Família

warning: Creating default object from empty value in /home/maite/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.module on line 1390.

Meu filho, meu marido

A coisa foi uma loucura completamente inimaginável. Tenho 52 anos e sou
casado há trinta. Minha mulher tem duas irmãs e, além dela, comi as
duas. Uma casou e foi embora. A outra ficou e morava em nossa casa.
Sempre que surgia oportunidade a gente transava e certa ocasião ela
apareceu grávida e teve um filho, dizendo que era de um rapaz residente
numa cidade vizinha. Mesmo com esse filho, nunca paramos de transar.

Seu
filho ficou um rapagão, alto, forte, meio alourado, e agora está com 18
anos. Ele gosta muito de mim e sempre está comigo, a gente sai, etc. Um

Que sogra safadinha...

Meu nome é Airon e moro em Brasília , minha história é a seguinte:
Sou casado e minha esposa adora ir para a casa da mãe dela quase todo
final de semana, minha sogra é uma coroa enxuta baixa, de pernas
grossas e roliças e uma bunda grande e apetitosa,ela é super vaidosa
vive se cuidando fazendo lipo,plastica....toda metida a lolita .

Minha cunhada e eu

Realmente essa é uma história verídica. Aconteceu comigo no ano passado, ocasião que tinha 24 anos.
Voltando um pouco no tempo, quando conheci a minha esposa, essa minha
cunhada era bem novinha, mas já demostrava que seria muito bonitinha ao
crescer.

Nada como um fim de semana após o outro - uma história com minha prima

Estava eu mofando em casa, quando recebi de minha prima o convite para
ir a uma festa em sua casa. Ela ligou, dizendo que a festa era a
inauguração de seu novo endereço. Antes ela morava em um bairro longe
do meu, mas éramos muito chegados. Saíamos várias vezes, temos a mesma
idade (18), sempre rolavam uns esquemas com as amigas dela. Agora ela e
sua família (minha tia e sua irmã de 12 anos) se mudavam para uma casa
grande, a três quadras da minha.

Nada como um fim de semana após o outro - Parte II

Eu e a Tati já namorávamos há uns dois meses, sempre juntas. Quando
surgia uma oportunidade de ficarmos sozinhas em algum lugar, lá estava
Amanda. Curtíamos cada momento de maneira muito especial. Claro que a
Jú era nossa madrinha, também andava sempre com a gente. Logo depois do
fim-de-semana "especial", ela e o Dani terminaram, sei lá porque.
Agora, éramos três loucas fazendo tudo por aí.

Genro, sogra e filha

A história que vou narrar, aconteceu um mês após o carnaval, meu nome é
"TÁ" sou um pouco alto com 1,78 m com 84 kg bem distribuidos, olhos e
cabelos castanhos, mais vamos ao que interessa, minha ex-namorada se
chama "LE" ela é branquinha cabelos pretos olhos castanhos escuros,
dona de uma barriguinha mais sensual que já vi, sem pircing, seios um
pouco mais que o normal, tipo médio-grande, bem durinhos e eretos, uma
cintura de qualquer um imaginar coisas.

Iniciação incestuosa

Aos 18 anos já não tinha mais dúvidas
à respeito do meu tesão por homens, há
muito o excitamento ao ver corpos masculinos era vísivel,
sendo sempre objeto de minhas fantasias masturbatórias,
gozando rios de pôrra ao me imaginar sendo fodido
no cú e mamando em um caralho até o esperma
jorrar na minha boca. Além do que, sentia uma
atração intensa e proibida pelo macho
mais gostoso que já encontrei em minha vida,
o qual estava sempre presente em bronhas e sonhos eróticos
de minha adolescência, este homem era meu pai!

Cunhada amante e gostosa


Tenho 18 anos, sou branca, seios médios, olhos
e cabelos castanhos, coxas grossas e bumbum redondinhos.
Mas, o que aconteceu comigo foi uma novidade e surpresa
para mim. Transei com a minha cunhada, esposa do meu
irmão, tudo se passou assim: Estudárvamos
no mesmo cusinho de Pré-vestibular e nesse dia
a Laura me deu uma carona após o cursinho, durante
o caminho, de carro até a minha casa, a Laura
ía conversando e passando a sua mão na
minha perna, como ela fala muito com as mãos,
eu achai aquilo muito normal, a conversa ía e

A bundinha apertadinha da sobrinha

Minha mãe tinha contratado uma empregada nova,
e coincidiu com a fase em que eu me masturbava todo
dia. Um dia, vi que a safada estava me observando, mas
mandei ver. Gozei pensando na boceta de Marta, a empregada
que iria traçar de qualquer jeito. O problema
era que eu tinha mais três irmãos meio
tarados, e sempre um atrapalhava a foda do outro.

Ménage em família

Depois de participar de vários ménages
com meu filho mais novo e minha nora, resolvi fazer
a cabeça do meu filho mais velho e minha outra
nora. Após um longo papo com Saulo, ele disse
que ainda não tinha cabeça para enfrentar
uma situação desse tipo, embora Cristina
se mostrasse mais aberta a uma experiência dessas.
Entendi e aceitei suas colocações, pois
acredito que nesse tipo de relacionamento os princípios
e limites de cada um devem ser respeitados em primeiro
lugar.

Folia com a tia e sobrinha

O melhor Carnaval da minha vida foi quando conheci Andréia.
No último dia a loirinha de 1,69m, 56kg e 18
aninhos apareceu na minha vida. Recebi um torpedo dela.
O bilhete que a garotinha me mostrava trazia uma frase
enigmática: ?Posso sentar ao seu lado??. Mandei
outro torpedo: ?Sim?... Já esperando o pior.
Podia ser sacanagem de algum barbado. Uma coroa sem
graça. Jamais imaginei que era a loirinha gostosa,
e já estava sonhando em apalpá-la.

Eu e minha mãe somos um casal feliz

Fiquei surpreso e feliz com o debate sobre incesto na
Brazil. Sou amante da minha mãe e não
vejo nosso relacionamento como anormal ou fora do comum.
Viemos de uma família tradicional. De empresários
bem-sucedidos, com participação em clubes
de serviços, na política e no esporte.
Minha mãe casou-se muito nova, me deu a luz aos
18 anos. Meu pai era bem mais idoso e nunca foi um bom
amante. Fazia o tipo machão. Era grosseiro e
a tratava como um objeto. Não percebia a mulher
fantástica que tinha ao seu lado. Meu pai devia

Gostosinho da mamãe

Tenho acompanhado essa seção com bastante
interesse. Gostaria de contar um caso incrível,
do qual até eu mesmo duvido.
Na minha adolescência costumava passar férias
na casa de uma tia no interior de Minas. Meu tio era
caminhoneiro, e por isso o meu primo, filho deles, nunca
viajava. Afinal, era o homem da casa, o guardião
da tia gostosa.

Fabiana, uma filha e tanto!

Entre 17 e 20 anos tive uma vida sexual muito ativa.
Namorei todas as garotas do bairro, todas as colegas
de escola: eu era um ?galinho?.


Nessa época comecei a namorar sério. Mas
nunca fui fiel o bastante para dizer ?não? a
uma mulher. Não tinha preferência por um
tipo especial. Japonesa, mulata, loira, morena, casada,
separada... Sem contar as primas e uma cunhada, todas
eu traçava com o mesmo pique. Aos 39 anos, solteiro,
descobri que era pai de uma mulher de 19.

Um cheiro familiar

Todo garoto tem uma tia favorita: a minha era a tia Neusa, irmã mais nova da minha mãe. Desde pequenininho ela fazia festa comigo. Apertava-me contra o peito, beijando minha bochecha, o olho, a orelha, me sufocando com seus carinhos. Cresci grudado nela. Meu pai dizia que eu gostava mais dela do que da minha mãe.
Ela me levava ao cinema e tinha a gostosa mania de colocar minha mão em torno da sua cintura. E a mão ficava perto da bunda, na verdade...

Foi foda comi o cú da sogra

Conheci minha namorada numa festa da empresa na qual trabalhava. Ana
era linda e muito alegre - o que chamou a minha atenção. Era uma morena
encantadora, olhos claros, cabelos pretos e compridos até à cintura.
Bebemos, dançamos e nos divertimos muito. No final da festa perguntei
se podia deixá-la em casa. Ana sorriu e aceitou. Como não tinha
namorado, a companhia de um rapaz era sempre muito bem-vinda.
Conversamos bastante durante o caminho, o mesmo que percorri tantas vezes depois...

Entre primos

Quando isso aconteceu, eu tinha 18 anos e estava passando
as férias na casa de meus tios em João
Pessoa - PB, e meu companheiro constante era meu primo
um ano mais velho que eu. Eu comecei a sair freqüentemente
com ele para cinema, boate, ou coisa parecida. E nada
mais natural do que rolar uma certa cumplicidade entre
a gente. Dormíamos em quartos separados mas vizinhos,
e toda noite ele ia pro meu quarto (eu dormia sozinha)
para conversar. Até que certa noite ele deslizou
uma mão sobre minha perna até a minha
bocetinha...aquilo me causou um arrepio.

Comi minha mãe na frente do meu pai


'Tudo comecou quando minha tia Solange veio passar uns
dias aqui em casa, minha tia é muito gostosa
e viuva, dava pra todo mundo e ouvi ela contar para
minha mae que ela veio de carona durante uma parte da
viagem e que como pagamento pelo favor deu para o motorista.
Aquilo me excitou e fiquei imaginando o que o filho
da puta do meu primo iria fazer se descobrisse uma historia
dessas, pois ele tinha muito ciume de sua mae.

Depois
de muita conversa sobre quem casou, quem morreu, etc.

Sou louco pela minha irmã

Tenho 19 anos, sou do tipo forte e grande. Moro com
meus pais e minha irmã Roberta de 18 anos. Tudo
começou no início do ano, quando ao brigar
com minha namorada, fiquei uns dois meses sem nenhum
sexo. Eu já estava para explodir. Certa vez,
ao chegar mais cedo da faculdade deparei com uma cena
que me deixou completamente perturbado. Roberta, que
chegara de sua aula de dança estava deitada de
bruços no chão assistindo TV. Ela usava
uma mini saia sobre uma minúscula calcinha de
renda toda enfiada que deixavam totalmente ` mostra
a sua empinada bundinha .


Conteúdo sindicalizado