Travesti

warning: Creating default object from empty value in /home/maite/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.module on line 1390.

Humilhação

Oi, volto aqui para relatar o que fizeram comigo sábado, domingo, segunda e terça feira, todos já devem saber que eu sou um escravo e que tenho uma dona travesti que me humilha em todos os lugares que eu vou com ela, e eu amo o que ela faz comigo. Bem, voltando ao acorrido, sábado a noite ela me levou às ruas em que as travestis fazem ponto, chegando em uma pracinha ela retirou sua calcinha e levantou sua sainha na frente, mandou eu abaixar minha calça de moletom só atrás e sentasse em sua picona, quem olhasse para nós acharia que eu apenas estava sentado em seu colo, porém quando alguma travesti passava pelo local em que estávamos ela dizia que estava adorando me comer e falava “Põe sua pica na boquinha dele que ele chupa gostoso demais”, enquanto ela me comia, gozou no meu rabo três vezes sem tirar e sem camisinha, passaram por ali umas oito travestis e eu chupei a pica de cinco, todas elas esporrearam na minha boca eu engoli tudinho, umas até me bateram na cara, não contente minha dona me levou a um local escuro, me mandou tirar toda a roupa e ficar ali a esperando enquanto ela ia conversar com umas amigas, fiquei esperando ela voltar sentado na sarjeta e encostado em uma árvore, depois de uns quarenta minutos ela volta com mais duas travestis e manda eu as chupar e dar o cu para elas, eram duas negras com picas descomunais, duras e com mais de 25 cm. cada, elas me obrigaram a chupar e dar durante duas horas, muitos carros passaram por ali e elas diziam que estavam me arrombando e se eles queriam o mesmo, mostravam como estava meu cu e me batiam muito, me chamando de safado e de putinho, depois de me lambuzarem todinho minha dona mijou em mim e me levou embora, já eram duas horas do domingo, chegando em casa ela me falou que domingo às três horas eu teria que ir na casa das duas que haviam me comido pois ela havia me emprestado e que eu deveria obedecer cegamente todas da casa. À tarde, depois da minha Dona me comer muito, eu fui e lá chegando já fui recebendo a ordem de tirar toda minha roupa e chupar umas dez picas enormes, cada uma que punha a pica na minha boca me batia muito, todas gozaram e me mandaram tomar banho, no BOX que eu estava entrava uma de cada vez, me comia, punha a pica na minha boca e quando ficava dura me comia e antes de sair dali mijava em cima de mim, esta brincadeira só terminou onze e meia da noite, elas me obrigaram a sair com três delas ir ao cinema de um shopping local, assim que a luz apagou fui empurrado ao chão e chupei a pica das três até o fim do filme, cada uma gozou duas vezes, saí de lá com muito enjôo pois havia engolido muita porra sem nada no estomago, antes de ir para casa ainda sentei no colo de cada uma, assim que chegamos eu dei um beijinho em cada e falei que tinha que ir embora pois tinha que trabalhar na segunda, levei dois tapas na cara e um chute no saco e elas me disseram que eu iria dormir ali com elas, pois não seria justo as outras amigas ficarem sem o que comer, concordei com as ordens dadas e fiquei ali, as meninas chegaram da rua e me comiam, batiam e mijavam em mim, não dormi naquela noite pois sempre tinha uma pica no meu rabo que me fazia despertar,passei o domingo, a segunda e a terça nestas condições dando, chupando e sendo mijado, quando fui para a casa da minha dona, estava todo arregaçado, esporreado, mijado e machucado, mas estava adorando isso.Caso algum travesti de campinas queira me comer, na frente da minha dona, entre em contato pois se ela deixar...

rimaju64@hotmail.com

 

Escapadinhas de um casado

Meu nome é Ronny, sou loiro tenho 23 anos, altura 1,80 e muito tesão para compartilhar.
Sou casado, mas sempre costumo dar minhas escapadinhas.
Tenho uma tara louca por travestis, ví vários videos e fotos de travestis, sempre fiquei me imaginando transando com uma delas,porém nunca tive coragem de sair com alguma delas. Já saí com prostitutas, mas não sinto tesão em transas "pagas".
Um dia, saí do trabalho e fui tomar umas brejas com meus colegas de trabalho, chegamos no barzinho e tinha várias mulheres por lá. Derrepente uma loira linda começou a me olhar, e não me contive, caí matando...
Ficamos nos beijando por horas e ela acabou indo embora e me deixando na mão, com um tesão imenso. Eram 9 da noite, eu estava um pouco bêbado e lembrei que havia combinado de levar minha mulher ao shopping, ela já devia estar muito brava comigo, decidi então dar uma volta para melhorar um pouco do porre e chegar sóbrio em casa.
Como estava com tesão, resolvi passar na avenida onde ficam as travestis aqui na minha cidade, só para olhar mesmo, eu mal sabia o que me esperava...
Estava andando com meu carro bem devagar, quando ví uma travesti maravilhosa em uma esquina, e me deu na louca de ir conversar com ela. Dei a volta no quarteirão e a chamei para dentro de meu carro.
Ela foi chegando perto e ví que ela era realmente muito linda, tinha pernas grossas,um bumbum arrebitado, cabelos longos negros como a noite e uma pele branquinha como a lua. Ao se sentar ao meu lado não tive dúvida, pensei comigo mesmo, "é hoje!", perguntei a ela quanto era o programa, e fomos para um motelzinho que tinha ali perto.
Chegando lá não sabia o que fazer, estava me sentindo um peixe fora d'água, disse a ela que era minha primeira vez, e ela me já respondeu animada:
"-- Quer dar o cú?"
Respondí que não, e disse que era minha primeira vez com um travestí, ela então tirou toda sua roupa e ví que ela era mais linda ainda, pois, seus seios eram naturais, e sua pele era uma coisa que nunca havia visto em toda minha vida!
Comecei a chupar os seios dela e logo segurei seu cacete e percebi que ele estava ganhando vida, logo ela me mandou chupá-la. Fui chupando com gosto, nem parecia que era a primeira vez, tinha um gosto muito delicioso, logo ela começou a soltar as primeiras gotas, e percebi que ela estava com muito tesão também.
Ela se virou e me pediu para comer seu cú, foi o que fiz, ficamos num vai e vem gostoso, ela de quatro e eu mandando ver naquela bundinha suculenta. Gozei gostoso, mas consegui enganá-la para que a transa não acabasse. Perguntei para ela se ela gozava, ela me disse que sim, mas precisava de um caixinha. Ela pediu para eu chupá-la novamente. Fiquei um bom tempo chupando o pauzão dela, estava muito gostoso, até que percebi que ela estava ficando inquieta, suas pernas começaram a tremer, ela então soltou um gritinho de alivio e encheu minha boca com sua porra quente, eu por minha vez, fiquei com um tesão enorme quando senti seu gozo em minha boca e gozei novamente, mas dessa vez sem tocar no meu pau, foi uma das gozadas mais gostosas de minha vida. Nunca poderia ter imaginado que seria tão bom transar com um travesti, e estou doido para repetir a dose, e quem sabe eu não dou o cú na próxima.

Se você é travesti e mora em curitiba, me escreva para que possamos satisfazer nossas fantasias.

Ronny
ronny_manero@hotmail.com

 

Putinha de travesti

Bom, o que vou relatar agora aconteceu há mais ou menos 20 dias atrás. Sou um rapaz branco, 20 anos, e como todo mundo, um dia estava na internet vendo estes sites de putaria, quando de repente entrou um site de travesti. Sempre tive curiosidade no assunto pois passava em algumas avenidas aqui em SP e via lindas travestis, mas nunca tive coragem de parar. Comecei, então, a olhar o tal site. Vi imagens maravilhosas e isso tudo deixava-me muito excitado. Via aquelas "mulheres" monumentais com paus enormes, roliços e bem delineados.

Já estava de pau duro quando decidi ir até uma avenida que conheço ver alguns travestis. A intensão era somente ver, bater uma punheta e vir embora para casa. Não foi nada disso que aconteceu. Vi uma mulata linda, tipo globeleza, corpo escultural, maravilhosa. Tomeiu coragem, parei meu carro e perguntei pelo programa, quanto era, como era feito, enfim, essas coisas. Acertamos, ela entrou no meu carro e fomos para um motel ali por perto. No trageto ela já alisava meu pau e dizia que seria uma noite inesquecivel, pois ela havia gostado de mim. Seu nome era Carla, tinha 22 anos e era do Paraná.
Chegamos, então ao motem e fomos para o quarto. Eu estava meio sem jeito e ela foi então me conduzindo. Primeiro beijou-me loucamente e foi tirando minha camisa. Foi abaixando, me chupando e tirando minhas calças. Quando ela tirou minha cueca meu pau explodiu para fora e ela sem pensar colocou-o todo em sua boca e o sugava delicadamente, o que me deixava extasiado.

Nos beijamos novamente e deitamos na cama, nos posicionamos para um 69. Que delicia... o pau de Carla era maravilhoso, como aqueles que vi no site. Tinha mais ou menos uns 19x4 cms. Bem feito e com uma cabeçorra que brilhava e me pedia para chupa-la e engoli-la toda. Foi o que fiz. Chupava aquela rola delirantemente e já sentindo um gostinho meio salgadinho na boca que era a pré porra de Carla. Ela então começou a chupar meu cu enquanto eu mamava no seu cacete, e aquilo me deixou mais doido ainda, sentindo uma sensação que jamais havia sentido. Que tesão maravilhoso. Eu rebolava como uma vadia na boca de Carla e ela vendo meu estado disse: "quero comoer esse cuzinho gostoso agora". Gelei, mas o tesão era maior, então disse a ela que eu também queria aquela rola maravilhosa dentro do meu cu. Ela ficou de joelhos na cama e eu fazia uma deliciosa chupeta naquele pau que a essa altura eu estava completamente apaixonado. Enquanto isso, ela ia introduzindo seu dedo no meu cu. Doia um pouco a principio mais fui me acostumando, pois quando vi estava com três dedos enterrados no meu cu e rebolando como uma cadela. Ela disse então que iria me comer e que queria ver minha cara de putinha dela enquanto me penetrava, afinal ela iria tirar meu cabaço do cu. Fiquei na posição frango assado e ela lambuzou meu cu com KY. Pos a camisinha e também lambuzou seu pau. Senti a cabeça daquela ferramente enorme forçando a entrada do meu rabo. Doia um pouco, mas Carla era muito carinhosa e dizia para eu relaxar que eu iria gostar muito. Realmente, ela colocou toda a cabeça do pau dela no meu cu e esperou um pouquinho até eu me acostumar com aquela jeba enterrada em mim. Passado este tempo de adaptação, ela foi empurrando lentamente aquela tora no meu cu e eu sentindo cada centimetro me penetrando. Que delicia que estava. Carla foi muito carinhosa, pois quando percerbi suas bolas já estavam tocando a minha bunda. Ela começou, então um vigoroso movimento de vai e vem e dizia que eu era a sua putinha e que era para eu rebolar. Obedientemente rebolava em seu pau. Depois ela me colocou de quatro e dizendo que eu iria ser a sua cadela enfiou sua pica de uma vez só no meu cu. Notei que pelas suas estocadas e sua respiração o gozo estava próximo. Disse então a ela que queria que gozasse no meu cu para eu sentir sua porra. Ela, então, tirou a camisinha e colocou aquela cabeça deliciosa na entrada do meu rabo. Não tive dúvidas, como estava de quatro mesmo, afasteime de uma só vez e emgoli pelo cu aquela jeba todinha. Carlão não agüentou de tesão e despejou sua porra em minhas entranhas. Senti algo quentinho por dentro. Era delicioso. Ela ainda foiçou uns dois minutos dentro de mim, até que me virei e meu pau estava duro como uma rocha, e comecei a tocar uma punheta pois também queria gozar. Ela disse: “espera, tenho um jeito mais gostoso para você gozar”. Ela abaixou-se e começou a mamar minha rola e não demorou muito despejei jatos e jatos de porra em ssua garganta e ela engoliu tudinho, deixando meu pau completamente limpo. Demos um tempinho e fomos tomar um bom banho. Aquela xupetinha que carlça me fez ficou na minha cabeça então disse a ela que queria também sentir o gosto do seu leitinho. Alisei sua pica que prontamente deu sinal de alerta e eu comecei a mamar naquele mastro loucamente, quando senti minha boca ser tomada por jatos enormes de porra que engoli tudinho e tabém limpei todo o pau de Carla com minha boca.

Depois ainda ficamos namorando um pouco no quarto, nos beijando e nos amassando muito, e marcamos outro encontro que ela disse que não iria cobrar pois achou que eu era uma delicia que queria que eu fosse sua putinha mais vezes. Lógico que topei e já saímos mais duas vezes depois disso. Ainda conheci duas amigas de Carla, a Shyrlei e a Alessandra, e o meu tesão agora é uma transa com as três e eu completamente submisso a elas. Não vejo a hora que isso aconteça. Depois eu conto como foi.

xi-bil@hotmail.com

 

O homem barbudo

Na minha adolescência certa vez eu vi uma foto numa revista pornográfica e nunca mais esqueci o que tinha na ilustração: um homem magro, moreno e barbudo sendo chupado por um rapaz loiro e, na sequência o loirinho era penetrado... Confesso que quando vi aquilo, meu coração disparou, foi tamanha adrenalina que jamais esqueci da revista, por uma série de coisas que envolveram a situação toda. Durante algum tempo, tinha uma espécie de aversão por homens barbudos, pois sempre me vinha à lembrança, aquelas fotos e eu não sabia se aquilo era bom ou ruim, podia não ser ruim, mas era estranho. Quando comecei a transar pra valer, eu dava pra todo mundo e, como podia escolher quem iria me comer, dava pra qualquer um, menos pra homens de barba, rs...

Com o tempo fui aprendendo muitas coisas que eu jurava que nunca iria fazer, como um dia comer um cuzinho ou transar com mulher. Também aprendi a gostar de homens de barba ou de cavanhaque, tanto que hoje, eu tenho uma loucura por isso, adoro barba, cavanhaque ou só um bigodão. Hoje no fim da tarde, atendi um cliente, ele queria ter vindo pela manhã, o que foi impossível pra mim, mas tudo deu certo para o encontro que aconteceu alguns minutos atrás... Fazia um certo tempinho que não o via e fiquei surpresa ao vê-lo, ele estava simplesmente muito sexy, deixara a barba crescer e me fez lembrar daquele rapaz barbudo da foto. Eu fiquei em pé na cama, como ele é alto, meus peitos ficaram na altura da sua boca, que deliciosamente lambeu-os todinhos, do jeitinho que gosto, mas não ficou só neles, desceu pela minha barriga e também abocanhou meu pau que estava super duro.

Uau que tesão, me arrepiei toda e não via a hora de gozar... Me contive um pouco e ficamos nos chupando alternadamente... Mas, o que eu mais queria era logo, sem demora, sentar na sua pica... Daí a pouco, pedi pra que ele deitasse de barriga pra cima pra eu poder cavalgá-lo. Poucos segundos depois eu já estava cavalgando. Foi nesse momento que realmente liguei uma coisa a outra. Olhei para sua carinha, ele sorria me vendo delirar no seu pau, sua barba negra me fez então lembrar do homem da revista. Que sensação deliciosa, eu sentei e fiquei paradinha com seu pauzão bem lá no fundo, enquanto isso ele masturbava meus mamilos...

O meu orgasmo veio rapidamente, não consegui nem ficar sentadinha como sempre faço, aproveitando a pica enterrada no rabo pra me masturbar e gozar muito. Simplesmente levantei e derramei minha porra sobre ele. Ele adorou, mas falou que eu tinha sido muito rápida. Claro, que ele gosta de me ver gozar, mas antes eu sempre dou uma comidinha no seu rabinho também e aproveitamos um pouco mais. Hoje, aconteceu algo diferente, rs... Mas, não o deixei na mão, abri meu baú e peguei um brinquedinho com ventosa e prendi na porta do armário. Ele levantou-se, foi de encontro ao pauzão e ficou esfregando seu rabo nele, enquanto eu fiquei na sua frente, beijando-o e mordiscando seus mamilos. Ele gemia, dizia que estava bom demais, mas não conseguiu enfiar o pau no seu rabo, era muito grosso. Embora sem penetração, a situação toda o fez gozar rapidinho também, rs...

Muitas vezes ficamos num suadouro sem fim e demoramos pra gozar, hoje uma coisa puxou a outra, rs... Aí contei pra ele sobre a história do homem de barbudo da revista. Ele riu, provavelmente achou minha imaginação muito fértil, rs... Falei que isso iria dar um bom relato erótico, ele sorriu e com um jeitinho todo carinhoso, esfregando aquela barba no meu rosto disse:. - Hummm, escreva então, vou pra casa e quero ler depois, afinal você nunca escreveu nada sobre nós!

No que ele saiu, limpei a bagunça, tomei um banho e corri pra escrever, antes que eu esquecesse algum detalhe.

 

 Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

Mexe comigo pra ver

Já que não viajarei nesse feriado, quero curtir baladas, dormir até mais tarde e descansar, essa é a idéia para esses três dias que prometem tempo bom e calor... Ontem então já saí pra uma baladinha sacudir o corpitcho à noite, cheguei já quase de manhã, acordei a pouca, quase duas horas da tarde, fiz um lanchinho light e fui dar uma voltinha para curtir a linda tarde de sol em Curitiba. Voltei pra casa, porque um cliente safadinho, que adoro, estava passando por aqui e resolveu fazer uma visitinha. Que sorte, não viajei e ele veio pra cá, então deu certo mais um encontro depois de algum tempinho. Já pra começar fomos pra baixo do chuveiro, que delícia ficarmos agarradinhos debaixo de água principalmente numa tarde que está fazendo um calor delicioso, coisa rara ultimamente em Curitiba.

Minha mãos atrevidas percorrendo seu corpo já o deixaram ainda mais excitadíssimo... Ele disse pra que eu pegasse camisinhas porque hoje nossa transa seria ali dentro mesmo. Providenciei rapidamente tudo e começamos no meu banheiro um esfrega-esfrega muito bom, que delícia, num espaço tão pequeno que até parece aqueles banheiros apertadinhos que a gente encontra nas baladas, rs... Mas, importante saber que agora, ninguém nos importunaria e ainda estávamos embaixo de uma ducha de água morna, uau!

Meu cliente estava excitadíssimo, acho que isso é coisa do calor, nada como calor pra acender o tesão, não é? Só sei que ele estava com muito tesão. Coloquei uma camisinha na língua e comecei a enfiá-la no seu rabinho, enquanto isso massageava seu pau e áreas adjacentes, hummm, ele rebolava, gemia... Eu também gostei daquilo tudo, diferente do que costumo fazer e fiquei com meu pau super duro. Quando ele percebeu já começou a pedir que o comesse. Então, subi e coloquei a pica na portinha do seu rabo, ele então me agarrou, me puxou pra ele e o pau entrou com tudo. Ele deu um gritinho, continuou rebolando e dizendo que não imaginou que seria tão bom. Pelo jeito foi realmente bom demais, enquanto eu metia, ele se masturbou e gozou sem demora.

Ainda sorri e disse que ele era egoísta, tinha me deixado na mão. Saímos do chuveiro e viemos descansar na cama, aí na cama eu avancei pra cima dele e fiz que se excitasse de novo, afinal eu queria sentir a sua pica no meu rabo também. Beijei, amassei, abocanhei seu pau e por fim quando já estava naquele ponto, sentei em cima de sua pica. Seu pau estava duro, mas ele estava sem forças, apenas ria e dizia que eu estava me aproveitando dele.

Me aproveitei mesmo, dei gostoso até gozar daquele jeitinho que adoro, rs... Então saí de cima satisfeita e como ele estava cansadinho, não abusei, deixei seu pau quietinho. Ele descansou mais um pouco, depois vestiu a roupa e se foi, não sem antes dizer que eu estive impossível, malvada e tinha o deixado com as pernas doendo, rs... Ah, é? Disse pra ele: - foi você que veio me procurar, eu estava bem tranquila aqui no meu cantinho, você veio me tentar e acabou sendo devorado, rs... Foi ruim? Perguntei pra ele! Ele apenas me agarrou, me deu uma bicotinha e disse que eu sabia que ele me amava. Hummm, sei, sei, rs...

 

 

 Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

Inspiração para transpiração

Conheço esse homem há muito tempo e em todo esse tempo eu o uso como inspiração quando preciso de um aditivo numa hora de necessidade. Sim, pois só preciso fechar os olhos e imaginar ele em pé ao lado da minha cama, desfilando com sua cueca branca e vendo seu pau ficando duro aos poucos, conforme se desenrola a 'arretação' como enquanto fico em sua frente, me roçando no seu corpo, encostando meus lábios nos seus, lambendo seu pescoço ou então, sentindo ele tocando de leve com sua língua nos meus mamilos. Huuum, fico arrepiada de pensar, tesão, tesão, tesão...

Foram muitos encontros, mas depois de algum tempo, nossos horários não combinaram por uma série de fatores, até que a semana passada, tudo saiu perfeito e conseguimos reviver momentos quentes de puro tesão e entrega das nossas mais perfeitas transas. Mas, essa transa foi ainda melhor, ele mais maduro, mais safadinho e cheio de saudade. Comecei fazendo o de sempre, pedi pra que ele ficasse em pé ao lado da minha cama só com sua cueca, branca pra variar, rs. Ele em pé, já de pau duro me olhava com um jeitinho que não sei contar pra vocês como é, mas eu juro que é de tirar o fôlego, adoooro, rs... Eu estava em cima da cama, já de pau duro e devidamente encapado. Pedi para aquele gato que viesse bem devagar chupar-me inteira. Fiquei olhando pelo espelho, ele baixar sua cueca, ficar de quatro na cama e inclinar-se para abocanhar meu pau. Isso eu faço com muitos, mas foi com ele que tudo começou.

Que tesão ver a sua bunda, uma das bundas mais lindas do mundo, pena que não posso tirar uma foto pra mostrar pra vocês, muitos também teriam uma ereção só de ver. No meu caso, não que eu queira comê-la, apesar dele gostar, mas é sim pela anatomia, pela beleza, afinal eu sou uma 'mulher' que como muitas adoram uma bunda de homem. Ele chupou meu pau com muito tesão, e eu só de botuca vendo o design perfeito do seu traseiro. Fiquei imaginando ele com seu uniforme de trabalho e na minha imaginação fui tirando peça por peça até que abri os olhos e o vi já nessa situação de extrema excitação pra mim. Novamente pedi pra que ele ficasse assim sem se mexer, então saí de sua frente, peguei uma camisinha, fui atrás dele, abri aquelas nádegas sensuais, mirei aquele buraquinho rosadinho, coloquei a camisinha na língua e comi seu rabo... Ele gemeu, que delícia ouvir seu gemidinho, antigamente ele ficava tão caladinho, rs...

Depois peguei lubrificante, vesti a camisinha no meu dedinho e enfiei no seu cuzinho. Hummm, entrou até com certa facilidade, acho que ele andou usando aquele anelzinho lindo por aí! Brinquei um pouquinho e subi feito cachorrinho enfiando meu pau que foi entrando devagarinho e logo se encaixou perfeitamente. Novamente ele gemeu e disse baixinho que estava muito bom. Quando cansei, deitei na cama, ele sentou em cima. Aí foi ainda melhor, pude ver sua carinha, agarrar seu corpo, beijar sua boca gostosa e masturbar sua bela pica branquinha com a cabeça bem rosinha. Ele subiu e desceu algumas vezes e pediu pra que eu não o masturbasse se quisesse que ele me comesse. Parei imediatamente e então foi a minha vez de se deliciar com outro atributo maravilhoso: seu pau.

Chupei como se não fizesse isso há anos, enquanto isso ele enfiava o dedinho com lubrificante no meu rabinho. Alguns minutinhos depois eu sentei na sua pica. Ai, ai, ai, que tesão, eu não sabia se gozava, se delirava ou o quê! Estava bom demais, que saudade desse bofe delicioso que até que enfim saíra da minha saudade e agora estava na minha cama a minha disposição. Só que não quis gozar como eu gosto, achei que gozaria de uma forma ainda melhor. Fiquei de quatro na cama, empinei bem o meu rabão e ele veio por trás de mim. Preste atenção no detalhe que fez a diferença: vi pelo espelho, aquele corpão fazendo movimentos de entra e sai em mim.

Disse pra ele que eu estava no pontinho, prontinha pra gozar... Ele disse: - eu também Drikka, basta você pedir e eu gozarei na hora, estou que não me aguento... Então tudo foi só prazer, gozamos juntinhos, eu lambuzando o colchão e ele inflando a camisinha com muita porra que deu pra sentir a explosão! Que delícia de transa, inspiração para muito tempo, vai que ele desapareça de novo, rs...

 Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

Se dirigir, não beba

Esses dias, alguém me ligou e disse que estava prontinho pra me ver, pois tinha bebido umas cervejinhas pra tomar coragem. Eu disse pra ele, que infelizmente ele ficaria sem me ver, pois se precisasse tomar umas e outras pra ter coragem eu simplesmente não o atenderia. Posso até ter exagerado, mas como não o conheço, sei lá o que poderia rolar, pela conversa já senti que ele estava alegre demais, rs...

Poucas vezes, atendi clientes que estavam alcoolizados e penei, talvez até por inexperiência, com alguns simplesmente abri a porta, senti o bafo e mandei voltar em outra oportunidade devidamente sóbrios. Por sorte, tem bonecas que atendem, até bebem junto, o que não é o meu caso. Eu não bebo não, talvez por dirigir, sempre evito, mas a minha sorte é não gostar de cerveja, não consigo entender como tanta gente adora e eu, simplesmente não consigo beber, juro que tentei, mas não consegui... Até comentei hoje com um cliente sobre esse lance da cerveja, pois ele veio depois de tomar umas três latinhas, mas isso não o alterou em nada, a princípio, rs, a não ser pelo bafo, ainda pra disfarçar ele estava mascando chicletes sabor de canela, o que é pior, ai canela, não, rs...

Nossa transa foi ótima, só que hoje aconteceu algo inusitado, depois de quase 10 anos que nos conhecemos, hoje eu o comi pela primeira vez, devidamente bem comido, e não foi só com o dedinho, como eu já fizera inúmeras vezes, he he he, bem diz o ditado que cu de bêbado não tem dono... Hoje comecei enfiando o dedinho, dois, aí ele queria mais e eu fui... Começamos no franguinho assado e depois de alguns minutos ele estava fazendo o que até então eu sempre fizera com ele, inclusive hoje, sentar em cima e cavalgar com gosto. Ele rebolou gostoso e gozou na minha barriga. No que gozou, olhou pra mim, sorriu e disse: - Dri, você abusou de mim!... Não acreditou que havia dado o rabo até gozar, rs... Falei, que tinha sido efeito da cerveja, pois apesar de ter me comido no início de nossa transa, agarrou minha pica e ficou querendo experimentar coisas diferentes, queria por que queria que eu o comesse... Então, comi. Só que depois que gozou, vem dizer que não gostou. Humm, conta outra história, rs...

Além de tudo disse que havia bebido umas cervejinhas, pois eu o fizera esperar muito... Desculpas e desculpas, mas sei que no fundo ele gostou, pois quando sentou em cima, gozou rapidinho, rapidinho, rs... Ah, se fica mal acostumado... Bem, voltando ao assunto dos drinks e tal, claro, que atendo alguns clientes que tomam sua cervejinha, seu gole de whisky, mas que sempre sabem a dose exata, eu mesma já tomei uns drinks quando não precisei dirigir, caipirinha, adooooro, rs... Adorei ficar tontinha nas baladas, só que quando eu bebo um pouquinho, ao contrário de muita gente, eu perco o tesão, fico uma boba alegre! Enfim, cada qual no seu ou ao seu quadrado. Mas aproveitando a deixa, nunca é demais dizer, que beber e depois dirigir nunca foi e nem será bom, não adianta alguns dizerem que depois que bebem pelo menos uma latinha é que ficam melhores, conversa fiada, isso não funciona.

Se você gosta de beber, beba, mas depois, dê uma gorjeta pro taxista, e vá dormir feliz!!! Ah! Quando quiser me convidar para um drink, me ofereça uma água mineral sem gás, vou adorar, nem refrigerante eu tomo, pois esse pode fazer mal às curvas do meu corpitcho, rs...

Se gostou, fique a vontade pra comentar! Qualquer dúvida me escreva!

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

Cheiro de homem

Um homem bem limpinho, perfumado é tudo de bom. A grande maioria dos homens não tem certos cuidados até pela cultura, de que homem é homem e a mulher tem que gostar assim, macho que é macho não tem certas frescuras. Alguns confundem mau cheiro com cheiro de macho e acham que isso é um atrativo para as fêmeas.

Pode ser que algumas até gostem ou tolerem, mas com certeza a grande maioria gosta mesmo é de um homem que seja acima de qualquer coisa higiênico, que cuide de alguns detalhes básicos que fazem muita diferença, principalmente nos momentos de maior intimidade. Naturalmente o homem tem cheiro mais forte, tem mais pelos, transpira mais e por isso mesmo precisa tomar alguns cuidados, que para muitos pode parecer frescura, mas na verdade é asseio. Eu comentei diversas vezes nos meus relatos que dou banho com um sabonetinho especial em alguns clientes. Independente disso que faço, percebi em muitos que já saem comigo há alguns anos, que já começaram a se cuidar mais, e, em alguns hoje, não preciso nem mais dar o banho, já chegam limpinhos e cheirosos, perderam até um cheirinho desagradável que lhes era peculiar.

Outros começaram a aparar os pelos, tanto na virilha, como no ânus e perceberam que isso só lhes fez bem. No dia-a-dia é difícil tomar um banho toda a vez que se vai ao banheiro, principalmente para um cocô, então limpa-se com papel higiênico, mas uma limpeza perfeita só será feita no banho e se for no capricho, com muito sabão e sabonete e até uma leve entrada do dedinho no canalzinho para não deixar nenhum rastro de freiada de pneu numa cuequinha branca, rs... Cueca é um fetiche pra muita gente, mas intacta, rs...

E, não pense, que esse cuidado especial só deve ser feito apenas por homens que gostam de serem passivos e sim, por todos, pois mesmo que o homem seja totalmente ativo e só saia com mulheres, não pode obrigá-las a sentir odores desagradáveis por causa de uma higiene mal feita. É horrível na hora do sexo oral alguém abrir as pernas, e exalar aquele cheirinho que tira o tesão na hora e, ainda querer carinhos pelas redondezas. Outro defeito comum nos homens é de não enxugar direito o pênis depois de um xixi básico, isso faz começar a impregnar odores que dificilmente saem quando a higiene é superficial. Muitos acham que aquele cheiro é de pau e é normal. Não é não! Por sorte existe camisinha, mas algumas carícias preliminares as vezes deixa esse vestígio nas mãos, pior é que em alguns casos, por mais que se lave as mãos, o cheiro parece que fica registrado no cérebro.

Com banhos frequentes e bem feitos, sabonetes bactericidas, muitos cheiros são eliminados. Outros cuidados precisam de uma observação especial como um bom antitranspirante para excesso de transpiração e talco especial para os pés*. Também pode-se como uma tesoura aparar os pelos muito compridos nos arredores do pênis e saco escrotal, bem como na região do ânus. Para alguns homens que são mais descolados, podem e querem fazer uma depilação, há locais que fazem isso com muita discrição. Seja um homem cheiroso, saudável e perfumado**, com certeza você vai agradar muito, mas muito mais. E, detalhe: isso não vai te deixar menos macho, pode ter certeza!

 

 Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

Direto do Rio de Janeiro, conheça mais da boneca Giselle Meirelles - uma jornalista poderosa

1- Como nasceu Giselle Meirelles?
Res.: Bom, Giselle Meirelles simplesmente surgiu aos sete anos de idade, já com uma personalidade muito forte e marcante, sempre direta, clara, objetiva e decidida em suas questões pessoais.

1.a- Você se considera transexual, travesti, boneca, ou o que? Porque?
Res.: Eu sou tudo um pouco rsrsrsrsrrsrs. Porque tenho alma feminina, delicada como uma flor e tenho corpo de uma pluma leve. Mas particulamente gosto muito do termo BONECA, pois acho uma palavra carinhosa e soa como forma de uma criança pura.

2-Você teve muitas dificuldades em sua descoberta? Passou muitos preconceitos? Fale mais sobre isto
Res.:Dificuldade todas nós passamos e passa né rsrsrsrsrs seria até uma hipocrisia de minha parte falar que não rsrsrsrs Sempre tem conflito na descoberta e em relação ao preconceito, acho que esse tema sempre vai existir, ainda mas no mundo que vivemos. Não sofri tanto preconceito assim, exceto em caso do uso do toalite. Qual usar???????????rsrsrsrsrsr

2.a- Você nasceu em que cidade? Mora aonde atualmente? Como é viver em sua cidade? Dificuldades e alegrias.
Res.: Sou Manaura (Manaus) E moro no Rio de Janeiro. Bom você diz aonde: No Rio ou em Manaus rsrsrsrsrsrsr Se é Manaus sem chances, a vida muito precária e sofrida( Tudo muito caro e as pessoas tapadas) No Rio Tudo normal como deve ser tendo as suas dificuldades e suas alegrias isso depende de cada um...

3- E sua familia? Como foi este processo para eles? Como eles encararam? E hoje?? Como é sua vida com eles?
Res.:Bom, no começo é um choque, até mesmo porque meu pai de quartel”Coronel” então já viu como é NE rsrsrsrsr, mas deu para modificar essa situação devido a muito diálogo, já com a minha mãe foi mas tranqüilo, porque mãe é sempre mãe né rsrsrsrsr apesar que existem umas que Deus me livre rsrsrsrsrs até hoje eu guarda a fala que minha mãe fez comigo no dia em que cheguei para ela e contei toda a verdade. Ela simplesmente virou e falou: Você sempre será meu filho, não importa o que você faz e fala, mas importante é você, apenas não consiguerei chamar você de filha e Giselle rsrsrsrsrsrmas isso é relevante rsrsrsrrsrsrs Na verdade meus pais sempre respeitaram-me como eu sou...

.
4- Sobre estudos, qual o seu grau de escolaridade? Como foi sua vivência na escola?
Res.: Sou formada em jornalismo e minha convivência em todos os colégios que estudei foi sempre muito bom com os colegas e professores, principalmente na hora da chamada em usar meu nome Giselle Meirelles e não o de batismo

5- Sobre sua vida profissional, conte-nos mais. Trabalha com o que? Gosta? Porque escolheu esta profissão?
Res.: Além de ser formada em jornalismo, tenho outras profissões e fiz e continuo a fazer cursos. No momento sou Secretária Execultiva do Grupo pela Vidda/RJ e do Presidente Márcio Villard também do Grupo Pela Vidda/RJ e escrevo para os veículos de comunicação Revista Vip Brasil, Revista Destaque da AFPB e Jornal do Metrô e agora fui convidada por você para fazer parte de umas de suas colunista para a Casa de Maitê e fiquei supre feliz com o convite em estar de um forma contribuindo para o crescimento e sucesso. Sou também Coordenadora do Grupo TransRevolução destinada a “Travestis e Transexuais”. Adoro tudo que faço e faço sempre com carinho, dedicação e vesto a camisa e escolhi a profissaõ de jornalismo por gostar de escrever, ler e entrevistar pessoas do cotidiano e públicas.

6- Hormônios e silicone? Você usa? Já usou? Como eles entraram em sua vida e de que maneira mudaram sua vida? 
Res.:Hormônios, já use e entraram no momento em que eu precisava fazer algumas mudanças no meu corpo.

7- Quais as grandes qualidades e defeitos que você acha pior nos outros?
Res.: Nossa nos outros rsrsrsrsrrsrsrsrsrsr
Qualidades: Amizade, Solidariedade e Verdades
Defeitos: Inveja, Mentiras e Ignorâncias

8- Quais as qualidades e defeitos maiores que você possui?
Res.:rsrsrsrsr minhas rsrsrsrsrsr
Qualidades : Verdadeira, Amiga e Honesta
Defeitos: Direta/Taxativa, Não Comer e Não Esquentar a cabeça com nada rsrsrsrsrsr

9 - E amor? Conte-nos mais sobre este aspecto de sua vida.
Res.:Lindo quando se é verdadeiro. Bom, eu apenas tive um lindo e grande amor, até o momento e a data de hoje não encontrei nenhum grande amor rsrsrsrsrsrHoje em dia o ser humano estão muito interessados em outras coisas do que no naquele grande Amor Verdadeiro. Mas amo-me muito...

10 - Como as pessoas que estão lendo esta entrevista podem entrar em contato direto com você?
Res.:Poderá entrar em contato pelo meu site pessoal www.giselle.hd1.com.br e-mail mgisellekuzattis@hotmail.com ou pelo telefones: (21) 9665-6743, 8761-1474, 4104-2300, 8339-2753 e 7625-3302

11- Fale mais sobre o grupo  Transrevolução , como ele atua, reuniões e como as pessoas interessadas podem estar participando???
Res.: O Grupo TransRevolução é um Grupo de convivência destinada a Travestis e Transexuais, com reuniões abertas quinzenalmente, sempre com um Tema e um Convidado Palestrante para debates e depoimentos e que são realizada no Grupo Pela Vidda/RJ sempre as 18:00 horas e os interessados poderá entrar em contato comigo pelos telefones, e-mail ou também acessando o site para saber mais sobre os nossos trabalhos e agenda de reuniões. Site: www.transrevolucao.hd1.com.br
Ou no Blog: HTTP://transrevolucao.blogspot.com

12 - Deixe um recadinho para @s milhares de pessoas que acessam o Site Casa da Maite.
PARA QUE O MAL PREVALEÇA BASTA AS PESSOAS DE BEM SE CALAREM...

O estigma da transgeneridade e a ação afirmativa

Na antiga Grécia, escravos, criminosos e traidores recebiam marcas nos corpos como forma de serem distinguidos – e discriminados - em locais públicos. O termo “estigma” era usado para designar tais sinais e, por conseqüência, passou a designar qualquer sinal corporal ou comportamento moral capaz de desqualificar uma pessoa para o exercício da vida em sociedade.

As três principais vertentes de aplicação do estigma são as deformidades corporais visíveis, as chamadas “fraquezas de caráter” e a prática de atos considerados socialmente “abomináveis”.

O estigma é gerado pela desinformação e pelo preconceito e cria um círculo vicioso de discriminação e exclusão social, que perpetuam a desinformação e o preconceito. As conseqüências para as pessoas que sofrem o estigma são muito sérias pois, no dia a dia das relações interpessoais, os estigmatizados não são nem mesmo considerados “humanos”.

Os preconceitos estigmatizantes contra pessoas transgêneras são fruto da ignorância e de uma consciência social moralmente hipócrita, herança de milênios de dominação patriarcal. Como qualquer outra categoria de cidadãos, as pessoas transgêneras devem ser julgadas pelos seus méritos e não pelo estigma ligado ao seu modo de se expressar no mundo.

Ao perceberem a gravidade do estigma social que paira sobre suas cabeças, a maioria das pessoas transgêneras passam suas vidas “no armário”, olhando para os dramas dos seus pares “assumidos” e dizendo: “isto não me vai acontecer comigo de modo nenhum, não sou maluco, tenho um emprego estável, uma família sólida”; “prefiro sofrer calado do que ser identificado como alguém assim”.

Com base na discriminação resultante do estigma, pessoas transgêneras escondem-se frequentemente por trás de “disfarces socialmente aceitáveis”, de modo a manter absolutamente secreta a sua transgeneridade. A necessidade de esconder sua condição resulta do medo de ser rejeitado e desvalorizado, como se fosse uma pessoa de “segunda categoria”, membros de um grupo indesejável, subentendendo-se que serão sempre “desviados”, recusando-lhes o direito de serem considerados cidadãos como os outros.

Por causa do estigma e da discriminação, as pessoas transgêneras são frequentemente tratadas com desrespeito, desconfiança ou medo, tornando ainda mais difícil que elas aceitem a sua condição e convivam com ela da maneira mais confortável, natural e rotineira possíveis.

O estigma e a discriminação impedem as pessoas transgêneras de trabalhar, estudar e de se relacionar com os outros. Esses impedimentos são sentidos de maneira ainda mais drástica por pessoas transgêneras que se originam dos extratos de mais baixa renda da população.

Pessoas transgêneras não são “maníacos sexuais”, não têm "dupla personalidade", não são perigosas nem “atacam” os outros. No entanto, o público em geral, e até mesmo alguns profissionais de saúde, tendem a manter uma imagem estereotipada e bastante deformada de pessoas transgêneras. Além de destruir a auto-estima, a discriminação também cria isolamento e exclusão social. Inúmeros estudos têm mostrado que o estigma social é o fantasma que mais atormenta a vida de pessoas transgêneras. A incompreensão e a rejeição dos outros, principalmente dos outros mais próximos, como pais, esposas, colegas de trabalho, etc., exercem um efeito devastador na imagem que a pessoa transgênera tem de si própria, reforçando nela uma espécie de auto-estigma, capaz de leva-la a profundas crises de culpa, depressão e até mesmo ao suicídio.

Por que as pessoas transgêneras são estigmatizadas? Porque a família, a escola, a igreja, os vizinhos, as empresas e a comunidade em geral, profundamente influenciados pela “moralidade religiosa”, acostumaram a ver o comportamento transgênero como desvio de conduta, “fraqueza moral” ou mero “capricho sexual”, totalmente superável, bastando para isso que a pessoa queira abster-se dos “atos deploráveis” que pratica em virtude de tal “veleidade”...

A mídia poderia contribuir muito para erradicar o estigma em torno da condição transgênera, promovendo a educação do grande público acerca desta condição. Entretanto, acaba sendo mais prejudicial ainda ao divulgar conceitos errados ou negativos a respeito da transgeneridade, reforçando-os em grande escala.

Os debates televisivos e outros programas sensacionalistas mostram, com frequência, uma versão unilateral e estereotipada de categorias de pessoas transgêneras, apresentando-as ao grande público, na melhor das hipéteses, como “curiosidades circences” ou “excêntricos sexuais” – jamais como pessoas normais, perfeitamente integradas na vida da comunidade. Alguns programas de humor, ridicularizam sistematicamente as pessoas transgêneras, lançando mão da sua forma particular de expressão na sociedade como fonte de humor mórbido e insalubre. Alguns anúncios comerciais divulgam imagens estigmatizantes de pessoas transgêneras, como recursos promocionais para a venda de seus produtos, invariavelmente apresentando-os de maneira ridícula e desrespeitosa.

Individualmente, nenhuma pessoa transgênera poderá cobrar da sociedade o reconhecimento e o respeito aos seus direitos plenos de cidadania. Tal como outras “ações afirmativas” de grupos socialmente estigmatizados, a Ação Afirmativa da Transgeneridade é o instrumento oportuno e necessário para assegurar-se o respeito da sociedade aos direitos de um grupo de cidadãos hoje discriminados em função da sua expressão diferenciada de gênero.

Letícia Lanz
www.leticialanz.org

leticialanz@yahoo.com.br

 

Cléo...minha linda

Liguei para ela e marquei em sua casa dentro de 30 minutos. Já fazia algum tempo que não nos víamos e estava com saudade dos seus beijos. Cheguei na hora marcada, ela abriu o portão, em seguida a porta do seu sobrado. Na escada começamos a nos beijar, sua lingua gostosa enfiada dentro da minha boca e a minha lambi-a, molhava-a com todo o tesão que eu tinha, fiquei de pau duro e passei a mão pela calça dela e senti aquele volume gostoso, duro. Meti a mão por dentro das calças dela e se senti o calor do pau duro daquele meu tesão de transex. Abri sua calça, puxei para baixo e me ajoelhei para reverenciar minha rainha e seu lindo cacete.

Engoli o que podia da extensão dele, depois voltei somente na cabeça e em seguida fui fazendo do jeito que ela mais gostova, chupando devagar até onde eu podia e voltando até a cabeça, depois de novo, assim foi várias vezes, como era adorável chupa-la, sentir aquela pica gostosa. O tesão dela era enorme, cada vez que a engolia ela gemia mais e mais. Então não aguentou mais, segurou minha cabeça e começou a meter com força em minha boca, ali na escada no degrau superior metia gostoso em minha boca, segurava mais e mais e fazia da minha boca um cuzinho gostoso, e ela gritou forte, muito forte e eu senti minha boca se enchendo, sua porra quente entrando em minha boca, deliciosamente doce, ela segurou bem minha cabeça, minha boca em seu cacete lindo e soltava os jatos, sentia a força deles, senti paixão por aquela menina gozadora. Engoli tudo, lambi seu pinto, muito suavemente em razão da sensibilidade que ele ficava. Depois beijei sua boca e fui levado para o andar de cima.

Ficamos nús sobre a cama, nos beijávamos muito, ela permenecia de pau mole, sabia que não podia esperar muito mais, sabia que possivelemnte não teria um pau duro de novo até a hora de ir embora. Ela me beijava e depois me chupava, tive que pedir algumas vezes para ela parar antes que eu gozasse. Acho que ficamos uma meia hora nessea fissura, eu a pus sobre o meu corpo, deitado de bruços senti o peso gostoso daquela menina, e senti o seu pau endurecendo sobre mina bunda, rebolava gostos pra ela, queria ela, sentia um tesão enorme por ela e sabia que ela sentia o mesmo por mim, ela então sussurrou no meu ouvido, queri me comer naquele dia, sentia uma vontade louca de entrar em mim, de me foder gostoso, de me amar gostoso. Eu sabia que ela raramente é ativa e aquilo que me pedia era especial, como é bom ser especial para alguém e ser para uma pessoa linda como aquela era indescritível. Falei para ela meter, a chamei de meu amor e disse que queria muito, muito mesmo ela dentro de mim.

Ela colocou a camisinha em seu pau, passou uma pomada no meu cu e então fui sentindo a pressão do seu pau entrando. Senti a dor do pau dentro do meu rabo e ela entrando toda, todo aquele mastro delicioso que há pouco tinha me dado um gozo fantastico agora estava enterrado em meu cu. Ela deitada sobre mim, seu peso, seu pau gostoso, começou a tirar, sentia a delicia disso e depois meteu de novo. Me chamou de femea e começou a socar com força, socava que eu nãopodia aguentar, mas a deixei assim, brincando com meu rabo, com minha bunda, como era linda ve-la assim, assistia-a fodendo gostoso, com força pelo espelho na parede lateral.

Minha transex linda, minha fodedora, meu macho naquele momento. Quase gozei, ela quase gozou, mas ambos queríamos eu enfiado nela, coloquei a camisinha e troquei de lugar com ela, meti com força e ela gemeu vcomo nunca, pedia pra eu não parar , pra meter, pra fode-la, pra ser o homem dela, pra ser o amante dela, pra o amor que ela tanto queria. Como era gostoso aquela bunda, aquele cu, como era linda assim, linda para mim, linda fodendo-a, não aguentei e disse que iria gozar, ela pediu pra eu sair. Ficamos em um 69 com ela por cima, eu batendo como nunca pra ela e ela me chupando, gozei primeiro em sua boca e diferentemente de todas as outras vezes, ela engoliu meu pau e esperou a porra sair, maravilhoso aquela boca quente.

Depois se ajoelhou na frente do meu rosto e batia com uma velocidade muito grande, eu acariciava as suas bolas e abaixo delas e então há vida novamente gozando, o primeiro jato espirrando sobre o meu rosto e depois o seu pau colado no meu rosto e saindo o restante da sua porra quente, maravilhosa, linda, linda o meu amor, linda minha transex, linda minha Cléo.

 jacklenon1@yahoo.com.br

 

 

Jeito indomável de ser

Uau, que transa inesperada tive hoje à tarde! Um belíssimo garotão com seus 26 anos, mas com uma carinha e um jeitinho de 18, eu até perguntei pra ele, se sou a única, ou outras pessoas também acham isso, mas ele disse que sou só eu, então tá... Bem, esse gatão, veio novamente me visitar nessa tarde, chegou, me agarrou e nem me deixou falar direito, já foi me beijando, me apertando e eu só querendo escapar, rs...

O motivo é que ele me agarrou muito forte, me beijou já me ralando toda com sua barba crescida e disse que não sabia o que fazer na minha presença, não acreditava que estava comigo de novo, uau, queria me comer viva, rs... Nossa, apesar de estar como uma presa na boca da fera, me senti uma estrela de Hollywood, até pensei, será que estou podendo tanto? Mas, enfim, tenho meu fã clube, rs... Ele tremia, me abraçava, me beijava, queria ficar a tarde toda comigo e assim por diante, não parava de falar e me admirar do seu jeito, jeito meio bruto de ser! Também meio desajeitado, estabanado, eu me sentia sufocada, mas tudo bem, contornei a situação, sem claro decepcioná-lo... Falei que eu preferia tomar as rédeas da situação, caso contrário nossa transa não seria boa, pois eu não poderia me excitar com ele agindo dessa forma. Isso já tinha acontecido no nosso primeiro encontro, que de certa forma fora rápido, pois pouco fizemos, entre alguns beijinhos, amassos apertados e doloridos, enfim, ele gozou logo que começamos a fazer um 69, que foi algo inusitadíssimo para ele e saiu logo em seguida, nem pensei que fosse voltar...

Ele voltou hoje e eu disse que estava se repetindo a situação! Peraí, vamos conversar! Ele me ouviu, tentou se conter, mas acredito que deve ser da sua natureza ser assim, algo meio selvagem, difícil de domar... Pois basta começarmos a nos tocar e tudo volta para aquela base, rs... Não gosto de ser dominada, prefiro sempre dominar, não propriamente a 'dominação' que vocês podem estar pensando, mas tomar a iniciativa. Caso contrário, como já falei eu posso não ter uma boa excitação, como a grande maioria gosta. Por sorte, esse caso de hoje é raridade, ainda bem... Mas, a transa apesar dos pesares, até que foi boa, consegui até me excitar, já foi melhor que a primeira. Hoje, ele quis que eu penetrasse no seu rabinho, queria saber como era. Até tentei, quando entrou um pouquinho, ele pediu pra parar, já foi se esquivando, mudando de posição, disse que estava doendo, que realmente ele preferia me comer.

Ótimo, fiquei de quatro na cama, empinei o rabo e ele enfiou seu pau, um belo pauzão que entrou fundo e com suas pegadas fortes em meus flancos, até suei, torci pra não demorar muito... Foi o que aconteceu, ele não demorou a gozar. Encheu a camisinha dentro de mim rapidamente. Aí, sim, terminando de gozar, ficou mais calmo, tomou uma ducha e conversamos um pouco. Conversamos calmamente e ele me contou que gostaria que eu sentasse no seu pau e gozasse na barriga dele, como já relatei em várias histórias... Só que tudo isso e mais um pouco ficaria para uma próxima vez, ele já estava de saída. Espero que quando voltar de novo, consiga se conter e possamos ter uma transa bem legal, mas como já falei, acho ele meio indomável e quando está com tesão faz tudo igual novamente, e eu sinceramente não gosto mais dessas coisas assim meio doidas, pelo menos não aqui na minha cama e, olha que já passei por muitas transas assim nos trancos e barrancos... Falei pra ele que escreveria esse relato, que pode não ser dos mais quentes e inspiradores, mas é bem diferente, rs...

Ah, meu gatinho indomável, você é lindo, muito lindo, eu gostaria que você fosse mais carinhoso, mais macio, mais flexível, mas talvez o diferencial está em tudo isso que você não é! E aí? Eu domo você, ou você me doma? Beijos...

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/
 

 

Quem realizou meu desejo?

Que tesão eu sentia, quando pensei em alguém bem sexy, safado e gostoso, não uma pessoa que eu já conhecesse, mas um homem desses dos meus devaneios, forte, segurança e com uma bunda linda, não que eu quisesse comê-la, mas sim acariciá-la e vê-la pelos meus espelhos, enquanto seu dono me possuía. Deitada na cama, alisava meus mamilos, tocava no meu pau e delirava de vontade... Mas aí, toca o telefone, já é quase meia-noite, já não costumo estar disponível nesse horário, mas resolvi abrir uma exceção. Afinal, era um belo conhecido, o cliente perfeito para suprir minhas necessidades naquele momento, principalmente sexuais, rs...

Primeiro um banho, apesar de termos saídos algumas vezes, foi a primeira vez que lavei sua bundinha. Já sequinho, cheiroso e todo cheio de tesão ele subiu na minha cama, ficou totalmente em pé sobre a cama, colocou suas mãos na parede, afastou as pernas e eu fiz uma revista tipo uma batida policial. Ele devidamente posicionado, bundinha empinada, sentiu minha língua vasculhar o seu parque de diversões. Quanta diversão!!!

Entrei no túnel, dei umas voltas nas montanhas russas e deslizei no pau de sebo, rs... Um homem gostoso, cheiroso, com um sorriso lindo e uma pegada que fez a mocinha quase desmaiar em seus braços, sim, por alguns instantes fiquei derretida entre seus apertos, beijos e carícias. Principalmente quando deitei na cama e deixei ele vir por cima de mim, esfregar sua barba levemente crescida nos meus seios, no pescoço, na nuca, aaaaai, delícia! Lambeu-me inteirinha, beijando, acariciando e falando que estava com saudade de meu corpinho, do meu rabinho e do meu pau. Huuum, quem mandou esse homem? Ah, eu estava sonhando... Já nos posicionamos e fizemos um 69, de mamilos e de paus, com direito aquele ótimo fio terra, que eu já sou especialista em fazer, mas ele também soube fazer direitinho.

Tempo quente, que desperta mais tesão na gente, por isso não perdi tempo e já sentei no seu colo, rs... Huuuum, como estava deliciosa sua pica, toda dentro de mim, sendo mordiscada, comida e repelida várias vezes com meu rabo treinado para essa ação. Eu olhava para sua carinha de safado, seu sorriso lindo e maroto iluminando meu rosto brilhante de tesão! Ele sorria e perguntava se eu estava me divertindo, se estava gostoso, eu peguei suas mãos e fiz com que ele apertasse de leve e massageasse meus mamilos, para então lhe dizer que eu estava feliz, mas por um triz, e não iria gozar ainda, afinal eu queria mais, mais e mais... Momentos de prazer inenarráveis seguiram-se até eu levantar, pedir pra que ele ficasse de quatro, pois queria lhe dar mais prazer, em retribuição ao que ele estava me proporcionando. Ele ficou de quatro no canto da cama, com as pernas afastadas e o bumbumzão empinado, assim, novamente com minha língua encapadinha, entrei e saí várias vezes do seu buraquinho que se abria querendo novidades.

Passei lubrificante, enfiei mais algumas vezes o meu dedinho e então entrei com minha pica devagarinho, até sentir que minhas bolas batiam nas suas. Com o rosto no colchão, ele apenas gemia, mas também apertava meu pau com seu rabinho que também sabe devorar uma pica. Alternamos posições, ele ficou de franguinho assado, posição safada né? Pois é, aí eu me aproveitei mais um pouco dele, depois ele sentou-se no meu colo, subiu e desceu várias vezes, até eu cansar com seu peso, então paramos um pouco, descançamos nos acariando com suavidade ao som de 'please don´t go',' if you ever come to Amsterdam', 'indian summer' e outras baladas antigas, feitos dois apaixonados namorados, rs... Olhei pra ele, estava tudo muito lindo, muito gostoso, mas eu gostaria de gozar, não aguentava mais segurar...

Ele disse, vem, vem... Goze como você gosta. Isso mesmo, acertou quem já me imaginou sentada no seu pau, acariciada nos mamilos pelas suas mãos grandes e fortes e me masturbando num frenesi de reboladas com poses convulsivas, despejando jatos de porrinha quente sobre sua barriga. Aaaaai, que tesão! Fiquei mole, totalmente acabada, mas precisava agora fazer o meu gatão gozar também. Me animei, comecei a beijar seus mamilos também, ele tem tesão como eu nos dois, enquanto isso ele se masturbou. Já estava derretendo de suor, aí então, beijei seus lábios com muita paixão, assim não teve jeito, ele derreteu literalmente imediatamente, rs... Depois disso tudo, ainda conversamos um tempão, mas ele precisou ir, afinal já passava e muito da meia-noite.

Disse pra ele, hoje vou escrever sobre esse encontro, claro que devidamente com discrição, pensei no nome e lhe disse: vou chamar como algo de um 'desejo realizado' por um gênio desses das mil e uma noites, rs... Estou cansadinha, totalmente satisfeita, mas não poderia deixar de escrever esse relato ainda hoje, afinal fiquei inspirada, não sei se foi pelo calor dos últimos dias ou por ter sido realmente premiada por algum gênio da lâmpada plantonista que atendeu meu pedido e realizou meu desejo, quando trouxe esse homem que me deixou calminha, calminha...

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

Fui feito de fêmea

Sou casado e já faz algum tempo comecei a sair com bonecas. No começo foi meio difícil, pois sempre pintava uma culpa. Com o passar do tempo, aprendi a lidar melhor com isso. Não que a culpa tenha desaparecido, mas aprendi a me soltar mais, o que faz minhas transas serem muito boas. Sou muito seletivo em relação às bonecas, pois evito ao máximo correr riscos. Normalmente, só saio com bonecas que conheço ou que são classificadas como “lista branca” em fóruns de bonecas que existem na internet. Isso faz com que só transe com elas de tempos em tempos. Essa transa que vou contar é real, aconteceu em junho de 2009, foi a última até o momento e foi uma das melhores porque pela primeira vez, paradoxalmente, me senti tratado como uma fêmea e simplesmente adorei.

A boneca com quem saí é conhecida, tem perfil na internet e é uma boneca que visito sempre, a ponto de dizer a ela que atualmente meu cuzinho é só dela. Ela não acredita, é claro. Nesse dia – era um dia de semana, pois não saio com elas nos finais de semana, que são reservados para minha mulher – liguei para ela logo pela manhã, pois tinha passado parte da noite visitando sites de travestis e tinha ficado bastante excitado, o que me fez ficar com vontade de ser comido por boneca pauzuda novamente. Ao ligar, ela me disse que poderia me atender ao meio-dia.

Quando chegou a hora, peguei um táxi e fui para o privê dela que fica em Copacabana. Ao chegar, encontrei-a como sempre bem vestida, cheirosa e com um sorriso maravilhoso. Disse a ela que estava com vontade de ser bem comido e queria ela bem ativa, socando forte minha bundinha. E la disse que tudo bem, que ia me fazer de fêmea. Tirei minha roupa e ela, nesse meio tempo, ficou só de calcinha e com um salto alto. Ela, então, me botou de joelhos e mandou eu abaixar sua calcinha, o que fiz alegremente. O pau dela, então, saltou para fora. O pau dela, aliás, é tudo de bom. Grande e bem grosso, com uma cabeça linda toda para fora. O pau dela ainda estava mole e eu comecei a chupar. Ela me mandou parar e me mandou tirar os sapatos dela. Ela estava adorando ser obedecida. Fiz o que ela mandou e voltei logo para o pauzão. Mamei ele por vários minutos até que ele ficou bem duro. Nesse momento, ela começou a bater com o pau na minha cara, me mandando engolir ele, me dizendo para pegar nele, bota ele na sua boca e essas coisas. Em seguida, fomos para a cama. Ela ficou sentada e me mandou continuar chupando o pauzão. Eu ainda estava de joelhos.

Continuei mamando até que ela disse: vem, eu quero comer sua bundinha. Gelei, como sempre gelo na hora de r eceber o pau, pois meu cuzinho é muito apertado e quando o pau começa a entrar rasgando – eu só gosto de dar para bonecas pauzudas e bem ativas – a dor é bastante grande. Ela, então, me botou de 4 e eu pedi a ela para me comer de franguinho assado, pois nessa posição a penetração dói menos. Ela então disse: cala a boca, hoje eu quero te comer de 4 pois eu quero ver meu pau entrando na sua bundinha branca. Não tinha o que fazer. Obedeci. Ela besuntou meu cuzinho com KY e começou a meter. Como eu esperava, a dor foi grande, pois o pauzão grande e grosso dela entrou rasgando. Ela nem tomou conhecimento e continuou metendo até dizer: está tudo dentro. A dor era realmente grande, quase insuportável. No entanto, comecei a sentir prazer ao sentir o pauzão dela latejando dentro do meu cuzinho.

Ela, então, começou a estocar. Eu pedi para ela ir devagar e mais uma vez ela me mandou calar a boca. Ela lembrou que eu havia pedido para ela socar bem forte. Foi o qu e ela fez. Socou realmente muito forte, abrindo bastante minhas pernas e minha bundinha, às vezes me fazendo deitar na cama e vindo por cima só para meter com mais força e depois me pegar pela cintura e me puxar em direção a ela, enterrando o pau até o talo. Eu não sentia mais nenhuma dor, só prazer, e ela metia cada vez mais forte. Foi, então, que eu pedi para ela me botar de frango assado e comecei a sair do pau dela. Ela deu um gemido que só um garanhão sabe dar quando está comendo um cuzinho gostoso e disse nãããããõoo e me puxou com mais força em direção a ela. Nesse momento, me senti sua menina.

Ela continuou socando e, então, colocou uma camisinha no meu pau e começou a me punhetar. Eu pedi para ela parar, pois queria gozar pelo cuzinho. Ela me atendeu e acelerou as estocadas. Foi maravilhoso. Pouco tempo depois, eu gozei pela minha bundinha como só ela sabe me fazer gozar. Então, caímos na cama esgotados. Passados alguns minutos, ela levantou, eu levantei e fui ao banheiro me lavar. Ela, então, me deu um beijo na boca. Desse momento em diante, sabia que seria sua menina para sempre. Não vejo a hora de voltar.

fredrio@bol.com.br

 

Sonho meu!!!

Gostaria que fosse verdade, mas quem sabe um dia consigo.
Bom vamos lá para minha imaginação, uma tarde estava eu em casa, casado, era sábado, eu mexendo escondido no computador para minha esposa não ver, olhando sites de travestis meio escondido dela e fingindo não ver nada ela me flagrou, ficou quieta e saiu do escritório 5 minutos depois ela grita da sala:
-Amor vou dar uma saidinha e devo demorar um pouco
-Tá bom Ana (nome fictício)
Volto para o computador e fico me masturbando feito louco vendo esses sites de lindas travestis com suas picas maravilhosas enrabando os caras e sonhando estar com elas
o tempo passa, gozo 2 vezes na mão, só imaginando, tomo um banho, começa a anoitecer, desligo o computador e fico na sala esperando minha esposa ela chega com uma cara de suspeita e um sorriso estampado no rosto a chamo para sair, mas ela recusa e fala que hoje ficaremos em casa para trepar feito louco e que eu seria o homem mais feliz
penso comigo, até parece que vai nascer um pau como os daquelas meninas que vi na net, a noite continua lá para as 10 ela atende o celular, pede para esperar uma hora cravado, eu não entendi, perguntei o que ela estava escondendo e ela desconversou, foi para o banho, saiu cheirosa e me chamando para o quarto, vamos para o quarto e começamos a namorar, nos beijando, nos esfregando, aquela sensação boa, mas o pau ainda mole, pois eu havia gozado 2 vezes na mão, e não era fácil levantar assim o tempo todo.
Ela se levanta, apaga a luz, e diz que hoje seria a melhor transa da minha vida, ela pega 2 algemas, colocas em meus braços e prende em cada um dos lados da cama, vem com um lençol e amarra minhas vistas, dizendo que eu vou sentir prazer como nunca teria sentido, e que eu não poderia ver, pois ela iria me usar, e se eu olhasse estragaria tudo
fico encabulado, mas aceito, as caricias começam, ela arranca minha cueca, começa a me alisar
de repente ela para, diz que iria ao banheiro e já voltava
ela aumenta o som que estava ligado e sai, sinto um frio na barriga, tentando descobrir o que ela queria, o tempo passa, cada segundo parece uma eternidade, quando sinto ela voltando, ela entra no quarto escuro, seus passos,
ela sobe na cama, e começa a falar;
-Meu garanhão quer um presente hoje
-Eu respondo sim, claro que quero
-Meu putinho acho que vou te dar um presente!
-É o que?
-Me diz uma coisa? Você gosta de sexo anal?
-Ual, meu pau reagiu na hora, e eu respondi, claro que sim
acho que vamos ter sexo anal hoje então, pausudo
e cai de boca no meu cassete, com um boquete maravilhoso, (e isso realmente ela sabe fazer).
Aí sinto ela engolindo tudinho, lambendo chupando, me masturbando e lambendo o saco, depois de algum tempo ela levanta e diz;
-Bota essa língua para fora que quero senti-la no meu grelinho
Eu mais que de presa obedeço, ela senta encima da minha cabeça, e coloca as pernas embaixo do meu braço algemado
assim que começo ela geme e fala;
-Lambe seu puto, chupa o grelinho da sua paixão, vem mete essa língua que hoje é seu dia;
Eu não entendendo ainda, mas continuo, de repente sinto alguém chupando minha pica, me estranho e falo o que esta acontecendo ela diz;
-Fica calmo amor trouxe alguém para participar
Meu pau murcha na hora de susto ela diz;
-Não se preocupa amor vc vai gostar eu garanto continua chupando o meu grelinho, me faz gozar.
Aos poucos eu vou me acostumando da idéia e vou cedendo ao prazer, até porque foi ela quem trouxe essa moça que eu imagino deve ser amiga dela, mas como não podia enxergar, comecei a imaginar, quando sinto a língua da amiga dela descendo pelo o meu saco aos poucos comecei a abrir a perna involuntariamente, sinto que quando mais abro, mas a língua desce até que sinto a língua no meu rabinho parecia um choque percorrendo todo o meu corpo nisso ela se vira, fica de 4 com o rabo na minha cara e fala;
-Tá gostando amorzinho você gosta de uma língua no rabinho eu sem responder pelo tesão que estava, o pau em ponto de bala.
Ela pede para que eu levante as pernas para a amiga dela chupar melhor, ainda sem entender, mas gostando muito eu aceito e dobro as pernas, ela segura meu pau e cai de boca nele e a outra língua no meu rabo
não agüenta mais que 5 minutos e gozo, como nunca havia gozado ela se engasga com meu gozo e reclama, me chamando de rapidinho que deveria pagar por isso então ela pega minha perna que estava dobrada e força em direção a minha barriga, fazendo meu cuzinho molhado de tanto ser lambido, quase apontando para cima e segura com força sinto então um gelado pingando nele, e a amiga dela espalhando grito o que esta acontecendo, mas sem resposta sinto um dedo espalhando esse gel gelado e forçando meu rabo
e ela fala;
-Fica quieto amor, vc disse que gostava de sexo anal
Eu sem entender nada fico quieto e começo a imaginar aquelas lidas bonecas fazendo aquilo comigo, depois sinto 2 dedos no meu rabo, e já começo a sentir prazer nisso, meu pau meia bomba minha mulher fala;
-Ele ta gostando, ta até voltando a ficar com o pau duro, agora é a hora;
Não entendi, mas realmente até agora tudo me dava prazer, então deixei as coisas fluírem, a amiga da minha mulher der repente tira os dois dedos do meu rabo, eu sinto um vazio e fico incomodado por estar com o cu virado para o céu, ai então que sinto algo diferente encostando-se a ele
como se fosse um pedaço grande de pele assim que me encostou dei uma retraída no rabo e minha mulher falou;
-Tá vendo, ele ta com o rabinho piscando para vc
mete Le Le, mas mete com carinho até entrar tudo
Cara..............................
nessa hora passou tudo pela minha cabeça
era tão rápido as idéias que eu nem sabia o que estava pensando, só senti o cuzinho sendo forçado
ai me dei conta que estava sendo comido por alguém, senti algo me rasgando e uma onda de choque que era maior que a primeira, comecei a forçar a perna para baixo, mas ela segurou firme e senti também que mais alguém segurou minha perna sinto algo entrando no meu rabo, algo que não parava de entrar, mas era bem de vagar, até que senti algo se encostando à minha bunda, dei um gemido tão alto que minha mulher começou a gozar e eu senti escorrendo ela na hora
começou o movimento e ela sai de cima de mim, mas ainda tinha alguém me segurando, ela vem baixinho no pé do meu ouvido e diz;
-Como vc é um bom menino, vou te ajudar;
Nisso eu percebo que realmente estou sendo enrabado, vou tirar sua venda para vc ver o que esta acontecendo, quando eu entrei no escritório vi vc olhando o site de travesti, e agora sei que realmente vc esta se deliciando, quando ela tira a minha venda eu quase não acredito no que vejo
estava sendo enrabado por uma linda boneca branquinha com cabelos negros e encaracolados, um olho azulzinho, cara maravilhosamente linda, ela da um sorriso para mim, segurando minhas pernas e continua metendo, minha mulher então senta do lado da cama e começa a se masturbar, então pela primeira vez eu escuto a bonequinha;
-Tá gostando amor;
Eu só balanço a cabeça consentindo, ela então começa a aumentar o ritmo, começa a bombar bem forte e fala para minha mulher solta ele, quero ele de 4, sem perder tempo ela me solta, eu me viro de 4 e ela volta a me enrabar
ficamos assim por algum tempo, até que ela começa a se abaixar de lado deitando na cama eu correspondo automaticamente sem a deixarela tirar do meu rabo e ficamos de lado, um para o outro minha mulher se ajeita do meu lado e encaixa sua piriquita encharcada pela primeira vez eu sentia o tesão se ser enrabado e ter um bucetinha molhada encaixada na minha pica, não resisto e começo a gozar, mas é tanto gozo que minha mulher goza só de sentir gozar dentro dela ao gozar automaticamente contraio meu rabo, levando à boneca as nuvens, ela para, levanta e diz;
-Que vai gozar;
Minha mulher manda eu me virar e sentir aquele gozo na minha boca e a boneca vem, e coloca sua pica na minha boca, minha mulher empurra minha cabeça, fazendo eu engolir toda a pica da menina que goza diretamente na minha garganta, eu chego a me engasgar, extasiados deitamos na cama, uma de cada lado, sem falar nada, caímos exauridos.
Mesmo assim com o tesão que estava, não perdi tempo tb, coloquei o travesti de quatro e com minha pica meio mole ainda forcei a entrada e ela falou;
-Vai descontar é, que nada o rabo dela era maravilhoso, rapidamente gozamos novamente, estava morto de tanto gozar.
Abraço minha mulher e sou abraçado pela amiga dela
ficamos assim por mais de 1 hora, até que
isso fica para outro dia
se gostaram escrevam para mim que conto mais
Pena que é só minha imaginação, mais quem sabe um dia!!!
E-mail= marcioprost@hotmail.com
 

Travesti Natascha, de Chapecó e que não faz programas, quer encontrar alguém de caráter para relacionamento sério

 
Seu nome ou Apelido: 
NATASHA HAUENSTEIN
Em qual Estado do Brasil ou País você mora?: 
SC
Qual o nome da cidade onde você tecla?: 
CHAPECÓ SC
EU SOU:: 
Travesti
PROCURO POR: (obs - você pode selecionar mais de uma opção neste ítem): 
Homens
 
100_0046.jpg

ola me chamo natasha, sou delicada, feminina, gosto de conhecer pessoas, amizades.
estou a procura de um namorado que queira algo sério, descarto afeminado, punheteiro, curioso.
Nao faço programa, trabalho, tenho emprego fixo.
Quero encontrar alguém de carater, que queira realmente algo sério.
Beijos e fico no aguardo, e-mails com fotos tera prioridade.

aguardo resposta.

 

 

Trans de SC, com nivel superior incompleto, carinhosa e com foto procura pessoa para relacionamento sério

 

nome ou Apelido: 
KARLA TRANSEX
Em qual Estado do Brasil ou País você mora?: 
SC
Qual o nome da cidade onde você tecla?: 
CHAPECÓ SC
EU SOU:: 
Transexual
PROCURO POR: (obs - você pode selecionar mais de uma opção neste ítem): 
Homens
 
 
ATgAAACYjARp8TIqNCr23iwqR_rAn5FbzZh_To3iLtRZsqCtMPkCeqbp7b1VuwdSBr1MgkI3JDb8Hy3WyU6nM2IQEYmCAJtU9VC4N_s3NpzoLG0K8aWRq4ha6ueaAQ.jpg

SOU UMA PESSOA CARINHOSA, COMUNICATIVA, NIVEL SUP. INCOMPLETO, GOSTO DE COISAS BOAS DA VIDA, COMO FAZER AMIGOS, VIAJAR ETC...
ESTOU A PROCURA DE UMA PESSOA QUE QUE SEJA SINCERA, HONESTA, AMIGA .
MORO EM CHAPECÓ SC. PODEM ENTRAR EM CONTATO QUE COM CERTEZA RESPONDEREI A TODOS, BJOS. DE PREFERENCIA E-MAILS COM FOTO.

 

Travesti de 22 anos, que mora com os pais, com fotos, procura amizade com homens e quem sabe futuro namoro

 

Nome ou Apelido: 
Lara
Em qual Estado do Brasil ou País você mora?: 
PR
Qual o nome da cidade onde você tecla?: 
Curitiba
EU SOU:: 
Travesti
PROCURO POR: (obs - você pode selecionar mais de uma opção neste ítem): 
Homens
 
 
lara3.jpg

Ola mais uma vez estou aqui para Atualizar meu msn que mudei para

lara_vampire@hotmail.com.

O que procuro?
Conhecer pessoas para novas amizades, com muito respeito e seriedade.
Quem sabe caso conheca alguem que tenha afinidades um possivel Namoro.
Tenho 22 anos, moro com meus pais aqui em Curitiba.
Sou uma pessoa séria e muito reservada, gosto de uma boa conversa, saio as vezes, quando se tem companhia.

Não faco programa, respeito todos e gosto de ser respeitada,
Sendo assim agradeço mais uma vez o espaço.
ATENÇÃO : SE ADD NO MSN SE IDENTIFIQUE QUE VIU ATRAVES AQUI DO SITE DA MAITE OK

PARA PERMANECER NO MEU MSN A PESSOA DEVE TER FOTO E CLARO RESPEITO, SE NAO NEM ADIATA ADD BJSSS E OBRIGADA.

 

Experiência deliciosa

Alguém me ligou no início da tarde e disse que estava lendo meu blog, que estava adorando e gostaria de saber se eu era e fazia tudo aquilo que estava publicado. Conversamos um pouco e isso foi o suficiente para ele anotar meu endereço e vir rapidinho. Hoje choveu quase a tarde toda, no início da noite ainda continuava chovendo e, isso fez o trânsito ficar caótico, mas ele não estava muito longe daqui, por isso em mais ou menos uns 20 minutos tocou o meu interfone. O esperei com meu vestidinho rosa e de salto alto.

Ele já havia me dito que era um pouco tímido, por isso queria testar minha destreza em iniciantes e já deixou claro, que gostaria de ser apenas ativo, ativo liberal... Ele entrou, me deu um beijo no rosto e disse que achava que eu era menorzinha pelas fotos, mas gostou muito de me ver pessoalmente. Huuum que delícia! Adorei ele, era uma mistura de dois clientes deliciosos que já saíram comigo há muito tempo, rs... Sentou-se na cama e eu em sua frente já me insinuei, tirei o vestido e esfreguei meus seios contra ele, que ainda estava com roupas. Como eu já estava peladinha, sugeri que ele também tirasse tudo... Ele meio acanhado foi tirando tudo e ficou só de cueca, mas eu mandei tirar também... Ele peladinho deitou-se e falou que não sabia se iria conseguir. Conseguir, é relativo, pois em minutinhos seu pau já estava duro. Quem sabe gozar, não é? Mas, vamos ver daqui a pouco.

Ficamos nos alisando, descobrindo coisas novas, principalmente para ele, rs... Coloquei uma camisinha no meu pau e outra no dele, deitamos na cama e começamos um 69. Ele por cima e eu por baixo. Quando seu pau ficou bem duro, foi na minha garganta. Ele também adorou a minha pica, chupou muito e muito bem, acho que isso ele já sabia fazer, rs... Mas, a toda hora ele queria ver a minha bunda, pra qual não poupou elogios, dizendo que pessoalmente era melhor ainda. Eu agradecia os elogios, até que perguntei, se ele queria comê-la. Huuuum, se você deixar, eu quero! He he he, se eu deixar, hein? É claro que eu vou deixar, mas antes fiz o que comumente faço, coloquei uma camisinha no seu dedinho, pra ele sentir o calor e a elasticidade do meu cuzinho. Enfiou o dedo sem parar, tive até que pedir calma. Como ele já estava deitado de barriga pra cima, eu ajeitei sua pica e resolvi sentar em cima. Tive que ter calma, que pica gostosa! Uau, eu amei. Comecei a rebolar e a tocar meus mamilos, enquanto isso ele me masturbava, já pedindo pra que eu gozasse em cima de sua barriga. Calma, ainda não é hora! Mas, castiguei a nós dois e não gozei naquele momento, apesar de estar sentindo um tesão fora do comum, gostaria de aproveitar mais.

Saí de seu pau e enfiei o meu na sua boca, que ele adorou e chupou mais um tempão. Depois disso fiquei de quatro no canto da cama e queria ver a sua técnica em me comer de quatro. Ele novamente ficou admirado com meu rabão e veio sem demora pra dentro de mim. Que rabo lindo e gostoso que você tem Drikka! Posso enfiar e tirar? Sorri e disse que sim. Aí então ele se divertiu, enfiando e tirando sua bela pica do meu rabo. Enfiava e tirava, abria minhas nádegas, olhava o estrago e isso aumentava o seu tesão. Gemendo disse que não aguentaria muito tempo, estava quase gozando, só em fazer isso numa bundona como a minha.

Falei que tudo bem, que fosse em frente e curtisse todo aquele tesão, eu estava adorando, não lembro de alguém que tenha feito isso, pelo menos ultimamente. Então tá! Ele gozou adoidado. Saiu feliz e disse que realmente tinha feito uma ótima escolha! Eu dei mais um beijinho nele e disse, se realmente ele gostou, que volte, afinal fiquei devendo uma gozada na sua barriga!

 

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

Fogo no rabo parte 2

Passados alguns dias, eis que meu fofo que vou chamar de fogoso me ligou e queria saber se hoje eu poderia realizar mais uma de suas fantasias. Ele gostaria de dar para um pau grande. Então, como eu prometera, chamei o meu amiguinho Robin. Primeiramente o fogoso chegou, foi para o chuveiro tomar aquela ducha e retocar a chuca. Em seguida chegou o Robin e foi para o chuveiro e, enquanto isso eu fiquei na cama com meu cliente fogoso já fazendo as preliminares. Fizemos um 69 delicioso. Foi o tempo do Robin chegar, já com seu seu belo pau bem duro. Eu comecei a chupar a pica do Robin e pedia para o fogoso olhar o que eu estava fazendo, mas acho que ele estava meio encabulado e só quis saber de ficar chupando meu pau...

De qualquer jeito, aquilo estava uma delícia, uau! Pedi quase que o arrastando pra que ele viesse chupar o pau do garotão junto comigo. Ele veio, primeiramente ficou mais me beijando, parecia que estava com medo daquela pica bem dura que eu não queria tirar da minha boca, mas não demorou a encontrá-la e quis só pra ele, rs... Aí sim, senti que ele estava ficando a vontade com meu amiguinho e, já estava na hora de começar a abrir caminho para seu cuzinho também experimentar a pica dele.

O garotão deitou-se de barriga pra cima no meio da cama, meu cliente fogoso, ficou de quatro na beira da cama, empinou o seu bundão pra mim dizendo venha e continuou chupando a pica do rapaz. Eu lubrifiquei seu cuzinho e comecei a penetrá-lo devagarinho, com jeitinho até que minha pica ficou toda presa no seu rabo guloso. Enquanto isso Robin que também sabe ser safadinho dizia pra eu foder o cuzinho do fogoso bem gostoso, que logo ele iria enfiar também o seu pau ali. Meu cliente não se manifestou, continuou chupando e rebolando seu bundão, pelo jeito estava gostando da coisa. Daí a pouco chegou a hora dele conhecer uma pica maior que a minha. Fez umas carinhas de medo, mas que nada, alguns minutos depois ele gemia de tesão e não de dor, rs... Ainda pediu pra que eu tirasse umas fotos. Tudo bem, fotografei ele de quatro no canto da cama, sentando em cima da pica do Robin e ainda dando de franguinho assado ( foto abaixo)... Que tal hein? Cadê o medo? Ele virou uma puta na pica do Robin também! Ele simplesmente adorou e disse que estava achando que iria ficar mal acostumado.

Pra finalizar, Robin meteu com força no seu rabo, enquanto isso eu chupava a pica do meu cliente fogoso que gemeu alto e gozou muito. Quando Robin sentiu o fogoso mordendo sua pica e se acabando num gozo frenético ele gozou também quase que simultaneamente. Só eu que fiquei sem gozar, mas me masturbei o tempo todo, naquela sessão de fotógrafa, assessora e voyeur, só não gozei porque não quis. Delícia de brincadeira, que fez bem a todo mundo!

 

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 


Conteúdo sindicalizado