Travesti

warning: Creating default object from empty value in /home/maite/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.module on line 1390.

Paixão Antiga 2

Segunda-feira fria e nublada em Curitiba. Bom pra ficar na cama até mais tarde. O telefone tocando e eu embaixo das cobertas com preguiça de atender, mas enfim, teria que levantar, já passava do meio-dia... O telefone tocou novamente, atendi, era um fofo, uma paixão antiga como gosto de me referir a clientes que conheço há muito tempo. Ele falou que estava a uma quadra e queria me comer. Huuum, pedi um tempinho e ele concordou, então corri para o chuveiro e alguns minutos depois tinha feito pelo menos o básico, rs...

Quando ele chegou o ambiente já estava aquecido, ele entrou, esfregou as mãos e disse que estava muito frio, principalmente lá fora, mas queria esquentar esse clima! Tirou a roupa rapidinho e foi tomar uma duchinha, claro que eu fui lá lavar a sua bundinha, como já faço toda vez que ele vem. Mais tarde na minha cama ele deitou-se de barriga pra baixo e eu deitei sobre ele, mordisquei sua orelha enquanto fazia movimentos com meu corpo sobre o dele. Ele gemia gostoso e dizia que estava com saudade de mim. Falei que também estava com saudade do seu corpo, da sua pele que em contato com a minha libera muito tesão. Já com meu pau bem duro entre suas coxas fiquei me esfregando e comprovando o que escrevi sobre a química. Ele disse que hoje eu não comeria sua bundinha, ele estava virgem de novo! Ahhhh, que pena! Peguei uma camisinha, coloquei na língua e comecei a comê-lo, bem safadinha abrindo suas nádegas e bombando com a linguinha. Pronto ele já estava se assanhando, pois virava a cabeça de um lado para o outro dizendo que estava bom demais... Eu conheço meu eleitorado, rs...

Por isso já com lubrificante enfiava um dedinho. Bem, daí a pouco eu já estava com meu pau devidamente encapadinho e lubrificado tentando algo a mais, mas deixando explícito que eu não iria colocar pra dentro. Brinca prá lá, brinca prá cá, de repente escorregou e entrou a cabecinha. Ele deu um gritinho e pediu pra eu tirar. Mas, logo em seguida pediu pra eu brincar mais uma vez, tentei e novamente escorregou, he he he, mas dessa vez, ele não reclamou e, sim só rebolou dizendo que eu era muuuuuito safadinha e estava comendo-o. Aí eu perguntei bem no pezinho do seu ouvido, se estava ruim, pelo contrário, ele disse, está bom demais e quero dar em outra posição. Então, ficou de franguinho assado e pediu pra eu comê-lo de novo, pois já que eu tinha começado, que agora terminasse. Coloquei meu pau no seu rabo, enquanto isso ele alisou meus mamilos, do jeitinho que eu gosto. Debrucei-me sobre ele e dei um beijo na sua boca, no seu nariz e ainda falei bobagens no seu ouvido. Senti seu pau bem duro sob minha barriga, que tesão, e quem acabou gozando fui eu. Huuum fiquei literalmente mole, rs... Deite-me ao seu lado e disse que agora a minha bundinha era dele. Ele ficou agarradinho em mim, apenas esfregando seu pau.

Alguns minutos depois, ele disse que não aguentava mais, que precisava gozar. Então lubrifiquei meu cuzinho e continuei de ladinho, aí ele entrou e ficou bombando devagarinho... Devagarinho... Um pouquinho mais rápido... Mais rápido ainda... Rápido, gemendo e me apertando forte! Uuuuuh... Ahhhhh... Pois é... Gozou, gozou muito. Nessas alturas, o aquecedor já estava desligado e a gente quase suando. Que delícia começar assim uma segunda-feira, já quase duas horas da tarde, rs...

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

Transa frenética

Tarde chuvosa e fria em Curitiba. Ótima para ficar embaixo das cobertas, vendo televisão, ainda mais com um jogo de vôlei com Estados Unidos e Rússia. Vocês sabem que eu adoro, vôlei é tudo de bom, ainda mais com uns gatinhos como Berezkho, Rooney e Poltavsky... Eu já havia curtido o jogo do Brasil, que fora mais cedo, contra Cuba, também imperdível, mas sacrifiquei dois sets, para atender um cliente.

Como o telefone tocava a todo instante, melhor então foi tirar um pouco do gancho o convencional e desligar o celular , pra curtir essa paixão, não é? Afinal um jogo de vôlei assim, só de vez em quando... Mas, depois do jogo, coloquei o fone no gancho, liguei o celular e pensei quem ligar primeiro me leva, rs... O primeiro foi mais um dos clientes da sessão 'paixão antiga'. Fizemos um 69, depois um troca-troca e como sempre uma transa bem quente, deu até pra suar, imagine então! Ah, enquanto estive com ele tive que tirar o fone do gancho de novo! No que coloquei novamente, alguém desesperado atrás de mim. Falou que estava de passagem por Curitiba e precisava me ver urgentemente, mas meu telefone estava só ocupado e, ele não tinha o número do celular. A chuva que cai desde ontem sem parar, não foi obstáculo pra ele, mas não conseguir falar comigo estava sendo uma tortura, rs...

Tudo bem, daí a pouco estávamos nos agarrando na minha cama, enquanto ele dizia, que não conseguia esquecer nosso último encontro, quando eu passei a língua no seu rabinho e depois o comi, como nunca tinha conseguido... Pensando nisso e estando em Curitiba novamente, ele estava com uma tara sem igual, queria meu corpo de todo o jeito. Eu adoro ele, já dei até um apelido, pena que ele esqueceu, rs... Guloso, logo abocanhou minha pica e não queria mais soltar, tamanho era o seu tesão. Nesse frenesi louco, ele me chupava e se masturbava sem parar. Daí a pouco ficou de ladinho e disse para que eu fosse comê-lo rapidamente, pois estava atrasado para um compromisso, mas queria dar o rabinho pra mim. Nem passei lubrificante, só coloquei a camisinha na minha pica bem dura e já fui botando pra dentro. Ele gemeu, fez caras e bocas de desconforto, mandou eu parar um pouquinho, mas já em seguida pediu pra que eu fosse fundo! Eu fui, fiquei paradinha lá no fundo, enquanto ele se acabava na masturbação, mas ainda não gozou. Ele fez questão de me botar de quatro e comer meu rabo. Adorou ver meu rabão na berlinda e meteu sem dó... Uau, que fogo!

Empinei a bunda e ele me comeu com muito tesão enquanto me masturbou, pedindo pra eu não gozasse, ufa! Tá difícil segurar, mas vamos lá! Ele queria que eu gozasse comendo o seu rabo. Então ficou de quatro, só rebolando, mostrando seu lindo cuzinho pra mim, enquanto fiquei me masturbando olhando a sua exibição de puta safada. Quando meu pau estava bem duro e quase explodindo, enfiei com tudo dentro daquele buraquinho e soquei sem dó. Ele gemeu, disse que eu estava sendo má e delirou quando sentiu que eu me esvaí dentro dele. Mas, ele não gozou, pois queria mais, sim, queria agora gozar dentro de mim. Deitei na cama de ladinho, ele ergueu minha perna e bombou, não muito, pois gozou em seguida em gemidos orgasmáticos...

Aí sim, nos abraçamos e descançamos um pouco depois daquele embate frenético! Ele tomou uma ducha e saiu para a chuva, para o frio e o seu compromisso inadiável, mas feliz e bem calminho! Apesar de tudo, contudo, foi tudo, como ele queria, rs...

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

Bingolada

Essa é mais uma história que aconteceu comigo num dos tantos verões que passei em Balneário Camboriú. Foi numa tarde quente de belíssimo sol, eu deitada na minha toalha de banho, com um minúsculo biquini na Praia dos Amores, só olhando o mar e tostando minha pele, nem imaginava que transa deliciosa eu teria algumas horinhas depois... No início dos anos 2000, a praia estava em total expansão, inúmeras moradias estavam em construção, com muitos pedreiros trabalhando na região e de vez em quando dando uma olhadinha nas bundinhas expostas ao sol, ou até uma passadinha pelas beiradas da praia. Nessa tarde um gostosão passou por mim bem devagarinho, quase parando e mexeu comigo. Aparentemente, não dei bola, mas deixei claro que gostei e que eu era super fácil.

Ele se foi e eu continuei tomando meu sol, também não podia ser fácil demais, rs... Lá pelo final da tarde, armou-se uma dessas tempestades de verão, e eu rapidamente recolhi minha toalha, dei uma sacudida na areia e fui pro carro que estava próximo. Seguindo pra casa, peguei um caminho estratégico, dei uma passadinha em frente a uma das construções só pra ferver com os pedreiros que se ouriçavam ao me ver, já reconheciam de longe a loira do astra prata. Que oportunidade eu tive de parar o carro e entrar lá com a desculpa de fugir da chuva, mas eram muitos homens, de repente nem todos iriam querer, sei lá, achei que seria muita loucura, melhor ir embora.

Aliás, qualquer hora eu conto uma história dessas que foi quase tragicômica! Voltando aquela tarde, dirigindo meu carro um pouco mais a frente, ia um gostosão de bicicleta, e aproveitei para mexer com ele. Surpresa foi que era o mesmo bofão que havia mexido comigo no início da tarde. Disse que pena que ele estava de bicicleta, senão ofereceria uma carona para ele não se molhar. Mais que depressa ele disse que poderia voltar, guardar a bike e sair comigo, bastava que eu o seguisse. Assim eu fiz, acompanhei-o de uma certa distância, ele foi até um sobradão, entrou e daí a pouco veio correndo em direção ao meu carro, visto que a chuva estava forte... Ele era eletricista e estava trabalhando naquele local... Por sorte os pedreiros da outra construção não me viram, rs... Entrou no carro, conversamos um pouco e decidimos ir até o meu local, desde que depois eu o trouxesse até ali, para ele pegar a bike pra ir pra sua casa. O meu local era aquele prédio em Balneário, daquele senhor argentino que já comentei nas 'Aventuras de Sabrina nº 23' - ''O garotão de Londrina''. Pois é, lá haviam várias kitches, em três pavimentos e a minha ficava embaixo, bem prática, de fácil acesso, eu sempre fazia questão de locar aquela .

O tal senhor, não gostava que fizesse essa linha função de entra e sai com bofes, para a 'seguridad' do local, como ele dizia. Mas, no horário, ele não estava por ali e eu entrei na boa com a minha presa daquela tarde, rs... Entramos e já fomos ao banheiro, pois uma duchinha cairia bem. Ele me agarrou, desamarrou a parte de cima do biquini e já chupou meus peitos, dizendo que eram bonitos e ótimos para dar uma 'bingolada', ou seja passar a pica neles, rs... Deve ser um termo usado na região, eu nunca tinha ouvido... Enfim, me ajoelhei na sua frente e disse, então dê ( a bingolada, rs)... Ele abriu o ziper de seu bermudão jeans e puxou pra fora sua pica. Era uma boa pica, não muito comprida, mas grossa, que já esfreguei entre meus peitos, olhando pra ele e fazendo cara de puta. Pedi pra ele tirar toda a roupa e tomar a ducha. Fiquei só olhando, me deliciando com aquele homenzarrão, que tirou tudo, peça por peça, meio acanhadão, olhando pra mim com uma carinha desconfiada, que me deixou louca. Uau, que homem delicioso! Eu já não aguentava em mim, com vontade de chupar e rebolar na sua pica, senti meu rabinho piscando, meu pau já endurecendo e um frisson de ânsia misturada com tesão... Fiquei olhando ele tomar banho com o box aberto, se insinuando pra mim, e acabei entrando junto, atendendo seu pedido...

Apenas de calcinha, entrei sorrateiramente e ali mesmo já começamos um roça-roça. Não tirei a calcinha, quis dar uma de mocinha e, não podia mostrar o pau, rs... Ele baixou a calcinha enquanto eu estava de costas pra ele, elogiou minha marquinha e esfregou sua pica no meio dos meus morros. Só não enfiou ali porque não deixei. Falei que era melhor nos secarmos e irmos pra cama. Fomos então pra cama, onde já coloquei uma camisinha no seu pau e e caí de boca. Chupei, chupei até ficar com os maxilares doloridos. Depois enchi meu rabo de lubrificante e tentei sentar em cima. Muito devagar, devagarinho fui sentando, torcendo pra minha chuca estar ótima, pois tinha feito antes do meio-dia, não tive como retocá-la por hora. Sentei, seu pau entrou até o talo, rebolei enquanto ele pegava nos meus seios, de forma até meio selvagem, apertava-os num todo e eu só curtia o momento, discretamente me masturbando, para melhor degustar aquilo tudo. Uau, estava bom demais, eu e aquele gostosão, meio rústico, sexy, numa transa assim meio fugaz. Lá fora, o maior temporal, ali dentro, nós suando, pois o calor era intenso, não pensei nem no ventilador, rs... Sentada na rola de um pedreiro tarado, eu literalmente derretia.

Daí a pouco ele quis que eu ficasse de quatro. Hummm, levantei, tirei a pica e por sorte, tudo estava perfeito. Aí coloquei mais creme no rabo, empinei o bundão e pedi pra que ele viesse. Uma das portas do guarda-roupa estava aberta e, pelo espelho eu via ele de costas metendo em mim. O corpão dele, com aquela marca branca enorme de bermudão, estilo magrão e compridão num movimento desenfreado de entra e sai já era o suficiente para eu ter um orgasmo. Ele segurava na minha cintura e metia com força e gosto. Eu não sabia seu 'timing', por exemplo se gozaria rápido ou se demoraria, pois eu queria gozar com sua pica dentro de mim, mas mais ou menos sincronizada, pois se eu gozasse antes e ele demorasse muito, meu rabo poderia arder demais... Metendo sem parar e gemendo ele pediu se podia gozar. Ai que delícia! Não poderia ser melhor! Empinei mais o rabo, dei umas mordidas no seu pau, discretamente já comecei a me masturbar e disse que ele poderia gozar a hora que quisesse...

Olhei novamente pelo espelho, me masturbei e tive um orgasmo daqueles que nem sei descrever. Curtindo todo o meu tesão, senti que ele também enchera a camisinha. Ele saiu de mim, tirei a camisinha, por sorte inteirinha, só cheia de leite e pedi pra que ele fosse pro chuveiro. Enquanto isso puxei o lençol molhado com a minha porra, joguei num cantinho e fui pro chuveiro também. Enquanto ele se enchugava, eu entrei, tomei uma duchinha rápida e já estava pronta pra levá-lo de volta. A chuva continuava e já estava escuro.

Ele pediu pra que eu o levasse até sua casa, pois a bicicleta estava protegida e segura... No outro dia ele pegaria um ônibus para ir até o seu local de trabalho. Fomos no meu carro até a entrada de Itajaí e o deixei perto de sua casa e já deixei com ele o número do meu telefone celular, caso ele quisesse repetir a bingolada. Ele saiu, sorriu e disse que assim que pudesse me ligaria! Ele ligou, pena que eu já tinha voltado pra Curitiba.

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

Conheci a travesti no chat

Fazia algum tempo que tínhamos nos conhecido pelo chat e depois trocamos o msn, nos falamos um pouco e ela sumiu. Um dia abro o msn e lá estava ela on line, logo vi a janela piscando indicando que ela tinha me dito algo. Abri a janela e o seu texto dizia que queria me comer naquela semana, queria foder meu cu bem gostoso. Falamos mais um bom tempo aquele dia, nos excitamos muito, quase gozei, mas deixei para que isso ocorresse apenas com ela. Marcamos na quinta-feira a tarde, nesse dia ainda eu nos encontramos no msn na hora do almoço. Saí dali e fui direto para o seu apartamento, ela morava na região central da cidade.
Estacionei o carro, fui até o prédio dela, toquei o interfone e logo em seguida o portão se abriu, depois o elevador. Não sabia ao certo o que iria encontrar, nunca tinha visto o rosto dela pelas fotos, seria algo misterioso, por isso talvez mais interessante. Cheguei ao apartamento, ela abriu a porta, entrei. Uma bela menina sem duvida.
Me beijou a boca espalhando o seu batom por toda ela, tocou meu pinto que já estava duro, logo em seguida a sua mão quente e macia foi entrando pela minha calça, encontrando e batendo enquanto me beijava. Ela usava botas de cano longo, calcinha vermelha e espartilho, ela foi tirando minha roupa e logo eu estava nu diante dela. Me ajoelhei puxei a sua calcinha, já saltou um pau firme de dentro dela, admirei-o, depois passei a língua em todo o seu comprimento e finalmente na cabeça dele e então o engoli o que podia. Ela segurou a minha cabeça e enfiou quase tudo em minha boca, chegava a dar ânsia, depois tirava e me fazia chupar e lamber aquele belo canudo. Me tirou do seu pau, foi até o seu quarto e voltou com uma calcinha rosa minuscula, eu vesti. Ela me deixou de costas para ela, passou um lubrificante em meu cu e ainda de pé foi enfiando dentro da minha bunda. Senti aquela marreta cutucando meu cu, doía, ela tirava sentia um alivio maravilhoso e logo em seguida sentia ela enfiando tudo de novo, depois permaneceu om ele enterrado em mim e só balançava o seu corpo pra frente e para trás, sentia que ela queria enfiar ainda mais em meu cu, que desejaria ter um pau maior ainda. Ela saiu de mim.
Nos deitamos no tapete da sala, eu de lado e ela por trás de mim, levantou minhas pernas e senti de novo o caralho dela buscando o meu cu, entrando, enrabando devagar até ele chegar todo dento de mim, então entrava e saia, me comia como um macho gostoso, me beijava a boca e me chamava de puta, as vezes parava com o cacete todo dentro do meu rabo, então me masturbava, me beijava de novo, assim foi indo até quando ela disse que estava louquinha de vontade de gozar, lhe perguntei onde ela queria gozar, ela foi rápida e me disse em minha boca.
Saiu do meu cu, tirou a camisinha, ficou em pé enquanto eu ajoelhado a chupava, ela se masturbava junto, não foi muito e vi ela gemendo, a porra estava saindo, ela gemia, batia e eu lambendo a cabeça maravilhosa do pinto, saiu a porra quente, saiu no meu rosto, na minha língua, no meu rosto, tinha muita porra aquela minha menina gostosa. Lambi todo o seu pau gostoso. Nos lavamos em seguida, nos beijamos e ela me chupou, quando estava para gozar ela tirou a boca macia do meu pau, me beijou a boca e nas suas mãos quentes terminei o meu gozo. Me arrumei depois, deixei o dinheiro combinado, fui embora com a certeza que iria provar novamente aquele gozo quente, doce em minha boca e também do seu cacete duro dentro do meu cu.

jacklenon1@yahoo.com.br

 

Tarde de Sábado - Cinema, Pipoca e Travestis

O que vou relatar aconteceu uns meses atrás quando ainda trabalhava nas imediações da república. Num sábado que tive de trabalhar até o meio dia saí para comer alguma coisa depois do expediente ali pela Ipiranga mesmo. Volta e meia eu via um travesti ou outro e sempre me excitava com aquelas beldades. Já tinha encontrado uma e outra por ali e até experimentado, mas esse dia foi atípico.

Fui até uma locadora de pornôs e na volta vi três lindas bonecas entrando no cinema, aquele que fica perto do antigo e desativado Cine Ipiranga, mas não desses cines pornôs nãoUma delas notou meu interesse e me convidou de longe, mas fique um pouco inseguro e hesitei... Elas entraram no cinema e eu parei numa banca de jornais pra pensar. Alguns minutos depois estava na bolheteria perguntando qual filme estava pra começar e fui assistir "A Guerra dos Mundos". Entrei na sala, que estava mais ou menos vazia, procurando pelas três sentei lá na frente e fiquei um tempo olhando pra trás procurando, quando as encontrei usei de pretexto uma saída pra coprar pipocas e quand ovoltei sentei ao lado delas.

A loira que me chamou estava o mais longe possível e puxei conversa com a morena de traços chilenos, ela era brasileira, mas falava arrastando pro espanhol pois acabara de voltar da europa e ainda "estava se acostumando", achei um charme.

Descobri que uma delas nã era boneca e sim a sobrinha da loira, mas sem crise.

Tempos depois ela começou a pegar o meu pau e até arriscou um boquete rápido, mas tinha um cara que ficava passando toda hora por nós (fucionário do cinema) pra ver se estavamos nos comportando. A certa altura do filme a loira trocou de lugar e fiquei entre as duas.

Ela já veio colocando o pau pra fora e falando pra eu pegar. a morena se ajoelhou no corredor e começou a me chupar com vontade e a sobrinha fiscalisava o fiscal, a loira pediu pra eu chupá-la, mas disse que não e ela continuou mantendo minha mão no seu pau que estava bem rígido e babanddo bastante eu estava quase gosando na boca da morena mas fomos interrompidos mais uma vez. Assistimos o filme nesse ritmo e quando saímos do cinema elas me convidaram pra ir ao seu apartamento(a loira ainda era a mais interessada, Gabriela seu nome).

Caminhei pelo centro num cagaço tremendo de ser visto com duas travestis que chamavam tanto a atenção mesmo em vestes comportadas com exceção dos decotes...

Chegamos lá e parecia uma república e moravam maisoutras duas bonecas no lugar (depois descobri que uma era visita, assim como a sobrinha) Elas separaram um quarto e pediram pra eu esperar lá. A morena entrou só de camisola minutos depois e foi logo me chupando. Encostou uma cadeira na porta (q não trancava) e se apoiou me oferecendo seu enorme rabo. Fodi com vontade, bombava como um louco e ela colocou minha mão no seu pau e pediu que eu a masturbasse, atendi o pedido e ela logo gozou ... Pediu pra eu não gozar, pois a Gabi estava vindo.

A Gabi chegou enrolada numa toalha.. Ela é linda, só não tem seios fartos como a morena, mas tem um quadril e pernas maravilhosas, percebi que ela malha muito, pois seu braço é bem forte ... Nos deitamos num colchonete um de frente pro outro e ficamos nos amassos com nossos paus se roçando (eu tenho um pau de uns 19cm e bem grosso e o dela era ainda maior), depois ela me colocou deitado de barriga pra cima e caiu de boca no meu pau, chupou também meu saco e lambeu muito o meu cuzinho... Nunca tinha sentido aquela sensação, ela ia com a língua bem fundo no meu cu e me tirava suspiros e gemidos, quando numa interrupção inesperada e num movimento rápido ela subiu no meu toráx e colocou o cacetão dela na minha cara eu dei uns beijos e umas lambidas indicando que não era minha praia, mas ela era insistente demais e acabei engolindo aquela vara descomunal de uns 21cm não cabia na minha boca e eu não tinha prática, sem falar na posição que não ajudava em nada mas fiquei ali mamando por um tempo como conseguia e enfiando o dedo no cuzinho dela já me preparando pra penetrá-lo, mas ela me surpreendeu de novo quando deitou do meu lado e mordendo minha orelha e meu pescoço disse que ia me fazer uma menina como ela. E não quis entender e questionei e ela disse que queria me comer "um pouco". Nã seria a primeira vez, mas não era o q eu buscava ali, na verdade eu jah tinha sido passivo em três ocasiões anteriores, mas não tinha vocação pra coisa.

Mas ela era mais forte e naquela altura do campeonato eu já estava entregue ao prazer... Me virou de bruços e chupou meu cuzinho, cuspindo nele algumas vezes para introduzir ora um ora dois dedos sacanas... Tive a impressão que a porta se abrira, mas não dava pra olhar e logo depois ela veio por cima de mim e me dominou como um verdadeiro macho, pois passou seus braços em volta do meu corpo me deixando sem muita movimentação... Senti calafrios e ela foi colocando devagar no início, mas assim que ela conseguiu acomodar toda aquela rola dentro de mim começou num vai e vem sem se importar com minhas reações iniciais que eram de dor incontrolável, mas fui me acostumando e me entregando. Quando realmente relaxei e comecei a sentir prazer notei alguém se agachando ao meu lado. Era a travesti que estava de visita, seu nome era Luana e ela disse que tb queria... Era de má aparencia mas já chegou no quarto de saia e sem calcinha e quando se agachou deixou a mostra, já quase no meu rosto, uma rola de causar inveja a qualquer bem dotado por aí e era um belo dote... Tinha a cabeça num formato perfeito e uma cor meio caramelada por sua pele morena... A Gabi pediu pra ela deixar chupar e ela deixou. Ela começou a chupar a Luana ali bem na miha cara, pois estavamos de rostos quase colados e de propósito ela não engolia a saliva só pra ir caindo no meu rosto, a Lu de tempo em tempo pegava o pau bem lambusado e passava na minha cara, até que me colocou pra mamar, era muito grande o pau dela, mas não ficava totalmente duro o que fazia caber na minha boca foi um tesão imenso e gozei como nunca antes, mas a GAbi era insaciável e demorava demais pra gozar. eu pedi pra parar um pouco... Depois do breve descanso pro neu cuzinho, esse que passei alternando boquete pras duas bonecas q pareciam se divertir com a situação, falando coisas do tipo: "chupa vadiazinha", hoje você vai sair daqui toda arrombada", engole minha rola sua vagabunda"... A Luana se atrevia a dar tapas na minha cara e confesso que até comecei a ficar com certo medo...

A Gabi deitou de barriga pra cima e me mandou sentar em seu cacete e confesso que foi a posição mais difícil que já tentei.. Mas depois que sentei me senti a rainha do anal!!! Rebolando gostoso naquele pau enorme, causei tamanha excitação na Luana que ela se levantou e gozou jatos e jatos de porra quente na minha cara e no meu peito. Fiquei todo lambuzado, depois de gozar ela colocou a rla na minha boca para eu beber oleite que havia sobrado em seu mastro e saiu do quarto... Continuei ali com a Gabi que me colocou de frango assado e enfiou tudo e dessa vez foi tudo mesmo que ela tinha de pica... Vi estrelas e gozei novamente sobre minha barriga, gozei tão forte que acertei meu próprio rosto nos primeiros jatos, me vendo gozar como uma cadelinha ela veio até meu rosto e me encheu a cara de porra de novo. Eu estava totalmente lambuzadoEla me deu um beijo e pediu que eu me trocasse rápido pois teria um cliente em instantes, pedi pra me limpar ou tomar um banho mas ela se recusou e pediu que eu saísse...

Me limpei com minha camiseta, como pude e fui pegar o metrô com cheiro de porra por todo o corpo. Eu tinha a impressão que todo mundo tava me olhando. Fiquei perto da porta e acabei sendo encoxado por um cara no metro lotado, não sei se ele notou o cheiro ou eu que fiquei no lugar errado, mas até me pegar pela cintura e apertar minha bunda e meu pau ele apertou, chegou a falar besteiras no meu ouvido me deixando excitado de novo... Quando chegamos no Tatuapé a porta que estávamos abriu e ele me até me convidou pra descer...

Que dia maravilhoso!!!

Uma outra hora conto mais aventuras maravilhosas pra vcs!!!

manu.roma.69@gmail.com

 

Café da manhã

Hoje pela manhã, exatamente às 08:40 hs, eu estava no mais profundo sono, sonhando com os homens de segunda, hehehe, com direito a ouvir o som do celular tocando até no sonho. O som não continuou no sonho pois acordei, realmente o celular tocava sem parar na mais 'dura' realidade, então tive que atender. Era alguém que vou apenas chamar de ''pescador'', ele saberá quando ler o relato.

Ele pediu desculpas, pois percebeu que me acordou, mas de passagem por Curitiba, ele não iria embora desta vez sem me conhecer. Me deu meia hora pra estar aqui, foi tempo suficiente para algumas coisas, como chuca, menos lavar os cabelos, que não estavam de todo mal, rs...

Foi difícil levantar assim de supetão, em ''plena madrugada'', mas fiz um esforço e meia hora depois ele chegou. Huuum, valeu a pena acordar, pois ele era uma delícia, tipo do homem que gosto. Já foi me agarrando, me despindo e me jogando de volta na cama, me passando a mão em todo lugar e acendendo meu tesão. Assim tão cedo, eu demoro um pouco pra deixar a bateria a todo vapor, mas ele soube direitinho como acender meu tesão. Carícias pra cá, carícias pra lá, beijinhos e em poucos minutos já estávamos num delicioso 69. Depois já foi pondo o dedinho no meu rabinho, alisando, lubrificando e percebi que já estava louquinho para me comer. Ele é ativo liberal e, depois de ter me masturbado, me chupado, agora ele queria era ver eu sentando no seu pau. Sentei, rebolei, enquanto isso ele pegou nos meus mamilos e disse que adoraria ver eu gozando em cima dele. Demorei mais um pouquinho pra curtir uma pica gostosa no meu rabinho logo cedo, mas daí a pouco, lambuzei sua barriga com meu leitinho.

Levantei e já fiquei de quatro, olhei pra ele e disse pra ele vir e comer meu rabo, pois era assim que eu queria que ele gozasse. Ele veio, me agarrou, bombou forte e não demorou também pra gozar enquanto me comia. Depois ficamos conversamos um pouco e ele se foi, espero que satisfeito. Combinamos que a próxima não seria tão cedo, pois em diversas ocasiões ele já havia me ligado e não tinha dado certo nosso encontro, então hoje ele ousou, rs... E, olha, pela manhã, estava um friozinho gostoso, com uma chuvinha lá fora, ótimo pra dormir até o meio-dia, rs... Mas, com certeza foi muito melhor levantar e sentar no seu pau. Frio, teremos muito nos próximos dias, vai dar para ficar muito embaixo do cobertor.

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

 

As fantasias de Edu

Eu já o conheço há muito tempo. Ele adora vir aqui. Tem compulsão por sexo e fantasias bem diversificadas. Então, se ele sentir tesão, já me liga e quer naquele momento, por isso muitas vezes não dá certo, mas de vez em quando tudo se encaixa perfeitamente, literalmente, rs...

Adora chegar e colocar uma calcinha, a peruca loira e minha bota de salto alto, ou as sandálias com salto de 15 cm, inclusive ganhei dele, uma de presente... Depois que se traveste, desfila pra lá e pra cá, rebolando e dizendo que adora ser 'travesti'. Aí eu inflo sua fantasia e digo que 'ela' está belíssima e arrumaria muitos bofes se saísse às ruas. Muitas vezes isso é o suficiente para seu orgasmo, pois enquanto eu falo, ele se imagina, se olha no espelho e se masturba. Algumas vezes ele me chupa, mas dificilmente eu o penetro.

Outras vezes chega e quer ver filmes de homem com homem, diz que tem vontade de sair com um; diz que viu o pau de um amigo no banheiro ou no vestiário e ficou com vontade de chupar... Mas na verdade, pode ser que bem lá no fundo seja verdade, mas quando ele goza, se estiver travestido, tira tudo rapidamente e diz: ufa, que bom voltar a ser homem, rs... Em alguns momentos que tivemos mais tempo para conversar sobre suas fantasias, ele falou que não sente tesão nenhum em homem, mas adora colocar roupas femininas, só aquilo já é o suficiente para alimentar seu tesão e fazê-lo gozar. Também já disse, que jamais sairia com um homem igual a ele, que quando fala é apenas fantasia que confidencia a mim, por confiança, porque com o tempo, eu melhor que qualquer outra com as quais ele já saiu, conseguiu entendê-lo nu e cru. Hoje ele me ligou e veio novamente para eu realizar sua fantasia, só que pediu pra que eu colocasse as botas, o cap e um vestinho de vinil, um filme com bonecas e ficasse bem feminina, pois ele gostaria de me comer.

Quando ele chegou se comportou tal qual um bofe, hoje ele não teve vontade de usar roupinhas, perucas ou sandálias, quis sim, realmente me comer. Deitei na cama, enquanto isso ele pegou a bisnaga de lubrificante e colocou no meu rabinho, depois colocou uma camisinha no seu pau e pediu pra eu ficasse bem quietinha e deixasse ele brincar do seu jeito. Eu fiquei debruços com a bundinha bem empinada, ele deitou por cima e entrou todinho em mim, mas com delicadeza e muito tesão. Adorei, fiquei admirada e excitada com a situação, enquanto ele se deliciava ao seu jeito. Mas, não demorou muito, eu queria mais, mas ele tirou seu pau e ainda com a camisinha se masturbou até gozar. Eu só fiquei na vontade, mas a vontade aqui é dele, rs... Tirou a camisinha e foi ao chuveiro. Voltou sorrindo e perguntando se eu tinha gostado. Falei que melhor seria ele me comer, até eu gozar, aí sim eu teria amado, mas como já o conheço muito bem, sei que não adianta o meu querer, ele sempre me leva a fazer o seu. Falou inclusive pra eu escrever, pois eu nunca comentei sobre ele aqui no blog e muitas vezes ele entra pra ler se escrevi algo sobre nós.

Hoje eu disse que escreveria sobre suas fantasias. O nome dele é "Edu", claro que é um nome fictício, mas ele usa esse desde que nos conhecemos. Vou aproveitar o gancho e falar sobre apelidos. É engraçado como as pessoas trocam os nomes, algumas depois de algum tempo revelam os verdadeiros, também por confiarem em mim, mas a essas alturas, eu prefiro ficar mesmo com o fictício ou com os apelidos como queiram. Esses são os cinco nomes fictícios que mais usam: Marcos, Carlos, Ricardo, Sérgio e Paulo. Por isso pra muitos que ligam eu pergunto: qual Marcos? Qual Paulo? He he he... Coisas de Drikka.

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

Sincronia perfeita de prazer

De vez em quando eu começo um relato dizendo que encontrei alguém que já me namora pelo blog há um bom tempo e até que enfim tomou coragem pra vir me conhecer. Esse é o caso de AC, um fofo que conheci hoje à noitinha. Ele me ligou enquanto eu estava na manicure pintando as unhas, mas quarenta minutos depois já estávamos aqui dentro, ele tomando uma duchinha, enquanto eu passava o sabonetinho na sua bundinha, rs...

Eu o deixei terminar seu banho e corri pra cama, tirei a roupinha que usei para esperá-lo e fiquei nuazinha na cama de bunda pra cima só no charminho e toda dengosa, rs... Ele veio de mansinho meio inibido e deitou-se ao meu lado, eu só me virei, o agarrei e ficamos rolando na cama, embaixo de carícias bem safadinhas. O friozinho que fazia hoje, foi logo dando lugar ao calor de nossos corpos se entralaçando e fazendo subir a temperatura...Essa estava sendo a sua primeira experiência com uma boneca. Eu fui a escolhida, porque digamos que ele teve uma paixão à primeira vista quando me viu na internet e se apaixonou de vez quando leu meu blog.

Depois de muito pensar se vinha ou não, agora ele estava nos meus braços, me apertando e melhor que isso, estava com minha pica na sua boca, e eu, com a dele na minha. Ele só parava para dizer porque não tinha vindo me conhecer antes, rs... Falei o que falo a todos, tudo tem seu tempo certo, quem sabe precocemente não teríamos tido toda essa afinidade, oportunidade e cumplicidade... Ficamos num 69 frenético, enquanto ele colocava meu pau na sua boca e tirava pra dizer que nunca tinha feito isso, mas era muito bom e voltava a abocanhar meu pau e eu com o seu pau na minha boca, apenas gemia concordando: uuhhuummm, ahhhhammm, ahhhhh, sschlup...simmmm...

Depois nos agarramos mais um pouco, trocamos de posições, ora ele me chupava, ora eu me deliciava na sua pica, até partirmos para as penetrações. Meu dedinho entrava no bumbunzinho dele com bastante lubrificante, enquanto ele fazia o mesmo com o meu. Alguns minutinhos depois, pedi para que ele ficasse de bundinha bem empinada pois eu me deitaria sobre ele. Ele só pediu calma, mas isso eu tirei de letra, quem me conhece já sabe, agora inclusive ele, rs... Enfim, deitei-me sobre seu corpo quente, esfreguei meus seios nas suas costas, mordisquei e falei bobagens nas suas orelhas, enquanto isso fui colocando meu pau na portinha do seu cuzinho, devidamente lubrificado e já comido pelo meu dedinho... Com jeitinho, bem davagarinho, fui entrando, entrando, ele gemendo mas gostando, empinando mais e mais sua bundinha e, pronto...! Já estava no papo mais um cuzinho.

Fiquei com meu pau lá dentro, sem mexer até ele se acostumar. Daí a pouco, já estava rebolando e continuava a me elogiar, novamente citando sobre o tempo perdido em protelar o encontro, eu acreditando é claro, rs... Ele adorou dar o rabinho, tanto que experimentamos quase todas as posições. Por fim ele sentou-se em cima de mim. Enquanto subia e descia eu o abraçava, beijava e falava bobagens que ele adorou ouvir. Seu tesão estava a todo vapor, quer dizer, líquido, pois já estava quase em ponto de ebulição. Aí, paramos e alternamos, não seria justo ele gozar sem experimentar meu rabo também. Foi a minha vez de experimentar o seu pau bem duro que estava louquinho pra se esconder no meu tunelzinho. Fiquei de quatro, abri bem as pernas para ele ver e vir aproveitar meu rabão, que ele tanto elogiou. Não demorou pra estar colado em mim e eu apreciar toda nossa disposição pelo espelho.

Via sua bundinha branca, com pelinhos loiríssimos, indo e vindo num frenesi de tesão, que quase o fez gozar. Mas, paramos e alternamos, agora eu sentei em cima e cavalguei como gosto, aí foi a minha vez de quase gozar. Segurei o tesão, saí dele e me aprontei pra entrar de novo.

Novamente deitei na cama de barriga pra cima e ele sentou em cima da minha pica. Cavalgou, gemeu e alguns minutos depois gozou junto comigo numa sincronia perfeita de tesão. Saiu de cima e correu para o chuveiro e voltou todo sorridente, novamente foi aquela rasgação de seda em elogios ao meu desempenho e confirmando que realmente eu era tudo o que ele lera nos relatos eróticos! Bom, né? Assim, pelo jeito já ganhei um novo cliente. Espero que volte logo, pois nossa sincronia em todos os sentidos foi perfeita!

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

Fogo no rabo

O frio veio forte essa semana, isso ainda antes de começar o inverno. Será que é só um prenúncio do virá? Brrrr, tomara que não. Mas, independente do frio, aqui dentro o calor esteve intenso a semana toda, fiquei até surpresa, rs... Eu acho que no frio, o tesão diminui, a gente tem mais vontade de ficar embaixo das cobertas, tomando chazinho, vendo televisão e essas coisas, mas me enganei nessa semana, tive mesmo é que me aquecer no calor do tesão dos meus clientes, muitos com uma vontade acima do normal. Um belo exemplo é de um que me ligou hoje ao meio dia e marcou um encontro para o início da noite. Depois de alguns contratempos, no comecinho da noite ele já estava aqui dentro.

O ambiente já estava quentinho, mas logo tive que desligar os aquecedores, pois estávamos quentes e com tanto tesão no agarra-agarra que nossas bocas começaram a secar, rs... Ele me abraçava, me beijava e dizia que de hoje não passava, pois estava com muito tesão no rabo e precisava sentir minha pica deliciosa. E, que gula! Pediu pra que eu deitasse na cama enquanto ele veio sobre mim e chupou-me inteira, mais precisamente minha pica, que ele devorou com uma vontade sem igual. Depois de muito chupa-chupa, ele deitou-se na cama de bruços e pediu pra que eu comesse o seu rabo. Brinquei com ele enfiando e tirando o dedinho com bastante lubrificante...

Quando ele estava no ponto eu deitei-me sobre ele e meu pau deslizou pra dentro de seu buraquinho quente, apertado e com uma fome de leão. Bombei até ficar suada, rs... Depois alternamos posições e ele queria mais e mais. Pra tomar um ar, eu sentei na sua pica e ficamos conversando. Enquanto eu tomei um ar, tomei no rabo também afinal eu não sou de ferro, uai... Ele alisou meus mamilos, eu me masturbei e aquilo tudo ficou bom de mais, ai, quase gozei! Saí de cima, pedi pra que ele ficasse de quatro na cama e voltei a comer o seu rabo. Enfiei, tirei, dei uns tapas na sua bunda, me debrucei sobre ele bem agarradinha, ai, ai, que calor, pau quase derreteu com o calor do seu vulcãozinho.

Ele rebolava, gemia e dizia que estava com muita saudade daquilo tudo. Eu já não aguentava mais. Então, deitei na cama com meu pau bem duro, ele veio por cima e cavalgou mais um pouco. Como ele não é assim muito leve, eu pedi pra que se masturbasse e gozasse gostoso. Assim o fez e gozou muito, quase berrando, eu até pedi pra ele não gritasse alto! Em seguida saiu de cima de mim, ufa! Eu não gozei, mas estava suada e exaurida, rs, mas o importante hoje era ele gozar com uma pica bem dura no seu rabo, como eu gosto de gozar, mas isso eu faço quase sempre, rs... Satisfeitíssimo, tomou seu banho, voltou pra sala e ficamos a conversar.

Combinamos uma festinha com um dos meus amiguinhos. Na próxima vez que ele vier por aqui, vou chamar o Robin... Pelo que conversamos, achei que o meu amiguinho Robin, vai ser a companhia ideal pra esse homem guloso! De todos os meus amiguinhos, o Robin é o que tem mais vigor e mais resistência pra situações como essas e, olha que ele nem pede ajuda para os comprimidinhos milagrosos!

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

Um baixinho tudo de bom 2

Um baixinho delicioso, lindinho, realmente tudo de bom. Já o conhecia, ele esteve aqui no ano passado e tivemos uma transa maravilhosa... Ontem à noite ele me ligou e queria me ver, convenci-o a deixar para hoje, pois estava muito cansada e já era muito tarde da noite. Combinamos pra hoje e, perto das 13 horas ele chegou. Uau, eu não lembrava direito da sua carinha, do seu jeitinho carinhoso e bem safadinho. Já nos agarramos e nos beijamos muito, eu estava de salto alto bem mais alta que ele, mas era uma delícia ficar agarrada aquele homem mais baixo que eu, rs...

Ele me apalpava, me acariciava, enfiava sua mão atrevida em meus seios, no meu pau e segurando no meu bumbum me apertava contra ele, que já esfregava seu belo pauzão duro, ainda dentro da calça contra mim. Tiramos a roupa rapidamente e pulamos na cama, eu queria desfrutar de tudo o que aquele homem podia me oferecer, afinal eu já conhecia o produto e, era dos melhores, rs... Eu não sabia nem por onde começar, por isso o jeito é sempre um bom 69, não tem erro. Eu fiquei por baixo, quase me esgasgando com sua picona branquinha, grossa da cabeça rosada, ele por cima, me lambendo onde podia e engolindo minha pica toda com uma voracidade sem igual...

Tudo estava bom demais e ficou ainda melhor quando o deixei de quatro e comi seu rabinho com minha língua, uau que delícia! Ele delirava, enquanto eu o massageava do meu jeito, com minha técnica especial. Ele estava no auge do tesão, prontinho pra gozar a qualquer momento, por isso parei e fiz o que ele pediu. Seu pedido era pra que eu sentasse no seu pau. Antes de começar pra valer, peguei a máquina fotográfica e posicionei-a perto da cama no automático de 10 segundos, apertei o botão e corri pra sentar em cima da sua pica. Uma das fotos você já conferiu acima! Fiz isso umas três vezes, depois deixamos a máquina de lado e curtimos mesmo um ao outro, pois não podíamos perder tempo com outras coisas que nos desgrudasse. Fiquei em pé, me apoiei no balcão, me abaixei e ele veio por trás, me agarrou e bombou com muito tesão. Quando ele sentiu que podia gozar, parou e ficou de quatro no cantinho da cama e me chamou para comê-lo. Devidamente com o buraquinho lubrificado, enfiei meu pau devagarinho.

Quando entrou todo, subi sobre ele feito cachorrinho, bem grudadinha nele, com meu pau bem enterrado no seu rabo. Ele foi indo pra frente e deitou-se na cama e, eu grudadíssima nele, bombando e acariciando os seus mamilos, que como os meus são pontos de muito prazer. Ele pediu pra que eu saísse e ele deitou de lado, ergueu uma das pernas e mostrou seu buraquinho que queria mais pau. Voltei a penetrá-lo, enquanto ele se masturbava, gemia e falava que já não aguentava mais de vontade de gozar, mas queria ver eu gozar primeiro. Então tá! Pedi pra que ele deitasse de barriga pra cima, pois eu sentaria no seu pau e gozaria na sua barriga. Sentei, acoplei, rebolei enquanto ele massageou os meus mamilos. - Huuummm,lá vai! Vou gozar!!! Disse pra ele e, então saíram potentes jatos de porra, por duas vezes, se ele não desviasse o rosto, eu gozaria nele, rs... Saí rapidinho, fui ao banheiro e me lavei. Voltei ainda com um pouco de gás, coloquei uma camisinha no meu pau, rapidamente pedi pra que ele erguesse as pernas.

Ele ergueu e eu enfiei meu pau no seu cuzinho, segurei suas pernas bem abertas e ele se masturbou com frenesi até gozar também e misturar nossos líquidos sobre a sua barriga! Depois de todo aquele embate, deitamos lado a lado e rimos de tudo, aí eu disse que acertamos na troca de horário, pois se nosso encontro fosse na noite anterior, não teria sido tão perfeito! Que bom rever meu baixinho delicioso, com lindos olhos azuis 'estilo' Tom Cruise, rs... Esse relato é uma homenagem pra ele. O título já usei com outro baixinho, por isso acrescentei o 2, mas quando ele ler, saberá que foi o protagonista deste!

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

Encontro orgasmático

Sábado de sol, um dia antes do começo do inverno de 2009, temperatura em torno dos 19 graus, enfim, um dia agradabilíssimo. Saí de casa por volta do meio-dia, fui fazer umas comprinhas, não muito longe daqui, por isso mesmo, coloquei uma calça legging, uma blusinha meia estação e tênis, saí comportada, mas mostrando bem minhas curvas, rs... Por volta das 14 horas eu já estava voltando.

Vim pela Rua Lamenha Lins e, ao passar na quadra da Praça Oswaldo Cruz, dei uma olhada para ver se tinha algum gato caminhando por lá, dá de ver muito bem pelo cercado e vi alguém muito parecido com um cliente que há mais ou menos uns 8 anos sai comigo. Sabe aquele friozinho gostoso na barriga? Pois é, me deu, se fosse quem eu estava pensando que era, eu queria, rs... Dei a volta, entrei na Praça e comecei a andar por lá também, esperando pra entrar um pouquinho na frente daquela pessoa que me fez ir até a praça, carregando até umas sacolinhas, rs... Era realmente ele, 'um tesão ambulante' que ao me ver deu um sorrisinho e continuou andando, mas a partir daí andamos pouco, pois acho que ele gostou de também de me ver, afinal seu pau começou a fazer volume no moleton, rs... Quem viu, pensou que fosse um celular em cada bolso, rs...

Caminhamos em ritmos diferentes mas quando nos encontramos novamente ele discretamente me disse que adorou ver meu bundão e estava a fim de comer naquele momento, rs... Que tentação! Falei que ele sabia o caminho, que me seguisse, mas desse um tempinho pra eu chegar em casa e tomar uma duchinha... Dei mais uma voltinha e saí rumo a minha casa bem depressa! Ao chegar, corri pro chuveiro, fiz uma chuquinha, coloquei um macacãozinho de arrastão, meu salto alto e fiquei a esperá-lo. Alguns minutos depois ele me ligou e perguntou se podia subir. Falei que sim, que já estava bem putinha esperando por ele. Ele chegou, tomou uma duchinha também, tirou umas fotos minhas e depois me amou, como ele gosta de dizer. Ele não mora em Curitiba e está aqui de passeio até a metade da próxima semana, por isso aproveitou para dar sua caminhada habitual, que de uma certa forma eu atrapalhei, mas fiz ele fazer muita ginástica, daquela que faz muito bem ao coração, rs...

Nus frente a frente, ficamos nos acariciando, eu pegando no seu pau e ele no meu, depois chupamos um o pau do outro, alternadamente. Ele é um ativo liberal, por isso, curte apenas me chupar e, na sua bundinha eu só posso passar as mãos nos morros. Se ficou com vontade quando me viu na praça, agora ele saciaria seu desejo. Deitei de franguinha assada, com um travesseiro devidamente posicionado sob minhas costas e fiquei esperando por ele, que não demorou pra me lubrificar com seu dedinho, dedinho safadinho que adentrou um pouquinho e brincou com meu cuzinho... Ohhh, daí a pouco senti aquele homem me penetrar, debruçar-se sobre mim e me beijar enquanto entrava e saía com seu jeito carinhoso e romântico! Ele dizia que eu era uma fêmea, na verdade eu me sentia assim mesmo, totalmente dengosa e derretida nos braços do meu amante que me devorava com prazer.

Assim, me amando, ele gozou muito, pediu até desculpas por ter sido tão rápido, pois ele gozara antes de mim... Sorri e disse que isso não tinha importância naquele momento, pois a situação toda do nosso encontro já havia sido orgasmática, rs...

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

Transgenerismo, Transgeneridade e Posgenerismo

Embora a palavra “transgenerismo” seja usada como rótulo genérico para indivíduos portadores de Transtorno de Identidade de Gênero - transexuais, em particular – esse termo também designa um movimento sócio-político bastante amplo, surgido no final do século XX, na esteira das conquistas dos gays e lésbicas, que busca a defesa dos direitos e interesses de pessoas transgêneras, assim como a afirmação do orgulho transgênero.

O movimento transgênero – ou simplesmente movimento “trans” ou T* - tem sido desde o começo um imenso guarda chuva, incorporando demandas tão diversas quanto de pessoas transexuais, travestis (crossdressers), dragqueens e dragkings, andróginos, transformistas, indíviduos intersexuados e quaisquer outros indivíduos não-conformes ao código binário de gênero masculino/feminino. Em síntese, o movimento acolhe pessoas que por qualquer motivo não se comportam de acordo com as expectativas sociais do gênero em que foram enquadradas ao nascer. Todo esse imenso contingente humano esteve durante muito tempo abrigado dentro do movimento de Gays e Lésbicas, mas aos poucos foi se destacando dele, na medida em que suas demandas específicas e tão diferenciadas começaram a vir à tona.

Durante a primeira década desse século XXI, o transgenerismo ganhou estrutura e fôlego, sobretudo em países do hemisfério norte, onde inúmeras organizações públicas e privadas trouxeram voz e força aos movimentos para a afirmação da pessoa transgênera na sociedade.

Foi também nesta década que se começou a falar, ainda que muito difusamente, de “transgeneridade” como uma terceira opção de gênero, além das duas alternativas oficiais existentes (masculino e feminino).

No Brasil, o movimento transgenerista ainda é bastante incipiente, se que é pode ser reconhecido como um movimento estruturado. Há, sim, muita articulação entre os órgãos de defesa dos interesses de transexuais e travestis, mas nenhuma organização se apresentou até agora como porta-voz do movimento transgênero em nosso país.

Simultaneamente ao avanço do movimento transgenerista em países do primeiro mundo, o final do século XX assistiu o surgimento de um “Movimento Posgenerista”, cuja proposta vai muito além da defesa dos interesses desses “outros gêneros” historicamente excluídos do modelo binário oficial masculino/feminino.

Na verdade, o Pós-Generismo advoga em essência a extinção total dos gêneros. Um dos principais argumentos dos que antevêem o fim dos gêneros é o crescimento vertiginoso das técnicas de biotecnologia avançada que têm levado a reprodução humana assistida para campos até agora imagináveis apenas em filmes de ficção científica. Mas o principal argumento dos posgeneristas é que a existência de apenas dois gêneros, estabelecidos a partir do sexo biológico das pessoas tem funcionado como mecanismo de repressão dos indivíduos e forte impeditivo do desenvolvimento de uma sociedade humana mais justa e igualitária.

Embora o femininismo radical defenda a pura e simples extinção do gênero masculino, alguns defensores mais moderados do posgenerismo predizem que o ser humano do futuro deverá ser basicamente um indivíduo andrógino, reunindo em si o que há de melhor nos “códigos sócio-culturais” da masculinidade e da feminilidade. Antes de serem “machos” ou “fêmeas”, “homens” ou “mulheres” ou “transexuais” ou “travestis” ou quaisquer outras categorias, os seres humanos de um futuro não muito distante serão apenas “pessoas humanas”, liberadas para exibir o melhor da espécie humana, por não estarem mais submetidas aos rígidos esquemas de comportamento e expectativas de desempenho social ligados a gênero.

Por outro lado, como o espaço de interação humana tende a ser cada vez mais virtual nessa era digital, os defensores do pós-generismo advogam que as rígidas estruturas de gênero, sexo e sexualidade nas quais temos vivido até hoje, tendem a diluir-se e ao mesmo tempo diferenciar-se ao infinito, de modo que se tornará praticamente impossível classificar qualquer ser humano em função desses critérios, como ainda se faz atualmente no mundo real. Porém, no mundo virtual, essa indistinção de sexo e gênero já é fato consumado. Ao navegar na Internet, por exemplo, é impossível saber se um eventual interlocutor é homem ou mulher, mesmo que ele se apresente de uma ou de outra forma.

A tecnologia, por seu turno, permitirá que as transformações corporais nos indivíduos tornem-se procedimentos tão corriqueiros que joguem por terra a terrível burocracia hoje existente em torno de tais transformações.

Para quem nasceu, cresceu e está vivendo em um “mundo generado” é simplesmente impossível, para não dizer “terivelmente ameaçador” pensar em um mundo assim, completamente sem gênero (ou, se preferirem, com tantos gêneros quantas pessoas existirem). Mas, embora pareçam possibilidades bastante remotas, as tecnologias necessárias para que isso tudo aconteça não só existem como continuam sofrendo avanços exponenciais.

Enquanto os cavalos continuam aparentemente no mesmo trote, o posgenerismo é mais do que oportuno como reflexão do gênero como instituição social “em fim de carreira”. É preciso por em cheque cada vez mais o que as pessoas “deveriam” ou “não deveriam” fazer em função do seu sexo biológico, a partir do seu enquadramento em um dos dois gêneros existentes. Apesar de ser o principal mecanismo repressor e embotador das melhores qualidades humanas, é sobre essa dualidade, totalmente supérflua no mundo atual, que continua estruturada toda a vida social do planeta.

Ao advogar o fim do gênero como critério de enquadramento dos seres humanos – o movimento posgenerista dá um novo enfoque a um dos pilares do próprio movimento transgenerista – que é a contestação da existência de apenas dois gêneros para enquadrar as infinitas possibilidades de expressão dos seres humanos.

Escreva diretamente para mim dando sua opinião. Vamos conversar?

Leticia Lanz
leticialanz@yahoo.com.br

Tenho vontade de terminar meu casamento e ir morar com uma travesti. Será que por gostar de travesti eu sou gay?

DÚVIDA:

Olá, tudo bem? Eu me chamo Guilherme tenho 32 anos e sou casado, mas tenho muita atração por travestis. Tenho vontade de terminar meu casamento e ir morar com uma travesti. O que será que devo fazer pois, no momento, estou gostando mais de travesti do que de mulher, e isso eu não consigo mais controlar. Será que por gostar de travesti eu sou gay?

LETICIA LANZ RESPONDE:

Caro Guilherme,

Gostar não depõe contra ninguém. Odiar, sim, é fato muito feio e vergonhoso. Ter prazer não é vergonha pra ninguém. Desconforto e desprazer são, sim, coisas muito feias e vergonhosas. Todo mundo devia fazer tudo para ser feliz pois, pessoas infelizes, acabam contribuindo para que outras pessoas sejam infelizes também.

Senti você confuso não apenas quanto ao seu sentimento, mas também – e sobretudo - quanto à sua sexualidade. “Será que eu sou gay?” é algo que parece lhe incomodar muito mais do que a idéia de “correr atrás do seu desejo, fazendo aquilo que lhe dá prazer”. Essa preocupação “mais do que exagerada” pela orientação sexual é muito comum entre homens, cuja educação estimula tanto um “embotamento” dos sentimentos quanto um medo tremendo de “manchar a própria masculinidade” praticando alguma forma de “sexualidade errada”.

Acontece que não existe nenhuma sexualidade certa e nenhuma sexualidade errada. Apenas “convencionou-se” que homens devem fazer sexo com mulheres, assim como mulheres devem fazer sexo com homens. Essa é uma idéia baseada na crença (basicamente religiosa) de que o sexo é algo sujo e pecaminoso, devendo destinar-se exclusivamente à reprodução.

Você, felizmente, está descobrindo que o sexo é uma infinita fonte de prazer existencial. E que, felizmente, vai muito além do simples propósito de reprodução.

As mulheres evoluíram muuuuuuuuuuuuuuuuito nesse sentido. Inclusive, já são capazes de se reproduzirem por si mesmas, sem nenhuma ajuda presencial de um homem. Basta que decidam por ter um filho e se dirijam a um Banco de Sêmen...

Os homens, ao contrário, permanecem na “idade da pedra”, em termos de sexo, sexualidade e prazer.
Sua maior preocupação não é a de “ter prazer” mas a de “manter a imagem da masculinidade”. Morrem de medo de “não serem” ou “deixarem de ser homens”, por terem feito isso ou aquilo que, dentro do vetusto e ultrapassado “código da masculinidade” possa vir a depor contra eles.

Já notou que as mulheres nunca “se pelam” nessa dúvida cruel de se são ou não mulheres por fazerem isso ou aquilo? Elas não estão nem aí. Brincam entre elas, andam de mãos dadas na rua, se beijam, se abraçam, dormem juntas, vestem-se com roupas masculinas, etc, etc, sem jamais “entrar em parafuso” com essa pergunta absolutamente ridícula: será que eu sou gay?

E se você for gay, hein? Que diferença faz? Em que é que o fato de você ser ou não gay vai contribuir para que você seja uma pessoa melhor ou pior nesse mundo? Quem lhe disse que o “certo” é ser “hetero” e o “errado” é ser gay, como você deixa transparecer na sua pergunta tão “perturbadora” quando “desproposital” e nonsense: - será que eu sou gay por gostar de travesti?

Notou que lhe importa muito menos o fato de “gostar” – que deveria ser o seu principal objeto de atenção – do que o fato de “ser gay”, que não tem a menor importância no contexto da sua felicidade e satisfação pessoal nesse mundo?

Será que você está querendo dizer que é preferível sofrer, padecer, reprimir-se e repudiar o seu desejo por travesti do que “correr o risco” de ser reconhecido como “gay” pelos outros? Você não acha muita tolice desprezar o seu “desejo real” em nome da manter uma “fachada” daquilo que a sociedade chama de masculinidade?

Antes de mais nada, diga-me o que é ser homem? E diga-me, também, o que distingue um homem de uma mulher ou de uma travesti? A propósito, o que é masculinidade? O que é feminilidade? Tente responder a essas questões e a sua cabeça vai dar um nó sem tamanho pois, apesar de serem coisas que a gente defende de unhas e dentes no dia a dia, ninguém sabe dizer exatamente o que é, exceto “moralistas”, “pregadores fundamentalistas” e outros embusteiros que baseiam suas conclusões dos seus próprios preconceitos e/ou se baseiam em idéias de cinco mil anos atrás ou mais.

Se a “sociedade” diz que a união deve acontecer entre um homem e uma mulher - e não entre um homem e uma travesti – caberá a você decidir como é que você deseja posicionar-se em relação a isso. Uma coisa é o que a sociedade diz; outra coisa é o que lhe diz o seu coração, o seu corpo e a sua cabeça. Para onde pende o seu “querer” mais íntimo e verdadeiro? O que vale são as suas respostas, não as respostas prontas que a sociedade tem para lhe oferecer.

Você gosta de fazer sexo com travesti? Faça. É isso que deixa você feliz? Pois então, o que está esperando? Ponha de lado essas perguntas tipo “isso é/não é coisa de macho?”, “isso é/não é coisa de gay?”, cujas respostas não terão jamais nenhuma importância concreta na definição da sua felicidade. E daí se for “coisa de gay”? E daí, se você for gay? Será que você será menos “você”, sendo gay, isto é, tendo orientação homossexual? Será que é bom pra você continuar vendendo por aí uma imagem de “macho hetero”, e vivendo uma vida miserável, totalmente infeliz por não estar sendo a pessoa que é e por não estar fazendo aquilo que o seu coração, seu corpo e a sua cabeça desejam?

Amar travestis não é crime e ser gay também não é. E o que importa mesmo é a relação entre duas pessoas humanas, independente de que rótulos elas tenham recebido por parte da sociedade.

A única consideração que eu teria para lhe fazer não tem nada a ver com você gostar de travesti e ser ou não ser gay. Como eu já lhe disse, essas coisas não fazem e não farão a menor diferença na sua história de vida.

O que realmente me chamou a atenção é de você estar casado com uma pessoa, no caso uma mulher, e estar tendo relacionamentos fora do casamento, motivado por insatisfação da vida a dois. Se fosse o contrário, ou seja, se fosse a sua esposa que estivesse se relacionando sexual e/ou afetivamente com outras pessoas você ficaria satisfeito com isso?

Em vez de você se perguntar uma tolice dessas – se é ou não gay por gostar de travestis – deveria se perguntar se é bom pra você permanecer dentro de uma relação sem querer realmente ficar nela. E pior: se é justo “trair” uma relação firmada com outra pessoa e que está lhe servindo apenas de “fachada pública” pois, como você disse, gostaria de terminar seu casamento e ir morar com uma travesti. Fora os eventuais problemas de promiscuidade da sua parte, que podem afetar a sua companheira, não é legal de maneira nenhuma trair os sentimentos ou os desejos de outra pessoa, seja ela uma mulher, um homem ou uma travesti, tal como você está fazendo, permanecendo dentro de um casamento onde você não se sente nem feliz, nem realizado nem satisfeito.

Ser ou não ser gay por gostar de travesti, repito, não tem nada a ver. São só preocupações machistas totalmente bobas e sem sentido. Pare com isso, ouça o seu coração, o seu corpo e a sua cabeça e vá atrás do seu desejo, da sua felicidade.

Agora, se não está bom ficar casado – seja com uma mulher, com um homem ou com uma travesti, pouco importa - se não é isso que você quer, caia fora da relação. Não fique ao lado de alguém só por conveniência, para manter uma “máscara” social aceitável. Isso faz muito mal, tanto pra você quanto pra outra pessoa.

Espero que você reflita sobre tudo isso e vá atrás do seu desejo. Você é a única pessoa que pode fazer por você.

Beijos,

Letícia Lanz

Se você tem alguma dúvida..... mande seu relato, com o maior número de detalhes possíveis e seja atendida no Divã da LANZ - um lugar especial que irá acolher seu coração e te mostrar novos horizontes. Escreva para casadamaite@gmail.com

 

 

Travesti natural, com foto, do interior de SP, procura namoro sério e duradouro com homens decididos

Seu nome ou Apelido: 
KRIKA
Em qual Estado do Brasil ou País você mora?: 
SP
Qual o nome da cidade onde você tecla?: 
PORTO FERREIRA
EU SOU:: 
Travesti
PROCURO POR: (obs - você pode selecionar mais de uma opção neste ítem): 
Homens

 

 

krika 20.JPG

SOU TRAVESTI NÂO TENHO SILICONE SOU NATURAL TENHO 1,73 DE ALTURA OLHOS CASTANHOS E CABELOS VERMELHOS .
NÃO BEBO , NÃO FUMO E NÃO CURTO DROGAS , ODEIO MENTIRAS , FALCIDADES , TRAIÇÃO , FOFOCAS .
PROCURO UM NAMORO SERIO E DURADOR COM HOMENS COM O COPO SARADO MADURO , DECIDIDOS , OBJETIVOS , E QUE ESTEJÃO DISPOSTOS A VIAJAR , POIS SOU DE PORTO FERREIRA INTERIOR DE SP.
DESCARTO CARAS COM ATITUDE DE MULEKES , CARAS ZUEIRAS , AVENTUREIROS , CURIOSOS E INDECISOS E SE VC JÁ VIER COM ASSUNTO SOBRE SEXO E FALANDO DE SACANAGEM NEM PERCA SEU TEMPO JE ESCLUO VC LOGO SE VIER FALAR SOBRE SEXO OU SACANAGEM .
POIS QUERO HOMEM SARIO EDUCADO E CAVALEIRO ROMANTICO E DECENTE.

AGUARDO VC BJS KRIKA

(019)9249-1573 me liga

 

O rapaz do fio dental branco

É a segunda vez que ele me visita. Quando chegou todo garotão, já foi me beijando, me apalpando e dizendo que estava morrendo de saudade. Na primeira vez que ele veio, quando tirou toda a sua roupa e ficou só de cueca, quer dizer, eu achei que ele ficaria só de cueca, mas na verdade por baixo da sua cueca estava uma calcinha fio dental branca. Hoje, também, quando tirou a cueca, estava usando uma calcinha fio dental, mas de cor preta, rs... Depois que tomou uma duchinha ele veio louquinho para usar uma das minhas calcinhas. A que melhor ficou foi uma calcinha shortinho branca.

Com ela, ele ficou durante boa parte da nossa transa. Primeiramente ficamos num 69, nós dois de calcinhas, tiramos o pau pelo ladinho e curtimos com muito tesão. Depois ele ficou de quatro e queria sentir minha língua lambendo seu anelzinho rosa. De quatro, com a calcinha de ladinho, eu brinquei com seu cuzinho, primeiramente com a língua, depois com o dedinho... Já estava todo lubrificadinho aquele buraquinho piscante. Ele rebolava e pedia pra que eu o comesse. Então, posicionei-o de quatro no cantinho da cama e enfiei meu pau naquele vulcãozinho. Metia nele e chamava ele de viadinho, putinha, etc... Ele dizia que seria o que eu quisesse. Depois ficou de franguinho assado e eu continuei comendo seu rabo. Enfiava meu pau e babava no dele enquanto o masturbava. Ficamos assim alguns minutos, porém não demorou pra ele ter um orgasmo daqueles que muita gente sonha. Foi ao banho e voltou louquinho pra mais sexo... Deitamos na cama e ficamos assistindo um pornozinho básico e nos acariciando.

Voltei a chupar seu pau, enquanto ele me masturbava. Logo seu pau estava bem duro de novo! Aí, foi a minha vez de ser putinha, viadinho, tudo o que ele quisesse, mas só eu levaria vara... Sentei, cavalguei e respondia a todo momento que estava muito bom dar o cuzinho pra ele. Naquele sobe e desce eu tive o meu orgasmo. Saí de cima dele e deitei-me ao seu lado. Enquanto eu modiscava seus mamilos, ele continuou se masturbando e assim gozou pela segunda vez. Prontinho pra ir embora, ele pediu se eu podia escrever um relato. Disse que iria pensar a respeito, rs... Ele todo gentil, falou que independente do relato, assim que pudesse, voltaria aqui novamente! Mas, pelo visto ele vai vir antes do que imagina, rs...

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

Desejo Secreto

Essa história é bem interessante, muita gente vai adorar ler e com certeza se imaginar no lugar do meu cliente, que vou apenas chamar de 'mariposa'. Ele já me conhece há alguns anos e comigo realizou algumas de suas fantasias mais secretas. E foi hoje, durante uma transa que ele me confidenciou que tinha tesão em travestis, mas as via apenas como passivas, mas no seu primeiro encontro com uma, que não fui eu, ele é que foi o passivo. Conta ele, que a boneca gostou muito da sua bunda ( realmente ele tem uma bunda bonita, bem apetitosa) e passou um xaveco no seu ouvido, conseguindo comê-lo!

Só que ele adorou e desde então, começou a sentir vontade de dar o rabo. Procurava travestis para ser passivo, apesar de ainda ter vontade de comê-las, mas não conseguia, acabava dando o rabo e gozava. A partir de então, começou a se sentir um veadinho e como todo bom veadinho ele gostaria é dar o rabo para um macho de verdade! Mas, faltava coragem, por vários motivos ele não poderia dar pinta e cantar qualquer homem, então era mais fácil sair com travestis mesmo! Isso até ele conhecer meu blog. Lendo meus relatos, adorou as histórias com meus amiguinhos pauzudos. Alguns dias depois ele já estava aqui comigo, mas nos nossos primeiros encontros, fazíamos troca-troca e era só isso, ele não tinha coragem de contar sobre esse seu desejo. Enfim, um dia ele me perguntou sobre a possibilidade de ficarmos a três, eu ele e mais um homem, pois havia lido a respeito e ficado muito a fim. Esse seu desejo foi logo realizado, chamei um amiguinho e ele tentou dar o rabo para um homem, mas não conseguiu, aí era eu mesma que acabei comendo ele, enquanto ele chupou a pica do rapaz e se masturbou até gozar. Fizemos isso algumas vezes e era sempre a mesma coisa... Mas, hoje me ligou e estava louquinho pra uma nova aventura com um dos meus amiguinhos.

Chegou, tomou uma ducha e fez uma chuca, com direito ao meu teste de verificação. Foi reprovado na primeira tentativa mas passou na segunda. Sobre minha cama estava o mais pauzudo dos meus amiguinhos, nem eu dou pra ele. Quando meu cliente viu aquele pauzão bem duro, caiu de boca. Quer dizer, tentou, pois nem cabia direito nela. Ficou elogiando o rapaz dizendo que aquilo é que era pau, que ele agora estava se sentindo uma viadinho chupando uma pica de macho! Até estranhei, pois nas outras aventuras, com outros rapazes bem-dotados, não tanto quanto este, ele não deu pinta, rs... Chupou muito aquele pauzão, lambendo as bolas e masturbando aquela jebona, que ele não cansava de dizer que nunca tinha visto algo igual. Enquanto ele chupava, eu por trás comia o seu rabinho. A mariposa rebolava e minha pica era um tiragosto perto da carne que entraria ali daí a pouco. Fez carinhas e bocas de que não aguentaria, aquele charminho todo, frescuras, rs...

O rapaz não deixou a pica bem dura, segurou na base e enfiou-a meio mole, entrou facilmente no buraquinho da mariposa que dizia que estava bom demais. Eu estava na frente 'dela', perguntando se estava bom, 'ela' me puxou, beijou minha boca, disse que eu era gostosa, mas nada se comparava aquele prazer. Quando senti que a mariposa já estava bem relaxada, pedi para o rapaz parar e eu fui novamente comer no seu lugar a safada. Enquanto eu comia, o rapaz aproveitou para deixar a sua pica bem dura, e aquila pica bem dura é o babado, eu tenho medo, rs... Quando a rola ficou imensa, eu tirei o meu e ele enfiou aquela tromba na bundinha da safada... Ele foi devagarinho, com jeitinho e enfiou tudo! Meu cliente deu um berro e caiu na cama com rapaz plugado nele e metendo sem parar. A putinha nem conseguia respirar, mas alguns minutinhos depois ela gritou: - Estou dando para um macho e vou gozar pelo cu!... O gozo foi alucinante, pois com aquela pica toda dentro do seu rabo e esfregando o seu pau na cama, lambuzou o meu lençol com uma poça de porra. O rapaz levantou-se e a mariposa também cambaleante e toda mole sorriu dizendo que foi muito bom gozar pelo cu! Troquei o lençol para o rapaz deitar e gozar também. Ele gostaria muito de me comer, mas eu só chupei as suas bolas enquanto ele assistiu um filme e se masturbou. Eu hein, nem pensar... Tenho dó do meu cuzinho! Hoje eu não poderia estragá-lo! Eu já dei em outra ocasião, mas com muita pomadinha mágica. Uuuuuuui, depois que passou o efeito eu senti o estrago.

Mas a mariposa saiu arrombada, detonada, até sangrou, nada preocupante. Esse era realmente o seu desejo bem secreto, ser possuída sem dó nem piedade por um macho de verdade... Fico imaginando agora que sentiu o gostinho da maçã, com tamanho de jaca, se vai querer outra fruta!

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

A calcinha rosa

Ontem à tarde, um cliente desses de carteirinha me ligou todo eufórico: - Drikka, eu quero te ver com a calcinha rosa. Me espere assim!... Tudo bem, fiquei apenas com a calcinha rosa e de salto alto. Quando ele chegou, estava excitadíssimo, ficou ainda mais quando fiquei de quatro e ele pode ver a calcinha rosa adornando meu bumbunzão. Aí ele pediu que eu a tirasse, pensei que ele já iria me comer pois seu pau estava super duro, coisa que geralmente não é bem assim que acontece. Fiquei surpresa ao ver que ele pegou a calcinha e vestiu. Isso mesmo, ele vestiu a calcinha rosa, só faltava ele pedir a peruca loira também, rs... Muitos clientes vem aqui e usam minhas calcinhas, mas ele nunca tinha feito algo parecido... Nada a ver a calcinha no seu corpo, mas ele ficou se olhando no espelho, principalmente por trás, com a calcinha enfiada no seu rego, pois pela frente seu pau bem duro saía pelo lado. Então, ele pediu pra que eu colocasse uma camisinha no seu pau e ficasse de quatro no cantinho da cama.

Quando fiquei pronta ele veio com tudo, enfiou sua pica bem dura no meu rabo e meteu com tesão. Enquanto isso ele se olhava pelo espelho, via-se por trás com a calcinha enterrada no seu rabo enquanto ele fazia movimentos de entra-e-sai, pois na sua frente eu estava de quatro, com a cara no colchão e a bunda bem empinada levando a sua rola. Das inúmeras vezes em que saímos, essa foi a primeira vez que alternamos a ordem das coisas, pois geralmente, sou quem o come primeiro, depois, caso ele não tenha gozado, então me come. Fiquei surpresa, mas foi legal ver todo aquele seu tesão, despertado inicialmente pela calcinha rosa, rs... Claro que depois, ele tirou a calcinha e ficou de franguinho assado e pediu pra eu comê-lo, coisa que ele adora. Estava realmente muito afoito, já quis mudar de posição, pediu pra sentar em cima de mim. Cavalgou um pouco e já gozou em cima da minha barriga, mas gozou muito, se eu não colocasse a mão na frente, viria um monte de porra na minha cara, rs... Ele também estranhou, rs... Levantou-se e apoiou-se na parede, disse que ficara até tonto. Uau, que orgasmo hein? Será que foi tudo por causa da calcinha? E essa calcinha apareceu aqui em casa com um outro cliente.

Pois foi ''Miss Mar'', aquele cliente do relato 'você me ensinou a ser puta' que veio vestido com ela na semana passada. Só que ele pouco usou a calcinha, logo a substituiu por uma das minhas. Lavei a calcinha e guardei. Resolvi colocá-la no domingo durante a visita de outro cliente, o qual bateu as fotos que depois, vocês se deliciaram vendo no blog, até que apareceu esse fofinho louco por ela, rs... Incrível mesmo o poder da calcinha, não exatamente dessa calcinha rosa, mas da calcinha em si, pois desperta os mais inusitados tipos de tesão, eu mesma já presenciei cada coisa, rs...

E você meu caro leitor, uma calcinha te dá algum tesão inesperado?

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

Homens de segunda

Acordei quase meio-dia, ahhh nem acreditei que já era tão tarde e eu tinha tanta coisa pra fazer. O jeito foi correr para o chuveiro, tomar aquela ducha e ficar pronta, caso algum cliente ligasse, depois, se não viesse ninguém eu resolveria meus compromissos, mas nada sério, pelo menos hoje, tudo poderia ficar para outro dia. Pois nem bem terminei de secar os cabelos o telefone tocou, pelo menos agora eu ouvi, antes já havia tocado, mas eu deixei a campainha desligada, senão não dormiria tranquila, rs...

Era um cliente que costuma vir quase toda a semana e, dentro de dez minutinhos já estaria aqui. Comi um pedacinho de queijo light, um copo de água de côco e pronto, não desmaiaria de fome nos braços daquele homem. Se bem que ele é uma delícia, peludão, alto magro e com uma pica não tão grossa, mas comprida. Acho que ele gostou de mim pela garganta profunda, pois o que ele mais gosta é quando engulo toda a sua pica e fico fungando, quase que se afogando nas suas bolas. Ele geme, segura um pouco minha cabeça e fala que adora quando eu faço aquilo. Depois de ter ficado quase uma meia hora chupando seu pau, a gente se posiciona e fazemos um 69. Eu fico por baixo e ele por cima, novamente a sua pica entra garganta abaixo, eu faço o que posso, fico alguns segundos sem respirar e alterno a engolida com alguns beijinhos nas suas bolas, que ele também gosta. Seguindo praticamente uma cartinha, daí a pouco ele fica em pé na cama e senta em cima do meu pau, cavalga e se masturba, delira, geme, rebola e masturba sua pica com voracidade. Pouco depois ele troca de posição.

Deita-se na cama e eu deito sobre ele, enfio meu pau no seu rabo e fico mordendo a sua orelha e falando bobagens mil. Mas, nem ele, nem eu gozamos assim, porque ainda ele quer mais chupetinha, quer enfiar novamente sua pica comprida na minha garganta. Quando ele não aguenta mais, faz eu ficar em pé ao lado da cama, eu me enclino um pouco e arrebito a bunda para que ele vá enfiando devagarinho sua pica no meu rabo. Quando tudo está lá dentro, ele me segura pela cintura e vai metendo, começa devagar e vai aumentando a velocidade enquanto fica vendo tudo pelo espelho. É muita pressão, ver só a silhueta daquela cobra entrando e saindo de mim. Ai, ui, hummm, ohhhh, rs... Eu me masturbo e gozo, acho que com as mordiscadas que dou enquanto gozo ele também acaba gozando. Eu respiro aliviada pelo gozo e pela retirada daquele salame compridão do meu interior, rs... Inclusive quando eu sei que é ele que vem, tenho que caprichar na chuca, senão não dá certo. Ele gosta de ir fundo, se não estiver ok é retreta na certa, felizmente nunca aconteceu pelo menos em umas dez vezes que já saímos.

Hoje, depois que ele saiu, deitei na cama e fiquei me refazendo do baque, mas nem deu pra descansar muito, outro cliente ligou e queria uma festinha. Queria dar para o monster cock, que por sorte eu consegui localizar e em 20 minutos já estava aqui fodendo o seu rabinho apertado que hoje até sangrou. Mas não foi nada grave, algum vasinho se rompeu, mas logo depois já estava tudo bem, só imagino que seu rabo estava latejando, pois aguentar aquela pica, só pra poucos, rs... Eu só fiquei olhando, já pensou se ele quisesse que o monster me comesse? Ah, eu não iria aguentar, ou aguentaria e encerraria o expediente lá pelo início da tarde... Ah, mas alguém já me mandou um e-mail dizendo que seu sonho é me ver dando pra um desses meus amiguinhos bem-dotados, ele quer no máximo dar uma chupadinha na pica enorme e me ver gozar sendo arrombada.

Disse que tudo bem, basta ele me avisar com antecedência, que eu vou fazer o sacrifício, rs... Bem, voltando a minha segunda-feira, já passava das 14 horas e eu tinha ficado sem almoço, então mais um copinho de água côco, duas fatias de torradas e mais um queijinho. Esse foi o meu almoço, rs... Mas não é sempre que isso acontece, tá bom? Geralmente me alimento muito bem, hoje foi tudo porque o telefone voltou a funcionar... Lembra das minhas dores de cabeça por causa disso na semana passada, né? E hoje eu dormi além da conta. Sabe, acho que nem vou continuar escrevendo pois estou cansada, agora só quero a cama pra dormir... Afinal a tarde continuou quente e com algumas visitas inusitadas, como do 'Ruivinho' ( eu já fiz um relato erótico com ele, nem sem em que mês está), do Vini, que adorou me ver com uma roupinha de vinil, rs...

Também de um putinho de Santa Catarina, que adora colocar algumas lingeries e de um gatinho de um país vizinho que eu simplesmente adoro! Gozei de novo com ele, rs... Ah, já tava quase me esquecendo, tive a visita do super super 'SR', um fofinho que é de carteirinha há tempos e eu o adoro... Qualquer hora eu preciso fazer um relato exclusivo com ele, pois nesse tempo todo que nos conhecemos ele simplesmente se tornou uma das coisas mais deliciosas que conheço. Começou assim meio devagar, gozando rapidinho, mas aos poucos foi se controlando, colocando pra fora suas fantasias e, hoje é uma transa super quente.

Tanto que foi com ele que ontem eu suei, fiquei ensopada. Assim com meus homens de segunda, segunda-feira tá? Eu só posso dizer que o dia foi ótimo e ainda pra variar recebi a ligação do Wings, dizendo que está de volta em Curitiba e louquinho pra me ver. Esse também precisa de um relato. Vocês vão adorar. Como não pude recebê-lo hoje, ele disse que virá amanhã, terça-feira. Huuuum, não vejo a hora. Bem, agora vou dormir e sonhar com essses homens de segunda. Beijos. Boa noite. ZZZZZZZZZZZZ, huuuuuuum, ohhhhhhhh zzzzzzzzz...

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

De olhos bem fechados

O gato desse relato me ligou à tarde, mas não conseguiu falar comigo. Ele estava no escritório em que trabalha com muito tesão, louquinho pra vir me ver, quer dizer, me sentir, afinal me vendo ele estava, pois navegava nesse blog. Como o tesão era muito e achando que não poderia vir aqui, ele foi ao banheiro, lembrou de nossas transas e se masturbou. De olhos bem fechados, imaginando minha boca gulosa e minha bunda de quatro levando sua vara, ele prestou aquela homenagem! Só que o seu tesão continuou, então ele tentou novamente um contato, já no início da noite, que pra nossa felicidade deu certo. Coloquei uma roupinha bem sexy e fiquei a esperá-lo. Já começa a fazer frio em Curitiba, meias 7/8, espartilhos e robes, ficam super bem e aquecem, até a hora de tirar tudo pra se aquecer de outra forma. Podem acreditar que fiquei bem acesa quando o vi adentrar meu apartamento. Ele é um boneco, lindinho como só ele, carinhoso, um fofo...

Ele já veio todo cheirozinho, me agarrou e me jogou na cama, pulou em cima de mim e ficamos como um casal de namorados apaixonados nos beijando ardentemente. Coloquei uma camisinha no seu pau e outra no meu, já caí de boca e fiz uma gulosa enquanto ele apenas me masturbava. Ele só gosta de ser ativo, mas adora tocar uma punhetinha pra mim e me ver gozando... Mas, o meu gozo veio bem depois, pois antes ele colocou uma camisinha na língua para lamber meu rabo. Ele lê que eu faço isso e quis fazer em mim... Então, peguei uma camisinha e coloquei na sua língua, enquanto isso eu a chupava pra ele se acostumar. Depois meio desajeitado ele lambeu meu rabinho, tentou, rs, mas é preciso treino para fazer isso sem que a pessoa perceba que se está usando preservativo... Mas, o que eu queria mesmo, era sentar na sua pica. Não perdi mais tempo, sentei como gosto e comecei aquela cavalgada, passando minhas mãos no seu peito peludo, vez ou outra me debruçando sobre ele e beijando sua boca. Ele massageava meus mamilos e também me masturbava. Olhei pra ele e fechei os olhos. Sim, aquilo tudo me excitava demais, vendo então a sua carinha me olhando daquele jeito, eu iria explodir rapidinho. De olhos bem fechados, fiquei apenas subindo e descendo na pica do meu boneco delicioso...

Porém não aguentei muito tempo não. Eu olhei pra ele e disse que eu iria gozar. Ele sorriu todo feliz dizendo que eu gozasse, que gozasse muito, pois ele adoraria me ver gozando pela primeira vez, afinal esse era o nosso terceiro encontro e eu ainda não tinha lhe dado esse prazer... Gozei, estremeci, derreti, sobre ele. Foi um orgasmo sem tamanho, daqueles que me desmontam. Mesmo ainda meio zonza, fiquei de quatro, pra ele entrar e gozar bem gostoso dentro de mim.

À tarde ele fizera isso, mas de olhos bem fechados usando só a imaginação e agora de olhos bem abertos ele se esvaira dentro de mim num tesão sem igual expresso em gemidos, apertos e muito leitinho. Por falar em leitinho, comparei o que estava na minha camisinha e com o que estava na dele. Ri e disse que eu havia ganhado. Foi então que ele me contou o lance da homenagem no escritório, rs... Um bom enredo para um relato erótico não é? Espero que vocês tenham gostado e agora estejam louquinhos para me homenagear também, rs...

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 

Nota mil

Água mole em pedra dura tanto bate até que fura, rs... Bruce, me ligou há vários dias, mas por um motivo ou outro, não dava certo o nosso encontro. Mas, ele insistiu, até que hoje à noite nos encontramos. Uau, se eu soubesse, teria o atendido antes, rs...

Quando ele chegou, estava como muitos que vem pela primeira vez, nervoso, deslocado, disse que estava até com dor de barriga, rs... Sem muita enrolação pedi pra ele tomasse uma ducha enquanto eu o esperaria peladinha na cama. Então, ele veio e deitou-se ao meu lado, falou que ele era todinho meu e faria tudo o que lhe desse prazer, desde que não sentisse dor. Já perceberam que ele gostaria de experimentar dar o rabinho, rs... Eu apenas sorri e fiz carinhos em seu corpo, afinal eu sou uma expert nesse assunto e tratei logo de fazê-lo de modo que meu cliente iniciante, sentisse apenas prazer.

Pomadinha mágica, lubrificante e aquela sessão toda que é pertinente à situação. Comecei a penetrá-lo aos pouquinhos, pois realmente seu rabinho era virgem. Ele fez umas caretas, mas deixou que eu fosse um pouco mais além do que só a entrada da cabecinha. Fiz ele até sentar em cima. Ele fez meio a contragosto, mas fez... E tem um detalhe: seu pau estava duríssimo, ele até poderia estar sentindo alguma dorzinha, mas o prazer era bem vistoso! Que delícia ver aquele homem com cara de mau e sem nada de frescuras, dando o rabinho. Daí a pouco, ele disse que já estava de bom tamanho. Agora ele é que iria comer o meu rabo. Ele tinha um pau bem branquinho, retinho, não muito comprido, mas um tanto grosso, daqueles que a camisinha fica bem apertada... Infelizmente eu não dispunha no momento de nenhuma em tamanho GG. Fiquei em pé na cama, lubrifiquei meu buraquinho, me agachei sobre ele e comecei a cavalgá-lo. Ele perguntou se eu estava sentindo dor, falei que um pouquinho, mas o prazer compensava, rs... Até perguntei que nota ele dava ao meu cuzinho, levei um 11, uau!

Podia ser apenas um dez, rs... Eu subia e descia na sua pica, enquanto isso ele me masturbava. Ah, eu adoro isso! Pedi calma, pois eu poderia gozar rapidinho. Aproveitei e pedi pra que ele viesse pra frente do espelho grande pra vermos a ação. Eu não podia ver direitinho aquele pau entrando e saindo de mim, só sentia a pressão e o tesão. Foi aí que peguei o espelho pequeno e coloquei embaixo de nós. Aí sim, a visão foi ótima. Tanto que nem aguentei, gozei em cima do espelho e em volta também, pois foi muita porra.

Ele adorou e pediu que eu nota eu dava para a sua pica, ele levou então um 12, rs... Então foi a vez dele gozar, só que não continuou penetrando em mim, ele preferiu deitar-se na cama para eu masturbá-lo. Masturbei, mas ele gozou somente quando ele tocou, tipo aquele pau que está acostumado aos 5 dedos do seu dono, rs... Depois de tudo, ele todo satisfeito falou que realmente a transa foi além do que ele havia imaginado, que eu conquistara outro cliente. Fiquei feliz, pois adorei transar com o Bruce, apelido esse que só nós dois sabemos o porquê!

 

Boneca Drikka

:(41)3232-5054/9971-0844

drikkaboneca@uol.com.br

http://bonecadrikka.blogspot.com/

 

 


Conteúdo sindicalizado