Crossdresser

warning: Creating default object from empty value in /home/maite/public_html/modules/taxonomy/taxonomy.module on line 1390.

Na zona





Untitled Document

Desde novinha o universo feminino me agradava. Eu era fascinada por roupas, maquiagem ,comportamento e tudo mais, Eu comecei experimentando as calcinhas de minhas primas.Eu adorava. E com o passar do tempo fui ficndo cada vez mais ousada.Deixei o cabelo crescer (coisa de garoto rock'n roll, essa era minha desculpa) , sempre que chegava o inverno me depilava todinha e ficava em casa me produzindo as escondidas.

Mas apesar dessas ousadias morria de medo de ser descoberta. Eu morava no interior de Minas Gerais e o preconceito era foda. Só tinha um gay assumido na cidade nessa época. Então eu disfarçava e disfarçava muito bem. A minha maior ousadia foi deichar o cabelo crescer mas como muitos amigos meus também tinham (os adolescentes rebeldes e revoltados da cidade) passava batido.

Comida de fato

Este não é o meu primeiro conto; penso muito em sexo e gosto de escrever. Mas é o primeiro onde é tudo, tudinho verdade.

Sou uma crossdresser de armário e posso me considerar uma sortuda, sou pequena clara e lisa. Ao natural tenho peitinhos por causa de ginecomastia, efeito colateral de um remédio na adolescência. Calço só 39, sempre acho sapatos e ainda sou bastante bem servida de pernas e bunda. Penso também que a maioria das pessoas desconhece a diferença entre penetrar em alguém até gozar e comer efetivamente esse alguém. Será que quem me enrabou pode dizer que me comeu? Fodeu de verdade? Aquela coisa do bem ou mal comida...

Queria um e levei dois

Vou contar uma transa deliciosa que tive há algum tempo, coisa de menos de um ano. Conheci pela net um cara que vou chamar de Paulo(fictício), que disse que queria me conhecer. Trocamos algumas mensagens apimentadas, eu mandei umas fotos e ele ficou tarado para me comer(modéstia à parte, sou uma morena coxuda, bundinha redonda e montada fico bem gostosa, segundo dizem), só que ele morava no interior. Aproveitei uma carona da minha patroa e lá fui para onde ele estava. Mantive contato por telefone com ele e combinamos. Eu cheguei umas 9h da manhã e segui logo para um motel, onde me montei todinha pois queria que ele me encontrasse já prontinha e também porque queria transitar naquela cidade montada, pois não conhecia ninguém e adoro desfilar montada quando posso.

Encoxada no marcado

Sabado á tarde, após sair da academia fui fazer compras em um mercado proximo a minha casa como de costume abastecer minhas vaidades meus cremes , hidratantes e shampoos adoro essa parte do mercado me sinto tão menina escolhendo perfumes como uma mulher faz quando vai a compras perco horas cheirando lendo as novidades para o corpo e amo pricipalmente óleos de massagens gosto tanto que as vezes até viajo em meus pensamentos , em determinado momento fui passar entre dois carrinhos e em minha direção veio um rapaz também no mesmo sentido , então dei uma encolhida para passarmos juntos mas acabei levando uma encoxada como eu havia acabado de sair da academia eu estava com uma calça jeans com lycra acabei sentindo todo volume das calças do rapaz que gentilmente me pediu desculpas , eu meio que assustado em sentir aquele volume todo meio que sem ar disse imagine ta tudo bem ja dando uma corrida de olho no volume e ele percebendo sorriu , continue por ali olhando e de vez enquando cruzavamos olhares e sorrisos .

No motel com o coroa

Tudo começou quando me cadastrei no extinto Uol K. Coloquei fotos minhas lá e logo começaram a chamar a atenção. As pessoas entravam em contato, faziam comentários e comecei a trocar emails com gente interessada em algo mais. Até que um dia aconteceu...
Um cara, ou melhor, um coroa, se interessou por mim. No começo não dei muita corda, mas ele insistiu, disse que viu minhas fotos, gostou da minha bundinha e queria me conhecer. Depois de mais de dois meses da minha última trepada com o Saulo, acabei cedendo. Estava doidinha pra dar de novo. Combinamos de nos encontrar no estacionamento de um shopping. Antes de sair de casa, fiz a higiene íntima. Fui à paisana, é claro. Pelo celular fui seguindo as coordenadas até que o encontrei. De início estava bem tensa. Sei que a chance de que ele fosse alguém conhecido era pequena, mas acidentes acontecem. Para meu alívio não era ninguém conhecido.

As aventuras de Sophia Mel

Olá, eu me chamo Sophia, tenho 29 aninhos, sou de São Paulo e há muito tempo venho juntando histórias deliciosas. Aqui, quero contar um pouco dessas aventuras.

Tudo começou quando eu morava no interior, em uma cidadezinha que, enquanto uns acham que nesses lugares não tem nada para fazer, eu e meu primo passávamos diversas tardes agradáveis assistindo filmes pornôs, que para ele eram deliciosos, para mim, só um pretexto para poder ver aquele membro delicioso e que me ensinaria a verdadeira arte de ser enrabada deliciosamente.

 

O garanhão que virou fêmea

A história que vou contar é verídica. E aconteceu recentemente. Tenho 29 anos e me chamo Lucas, tenho porte atlético, não afeminado, moreno com 1,83 e 78 kilos. Sou professor e nunca havia tido nenhuma experiência homossexual. Pelo contrário sempre me relacionei com mulheres e era tido como garanhão e pegador pelos amigos na minha época de solteiro (tais amigos nem sonham o que houve). Depois me casei e, como professor, saio com algumas das alunas mais gostosas.
Sempre tive fascínio por travestis e achava muito excitante, no entanto o preconceito nunca me deixou concretizar o meu desejo. Me casei com uma mulher linda, médica. Sempre nos demos bem na cama e até começamos a fazer inversão de papéis o que acabei gostando.

Comi o coleguinha de minha filha

Dia desses um dos colegas de minha filha veio aqui em casa procurando por ela que não estava, como ela já havia me dito que o tal garoto é gay, resolvi me aproveitar da situação e mandei ele entrar e esperar, pois ela não iria demorar. Estava colocando umas prateleiras no novo quarto da minha filha e pedi a ele que me ajudasse no serviço e que minha filha iria adorar saber que ele tinha me ajudado. Fui ficando de pau duro só de imaginar fodendo aquela bundinha carnuda e durinha e de vez em quando me colocava por trás dele para furar a parede, roçando o pau duraço naquela bunda. Ele não tentava sair e numa de minhas investidas forçou a bundinha pra trás e encaixou a pica no reguinho, então peguei em sua cintura e fiz com meu putinho sentisse toda a dureza da vara que estava prestes a invadir aquele cuzinho.

Fiz meu amigo de mulherzinha

Me chamo Leonardo, moro no Rio de Janeiro, tenho 45 anos de idade, sou moreno-claro, 170m, 80kg, másculo. Sou um homem casado e respeitado chefe de família. Tenho um ótimo relacionamento com minha esposa e uma vida sexual intensa, mas afinal de contas, sou homem e como tal, não sou santo.

Saindo a noite e trabalhando

Desde o final do ano passado vinha com uma vontade louca de sair montada na rua, mas ou não tinha tempo,com alguem junto ou trabalhava demais. Até que em janeiro durante cerca de 15 dias fiquei sozinha em casa.Já tinha planejado como seria a saída na rua montada,só não sabia se teria coragem.

Bom,no dia em que fiquei sozinha me depilei toda do pescoço até os pés,deixando pouquissimos pelos simulando uma bucetinha. Como trabalharia muito cedo no dia seguinte e a depilação demorou,fui dormir. Depois de trabalhar,era uma sexta-feira,cheguei em casa tomei banho e ja fui dormir. 11 da noite acordei,peguei 3 caixas onde estão minhas roupas e tudo o mais da Vanessa e fui me montar.Toda depilada,barba feita,lisinha como sempre quis. Vesti calcinha,escondendo super bem o membro.Simulei com durex largo os seios,assim pude usar sutiã com bojo e uma blusinha rosa decotada,parecendo mesmo que tinha seios.

A arte do sexo oral

Meninas, após refletir muito, venho escrever sobre um tema muito, muito importante para nós, bichinhas. Um tema relevante para nós e nossos homens, nossos namorados, amantes, enfim. Algumas chamam de "mamar", outras, de "boquete", ou "chupeta", mas nisso tudo, o importante é mesmo chupar uma bela vara, um pau lindo e duro que nos dá muito prazer, e também, principalmente, ao nosso macho. Saber chupar, amigas, é fundamental para a bicha, é a passividade por excelência, a submissão. Eu, particularmente, não vivo sem. Meu gato ganha pelo menos um boquete por dia, e desde que me descobri viadinha, sempre chupei muito, e modéstia à parte, sou uma boqueteira de primeira linha. Muitas bibas vêm até me perguntar como faço, que dicas eu dou, e por conta da importância do tema, resolvi escrever este relato.

Sempre tive dentro de mim uma fêmea

Sempre tive dentro de mim uma fêmea, mas nunca tive coragem de assumir. Tenho uma pequena coleção de lingerie, calcinhas, sutiens, sandálias de salto bem alto,e, não fumo mas acho linda uma mulher usando um charuto grande e grosso, na verdade como se fosse um brinco, anel ,etcc. Vou as vezes para um motel onde visto-me e fico a desfilar sozinho(a) e me masturbo, sonhando com um homem negro, não de porte atlético , mas simples de meia idade e de kct grande e grosso, quando me masturbo, chego a chorar pensando na dor e prazer que me daria tal kct.

Dominação total

Em São Paulo, conheci a CIDA na praia, estava saindo, era de tarde e de repente do nada aparece na frente e pedi o celular dela...
.
E para minha surpresa ela me deu tres telefones...cel, fixo e do trabalho, e disse para ligar a qualquer hora.

Me despedi e fui embora...foi em caraguatatuba e me desloquei para são sebastião.

Sempre gostei de usar calcinha fio dental e roupas femininas, mas como não posso guardar sempre jogo fora...

Passei uma semana na CIDA, mulher madura gordinha bem sexy, do jeito que gosto voz macia e sedutosa.

Passeado na orla entrei numa loja que vende roupas de banho e ve um biquini vermeho lindo bem pequeninho e resolvi comprar junto com um vestidnho tomara que caia.

Chequei em casa fui experimentar....uiii que delicia, ficou bem pequeno prinicpalmente na bundinha e nos peitinhos, do jeito que gosto.

Resolvi me depilar um pouco, então fiz os pes, as axilas e o cuzinho...deixe bem lisinho e passei leite de loção paixão , para ficar bem sedosa e macia a pele.

A Primeira vez de um passivo

Desde de pequeno as roupas femininas me excitavam. Quando ficava sozinho em casa usava as roupas das minhas irmas escondido e isso me excitava muito. O tempo passou, estudei, me formei e ja adulto, quando morava sozinho em meu apartamento, comprei roupas de mulher para usar. Ja tinha minha rotina: chegava do trabalho, tomava um banho, me perfumava, passava hidratante no corpo todo, e colocava minhas roupas femininas e ia fazer as coisas normais, como, preparar meu jantar, lavar roupas, assistir tv, e ate dormir (dormia com camisolinha e coisas parecidas).

Uma viagem inesquecível

Estava estressada com o dia a dia da cidade grande que se tornou Fortaleza e resolvi viajar para a região Norte a fim de descansar. Cheguei em Belém e tomei um ônibus, à noite, com destino a Soure e que nos levaria ao hotel, um pouco afastado da cidade. Subi e me acomodei numa poltrona e, sozinha, virei-me para a janela e fiquei pensando em nada, quando ouvi a voz de um homem pedindo licença para sentar. Era jovem, atraente e cheirava a sexo. Estava muito frio dentro do ônibus. Ele, não sei porque, me perguntou se não gostaria de um cobertor. Não sei se ele percebeu que estava usando uma calcinha e que ela estava um pouco a mostra ou se o que o ataraiu foi meu jeito ou minha anatomia protuberante da bunda. Pois bem, ele trouxe um cobertor e me agasalhou. Dai em diante, comecei a pensar coisas, coisas que me davam tesão.

Controlado pela esposa após flagrante de calcinha

Esta é uma história de como minha esposa me pegou fazendo minha diversão favorita, para então assumir o controle da situação e me humilhar em uma inversão de papéis para satisfazer a ela e a meus desejos ocultos! Foi no ano passado.

CD do Rio de Janeiro com nivel superior e carinhosa, procura procura por homem que queira algo sério e estável

 

Seu nome ou Apelido: 
Paty
Em qual Estado do Brasil ou País você mora?: 
RJ
Qual o nome da cidade onde você tecla?: 
Rio de Janeiro
EU SOU:: 
Crossdresser
PROCURO POR: (obs - você pode selecionar mais de uma opção neste ítem): 
Homens
Envie sua foto: 
rsz_cimg2266_-_cópia1.jpg

Meu nome é Paty, tenho 29 anos, 1,68m., 65kg., sou crossdresser, independente, nível superior, tranquila, passiva, carinhosa... Enfim, sou uma pessoa simples, que procura algo SÉRIO E ESTÁVEL. Sou de São Paulo, mas estou de mudança para o Rio de Janeiro (capital). Trabalho na área de Educação e não curto promiscuidade. Por isso, procuro um homem de bom caráter, bom papo e que goste das coisas boas e simples da vida, para um relacionamento gostoso e sincero, de preferência que more no Rio de janeiro ou imediações, porque procuro algo realmente sério. Quem sabe até com possibilidades de morar junto, se rolar afinidade.
Não tenho problema com idade. Pra mim, o que vale é atitude e caráter. Só peço que homens casados, enrolados, indecisos, interesseiros, complicados e/ou comprometidos NÃO me procurem. Quero conhecer alguém pra construir uma história de cumplicidade, sem stress.
Tenho um blog em que escrevo sobre sexualidade, sob meu ponto de vista. Se quiserem conhecer um pouco sobre mim, dêem um pulo lá:
http://cdpaty.blogspot.com
Meu álbum de fotos está no uolk. Meu look atual é o ruivo:
http://patypatysp.album.uol.com.br/uolk

Obrigada e mil beijos a tod@s!!!

Um macho chamado Paulo - parte VII (pedido de namoro e menage)

Eu nem aguentava responder, estava exausto, mas tinha sido bom, aguentei dois caralhos enormes, aquela porra quentinha escorria pelas minhas coxas e aliviava o meu cuzinho, enquanto o Marcelo foi se lavar, o Paulo recolhia aquela porra e esfregava no meu corpo, eu me virei de frente prá ele e pedi um beijo, eu estava tão mole, entregue, então ele me abraçou forte e me beijou, dizendo que eu tinha um cu de respeito, aguentou dois caralhos, dois rojões dos grandes, eu me aninhei no seu peito e olhei para o relógio da cabeceira, passava das três da manhã, adormeci, ambos adormecemos, o Marcelo, quando voltou do banho, nos cobriu e deitou do outro lado, ele disse que tinha esporrado tanto que o saco tinha grudado de tão murcho, sonhei que eles me chamavam de cadelinha e eu respondia au au ....

Acordamos no domingo, olhei em volta e não vi o Marcelo, o Paulo ainda dormia e ainda me abraçava e me encoxava, dormimos abraçados a noite toda, tentei sair de baixo dele, mas seu braço era pesado, e quando me mexi mais ele se aconchegou mais, aos poucos percebi que ele se mexia, e sem se levantar perguntou se eu estava bem, eu disse que sim, mas estava todo melado, ele percebeu e disse que estava tão satisfeito que não teve vontade de tomar banho, conversamos um pouco mais e ele queria saber se eu estava satisfeito com a experiência.... eu disse que sim, e perguntei qual a opinião dele ........ ele queria saber se aquilo tinha sido uma prova para saber qual macho eu escolheria ...... passei a provocá-lo para saber se ele estava com ciúme ...... aaaaahhhhh mais ou menos, eu não tenho nenhum namorado, é chato ficar por aí solto, sem compromisso ........ percebi que ele estava incomodado ..... então ele disse assim: ...... olha o Marcelo parece muito legal, todo charmoso, mas ele é playboy, você precisa de um homem mais velho e responsável para ficar com você ....... aí, eu perguntei: .... aahhhn quem se interessa por mim? os caras só querem trepar comigo ...... mas ninguém quer namorar ...... ter compromisso ...... então ele falou que gostaria de namorar comigo, mas não sabia se eu estava interessado ...... então eu perguntei, porque ele nunca me ligava, passava dias ou semanas para aparecer, e só ligava para marcar transa ..... ele disse que viajava muito ... eu sei, eu disse, mas não existe telefone nos lugares onde você vai? ..... ele reconheceu e disse que ia procurar ser mais atencioso e nisso me abraçou bem forte e senti sua pica crescendo no meio das minhas nádegas ......protestei porque meu cuzinho estava dolorido, mas ele não aceitou e tentou e tentou até que conseguiu me penetrar, naquela posição de conchinha, de ladinho, ele me comeu bem devagar, e logo depois gozamos juntos, levantamos para nos lavar, e enquanto isso ouvíamos risos vindos lá de baixo, olhei as horas e já passavam das 11 da manhã.

Depois do banho descemos de mãos dadas, e as meninas estavam nos esperando, a Jandra disse que ainda não tinham tirado a mesa do café, tinha pães, sucos, frutas e ela foi preparar um café fresquinho para nós. Perguntamos dos outros e a Jennifer respondeu que a maioria tinha ido embora, só estavam ela, a Jennifer e a Lara, nós dois, a Talita e a Rose. Todos deixaram um abraço e o Marcelo disse o Paulo e o Pedrito faziam um casal bonito e deixou um beijo. Deixei o Paulo conversando com as meninas e fui até a cozinha, a Jandra estava esperando para eu contar como foi, eu disse que agora não dava tempo, mas contava os detalhes depois, marcamos de jantar na segunda, falei que tinha sido uma delícia, fiquei todo ardido, mas adorei e o Paulo me pediu em namoro. Disse que os menages tinham que acabar. Aí a Jandra contou sobre a noite dela, disse que a Lara foi maravilhosa, e ela deixou que fizessem dupla penetração, voltamos juntas para a varanda, com risinhos de cumplicidade e tomamos o café, as meninas perguntaram se queríamos ficar até a tarde e aproveitar o sol que estava muito gostoso....... aí eu olhei para o Paulo e disse ..... bom, ele que decide ........ ficamos até o fim da tarde, passamos uma tarde maravilhosa, o Paulo estava todo amável, tomamos sol abraçados e brincamos um pouco na piscina, aos poucos ele foi se inteirando da amizade das meninas, fomos embora antes do anoitecer, ele me deixou em casa e foi para a casa dele.

No dia seguinte, ele me ligou, dizendo que passou um fim de semana adorável, me desejou bom dia, dizendo que me avisaria se fosse viajar. Á tarde liguei para a Jandra, combinamos de sair e conversar, nos encontramos à noite no Shopping, ela me contou sobre a noite com a Jennifer e a Lara, foi interessante, disse que marcaria festinhas como essa de vez em quando.

Os dias foram passando, o Paulo passou a ligar mais vezes, passou a me buscar no serviço muitas vezes, por isso passei a usar táxi de vez em quando e deixava o carro em casa, comecei a dormir mais vezes no apto dele, que além de mais perto do trabalho, era menos complicado para mim, pois ele não dava satisfações a ninguém, aos poucos fui me acostumando ao papel de "namorada", apesar de não saber cozinhar, eu preparava o café da manhã todos os dias que dormia lá, ele tinha uma empregada, a Neide, de muitos anos que fazia tudo para ele, no começo ela teve dificuldades em me aceitar, depois aos poucos pegamos um pouco de amizade, fiquei sabendo que há muito tempo o Paulo não levava um homem para casa, ela aceitava que ele fosse gay, mas não se acostumava com visitas, e antigamente ele só levava garotões, eu era o primeiro cinquentão que aparecia, ela me contou que um desses dias "ele" havia dito que eu era discreto, não bebia e não aprontava, por isso, ele passou a gostar mais de mim, ele não gostava de garotões com trejeitos de bicha louca que fizessem escândalo nas boates ou nos restaurantes, "querendo aparecer" ...... pensei muito nisso .........

Já se haviam passados 6 meses desde aquele dia em que começamos a namorar, as festas na casa da Jennifer eram frequentes, mas fazia tempo que não fazíamos menage, eu tinha vontade de repetir, mas não queria sugerir, queria que o convite partisse dele.....

Realmente o Paulo mudou bastante, me ligava quase todos os dias, me avisava das viagens, ligava ou escrevia de onde estava, e passei a dormir no apto dele muitas vezes, algumas vezes uma semana inteira, praticamente eu já tinha levado algumas roupas para poder trabalhar, e em casa eu usava só calcinha e camisola, eu tinha vontade me montar para transar, mas ele dizia que só calcinha estava bom, nos dias em que eu dormi no apto dele com ele viajando, a Neide me ajudava a me montar e eu dormia montada, no dia seguinte, depois do banho, ela guardava minhas roupas, fomos ficando um pouco íntimas, mas ela tinha realmente dificuldades de compreender, mas sempre me tratava bem, mas de vez em quando sentia falta do meu espaço, do meu cantinho...... então voltava para o meu apto, e outra coisa dura de suportar era visitas os amigos ou parentes ......

Teve um feriado, numa terça-feira, que minha empresa estaria fechada, emendando a segunda, e como ele era arquiteto, iria para o RJ, me convidou a ir para lá, ficar numa pousada em Paraty, poderíamos ir no sábado, ele faria uma apresentação da segunda e voltaríamos na mesma segunda e teríamos a terça para descansar ......adorei a novidade e contei para as meninas, fiquei ansiosa para esse dia chegar.... era a primeira vez que ele me levava para viajar com ele... os dias foram passando, e eu me preparei para passar esse feriadão com ele, nem sempre ficávamos o fim de semana todo, que diria um feriado prolongado......

Na semana desse feriado eu já tinha repassado a depilação e aproveitei para fazer as unhas, sobrancelhas, ia passar 4 dias com meu namorado, não precisaria ficar fingindo e nem se preocupando, pois não encontraria nenhum conhecido, além de algumas roupas normais de "sapo" para sair, levei algumas roupinhas para usar intimamente, na sexta ele foi me buscar no serviço e saímos para jantar e depois dormimos no apto dele, saímos as 10 da manhã, fomos de carro mesmo, pois não era muito longe, 3 ou 4 horas só, lá chegando, ele foi direto para uma pousada, um pouco longe do centro da cidade, num local bem tranquilo, rua estreita, arborizada, a pousada era grande e parecia ser bem luxuosa, fizemos o chek-in e levamos as malas para o quarto, tomamos um banho e fomos almoçar, depois passeamos pelo centro histórico, ao cair da tarde voltamos, ele perguntou se eu queria sair para jantar mais tarde ou pedir no quarto, preferi pedir no quarto, então ficamos abraçados assistindo um pouco de televisão, agora eu estava de calcinha e camisola, porque ele já tinha se acostumado e, então, ele perguntou sobre o Marcelo .... notei um pouco de apreensão na voz dele ...... respondi que eu tinha avisado o Marcelo que resolvemos começar um namoro mais sério e nunca mais o vi .... ele pareceu satisfeito, pois seu semblante mudou na hora ...... e você não tem vontade de repetir as menages, ou suingue, .... eu disse que não queria fazer suingue, porque implicava em trocar de parceiro, mas gostaria de fazer menage outra vez, mas não com dois homens, só se fosse ele e uma travesti ...... não quero mais repetir com dois homens ......então ele falou porque eu não pedi antes ..... eu disse que tinha vontade, mas que não ia morrer por isso, e se fosse de surpresa eu ia adorar .... mas tinha que ser travesti ..... nem homem e nem mulher ......

Mais tarde ele fez uma ligação para pedir jantar, perguntou se eu gostaria de beliscar algumas porções, porque pratos a la carte só no restaurante ..... eu preferi porções ....... uma hora depois, alguém bate na porta e eu fui abrir, quando abri fiquei paralisada, era uma travesti, alta, morena, com um micro-vestido preto e botas altas, muito bonita, ela sorriu e disse assim ..... oii surpresa!!! sou o presente de vocês, posso entrar??? ...... olhei para trás e ele estava de braços cruzados, com um sorriso safado na boca ......voltei prá ela, sorri e disse .... claro!! pode entrar .......... então ela se apresentou ...... era Tiffany, com um tremendo sotaque carioca......... ele desligou a TV e apagou a luz, deixando apenas o abajur, ela sentou-se numa poltrona e tirou a roupa, eu deixei a camisola na outra poltrona e me deitei junto do Paulo e ela do outro lado, eu já fiquei morrendo de tesão pela noite que ia começar, ......
.............. e a Tiffany começou a me beijar, eu virei de frente para ela e o Paulo passou a me dedar no cuzinho, depois ele me chamou para eu mudar de lado e chupar o pau dele, ele ficou no meio e a Tiffany veio ajudar, em poucos minutos, eu e a Tiffany chupávamos o pau dele, chupávamos, lambíamos, as vezes nos beijávamos, em poucos minutos o pau dela estava duríssimo, e ela me chamou para chupá-la e ela ficava no Paulo, eu por baixo chupando a pau dela, que era um pouco menor mas grosso também, e vi ela engolindo o Pau do Paulo de uma vez, depois o Paulo mandou eu sentar no pau dele, eu sentei e agasalhei o pau dele de uma vez, sem doer, e enquanto eu rebolava no pau dele, ela veio chupar minha pica, não demorou muito e eu gosei na boca dela, ela sugou tudo e me beijou, forçando-me a engolir minha própria porra, ..... o Paulo estava deliciado, mandou ela se deitar e eu chupá-la de quatro, pois queria me enrabar, e deito e feito, ele foi enterrando aquele caralho enorme no meu cuzinho, e ela foi enfiando o pau na minha boca, e o Paulo dava estocadas fortes .... começou a me fuder, devagar, me abrindo, me rasgando, ............. aaaiiii que pau grosso, que eu aainda sentia ele raspando, me alargando, então senti que ele enfiou até o fundo, eu balançava o quadril e enfiava o pau da Tiffany todo na minha boca e quando eu levantava a bunda ia de encontro ao caralho do Paulo, o Paulo chamou a Tiffany para dividir meu cu com ela, e eu comecei a gemer, ele enfiava seu pau com mais força, sentia chegar na garganta, depois era a vez dela, eu gemia avidamente, me agarrava aos lençóis, sentia suas coxas em minha bunda e sentia o tremor de suas pernas a cada estocada dela, ...... eu gemia, rebolava, estava delicioso, o Paulo com o caralho atolado na minha bunda me dava tapinhas e ela bolinava meu pintinho, o Paulo mandou eu virar de frente, de frango assado, e mandou ela me comer primeiro, ela enterrou seu pau no meu cu, e foi avançando, e me olhando, era muito gostoso, eu me contorcia, gemia, então quando ela enfiou até o talo, o Paulo meteu no cu dela sem dó, senti ela abafar um gemido, gostei de ver ela trincando os dentes, ao receber o caralho do Paulo, aquele caralhão enorme, então ele começou a bombar e acada estocada eu sentia ela me estocar também, ela foi se largando e se aproximou do meu rosto me beijando, a cada estocada do Paulo ela sufocava um gemido e me beijava, seus olhos denunciavam que ela estava curtindo muito, então o Paulo anunciou que ia gozar, tirou do cu dela e esporrou em minha barriga e ela mais que depressa se punhetou para esporrar também, me lambuzou todo, no rosto, no peito, na cama, era porra prá todo lado, eu estava extasiado, mas queria mais, não estávamos cansados, então resolvemos tomar um banho para relaxar .... aiii eu estava adorando tudo aquilo ...... no banho nos beijamos muito, ficamos nos roçando, fui uma excitação geral, voltamos para a cama para recomeçar tudo de novo, só que o Paulo já tinha planos ...................
................... na cama a Tiffani me beijou, profundamente, ansiosa, enquanto estávamos abraçados nos beijando, o Paulo começou a lambuzar meu cuzinho com creme, enfiando os dedinhos, tentei me virar, mas a Tiffany não deixou, ficamos nos beijando até o Paulo mandar, ela parecia recuperada agora, então a Tiffany deitou e o Paulo mandou eu sentar na pica dela, mas sentar de frente para ele, dando as costas para ela e então o Paulo veio me beijar, eu estava um pouco tenso, queria saber qual a novidade, eles sabiam disso, senti o pau dela na minha portinha, a cabeça era grande e o pau grosso, ela foi forçando devagar, agora já não doía, ela forçava o corpo para cima e eu rebolava e pedia para ir devagar, o Paulo me beijava, eu gemia, sentia meu cuzinho engolir aquele pau super gostoso, quando entrou a cabeça, fiquei mais aliviado, e fui escorregando devagar, suavemente até sentar totalmente, com meu cuzinho agasalhando aquele caralho, grosso e gostoso, e eu rebolava, estava adorando, o Paulo não parava de me beijar e agora me punhetava também, eu só soltava uns gemidos enquanto ia rebolando em cima daquele pau lindo, eu sentia meu cuzinho abrindo, alargando, aquele membro duríssimo, grosso, me rasgando,então ela puxou meus braços para trás, bem devagar, e foi me abraçando, me segurando, eu me deitei em cima dela, senti seus peitos duros nas minhas costas, ela me abraçava e me acarciava os mamilos, então o Paulo levantou minhas pernas e apoiou em seus ombros, fiquei totalmente imobilizado, deitado em cima dela, a mercê deles, eu arfava, gemia, estava adorando, só então percebi a intenção dele, esperando pelo pior comecei a pedir para não fazer aquilo, não estava preparado e tinha medo de não aguentar, ............ mas tinha vontade de experimentar, de receber mais, de levar no cu mais, de ser fodido mais, ........ então a Tiffany dava soquinhos com a pélvis para cima e a cada avançada, eu sentia uma pontada dentro do cu, ...... nessa hora o Paulo parou, foi descendo seu corpo sobre mim, eu não lutava mais, eu só queria me preparar para o meu cuzinho acostumar, para que não doesse, ele então me beijou, os dois me beijavam agora, eu gemia baixinho, a Tiffany acariciava meus cabelos, eles foram me acalmando, o Paulo então enfiou um dedo, as lágrimas escorriam do meu rosto, não de dor, de medo, .........sem tirar o pau da Tiffany do meu cu, e ficou me alisando, depois enfiou dois dedos, a Tiffany me segurava num abraço apertado, o Paulo me olhava se deliciando, eu ainda estava assustado com o que ia acontecer, mas estava aguentando firme, então ela relaxou e ele passou mais creme e começou a enfiar o pau dele junto com o dela, mesmo devagar a dor era grande, então tentei me soltar, mais lágrimas .............. aaaaiiiiiaaaiiii, para Paulo, ............... aaaiiiiii, meu cu estava levando dois caralhos grandes de uma vez, era uma dupla penetração, eu estava com medo, pensei que ia me machucar, mas ele me fitava com um sorriso safado, sussurrava para eu me acalmar e ela também, me beijava o pescoço e a orelha, os dois me acalmavam, não doía tanto agora, eu estava tensa, comecei a gritar ................. aaiaiaiiiiiii, para, tô com medo, vai doerrr, ................ aaaaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiii ......... eu tô com medo ...............aaaaaaaaaaaiiiiiii ele foi enfiando devagar, o medo era maior que a dor real, mas eu não conseguia me controlar e gritava, .... engasgava ...... aaaaiaiaiaiaiaiaiaiii .......... ele pedia para eu relaxar ...... então ele continuou enfiando .... bem devagar ....... ele enfiou tudo, e suas coxas batiam nas minhas, enquanto isso a Tiffany me segurava e me lambia o pescoço, a sua rola enorme se mexia com a do Paulo, eles arrombavam meu cu sem dó,......... mas bem devagar para a pica dela não escapar, sua pica enorme e grossa, me fazia tremer, ........ aaaaaiiiiii ......... então ele pegou no pinto e eu senti que ele estava duríssimo, eu comecei a sentir tesão agora, a dor estava passando, então eles me apertavam e eu de pernas abertas, com o meu cu totalmente a mostra para o Paulo, ele começou a tirar bem devagar e meter de novo, os dois metiam em mim, já não tinha forças nem para gritar, eu suava e gemia baixinho, minhas lágrimas secaram e um tremor me percorria de cima a baixo, e o Paulo bombava bem devagar, eu estava totalmente preenchido, com duas picas grossas no meu cu ao mesmo tempo, com o cu arrebitado para cima, então senti que ia gozar, .... mas o Paulo parava a punheta e depois recomeçava, meu pau estava tão duro que parecia que ia estourar.... então pedia ele para gozar logo ...... aaiiii Paulo ...... ......goza logo.... Pauloooooooo goooozzzaaaa ......... eu também quero gozaaaarrrr ....gozaaaaaa ....... foi então que a Tiffany avisou o gozo, e antes que ela explodisse em porra, o Paulo me punhetou velozmente, ela segurando meus braços, ele avisou para gozarmos ao mesmo tempo, ele urrava e enfiou tudo no meu cu, com muita força, soltei um gritinho, quando me tensionei para gozar, ....... aaaaaaaaaaiiiiiiiiiii quero gozzaaaaaaaaaaaaarr... .... aaaaaaaahhahahahhahhhhhhhhhhh eu gozei e ..... senti os dois paus inundando meu cu com uma porra quente, e eu recebi tantos jatos de porra no cu que até vazou, então ele me soltou e ela com o pinto meio amolecido me virou de lado, deitamos um pouco para nos refazer, eu estava no meio, a Tiffany lambia meu pinto, todo o restinho de porra que eu tinha deixado, e o Paulo me beijava, depois de um tempo nos arrastou para um banho de banheira, fomos os três, agora meu cu ardia, eu andava com dificuldade, passei a mão, senti ele alargado, arrombado, eu estava tão mole, que sentei do lado do Paulo e caí no colo dele, doía para sentar, nos lavamos, nos chupamos, nos lavamos, nos beijamos, ele ria e eu estava com cara de menina assutada, ..... ele falava..... ah para Pedrito, eu sei que você gostou, tá doendo, mas você está com cara de realizada, levou picas no cu, como nunca, .... para de manha, .... e fizemos um monte de sacanagens e voltamos para a cama sem se enxugar, passei a mão no meu cu, estava literalmente arrombado, então a Tiffany massageou meu cu com um creme para aliviar a dor, aos poucos foi melhorando, aquela traveca tinha um pinto poderoso..... então, como eu estava com o cu prejudicado, o Paulo mandou eu chupar a pica dela e colocou ela de quatro, e começou a fuder ela com furia, e ela aguentava firme as investidas dele, quando ele enterrou o caralhão dele no cu dela de uma vez, ela pediu arrego e suspirou, e a cada estocada dele ela gemia, eu chupava aquela piroca grossa e pedia ao Paulo para foder sem dó com ela, ela não resistiu nem vinte minutos e esporrou dentro da minha boca, e o Paulo, urrando, dava cada estocada nela que dava para ouvir as coxas dele batendo nas nádegas dela, até que ela não aguentou e mesmo segurando os gemidos, soltou alguns gritinhos, eu chupava o pau dela, que estava amolecendo, ela estava perdendo as forças, e desabou sobre mim, eu a abracei e o Paulo bombava com mais força e ela não resistia, estava entregue, quando ele esporrou dentro dela, ela estava abraçada a mim, respirava forte, ofegante, eu procurei a boca dela para beijar e ela se entregou num beijo profundo, enquanto o Paulo dava as últimas estocadas e depois se virou do lado, abraçamos ele e ficamos um tempo parados, olhando para o teto....... estávamos satisfeitos ...... então perguntei se ela iria dormir conosco..... ela disse que sim, que só iria embora no domingo .....

 

Pedrita
apedrito007@hotmail.com

 

Um macho chamado Paulo - parte VI (outro menage)

..... estávamos ofegantes, pelo esforço, pela entrega, continuamos abraçados, ambos suados, ficamos assim algum tempo ... até a pica dele amolecer .... eu me sentia plenamente realizado, meu cu alargado e esporrado, me sentia realizado, plenamente, adormecemos nessa posição, ......... sonhei com o Paulo e com o Marcelo ...... agora sei ... que queria dar para os dois na mesma noite, não sei se vou aguentar, mas eu quero muito, muito, eles eram parecidos, carinhosos, ..... eu iria gostar muito.... ................... vai ser duro esperar até o fim do mês ....................

Na sexta de manhã o Marcelo me deixou no trabalho, depois do almoço me mandou um torpedo dizendo ..... "você estava maravilhosamente delicioso" ..... corei, estava numa reunião e os colegas notaram, fizeram piadinhas rápidas, mas ninguém percebeu e logo voltamos ao foco.... depois que saí do trabalho, resolvi cuidar do visual, pois já fazia um mês que não me depilava e alguns pelinhos já teimavam em aparecer, então me dei esse presente ......

No sábado, após o café da manhã, liguei para o Paulo, conversamos um pouquinho, eu reclamei das sumidas dele, ele disse que era porque viajava ao trabalho, então perguntei se ele não queria ficar em casa neste sábado, poderíamos pedir uma pizza e se divertir um pouquinho.... ele disse que viria, por volta das seis .....

Quando ele chegou eu estava de calcinha preta e uma camisola branca, abri a porta e ele me beijou ternamente, e me deu um caixinha de presente, eu abri e era uma pulseira de madrepérola, ele disse que imaginava que eu gostaria, porque vivia usando calcinha, então ficamos conversando um pouco, perguntei se ele gostaria de me ver montada algum dia, ele disse que não sabia, só vendo a primeira vez, e ele gostava de ver como homem, mas afeminado, viadinho, usando calcinha já era bom, mas se um dia acontecesse, ele experimentaria, mas não hoje, de surpresa talvez, então pedimos a pizza e preparei uns drinks até chegar, ele tomou um conhaque e eu fiz uma saquerinha de kiwi para mim, depois chegou a pizza, e durante o jantar tomamos vinho branco, e ele mais relaxado contava algumas piadinhas, algumas sem graça outras boas, então quando percebi que ele estava meio alto e eu também rsrsrsrsrss, perguntei se ele já tinha saído com mais de uma pessoa. ........ aahahhhnn, tipo menage??? .... sim, eu disse, ........... aí ele respondeu com uma naturalidade que me surpreendeu........... bom, quando eu era mais novo fazia muito, depois fui perdendo a vontade, ... sabe, às vezes é difícil, perdemos a noção de amizade, acabamos por gostar mais de um que do outro, nunca fiz com estranhos, sempre com conhecidos, às vezes amigos mesmo, mas de tanto repetir acaba surgindo algum problema, mas porque você pergunta???? está com vontade?????? quer experimentar?????

Agora foi a minha vez de surpreendê-lo, contei para ele minhas aventuras com as travestis e depois com a Jennifer e a Jandra, percebi que ele ficou enciumado, e ele disse se eu teria saído com mais alguém, além dele lógico, então falei sobre os encontros com o Marcelo, sem revelar seu nome, percebi que ele estava ficando bem vermelho, ou era raiva, por ciúme, ou já estava bebendo demais .... então, ele me puxou pelas mãos em direção ao quarto, largamos a mesa do jeito que estava e ele disse ..... que eu ia ter o suficiente para não sair com outro....

Ao chegar ao quarto ele me jogou na cama e pulou sobre mim, nos beijamos novamente, como da primeira vez, então, eu sussurrei para que ele se livrasse da roupa e tirasse a minha também ... ele me deixou de calcinha e ficou totalmente nu, ele ficou me acariciando o rosto e me beijou novamente, abraçou-me e deitou sobre mim, senti seu membro, muito duro entre minhas coxas, ele então me despiu a calcinha, e beijou minha barriga, me virou de bruços e beijou minhas costas e foi descendo, mordiscava minha bunda enquanto falava que ia me comer muito, como eu nunca tinha sentido, chupou meu reguinho e lambeu meu cuzinho, eu já estava apreensiva e pedia para ele não ser bruto, ele disse que não me machucaria nunca e então me entreguei de vez, e fiquei rebolando para ele, gemendo, suspirando, antes que ele começasse a me penetrar, pedi novamente para não me machucar, ele me beijou a nuca e disse que seria muito carinhoso, que eu relaxasse, ele não iria me machucar ... então ele lubrificou meu cuzinho por dentro, enfiou um dedo e brincou, lambuzou meu cu, enfiava e tirava, eu só via estrelas, estava me deliciando, então ele enfiou dois dedos e disse que era para eu fechar os olhos e aproveitar, pediu que eu relaxasse, ele ficou com os dedos massageando minha próstata, fui me largando, me entregando, estava muito gostoso, então de repente ele parou e senti a cabeça do seu pau procurando sua entrada, começou a penetração, bem devagar, mais devagar que as outras vezes, fazia tempo que eu não era penetrado por ele, ele procurou me acalmar, colocou os dois travesseiros por baixo de mim e minha bunda ficou mais empinadinha, passava a mão em minhas costas, eu respirava fundo, ofegava, ele recomeçou, senti que a cabeça de sua pica tinha entrado, não doía, ele perguntou se era melhor parar, eu disse que não, queria que ele enfiasse tudo, mas ele falou que era só um pouquinho de paciência, ele me beijou, aos poucos meu cuzinho foi se acostumando, bem devagar, senti sua pica me invadindo, bem devagar, sentia grossura dela, me preenchendo, as vezes comparava com o Marcelo, ele parava e depois recomeçava, eu queria muito dar meu cu para ele e para o Marcelo juntos, queria sentir dois homens me comendo, dois machos me dominando, me penetrando, queria ser fêmea de dois, e ele estava sendo tão paciente, tão carinhoso, aaiii ... senti sua coxas grudarem nas minhas, ele enfiou tudo em mim, sentia seu pau todinho em mim, chegava a sentir ele bater no ventre, doía mais agora, mas meu corpo pulsava e eu estava adorando dar meu cu, ele me disse que adorava eu ser apertadinho, então ele tirou um pouquinho e enfiou de novo, aaaaiaiaaiiiiii assim dói .... e ele começou a fazer assim, cada vez com mais força, a cada estocada eu me remexia, tremia, sentia seu pau me atravessando ao meio, não era grosso, mas era muito comprido, ele iniciou os movimentos, bem devagar, tirava bem devagar e enfiava de uma vez, eu me contorcia, doía mas eu pedia mais, ele aumentou a frequência, mais rápido agora, mais rápido, eu gemia, rebolava, as estocadas cada vez mais fortes, doíam um pouco, eu gemia, sentia seu pau tão duro, ele enfiava fundo, a cada estocada eu chegava a pular, ele me beijava, sussurrava em meus ouvidos, ...... dizia que queria me fuder muito, me fazer seu viado, eu já estava entregue, sentia sua pica sair e voltar, ele não parecia cansado, sentia ele cravar fundo sua pica em mim, o seu peso sobre mim, me sufocava e abafava meus gritinhos, eu gemia cada vez mais alto, cheguei a gritar e ele forçava mais, aaaaiiaiaiiiii eu gritava, queria dar meu cu todinho prá ele, mas a cada estocada ele alargava meu cu e chegava mais fundo, eu gritava ... me dá sua pica, enfia no meu cu, então ele gritava, .... toma seu viado, sente essa pica no cu, eu estava molhado de suor, não resistia mais, não pulava, apenas um tremor percorria meu corpo, e ele naquele ritmo, devagar, ele ia tirando devagar, bem devagar, quase parando e se soltava, deixava o peso do corpo empurrar aquela pica enorme no meu cu, entrava bem fundo dentro de mim, a cada estocada eu apenas gemia, estava sem forças até para gritar, acho que já tinha gozado duas vezes, então pedi para ele gozar de uma vez ...... ele então mandou eu implorar ....... obedeci, num fio de voz eu dizia .... iaaiaiiii Paulo, goza por favor, não aguento mais, você me arrombou todinho.... não escutei, repete.... aaaiiii Paulo, por favor, goza logo vai, goza..... então ele gritou .... Porra!! que merda de viadinho é você?? eu mandei você implorar... entendeu??? implorar..... então eu tentei mais uma vez, falei com uma voz afeminada, bem viadinho mesmo....... Paulo, por favor, goza no meu cu, vai meu macho goza, eu estou implorando, goza, por favor, eu imploro.... ele ria, ele tava bombando em cima de mim, fazia um tempão, .... então senti que ele tremia todo, senti sua pica inchar e ele gritar, um urro, parecia um urso, um bicho, então ele gozou, me inundou de porra, aquela porra quente, grossa, muito quente, que eu conhecia tão bem, continuou esporrando,se largou em cima de mim, jogou o peso todo por cima de mim, então sua respiração diminuiu, eu senti seu leitinho no meu cu e seu corpo no meu, ambos suados, ficamos assim algum tempo ... até a pica dele amolecer .... eu me sentia plenamente realizado, então ele falou ..... gostou seu viadinho, gostou???? ainda quer experimentar dois caralhos de uma vez??? ele estava em cima de mim, eu sentia meu cu alargado e esporrado, eu sentia meu corpo liso raspando junto ao dele todo peludo, me fazia arrepiar, me sentia a própria fêmea, subjugada, conduzida, penetrada ..... e felizzzzz ... sentia sua porra escorrer para minhas coxas, disse que sim, que queria dois machos, que aguento muito mais, vou aguentar muito mais ........... amanhã seria outro dia .....

Acordamos bem tarde no domingo, e tomamos café juntos, e ele falou que se eu quisesse ter uma experiência com outro homem, que ele aceitaria, que eu poderia convidar outro homem, desde que fosse uma pessoa do bem, fiquei contente .... senti que ele falava com uma pontinha de ciúme .... e fiquei comparando os dois ..... não sabia me decidir de quem eu gostava mais ..... Marcelo ou Paulo ... Paulo ou Marcelo ....... não sei porque queria decidir, estava bom essa vida sem compromisso, estava experimentando tantas novidades ... então lembrei que uma amiga me falou ................. "as novidades são boas enquanto são novas, depois disso podem se tornar entendiantes, ou até perigosas" .......

As semanas se passaram e minha amizade com a Jandra e a Jennifer aumentaram, a Jandra sempre me ligava e perguntava das novidades, saímos algumas vezes, ou para um lanche, ou para um programa de "meninas", pois íamos num studio onde eu me montava, depilava, fazia as unhas, normalmente esses programas eram às sextas-feiras, pois depois eu ia direto para casa e me desmontava em casa, ela me contava como estavam os preparativos para a festa, os machos deveriam levar as bebidas e a carne, e as fêmeas fariam as comidas, isso me obrigaria a dormir na casa delas um dia antes, para ajudar na cozinha, como eu não tinha habilidades culinárias, iria virar a faxineira da cozinha, foi muito engraçado, porque tive que usar uniforme de empregadinha sexy, imagine só, tive que lavar pratos, passar pano na cozinha, fiz tudo de salto alto, meia fina e muito mais, foi uma diversão, mas eu conto melhor depois ......

Marcamos para a última sexta-feira daquele mês, as fêmeas chegariam antes, os machos só no sábado, por volta das dez da manhã. Os trios eram, Ricardo, Talita e Rose; Sonia e a Jane e uma mulher que conheci naquele dia chamada Cris; a Jennifer, a Jandra e uma travesti muito feminina chamada Lara; Eu, Paulo e Marcelo; o André e o Ricky e um amigo deles Rubens; as fêmeas escolhidas foram a Rose, a Jane, a Jandra e a Lara, eu e o Ricky, os outros seriam machos, O Ricardo e a Talita (a travesti do caralho enooorme), a Sonia e a Cris, a Jennifer e a Lara, o Paulo e o Marcelo; e o André e o Rubens. Todo mundo já se conhecia, só o Paulo que não conhecia ninguém.

Chegou o tal dia, sexta a noite, estávamos todas lá, a Rose, a Jane, a Jandra, ordenaram que eu e o Ricky deveríamos ficar montadas o tempo todo, então, a Jandra foi cuidar de nós e a Rose e a Jane foram para cozinha, eu me montei de empregadinha sexy, salto alto, meia fina preta, calcinha preta, uma mini saia preta com renda branca, uma blusinha preta de mangas, peruca, maquiagem, um avental branco e uma tiara de renda branca na cabeça, e o Ricky estava de biquíni dourado, saída de praia branca quase transparente que ia até as coxas, de peruca loira, maquiagem, parecia uma menina, porque ele era todo franzino, delicado mesmo, e ele não escondia, e ficamos assim, ajudando e se divertindo. As meninas prepararam várias saladas, petiscos, molhos, pois não queríamos ter trabalho no dia seguinte, os rapazes chegariam cedo, com bebidas e a carne e nós não faríamos mais nada, antes da meia noite, estava tudo pronto, as meninas estavam exaustas e resolvemos tomar um banho e dormir, fomos para os quartos, cada uma de nós tinha um quarto, todos muito parecidos, com banheira, camas grandes, só o quarto da Jennifer é que era bem maior, então me desmontei e entrei na banheira, para relaxar um pouquinho, meia hora depois tomei um ducha bem quente e fui dormir. Combinamos de acordar cedo para tomar um café, antes que eles chegassem.

Acordamos por volta das oito e meia, eu praticamente desci ao mesmo tempo que a Rose, descemos juntas, pois a Jandra, o Ricky e a Jane, já estavam nos esperando, eles estavam na varanda, em volta da mesa, recheada de gostosuras, torradas, queijo branco, suco de laranja, café, geleia de amora negra, melão e melancia em fatias, estava uma delícia, tomamos café e ficamos conversando, esperando os meninos, ajudei a tirar a mesa pois não tinha ajudado no café, ficamos nos sofás da varanda conversando, quando os rapazes começaram a chegar.... o Ricardo, a Talita, a Jennifer e a Lara chegaram primeiro e depois os demais foram chegando, o último a chegar foi o Paulo. eu o apresentei a todos deixando o Marcelo por último, percebi que o Paulo estava meio sem jeito, mas de vez em quando saía para buscar alguma bebida e deixava os dois a sós para conversarem...

A festa foi muito legal, ninguém abusou da bebida e aos poucos o pessoal foi subindo para os quartos, quando começou a escurecer, eu peguei o Paulo e o Marcelo e os puxei para subir, a Jennifer, a Jandra e a Lara ficaram por último, dizendo que fechariam as portas e subiriam logo em seguida, no corredor ouvíamos alguns sussurros nos outros quartos, o pessoal já estava se esquentando, quando entramos no quarto, o Marcelo disse para tomarmos um banho de banheira para relaxar, então fomos trocar de roupa, o Paulo ainda estava um pouco acanhado, e o Marcelo aproveitava para provocar, passava a mão em minha bunda e elogiava minha pele lisinha, entramos na banheira e eu fiquei entre os dois, aos poucos a espuma foi subindo, eu procurei o pau dos dois e comecei a alisar, então o Marcelo puxou meu rosto e me beijou, demoradamente, eu apertava aqueles dois caralhos com as mãos, e então o Paulo também tomou a iniciativa de me beijar, eles alisavam meu peito e eu beijava ora um ora outro, então o Marcelo se levantou exibindo aquele caralho grosso, duro, em ponto de bala e me pediu para chupá-lo, eu fiquei de joelhos e comecei a chupá-lo demoradamente, então o Paulo passou a acariciar meu cuzinho, com os dedos, ora enfiava um, ora só brincava na portinha, então pedi para trocarem de lugar, resolvi que deixaria os dois loucos, antes que conseguissem gozar.... enquanto chupava o caralho enorme do Paulo, o Marcelo é que me enfiava os dedos.... e ficamos assim um tempinho, revesei com os dois, não deixando que gozassem ..... então fomos para a cama.

Pulamos sobre os lençóis, nem nos enxugamos, eu estava no meio dos dois agora, virei recheio de sanduíche, o Marcelo me beijava sofregamente e eu sentia seu caralho no meio de minhas coxas, e o Paulo me beijava a nuca e sentia seu caralho forçando minha bunda, mas sem encontrar a portinha, em dado momento, eles pareciam se abraçar e forçaram-se um contra o outro e eu no meio, sentia-me sufocar, e Marcelo pediu que eu virasse e o chupasse num 69, e enquanto ele chupava meu pau o Paulo mordiscava minha bunda e enfiava sua língua no meu cu, eu chupava o Marcelo demoradamente, para ele não gozar, então ele mandou eu virar e chupar o Paulo, e fomos invertendo, eu chupava os dois e parava, eles estavam percebendo e o Paulo disse, agora vamos comer esse viado, senão não vamos gozar ....... eles me viraram de quatro e colocaram os travesseiros por baixo de mim, deixando meu cuzinho apontado para cima, o Paulo foi o primeiro, passou gel e foi forçando a entrada, meu cuzinho já estava acostumado, pois tinha levado muita pica nas últimas semanas, o Marcelo sentou na cabeceira da cama e me fez engolir sua pica grossa enquanto o Paulo me comia, o Paulo sabia como me conduzir e repetiu a dose de enfiar depressa e tirar devagar, eu gemia e sufocava com o boca cheia de caralho, com as minhas mãos segurando as coxas do Marcelo, o Paulo fazia como queria, meu cuzinho a mercê dele engolia aquela pica enorme, ele me dava tapinhas quando tirava a pica bem devagar, com as pernas abertas e o cu arrebitado para o Paulo, eu não tinha mobilidade, e ele me segurava pelas ancas e fincava sua pica com força, a cada estocada eu sentia sua pica me invadindo por dentro, parecia que eles queriam que as picas se encontrassem dentro de mim, com as mãos presas, o Marcelo dirigia minha cabeça como queria, me fazendo engasgar várias vezes, levantava meu rosto para eu encará-lo e ele perguntava se estava gostando, nem dava para eu responder, porque ele logo enfiava aquela piroca grossa na minha boca, a cada encontro das coxas do Paulo na minha bunda fazia um barulho parecido com tapas, ficava cada vez mais alto, e eu sentia ele cravando sua pica bem lá no fundo, eles estavam rindo, porque os gemidos do quarto ao lado pareciam miados, então o Marcelo falou, bom se lá eles tem uma gata, aqui nós temos uma cadelinha, e ela já vai se revelar, então ele deu a volta e pediu para trocar de lugar com o Paulo, então o Paulo foi para a cabeceira pegou minha cara e aproximou daquela pica enorme e enfiou na minha boca e mandou chupar .... enquanto eu chupava o Marcelo se preparava para me comer, e fez de maneira bem sacana, aproximou a cabeçona do meu cu e foi forçando, bem devagar, mas sem parar, sua pica era mais grossa que a do Paulo, senti minhas pregas soltando, senti meu cu rasgando, para acolher aquele caralho enorme de duro, então ele me dava tapas e falava late cadelinha, late cadelinha ....... eu gemia, com o caralho do Paulo na boca, não podia nem respirar, então o Paulo tirou o pinto da minha boca e mandou eu latir ...... então eu disse que não ...... então o Marcelo enfiou de uma vez e eu sem esperar gritei de um jeito que não deixava dúvidas, doeu, aaaaaaaiaiiaiaiiii .......aaaaaiaiaaiaiiiiiii .... não me machuca, então ele falou, se você latir eu não repito, e foi tirando a pica de novo, bem devagar, o Paulo segurava meus braços, ....... e ele deu outra estocada aaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiii.......... por favor, de novo não tá doendo.. . ... então late!!!! .....e foi tirando de novo, eu pensei em me virar, mas ele agarrou na minha cintura e o Paulo segurava minhas mãos tão forte ..... é um ..... é dois . ....aaiai au au au..... comecei a latir e eles deram risada, e ele foi afundando sua pica no meu cu, bem devagar e depois ele foi me acariciando ... até a dor diminuir ..... eu estava com o cu ardendo, e o Paulo me puxava e enfiava seu pau em minha boca e quando tirava eu latia .... au au au ......então ele me punha a chupar de novo e o Marcelo enfiava e tirava bem devagar, mas socava bem fundo, devagar mas sem paradas ......quando o Paulo percebeu que eu já estava sem forças ele saiu da cabeceira e se juntou com o Marcelo e eles ficaram metendo no meu cu, um de cada vez, um tirava era vez do outro, eles metiam de uma vez, eu estava praticamente jogado em cima dos travesseiros, então o Marcelo avisou que ia gozar e o Paulo se apressou e os dois gozaram, dentro do meu cu, nunca tinha recebido tanta porra junto, me esporraram todinho, não só no cu, na bunda e nas costas, caí de lado, com o cu em brasa, e o Paulo me abraçou por trás, e perguntava, cadê o viadinho que virou cadelinha cadê.... eu nem aguentava responder, estava exausto, mas tinha sido bom, aguentei dois caralhos enormes, aquela porra quentinha escorria pelas minhas coxas e aliviava o meu cuzinho, enquanto o Marcelo foi se lavar, o Paulo recolhia aquela porra e esfregava no meu corpo, eu me virei de frente prá ele e pedi um beijo, eu estava tão mole, entregue, então ele me abraçou forte e me beijou, dizendo que eu tinha um cu de respeito, aguentou dois caralhos, dois rojões dos grandes, eu me aninhei no seu peito e olhei para o relógio da cabeceira, passava das três da manhã, adormeci, ambos adormecemos, o Marcelo, quando voltou do banho, nos cobriu e deitou do outro lado, ele disse que tinha esporrado tanto que o saco tinha grudado de tão murcho, sonhei que eles me chamavam de cadelinha e eu respondia au au ....

 

Pedrita
apedrito007@hotmail.com

 


Conteúdo sindicalizado