Casais

warning: Creating default object from empty value in /home/maite/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.module on line 1390.

69 na fazenda

Era Janeiro. Eu e Vera, minha esposa,
uma bela paranaense de 26 anos, 1.68m e um corpinho
de dar inveja a muita garotinha, havíamos combinado
que passaríamos alguns dias de nossas férias
na fazenda de um casal amigo, no Paraná.

No friozinho da serra

"Conto assim, porque assim se deu:
Praia interditada, calor demasiado.

O que fazer?
Trinnnn, liga um casal amigo, digamos Vera e Roberto,
freqüentadores do Ele&Ela, onde pouco vamos
por causa das crianças.
- Querem ir para Teresópolis?
- Quando?
- Daqui a duas horas, mas precisam reservar a pousada
agora mesmo.
Perguntei ao meu marido se ele gostaria da pedida: piscina
térmica, fondue, sossego e principalmente fugir
do calor carioca. Disse que sim.

Casada tarada

Conheci Vani(Nome Ficticio) no Supermercado,
estava fazendo compras para as festas da virada 1999/2000,
quando vi aquela morena gostosa, seios grandes e redondos,
calça jeans justa, bunda deliciosa deria ter
uns 28 para 30 anos. Pensei comigo: "Vou ter de
fazer algo pra chamar sua atenção".
Ela estava acompanhada de uma amiga. Arrumei um jeito
de passar o meu telefone para elas e, após duas
horas, quando estava chegando em casa, ela ligou-me,
dizendo que era casada (também sou casado) e

Taras de minha insaciável esposa

Recentemente, o cano do chuveiro de nosso sítio,
nas proximidades de Brasília, estourou e ligamos
para um bombeiro para solucionar o problema. Mulato
e musculoso, o rapaz chegou acompanhado de um ajudante
tão forte quanto ele. Assim que os dois entraram
notei o interesse de minha esposa e sussurrei-lhe no
ouvido que se deixasse levar pelo tesão. Para
não lhe atrapalhar, avisei que iria cidade, quando,
na realidade, posicionei-me perto do basculante, de
modo a acompanhar o "conserto".

Para descobrir o que fez o cano estourar,

Casais fazem aquilo?

No mês passado minha mulher e
eu estávamos em um restaurante. Bebíamos
e observávamos os outros freqüentadores
quando vimos um casal, obviamente casado, procurando
por um parceiro adicional.

O casal, um bonito par, de seus trinta
e poucos anos, também bebia. A mulher após
olhar para um sujeito no bar, próximo a nossa
mesa, levantou-se e foi falar com ele. Conseguimos escuta-la
perguntando se ele não gostaria de sentar-se
junto com ela e seu marido. Logo estavam rindo e parecia
se conhecer há tempos.

Como perverti minha esposa

Quando eu era casado senti que o nosso relacionamento
melhoraria se minha mulher transasse com outros homens.
Porem ela sempre foi muito timida. Por isso resolvi
contratar um casal de profissionais, uma putinha muito
gostosa e um rapaz. Preparei minha esposa para a ocasião
dando uns tragos para ele ficar mais solta. Quando eles
chegaram ela estava bem bebada o que facilitava. Eu
deixei o casal bem a vontade, dizendo para eles tirarem
as roupas e sentamos os quatro no sofa. Comecei a bolinar
a putinha e minha mulher ao lado do garanhao so olhava

Uma esposa libertina

" Ha acontecimentos em nossa vida
que a gente jamais esquece. 0 que vou contar neste relato
é um deles e toda vez que me lembro dessa historia
fico tão excitada que, invariavelmente, sou levada
a me satisfazer nem que seja solitariamente. Mas, antes
de evocar tão magica experiência, é
preciso esclarecer algumas coisas.

Uma amizade especial

Conheci-os em Bruxelas em 1993. Devido
a uma situação muito particular naquela
época deslocava-me com muita frequência
até a Belgica e foi em Bruxelas que conheci Ines
e Marc com quem tive, com certeza, uma das melhores
experiencias da minha vida. Ao longo destes anos todos
continuamos amigos/amantes e espero continuar assim
por muito tempo.

A primeira vez e as seguintes... até agora

Somos um casal absolutamente normal e que não é diferênte de nenhum
outro. Tenho 56 anos, 1,68m., 100kg. (absolutamente fora de forma) e
ela tem 55 anos, 1,55m., 50kg., peitinhos bem pequenos (e ainda firmes,
apesar da idade) e uma bundinha bem redonda e empinada. Somos brancos,
casados há mais de 35 anos e avôs de quatro netos. Apesar da idade,
quando saímos percebo os olhares dos outros homens, o que, francamente,
nunca me desagradou. Ela é uma mulher muito fogosa, sempre disposta ao
sexo, do que parece gostar muito e eu, infelizmente, já não sou tão

De onde menos se espera

Este conto pode ser considerado como a continuação do nosso primeiro –
“A PRIMEIRA VEZ E AS SEGUINTES . . . ATÉ AGORA . . .“ só que ele foi
relatado por nosso parceiro e sob a ótica dele. - Devido a minha
atividade laboral, costumo sempre estar em Brasilia, onde tive a grata
e feliz oportunidade de conhecer o “casal da terceira idade”, já
possuidor de um relato neste site. Pois bem, mantivemos primeiramente
contato via e-mail, logo após trocamos telefones, eu disse a data em
que chegaria à Brasilia.

Escancarando portas

Somos o Casaldaterceiraidade, que já possui dois relatos em vários – A
PRIMEIRA VEZ E AS SEGUINTES  ... ATÉ AGORA ... e DE ONDE MENOS SE
ESPERA ..., e estamos tentando quebrar os tabus de uma sociedade
repressora, bem como também o sentimento de posse que acaba com muitos
casamentos, assim como também estamos buscando evitar a monotonia que
ataca as longas uniões. Ao adentrarmos ao mundo liberal, não o fizemos
sem uma certa dose de receio de que isso pudesse acabar com o nosso
casamento, que já dura mais de 36 anos, mas também que isso viesse a

Meu dono

Eu sempre sonhei com um outro homem usando o meu corpo e esse homem me abraçando é você. Eu casei muito nova e grávida do primeiro filho. Não, eu não reclamo da vida, da casa, dos filhos, do marido. Tropeçando aqui e ali num aborrecimento, eu até me considero uma mulher feliz. Mas falta um amante, um homem que não seja meu marido para me fazer gozar e você é esse homem que - com muita paciência - me leva ao adultério.

Mulher e corno, minhas escravas

Pollyana e Marcelo se destacavam como meus alunos nascendo entre nós
uma confiança.  Por isso, os dois foram conhecendo meus relatos sobre
as mulheres casadas com as quais transei e minha fantasia de
transformar maridos em cornos.  Pollyana e Marcelo –casados há cinco
anos – se mostraram muito excitados com meus relatos mergulhando nas
minhas fantasias.   E vieram as revelações: Marcelo gostava de ser
chamado de corno na hora da transa e Pollyana sentia falta de um homem
dominador.  Então, aconselhei que Marcelo se vestisse de mulher para

Casal Rodrigo e Cláudia de BH contam uma de suas historinhas eróticas

Meu nome é Rodrigo e o da minha esposa Cláudia, somos de Belo Horizonte, ela é morena, bonita, cabelos longos, 1,62, 53 kg, seios pequenos durinhos e empinadinhos, cintura fina e bumbum grande, enfim, deliciosa.

A primeira vez é sempre a mais dificil, mas quando vem por acaso !!!!!!

Ola meu nome é Cláudio sou moreno tenho 30 anos 1,80 de altura e
cabelos pretos, vou lhes contar o que aconteceu comigo a alguns meses,
eu e minha esposa (Simone tem 28 anos é loira 1,70 de altura seios
lindos e uma bunda de dar inveja a qualquer um) sempre tivemos vontade
de transar com outro casal mas nunca tivemos coragem, pois achávamos
que seria difícil achar outro casal ou coisa assim, mas sempre quando
íamos transar comentávamos sobre o assunto, mas sempre ficava só nisso
. Um certo dia um casal amigo nosso nos convidou para um final de

Meu marido gosta

Meu marido é um homem feliz, pois sou uma mulher muito companheira, que
o trata bem e que procura fazer tudo para ser sempre a sua ninfeta
ardente. Me esforço sempre para agradá-lo e sou muito carinhosa.

Temos um casamento feliz que dura mais de dez anos, mas tudo melhorou
mesmo quando descobri que ele gostava quando eu me transformava numa
mulher fogosa e devassa, cheia de tesão e desejo, inclusive transando
com outros homens.

Uma amante para meu namorado

Bem esta historia aconteceu quando eu tinha 18 anos, eu e minhas amigas
fomos a praia, era um tremendo sabadom, que sol,estava muito bom, ficou
melhor quando eu conheci Sergio, um cara de fechar o comercio, pele
dourada,barba serrada, um fisico de de causar inveja.

Nosso primeiro swing e o seguinte . . .

Somos “F” e “G” e nos denominamos “casal da terceira idade” e nossas
aventuras estão relatadas em vários contos que publicamos no site do
Paraíso, além de outros, e que nos têm proporcionado muitos contatos
interessantes pelo Brasil afora e até no exterior. Inicialmente optamos
pelo ménage masculino porque, conforme já narrado em outro conto, eu
(F), devido a problemas físicos, tenho certos problemas com a ereção,
ao contrário de “G”, na qual o fogo parece mais reavivado que nunca com
o passar do tempo.

Transei com um casal em Curitiba

Com prometido no meu conto anterior, hoje vou contar mais um episódio vivido com o casal do primeiro conto.
Após passado exato um ano da nossa primeira festinha, no carnaval de
2000 estava eu em casa, um sábado nublado e frio,quando Luciano e Kelly
me ligaram. Disseram que estavam saindo do cinema e que gostariam de me
encontrar novamente. Falei q eu
estava morando no centro e que eu poderia receber eles em minha casa.
Não demorou 40 minutos ele bateram na minha porta.

Depois da NET

Eu sou casado com uma mulher linda chamada Claudia ela tem 42 anos eu
44,o que irei relatar aconteceu 4 anos atrás,apesar da gente se dar bem
sexualmente nao conversavamos nada a respeito de sexo ou
fantasias.Certo dia ela me pegou (namorando) numa sala de bate papo da
net,ficou P da vida,brigamos ela tinha razao,eu apenas devia
concordar...mesmo assim  tinha alguns contatos no ICQ que nao passavam
so de namoricoa afinal eram todas de longe e sem chance alguma de
conhecer pessoalmente.Isso foi o argumento com qual me defendi.


Conteúdo sindicalizado