Família

warning: Creating default object from empty value in /home/maite/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.module on line 1390.

Um amor de filho 2

Primeiramente quero agradecer aos emails recebidos.

Com a madastra e o pai 1

 
Sou a Vera, 25 anos estatura mediana, 1:67 56 kg, seios redondos e
durinhos e bumbum cheio... sou filha única e meus pais são separados a
8 anos.... naquela época eu estava com 13 pra 14 anos. A relação deles
já não vinha legal desde bem antes então chegou o dia final, ele veio
me pegou no colo e começou a conversar falando que a partir de amanha
ele iria morar sozinho em outro lugar, me abracei no pescoço dele e
chorei mais ainda no dia seguinte quando cheguei e não encontrei ele
sentindo muito sua falta... Mas a vida é assim, eu fiquei morando com

Com a madastra e o pai 2

Papai ficou conversando com a gente ele usava um chorte somente fiquei
olhando seu corpo me lembrando de tudo o que ela havia me dito
imaginando Jan e papai andando pelados transando me vendo mil coisas na
cabeça como papai seria na cama hum pelo que ela falava ele deveria ser
muito gostoso... enquanto papai estava preparando o peixe na
churrasqueira me aproximei conversando com ele falando que estava muito
feliz e adorando as minhas ferias... ela virou-se me abrasando coloquei
os braços em volta do pescoço dele e colei o corpo todo e então senti

Com a madrasta e o pai 3

- papai sempre foi muito carinhoso comigo... ainda na adolescência eu
já não era boba adorava sentar no colo dele aquelas coisas depois que
ele se separou da mamãe e veio morar aqui senti muito a falta dele e
achava que era coisa do passado mas estes dias que tenho passado aqui
hufa vou te disser uma coisa e olha se ele estivesse solteiro não sei
não... ele tá um coroa muito charmoso e pelo que tu fala muito
gostoso...
-- e se eu te dissesse pra ir em frente... olhei pra ela surpresa..

Fodida por papai no chuveiro

Meus pais são divorciados há muito anos, na verdade não tenho muitas
lembranças deles dois juntos. Lembro-me que nas férias escolares sempre
passava alguns dias na casa de papai. Gostava de ir ao Maracanã
assistir aos jogos com ele. Nunca pensei nele como homem, nossa relação
sempre foi de muito respeito. Com o passar dos anos deixei de ir ao
Maracanã, já estava ficando mocinha e achei outras coisas mais
-interessantes para fazer. Quando fiz 14 anos papai se casou de novo
com uma espanhola chamada Perlla. Papai sempre foi um -tipão, gostava

Júlia e Cíntia - uma história diferente

O marido de Júlia a deixou quando ela tinha vinte e um, dois meses
antes do nascimento da filha, Cíntia. Ele se converteu a uma religião e
a abandonou para seguir o grupo. Na verdade não foi um impacto grande
para Júlia, ela tinha sido auto-suficiente ao longo da sua recente
adolescência, quando o pai morreu e deixou uma razoável soma de
dinheiro para ela. Ela decidiu economizar e trabalhar para que sua a
criança pudesse ir para faculdade, algo que ela quis fazer, mas não
pôde. Criou a filha até muito bem para uma mãe solteira.

Sobrinha virgem dando para o titio

Tudo começou quando eu tinha apenas 9 anos e meu tio 22 (um tio novo).
Meu tio, o Guilherme sempre foi muito ligado á minha mãe (sua irmã). Eu
o admirava, pensava que era alguém livre, dono de si e podia sair, ir
pra onde quisesse. Ele sempre me pegava no colo e me fazia carinho
passando sua mão pelo meu corpo inteiro, nas minhas costas, coxa, bunda
e até nos meus então quase nulos seios. Eu achava estranho, mas
deixava, eu gostava de sentir sua mão em mim. Muitas vezes ele abria
suas pernas e me fazia sentar no meio, eu sentia o pau ele muito duro

Eu, meu filho e minha filha

A estória que passo a contar aqui é muito longa, por isso vou contá-la
em capítulos. Meu nome é Sara (fictício), me casei aos 15 anos, forçada
pelos meus pais, pois tinha engravidado do meu namorado, que na época
tinha 20 anos. Apesar do casamento forçado, foi um casamento feliz,
pois aos 18 anos tivemos outro filho.

O que fiz para comer minha mãe

Comecei a ter tesão por minha mãe aos 13 anos, na época ela tinha
40,sempre fui punheteiro, mas até encontrar a calcinha usada de mamãe
no banheiro, nem me passava pela cabeça querer come-la, só que quando
peguei a calcinha o cheiro de buceta me deixou de excitado na hora,
cheirava e lambia aquela calcinha enquanto punhetava, depois que gozei
coloquei a calcinha no cesto de roupas sujas que era onde deveria
estar.Pensei no que tinha feito a noite toda, dava tesão e remorso, mas
no dia seguinte o tesão foi maior, quando ela entrou no banho não me

Meu pai meteu em mim

Na época eu tinha 18 anos. naquele dia minha mãe tinha viajado e meu
irmão ia dormir na casa da namorada (ele tinha 22 anos). Eu estava
sozinha com meu pai em casa (ele era e é bonitão: 1,85m, cabelos um
pouco grisalhos e nada barrigudo. um tesão)
eu estava em meu quarto me masturbando com um vibrador do meu irmão (eu
ja ouvi ele dizendo que adora meter por tras o vibrador enquanto mete
na buceta das mulheres). Eu gemia, e já estava toda molhadinha. Eu
passava a cabeçinha do vibrador pelo meu grelinho, que já estava bem
vermelhinho.

Boquete proibido no irmão

Meu nome é Paula e gostaria de contar a seguinte história que aconteceu
a 3 anos. Na época, eu com 18 e meu irmão, Pedro, de 21. Ao atingir a
maior idade, começamos a sair juntos, tínhamos os mesmos amigos e tal.
Sempre o achei um gato. Ele com 1,78m, 74 kg, malhava a 3 anos, forte.
Nunca tive a intenção de transar com ele, essas coisas loucas de
incesto, mas reparava as vezes no volume da calça dele, até porque não
sou de ferro.

O dia em que me irmão me enrrabou

CAROS LEITORES; ESSE É O MEU PRIMEIRO CONTO.
VOU ME DENOMINAR VIVI, SOU MUITO BONITA COM MINHAS FORMAS BEM DEFINIDAS:
CINTURA FINA, BUMBUM GRANDE E BEM DURINHO, SEIOS MÉDIOS E PONTIAGUDOS; COXAS GROSSAS E FIRMES, E O ROSTO LINDO.

O punheteiro

O Rei da Punheta Aos quatorze anos, eu era o cara mais popular da minha
turma. Bom de papo, alegre, simpaticão. Não dava muita colher de chá
para as meninas da rua, coisa que marcava muito ponto a meu favor. Mas
eu acho que o fator determinante era minha habilidade na masturbação.
Atrás do meu prédio havia um terreno abandonado com um barraco. Todo
dia, lá pelas quatro da tarde, a gente se reunia para a \"sessão\".
Todo mundo de calça arriada, a primeira prova era ver quem gozava mais
rápido. Quase sempre eu ganhava. Aí, a gente ficava olhando revistas de

Mamando no priminho

Olá, estou muito feliz por vcs gostarem do meu primeiro conto, hoje
estou aqui para relatar-lhes mais uma das minhas experiências. Vcs já
sabem que foi o Pedro quem me iniciou na arte de mamar num caralho
tesudo. Bem, depois que comecei a mamar gostoso nunca mais parei, todos
os dias eu sempre visitava o celeiro para beber o meu leitinho
favorito, assim fui pegando prática e a cada mamada ficava mais gulosa
por um caralho. Numa dessas idas e vindas o meu disse que iria a
capital buscar o meu primo Leandro na capital e que era para eu

Mamando no priminho 2

Esta é a continuação do meu último conto: \"Mamando no priminho 1 \".
Ofereço esta a todos que me mandaram e-mails de incentivo e a você que
está lendo um conto meu pela primeira vez. Desejo a todos uma bela
gozada...continuando o meu relato...meu priminho Leandro começou a
lubrificar meu cuzinho, pincelando seu cacete na entradinha dele, nesse
momento eu já não tinha mais consciência de nada, me entregava
inteiramente ao prazer de estar mamando no caralho tesudo do Pedro e
ter meu primo colado ao meu rabinho, forçando passagem.

O assalto que virou uma noite de incesto

Eu tinha um emorme tesão pela minha cunhada e pela minha sigra. Minha
sogra tem 51 anos é morena cor de canela 1.58, apx. 55kg, seios e
bumbum de causar desejo, porém não bonita de rosto e minha cunhada 29
anos é morena escura, 1.60, apx. 58kg seios pqnos e coxas grosas, todas
as duas tem cabelos pretos abaixo dos ombos. Tudo começou quando
voltavamos de campina Grande, eu tinha uma rede de dormir na cabana da
fazenda de abacaxi e resolvir ir pega-la e já era mais ou menos umas
19h. Ai quando nós chegamos lá que parei o carro, aparaceu dois caras

Sabrina e sua amiga fazem a festa da porra

Minha filha Sabrina tem uma amiga muito gostosinha chamada Letícia.
Elas estudam juntas há bastante tempo e têm uma grande amizade. Às
vezes ela dorme aqui em casa, e percebi que seus olhares para mim eram
um pouco maliciosos, assim como seus sorrisos.

Ai titio

Meu nome é Jonas e sou segurança, durante alguns anos morei em São
Paulo e agora a três mêses estou morando no Rio Grande do Sul, como eu
e minha esposa ainda não temos onde ficar, estamos morando com a minha
cunhada separada do marido e com um filho de vinte anos, chamado
Douglas.


Conteúdo sindicalizado