conseguia me controlar e gritava, .... engasgava ...... aaaaiaiaiaiaiaiaiaiii .......... ele pedia para eu relaxar ...... então ele continuou enfiando .... bem devagar ....... ele enfiou tudo, e suas coxas batiam nas minhas, enquanto isso a Tiffany me segurava e me lambia o pescoço, a sua rola enorme se mexia com a do Paulo, eles arrombavam meu cu sem dó,......... mas bem devagar para a pica dela não escapar, sua pica enorme e grossa, me fazia tremer, ........ aaaaaiiiiii ......... então ele pegou no pinto e eu senti que ele estava duríssimo, eu comecei a sentir tesão agora, a dor estava passando, então eles me apertavam e eu de pernas abertas, com o meu cu totalmente a mostra para o Paulo, ele começou a tirar bem devagar e meter de novo, os dois metiam em mim, já não tinha forças nem para gritar, eu suava e gemia baixinho, minhas lágrimas secaram e um tremor me percorria de cima a baixo, e o Paulo bombava bem devagar, eu estava totalmente preenchido, com duas picas grossas no meu cu ao mesmo tempo, com o cu arrebitado para cima, então senti que ia gozar, .... mas o Paulo parava a punheta e depois recomeçava, meu pau estava tão duro que parecia que ia estourar.... então pedia ele para gozar logo ...... aaiiii Paulo ...... ......goza logo.... Pauloooooooo goooozzzaaaa ......... eu também quero gozaaaarrrr ....gozaaaaaa ....... foi então que a Tiffany avisou o gozo, e antes que ela explodisse em porra, o Paulo me punhetou velozmente, ela segurando meus braços, ele avisou para gozarmos ao mesmo tempo, ele urrava e enfiou tudo no meu cu, com muita força, soltei um gritinho, quando me tensionei para gozar, ....... aaaaaaaaaaiiiiiiiiiii quero gozzaaaaaaaaaaaaarr... .... aaaaaaaahhahahahhahhhhhhhhhhh eu gozei e ..... senti os dois paus inundando meu cu com uma porra quente, e eu recebi tantos jatos de porra no cu que até vazou, então ele me soltou e ela com o pinto meio amolecido me virou de lado, deitamos um pouco para nos refazer, eu estava no meio, a Tiffany lambia meu pinto, todo o restinho de porra que eu tinha deixado, e o Paulo me beijava, depois de um tempo nos arrastou para um banho de banheira, fomos os três, agora meu cu ardia, eu andava com dificuldade, passei a mão, senti ele alargado, arrombado, eu estava tão mole, que sentei do lado do Paulo e caí no colo dele, doía para sentar, nos lavamos, nos chupamos, nos lavamos, nos beijamos, ele ria e eu estava com cara de menina assutada, ..... ele falava..... ah para Pedrito, eu sei que você gostou, tá doendo, mas você está com cara de realizada, levou picas no cu, como nunca, .... para de manha, .... e fizemos um monte de sacanagens e voltamos para a cama sem se enxugar, passei a mão no meu cu, estava literalmente arrombado, então a Tiffany massageou meu cu com um creme para aliviar a dor, aos poucos foi melhorando, aquela traveca tinha um pinto poderoso..... então, como eu estava com o cu prejudicado, o Paulo mandou eu chupar a pica dela e colocou ela de quatro, e começou a fuder ela com furia, e ela aguentava firme as investidas dele, quando ele enterrou o caralhão dele no cu dela de uma vez, ela pediu arrego e suspirou, e a cada estocada dele ela gemia, eu chupava aquela piroca grossa e pedia ao Paulo para foder sem dó com ela, ela não resistiu nem vinte minutos e esporrou dentro da minha boca, e o Paulo, urrando, dava cada estocada nela que dava para ouvir as coxas dele batendo nas nádegas dela, até que ela não aguentou e mesmo segurando os gemidos, soltou alguns gritinhos, eu chupava o pau dela, que estava amolecendo, ela estava perdendo as forças, e desabou sobre mim, eu a abracei e o Paulo bombava com mais força e ela não resistia, estava entregue, quando ele esporrou dentro dela, ela estava abraçada a mim, respirava forte, ofegante, eu procurei a boca dela para beijar e ela se entregou num beijo profundo, enquanto o Paulo dava as últimas estocadas e depois se virou do lado, abraçamos ele e ficamos um tempo parados, olhando para o teto....... estávamos satisfeitos ...... então perguntei se ela iria dormir conosco..... ela disse que sim, que só iria embora no domingo .....

 

Pedrita
apedrito007@hotmail.com

 

Um macho chamado Paulo - parte VI (outro menage)

..... estávamos ofegantes, pelo esforço, pela entrega, continuamos abraçados, ambos suados, ficamos assim algum tempo ... até a pica dele amolecer .... eu me sentia plenamente realizado, meu cu alargado e esporrado, me sentia realizado, plenamente, adormecemos nessa posição, ......... sonhei com o Paulo e com o Marcelo ...... agora sei ... que queria dar para os dois na mesma noite, não sei se vou aguentar, mas eu quero muito, muito, eles eram parecidos, carinhosos, ..... eu iria gostar muito.... ................... vai ser duro esperar até o fim do mês ....................

Na sexta de manhã o Marcelo me deixou no trabalho, depois do almoço me mandou um torpedo dizendo ..... "você estava maravilhosamente delicioso" ..... corei, estava numa reunião e os colegas notaram, fizeram piadinhas rápidas, mas ninguém percebeu e logo voltamos ao foco.... depois que saí do trabalho, resolvi cuidar do visual, pois já fazia um mês que não me depilava e alguns pelinhos já teimavam em aparecer, então me dei esse presente ......

No sábado, após o café da manhã, liguei para o Paulo, conversamos um pouquinho, eu reclamei das sumidas dele, ele disse que era porque viajava ao trabalho, então perguntei se ele não queria ficar em casa neste sábado, poderíamos pedir uma pizza e se divertir um pouquinho.... ele disse que viria, por volta das seis .....

Quando ele chegou eu estava de calcinha preta e uma camisola branca, abri a porta e ele me beijou ternamente, e me deu um caixinha de presente, eu abri e era uma pulseira de madrepérola, ele disse que imaginava que eu gostaria, porque vivia usando calcinha, então ficamos conversando um pouco, perguntei se ele gostaria de me ver montada algum dia, ele disse que não sabia, só vendo a primeira vez, e ele gostava de ver como homem, mas afeminado, viadinho, usando calcinha já era bom, mas se um dia acontecesse, ele experimentaria, mas não hoje, de surpresa talvez, então pedimos a pizza e preparei uns drinks até chegar, ele tomou um conhaque e eu fiz uma saquerinha de kiwi para mim, depois chegou a pizza, e durante o jantar tomamos vinho branco, e ele mais relaxado contava algumas piadinhas, algumas sem graça outras boas, então quando percebi que ele estava meio alto e eu também rsrsrsrsrss, perguntei se ele já tinha saído com mais de uma pessoa. ........ aahahhhnn, tipo menage??? .... sim, eu disse, ........... aí ele respondeu com uma naturalidade que me surpreendeu........... bom, quando eu era mais novo fazia muito, depois fui perdendo a vontade, ... sabe, às vezes é difícil, perdemos a noção de amizade, acabamos por gostar mais de um que do outro, nunca fiz com estranhos, sempre com conhecidos, às vezes amigos mesmo, mas de tanto repetir acaba surgindo algum problema, mas porque você pergunta???? está com vontade?????? quer experimentar?????

Agora foi a minha vez de surpreendê-lo, contei para ele minhas aventuras com as travestis e depois com a Jennifer e a Jandra, percebi que ele ficou enciumado, e ele disse se eu teria saído com mais alguém, além dele lógico, então falei sobre os encontros com o Marcelo, sem revelar seu nome, percebi que ele estava ficando bem vermelho, ou era raiva, por ciúme, ou já estava bebendo demais .... então, ele me puxou pelas mãos em direção ao quarto, largamos a mesa do jeito que estava e ele disse ..... que eu ia ter o suficiente para não sair com outro....

Ao chegar ao quarto ele me jogou na cama e pulou sobre mim, nos beijamos novamente, como da primeira vez, então, eu sussurrei para que ele se livrasse da roupa e tirasse a minha também ... ele me deixou de calcinha e ficou totalmente nu, ele ficou me acariciando o rosto e me beijou novamente, abraçou-me e deitou sobre mim, senti seu membro, muito duro entre minhas coxas, ele então me despiu a calcinha, e beijou minha barriga, me virou de bruços e beijou minhas costas e foi descendo, mordiscava minha bunda enquanto falava que ia me comer muito, como eu nunca tinha sentido, chupou meu reguinho e lambeu meu cuzinho, eu já estava apreensiva e pedia para ele não ser bruto, ele disse que não me machucaria nunca e então me entreguei de vez, e fiquei rebolando para ele, gemendo, suspirando, antes que ele começasse a me penetrar, pedi novamente para não me machucar, ele me beijou a nuca e disse que seria muito carinhoso, que eu relaxasse, ele não iria me machucar ... então ele lubrificou meu cuzinho por dentro, enfiou um dedo e brincou, lambuzou meu cu, enfiava e tirava, eu só via estrelas, estava me deliciando, então ele enfiou dois dedos e disse que era para eu fechar os olhos e aproveitar, pediu que eu relaxasse, ele ficou com os dedos massageando minha próstata, fui me largando, me entregando, estava muito gostoso, então de repente ele parou e senti a cabeça do seu pau procurando sua entrada, começou a penetração, bem devagar, mais devagar que as outras vezes, fazia tempo que eu não era penetrado por ele, ele procurou me acalmar, colocou os dois travesseiros por baixo de mim e minha bunda ficou mais empinadinha, passava a mão em minhas costas, eu respirava fundo, ofegava, ele recomeçou, senti que a cabeça de sua pica tinha entrado, não doía, ele perguntou se era melhor parar, eu disse que não, queria que ele enfiasse tudo, mas ele falou que era só um pouquinho de paciência, ele me beijou, aos poucos meu cuzinho foi se acostumando, bem devagar, senti sua pica me invadindo, bem devagar, sentia grossura dela, me preenchendo, as vezes comparava com o Marcelo, ele parava e depois recomeçava, eu queria muito dar meu cu para ele e para o Marcelo juntos, queria sentir dois homens me comendo, dois machos me dominando, me penetrando, queria ser fêmea de dois, e ele estava sendo tão paciente, tão carinhoso, aaiii ... senti sua coxas grudarem nas minhas, ele enfiou tudo em mim, sentia seu pau todinho em mim, chegava a sentir ele bater no ventre, doía mais agora, mas meu corpo pulsava e eu estava adorando dar meu cu, ele me disse que adorava eu ser apertadinho, então ele tirou um pouquinho e enfiou de novo, aaaaiaiaaiiiiii assim dói .... e ele começou a fazer assim, cada vez com mais força, a cada estocada eu me remexia, tremia, sentia seu pau me atravessando ao meio, não era grosso, mas era muito comprido, ele iniciou os movimentos, bem devagar, tirava bem devagar e enfiava de uma vez, eu me contorcia, doía mas eu pedia mais, ele aumentou a frequência, mais rápido agora, mais rápido, eu gemia, rebolava, as estocadas cada vez mais fortes, doíam um pouco, eu gemia, sentia seu pau tão duro, ele enfiava fundo, a cada estocada eu chegava a pular, ele me beijava, sussurrava em meus ouvidos, ...... dizia que queria me fuder muito, me fazer seu viado, eu já estava entregue, sentia sua pica sair e voltar, ele não parecia cansado, sentia ele cravar fundo sua pica em mim, o seu peso sobre mim, me sufocava e abafava meus gritinhos, eu gemia cada vez mais alto, cheguei a gritar e ele forçava mais, aaaaiiaiaiiiii eu gritava, queria dar meu cu todinho prá ele, mas a cada estocada ele alargava meu cu e chegava mais fundo, eu gritava ... me dá sua pica, enfia no meu cu, então ele gritava, .... toma seu viado, sente essa pica no cu, eu estava molhado de suor, não resistia mais, não pulava, apenas um tremor percorria meu corpo, e ele naquele ritmo, devagar, ele ia tirando devagar, bem devagar, quase parando e se soltava, deixava o peso do corpo empurrar aquela pica enorme no meu cu, entrava bem fundo dentro de mim, a cada estocada eu apenas gemia, estava sem forças até para gritar, acho que já tinha gozado duas vezes, então pedi para ele gozar de uma vez ...... ele então mandou eu implorar ....... obedeci, num fio de voz eu dizia .... iaaiaiiii Paulo, goza por favor, não aguento mais, você me arrombou todinho.... não escutei, repete.... aaaiiii Paulo, por favor, goza logo vai, goza..... então ele gritou .... Porra!! que merda de viadinho é você?? eu mandei você implorar... entendeu??? implorar..... então eu tentei mais uma vez, falei com uma voz afeminada, bem viadinho mesmo....... Paulo, por favor, goza no meu cu, vai meu macho goza, eu estou implorando, goza, por favor, eu imploro.... ele ria, ele tava bombando em cima de mim, fazia um tempão, .... então senti que ele tremia todo, senti sua pica inchar e ele gritar, um urro, parecia um urso, um bicho, então ele gozou, me inundou de porra, aquela porra quente, grossa, muito quente, que eu conhecia tão bem, continuou esporrando,se largou em cima de mim, jogou o peso todo por cima de mim, então sua respiração diminuiu, eu senti seu leitinho no meu cu e seu corpo no meu, ambos suados, ficamos assim algum tempo ... até a pica dele amolecer .... eu me sentia plenamente realizado, então ele falou ..... gostou seu viadinho, gostou???? ainda quer experimentar dois caralhos de uma vez??? ele estava em cima de mim, eu sentia meu cu alargado e esporrado, eu sentia meu corpo liso raspando junto ao dele todo peludo, me fazia arrepiar, me sentia a própria fêmea, subjugada, conduzida, penetrada ..... e felizzzzz ... sentia sua porra escorrer para minhas coxas, disse que sim, que queria dois machos, que aguento muito mais, vou aguentar muito mais ........... amanhã seria outro dia .....

Acordamos bem tarde no domingo, e tomamos café juntos, e ele falou que se eu quisesse ter uma experiência com outro homem, que ele aceitaria, que eu poderia convidar outro homem, desde que fosse uma pessoa do bem, fiquei contente .... senti que ele falava com uma pontinha de ciúme .... e fiquei comparando os dois ..... não sabia me decidir de quem eu gostava mais ..... Marcelo ou Paulo ... Paulo ou Marcelo ....... não sei porque queria decidir, estava bom essa vida sem compromisso, estava experimentando tantas novidades ... então lembrei que uma amiga me falou ................. "as novidades são boas enquanto são novas, depois disso podem se tornar entendiantes, ou até perigosas" .......

As semanas se passaram e minha amizade com a Jandra e a Jennifer aumentaram, a Jandra sempre me ligava e perguntava das novidades, saímos algumas vezes, ou para um lanche, ou para um programa de "meninas", pois íamos num studio onde eu me montava, depilava, fazia as unhas, normalmente esses programas eram às sextas-feiras, pois depois eu ia direto para casa e me desmontava em casa, ela me contava como estavam os preparativos para a festa, os machos deveriam levar as bebidas e a carne, e as fêmeas fariam as comidas, isso me obrigaria a dormir na casa delas um dia antes, para ajudar na cozinha, como eu não tinha habilidades culinárias, iria virar a faxineira da cozinha, foi muito engraçado, porque tive que usar uniforme de empregadinha sexy, imagine só, tive que lavar pratos, passar pano na cozinha, fiz tudo de salto alto, meia fina e muito mais, foi uma diversão, mas eu conto melhor depois ......

Marcamos para a última sexta-feira daquele mês, as fêmeas chegariam antes, os machos só no sábado, por volta das dez da manhã. Os trios eram, Ricardo, Talita e Rose; Sonia e a Jane e uma mulher que conheci naquele dia chamada Cris; a Jennifer, a Jandra e uma travesti muito feminina chamada Lara; Eu, Paulo e Marcelo; o André e o Ricky e um amigo deles Rubens; as fêmeas escolhidas foram a Rose, a Jane, a Jandra e a Lara, eu e o Ricky, os outros seriam machos, O Ricardo e a Talita (a travesti do caralho enooorme), a Sonia e a Cris, a Jennifer e a Lara, o Paulo e o Marcelo; e o André e o Rubens. Todo mundo já se conhecia, só o Paulo que não conhecia ninguém.

Chegou o tal dia, sexta a noite, estávamos todas lá, a Rose, a Jane, a Jandra, ordenaram que eu e o Ricky deveríamos ficar montadas o tempo todo, então, a Jandra foi cuidar de nós e a Rose e a Jane foram para cozinha, eu me montei de empregadinha sexy, salto alto, meia fina preta, calcinha preta, uma mini saia preta com renda branca, uma blusinha preta de mangas, peruca, maquiagem, um avental branco e uma tiara de renda branca na cabeça, e o Ricky estava de biquíni dourado, saída de praia branca quase transparente que ia até as coxas, de peruca loira, maquiagem, parecia uma menina, porque ele era todo franzino, delicado mesmo, e ele não escondia, e ficamos assim, ajudando e se divertindo. As meninas prepararam várias saladas, petiscos, molhos, pois não queríamos ter trabalho no dia seguinte, os rapazes chegariam cedo, com bebidas e a carne e nós não faríamos mais nada, antes da meia noite, estava tudo pronto, as meninas estavam exaustas e resolvemos tomar um banho e dormir, fomos para os quartos, cada uma de nós tinha um quarto, todos muito parecidos, com banheira, camas grandes, só o quarto da Jennifer é que era bem maior, então me desmontei e entrei na banheira, para relaxar um pouquinho, meia hora depois tomei um ducha bem quente e fui dormir. Combinamos de acordar cedo para tomar um café, antes que eles chegassem.

Acordamos por volta das oito e meia, eu praticamente desci ao mesmo tempo que a Rose, descemos juntas, pois a Jandra, o Ricky e a Jane, já estavam nos esperando, eles estavam na varanda, em volta da mesa, recheada de gostosuras, torradas, queijo branco, suco de laranja, café, geleia de amora negra, melão e melancia em fatias, estava uma delícia, tomamos café e ficamos conversando, esperando os meninos, ajudei a tirar a mesa pois não tinha ajudado no café, ficamos nos sofás da varanda conversando, quando os rapazes começaram a chegar.... o Ricardo, a Talita, a Jennifer e a Lara chegaram primeiro e depois os demais foram chegando, o último a chegar foi o Paulo. eu o apresentei a todos deixando o Marcelo por último, percebi que o Paulo estava meio sem jeito, mas de vez em quando saía para buscar alguma bebida e deixava os dois a sós para conversarem...

A festa foi muito legal, ninguém abusou da bebida e aos poucos o pessoal foi subindo para os quartos, quando começou a escurecer, eu peguei o Paulo e o Marcelo e os puxei para subir, a Jennifer, a Jandra e a Lara ficaram por último, dizendo que fechariam as portas e subiriam logo em seguida, no corredor ouvíamos alguns sussurros nos outros quartos, o pessoal já estava se esquentando, quando entramos no quarto, o Marcelo disse para tomarmos um banho de banheira para relaxar, então fomos trocar de roupa, o Paulo ainda estava um pouco acanhado, e o Marcelo aproveitava para provocar, passava a mão em minha bunda e elogiava minha pele lisinha, entramos na banheira e eu fiquei entre os dois, aos poucos a espuma foi subindo, eu procurei o pau dos dois e comecei a alisar, então o Marcelo puxou meu rosto e me beijou, demoradamente, eu apertava aqueles dois caralhos com as mãos, e então o Paulo também tomou a iniciativa de me beijar, eles alisavam meu peito e eu beijava ora um ora outro, então o Marcelo se levantou exibindo aquele caralho grosso, duro, em ponto de bala e me pediu para chupá-lo, eu fiquei de joelhos e comecei a chupá-lo demoradamente, então o Paulo passou a acariciar meu cuzinho, com os dedos, ora enfiava um, ora só brincava na portinha, então pedi para trocarem de lugar, resolvi que deixaria os dois loucos, antes que conseguissem gozar.... enquanto chupava o caralho enorme do Paulo, o Marcelo é que me enfiava os dedos.... e ficamos assim um tempinho, revesei com os dois, não deixando que gozassem ..... então fomos para a cama.

Pulamos sobre os lençóis, nem nos enxugamos, eu estava no meio dos dois agora, virei recheio de sanduíche, o Marcelo me beijava sofregamente e eu sentia seu caralho no meio de minhas coxas, e o Paulo me beijava a nuca e sentia seu caralho forçando minha bunda, mas sem encontrar a portinha, em dado momento, eles pareciam se abraçar e forçaram-se um contra o outro e eu no meio, sentia-me sufocar, e Marcelo pediu que eu virasse e o chupasse num 69, e enquanto ele chupava meu pau o Paulo mordiscava minha bunda e enfiava sua língua no meu cu, eu chupava o Marcelo demoradamente, para ele não gozar, então ele mandou eu virar e chupar o Paulo, e fomos invertendo, eu chupava os dois e parava, eles estavam percebendo e o Paulo disse, agora vamos comer esse viado, senão não vamos gozar ....... eles me viraram de quatro e colocaram os travesseiros por baixo de mim, deixando meu cuzinho apontado para cima, o Paulo foi o primeiro, passou gel e foi forçando a entrada, meu cuzinho já estava acostumado, pois tinha levado muita pica nas últimas semanas, o Marcelo sentou na cabeceira da cama e me fez engolir sua pica grossa enquanto o Paulo me comia, o Paulo sabia como me conduzir e repetiu a dose de enfiar depressa e tirar devagar, eu gemia e sufocava com o boca cheia de caralho, com as minhas mãos segurando as coxas do Marcelo, o Paulo fazia como queria, meu cuzinho a mercê dele engolia aquela pica enorme, ele me dava tapinhas quando tirava a pica bem devagar, com as pernas abertas e o cu arrebitado para o Paulo, eu não tinha mobilidade, e ele me segurava pelas ancas e fincava sua pica com força, a cada estocada eu sentia sua pica me invadindo por dentro, parecia que eles queriam que as picas se encontrassem dentro de mim, com as mãos presas, o Marcelo dirigia minha cabeça como queria, me fazendo engasgar várias vezes, levantava meu rosto para eu encará-lo e ele perguntava se estava gostando, nem dava para eu responder, porque ele logo enfiava aquela piroca grossa na minha boca, a cada encontro das coxas do Paulo na minha bunda fazia um barulho parecido com tapas, ficava cada vez mais alto, e eu sentia ele cravando sua pica bem lá no fundo, eles estavam rindo, porque os gemidos do quarto ao lado pareciam miados, então o Marcelo falou, bom se lá eles tem uma gata, aqui nós temos uma cadelinha, e ela já vai se revelar, então ele deu a volta e pediu para trocar de lugar com o Paulo, então o Paulo foi para a cabeceira pegou minha cara e aproximou daquela pica enorme e enfiou na minha boca e mandou chupar .... enquanto eu chupava o Marcelo se preparava para me comer, e fez de maneira bem sacana, aproximou a cabeçona do meu cu e foi forçando, bem devagar, mas sem parar, sua pica era mais grossa que a do Paulo, senti minhas pregas soltando, senti meu cu rasgando, para acolher aquele caralho enorme de duro, então ele me dava tapas e falava late cadelinha, late cadelinha ....... eu gemia, com o caralho do Paulo na boca, não podia nem respirar, então o Paulo tirou o pinto da minha boca e mandou eu latir ...... então eu disse que não ...... então o Marcelo enfiou de uma vez e eu sem esperar gritei de um jeito que não deixava dúvidas, doeu, aaaaaaaiaiiaiaiiii .......aaaaaiaiaaiaiiiiiii .... não me machuca, então ele falou, se você latir eu não repito, e foi tirando a pica de novo, bem devagar, o Paulo segurava meus braços, ....... e ele deu outra estocada aaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiii.......... por favor, de novo não tá doendo.. . ... então late!!!! .....e foi tirando de novo, eu pensei em me virar, mas ele agarrou na minha cintura e o Paulo segurava minhas mãos tão forte ..... é um ..... é dois . ....aaiai au au au..... comecei a latir e eles deram risada, e ele foi afundando sua pica no meu cu, bem devagar e depois ele foi me acariciando ... até a dor diminuir ..... eu estava com o cu ardendo, e o Paulo me puxava e enfiava seu pau em minha boca e quando tirava eu latia .... au au au ......então ele me punha a chupar de novo e o Marcelo enfiava e tirava bem devagar, mas socava bem fundo, devagar mas sem paradas ......quando o Paulo percebeu que eu já estava sem forças ele saiu da cabeceira e se juntou com o Marcelo e eles ficaram metendo no meu cu, um de cada vez, um tirava era vez do outro, eles metiam de uma vez, eu estava praticamente jogado em cima dos travesseiros, então o Marcelo avisou que ia gozar e o Paulo se apressou e os dois gozaram, dentro do meu cu, nunca tinha recebido tanta porra junto, me esporraram todinho, não só no cu, na bunda e nas costas, caí de lado, com o cu em brasa, e o Paulo me abraçou por trás, e perguntava, cadê o viadinho que virou cadelinha cadê.... eu nem aguentava responder, estava exausto, mas tinha sido bom, aguentei dois caralhos enormes, aquela porra quentinha escorria pelas minhas coxas e aliviava o meu cuzinho, enquanto o Marcelo foi se lavar, o Paulo recolhia aquela porra e esfregava no meu corpo, eu me virei de frente prá ele e pedi um beijo, eu estava tão mole, entregue, então ele me abraçou forte e me beijou, dizendo que eu tinha um cu de respeito, aguentou dois caralhos, dois rojões dos grandes, eu me aninhei no seu peito e olhei para o relógio da cabeceira, passava das três da manhã, adormeci, ambos adormecemos, o Marcelo, quando voltou do banho, nos cobriu e deitou do outro lado, ele disse que tinha esporrado tanto que o saco tinha grudado de tão murcho, sonhei que eles me chamavam de cadelinha e eu respondia au au ....

 

Pedrita
apedrito007@hotmail.com

 

Um macho chamado Paulo - parte V (convite)

A Jennifer por ser mais pesada estava no meio dela e ela com as pernas abertas e abraçada por mim estava indo a loucura, seu ventre subia e descia, ela gritava, gritava, escapava dos meus beijos e pedia para ser fodida, mas a Jennifer judiava dela, só com as chupadas e os dedos enterrados no cu dela, então, de repente, ela explodiu em gozo, como eu nunca tinha visto, ela se contorcia, pulava, gemia e a Jennifer com um sorrisinho maroto me olhava de lado ....... foi lindo .... mágico .... uma mulher gozando .... de tanto ser chupada ...... caímos exaustas ... sabe lá que horas eram .......... ficamos entregues e adormecemos do jeito que estávamos .............................

Depois desse fim de semana, os dias passaram voando, os dias se transformaram em semanas, saí algumas vezes com o Paulo, mas notei que ele só liga quando quer marcar de sair, nunca liga depois e some por dias, ele não parece o tipo distraído, ele está mais para egoista, sinceramente, é horrível mesmo, só o Marcelo ligou, perguntou se eu estava bem, que queria me ver de novo, ligou várias vezes, mas surpresas das surpresas, na quinta o Marcelo me manda um presente por um motoboy, fiquei apreensivo, porque na empresa ninguém sabe que sou gay, e a recepcionista toca no meu ramal, me chamando para ir buscar um "presente", graças a Deus, era uma caixa de tamanho médio, embrulho sóbrio, pequei a caixa que não era pesada e voltei ao meu depto, fui ao banheiro e abri, era uma camiseta polo branca, com um bilhete que dizia assim:

"não quero lhe constranger, o verdadeiro presente está embaixo da camisa, a camisa é para mostrar aos outros, quero jantar com você hoje, só ligue para xxxx, se for para desmarcar, se aceitar não faça nada, me espere em frente ao shopping às 18:30hs, " .......

fiquei emocionado, ele pensou no meu bem estar, logo logo todos os colegas saberiam que eu recebi um presente, e seria esquisito receber algo comprometedor, o verdadeiro presente era uma calcinha preta, que imediatamente guardei no bolso, eu fiquei ansiosa, tinha um outro bilhete que dizia .... "você é um homem maravilhoso. M." ...... esse bilhete espantaria qualquer dúvida no trabalho, pois quando sai do banheiro fizeram mil perguntas e mostrei a camisa e o bilhete, as moças adoraram e os rapazes, maldosos, disseram que era eu quem tinha que mandar presente, pois "quem come é que tem que presentear", as moças protestaram, dizendo que as mulheres são independentes e presenteiam se quiserem, conversamos mais de meia hora, depois tudo voltou ao normal e esqueceram de mim, o resto do dia foi entediante, papéis e mais papéis, e o relógio parecia não querer trabalhar, as horas não passavam simplesmente se arrastavam, então, depois de muita espera, chegou as 18:00, e saí voando .......

Ele passou alguns minutos depois, eu entrei no carro e ele me cumprimentou, falou que iríamos num bar gay, ali próximo, e que ficaríamos a vontade para namorar. Eu descansei minha mão em sua perna e ele passava a mão em mim ao trocar a marcha, era bom revê-lo, ele foi super carinhoso aquela noite, e ligou várias vezes, ao contrário de ..... bom, os leitores sabem de quem ...... só de pensar no Paulo me dava raiva, pensei que se começasse a sair com o Marcelo mais vezes, poderia esquecer o Paulo...... Chegamos e deixamos o carro no valet, entramos, era um lugar aconchegante, meia luz, muitas mesas ocupadas, o que significa pouca atenção em cima da gente, porque eu ainda não estava acostumado a sair em público, tinha medo que alguém me reconhecesse, mas num lugar desses, seria bem difícil, mas eu me preocupava ............ estava nesses pensamentos, com ele me guiando pelas mãos, sentamos num dos cantos mais afastados da porta, perto de um pilar e próximo do balcão de chopp, quando a garçonete virou as costas, ele me abraçou e me beijou, a surpresa me deixou mole e só pude retribuir, foi um beijo quente, ardente e senti suas mãos vigorosas me apertando os ombros....... chegaram nossas bebidas, começamos a bebericar e conversar, só bobagenzinhas para passar o tempo, .......... ele me convidou para passarmos a noite juntos, e eu perguntei, porque só agora, depois de tanto tempo, porque não ligou e me convidou antes, então ele disse ........... bom, na verdade, eu pensei muito no dia da festa na casa da Jennifer, e quero te convidar para fazer um ménage ..... fiquei espantado, e ele me contou que pensou várias vezes naquela conversa, que gostaria de fazer ménage e que ele percebeu que eu não tinha experiência, e queria curtir junto comigo ..... fiquei espantado e perguntei, mas com quem mais?? você me disse que não tinha compromisso (namorado para ser mais claro!!!) como assim????? ...... então ele disse que realmente não tem namorado, mas isso importa????? ... tenho amigos, e meus amigos vão dar uma festinha, e o tema da festinha é exatamente .. ménage... só ficam os que estiverem em 3, os que não conseguirem vão embora, e adivinhe quem está promovendo a festa? .... olhei para ele com cara de interrogação?? e arrisquei .. o Ricardo e as travestis?? ... quase, disse ele, as travestis e a Jennifer....., fiquei pasma! .... então elas gostaram (pensei comigo), interessante .... e quando vai ser, quem vai etc etc etc .... então ele me disse que seria no fim do mês, e elas querem convidar 15 pessoas, pois elas tem só 5 quartos, ... (ah! coitadinhas, só 5 quartos, que pobreza né, vai ver por aí as pessoas têm 50 quartos, que coisa!!!!). .... ahhh tá eu disse, e se eu topar, quem será o terceiro? .... aí é que está o problema, eu não sei, como eu não sei se você aceitaria, não pensei em mais ninguém, mas gostaria de iniciar você ..... você gostaria de ser só passivo ou os dois??? ....chegou nossa comida......

Esperamos a garçonete sair e eu respondi que queria ser só passivo, e falei que tinha uma novidade para ele .... ora, ora, então me conta, o que é .... AAAAAHHHHH, QUE DELÍCIA, agora foi a minha vez de deixar ele de boca aberta, enquanto comíamos, fui relatando, pausadamente minhas duas primeiras ménages, e ele não acreditava, ah ah ah, foi muito engraçado, e eu tive uma ideia diabólica, pensei em juntar o Marcelo e o Paulo ...(aiaiai, parece que estou com ciúmes dele) .... então disse que lhe apresentaria um amigo, e ele poderia me apresentar algum amigo também, tínhamos até o fim do mês para pensar .... comemos e fomos embora.... passei em casa e peguei umas roupas, pois combinamos de eu passar a noite com ele ....

Assim que chegamos, ele disse, que não precisava me montar, só usar a calcinha, notei que sua sala era bem grande, sofás espaçosos, então fomos direto ao chuveiro, ... eu entrei, e olhei ao redor, tinha banheira e ducha, ele fechou a porta e me puxou, me encoxando e beijando meu pescoço, tiramos a roupa e fomos para a ducha, nos ensaboamos e brincamos, ele me beijou várias vezes e eu me ajoelhei para fazer um boquete, mas quando começou a endurecer parei, só queria atiçar ele, ele deu tapas na bunda por ter deixado o "serviço pela metade" eu ri e nos enxugamos, ele me levou ao quarto, muito simples, decoração sóbria, cama box, simples mesmo e eu gostei, ele não parecia extravagante nas coisas e objetos, me ajeitei na cama e fiquei esperando, estávamos totalmente nus, vesti a calcinha preta, ele veio por cima de mim e me abraçou, seu peito peludo contrastava comigo, todinho depilado e me beijou e fomos nos beijando, aquilo foi esquentando, e ele me colocou para chupar seu pau, e disse .... ou faz um serviço direito ou vai apanhar .... eu respondi ..... sim senhor!!! imediatamente senhor!!! engolia ele todinho, ele crescia e já não cabia todo em minha boca, como sempre ele estava com os pelos aparados, limpos, estava muito cheiroso, a medida que eu chupava ele crescia e endurecia, eu passava a língua em volta cabeça, sentia o gosto da baba que escorria, já tinha esquecido como o pinto dele era tão grosso, e a cabeça, vermelha, lustrosa, era muito grande e muito bonita, eu chupava e lambia e chupava mais ainda, engolia suas bolas, .... ele gemia. ... segurava minha cabeça e enfiava sua pica cada vez mais fundo, quase engasgava, mais pela grossura.... então, ele começou a socar mais rápido, gemia, se contorcia .... eu sabia que ele ia gozar na minha boca, ele inundou minha boca com muita porra, engasguei um pouco mas engoli tudo, estava gostando, eu fiquei com o rosto babado de porra, ele me lambeu todo, e me beijou, me abraçou forte, e nos beijamos demoradamente, senti que seu pau ainda meio mole meio duro, ele levabntou e ligou a TV e o vídeo, colocou um filme gay, eram só ménages, assistimos um pouco, eu já estava me acostumando com essa ideia, então ele me pediu para virar e fiquei de lado, ele começou a me lubrificar, enfiava um dedo no meu cú, me alisava, passava bastante gel, lubrificou o pau e começou a falar me minha orelha, que ia me fazer de viadinho a noite toda, viadinho só para ele, começou a forçar no meu cuzinho, a cabeça dele era bem grande e seu pau era bem grosso, ...... senti que, tinha entrado a cabeça, não doía tanto como na primeira vez, e então lembrei do Paulo, e nos últimos dois meses eu saí muitas vezes e meu cú estava se acostumando, eu pedi para ele ir devagar, não estava doendo, mas era charminho e ele me atendeu, forçava um pouquinho e parava, sentia ele me rasgando, ...mas estava gostoso, continuei fazendo charminho e comecei a notar que isso excitava mais ele .... .aaaiiii, aaaiii Marcelo, dói, seu pau é muito grosso .... ele parava sussurrava nos meus ouvidos, ......... tá bom, seu viadinho, eu vou devagar, tá bom assim viadinho, ta bom???? e continuou, bem devagar, enfiando, eu sentia cada prega do meu cuzinho se alargando, estava muito gostoso, não doía tanto, só um pouco, porque o pau dele era realmente muito grosso, e essa noite seria só prazer, nas últimas vezes eu senti muito menos desconforto que no começo, e continuei meu joquinho .... aaiiii iii iii, que caralho, ai caralho grossso, aiii iii ii, senti quando ele enfiou tudo, seu corpo estava coladinho ao meu, seu caralho, grosso, duro, estava todinho dentro de mim, eu estava suando, sentia seu peito, sua barriga, seus pelos todinhos se esfregando em minhas costas, estava uma delícia, .... tá sentindo minha pica, tá seu viadinho????...... tôoo eu disse, tô Marcelo ..... ssshhhh, fala o nome do seu macho fala ....... aaai Marcelo, eu sou todo seu, me fode vem ......eu sei, espera que vou comer seu cuzinho todinho, relaxa .... sshhh ... relaxa ........... seu abraço era quente, forte, sentia seus braços me apertando contra seu corpo, a dor que era mínima foi diminuindo aos poucos, comecei a relaxar, meu cuzinho estava se acostumando ... ele começou bombar, bem devagar, tirar um pouquinho e enfiar de novo, bombava bem devagar, com carinho mesmo, ....... senti sua pica me invadindo, bem devagar, sentia grossura dela, estava gostando muito, me preenchendo, as vezes eu pedia para parar, depois ele recomeçava, apesar de não sentir mais dor, eu queria dar àquele macho a sensação de estar me dominando, ele estava sendo tão paciente quanto da primeira vez, tão carinhoso, aaiii ... ele enfiou tudo em mim de novo, ia cada vez mais fundo, cada vez mais rápido, sentia seu pau todinho em mim, meu corpo pulsava e eu estava adorando dar meu cu novamente prá ele, eu me remexia, rebolava, a dor já não incomodava, ele continuava, bem devagar, tirava e enfiava, eu me contorcia, pedia mais, ele ia mais rápido agora, mais rápido, aiaaaiaiaiaiaaiiai me come Marcelo, come seu viadinho, fode meu cuzinho, eu gemia, rebolava, nós suávamos muito, fazia calor e meu cuzinho ardia em brasa, sentia seu pau tão duro, ele enfiava fundo, a cada estocada eu chegava a pular, ele sussurrava em meus ouvidos, ...... dizia que queria me fuder muito, que eu era um viado muito gostoso, ele gostava de comer viado de calcinha, .... fala que é meu viadinho, fala .......... aiaiai eu sou seu viadinho, eu sou viadinho do Marcelo, ...... enquanto eu gritava, sentia sua pica sair e voltar, eu gemia muito alto, pedia mais pica, mais pau, meu cu era todinho dele, a cada estocada ele alargava meu cu mais ainda, ........ sente esse caralho no cu, ele dizia ......... eu estava adorando, quando dei por mim tinha gozado entre minhas pernas, mas meu pau estava meio mole e meio duro, e estava quase gozando pela segunda vez, gozando pelo cu, então ele parou, senti espasmos no seu corpo todo, ele me apertava contra ele, sua pica crescia atolada no meu cuzinho, não aguentei e dei um grito maior ainda, aaaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii vou gozaaaaaaaarrrrrrrrrrrrrrrr e então........ eu estava me esporrando todo, todo melado, quando senti seu grito rouco e abafado, junto com um aperto e ele parecia ter conseguido enfiar um pouco mais, sentia seu pau no meu ventre,......... então ele gozou, encheu meu cu de de porra,.... continuou esporrando ..... esporrando e gritando ...... aaahhhh aahhhh aahhhh viado gostoso, ..... aaahahh viado puto ........ .estávamos ofegantes, pelo esforço, pela entrega, continuamos abraçados, ambos suados, ficamos assim algum tempo ... até a pica dele amolecer .... eu me sentia plenamente realizado, meu cu alargado e esporrado, me sentia realizado, plenamente, adormecemos nessa posição, ......... sonhei com o Paulo e com o Marcelo ...... agora sei ... que queria dar para os dois na mesma noite, não sei se vou aguentar, mas eu quero muito, muito, eles eram parecidos, carinhosos, ..... eu iria gostar muito.... ................... vai ser duro esperar até o fim do mês ....................

 

 

Pedrita
apedrito007@hotmail.com

 

Um macho chamado Paulo - parte IV

E depois nos beijamos os três, foi uma farra daquelas, novamente nos lavamos, mas dessa vez voltamos para cama para dormir, dormi abraçado com a Rose e a Talita me encoxando...... eu estava com o cuzinho todo assado ... nem o Marcelo e nem o Paulo me deixaram assim .... ia precisar descansar meu cuzinho alguns dias ..... não vou aguentar outra surra de pica seguida rsrrsrsrs ..........

... acordei no sábado de manhã, notei que estava só na cama, totalmente nu e coberto apenas pelo lençol, me espreguicei e fui ver as horas ...... aaaaaaaaiiiiiiii, minha nossa !!!!!!! já passava das 11 da manhã, procurei minhas roupas e não achei, vesti a calcinha e o robe e fui ao banheiro, aaaiaiii meu cuzinho estava todo ardido, sentei prá fazer xixi, aiiii que delicia, é tão gostoso fazer xixi sentado... aiai ahh ... bom, me lavei e desci para procurar "as meninas", a cozinha vazia, na sala não estavam, fui procurar na varanda .... cheguei e encontrei a Jennifer fazendo topless numa espreguiçadeira e a Jandra estava mais na ponta, deitada numa esteira acolchoada e totalmente nua, então eu disse .... Bom dia!!! bom dia, meninas!!! .... a Jandra quando me ouviu, deu um salto de gata e correu prá me beijar, pegou em minhas mãos e me fez sentar no sofá pedindo que eu contasse "tudinhoooo" ....
a Jennifer me deu dois beijinhos e perguntou se eu queria café, pois elas tinham acabado de tomar um café, eu disse que sim ..... então, a Jandra, sem soltar minhas mãos, me pedia, conta, conta, conta tudinho....

Então eu contei, o máximo que pude sem corar, ela perguntou se eu tinha gostado e eu disse que sim, então perguntei, ... mas e você? você tá tão eufórica, você gosta??? ... então, de repente ela ficou com o rosto bem triste e disse que até tentou, ela disse mais ou menos assim
.......Olha Pedrita, eu não me sinto bem, sabe a a Jennifer tem vontade de vez em quando, mas eu não me sinto a vontade, a Jennifer prefere chamar homens ou mulheres, tanto faz, mas EU, EU me sentiria um pouco melhor se fossem travestis, eu não gosto de ser penetrada por homens, eles são brutos, e as mulheres não tem graça, porque eu sou mulher, então uma travesti encaixaria bem, poderia me penetrar com a suavidade de uma mulher, e os homens passivos, perdoe a expressão da palavra "são uns merdas" ..... e ooohhh, desculpe, ... eu quis diz---.......

Eu a interrompi, sim, eu sabia, as mulheres acham os homens passivos, nojentos, frouxos, uns merdas mesmo, mas eu estava surpreso, chocado ... fui pego de surpresa, e sei que ela não falou de mim, mas doeu, doeu fundo....

.....então ela consertou dizendo, eu não vejo você como homem, depois que vi você montada, uma CD, você parecia mais mulher, eu enxergo você como amiga, entende??? uma amiga, não importa se você está montada ou não, para mim você é uma menina e aquela imagem não sai da minha cabeça .... você me perdoa ... por favor .....

Então, eu a abracei, e nós duas choramos, eu porque queria ser aquilo que ela enxergava, ela, por ser sensível, sabia que tinha me machucado, e estava doendo, doendo mais que o meu cuzinho todo esfolado, nessa hora a Jennifer chega com uma bandeja, repleta de guloseimas, suco de laranja, iogurte, uma xícara de café fumegante, torradas, queijo branco e uma fatia de bolo de laranja, eu estava faminta, comi tudo, deixei o suco por último e fiquei bebericando enquanto conversávamos, a Jandra confessou o motivo das nossas lágrimas e a Jennifer não acreditava que ela tivesse dito aquilo, fomos mudando de assunto, elas queriam saber se eu poderia passar o fim de semana com elas ou se queria ir embora, a Jandra então praticamente implorou para eu ficar, falou que poderíamos se divertir muito, e elas me ensinariam alguns truques de maquiagem, montagem, depilação, etc.... pensei que seria bom fazer alguma coisa diferente, então aceitei .......... a Jandra pulou no meu colo e me encheu de beijos ....(no rosto é claro...).........

Quando o sol começou a ficar muito forte, levantamos acampamento e entramos, a Jennifer pediu que a Jandra preparasse alguma coisa rápida e leve para o almoço e disse que iria comigo até a farmácia, comprar coisinhas de depilação e maquiagem etc etc .... A Jandra perguntou: Alguém tem alguma sugestão????????

Então eu disse, sim, tenho, salada de algodão, sopa de isopor e de sobremesa gelatina rsrsrsrsrrss .... saí correndo pois uma almofada vinha em minha direção, subimos para nos arrumar e a Jandra foi cantarolando para a cozinha.... enquanto tomávamos banho perguntei para a Jennifer, coitada, ela vai mesmo ficar cozinhando??? ... aí ela riu e respondeu que as empregadas deixavam a comida pronta na geladeira ou no freezer, que era só montar e esquentar, fazia anos que elas não sabiam o que era cozinhar, só lanchinhos rápidos e bebidinhas .... (eu pensei comigo as "empregadas" no plural, caramba!!! é muito luxo...) .... ela me pediu o sabonete e a buchinha e passou nas minhas costas, dizendo que era para dar uma pré-esfoliada, ensaboou as minhas costas, peitos, e depois eu a ensaboei, ela me virou para me enxaguar e passou a mão no meu reguinho, meu cuzinho estava muito dolorido e eu me acusei, ela percebeu e riu e me abraçou por trás e ficou massageando meu cu bem devagar, eu me deixei levar, estava muito gostoso, nos viramos e trocamos um beijo molhado, então ela me afastou e disse, sshshshhh, não podemos fazer isso ... e saiu para se enxugar, eu percebi seu pinto duríssimo, mas era menor e menos grosso que da Rose e da Talita, e eu senti um tesãozinho também, na estava muito duro, mas estava um pouco... .. . saí do chuveiro fui me enxugar e me vestir.

Uns 20 minutos depois, descemos e demos beijinhos de tchau na Jandra, que estava arrumando as travessas para saladas e saímos. A Farmácia era grande, tinha uma grande área de cosméticos para o público feminino, a Jennifer escolheu várias coisinhas, potes de creme hidratante, esfoliantes, creme depilatório, calmante para a pele pós depilação, etc etc,menos de uma hora estávamos de volta, e encontramos a Jandra arrumando a mesa redonda da sala, a sala era grande, mas com as portas balcão abertas e todo aquela claridade entrando, a sala ficava maior ainda, três lugares arrumados, taças, um vinho branco gelando no bale, uma grande travessa de saladas verdes, uma panela de vidro com tampa cheia de arroz branco, fumegante ao que parecia, e ela disse que serviria "filézinhos de peito de frango com batatas coradas assados ao molho de vinho branco", sentamos nas poltronas e ela veio nos trazer um drink num copo pequeno, muito gelado, era vodka, com frutas vermelhas, sentamos as três e papeamos por alguns minutos quando ouvímos o som da cozinha ..... plin, plin!! ... a Jandra levantou e disse ......

..... ahá!! , sentem-se em seus lugares, pois agora está tudo pronto, comemos, conversamos, demos boas risadas e realmente além de leve, a refeição estava muito gostosa, a seleção de saladas era divina, endívias, radíchio, rúcula, escarola e agrião, temperada com uma espécie de molho de azeite, limão e grãos de quinoa, estava realmente uma delícia, ficamos conversando até por volta de quatro horas, então rapidamente tiramos a mesa ( eu ajudei) e fomos lá fora aproveitar o sol do fim da tarde, a jandra trouxe um licor para nós, muito bom por sinal, era de jabuticaba, e ficamos assim por algum tempo .....

Então a Jennifer puxou conversa sobre a noite de ontem, fiz um breve resumo, porque a Jandra já sabia de tudo, ela perguntou ... bom, agora que você já experimentou, você já sabe se gosta se não gosta, você repetiria???????? Ela me deu um olhar significativo, mas a Jandra por estar na outra ponta não percebeu, .... então eu lembrei do banho, senti que aquilo mexeu comigo .... e disse que sim, que repetiria, mas só se fosse com travestis, que são mais meigas, carinhosas, que não estava preparada para sair com dois homens, ... ficamos as três imersas em pensamentos ... e desa vez foi a Jandra, que mordeu a isca que a Jennifer tinha lançado, ingenuamente perguntou .... Pedrita, e se fosse uma travesti e uma mulher, você transaria com elas ????? ....... o sorriso de satisfação da Jennifer era indescritível, pena que a Jandra não podia ver, olha como são as coisas, ela era muito safada e muito esperta, conseguiu o que queria sem ter pedido, isto é, ainda ia fazer cena dizendo que faz todas as vontades da Jandra, mas é muito cara de pau ...... tive vontade de negar, mas na primeira engasgada ela me fuzilou com o olhar .....

Bom, disse eu, ... Jandra, bem, assim de repente, ... bom, eu acho que sim, aceitaria sim, mas antes de concordar eu iria querer conhecer primeiro, sem conhecer eu não faria .... e escutei ela responder com um suspiro de satisfação .... aahn tá! lógico, você está certa, conhecer primeiro, isso é muito bom, muito bom mesmo .... e ficou olhando para o teto.... faltava pouco para o por do sol, a Jennifer então disse, por que não subimos ao nosso quarto?? a varanda lá é enorme e podemos ver o por do sol inteirinho, pois o nosso quarto dá para os fundos de terreno, não tem nada para atrapalhar a visão, nem árvores ..... subimos imediatamente estávamos todas só de calcinha após o almoço e tudo saía como a mente diabólica da Jennifer queria......

Lá ficamos tomando um restinho de sol, e ficamos admirando o sol se pôr, então a Jennifer os chamo para a sessão de "estética" ... vamos meninas ..... o quarto delas era enorme, a cama redonda ocupava quase a metade do quarto, não tinha armários, isso significava que uma das portas levava ao closet e a outra ao banheiro e a outra ???? então, pasmei gente!!!!! era outro quartinho, com duas macas de massagem, um espelho do chão ao teto e de parede a parede e um balcão lateral cheio de badulaques, cremes, e tudo o mais, então eu a Jennifer deitamos e a Jandra seria a "depiladora" primeiro recebemos uma massagem, depois um creme esfoliante, e depois a sessão "tira-pelinhos", é claro que das duas era eu que tinha mais, depois creme hidratante, foi uma delícia, depois ela cuidou das nossas sobrancelhas, desenhou os pelinhos pubianos da Jennifer em forma de coração e os meus em forma de triangulo e deixou bem curtinhos, foi uma festa, rimos demais .....

Então a Jennifer nos chamou para uma ducha, fomos tomar banhos juntas, todas nós, saímos e fomos nos enxugar e colocar uma roupa, a Jennifer disse para escolhermos qualquer roupa, mas tinhamos que escolher um estilo e que ela iria se trocar, estava pensando no estilo motoqueira, a Jandra adorou e disse que me levaria junto para me maquiar, então ela perguntou que estilo eu queria, mas eu não sabia, estava indecisa, então ela disse que se trocaria primeiro, para eu me inspirar, ela colocou uma calcinha branca, de renda e babados, e uma micro saia plissada azul marinho, meias 3/4 brancas, sapato preto baixo e uma blusa branca de mangas curtas, colocou uma gravatinha fina azul marinho também, e enquanto se maquiava perguntou como ela estava e se eu já tinha alguma ideia.. ........ Então, eu fui até o guarda-roupa, escolhi uma roupa de havaiana, ou pelo menos parecia, uma blusa florida bufante de mangas compridas, um saia também florida até o pé, uma calcinha rosa, achei um colar de fru-fru branco e enrolei no pescoço e várias pulseiras, fiquei descalça, aí ela veio me maquiar, lápis nos olhos, um pouco de pó, tudo bem suave, e um batom cremoso rosa, então ela me deu a mesma peruca da outra vez e prendeu com uma fita elástica florida, ficou bem legal, então fomos para o quarto, a luz estava apagada, só um pequeno abajur iluminava parte da cama, chegamos e sentamos a beira da cama esperando a Jennifer, então ela chega, toda de preto, calça de couro justa, botas cano longo, soutien preto, jaqueta de couro e ainda o boné de motoqueiro anos 60, super linda, ela chegou e nos abraçou, e foi logo beijando a Jandra e depois me beijando, e autoritária disse: ... tirem minhas botas .... e beijem meus pés....

Tiramos suas botas, beijamos seus pés e ficamos esperando a nova ordem, ........tirem minhas calças e chupem meu pau ......

Tiramos suas calças e começamos a chupar seu pau, nossas linguas se encontravam e nos beijamos várias vezes, a Jandra parecia bem, e estava aceitando bem a minha companhia, em dado momento, ela passou a mão em meu rosto e me beijou na boca ternamente, me deu um olhar doce e perguntou se eu estava gostando, respondi que sim e perguntei o que ela estava sentindo, .... ela respondeu sorridente que estava gostando muito..... tirem minha jaqueta, chupem meus peitos e beijem minhas mãos ........

Tiramos sua jaqueta, chupamos e beijamos suas tetas e beijamos suas mãos, ela nos puxava e nos beijava, ora uma ora outra, então tirou o boné e jogou num canto, subiu para o alto da cama e chamou nós duas, uma de cada lado, e assim nós alternávamos beijos de língua, beijos nos peitos e beijos entre nós, .... tirem as calcinhas ....quero ver vocês se chupando em 69.....

Tiramos as calcinhas e a Jandra desceu até meu pinto e começou a chupar, e eu chupava sua buceta avidamente, senti a Jennifer acariciar meu cuzinho, depois ela passou um creme, bem geladinho e passou a lubrificar meu cuzinho e enfiar o seu dedo, cada vez mais fundo, senti que ela estava massageando minha próstata, isso ajudou o meu pauzinho ficar mais durinho, a Jandra chupava e beijava com uma maciez incrível, nós nos viramos, agora eu estava por cima da Jandra, ela engolia meu pintinho inteiro, até as bolas, e eu chupava sua buceta com avidez, então a Jennifer passou mais gel no meu, aquela sensação geladinha me aliviava, e percebi que ela estava fazendo isso para me penetrar, senti que a Jandra segurava minhas coxas agora, abrindo minhas pernas e chupando cada vez mais fundo, devagar, calma, então as mãos de Jennifer em minha bunda, arreganhando meu cuzinho, só tive tempo de levantar a cabeça e pedir, com carinho, mas a Jandra juntou os joelhos me prendendo em sua buceta, senti o caralho da Jennifer me penetrando, eu estava com o cuzinho dolorido por causa de ontem, gemi alto, mas na posição que estava, estava completamente dominada, a voz da Jennifer soou imperiosa.....

Relaxa Pedrita, senão vai doer mais, você queria não queria, abre essas pernas, vamos abre menina, me deu alguns tapinhas nas nádegas, ........ e a Jandra me abria as pernas, ela então socou, socou, e foi enfiando, devagar, mas sem parar, gemi, sacudi, estava ardendo, A jandra então falou ..... Pedritinha, vai ..... .. ajuda, rebola que passa..... aceita minha dona como sua dona ..... você vai ficar agradecida ..... vai relaxa ...... amiga.... vamos ...seja boazinha ..... senti as bolas da Jennifer, ela socou tudo em mim, ainda bem que seu pau era menor, mas mesmo assim doía um pouco, e ela socou, socou, ia e volta, e tirava e enfiava de novo, tudo bem devagar, eu já não aguentava, e a Jandra me chupando, estremeci, meu corpo dava espasmos e eu não conseguia me controlar, a Jandra gritou ..... vai gozaaaaaaaaarrrrr .....me deixei largar .. gozei na boca dela e senti a Jennifer esporrando no meu cu, com violência, soltou vários esporros e a cada esporro, socava bem fundo, ela desmontou de cima de mim e eu cai para o lado, a tempo de olhar as duas se beijando e trocando beijos com minha porra nos lábios....... a Jennifer deitou entre nós novamente e eu estava suspirava profundamente, que gozo.... foi incrível, eu gozei bastante também, estava exausta ... pedi água e a Jandra foi buscar......

Enquanto isso a Jennifer me beijou longamente e acariciava meu rosto, e disse ...... eu passei o dia inteiro pensando em te comer, você está muito gostozinha e geme como uma putinha, eu gostei, você gostou??? .... sim eu disse, foi muito bom, gostei sim, a jandra chegou com a água gelada, bebemos muito, todas nós, então a Jennifer mandou a gente chupar o pau dela de novo, e começamos a chupar o pau dela, então ela puxou a Jandra para um longo beijo, e eu chupava seu pau, que já ia endurecer de novo, depois de algum tempo, ela mandou a Jandra sentar no pau dela, e eu assisti aquele pau tão lindo, se esconder na buceta dela, e ela começou a cavalgar e a Jennifer mandou que eu beijasse ela, e a Jandra com o pau atolado na buceta me beijava sofregamente, e gemia muito, ela pulava e se remexia toda, a Jennifer tinha realmente um folego de gata, seu corpo moreno, esguio, pulava e remexia fazendo a Jandra subir e descer, a Jandra gritava agora, seu suor escorria pelo corpo todo, ela subia e se jogava e sentia o pau da Jennifer comer-lhe as entranhas, ...... então ouvimos sua voz novamente .......quero gozar na boca de vocês duas ......... a Jandra desmontou imediatamente e ambas voamos para seu caralho, agora muito duro e a ejaculação subiu forte e nos atingiu direto na boca, dividimos aquela porra avidamente e chupamos tudo, até deixar o pau dela limpinho, mole, mas limpinho.....

Estávamos todas cansadas, suadas, deitamos e a nossa respiração, forte e ofegante, fazia ecos de coral, aos poucos, fomos nos acalmando, tomamos mais água, e então a Jandra falou que queria gozar de novo, então ela pôs a Jandra para me chupar e ela começou a chupar a buceta da Jandra, e eu chupava sua pica, estávamos em um triângulo perfeito, todas estávamos nos chupando, a Jandra enfiava um dedo no meu cu e me chupava animadamente, eu chupava a Jennifer e passei a brincar com o dedo no seu cuzinho, e pelos movimentos ela gostou, e a Jennifer chupava a buceta da Jandra e enfiava o dedo no cu dela, e ficamos nos chupando, muito, e brincando no cuzinho uma da outra, até que a Jandra, foi parando de me chupar, seu corpo tremia, ela gemia muito alto, suas pernas esticavam e o ventre saltava em espasmos ritmados, a Jennifer não parava de chupar a buceta dela e estava com dois dedos enfiados no cu dela, ela gritava agora, forçava a cabeça da Jennifer para entrar em sua buceta, então agarrei seus braços num abraço apertado e a beijei, a cada pausa para respirar ela gritava, gemia, se contorcia, pulava cada vez mais rápido, a Jennifer por ser mais pesada estava no meio dela e ela com as pernas abertas e abraçada por mim estava indo a loucura, seu ventre subia e descia, ela gritava, gritava, escapava dos meus beijos e pedia para ser fodida, mas a Jennifer judiava dela, só com as chupadas e os dedos enterrados no cu dela, então, de repente, ela explodiu em gozo, como eu nunca tinha visto, ela se contorcia, pulava, gemia e a Jennifer com um sorrisinho maroto me olhava de lado ....... foi lindo .... mágico .... uma mulher gozando .... de tanto ser chupada ...... caímos exaustas ... sabe lá que horas eram .......... ficamos entregues e adormecemos do jeito que estávamos .................

 

Pedrita
apedrito007@hotmail.com

 

Um macho chamado Paulo - parte III

Sonhei com o Paulo e com o Marcelo ...... não sei aguentaria dar para os dois na mesma noite, mas eles eram muito parecidos, carinhosos, mas eu fiquei pensando muito em fazer sexo a três ..... mas não sabia como .... talvez as meninas .... ................... amanhã quem sabe ....................

No domingo de manhã, acordamos por volta do meio dia, alguns convidados tinham ido embora, eu já tinha voltado a ser "sapo", tomamos um café e o Marcelo perguntou se eu queria que ele me levasse para casa, mas a Sonia disse que me levaria, as meninas pediram para eu ficar, me despedi do Marcelo e voltei para a varanda para conversar, elas estavam louquinhas para saber como tinha sido, ..... eu contei tudo nos mínimos detalhes, elas riam e se deliciavam ...... elas me disseram que o Marcos perguntou de mim antes de ir embora, queria o telefone e coisa e tal, ... mas elas não deram .... então nessa hora fiquei olhando para o nada e e divaguei .... elas perceberam e perguntaram se eu estava interessada no Marcos .... eu disse que não, mas a Jane espetou um cravo nas minhas dúvidas .... talvez ele quisesse "dois" .... elas riram e perguntaram, ....... ahhh fala Pedro, você tem vontade de ficar com os dois .... me pegaram de surpresa, fiquei corado de vergonha e respondia que não sabia, que nunca tinha me acontecido isso, ...... A Jane falou que se eu quisesse ela ajudaria ...., falei que ainda não estava preparado, ..... então a Jandra e a Jennifer nos convidaram para passar o dia lá, mas a Sonia e a Jane precisavam voltar e eu queria ir pra casa...... estava um pouco cansado..... elas foram se arrumar e a Jandra foi com elas .... fiquei só eu e a Jennifer ........ ela me disse que se eu estava me descobrindo agora, que eu deveria pensar e experimentar qualquer coisa que não me desagradasse, pois depois poderia escolher o que quisesse, amor e sexo são coisas diferentes, às vezes elas também sentem vontades de "apimentar" a relação, a única coisa proibida são as mentiras, se os dois tem a mesma vontade, não é ruim, se um não concorda o outro deve respeitar, então ela me explicou que as duas travestis da festa, moram juntas, namoram a seis anos e elas curtem uma terceira pessoa de vez em quando, preferem homens, mas já tiveram mulheres, são desencanadas, as duas gostam, a Talita (uma delas) gosta mais, até porque é mais ativa, mas as duas curtem juntas, sempre que podem, e o Ricardo é velho conhecido, é de confiança, se cuida, e ele também curte esse movimento .... ela saberia se elas me "notaram" e perguntou se podia passar meu telefone ... eu disse que sim, para qualquer um, eu queria fazer novas amizades, seria bom ......

No caminho de volta perguntei a Sonia o que ela achava disso tudo, ela disse que daria o maior apoio, desde que eu estivesse certo do que queria fazer, cada um pensa de um jeito, ......... eu e a Jane estamos bem juntas, hoje não pensamos nisso, mas eu já fiz programas de casais e ménage antes de nos conhecermos, mas ela não curte e eu respeito, e não sinto vontade, acho que se você ainda não se amarrou em ninguém e tem vontade ou curiosidade, melhor agora do que depois ...... ficamos um tempo pensativos .... logo depois elas me deixaram em minha casa. Fui direto ao elevador, cheguei, caí no sofá e liguei a TV, acho que cochilei ..... quando acordei já eram quase oito da noite, o celular estava tocando ......

.... alô, ........ oi Pedro é o Paulo ...... Oi Paulo, pôxa, que sumiço hem??? ..... Aahhh Pedro, não fala assim, eu estava com uns problemas .......ok, tá bom!!! e então??? o que foi??? bom, estou sozinho em casa, queria conversar com alguém e pensei em você ..... aaahhh Paulo, amanhã é segunda, tô super cansado .... por isso mesmo que eu estou ligando, se você me fizer um café, eu te faço uma massagem no corpo inteiro ......... aaahh, sério?? bem que eu gostaria .....mas me diga ... onde vc aprendeu a fazer massagem??? você quer é outra coisa ..... ... de jeito nenhum levo até o diploma, acabo de me formar ... preciso praticar rsrsrsr ......... bom, só em troca do café??????? .... claro, somos amigos, para os amigos é de graça, o cafezinho é só para esquentar rsrsrsrs ......, bom, então vem..... bjs ... bj..desliguei. Fui tomar um banho, percebi que meu cuzinho estava dolorido, aiai era hoje que ia ficar com o cu assado .....

Ele chegou as nove em ponto, e nem preciso dizer que foi uma noite maravilhosa, fiquei arregaçado, dolorido, com o cu ardendo, mas estava super satisfeito, e não é que o fdp sabia fazer massagem... a d o r e i .....ihihih

A semana passou voando, mas o Paulo nem me ligou, ele parecia o tipo distraído, sinceramente, é horrível esperar alguém ligar e a pessoa "nem tchummm", mas para minha surpresa o Marcelo ligou, perguntou se eu estava bem, que tinha tido um fim de semana ótimo e que queria me ver de novo, ligou segunda e quarta, mas surpresas das surpresas, na quinta quem me liga foi a Jennifer, dizendo que a Talita e a Rose gostariam de me conhecer melhor, ficaram interessadas em mim, principalmente depois que apareci montada, eu fiquei ansiosa, fiz mil perguntas e conversamos mais de meia hora, ela disse que eu devia pensar, porque um encontro desses já se sabe como vai terminar, se eu aceitasse "sair" para conversar e conhecer melhor as pessoas, eu devia escolher, um restaurante ou coisa parecida, se eu as receberia em casa ou iria para a casa delas não teria como voltar atrás, mas como ir montada a um restaurante, fiquei apreensiva, tinha muita curiosidade, e achava melhor estrear com travestis do que com dois homens logo de cara, então ouvia a voz da Jandra ao fundo, logo depois a Jennifer me falou que se eu preferisse ela poderia organizar um jantar na casa dela, se tivesse "clima" eu ficaria e passaria a noite lá com elas, senão iria embora para casa, mas lá poderia me montar e desmontar sem problemas e não iria aparecer na rua. Ela me confirmaria no dia seguinte de manhã, e ficaria marcado para sexta à noite.

Na sexta logo de manhã, a Jennifer liga e confirma, perguntou se eu estava preparada, e que horas poderia chegar, ..... eu disse que iria direto do trabalho e chegaria por volta das sete, ela achou ótimo, disse que eu não deveria perder tempo em comprar nada, elas não queriam me ver montada dessa vez. Passei o dia todo ansiosa, seria minha primeira vez, mas estaria com pessoas do bem, na casa de uma pessoa que se tornou grande amiga com o tempo, então no horário combinado eu cheguei na casa dela. Conversamos um pouco, ela perguntou se eu queria tomar um banho e eu aceitei. Tomei um banho de banheira bem gostoso, passei hidratante no corpo todo, eu estava totalmente depilada, pena que estava de sapo, mas acho que será melhor assim, um dia quem sabe, se eu fizer com dois homens, ficaria montadinha. Depois vesti um robe e fiquei esperando por elas, eu e a Jennifer ficamos tomando um drink na varanda, ela me disse que já tinha feito ménages antes, ativa e passiva, preferia ser ativa, porém pouco fez com duas mulheres, normalmente eram homens ativos ou passivos, mas com a Jandra aconteceram poucas vezes, a Jandra não se sente muito à vontade, então ela não força a barra.

Lá pelas oito da noite elas chegaram, Talita e Rose, estavam lindas, as duas com roupas pretas, calças, botas e blusas, tudo preto, só os colares e pulseiras douradas se destacavam, elas eram altas, mais de 1,80, ambas morenas, mas a Talita era morena clara e a Rose bem branquinha, sentaram do meu lado, e conversamos um pouco, a Jennifer perguntou se elas queriam um drink, elas aceitaram e a Jennifer foi buscar, eu já estava no terceiro e estava super alegre e muito ansioso também, elas sabiam que eu não tinha experiência, mas deixaram claro que eu ia gostar e elas não são adeptas de violência, não deveria ter medo, a Talita passou a mão pelos meus ombros e me puxou para o lado dela, dando-me um beijo, molhado, gostoso, sua língua passeava em minha boca leve e solta, a Jennifer chegou com os drinks, ficamos bebericando e conversando, então a Rose disse que ia subir e arrumar o quarto e para irmos depois de 10 minutos. Conversamos mais um pouco, a Jennifer nos deu beijinhos e disse que ficaria na sala vendo TV e mais tarde iria dormir, após a saída dela nos beijamos novamente, senti sua mão por baixo do robe me alisando, apertando meus mamilos, ela se aproximou do meu ouvido e disse ...... vamos subir ......

Chegamos no quarto, um abajur bem fraquinho iluminava com um fio de luz a cama, grande e branca, e a Rose estava só de calcinhas, deitada, nos esperando, a Talita puxou meu robe e eu fiquei só de calcinhas também, ela se despiu, e me levou para a cama, deitou entre eu e a Rose, e a Rose passou a chupar o pau da Talita e me chamou para ajudar, em poucos minutos, eu e a Rose chupávamos o caralho da Talita, que era bem grande e grosso, chupávamos, lambíamos, as vezes nos beijávamos, em poucos minutos o pau dela estava duríssimo, mas ela não dava o menor sinal de gozo, mandou a Rose ficar de quatro e eu por baixo chupando a pau da Rose, que era um pouco menor mas grosso também, e vi ela enterrando aquele caralho enorme no cuzinho da Rose, e ela foi enfiando, e a Rose balançava o quadril e enfiava seu pau todo na minha boca e quando levantava sua bunda ia de encontro ao caralho da Talita, a Rose começou a gemer, enfiava seu pau com mais força, sentia chegar na garganta, eu chupava avidamente, segurava em suas coxas e sentia o tremor de suas pernas a cada estocada da Talita, esta não demonstrava o menor cansaço, então a Rose gritou e se largou, com o caralho atolado na bunda ela esporrou em minha boca, me lambuzou todo, no rosto, no peito, na cama, era porra prá todo lado, eu tinha engolido um pouco, mas estava com o rosto todo melado, então a Talita me lambeu a cara toda, o peito, e me beijou, profundamente, ansiosa, enquanto estávamos abraçados nos beijando, a Rose começou a lambuzar meu cuzinho com creme, enfiando os dedinhos, tentei me virar, mas a Talita não deixou, ficamos nos beijando até a Rose avisar que estava pronto, ela parecia recuperada agora, então a Talita me virou de frente e montou sobre mim, abrindo minhas pernas e deixando meu cuzinho a mostra, a Rose então veio me beijar, mas eu estava um pouco tenso, com medo do pau dela me machucar, elas sabiam disso, senti o pau dela na minha portinha, a cabeça era grande e o pau bem grosso, ela foi forçando devagar, mesmo lubrificado meu cuzinho doía, ela forçava e eu pedia para ir devagar, a Rose me beijava, eu gemia, sentia meu cuzinho arder, ela enfiou a cabeça, o esforço foi tanto que que fui com a cabeça e o peito para a frente, a Rose não parava de me beijar e agora me punhetava também, eu só soltava uns gemidos, a Talita continuava empurrando, eu sentia meu cuzinho abrindo, alargando, aquele membro duríssimo, grosso, continuava entrando, me rasgando, tentei segurá-la pela coxa, mas ela seguro meu braço e a Rose segurou o outro, eu arfava, gemia, tentei gritar, mas o que se ouvia era um som abafado pelo beijo de língua da Rose, então a Talita deu a última avançada, as lágrimas escorreram do meu rosto, ela parou, foi descendo seu corpo sobre mim, eu não lutava mais, só queria acostumar meu cuzinho para que não doesse, ela então me beijou, as duas me beijavam agora, alternadamente, eu gemia baixinho, a Rose acariciava meus cabelos, elas foram me acalmando, ainda doía um pouco, a Talita tirou bem devagar, eu senti um vazio imenso, parecia que passaria um braço pelo meu cu, então ela trocou de lugar com a Rose, que passou mais creme e começou a enfiar, não doía tanto agora, ele enfiou tudo, e suas coxas batiam nas minhas, enquanto isso a Talita se colocou acima da minha cabeça e agachou de forma a sua rola enorme cair direto na minha boca, enquanto a Rose bombava meu cu sem dó ela fodia minha boca, sua pica enorme e grossa chegava na minha garganta com facilidade, eu comecei a sentir tesão agora, a dor estava passando, então elas trocaram de lugar novamente, me viraram de quatro e agora as duas metiam em mim, eu acabei deitado em cima dos travesseiros, com o cu arrebitado para cima, e as duas me cobriam, uma de cada vez, em senti que ia gozar, com meu pinto prensado no colchão, então a Talita avisou o gozo, e explodiu em porra, inundando meu cu com um leitinho quente, grosso, depois elas me fizeram sentar na cama, e eu recebi mais jatos de porra no peito, da Rose e da Talita, deitamos um pouco para nos refazer, eu estava no meio, a Rose lambia meu pinto, todo o restinho de porra que eu tinha deixado, e a Talita me beijava, a Rose não dava trégua, parecia não se cansar, tanto fez que nos arrastou para um banho de banheira, fomos os três, comparei nossos pintos e o meu era bem menor, nos lavamos, nos chupamos, nos lavamos, nos beijamos, fizemos um monte de sacanagens e voltamos para a cama sem se enxugar, passei a mão no meu cu, estava literalmente arrombado, coisa que nem o Marcelo nem o Paulo fizeram, aquela traveca tinha um pinto poderoso..... a Rose pediu para comer a Talita, então ela falou, ....... tá bom vamos fazer um trenzinho e você me come, elas então me ajeitaram de bruços em cima dos travesseiros e lambuzaram meu cu, então a Talita montou sobre mim e começou a me fuder, devagar, me abrindo, me rasgando, aaaiiii que pau grosso, que eu aainda sentia ele raspando, me alargando, mas doeu bem menos, então senti que ela enfiou até o fundo, foi quando a Rose trepou em cima dela, senti um pouco o peso das duas, então a Rose começou a bombar, começou a bombar, e a cada estocada dela, a Talita me dava uma estocada também, depois trocaram de lugar, eu sentei na cama e a Rose me chupou, chupou e me fez gozar na boca dela, ela sugou tudo e dividiu com a Talita, e as duas agora estava se punhetando e as duas gozaram na minha boca, e depois nos beijamos os três, foi uma farra daquelas, novamente nos lavamos, mas dessa vez voltamos para cama para dormir, dormi abraçado com a Rose e a Talita me encoxando...... eu estava com o cuzinho todo assado ... nem o Marcelo e nem o Paulo me deixaram assim .... ia precisar descansar meu cuzinho alguns dias ..... não vou aguentar outra surra de pica seguida rsrrsrsrs ...........

Pedrita
apedrito007@hotmail.com

 

Filmando tudo para o corno ver

Olá, bom dia ! Meu nome é Shirley, casada com o Jony, ambos na faixa dos trinta anos, somos o casalsmith3030............, liberais, gostamos muito de sexo e fantasias, já realizamos várias, temos um círculo de amigos sigilosos e confiáveis que nos proporciona muito prazer realizando fantasias. Meu marido é um corninho assumido, ele adora saber ou ver que é corno, adora bater punheta assistindo um macho pauzudo me comendo, ele me incentiva a usar roupas provocantes, paquerar, namorar e adora chupar minha buceta depois que ela foi comida, nós dois planejamos tudo detalhadamente depois agente senta, conversa e escreve esses contos para vocês, fazemos isso com carinho e dedicação, estamos juntos há quatorze anos e temos muitas histórias pra contar. O relato que eu vou contar agora aconteceu com um amigo nosso, o Claudio, o Jony, meu marido quem conheceu ele através da internet em um site de relacionamento, adicionamos ele no msn e fizemos amizade, fomos ficando íntimos, ele passou a fazer parte dos nossos amigos sigilosos e eu acabei tranzando com ele várias vezes inclusive na frente do Jony meu marido onde fezemos questão de escrever toda nossa tranza pra vocês no conto de casais com o seguinte tema : TRANSANDO NA CHÁCARA COM UM AMIGO DO MEU MARIDO ( Relatos de Casais ).

Eu e o Jony estávamos pretendo comprar um sítio e o Claudio ficou de procurar um para nós. Um certo dia o Claudio ligou para a minha casa dizendo que havia um sítio a venda quatro quilômetros depois do seu, era uma chácara fechada dentro dos matos com uma casa grande cercada e com bastante plantações de árvores frutiferas, a casa estava mobilhada e ele estava com as chaves para nos mostrar, liguei pro Jony, meu marido e ele me pediu para eu ir olhar o sítio sozinha pois ele estava trabalhando e eu estava de férias, tudo bem, retornei a ligação para o Claudio e combinei de ir olhar o sítio no dia seguinte, no outro dia, eu peguei o carro e fui até a chácara do Claudio, chegando lá ele já me esperava na entrada, desci do carro, nos cumprimentados, ele me convidou para entrar e tomar um copo de água, sentei um pouco na varanda da casa pra tomar água e o safado do Claudio foi logo me lembrando do dia em que tranzamos naquele local, em seguida, foi logo me perguntando se o meu marido ainda gostava de ser corno, eu nada respondi, apenas dei um sorriso e perguntei onde ficava o sítio que estava a venda, ele pegou as chaves, mostrou a direção e disse que eu fosse no meu carro pois ele iria na sua caminhote para deixá-la na chácara e voltaria no meu carro comigo, tudo bem, entrei no meu carro e parti, Claudio veio logo atrás de mim, quando eu consegui avistar a chácara esqueci de olhar pra estrada e acabei atolando meu carro em uma possa de lama, era uma estrada apertada no meio dos matos com passagem para um carro de cada vez, cheia de buracos e lama, Claudio desceu do seu carro e veio tentar tirar o meu que estava atolado, ele tentou várias vezes mais não conseguiu, então ele pegou uma corda , retirou sua camisa, forrou o chão e se deitou sobre ela para amarrar a corda do meu carro para o dele, enquanto ele estava deitado eu fiquei em pé próximo dele, notei que ele estava de short sem cuecas, o volume do seu pau ficava visível e isso foi me deixando exitada, quando ele saiu debaixo do carro e se levantou eu peguei minha bolsa e fui em direção da caminhonete dele, abri a porta, me sentei no banco do carro e comecei a retocar minha maquiagem, ele amarrou a corda na caminhote, veio em minha direção e me perguntou se eu estava bem, eu respondi que sim e perguntei se ele também estava bem, ele me respondeu que sim só estava tendo dificuldades para se controlar pois não era fácil estar sozinho dentro dos matos com uma mulher bonita e gostosa como eu sem ficar exitado, eu também estava exitada e isso foi a gota d água de tudo, em seguida eu perguntei a ele se ele estava exitado e ele respondeu que sim e perguntou se eu queria ver, eu respondi que sim, então ele baixou seu short, colocou seu pau para fora e se aproximou de mim, eu peguei seu pau e comecei a punhetar um pouco e em seguida começamos a nos beijar, em seguida, eu perguntei ao Claudio se poderia filmar tudo para o corno do Jony ver quando eu chegasse em casa e ele respondeu que sim, então eu peguei a câmera digital, liguei e entreguei pro Claudio filmar, depois eu me inclinei um pouco e comecei a chupar seu pau que estava um delícia, chupei as bolas, passei a língua em volta da cabeça e depois tentei engolir tudo colocando a cabeça do pau dele no fundo da minha garganta, Claudio gemia com a minha chupeta e filmava tudo, sabendo que o Jony, meu marido iria assistir aquela filmagem ele provocava o seu amigo dizendo;....

Veja amigo como sua mulher chupa gostoso, olha como ela lambe esse pau, chupa Shirley, chupa meu pau todinho e mostra pro corno do seu marido a puta que você é....Eu chupei seu pau até ele ficar completamente duro dentro da minha boca, em seguida, eu olhei para a câmera e disse;.....Olha amor como o pau dele estar duro, agora ele vai me comer gostoso para você ver, em seguida, eu fiquei de quatro no banco do carro, ele levantou minha saía, baixou minha calcinha e começou a chupar minha buceta e meu cuzinho lubrificando tudo, em seguida, ele colocou a cabeça do pau no meu cuzinho e começou a enfiar lentamente, quando a cabeça do pau entrou ele começou a meter devagarinho, em seguida ele começou a acariciar minha buceta enquanto metia seu pau no meu cuzinho, isso me deixou mais exitada ainda, eu comecei a movimentar minha bunda e quando percebi o pau dele já estava todinho dentro do meu cuzinho, me comendo gostoso, estava um delícia, eu estava exitada e gemia bastante, Claudio sempre gostou da minha bunda e comia meu cuzinho sem dó enfiando tudo, eu olhei para trás para ver o Claudio comendo a minha bundinha e vi que ele continuava filmando, então eu olhei pra câmera e disse pro Claudio ;....

Me come meu gato gostoso, enfia esse pau dentro da minha bundinha ahaahahahahaha, Faz comigo o que o corno do meu marido não faz ahahahahaha, Arromba meu cu pra esse corno ver, me arromba vai, ahahahaahah Mete tudo, mete com força, vai...... Depois disso, Claudio me entregou a câmera, me puxou pelos cabelos e passou a meter tudo dentro de mim, eu gemia feito uma louca com aquele pau dentro da minha bunda, depois de alguns minutos nós mudamos de posição, eu me virei de frente pra ele e me deitei no banco do carro, ele levantou minhas pernas e enfiou seu pau no meu cuzinho novamente, ele estava adorando comer a minha bundinha, eu com uma das mãos acariciava minha buceta batendo uma siririca e com a outra filmava o Claudio me comendo, nesse momento, o tezão dos dois estava auto demais, agente gemia muito, Claudio metia forte na minha bunda, enfiava tudo, batia na minha cara e me chamava de piranha vagabunda, eu metia os meus dedos dentro da minha buceta e massageava forte enquanto ele comia meu cuzinho, nesse ritmo, Claudio anunciou que iria gozar dentro do meu cu, eu virei a câmera pra mim e disse ;..... Amor, o Claudio vai gozar dentro do meu cuzinho e vai encher ele de esperma pra você limpar quando eu chegar em casa, tá, olha seu corno esse macho gozando dentro do cu da sua mulher.... Em seguida, eu virei a câmera e direcionei pro pau do Claudio enfiando na minha bunda, poucos minutos depois, nós dois gozamos, eu gozei nos meus dedos enfiado na minha buceta e o Claudio gozou dentro do meu cuzinho, foi uma delícia, nós dois gozamos gostoso, em seguida, nós nos vestimos e fomos tirar o carro que estava atolado dentro da lama, depois fomos em direção a chácara, chegando lá, entramos e tomamos banho, comemos algumas frutas e ele foi me mostrar toda a chácara, depois disso, nós entramos dentro da casa, sentamos no sofá, ligamos a TV e ficamos conversando um pouco, Claudio me perguntou se eu estava precisando de mais alguma coisa e eu respondi que sim, que queria o pau dele outra vez mais dessa vez na minha buceta pois ele havia comido apenas minha bundinha, Claudio disse que meu pedido era uma ordem e foi retirando sua roupa, eu também retirei a minha e me sentei de pernas abertas no sofá, ele se ajoelhou entre minhas pernas e deu uma rápida chupada na minha buceta, depois chupou meus seios e se deitou no sofá, eu me deitei por cima dele colocando minha buceta em seu rosto e comecei a chupar seu pau, ficamos fazendo uma meia-nove gostosa por alguns minutos, depois eu fui pra cima dele, encaixei seu pau na minha buceta e comecei a cavalgar subindo e descendo no pau dele, ele me segurava pela bunda e chupava meus seios ao mesmo tempo, estava uma delícia, depois de alguns minutos nós resolvemos mudar de posição, eu fiquei de quatro em cima do sofá e ele se ajoelhou por trás de mim, enfiou seu pau na minha buceta e começou a meter, foi nesse momento que lembramos do Jony, meu marido, então pegamos a câmera outra vez e começamos a filmar toda a nossa transa, Claudio metia na minha buceta e filmava tudo ao mesmo tempo, como eu sei que o Jony, meu marido, adora ser provocado, eu olhava pra câmera e dizia ; ......Me come Claudio, ahahahaha, Enfia tudo dentro de mim, ahahahaah Me come gostoso, vai, Arromba minha buceta com essa pica gostosa que você tem, vai ahahahahhaha Em seguida, Claudio me pegou pela mão e nós fomos em direção a mesa da sala, chegando lá ele me pediu para deitar em cima da mesa, depois abriu minhas pernas e enfiou seu pau na minha buceta novamente, aparti desse instante eu passei a filmar tudo, o Claudio metia todo o seu pau dentro da minha buceta, ficava somente as bolas do lado de fora, a cada metida que ele dava eu soltava um grito, Claudio vendo que eu filmava tudo, olhou pra câmera e disse;.....

Olha seu corno estou comendo a buceta da sua mulher, que buceta apertadinha ela tem, olha como a sua puta gosta de dar a buceta pra mim, quando ela chegar em casa você vai ver o estrago que fiz na buceta e no cuzinho dela, gozando dentro e enchendo ela com meu esperma...Depois disso, eu me levantei e chamei o Claudio para a sala de estar pois eu queria gozar junto com ele, chegando lá eu me deitei de pernas abertas no tapete da sala e ele se deitou por cima de mim, enfiou seu pau na minha buceta novamente e começou a meter, eu coloquei a câmera do lado, peguei no seu rosto e começamos a nos beijar enquanto ele metia na minha buceta, estava muito gostoso, em seguida, eu peguei a câmera novamente e comecei a filmar o Claudio metendo na minha buceta e resolvi provocar o meu marido mais uma vez dizendo pra câmera ; .... Me come Claudio ahahahahha Come minha buceta, vai , aparti de hoje eu vou voltar a ser sua puta, sua amante, quero que você var na minha casa sempre e me coma na frente do corno do meu marido, ele adora levar chifre, mete na minha buceta Claudio, ahahahahah Enfia tudo, Mete tudo ahahahahaah Mais forte, com força, vai e goza junto comigo, ahahahaha Goza dentro da minha buceta pro corno do meu marido ver, ahahahaha Me dar seu leitinho dentro da minha buceta, vai goza dentro mim, vai ahahahahah,

Depois disso, Claudio acelerou as estocadas e nós dois acabamos gozando juntos, dessa vez ele gozou dentro da minha buceta me enchendo com seu esperma, foi muito gostoso, depois que ele saiu de cima de mim, eu ainda chupei seu pau por alguns segundos, limpando e sugando o restante do seu esperma que estava em seu pau pois eu queria levar para casa o gosto do esperma dele na minha boca, na minha buceta e no meu cuzinho. Depois de tudo, nós nos vestimos e fomos embora. Foi uma tranza gostosa, eu gozei como nunca, foi muito gostoso relembrar pois já fazia muito tempo que eu não tranzava com o Claudio. Quando cheguei em minha casa eu estava exausta de tanto gozar, alguns minutos depois o Jony, meu marido chegou do trabalho, antes de almoçar eu contei pra ele tudo que tinha acontecido, em seguida nós fomos pro quarto, ele pegou a câmera, conectou na TV e começou a assistir a minha tranza com o Claudio, rapidamente ele retirou a sua roupa e eu pude ver que seu pau já estava duro feito ferro, Jony me pediu para eu retirar minha roupa e deitar em cima da cama, em seguida ele me perguntou onde o Claudio havia gozado e eu respondi que ele gozou primeiro no meu cuzinho e depois na minha buceta, em seguida, Jony abriu minhas pernas e caiu de língua na minha buceta e no meu cuzinho, ficou me chupando e batendo punheta por vários minutos até gozar em cima dos meus seios, meu marido adora chupar minha buceta cheia de esperma, ele adora ser corno e eu adoro ser puta.

O negócio do sítio não foi fechado mais nós estamos sempre alugando ele nos finais de semana para descansar, fazer festinhas e realizar fantasias com nossos amigos, estamos sempre aperfeiçoando e inovando nas nossas fantasias fazendo loucuras. Até a próxima.

 

Milena: a noiva

Este CONTO é um relato de como iniciei uma bela menina como minha serva, ela tem um belo nome: Milena, uma linda fêmea com 23 anos, extremamente sensual, corpo bem feito, onde se destacava seu belo traseiro. Bem vamos lá, à época EU freqüentava um curso de curta duração em minha área de atuação empresarial. Um dos colegas da turma trabalha em uma agencia de publicidade e resolveu produzir um DVD caseiro com situações cotidianas de empresas para melhor aprendizagem do conteúdo. Pediu minha ajuda no sentido de intermediar àqueles interessados, que EU fizesse uma relação com seus nomes, e-mails e ainda arrecadasse o valor para o custo do DVD, e EU posteriormente repassaria a ele, e em resposta, ele que entraria em contato quando as cópias estivessem prontas. Bem, era de interesse comum, prontifiquei-me sim a dar-lhe assistência, assim sobraria mais tempo para a produção dos DVD’s.

Informei a todos os colegas da turma, meu e-mail para que me procurassem os que quisessem a produção final do DVD.
Alguns dias depois quando abri minha caixa de entrada, me deparei com uma mensagem de um contato que EU não conhecia à minha lista de amigos, identificando-se como Milena, o nome não me era estranho, li o que dizia o recado e qual não foi a minha surpresa ao ver que se tratava de uma das mais belas moças da sala me desejando um bom final de semana. Estranhei de imediato, pois não tinha amizade com ela, mas não maliciei, afinal, ela poderia apenas estar ampliando sua lista de contatos, respondi sua mensagem da mesma maneira e prossegui com a rotina.

Na semana seguinte procurei discretamente por seu olhar na sala de aula, mas nada, Milena voltava toda sua atenção ao professor, isso confirmou o que eu havia pensado, além disso, seu noivo sempre vinha lhe trazer e buscar nos dias de curso e eles aparentemente formava um casal bem feliz e resolvido.
Passados mais alguns dias recebi novas mensagens dela, agora de cunho mais gostoso, com slides sensuais, desenho de correntes, etc.. Não tardou a aparecer uma mais picante e atrevida, com uma algema de fundo no e-mail, fiquei meio perplexo e atônito, será que não teria vindo erroneamente, não respondi àquela e deixei passar em branco, mas, apareceu mais uma e outra, foi então tomei a iniciativa de mandar-lhe uma erótica na temática do sadomasoquismo que EU conhecia bem, pois era praticante. Não demorou a vir à resposta com o título “danadinho hein”, sem anexos, apenas as palavras “minha nossa, me deu um calorão danado”, foi minha deixa para adiantar um pouco mais o passo e apimentar ainda mais as coisas, mandei-lhes mais algumas mensagens e agora mais voltadas às práticas mais fortes de sado, da forma que EU aprecio. As respostas, para minha satisfação também chegavam mais quentes até chegar ao ponto de começar a receber vídeos de dominação e, em especial de spanking. Vi que estava aproximando-se uma grande amizade entre nós e quem sabe algo mais, rsrsrs

Agora EU realmente estava interessado e mandei um convite para nos vermos com o objetivo de conversar, embora quisesse mesmo é tê-la aos meus serviços. Em alguns dos seus e-mails, Milena confidenciou-me que tinha muitas duvidas a respeito de uma vida conjugal e que a pessoa mais certa para sanar seus receios quanto ao casamento seria alguém já casado e que gostasse de sexo apimentado, pois ela não se contentava com apenas o sexo comum, o dito “baunilha” e o noivo era muito conservador e, ela tinha medo de que ele se espantasse com os desejos e fantasias dela. Prontifiquei-me a servir de tutor matrimonial e marcamos um dia em que ela cabularia a aula da faculdade para nos vermos.

Na data acordada fui até o prédio da faculdade e liguei a ela dizendo que a estava esperando. Tão logo foi possível a ela, em dois minutos cronometrados, ela apareceu na porta de saída. Estava belíssima, trajava uma mini saia jeans que deixava suas lindas coxas roliças a mostra, duas pernas bem torneadas que se esgueiravam de uma sandália rasteirinha e amarrada até o meio da canela até sumir por entre a faixa de tecido que cobria apenas região do quadril e guardava uma bunda redondinha e firme, ainda usava um top branco e decotado que valorizava seus lindos seios, de tamanhos médios, os cabelos amarrados para trás num estilo rabo de cavalo. Entramos em meu carro e dirigi para um restaurante que conhecia – era mais afastado e menos movimentado. Lá chegamos e falamos algumas futilidades e então, após alguns chopp’s, mais a vontade ela começou a lamentar sobre as duvidas que tinha e a queixar-se do noivo que não a completava, embora ela o amasse bastante e não queria perdê-lo. Comoveu-me um pouco mais, estava extremamente carente e foi a deixa para que eu oferecesse o “ombro amigo”. Ficamos juntinhos alguns minutinhos, sem nada fazer, de mãos dadas. Com a proximidade de nossos corpos o tesão foi crescendo, chegando até a machucar-me dentro da cueca de tão duro que o meu pau estava. Aproximei-me mais ainda dela e fiquei admirando-a por alguns milésimos de segundos e pude ver o brilho de desejo em seu olhar. Dei-lhe a mão novamente e senti agora que estavam frias e suadas como se o medo e receio a dominassem. Senti os lábios de Milena, quase que trêmulos à espera de um beijo proibido. Embriagado pela excitação beijei-a com volúpia, um beijo quente, molhado e lânguido, acariciei seu rosto por um momento, ela então me pediu para que saíssemos dali e que eu a deixasse em sua kitinete, já que não se sentia bem estar em público trocando carinhos com um outro homem que não fosse seu noivo.

Ela estava tão desejosa como EU, o ar estava impregnado daquele cheiro gostoso de sexo, de tesão. Sob suas orientações dirigi até sua casa, deixei o carro parado do outro lado da rua, entramos em seu apartamento e estávamos de mãos dadas como fossemos dois namoradinhos.
Tinha um belo apartamento, grande, espaçoso e segundo ela, havia sido comprado em parceria com o noivo, para futura moradia de ambos. Conversamos, já mais agarradinhos, e depois de mais beijos, ela me ofereceu suco e imediatamente lhe disse: _ Não obrigado, prefiro comer a fruta, e hoje a fruta é você.
Ela deu-me uma olhada desejosa, molhou os lábios com sua língua vermelha e fina, mordeu levemente seu lábio inferior e agarrou-me pelo pescoço e me arrastou para o quarto enquanto nos entrelaçávamos em um beijo asfixiante, minhas mãos agora entravam em contato com aquelas coxas maravilhosas e exploravam por baixo daquela mini saia, pude sentir suas nádegas quentes encherem a palma e me estontear com o deslizar dos dedos para dentro do rego onde se escondia um minúsculo fio dental, senti o coração acelerado como um adolescente que tem seu primeiro beijo ao esgueirar minha mão para cima de sua bucetinha molhada, a essa altura ela já tinha se livrado da parte de cima e seus mamilos bailavam à minha frente implorando para serem sugados e que bocada deliciosa – continuava de pé ao lado da cama então a peguei nos braços e a atirei sobre seu colchão d’água, que visão maravilhosa ter aquele monumento plenamente a meu “bel prazer”, livrei-a do restante de suas vestimentas e pude, então, ver aquela xaninha depilada pronta para ser invadida, deitei meus lábios sobre ela e senti o sabor único de um clitóris ardente de tesão, ela gemia e dizia palavras desconexas, esfregava seu púbis em minha boca e me puxava pelos cabelos, e totalmente enlouquecida gozou. Deitou-me de costas e quase que desmaiando me disse para esperar a retribuição, foi ao banheiro e após um banho rápido trouxe um óleo corporal em um pequeno frasco, pingou algumas gotas na glande, aquele líquido exalava um delicioso cheiro de cravo e gelava todo o membro dando uma sensação que misturada ao tesão do momento proporcionava uma sensação única, ato contínuo ela aproximou sua boca do meu pau latejante e, de leve, começou a mamá-lo com maestria suprema, sua boca parecia ser de veludo, suavemente ela descia da cabeça até as bolas e voltava, eu estava em êxtase, um transe sensacional me fez ejacular em sua boca caprichosa que tomou tudo aos goles até a última gota. Sedentos por mais prazer nos atracamos em novo beijo e agora eu já me enlaçava em sua cintura à procura de me acomodar em seu interior e finalmente a angústia da espera foi acalentada por uma penetração lenta e minuciosa, pude sentir cada centímetro de sua grutinha apertada acomodando meu pau pulsante, as bocas enchendo de saliva como se provassem uma maçã verde, os corpos finalmente deleitando-se em um vaivém frenético para culminar em um gozo digno de dois amantes de encontro único.

EU já a tinha sob domínio, através da transada deliciosa que fazíamos ela estava totalmente entregue ao PRAZER, estava na hora de começar a possuí-la como minha cadela. Lembrei-me das mensagens que me enviou, valorizando o spanking e disse-lhe: – Milena estou lembrando que o que você gosta e quer é apanhar, não é?
A minha voz era dura, olhei pros olhos dela e era tesão puro… Ela tentou falar-me, mas a voz estava embargada pelo momento. Não esperei e afirmei-lhe:
-Não fale nada e fica com a boca calada, que agora você vai fazer o que eu quiser, vadia não tem querer, ENTENDEU? Ela ficou sem nada fazer, estática, apenas olhando para mim, parecendo um robô como aguardando novas ordens.

A coloquei de quatro e comecei a lhe penetrar mais uma vez, bem gostoso, enquanto isso Eu lhe batia na linda bundinha, Milena pediu-me para parar, mas ao mesmo tempo notava que ela queria ainda mais, cada tapa que Eu lhe dava, sentia sua bunda arder mas, ao mesmo tempo ficava mais molhada ainda. Quando a libertei um pouco, como uma gata ela se virou e ainda de quatro caiu de boca no meu pau… E Que coisa mais gostosa, quase me matou de tesão… Nessa hora ouvi o que tanto queria, quando ela me disse: Me chama de sua puta vai! Sou sua!!!
- Puta vadia! Você gosta disso não é cadela safada! E a senti com vontade de querer mais e mais. … Fiquei vendo sua bundinha e ao mesmo tempo lhe batia, EU a agarrei e ela tentava se soltar. Já prevendo que Milena viria a ser realmente minha cadela, tinha providenciado um pequeno par de algemas que trazia em meu bolso, já sabendo que iria usar, e prendi seus braços acima de sua cabeça. Ela meio que relutante, se deixou segurar e algemar.
Mordia devagarzinho suas lindas tetinhas e dizia: – Milena não era isso que você queria?
O melhor de tudo era que ela estava gostando de tudo aquilo! Era loucura, porém a cada mordida, chupão e tapa, ou ainda quando EU puxava seus cabelos ou apertava suas tetas, ela inundava o travesseiro de gozo e lágrimas até que, sem avisá-la gozei em sua cara… EU arfava de tesão, e ela também derretia-se ao contato do meu corpo.
-Agora vou vendar você!
-Pra que? Não faça isso não! Deixe-me ver o que vai fazer comigo.
-Não interessa…

Ela ainda se contorcia, dei-lhe outra boa chupada nas tetas e vendei seus olhos… Ficou com medo, EU procurava ser enérgico e ao mesmo tempo carinhoso e gostoso! Isso era loucura! Ela não via nada, e isso lhe dava uma sensação de desassossego! Quando ela percebeu estava chupando a cheirosa xaninha todinha, com força EU fazia, que a vinha gritar de dor e de tesão ao mesmo tempo, Milena estava todinha molhada, e EU chupava mais e mais, enfiava os dedos em seu ninho de amor enquanto ela se torcia todinha.
EU então lhe perguntei se eu queria mais e Milena ficou calada, daí lhe dei outro tapa e disse: te fiz uma pergunta? Ela logo respondi: -Quero!
-Ah você quer não é safada… Diz agora quem é seu homem diz? Quem te come assim cadela vadia fala!
Ela dizia que era EU com cara de choro, a mandei calar a boca…- Não quero choradeira a toa, fique quietinha, nem comecei ainda… Enquanto EU lhe batia, a fodia, lhe xingava… Ela gozava muito, na verdade gozando várias vezes como a muito tempo disse-me que não gozava… Dai então usei uma palmatória de couro, comecei a lhe bater… Milena chorava e EU lhe batia, mas seu choro era de puro prazer, ela nunca tinha gozado assim antes… A possuí com energia, a fiz gozar feito uma puta, a deixando ainda mais arrombada… Forcei Milena para baixo, bati com a pica várias vezes na sua cara e mandou-lhe chupar até achar que devia parar…
Enquanto EU a chupava ela dizia um monte de coisas pra mim, queria que batesse na sua cara, que mordesse seu pescoço, EU puxava seus cabelos e fazia minha pica chegar até a sua garganta, quase ficando sem ar, mesmo assim ela fazia forças para lamber… Quase engasgou com o jorro de gala que soltei em sua boca…
-Engole tudo vadia, não deixa uma gotinha sequer cair no chão… Para minha satisfação lambeu até a última gota… Então a empurrei para cama, coloquei suas pernas em meus ombros e a penetrei todinha… Ela era gostosa demais, como foi bom!
-Eu sabia que você gostava de apanhar?

Ela balançou a cabeça dizendo que não bem assim e, em resposta apenas ri, na verdade quase gargalhei: levanta a buceta pra mim vai cadela. Me deixa colocar o caralho aonde eu quero minha puta! (até parecia que ela ia impedir, cega e presa como eu estava!). Você não tem jeito, minha cadelinha safada, se fazia de certinha, mas o que você gosta mesmo é de levar uma bela surra…
Dessa vez EU dei cinco tapas tão fortes bem em cima de sua xaninha, que ela chegou a urinar do prazer que sentiu. Ela já não tinha mais controle de nada, já era minha escrava por completo…
- Diz! Confessa que gosta de ser tratada assim vai! Fala!
Ela respondeu: Me bate vai ! Eu gosto sim, me xinga, me faz sua do jeito que você quiser, vai mete todinho vai.. eu sou sua puta, sua cadela o que você quiser, mete todinho vai gostoso, mete!
Daí eu gozei de novo e de novo e de novo… E EU ria, meu riso era como de uma certeza de algo que só precisava ser confirmado: eu sabia que no fundo no fundo você gostava era de ser tratada assim safadinha…

Depois disso a soltei das algemas, tirei a venda dos olhos e vi seu corpo todo marcado, era como gado marcado pra saber quem era o dono, ela não se importou, afinal ela sabia que de minha propriedade mesmo, o que aconteceu depois, conto em outra oportunidade, só posso lhe garantir que a noite foi longa e perfeitamente diferente de tudo que EU já tinha vivido, pois Milena era uma escrava de primeira linha, sabia realmente como servir a um DONO!
E depois daquela noite ela confidenciou-me que tinha descoberto que gostava mesmo era de apanhar e ser tratada como uma vadia, mas tudo isso somente comigo, só EU sabia lhe fazer sentir-se assim…!
Hoje Milena é minha escrava total, faz tudo que for preciso e necessário para conservá-la. Milena se casou, tem dois filhos, um marido que a trata muito bem, mas continua minha serviçal, não nos encontramos como gostaríamos. Nunca mais tivemos encontros considerados normais… Bem, confesso que eu não tenho do que reclamar…rsrsrs!
.-.-.-.-.-.-.-.-.-.
Se desejar receber outros contos de minha autoria, entre em contato através de meu e-mail: dom_grisalho@hotmail.com – ficarei satisfeito por poder mostrar-lhe meus trabalhos.

 

Mary anne_serva fazendo anal

Meu nick name BDSM é mary anne_serva, moro no interior de Santa Catarina, cabelos louros, olhos claros, lábios grossos, 1.70 m. de altura, 65 kilos, seios fartos, pernas longas e bundinha ligeiramente arrebitada; sou casada com um homem bom, bem mais velho que eu e que faz todas as minhas vontades do mundo baunilha, até as que nem imagino, mas é incompleto para as minhas fantasias e menos ainda para satisfazer-me sexualmente, fazendo-me uma mulher sem alegria no dia-a-dia, não tenho prazer na cama e como me faz tanta falta. Compenso essa privação, que meu marido não consegue suprir, com um DONO a quem AMO MUITO e que me fez descobrir o mundo de BDSM – posso dizer que sou uma MULHER quase completa - não o sou mais porque não posso largar tudo e viver pelo meu SENHOR, porque pelo meu gosto viveria apenas para servi-lo. Sei que devo aproveitar o máximo possível de prazer que consigo com o meu SENHOR, pois como sempre digo: “tudo é eterno enquanto dure”, concordam? Espero não cansá-lo e que esteja satisfeito da forma com que procuro servir e satisfazê-lo. Sei que não sou a única que serve a DOM GRISALHO e nem tenho tal pretensão, penso apenas em ser escrava desse homem maravilhoso que a vida me mostrou, independente de ser somente eu a privilegiada ou Ele ter um canil a seu dispor.

Tenho 44 anos de idade e me considero uma pessoa recatada. A minha seriedade no campo pessoal é minha marca registrada em todos os ambientes em que freqüento. Sempre fui assim, talvez a sólida formação familiar que recebi tenha sido o fator responsável por isso. Atravessei os anos mais tenros da minha infância desta forma, longe do apelo sedutor das coisas ligadas ao sexo, mas hoje em dia, tudo que temos a nossa volta é associado ao sexo, desde a TV, com filmes, seriados e comerciais aonde expõem a sensualidade até as conversas de todos ou quase todos nós. Lembro-me na adolescência e até poucos anos atrás de amigas comentando suas curiosidades, suas pequenas ousadias do dia a dia, seus namoros, seus casos, suas traições, etc. Eu sempre acompanhei estes relatos à distância, como se aquelas estórias fossem apenas balelas, exageros, porque todos os relatos que eu ouvia não me pareciam convincentes. As experiências eram narradas como num filme de ficção científica, tudo parecia distante. Eu, aliás, achava que tudo eram apenas inventivas para elas poderem tocar a vida, pois sei (hoje) que a fantasia ajuda e muito a contornar as dificuldades de nosso dia-a-dia. Mas tudo isso era meu modo de pensar até eu conhecer o BDSM, quando tomei conhecimento desta maravilhosa filosofia de PRAZER a minha vida mudou por completo, tomei um rumo inesperado, comecei a entender as narrativas que tinha ouvido e, que achava que eram apenas pensamentos e devaneios daquelas que me confidenciavam seus desejos sexuais. Mas tudo mudou e comentarei a vocês pequenos lances dessa vivencia que tanto amo hoje; após ser agraciada como CADELA minha vida se transformou e, com certeza para bem melhor. Minha existência anterior resumia-se a quase nada interessante e, depois de DOM GRISALHO, a quem sirvo com todas as minhas forças, posso dizer que existo e que sei para que esteja neste mundo: SERVIR a ele, meu DONO, meu SENHOR, meu GUIA e ainda meu INSTRUTOR...

Tenho uma vida ainda quase toda virtual com meu DONO, porque moramos em cidades e estados bem distantes, mas de vez em quando tenho a honra de poder servi-lo, através de algumas oferendas que Ele manda-me fazer e que faço com o maior carinho e atenção. Agora contarei outros lances desta minha VIDA, que hoje é deliciosa, de como ela (vida) se tornou maravilhosa, isto tudo depois que sou propriedade de meu SENHOR... No meu depoimento de hoje falarei quando meu DONO e SENHOR traçou meu cuzinho, pela primeira vez de uma série que não sei numerar, rsrsrsrsrs. Meu Amo amado tomou meu traseiro como desejou, não coloquei nenhuma resistência. Auuuuuuuuuu Delicia, provavelmente não saberei descrever fielmente o PRAZER que tive e tenho, mas tentarei passar a vocês a forma e seqüência de como fui penetrada pelo Meu Amo e Senhor; farei o possível para contar como ele pegou meu rabinho – o que posso adiantar é que foi uma das minhas melhores experiências de VIDA até hoje.

Bom, marcamos de nos encontrarmos em um apartamento de determinado hotel em minha cidade e, quando lá cheguei já sabia o que deveria fazer, meu DONO já tinha me dado todas as instruções. Meu comportamento era de uma PUTA, aliás, que tanto gosto de ser e somente com meu SENHOR consigo colocar esse meu lado para fora, sem recriminações, sem cobranças de nenhuma espécie, sou o que quero e meu desejo é ser a VADIA dele. Por Ele não sou julgada de forma alguma. Bem, vamos lá: tirei toda a roupa e coloquei uma minissaia preta, sem nada por baixo, nuazinha e andei como uma cadela (que como vocês sabem: já sou mesmo, rsrsrsrs). Caminhei até ele e disse-lhe: Meu SENHOR sou sua cachorra, puta, serva, escrava, preciso que Meu Amo me instrua o que fazer, estou aqui para servi-lo da forma que mais lhe convier e desejar.

Procurarei retratar alguns dos diálogos que tivemos... Vamos lá: - mary fica de quatro e não diga uma palavra, você é minha puta e, serve-me apenas para que EU a use! - Fiquei ainda mais excitada, com essas palavras e, incontinente como uma serviçal colocou-me na posição ordenada. Meu DONO me fez ficar debruçada sob a mesa com a bunda empinada para facilitar a ele comer meu cuzinho, que naquele instante parecia que pulsava esperando que fosse arrombada por meu SENHOR. Ele pegou uma caneta apropriada e escreveu em meu rabo: PROPRIEDADE DE DOM GRISALHO. Meu dono ficou passando a mão na minha buceta que já estava encharcada e no meu cu, dizendo: agora vou arregaçar seu cu todinho, minha cadela vadia. Com a minha gosma de prazer besuntou meu cuzinho e logo fui penetrada, fiquei no inicio um pouco parada para facilitar a entrada da cabecinha do PAU, recebi alguns tapinhas (deliciosos, rsrsrs) na bunda e comecei um movimento frenético de vai-e-vem que deixou meu DONO louco e que o levou a um gemido alto e demorado. UUUUUUUUUUiiioooo doeu à primeira entrada, pois fazia tempo que tinha dado pela última vez o meu cuzinho ao meu marido que tem um pau bem menor que o meu DONO, foi preciso tirar o pau de dentro e colocar um pouco de gel porque não entrava de todo e estava ferindo a mim e o meu DONO. Doeu um pouco no começo, mas tudo foi se alargando com a entrada daquela PICA deliciosa. Inicialmente eu gemia de dor e prazer. A dor com o prazer ao mesmo tempo é inexplicável. Não sei escrever em palavras como é bom dar o cu, pois o prazer com o conseqüente gozo é totalmente diferente do que dar e gozar na xana. Eu não tinha idéia, antes de conhecer meu DONO, de que era tão bom, pois minha experiência anterior foi desastrosa.

Eu gemia e Ele me xingava (ou elogiava conforme for seu desejo interpretar, rsrsrsrs), e me dizia: mary agora rebola no meu pau como boa cadela que você é. Puxava meu cabelo, dava tapas no meu bumbum e me fudia com vontade, eu me sentia rasgada, mas com uma sensação inexplicável de dar prazer ao meu macho e como isto me excita. Ouvindo isso, ri de alegria e recebi mais alguns tapas na cara e Ele disse-me: - mary Eu falei pra ficar calada, sua vadia, por algum acaso você é surda? Se quiser falar alguma coisa vai ter que me pedir. Essas palavras me deixaram ainda mais excitada, mas mesmo assim perguntei se podia falar? Respondeu da seguinte maneira: - Pode, mas seja breve, você não fala muita coisa de útil....

Então eu disse-lhe: - Meu DONO me bate do jeito que me bateu antes, mas com mais força, e me permita gemer por que está muito melhor do que eu pensava que seria dar meu cuzinho ao Senhor - Ele respondeu: - Pode deixar que vou te satisfazer, vou lhe bater mais do que pensava anteriormente, rsrsrsrs! E dava mais tapas, ora na CARA, ora na BUNDA. Ordenou-me: mary – você é puta, como vagabunda urre.. – respondi: posso gemer? – disse-me geme!!! E Ele puxou os meus cabelos, deu mais uns tapas e disse: - Você perguntou e por isso vou meter em outro lugar. Logo seu pau saiu de meu cu e, enfiou o dedo indicador nele, remexeu bem dentro de mim, o tirou logo em seguida e levou até a minha boca, ordenou-me que o chupasse. Fiquei com misto de nojo e medo, mas estava muito excitada e o seu dedo molhado pelas minhas entranhas entrou em minha boca, chupei-o com facilidade, não me importando de que estivesse a alguns momentos em meu cu, pois o que meu DONO ordenava eu fazia, afinal sou D’Ele e como sua propriedade faço apenas o que quer. – Gostou cadela? mary você é VADIA e eu sei guiá-la. Eu a aceitei como CADELA - Ele me disse essas palavras, com uma voz firme que me arrebatava ás alturas. mary cadela.... quando ouvi meu nome e acompanhada de sua aprovação, me comoveu... Ele continuou: se for boa para trepar como foi para apanhar eu vou deixar você gozar, mas se reclamar eu a faço parar e apanhará como nunca. Tadinha de mim! Eu queria a PICA de meu DONO, era tudo que queria.

Meu DONO enfiava e tirava a cabeça do PAU com facilidade e dava-me mais alguns tapinhas que me agradavam. Em seguida forçou a entrada do resto do PAU e meu cuzinho começou a doer e quase cheguei a pedir pra parar, mas agüentei firme, rsrsrsrs. Ele pegou os meus cabelos novamente, recebi mais uns tapas, dessa vez no ombro e nos braços e retirou seu pau dizendo: - mary vou tirar por que é primeira vez que estou comendo o seu rabo, vagabunda. Essas palavras anestesiaram a nossa TREPADA... eu notei o erro que iria cometer se acaso suplicasse para parar e falei-lhe com lágrimas nos olhos: - Põe de novo, Dono! – Meu SENHOR atendeu-me e começou a colocou bem devagar. Lágrimas caíram mais uma vez dos meus olhos, agora de intensa alegria e felicidade. Alguns minutos depois, meu DONO retirou o pau de dentro das minhas entranhas e ordenou para eu repousar um pouco e deitou-se ao meu lado, fazendo-me deliciosos carinhos. Depois de um tempo, refeita e já sedenta por servir, eu decido fazer-lhe gozar e começo a virar a mexer sensualmente meu corpo e o meu cuzinho em sua direção, e acredite, ele começou a lamber-me. Chupa meu DONO, chupa tudo que é assim que eu gosto! - eu dizia e Ele após lubrificar com bastante saliva, apontou outra vez seu pau para meu cuzinho ainda dolorido e foi colocando devagar. Pegou-me pelo cabelo e fazendo um movimento de vai-e-vem com seu pau, eu gemia de dor, de prazer....mas alucinada gritava come....esse cu....que guardei pra o Senhor....durante esses anos todos......só pro Senhor...meu DONO....reservado ....hannnnnnn .....meu garanhão...come sua mary, sua CADELA ..... estica minhas pregas.....minha bundinha é todinha sua!!! Fui fudida com gosto, que tesao.....que vida maravilhosa é ser SERVA.... alucinado meu DONO gritou agora vai tudo vagabunda e enterrou ate as bolas...e dizia ....esse cu é meu...só meu...... e eu comecei a gozar igual a uma piranha....puta....vadia....cadela...no seu mastro arrombador.

Tadinha de mim, será, rsrsrsrs!!! Fui arregaçada!!! eu ainda gemendo... cansada... arfava, ia se recompondo de ter levado seu mastro em meu rabinho ....suspirava...
Seu pau ainda duro, pois ainda não havia gozado o suficiente, foi tirando do meu rabinho bem lentamente para eu sentir o tamanho do prazer que o aguarda sempre que possível, disse-me abre a boca vagabunda, colocando-o na minha boca... e fui chupando o pau inteiro, chupei as bolas, enquanto meu DONO batia uma siririca na minha bocetinha – Pouco depois colocou a língua no meu cu, fazendo carinhos, umedecendo, que maestria, isso me deixava louca - logo gozei e sem que ele pedisse, engoli toda a porra que saiu do seu cacete delicioso, o que o deixou contente! Digo a vocês: o prazer que DOM GRISALHO deu-me, em toda minha vida somente consegui com Ele, ninguém havia ainda me dado, ainda que de forma parecida, o que senti com esse homem maravilhoso. Essa delicia de poder aproveitar o sexo anal somente cheguei a atingir depois que literalmente me fiz submissa D’Ele. Nossa, agora quando me lembro, eu ainda sinto seu membro pulsando dentro do meu cu, nossa que delicia.

Deitei-me novamente no chão por sua ordem, DOM GRISALHO veio por cima de mim, e meteu todo o seu pau de uma estocada só, soltei um gemido, doeu-me mais que a primeira vez, e eu como boa cadelinha que sou sorri, meu DONO começou a penetrar-me, nossa como doeu desta vez, agüentei algum tempo ate Ele estar outra vez todo dentro de mim, depois começou a bombar e doeu muito, pois estava dolorida das trepadas daquele dia, quase vim a pedir para ele parar, outra vez. Alguns momentos depois Ele parou, levantou-me e me beijou, dizendo que haveria outras oportunidades, porem eu não queria só aquilo, também queria que ele comesse meu cuzinho de novo, então ajoelhei-me e fiz-lhe o meu melhor boquete, quando ele tava a começar a gozar, eu disse, mete no cuzinho Dono por favor, Ele meteu, meteu com cada estocada, as suas bolas quase que entravam também. Depois de repente Ele quase sai de dentro de mim, e muito bruscamente, alguns instantes depois, me disse que tinha uma surpresa para mim, sabe qual era, srrsrsr, gozou intensamente no meu cuzinho, que delicia sensação maravilhosa de ter meu cu inundado pela porra do meu dono.

Logo depois de encher meu cu de seu mel, ele me puxou pelos cabelos e me levou até o banheiro, colocou-me de joelhos e com dois tapas na cara, um em cada lado, me mandou ficar com a boca aberta e começou a mijar na minha cara e boca. Isso mesmo, urinou em mim todinha e então pude sentir outra vez o gosto da chuva do meu Amo e Senhor, me sentindo premiada pelo meu dono..... E com o tempo aprendi que não bastava mais trepar apenas, tinha que ao final de nossos encontros, meu DONO mijar-me inteirinha, eu só me fartava se recebesse um banho bem gostoso. Meu DONO tem que ficar tomando água o tempo todo, pois ele quer e eu queria cada vez mais receber seu “xixi” delicioso. Bem, nos acostumamos tanto que hoje, apenas ao colocar seu pau na minha boquinha e, lá mesmo meu SENHOR já mija ou dá sua pôrra, eu engulo tudinho o que ele me oferece. Fico prazerosa, feliz, satisfeita – afinal sou uma CADELA e apenas sirvo para dar PRAZER a ele.
Quando cheguei em casa e fui tomar banho, que eu notei: meu cu agora tem um buraco, hahahahahah. Eu tenho varias fantasias que quero realizar com ele, querem saber?

Quero colocar uma calça bem justa, uma blusa bem ousada no decote, mas sem calcinha e sutiã e sentar em um bar de quinta categoria e como uma puta bem vagabunda quando Ele passar, eu vou chamá-lo e perguntar quanto me paga para eu entrar no seu carro e chupar a sua rola, até não agüentar mais e jorrar sua porra gostosa na minha boca. Nossa isto vai ser uma loucura, nossa só de pensar já fico molhada.

A outra quero passar uma tarde inteira com Ele em um quarto de motel, com hidromassagem, encher de espuma, uma boa taça de vinho. Quero que ele me coma na hidro, principalmente o cuzinho, pra que eu me sinta ainda mais ser sua cadela. Depois no chuveiro e também na cama. Aliás, em todo lugar, pois adoro a PICA de meu DONO. Ao final ficarmos relaxados, entrelaçados, para descansar, ouvindo uma boa musica, Ele me fazendo carinho.

Outra mais ainda é estar passeando de carro com meu SENHOR e ele parar em uma estrada sem muito movimento, e me foder ali mesmo encostada no capo do carro, levantando minha saia, me traçando como uma puta de rua, enchendo todos os meus buraquinhos com sua pica gostosa...... Bem acho que poucos de vocês irão ficar sabendo de nossas fantasias. Quem sabe continuarei escrevendo e relatando as peripécias de meu amado DONO, junto comigo, claro, rsrsrsrsrs.....
Bom, para encerrar: vou falar a vocês, como é bom, melhor dizendo é demais dar o cu para o Meu Amo e Senhor, indescritível a sensação que eu tive hoje, estive nas nuvens e, quando me lembro, fico molhadinha novamente .

Esse é mais um lance da história verdadeira de mary _serva, a puta de DOM GRISALHO.
.-.-.-.-.-.
Se desejar receber outros contos de autoria minha autoria, entre em contato através de meu e-mail: dom_grisalho@hotmail.com – com certeza ficarei satisfeito por poder mostrar-lhe meus trabalhos.

 

 

Luana: a aluna safadinha!

Olá, meu nome é Luana e que o que escrevo abaixo aconteceu realmente.
Tenho 19 anos, resido em São Paulo-capital, falarei apenas isso, porque poderão reconhecer a mim e ao meu Senhor. Gosto demais de um professor chamado Srº Antonio, carinhosamente chamada de Prof. Antonio pelos alunos da escola. É um coroa muito bonito, charmoso e com uma voz firme que mexe com a gente, sonho com Ele direto me possuindo e acordo molhadinha acreditem.
Certo dia na escola eu estava de péssimo humor e o provoquei, acabando por discutir com o meu querido professor sem razão alguma, mas sei que o deixei uma “pilha de raiva”. Ficou muito furioso comigo, acho que se pudesse me daria uns tabefes na hora e, logo depois acabou indo embora. Isso ocorreu na quarta-feira logo de manhã. O resto da semana Ele ignorou-me, nem sequer olhava para mim, e eu estava totalmente aflita e não sabia como pedir perdão a Ele pela minha infantilidade.
No sábado próximo houve uma festa da faculdade, em que todos estavam presentes, o corpo docente: diretoria, professores e auxiliares dos diversos setores da faculdade e ainda nós, alunos. A festa transcorria normalmente, sem nada demais a acontecer, quando por volta da 01,00 hora da madrugada, Ele veio na minha direção, fiquei dura, não sabia como reagir e me puxou para perto D’Ele com força e disse: “luana daqui a pouco vamos sair juntos, precisamos conversar e você vai dormir na minha casa hoje! Conversa bem séria”, eu perguntei: “porque”…. Ele respondeu: “não faça perguntas, apenas obedeça senão vou te “lascar” nas notas….”. Senti um frio na coluna, um arrepio pelo corpo todo e foi o que fiz: obedeci, pois estava com medo que Ele desse mesmo uma nota baixa e acabasse ficando com a matéria novamente para o próximo ano, carregando em dependência e, fora isso achei que era uma boa oportunidade de resolvermos nossa situação que gerou briga e reatarmos a amizade…. Mas uma coisa tem que ser falado a vocês, quando Ele conversou comigo, falou de uma forma enérgica, bem autoritária e confesso que gostei de ter recebido ordens… Não sei como, acabei ficando bem excitada, rsrsrsrs….
Quando deu o horário Ele me chamou, fui até seu carro, e durante o caminho até sua casa não abriu a boca….estávamos um pouco alto pela bebida da festa….Chegando em casa o professor foi subindo até seu quarto e eu fui na frente como me foi mandado…. Quando chegou à porta do quarto, outra vez enérgico, falou-me: “luana ajoelha! Aqui no meu quarto você é uma vadia e só vai andar ajoelhada….”…Eu pensei que estivesse brincando e dei risada….Isso deixou-o irritado, em seguida pegou meu braço, torceu com força e que fez com que Eu ajoelhasse sozinha… então disse-me: ” Eu não estou brincando sua vadia….acho bom você fazer tudo que EU mandar…será melhor pra você….” Dizendo isto me deu um tapa na cara bem forte….. Não esperava a reação que tive: comecei a sentir muito tesão e medo ao mesmo tempo…. Eu estava gostando de ser dominada pelo meu professor….
Mas resolvi obedecer tudo que Ele mandava…. Então fui andando ajoelhada até o lugar que Ele ordenou, onde ele me deu outro tapa na cara, desta vez bem mais forte e disse: “luana você é uma cadelinha!! Ta ouvindo?? Vadia ….” Eu apenas respondi: “Sim, senhor”…
Então ele mandou-me ficar de quatro em frente à poltrona que ele sentou, Esticou os pés sobre minhas costas e ficou durante algum tempo…. Que sensação maravilhosa, ser assim tratada!!! E continuei lá de quatro servindo de apoio para meu Senhor, apenas esperando a próxima ordem.
Depois de uns trinta minutos nesta posição, mandou-me ficar de joelhos e disse: “luana agora você vai chupar meu pau, como uma vadia….!….” Tirou-o para fora e que delícia que era: grande e grosso!! E muiiito bonitoo… A essa altura meu tesão era enorme…. Estava sendo a putinha do professor e ainda iria chupar seu pau delicioso, que sonhava há tanto tempo….Antes de chupar, ele me deu uma surra com uma régua de madeira, dolorida - batia forte na minha bunda e na cara e, xingava-me de tudo quanto era nome, entre eles: putinha, vadia, safada, cadela, etc.... e sabem que estou gostando e muito, rsrsrsrs.
Em seguida mandou-me suplicar pelo seu pau: eu o fiz…implorei que ele deixasse chupar aquele belo exemplar.. Que delícia de pau…. ele me segurava pelo cabelo e enfiava-o inteiro na minha boca…e me deixava quase engasgar….Ele que coordenava o que eu fazia…. Eu era apenas a sua escrava….. Ele começou a foder minha boca com força…..Tirou o pau e gozou muito no chão do quarto….e disse: “luana agora você vai limpar tudinho com a língua!! Se ficar uma gota no chão vai apanhar, sua putinha” e dizendo isso me deu outro tapa forte na cara! “Sim Senhor” respondi.Eu limpei tudinho com a boca…. engoli todo o gozo que meu Senhor jogara no chão. Enquanto isso Ele foi no banheiro…..
Quando voltou mandou que eu Ficasse de quatro na beira da cama…. obedeci e Ele começou a esfregar-se no meu cuzinho…Eu gemia de prazer, mas me batia mandando eu calar a boca…. De repente Ele começa a enfiar o pau em mim com força e me xingar muito…. Eu sentia muita dor, fazia tempo que não tinha mais penetração anal, sem a prática estava doendo, mas ao mesmo tempo a sensação era maravilhosa, difícil de explicar…. Senti seu membro esquentando.. Pegando fogo.. Ele foi enlouquecendo e eu também.. já não víamos nem ouvíamos mais nada.. o mundo se fechou ali naquele momento…que delícia...possuiu-me, eu era D”Ele.
Depois de usar meu traseiro, ele repetiu o ritual, mas agora na minha xaninha. Falo a vocês, que penetração deliciosa, difícil de descrever, apenas falo que nunca tive um homem como Ele e, gozou tudo no chão outra vez e, mandou-me limpar com a boca….Eu obedeci rapidamente a ordem do meu agora DONO….Depois disso me deu uma seqüência de 3 tapas fortes na cara, apertou meu rosto e disse: ” você gosta de ser judiada cadelinha?!!” “Sim Senhor” respondi. Disse isso e deitou em sua cama e acabou cochilando….e eu fiquei lá na poltrona a noite toda, batendo siriricas lembrando da noite incrível que estava tendo, e com dor no cuzinho por ter sido arrombado por meu Senhor…..
De manha, quando Ele acordou era outra pessoa… estava muito legal e disse: “Bom dia luana, não consigo lembrar de nada que aconteceu ontem….” Era obvio que Ele estava mentindo, mas achei melhor concordar e também respondi: “É professor, bebemos muito, também não me lembro nem como cheguei aqui….” e Ele respondeu: ”luana o importante é que reatamos a amizade….”
Levantei-me, disse tchau e fui embora pela rua meio tonta, meio sem acreditar no que havia feito. Mas com uma sensação de que seria um momento único, inesquecível e foi mesmo.. e creio que Ele também não deixará de recordar os nossos momentos, embora tenha se mostrado “esquecido” na manhã seguinte, rsrsrsrs
Nos dias que se seguiram, na faculdade, o professor me tratou com naturalidade e nunca mais tocou no assunto…. Mas esta noite vai ser relembrado de que sou sua cadelinha, pois vou atrás D’Ele e com certeza se lembrará de tudo…..rs
Se desejar receber outros contos de minha autoria, entre em contato através de meu e-mail: dom_grisalho@hotmail.com
 
 
– ficarei satisfeito por poder mostrar-lhe meus trabalhos.

 

Garçom gostoso e safado

Olá meu nome é Lucas, tenho 21 anos, sempre leio os contos daqui e quando me interesso adiciono as pessoas no MSN pra ver se rolar alguma coisa.
Vou contar aqui o que aconteceu comigo dia desses. Moro numa cidadezinha do interior e faço a faculdade a noite. Diariamente frequento um bar que há perto da faculdade, e um dos maiores motivos que me leva até o bar é um garçom que trabalha lá. Ele chamasse Caio, moreno, olhos e cabelos escuros, aproximadamente 1.70 m e uns 75 kg, aproximadamente 23 anos, gostoso pra caralho, tatuado e do tipo safado. Sempre que vou ao bar não consigo tirar os olhos dele, mesmo eu não sendo afeminado e bastante discreto, o Caio já havia percebido as olhadas que eu dava nele e em sua mala.

Em uma sexta à noite fomos com a galera para o tal bar, bebemos algumas cervejas e caipiras, certa hora resolvi ir ao banheiro, até ai tudo beleza. Quando entro no banheiro (coletivo), não havia ninguém, então tirei meu pau pra fora e comecei a mijar, de repente percebo que entra alguém no banheiro, era o Caio, então ele se posiciona pra mijar também, ao meu lado, e fala: E ae viadinho, é disso aqui que você gosta né ( pegando no seu pau)? Na hora dei aquela olhada para o seu pau, que maravilha, estava mole e devia ter uns 15 cm, mesmo mole. Então respondi: Eu que sou o viado né, não pode ver um macho indo pro banheiro que vai correndo atrás. Ele não respondeu nada. Terminei de mijar, ainda estávamos sozinhos no banheiro, quando estava lavando minha mão ele fala: Mora aqui perto? Respondi que sim, ele pergunto, sozinho? Sim. Foi nessa hora que ele me perguntou se estava afim dele, na hora fiquei meio sem reação, então ele falou, passa o número do teu celular que te ligo quando estiver indo pra casa, dei meu número e ele me passou o dele. Voltei para a mesa e fiquei imaginando o que poderia acontecer depois. Já eram umas 23:30 quando todo mundo foi embora e eu também, cheguei em casa e fiquei esperando o celular tocar, passado uma meia hora ele me liga e pergunta: Ainda esta afim de levar uma rola no rabo?? Dei uma risada e lhe passei o endereço da minha casa, em poucos minutos ele chegou, e pediu se poderia colocar o carro na garagem, mesmo morando sozinho não quis levar ele pra minha casa, falei que em casa não dava, então fomos para um motel que eu já conhecia, perto da minha casa. No caminho todo ficamos praticamente calados, chegamos no motel, ele meio sem jeito ainda, e eu nem acreditando que aquilo estava acontecendo. Ele tirou a camiseta e deitou na cama, então pegando no seu pau, falou pra mim se eu não queria mamar, nem respondi, apenas arranquei minha camisa e fui. Comecei beijando por cima da calça mesmo, logo tirei sua calça e sua cueca e a minha também, que corpo, super definido, poucos pelos. Continuei o boquete por mais uns 5 minutos e ele forçando minha cabeça com suas mãos e gemendo já de tesão.

Mandou eu ficar na posição de frango assado que iria comer meu rabo, então olha na carteira e diz que não tinha nenhuma camisinha e por coincidência eu também estava sem nenhuma, na hora fiquei meio com medo, pois sem não rola. Mas ele me disse que por ele não haveria problemas e que ele sempre se cuidava... Molhou bem a cabeça do seu pau e o meu cuzinho com seu dedo e colocou tudo aquela piroca no meu rabo, senti muita tesão, então ele começou um vai e vem, meu rabo estava quente e eu prendia seu pau com meu cu, ficamos um tempo naquela sensação gostosa, quando ele avisa que ia gozar, começou a meter mais rápido e logo gozou, nossa que delicia aquele leite quente no meu rabo. Tirou seu pau do meu cu e deitou na cama novamente, estava todo suado, então comecei a lamber seu corpo, quando ele pediu que eu o chupasse novamente, desci até seu pau, que estava todo melado e com um cheiro que me deixava com mais tesão. Comecei chupar seu pau novamente e a bater uma punheta pra mim ao mesmo tempo, logo ele disse que iria gozar então fui mais devagar, pois queria gozar junto, pouco tempo depois gozamos os dois juntos e eu mamei todo o seu leite. Ficamos ali deitados mais um tempo, então tomamos banho, e fomos pra casa. Chegando na minha casa ele pediu para dormir lá, não consegui dizer que não. Como moro em um apartamento pequeno, tenho apenas uma cama (de casal), entramos e falei pra ele que teria que dormir comigo, disse que não teria problemas, tiramos a roupa e nos deitamos, que noite maravilhosa, ter aquele macho ao meu lado. No outro dia ele foi embora logo cedo, e eu continuo frequentando o bar, porém não rolou mais nada.

Se você gostou e estiver afim de uma foda gostosa meu e-mail é llucas_23@hotmail.com

No banheiro da escola

Eu tenho 18 anos, mim chamo Lucas, estudo o terceiro ano do ensino médio tenho um corpo, vamos dizer, Malhadinho, 1,65 Alt., cabelo Loiro, sempre gostei de freqüentar a escola, pois acho ser fonte dos nossos conhecimentos, era uma dia de Quinta-Feira os professores quase todos tinham compromissos durante o dia, e não poderia aparecer na escola, sabe aquele dia que não tem quase ninguém na escola, então, decidir ir ao banheiro mijar, estava vestido em uma calça, blusa do uniforme e Sapato, No banheiro tem somente 2 vagas , uma era pra deficiente , E a outra era normal pra todos, decidir então ir no de deficiente já que o outro estava ocupado, quando eu ia entrando, saiu um moleque, Felipe, o mais gostoso da escola, malhado ,1,70 ,Cabelo moicano, estava com calças justa ao corpo, dava pra se ver o volume dele.

Eu perguntei assim pra ele: -Vai usar o banheiro ainda? , Ele sorrindo disse: - Não, pode ficar à-vontade! Eu entrei no banheiro e urinei ao sair do banheiro vi que ele estava a eu olhar de longe, dei uma breve olhadinha, Ele com a mão no pau, deu uma piscadinha.

Nossa eu delirei de tesão, entrei pra sala de aula e terminei minha atividade, Logo em seguida a professora liberou agente .No outro dia eu com intenção de ver aquele homem novamente, Fui ao banheiro ele estava no final do corredor quando mim viu, eu entrei e fiquei esperando, cara quando ele entro não mim segurei,Encostei ele na parede e beijei-o esfregando meu corpo sobre o dele,pegando no pau dele que já estava uma vara, deveria ter 17 Cm,devagar eu fui abrindo o Zíper da calça dele, uma calça justa mais de outra cor, uma cor verde, Abracei ele poupado a bunda dele, decidimos entrar pro banheiro, caso ficasse ali alguém visse, entramos na vaga de deficiente pois tinha mais espaço, tranquei a porta logo em seguida desabotoei o botão da calça dele tirando o pau dele pra fora, e fazendo um belo Boquete.

Ficamos uns 20 minutos no boquete, depois ele mim puxou e tirou minha calça pegando fortemente em minha bunda, por eu ser novo é empinadinha, E mim levantou Abrindo minha bunda , colocou um pouco de saliva no dedo e colocou na portinha do meu cuzinho, E amaciou espalhando a saliva, sentando no vaso sanitário ele pediu pra mim sentar no pau dele, eu como estava louco pra ver aquele pau entrando dentro do meu cuzinho sentei, Nossa escorreguei naquele pau , estava com muita dor mais conseguir botar aquele pau pra dentro, E sentir os pêlos encostando em minha bunda, encostando os ovos dele em minha bunda, eu delirava de prazer, ele fazendo vai e volta, Depois ele pediu pra mim ficar de quatro, mais o piso estava sujo de urina, Ai então fiquei de quatro encima do vazo sanitário, ele encostou aquele pau delicioso na portinha do meu cú e começou a bomba forte muito forte eu gemia de prazer e dor, Nossa aquele dia pra mim foi uns dos melhores que eu já tive em minha vida pois o Felipe mim comeu dentro do banheiro da Escola, continuamos nos encontrando, mais com pouca freqüência!
Bom esse foi meu conto isso aconteceu mesmo na minha escola, Querem mim adicionar no MSN?

Pega aí: lucasdanoite2010@hotmail.com

 

Um Namorado Maduro

Já relatei varios momentos da minha vida sexual aqui. Mas esse tem um gosto um tanto especial.
Havia quase quatro meses, que eu estava solteiro e praticamente virgem novamente. Todo ano aqui em Manaus tem uma festa chamada 'CaranaBoi' (é o Boi-Bumbá no periodo do Carnaval, duas noites de festa, onde so toca toadas dos bois garantido e CAPRICHOSO). Nessa noite eu fui sozinho, mas fiquei de me encontra com minha amiga Ana, que estaria com o seu marido. Porém, eu nao a achei e fiquei por um bom tempo só. Dancei penks. Até que quando fui da uma volta (pelo Sambodramo de Manaus) parei num bar e de longe vi minha outra amiga Dani. Fui ao seu encontro falei com ela e sua namorada e perguntei se ela podia me emprestar o seu celular, pois o meu havia descarregado. Ela prontamente me deu. Liguei para Ana, mas ela nao atendeu. Resolvi ficar por la e dancei com ela. Eis que a namorada da Dani chega com um cara que eu nem dei thum pra ele. Tava louco pelo dancarino do bundao. Eles se sentaram e a namorada da minha amiga o apresentou. Seu nome era, Julio. So quando ele estendeu a mao para mim, que eu realmente dei uma olhada pelo 'produto' que era ele. Um homem por 43 anos, corpo atletico e cabelo meramente grizalho. Fiquei louco. Seu sorriso me prendeu loucamente e seu olhar penetrante (olhos verde) me prendeu ainda mais quando se encontrou com os meus.
Começamos a conversa... Quer dizer, ele com a namo da minha amiga e eu prestando atenção na conversa deles. Ele era do Rio, mas sua mae era de Manaus e sempre que podia passava as ferias na cidade. O que tava acontecendo. E estava terminando seu doutorado e pretendia dar aula na cidade. Meus desejos por ele se perdeu, quando eu me encontrei com o marido de ana pelo acaso. E eu fui pra la com eles. Me despedi de todos e ele se levantou e se despediu so com um aperto de mao.

Ainda nesse dia eu fiquei com o dance do bundão... Conto depois...

Voltando.

Na semana seguinte, na segunda-feira, recebi um ligação dele. Disse que minha amiga Dani havia dado o meu numero para ele. E que ele estava na frente da minha casa e que levaria para a faculdade naquele dia. Eu nem exitei, aceitei na hora. Quando sai de casa, ele estava encostado de frente para a porta do motorista, me recebeu com um sorriso enorme e lindo. Entramos no carro e fomos para a faculdade. Conversamos sobre tudo, menos sobre sexo. Quando tentava colocar o assunto como pauta ele mudava de assunto... E assim se passou os dias. Em vez de ter que esperar na parada meu onibus, tinha um motorista particular que ñ queria nada comigo. E nessa passou um mes. Tava louco pra perguntar qual era a dele, mas eu nao conseguia.

Tem uma festa gay aqui na cidade chamada, A Noite do Tudo Pode. Eu fui. Lá eu conversei com um carrinha, mas nao foi a msm coisa como era com o Julio. So conversamos e nessa noite eu nao fiquei com ninguem. Estava decidido a botar pra cima do Julio. Na segunda ele me mandou um sms dizendo que nao poderia me levar. Perguntei, pq? Mas nao me veio uma resposta. As semanas se passaram.
Quando estava passeando no shopping, ele apareceu e ficou do meu lado. Nao sabia oq falar. Ele nao me ligou mais, nao me mandou mensagem, nao respondia as minhas... Depois de muito silencio resolvi perguntar, oq havia acontecido com ele que havia sumido. Ele meio sem graça disse que havia me visto na festa do Tudo Pode e resolveu sair fora. Pois eu nao gostaria de ter nada com ele. Incredolo perguntei, como assim? Se voce me fizer a pergunta que quer tera a resposta que quer. Essa foi a deixa. Ele me pediu em namoro e respondi dando um selinho nele e sai andando. Ele ficou sem reação. Estava vermelho. Partimos de la para o primeiro motel que encontramos.
Ao chegar la, parti para cima dele e ja fui o beijando e tentando tirar a sua calça. O derrubei na cama e ele terminou de tirar a calça, enquanto eu tirava minha camisa. Puxei sua cueca e pude ver todo aquele instrumento (nunca medi, mas era do entorno de 18-23cm e muito grosso). Cai de boca. Chupei loucamente. Ele delirava de prazer. Eu engolia tudo, nao sei como consegui, mas eu consegui. Beijava, batia com ela na minha cara e boca e o punhetava. Ele disse que ia gozar e disse para ele gozar. Veio tudo na minha cara e enquanto ele gozava eu continuava chupando-o. Foi otimo. Depois ficamos completamente nus. Fiquei de quatro pra ele e ele começou a lamber, chupar e enfiar a lingua no meu rego. Pegou meu pau virou pra traz e me chupo. Naquela posição, eu gozei muito na sua boca. Depois ele foi pegar camizinha na sua carteira. Fiquei de ladinho para ele. Ele veio por traz, me abraçando e aos poucos foi enfiando. CARALHO!! Gritei. Era muito grande e grosso. Pelo menos pra mim que ja tava tanto tempo sem dar. Ficamos assim por um tempinho. Depois fui para cima dele, meti seu pau dentro do meu cu e comecei a pular loucamente. Ele se sentou e me abraçou e chupava o meu peito... Fiquei de quatro e ele sem pena, nem dó meteu de uma vez. Doeu ainda mais. Eu gritava e ele me chamava de puta, vagabundo, sabado, meu viadinho gostoso... Foi quando ele anunciou o gozo... Acho que pelo excesso de velocidade que ele fez a camisinha rasgou e senti todo o seu gozo invadir meu cu... Parecia que tinha mais do que a primeira gozada. Eu fiquei louco, nem pre preocupei.

Depois desse dia namoramos por cerca de seis meses. Depois ele teve que voltar para o Rio, pois o seu pai estava mto doente e por la ficou. Ele pediu que eu fosse mora com ele, mas eu havia começado a trabalhar e ele compreendeu... As vezes ele volta...

Mas depois eu conto essas suas voltas... Assim como o dancarino do bundão.

passivodmanaus@hotmail.com

 

O fim do meu namoro

Bem eu ja relatei por aqui como sou... é so procurar o conto A Tres E Melhor.
Vamos la... Esse acontecimento rolou a uns dois anos atras. Ja namorava a quase 6 meses com o Eduardo. Ele era realmente linda. Nos conhecemos na academia. Mas vou deixar bem claro que nunca pratiquei. Fui so acompanhar uma amiga. Passeando por la eu o conheci. Me chamou para a lanchonete e começamos a conversa... Conversa vai conversa vem... Ele me chamou para a sua casa e logicamente eu fui... (Não irei entrar em detalhes) Desde entao começamos a nomorar as escondidas.
[...]
Um mes de estarmos juntos, eu começei a trabalhar em uma empresa como menor aprendiz (auxiliar administrativo). Meses se foram e ja era o mes do meu aniversario. Sempre tive o bom relacionamento com os meus companheiros de trabalho, mas nao foi por isso que sai. O Eduardo nunca gostou muito de eu tralhar la. Principalmente das historias que eu contava para ele, de lá. Um dia antes do meu aniversario, eu recebi uma festa surpresa no trabalho. Deveria passar a noite com o Edu, mas nao rolou. Fui pego de surpresa com presentes e um bolo lindo. Curti muito a festa. Quando peguei no meu celular havia diversas chamadas perdidas do celular do Edu. Nesse dia o meu chefe me foi deixar em casa. Ele eh o sonho. Qualquer pessoa de bom gosto gostaria que ele fosse seu chefe.
Nesse dia ele usava um terno preto, com listas brancas finas. Uau!! Ate hoje vou a loucura quando vejo um homem vestido assim. Ele era e realmente eh lindo. Devia ter uns 1,80m, corpo malhado e forte. Suas roupas eram perfeitas em seu corpo. Destacava muito bem os seus muscolos. Um moreno claro, de cabelos negros, pele linda e o que matava todos. Um par de olhos castanho claro, quase verdes. Deixou-me em casa. Nos despedimos e tronto. Ah! o meu chefe se chamava Paulo.
No dia seguinte foi festa em casa... So deu para me encontra com o Edu a noite. Fui para a casa dele. Chegando la a primeira coisa que ele notou foi a minha calça. Ela destacava perfeitamente as minhas pernas. O que nao era de se jogar fora, principalmente o belo quadril que eu tenho. Todos ficaram me olhando. Nao consegui mais comer bolo e expliquei o motivo. Quando fomos para o quarto ele perguntou o porque de eu ter comprado aquela calça e disse que o meu chefe havia me dado... Edu nao gostou nenhum pouco. Ele disse que o meu chefe estava afim de me comer. Eu ri e dei um beijo nele.

Uma semana se passou...

Nesse dia eu trabalhei ate tarde. Iria tirar ferias e nao queria acumular trabalho quando voltasse. Nesse dia, quando me arrumava para ir embora, vi que a luz da sala do meu chefe ainda estava acesa. Fui para apagar. Quando apaguei tomei um susto quando o meu chefe disse: - Eu ainda estou aqui. Mas o que voce faz aqui? Demorei para responder. Estava em estado de choque com aquela visao. Ele estava deitado no sofa, com uma perna no chao. Aquela posição destacou o volume de sua calça. Quando ele se sentou é que voltei a mim e respondi que estava adiantando o trabalho. Dei tchau. Quando estava para ir embora ele deu um pulo do sofa e me segurou por traz. Entao pude sentir o seu penis. Ele estava meio duro, mas o volume era maravilhoso. Ele disse que nao dava mais e que estava pensando em mim. Virou-me e me beijou. Foi maravilhoso. O joguei no sofa, tirei a minha camisa e pulei em cima dele. E começamos. Ele me beijava de uma forma apaixonante e eu retribuia... Depois tirei a sua calça. Deparei-me com uma cueca box branca. Ela destacava muito bem a prefeição daquele instrumento. Botei para fora e começei a mama-lo. Ele ia a loucura. E eu amava tudo aquilo. Chupei com muito gosto, ate que ele me disse que ia gozar. Aumentei a velocidade do vai e vem e eis que sinto todo o seu jato em minha boca. Nao consegui ficar com a boca la. Alem dele ter gozado muito, seu instrumento alem de ser grosso media 21cm... Ficamos de pe, ele tirou toda a minha roupa e depois a sua. Colocou-me no sofa e começou a me mamar. Eu fui ao delirio. Depois de alguns minutos anunciei que ia gozar. Gozei. Ele engoliu tudo. Depois disso nos beijamos. Seu corpo estava por cima do meu e eis que começo a sentir a cabeça de sua pica no meu burraquinho. Ajeitei-me e ele meteu. Ai! Eu gritei. Entra metidas e saidas ficamos assim. Ele comeu de frango assado. Depois mudamos de posiçao. Começei a golotar no seu pal enquanto ele empurrava ao mesmo tempo... Ficamos assim por uns momentos. Depois ficamos de ladinho. E assim se foi... Gosei e muito no meu corpo. Ele passou espalhou o esperna com a mao e depois chupou os dedos... Ele nao disse nada. Cada vez mais ele enterrava com mais força. Depois ele simplesmente puchou de dentro de mim e gosou por todo o meu corpo. Gotas ate chegaram ao meu rosto...

Uma semana se passou...

Quis pedir demissao mas ele nao aceitou. Prometemos nao contar a ninguem e principalmente deixar que acontecesse de novo (o que nao aconteceu). Nao aguentava mais.
Chamei o Edu para uma conversa e contei tudo o que havia rolado. Ele nao acreditou. So nao me chamou de santo. Quis me dar uma tapa, mas teve coragem. Terminamos e Nunca mais nos falamos...

passivodmanaus@hotmail.com

 

Finalmente criei coragem

Oi minha baixinha, que de baixinha só mesmo o apelido carinhoso dessa mulher incrível, que tem o poder de me seduzir e extrair de mim todo o prazer que já experimentei ser capaz de dar e receber. Poder compartilhar minhas fantasias mais eróticas, meus desejos mais intensos, carnais, primitivos e portanto verdadeiros sem nenhum pudor oiu vergonha me dá ainda mais certeza de que nossas existencias e nosso enconbtro em lugar tão distante nunca foram por mero acaso. Adoro essa cumplicidade que temos. Adoaria ver você tendo a mesma liberdade para se abrir, primeiramente consigo mesma, dar vazão aos seus desejos secretos e fantasias, alimentálas, permitir que aconteçam antes em seus sonhos e depois, assim como eu, compartilhar vontades, anseios, desejos....

Da minha parte, já sabe que desde a muitos tempos, não vejo limites de gênero no sexo, e aprendi a aceitar que todos os sexxos me dão prazer, que gosto de dar prazer a todos, e que meu ego, meu narcisis mo, mesmo quando controlados norteiam minhas aventuras. gosto de quem se exibe para me atrair, gosto da exposição descarada que se faz para provocar, excitar, envcolver e conquistar.... Gosto de fazer o mesmo e quando tive poucas oportunidades de fazer acontecer, permitir a concretização dessas vontades, quase todas foram muito prazeirozas. Aprendi que gosto muuuuuito de uma bucetinha, amo sexo oral, adoro brincar e fazer uma mulher enlouquecer através de meijos, carícias e manipulações tanto do grelinho (clitóris...), quanto da dita cuja .... adoro lisinha, peludinha, rosinha, escurinha, mas sempre molhadinha de tesão.... descobri também que cu é muito bom, que sexo anal dá muito prazer, antes de comer, vc já sabe, meu primeiro sexo na vida, foi dando minha bundinha para um primo pausudo, porém carinhoso...rs !!

Escondi isso por muuuuito tempo, só depois de ter comido muitas, muitas e muitas bucetinhas e algumas bundinhas de mulheres nota 1000 é que f ui percebendo que algo ainda faltava, ou se não faltava, poderia complementar, apimentar, melhorar... aprendi com você a ter tesão anal com mulher.... sabia !??! Verdade, até hoje me lembro do prazer, do tesão, da magnitude dos meus orgasmos e da quantidade de porra de vários jatos seguidos, e volumosos e longos que só você já foi capaz de me proporcionar.... me lembro de vc com um brinquedo enorme, me olhando perplexa pelo fato de me ver tendo tanto prazer e ao mesmo tempo tentando entender como eu podia aguentar um pau tão grande na minha bunda sem reclamar e vc arregalhava os olhos e babava de tesão, ao ver sua mão empurrando aquele coiso enorme pra dentro de mim, e vc me beijando e me chupando, e eu rebolando e sentindo todo prazer do mundo nos nossos corpos....

Daquela vez em diante passei a aceitar que poderia sim sentir prazer anal, dando.... e uma confusão se instalou na minha cabeça, pois dar a bunda é uma coisa, mas dar a bunda e gostar muuuuit o é preocupante...rs !! Passei a querer saber se era, ou sou bisexual, se sou homosexual enrustido, se gostava de homem e bla, bla, bla.... !! A pouco tempo venho aprendendo a ser mais práticpo nesse sentido, e sei de algumas coisas.... com relação a mulher, aceito, adoro, e me excito com todas as possibilidades a serem propostas sem nenhuma restrição até o presente momento, mas com relação a homens, sei que me excito vendo caras transando, adoro ver uma bunda gostosa de um cara.... adoro que um cara veja a minha bunda e se excite, não só a bunda, mas meu narciso interior me faz sentir tesão por todo aquele que também me demosntra desejo.... gosto de pau grande, cara sarados de pau grande me excitam, mas não curto homem, não me atrai o masculino, nao gosto de cueca, não curto pelos, não me agrada nada a idéia de carinho, beijos e amassos... mas toda relação sexual oral, desde simples boquetes sendo eu o receptor ou o chupador.... lambidas na bunda, no cu.... da mesma forma sendo eu o lambido ou o lambedor.... e o próprio sexo anal em si, onde poucas vezes tive o prazer de me entregar de verdade, e jamais voltei a sentir com um homem com pau de verdade, o mesmo prazer que só voce me deu !!! mas mesmo assim, não desisto da busca... tudo isso alem de gostar de homens com bundas de mulher, sim, não curto a idéia de meter em bunda de homem, comer bunda peluda.... se for uma bunda gostosa, feminina, não to nem aí se tem um pau pendurado em baixo.... Foi sendo prático assim, que passei a ver os travestis, com um certo interesse, e me excitar muito com alguns que se encaixam nessas características.... pois apesar de femininas, corpos de mulher gostosas.... ainda vem com um brinde especial, mas como sou exigente, me atraem as femininas, gostosas, bonitas, e ainda, pausudas... Vale lembrar aqui que para todo o texto acima que se refere a homens e aqui neste parágrafo em especial para travestis, a pele escura, mor ena, negra, pelo fato do mito ser até certo ponto verdadeiro, confesso que as mulatas me enlouquecem sim, mas os morenos e negros bem dotados, sejam estes machos, gays ou travestis, acabam tendo um atrativo a mais !!!

Dito isso, imagino que já até saiba qual tenha sido minha experiência..... e te adianto, foi fantástica, 4 horas de muita intensidade de ambas as partes, pois tive a sorte e a felicidade de produzir nela a mesma atração e desejo..... e vc sabe como ninguém como retribuo essa deliciosa reciprocidade !!! Procurei, passava nas ruas onde elas ficam, umas deprimentes, outras extremamente sensuais, tesudas.... mas foi na internet e em um fórum que encontrei algumas interessantíssimas... e como jamais paguei para ter sexo e pretendo manter isso até o fim, não aceito a idéia de pagar para ter sexo.... se vou transar com alguém, quero que seja porque essa pessoa também quer transar comigo, e nao pela grana.... logo, não era tão fácil assim qu anto parece..... mas um dia, do nada, apereceu uma e começamos a conversar, e ela foi se encaixando perfeitamente num perfil que na minha cabeça já estava pronta. A próxima barreira era vencer meu medo, e ir até ela..... eis que numa quarta feira a taarde, todos os compromissos com outros foram cancelados pelos outros, e fiquei livre a tarde toda, e do nada, ela aparece e me manda uma mensagem..... fui pra casa, tomei um belo de um banho, e fui, com um suporte atlético daqueles que parecem uma cueca sem a parte que cobre a bunda sabe.... só as tiras elásticas e um saco na frente para colocar meu pintinho e as bolas lá dentro..... fui cheiroso e tesudo de calça jeans apertada, e blusa justinha, tipo fortinho, para agradar a minha parceira..... chegando lá, vi ela linda, cheirosa, tb toda produzida, de tanguinha enfiadinha, e cheia de tesão me esperando.... incenso aceso na sla, quase sem móveis, apenas uma mesa de centro grande com camisinhas, KY e le ncinhos umedecidos.... um sofá grande, aconchegante, confortável e mais tarde descobri ser também anatômico..... o quebra gelo foi difícil, sem beijos, abraço meio sem jeito, até que ela se aproxima, me cheira, me pega na bunda e vai abrindo minha calça, passando a mão no meu pau que já latejava de tão duro.... e que adorou me ver puto com aquela cueca que me dixava com a bunda toda exposta.... se excitou muito com a imagem, adorou minha bunda..... pegava nela de mão cheia, e com delicadeza, colocou meu pau pra fora e começou a me chupar.....

Ela ainda de shortinho justinho, calcinha minúscula enfiadinha.... e o pau ainda escondido, não sei onde nem como !!?!!? rsrs .... tirei toda roupoa, fiquei pelado, em pé, ela de joelhos me chupava.... até que sentei no sofá e disse que queria ver ela nua, e ela se levantou, subiu na mesa de centro, e com extrema sensualidade, tirou o shortinho e me mostrou umas das mais deliciuosas bundas que já vi.... redondin ha, durinha, malhada.... com marquinha de sol de biquininho enfiadinho tb.... um tesão !! e veio me chupar mais, e o pau dela aos poucos começou a querer sair daquela calcinha justa e logo não resisti, peguei nele, coloquei pra fora e para minha alegria ainda maior, era um belo de um pau, maior que o meu, e óbvio, não pensei 2 vezes antes de chupar.... a boca salivava, chupei gostoso.... ela mexia na minha bunda enquanto eu a chupava.... fizemos um 69 demorado.... deitados no sofá, ate que ela se levandou e veio me chupando e me lambendo as bolas.... e me lambendo e descendo, e quando percebi, ela mexia no meu pau e me lambia as bolas e o cu, que já piscava e relaxava ao toque preciso da lingua dela.... não demorou, eu estava de lado, ela só me lambia a bunda e o cu..... quando não resisti, fiquei de 4 e ela enfiou a cara no meio da minha bunda e me lambia tudo...... eu sentia um tesao enorme, o pau pingava aquelas primeiras gostas de tesao..... e eu ali, de 4 empi nadíssimo, me sentia a mais puta e mais vadia de todos os vciados.... e eu gostava de sentir isso.... rebolava na cara dele, q se excitava cada vez mais com a minha entrega..... e me chupou muuuuito.... e juntos percebemos que não restava mais nada a fazer a não ser, colocar uma camisinha no pau dele, e sentir aquele pau delicioso, quente entrando em mim...... e ele o fez com muita calma, paciencia e intensidade..... nos arrepiamos juntos..... e adorei sentir ele todo, acabar inteiro lá dentro.... o peso dele em mim, as mãos dele me pegando forte me puxando contra...... eu ali, rebolando em todas as direções.... de 4... depois deitado.... depios ele se sentou e fui por cima.... de ladinho..... e quando percebi que ela tb tinha uma bunda que pedia pau, e fizemos a tão esperada por ela troca, e sem muita espera nem paciencia fui socando o pau duro e cabeçudo pra dentro daquela bunda linda, daquele cu quente, quase apertado...... e pegando na cintura e as vezes enxia a mão lá na frente no pau dela e a punhetava.....

Não a comi com a mesma intensidade nem o mesmo tempo que ela me comeu...... eu já estava com tanto tesão que dei uma gozada deliciosa.... mas ela não..... e ela nao parou, me chupou, voltou a me lamber e eu pedi....." me come de novo !?".... e ela então adorou, e em pé, todo empinadinho, fui sentindo tudo de novo, e ela incansável, nao parava, metia forte, ritmada, profunda e caliente ...... e a coisa foi vindo, crescendo, evoluindo.... e começamos a perceber que algo estava aumentando, eu já de pau duro de novo.... e ela me comendo..... me lembrei de uma poisição que havia feito com você.... e fiquei ajoelhado, e senti o pau todo la dentro, e ela metia, gemia, socava.... eu rebolava, contraia o cu e puxava o pau dela pra dentro.... quase que fazendo uma sucção.... e assim continuamos ao ponto de ficarmos os 2 enxarcados de suor...... e quase na exaustão física, veio a gratificação em forma de orgasmo .... algo muuuito intenso, ondas de chock.... arrepios, espasmos, calafrios.... porra jorrando do meu pau para todos os lados..... as dela ainda dentro do meu cu quase estouram a camisnha.... e logo depois, os outros 4 jatos, na minha bunda....nas minhas costas...quente.... e ficamos ali, suados, gozados entregues ao delírio e calmaria pós tamanha viajem .... quase não falamos nada, poucas palavras, antes, durante e depois..... depois de alguns minutos, me levantei, fui a banheiro, tomei um banho, ela me observava.... saí, me seuqie, fui embora sem cueca.... sem meias.... feliz, realizado...

E assim foi... era só isso que queria te contar !!

escola.vida@bol.com.br

 


Conteúdo sindicalizado