Transexual

warning: Creating default object from empty value in /home/maite/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.module on line 1390.

Médicos sem preconceitos

Neste espaço você encontrará profissionais de diversas áreas médicas que atendem "sem preconceito" (como todos deveriam ser) - em vários locais do Brasil.

Se você for um médico que atende comunidade LGBT, e sem outro preconceito qualquer.... envie seus dados para casadamate@gmail.com

 

CIRURGIÃO PLASTICO EM CURITIBA

* Dr. Pablo Huber - http://www.pablohuber.com.br/

Trans de 25 anos de João Pessoa, designer de unhas, com foto, procura homem legal para amizade e quem sabe algo mais sério

Camila Luisa
Em qual Estado do Brasil ou País você mora?: 
PB
Qual o nome da cidade onde você tecla?: 
JOAOPESSOA
EU SOU:: 
Transexual
PROCURO POR: (obs - você pode selecionar mais de uma opção neste ítem): 
Homens

Transexual paranaense, manicure e que mora com a família, procura homem bem resolvido para relacionamento sério

Olá...
me chamo Luciana, 34 anos, loira, olhos azuis, 68kg, 1.80. Moro em Matinhos, litoral do Paraná, onde sou manicure e moro com a familia. Sou bem resolvida com minha sexualidade e com a vida.
Procuro homens, entre 30 e 40 anos, pra relacionamento sério, bem resolvido e sem preconceitos, que more na região de Curitiba ou litoral do PR, inteligente, espirituoso, charmoso e que saiba conquistar uma mulher.
Dispenso casados, curiosos, homens de outras regiões e com algum preconceito ou receio de namorar uma trans.
Aguardo contatos.
e-mail: lucianakz@hotmail.com

 

Transexual não operada e 100% passiva, com foto, procura por homem que queira relacionamento sério e duradouro

Hosana
Em qual Estado do Brasil ou País você mora?: 
SP
Qual o nome da cidade onde você tecla?: 
Ipaussu
EU SOU:: 
Transexual
PROCURO POR: (obs - você pode selecionar mais de uma opção neste ítem): 
Homens

Crianças transgênero sofrem com problemas psicológicos

Crianças transgênero (que sentem que o seu sexo biológico não é equivalente ao seu gênero verdadeiro) podem sofrer sintomas psiquiátricos fortes, enfrentando problemas como a depressão e tentativas de suicídio.

Pesquisas realizadas nos Estados Unidos mostram que essa parcela da população sofre com níveis assustadoramente altos de problemas mentais. Um estudo realizado em 2010 mostrou que 41% dos transgêneros americanos já haviam tentado o suicídio.

Coisas que podem provocar esses problemas são a estigmização social e a discriminação, que podem se originar tanto dentro quanto fora da família do indivíduo. Além dessas questões, o próprio estresse emocional da diferença sexual entre corpo e mente também pode ser um fator depressivo.

Transexual de Campo Mourão, com foto, procura por homem da região e que seja educado

Seu nome ou Apelido:
gueixa
Em qual Estado do Brasil ou País você mora?:
PR
Qual o nome da cidade onde você tecla?:
Campo Mourão
EU SOU::
Transexual
PROCURO POR: (obs - você pode selecionar mais de uma opção neste ítem):
Homens
Envie sua foto:
789405_300.jpg

Olá sou transex,sou passiva,gostaria de relacionamento com homem ativo que seja educado,não agressivo,sou muito simples ,portanto não tenho dinheiro,mas não faço programa,sou seria,responsavel,sincera,tenho principios fortes,odeio baixaria e confusão,Peço por gentileza que me comunique somente quem tiver real interesse e que seja da região,pois não posso gastar com viagem,gostaria de um homem somente que fosse fixo,Grata por sua atenção e compreenção.

Pensionato para travestis e transexuais em Curitiba

Se você é travesti ou transexual e deseja um local muito legal com ambiente familiar e ter seu próprio espaço em Curitiba - você precisa conhecer o Pensionato TRANSSTAR - que é coordenado pela super trans Samantha Wolkan - o endereço é central e para maiores detalhes os fones de contato são (041) -3323-6443 E OU (041) -9975-5339

Trans baiana, com 30 anos e foto, procura por homem carinhoso para viver um grande amor

Seu nome ou Apelido:
Mira
Em qual Estado do Brasil ou País você mora?:
BA
Qual o nome da cidade onde você tecla?:
Ilhéus
EU SOU::
Transexual
PROCURO POR: (obs - você pode selecionar mais de uma opção neste ítem):
Homens
Envie sua foto:
DSC00071.JPG

Eu sou uma trans baiana,tenho 30 anos 1,75 alt 64 kg, estou em busca de um homem,que seja carinhoso atencioso,não fumo não bebo e nem uso drogas,sou cabeleireira há 9 anos,procuro alguém que queira somar,não diminuir,alguém que juntos possamos crescer.

 

O super escritor e dramaturgo Marcelo Pedreira fala tudinho sobre seu livro no Programa do JÔ

Euzinha com o mega talentoso amigo, escritor, dramaturgo e que super adoro - Marcelo Pedreira - assista a entrevista recente que ele deu para o Programa do Jô - falando do seu super livro "A incrível história de Leticia Diniz" - veja tudinho logo abaixo:

 

O que alimenta o preconceito contra transexuais?

 O tema “transexual” é com certeza um dos assuntos mais polêmicos na sociedade, que provoca fortes reações emocionais. Muitas vezes, essas reações têm tons predominantemente negativos, o que levanta a questão sobre a raiz da hostilidade quanto a esse tópico.

Segundo uma acadêmica que estuda atitudes e comportamentos sociais, o desconforto em relação às pessoas transexuais vem de convenções desafiadoras.

Diane Everett, professora de sociologia, diz que na cultura americana, sexo e gênero pertencem a uma de duas categorias. Assim que os seres humanos nascem, a primeira coisa que as pessoas perguntam é se o bebê é um menino ou menina.

“Temos a tendência, como sociedade, de colocar as pessoas em caixas”, disse ela. “Um transexual não só atravessa as fronteiras de gênero, mas também as desafia. Se as pessoas não veem você como ‘ou isso ou aquilo’, elas têm dificuldade em se relacionar com você em seu nível de conforto”, explica.

Depois, há pessoas que por razões religiosas acreditam que os transexuais são fundamentalmente “errados”, que Deus criou o homem e a mulher e, automaticamente, o homem é macho, a mulher é fêmea, e eles não devem cruzar essas linhas.

As questões geralmente acabam em um debate sobre qual banheiro as pessoas transexuais deveriam usar. Isso é um símbolo de toda a controvérsia, porque tem a ver com gênero, sexualidade e nível de conforto.

O desconforto decorre da visão de que uma pessoa é do sexo feminino ou masculino. Mudar o sexo com que você nasce é “basicamente automutilação”, disse Regina Griggs, diretora do grupo Parentes e Amigos de Ex-Gays & Gays. “É uma cirurgia que altera quem você realmente é do ponto de vista biológico”.

Segundo Regina, pessoas com transtorno de identidade de gênero merecem ajuda médica e psiquiátrica adequada. Transtorno de identidade de gênero é listado como doença no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, a “bíblia” da psiquiatria.

Pessoas transexuais desafiam as ideias arraigadas na sociedade sobre gênero e sexo. As pessoas são ensinadas que meninos são meninos, meninas são meninas e meninos casam com meninas.

“Todas essas coisas são verdadeiras para a maioria das pessoas”, disse Mara Kiesling, diretora do Centro Nacional para a Igualdade Transexual. “É verdade que a maioria das pessoas é do sexo masculino ou feminino e isso é imutável para a maioria das pessoas. O que estamos aprendendo agora é que nenhuma dessas coisas é totalmente imutável”, explica.

Pessoas transexuais enfrentam um estresse de minoria, o que significa que elas se sentem indesejadas como uma minoria excluída. Elas também enfrentam o estigma, às vezes de suas próprias famílias, além de discriminação no trabalho e bullying.

A hostilidade pode vir, por vezes, de forma surpreendente. Uma mulher transexual, Amber Yust, que mudou seu nome de David, foi ao Departamento de Veículos Motorizados em San Francisco, EUA, para atualizar sua licença. Ela recebeu uma carta de um dos funcionários, acusando Yust de agir de uma maneira que é “uma abominação que leva para o inferno”. O empregado foi identificado e, posteriormente, se demitiu.

Ainda assim, nos dias de hoje, muitas manifestações contra transexuais são tornadas públicas e adquirem tamanha repercussão que oprimem ainda mais essas pessoas. O fim dessa discussão, no entanto, está muito longe – a mudança de pensamento vai demorar a chegar, tendo em vista o tamanho dos conceitos que precisam ser revisados para tanto.[CNN]

 

Mulher transexual de Sumaré procura um namorado ou namorada

 

Seu nome ou Apelido: 
Shelley Araujo
Em qual Estado do Brasil ou País você mora?: 
SP
Qual o nome da cidade onde você tecla?: 
Sumaré
EU SOU:: 
Transexual
PROCURO POR: (obs - você pode selecionar mais de uma opção neste ítem): 
Mulheres
Homens
Envie sua foto: 
2.jpg

Procuro para relacionamento duradouro homem ou mulher q queira se relacionar com uma transexual. Sou transparente e muito romantica. Não entrar em contato se for apenas por curiosidade ou por interesse apenas sexual.

Médicos indianos operam troca de sexo em bebês meninas

Na Índia, é comum os pais preferirem o nascimento de um bebê menino, já que o homem tem mais liberdade e oportunidades naquela sociedade. Boa parte das mães chega a abortar se descobrem que a criança será menina. Mas um novo procedimento torna a questão ainda mais complexa: alguns pais estão tentando a cirurgia de mudança de sexo depois do nascimento.

A denúncia partiu de um jornal indiano, Hindustan Times. Segundo apuraram os jornalistas, centenas de médicos estão alterando cirurgicamente o sexo de filhas de casais que preferem um rapaz. O termo técnico para esse procedimento é genitoplastia.

Os números assustam: algo entre 200 e 300 meninas indianas, de até cinco anos de idade, teriam sido submetidas à genitoplastia na cidade de Indore, com cerca de um milhão e meio de habitantes. O preço da operação é em conta: 3.200 dólares (o equivalente atual a cerca de 5 mil reais). Esse valor dá direito, além da cirurgia, a um tratamento hormonal posterior que completa a função de transformar a menina em um garoto. Graças ao baixo custo, pais de outras regiões da Índia estariam procurando as clínicas de Indore.

A genitoplastia é um procedimento tolerado no mundo, mas apenas em casos de hermafroditismo. Quando a criança nasce com ambas as genitálias, ou sua definição biológica não corresponde à genitália com que nasceu, os pais escolhem um dos sexos logo após o nascimento. E este é o argumento dos doutores da clínica Indore (sete médicos, no total), que afirmam jamais ter operado uma menina com características sexuais bem definidas. Mas o jornal garante que meninas saudáveis passaram pelo procedimento. Com esse impasse, o governo do Estado de Madhya Pradesh (onde fica Indore) abriu uma investigação.

Os médicos que o jornal chamou para condenarem a atitude são enfáticos: a genitoplastia quase nunca é necessária, pois o hermafroditismo é um fenômeno muito raro. Por isso, seria difícil concordar que há 300 casos como esse em uma cidade de 1,5 milhões de pessoas. O risco dessa operação, segundo os médicos, é tornar a criança estéril ou causar outras disfunções sexuais.

Existem na Índia comissões que lutam contra o aborto de bebês femininos, e que agora se pronunciam sobre essa novidade. Segundo eles, há culpa tanto nos pais, que tomam a decisão, quanto nos médicos, que fazem a operação clandestina para aumentar seus lucros, e ainda na sociedade, que coloca automaticamente a mulher em posição de menos oportunidades na Índia. [Jezebel]

Direto de Curitiba, trans sem preconceito, procura por homem bem resolvido para amizade e quem sabe ter um relacionamento

 

Seu nome ou Apelido: 
Dark Lady
Em qual Estado do Brasil ou País você mora?: 
PR
Qual o nome da cidade onde você tecla?: 
Curitiba
EU SOU:: 
Travesti
PROCURO POR: (obs - você pode selecionar mais de uma opção neste ítem): 
Homens
 
SDC14942 [1600x1200].JPG

Olá me chamo Lara, me considero uma pessoa simpática, sem preconceitos, alegre, gosto de fazer amizades, conversar, sou sincera, e direta.

Gosto de jogos estilo RPG e luta, gosto de ouvir musica estilo metal melódico, rock alternativo, dark ambient.

Procuro conhecer um homem, bem resolvido em todos aspectos.

MEU OBJETIVO: Fazer amizades, e quem sabe um possível relacionamento.
* Meu EMAIL: laramoura@live.com


Conteúdo sindicalizado